Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Assa-fétida

Assa-fétida

Férula/Funcho-gigante/Umbelliferae (Apiaceae)

Ferula assafoetida

Nome Popular:
Férula

Família: Apiaceae /
Umbeliferae

Este gênero consiste em 172 espécies perenes robustas, encontradas desde o mediterrâneo até a Ásia Central. Ferula assafoetida é nativa de regiões litorâneas e áreas rochosas do Irã. Embora conhecidas como funchos gigantes, por causa de sua similaridade com a espécie Foeniculum, muitas têm um cheiro desagradável. Ferula assafoetida e Ferula gummosa foram importantes durante muito tempo devido sua resina de látex: a primeira foi taxada por um imposto na Alexandria durante o segundo século DC, e a última foi mencionada como ingrediente em incenso de Moisés.


Dentro deste gênero, Ferula assafoetida e Ferula gummosa são importantes devido às suas resinas de látex que foram usadas desde tempos antigos. Ferula assafoetida, com um odor sulfuroso, é provavelmente a mais mal-cheirosa de todas as ervas. Porém, em pequenas quantidades dá um aroma surpreendentemente agradável a muitas comidas. Também é uma erva medicinal muito efetiva, muito usada na tradição Ayurvedica. Armazenamento hermético é necessário para evitar a contaminação de ambientes. Também é coletada a resina de látex da espécie relacionada como Ferula rubicaulis. A raiz de agradável cheiro almiscarado da Ferula sumbul e da Ferula gummosa são usadas em incensos e para tratar histeria.

Aspectos Agronômicos: Sua propagação se faz por sementes e divisão de
raízes, que adapta-se a todos os tipos de solos, desde que ricos em matéria
orgânica e nutrientes. A adubação deve ser feita com esterco curtido de animal,
húmus ou matéria orgânica, incorporados a 60cm de profundidade. Quanto ao clima,
esse deve ser temperado ou subtropical, com exposição ao sol plena.

 A colheita das folhas pode ser feita em
qualquer época do ano e as raízes no outono.

Parte Utilizada: Folhas.

Constituintes Químicos:

– arabinose;
– asaresenotanol;
– bassorina;
– cadineno;

compostos sulfUrados;

cumarina;
– ésteres;
– famesferol;
– felandreno;
– foetidina;
– galactose;
– goma;

isopimpinelina;
– alfa e beta –
pineno;
– resina;
– sesquirterpenos;
– umbelliferona;
– vanilina.

Origem: Ásia Central

Aspectos Históricos: Foi um condimento muito popular na Roma antiga,
apesar de seu cheiro desagradável e pungente, que lembra o odor de peixes. Seu
nome em português é composto pelas palavras “assa”, que vem do persa “asa” e da
forma latinizada “farzi aza”, que quer dizer “resina”; e “fétida” (fedorento,
mal – cheiroso). O nome científico Ferular, em latim, quer dizer “carreador” ou
“veículo”.

Uso:


* Fitoterápico:

Tem ação: digestivo, hipotensora e anti –
coagulante.
É indicada:

– hipertensão arterial;
– dor e espasmos;
– indigestão;
– flatulência;
– cólica;

constipação;
– vermes
intestinais;
– tosse forte;

– bronquite;
– enfermidades convulsivas.

* Fitocosmética:
A assafétida produz uma goma – resina muito usada na
perfumaria.

* Farmacologia:
 O óleo desta planta é rico em enxofre.  A
resina dessa planta é utilizada como medicamento de uso externo, como um
importante anti – espasmódico, estimulando o peritaltismo nas afecções nervosas
e convulsivas, atuando igualmente na histeria e na hipocondria.

Culinária: Muito usada em conservas na
Índia. Combina com pratos de vegetais e é usada no autêntico molho inglês. As
folhas são comidas como verdura.

Bibliografia:
Balmé, F. Plantas Medicinais. São Paulo: Hémus, 5ª
edição, p. 70.
http://www.ervasdositio.com.br
http://www.canalvip.com.br/neumart/pm/feruassa.htm