Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Língua-de-vaca

Língua-de-vaca

Rumex ssp

Cerca de 200 espécies anuais, bianuais e perenes compõem este gênero que varia ao longo de regiões temperadas do norte. O nome Rumex vem de antigo nome latino para um tipo de lança (pelo formato das folhas das plantas desse gênero). Rumex crispus é encontrado na Europa e África. Rumex scutatus, encontrado na Europa, Ásia ocidental, e a África do norte, é uma espécie com algum mérito como ornamental, entretanto pode ser difícil de erradicar quando estiver bem estabelecida. De acordo com Plinio, os soldados de Julius César foram curados de escorbuto pelo uso de “herba britannica”, posteriormente identificada como Rumex aquatica.

 

 

Rumex acetosellaOcorrem diversas espécies de Rumex no Brasil, mas geralmente são mencionadas apenas duas: Rumex obtusifolius e Rumex crispus. Essas devem ser efetivamente as mais comuns. Rumex acetosella é provavelmente a espécie mais agressiva como infestante de lavouras, mas ainda está limitada quanto à distribuição geográfica, no Brasil.

 

Rumex crispus e Rumex obtusifolius há muito tempo são usadas para tratar problemas de pele. São semelhantes nos componentes e contêm antraquinona que é laxativo. Rumex crispus ganhou proeminência entre os médicos americanos no século XIX e predomina na prática moderna. As raízes de Rumex aquatica são pulverizadas e usadas como dentifrício e também interiormente de modos semelhantes a Rumex crispus. Rumex acetosella é a mais diurética e é usada para problemas urinários. A maioria das espécies também contém oxalatos, semelhante aos encontrados no espinafre e ruibarbo. Oxalatos em excesso são venenosos, especialmente para aqueles com tendência para reumatismo, artrite, gota, pedra no rim e hiperacidez. Eles também contêm ácidos que podem afetar dentes sensíveis. No passado eram escolhidas folhas jovens de várias espécies de Rumex como ervas culinárias. Culpeper considerou a erva como “excelente para fortalecer o fígado … e uma saudável erva culinária como nenhuma outra” (The English Physitian Enlarged, 1653). A maioria das pessoas hoje as acha sem sabor, mas mesmo assim elas ainda permanecem populares.

 

Rumex acetosaRumex acetosa é uma planta perene com talos verdes pálidos e folhas espessas, longas e espiraladas, de até 15 cm de comprimento. Imperceptíveis flores vermelho-marrom nascem em espigas esbeltas que crescem no início do verão e são seguidas por frutas minúsculas e duras. De Rumex acetosa (cor de canela) são usadas as folhas. Uma erva ácida, adstringente, refrescante com efeitos diuréticos. Raramente é usada medicinalmente. Na culinária, folhas novas e frescas são adicionadas em saladas, molhos, sopas, queijo suave, pratos de ovos ou purês para agregar cor e acidez em maioneses e massas de panquecas. O suco é usado para remover ferrugem, bolor e manchas de tinta de linho, madeira, vime e prata.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rumex crispusRumex crispus é uma planta ereta, perene, reproduzida por semente, com uma grossa raiz pivotante, às vezes ramificada, que se aprofunda no solo, folhas lanceoladas de até 30cm de tamanho. Flores imperceptíveis, verdes aparecem no verão, seguidas por frutas minúsculas e lenhosas. De Rumex crispus usam-se as raízes. Uma erva amarga, adstringente, refrescante que estimula o fígado, a vesícula, limpa toxinas e tem efeito laxativo. A erva é usada medicinalmente internamente para doenças de pele crônicas, icterícia, constipação (especialmente associada com erupções de pele), desordens do fígado e anemia. Excesso pode causar náusea e dermatite. Combinado com Taraxacum officinalis ou Smilax spp. para problemas de pele, e com melado como tônico do sangue. Usado em homeopatia para laringite, tosse seca e garganta dolorida.

 

 

 

 

 

rumex scutatusRumex scutatus (folha cor de canela em formato de escudo) é uma planta perene de porte baixo, formando um tapete, com um caule ligeiramente lenhoso e longo, com folhas lanceoladas. No verão, aparecem flores imperceptíveis, vermelho-verdes, que viram marrom pálido quando os frutos amadurecem. De Rumex scutatus são usadas as folhas. Uma erva ligeiramente ácida, adstringente, refrescante que tem efeitos diuréticos. No uso culinário as folhas são usadas dos mesmos modos que Rumex acetosa e são freqüentemente preferidas por causa de sua acidez mais baixa.