Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Louro

Louro

Laurus nobilis

Características: O louro é originário do Oriente Médio. Em forma de arbusto ou de árvore, é perene, podendo viver até setenta anos. A casca do caule é lisa e parda. Tem folhas em forma de lanças, verde-escuras e brilhantes na parte superior e verde-claras e opacas na inferior. As flores são amarelas. Os frutos são bagas ovais que, quando maduras, tornam-se negras. Os gregos antigos associavam o louro ao deus Apolo e usavam as folhas da planta para coroar os seus guerreiros. Hoje, a coroa de louros é agraciada àqueles que se destacam em competições esportivas.

Indicações e Usos: Usam-se as folhas do louro , sem os pecíolos (hastes que ligam as folhas ao caule), como tempero de alimentos. Sob a forma de chá, elas têm propriedades anti-sépticas (ajuda a curar afecções de pele), estimulantes (atua contra o cansaço), sudoríferas (auxiliar no tratamento de resfriados), sedativas (alivia cólicas menstruais), além de combater a má-digestão. Usado externamente, sob a forma de ungüentos e pomadas, é um remédio muito eficaz nos casos de dores reumáticas e incômodos causados por torções.

Uma superstição diz que quando morre um loureiro, ocorre em seguida um grande desastre.