Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Abóbora

Abóbora

Cucurbita pepo L / Cucurbitaceae

 

Cucurbita pepo O gênero Cucurbita inclui 27 espécies de plantas rasteiras ou trepadeiras, anuais e perenais, nativas na América tropical e subtropical. Várias espécies diferentes, com nomes comuns intercambiáveis, são conhecidas como abóboras e têm propriedades medicinais equivalentes. Cucurbita maxima é originária do Peru e chegou à Europa depois da conquista espanhola em 1532. Também conhecidas como abóboras são a Cucurbita moschata, que pode ter-se originado no México, mas era conhecida desde 5.000 anos atrás nas Américas do Sul e Norte, e Cucurbita pepo que é mexicana de origem, mas cresce na América do Norte meridional há mais de 8.000 anos. O uso de sementes de abóbora na medicina chinesa data do 17º século.

Cucurbita pepo é uma planta anual cultivada, com caule rasteiro que atinge até 5 m de comprimento, apresentando folhas alternas e cordiformes. As grandes flores amarelas suportadas por longos pedúnculos são unissexuais: as masculinas, em grupos auxiliares; as femininas isoladas. O fruto é uma baga (pepônio). Conhecida como abóbora-porqueira, é originária da América central e difundiu-se por todo o mundo. São cultivadas atualmente numerosas variedades alimentícias, forrageiras ou oleaginosas.

Cucurbita maxima Cucurbita maxima é uma planta rasteira anual com talos de cinco ângulos e folhas pecioladas dentadas. Flores amarelas aparecem no verão e são seguidas através de frutos carnosos que, quando maduros, podem ser de cor verde, amarela, laranja, ou vermelha, e cheios de sementes brancas.

As partes usadas são as sementes que são retiradas dos frutos completamente maduros e postas a secar rapidamente ao sol. Contêm até 50% de óleo, albuminas, um glicosídeo, a cucurbitina, uma resina, minerais, especialmente zinco que é útil no tratamento da próstata aumentada e outras substâncias ainda desconhecidas. Continuam a ser um meio de combate sempre atual contra os parasitas intestinais. Como um remédio para parasitas intestinais, as sementes de abóbora são menos potentes que Driopteris filix-mas, mas é mais seguro para mulheres grávidas, pacientes debilitados e crianças. As sementes são consumidas cruas, sem casca, na dosagem de 200 a 250 sementes para adultos e de 50 a 100 sementes para crianças. Não provocam qualquer efeito irritante secundário. Usa-se, por vezes, para os mesmos fins, uma decocção de sementes de abóbora-porqueira misturada com óleo de rícino. As sementes de pepino têm o mesmo efeito anti-helmíntico. Freqüentemente face=Arial size=2> é combinada com Echinacea purpurea e Serenoa repens para prostatites.

Além de água, as abóboras-porqueiras contêm também açúcares, albuminas, gorduras, vitaminas e bastante substâncias minerais. São consumidas sob a forma de compota ou marmelada. O suco fresco é diurético, e o seu consumo recomenda-se no caso de afecções renais. As sementes também são consumidas assadas e adicionadas ao pão. A abóbora-porqueira é também uma boa planta polinífera e melífera, tanto mais que a sua floração é prolongada.