Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Eufrásia

Eufrásia

Euphrasia officinalis L.

Euphrasia officinalis


O gênero Euphrasia é cosmopolita e inclui cerca de 450 espécies de plantas semi-parasitas, sendo geralmente considerado como um grande grupo de espécies semelhantes com pouquíssimas delas que se destacam tais como Euphrasia rostkoviana e Euphrasia montana. De modo geral as Euphrasias são difíceis de cultivar por causa do ambiente de crescimento que requerem. O nome genérico deriva do termo grego euphrasia que se traduz por alegria e representa a alegria da cura.


Euphrasia officinalis é uma planta anual com caule baixo e ramificado, apresentando folhas opostas, pequenas e dentadas. Na axila das folhas surgem flores brancas, flavescentes ou violáceas, nitidamente bilabiadas. O fruto é uma cápsula. É uma espécie relativamente comum e abundante nos prados úmidos, nas pastagens e mesmo na floresta ao longo da Europa, sendo parasitária de Trifolium pratense, várias espécies de Plantago e de diversas gramíneas.


Sempre foi conhecida pelas suas propriedades benéficas para as afecções oculares. Euphrasia officinalis foi registrada no 14º século como uma erva medicinal para “todos os males do olho”, ganhando esta crença pela Doutrina de Assinaturas: “As faixas e manchas purpúreas e amarelas das flores da Euphrasia muito se assemelham às doenças dos olhos como vista sanguinolenta, e etc. Por esta assinatura se faz descoberto que esta erva é eficaz para a cura do mesmo”.


São colhidas as cimeiras. A parte superior do caule é cortada à mão, com flores e folhas, são eliminadas as partes lenhificadas e depois procede-se à secagem sobre grades de canas em camadas finas. Contêm um glicosídeo, a aucubina, taninos, um óleo essencial, sucos amargos, pigmentos. É uma erva amarga, adstringente que reduz inflamação. As cimeiras são sobretudo usadas em compressas e loções oculares, por vezes com água boricada, preparando um extrato aquoso na proporção de 5 g de partes ativas para 100ml de água, a macerar durante 25 minutos. Estas loções são eficazes em caso de lacrimações, conjuntivites, sensibilidade excessiva à luz e fadiga ocular. Também usada para catarro, sinusite, rinite alérgica, febre do feno e infecções das vias respiratórias superiores. A infusão de eufrásia é igualmente usada para abrir o apetite, estimular a secreção dos sucos digestivos e regularizar a digestão. A medicina popular recomenda-a contra as perturbações nervosas, dores de cabeça, a histeria, as insônias e as cãibras. Externamente para conjuntivites, injúrias nos olhos, herpes, eczema gotejante e feridas que custam a cicatrizar. É uma excelente planta melífera.