Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Ipeca, ipecacuanha

Ipeca, ipecacuanha

Cephaelis ipecacuanha

Cephaelis ipecacuanhaRelacionadas ao gênero Psychotria e Palicourea, as aproximadamente 180 espécies do gênero Cephaelis são arbustos e pequenas árvores perenes que acontecem em várias partes das regiões tropicais. Muitas espécies são conhecidas por conter alcalóides.

Só Cephaelis ipecacuanha, um arbusto esbelto, perene, com raiz rastejante brilhante, folhas ovaladas pontudas, que cresce expontamente sob a copa das florestas tropicais brasileiras, é amplamente cultivado em Cingapura e na Malásia. Freqüentemente crescendo debaixo de seringueiras (árvores da borracha). Difícil cultivar fora de seu habitat natural. Exige solo bem escoado, terra rica em húmus com sombra e umidade. Na estação chuvosa aparecem os agrupamentos terminais de flores brancas em formato de trompete, logo seguidas por bagas purpúreas com duas sementes.

Ipecacuanha já era conhecida dos nativos brasileiros séculos antes de sua introdução em Portugal por um monge nos tempos coloniais. Um médico Parisiense, Helvetius, experimentou-a e confirmou sua eficácia e aplicação para diversos males, principalmente sua efetividade contra disenteria. Em 1688 vendeu sua patente do medicamento para a corte de Luís XIV por 1.000 luises de ouro. Cephaelis ipecacuanha contém emetina, um potente emético que, como um efeito colateral, estimula secreção de muco nos pulmões. Agora, crescendo no extremo oriente, é ingrediente principal de várias marcas de remédios contra tosse.

As partes usadas são as raízes, colhidas parcialmente no início da primavera, quando as plantas estão em flor, e são secadas para uso pela indústria farmacêutica. É um irritante violento que estimula os sistemas gástricos e bronquiais, abaixa febres e previne formação de cisto em disenteria motivada por amebas.

É usada interiormente para tosses, bronquite, tosse aguda, coqueluche e disenteria e amébica. Também usado em xarope para induzir vômito em crianças que ingeriram venenos e quando é preferível ao uso de lavagem estomacal em pessoa muito jovem. Excesso causa vômito severo e diarréia. Usado em homeopatia para náusea. Só para ser usada por médicos qualificados.