Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Sanícula

Sanícula

Sanicula europaea

Sanicula europaea Esta planta é uma Umbelífera da floresta que medra nos solos úmidos e sombreados dos bosques da Europa, Ásia e norte da África. É uma planta perene que configura um rizoma quase horizontal, com espessas raízes filiformes que se ramificam com a idade. A partir deste rizoma nascem folhas longamente pecioladas, verde douradas, com forma de mãos. A cada ano eleva-se a partir do rizoma, uma haste floral e nela pode-se encontrar algumas folhas. Tal haste emite longos raios que portam em sua extremidade umbélulas carregadas de pequenas flores brancas ou rosadas. O fruto também mostra um princípio irradiante nos espinhos curvados e flexíveis (As sementes da cenoura, que também pertence às Umbelíferas, também possui espinhos). A sanícula é denominada “carrapicho da floresta”. Seu sabor é fortemente aromático.

A Sanícula contém muita sílica e cálcio, além disso contém saponina, óleo essencial, resina e tanino em todas as partes da planta. Em conseqüência disso, a planta é conhecida como medicinal desde a antiguidade. Ela é empregada em contusões e, quando esmagada, é útil em todos os ferimentos externos, pois ela acelera a cura dos ferimentos, limpando as feridas e estancando as hemorragias. Existe uma certa semelhança dos efeitos desta planta com os da Arnica, no que se refere ao tratamento das hemorragias internas do pulmão, estômago e intestinos, assim como na hematúria. Ela é utilizada com sucesso nas inflamações do trato digestivo (faringe, estômago, intestino).

A luz atenuada que existe no interior da floresta e o ar saudável dos bosques é levado por essa planta, em uma inspiração dinâmica, até à região sombria do humus, e depois, revestida do processo silícea, é fixada num órgão radicular muito vitalizado. Os taninos se acumulam e são testemunhos de um encerramento do astral, que contraído intervém com mais força na organização etérica. A este processo de inspiração segue-se um processo de expiração moderada, um pouco encerrado, uma irradiação contida. Este é o motivo pelo qual os órgãos radiculares desta planta são capazes de orientar as forças formativas do sistema neurosensorial, frente ao sistema sanguíneo e metabólico e, conseqüentemente, favorece a atividade do corpo etérico nos ferimentos do corpo físico, de inflamação e de desorganização do processo sanguíneo. Por outro lado, a atividade antiespasmódica que constatamos nas plantas anteriores, está recolhida nesta planta, juntamente com a atividade estimulante das secreções glandulares.