Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Sénecio

Sénecio

Senecio vulgaris L.

Senecio vulgarisOs Senecionídeos, que são um dos doze grupos das compostas tubulifloras, se dividem, em 40 gêneros cujo mais rico, é o dos Senecios (1300 espécies). Encontramos plantas herbáceas, pequenos arbustos, plantas trepadeiras e algumas pequenas árvores. Eles povoam os montes e as estepes, sobretudo na África. Entre eles, o Senecio vulgaris da Europa é uma erva daninha na agricultura. Esta planta não é bonita, mas é dotada de uma incrível vitalidade e de um poder de multiplicação enorme, o que a faz estar disseminada por todo o globo terrestre. Desafiando lugar e estação, o Senecio comum floresce e frutifica desde o começo da primavera até o fim do outono, e mesmo em pleno inverno, quando ele não é muito rigoroso. Uma geração sucede a outra.


Ele não se enraiza profundamente, forma rapidamente sementes, e endireita logo seu caule avermelhado; ele forma algumas folhas alongadas, denteadas, um pouco carnudas, diferentes do caule, e uma inflorescência ramificada; seus capítulos não são muito imponentes, contendo flores em tubo, tendo renunciado a qualquer beleza exterior, a toda irradiação, e dão origem a aquênios rodeados de pelos, que o vento carrega.


Encontramos nessa planta muito fósforo e alguns alcalóides (senecionina, senecina), o que não deve surpreender numa planta que se dedica quase que somente a florescer. Como remédio, ela age sobre a região abdominal e notadamente sexual; um pouco como o ergot do centeio sobre o útero, ela favorece a menstruação; no polo oposto, essa planta diminui os sangramentos do nariz e mesmo as hemorragias pulmonares.