Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Ortosifão

Ortosifão

Orthosiphon stamineus

Orthosiphon stamineusEsta planta, que fornece a “infusão nefrítica indiana”, medra na Índia, no arquipélago Malásio e na Austrália. Os ramos foliares terminam em uma falsa espiga de flores. Tais flores são de tonalidade azul pálido e se prolongam em longos tubos horizontais e seus estames, ainda mais longos, vão na mesma direção.

A infusão feita com esta planta contém óleos etéricos, taninos, um glicosídeo e uma grande quantidade de sais de potássio. Tal infusão atua junto ao metabolismo, combatendo os processos de mineralização tais como a diátese do ácido úrico. Esta infusão é útil no combate aos cálculos biliares e renais, ao reumatismo articular e também à calcificação das artérias. Também é de auxílio nas dores hepato-biliares; esta planta também auxilia a função renal e é tida como um bom remédio para as dores da bexiga e do rim, contra as diversas perturbações renais, contra a albuminúria. Seus efeitos calóricos e dissolventes restabelecem um bom equilíbrio entre a inflamação e o endurecimento, conduzindo-os ao controle da organização do Eu. Lembremo-nos que o rim é o órgão do planeta Vênus; é interessante notar que esta planta medicinal habita uma região cuja população nos revela em sua fisionomia tal relação, nos revela em sua fisionomia uma função renal particularmente evoluída. (Para maiores detalhes consultar a obra de Rudolf Steiner: “A missão da alma dos povos”).