Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Tormentilla – Potentilla erecta

Tormentilla – Potentilla erecta

Sin. Potentilla tormentilla L.

Potentilla erecta (tormentilla)Esta pequena planta rizomática está ainda mais concentrada sobre ela própria e, de uma maneira intensa, enterrada no solo. Sobre os prados úmidos, às vezes pantanosos, onde ela gosta muito de crescer, percebemos apenas suas pequenas flores graciosas de um amarelo solar, composta de quatro pétalas.

Este vegetal, com suas forças luminosas e formativas, parece enviar um impulso terapêutico aos prados molhados e ácidos, tão comuns na Eurásia. O rizoma, da grossura de um dedo, é o órgão principal dessa planta. Muito mais importante ainda do que para o Geum urbanum. Tal rizoma possui uma grande quantidade de tanino e uma coloração vermelho intenso, daí o apelido de “ratânia da Alemanha”, pois o rizoma da potentilla pode até ser igualado com a da célebre raiz da região Andina. Além disso, este rizoma produz um óleo etérico que lembra um pouco o de rosa, e este rizoma também produz uma resina. Nesta planta, os processos desceram, de certa maneira, até a região da raiz.

Conhecemos a ação terapêutica potente da Potentilla contra os sangramentos internos, diarréias perseverantes, inflamações e catarros do trato digestivo – todos os relaxamentos das mucosas do abdome. R. Steiner via neste rizoma, em dinamizações mais elevadas, um medicamento específico, capaz de agir na parte relativamente autônoma da organização do Eu que regula as funções reprodutoras; daí a aplicação da Potentilla na dismenorréia, na amenorréia em menorragias e metrorragias.