Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Matricária-discóide

Matricária-discóide

Chamomilla suaveolens (L.) ALL./syn.: Matricaria discoidea DC.

Chamomilla suaveolens

PLanta herbácea anual com caule ereto, muito ramificado e densamente folhoso. As folhas divididas são sésseis e alternas. Os capítulos aparecem isoladamente na extremidade das ramificações do caule; são de cor verde-amarelada, com um receptáculo cônico e oco, sem lígulas periféricas. Os frutos são aquênios. Toda a planta liberta um odor agradável. A espécie é originária da América do Norte e da Ásia oriental: no século passado foi introduzida na Europa através dos jardins botânicos e aí se naturalizou depois com uma rapidez fulgurante. Encontra-se à beira dos caminhos, nos pátios, nos locais abandonados. Substitui perfeitamente a verdadeira camomila nas regiões frescas onde esta não consegue crescer.

Colhe-se o capítulo, apanhado com um pedúnculo muito curto na altura em que desabrocha plenamente. Após secagem à sombra, em camadas finas, sem manipulação, obtém-se uma droga de odor agradável que deve ser conservada em recipientes fechados. Contém um óleo essencial (em menor quantidade que na verdadeira camomila), taninos, glicosídeos, um suco amargo. Possui aplicações idênticas às da verdadeira camomila, mas não é anti-inflamatória. A tisana é adjuvante no tratamento da gripe (sudorífico); é igualmente eficaz nas perturbações digestivas (desinfetante e carminativo) e expulsa os parasitas intestinais. Decocções fortemente concentradas servem para a higiene oral e para a lavagem de erupções cutâneas e eczemas.