Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Verbasco-flomóide

Verbasco-flomóide

Verbascum phlomoides L.

Verbascum phlomoidesPlanta herbácea bienal, possuindo um caule alto, ereto, com folhas alongadas de disposição alterna e limbo séssil ou sustentado por pecíolo muito curto. As folhas da roseta morrem no Inverno. As flores amarelas, grandes, formam uma espiga terminal. Os frutos são cápsulas que encerram pequenas sementes venenosas. Esta espécie, vulgar em estado espontâneo, é um dos seis verbascos medicinais. A biologia, o aspecto e as propriedades não diferem relativamente da espécie precedente (V. densiflorum), e ambas fornecem uma droga equivalente no que respeita a aplicações medicinais.

São colhidas também as flores, por vezes as folhas, e mesmo a raiz. As flores são colhidas, tratadas e usadas como citado para V. densiflorum. As folhas, colhidas na altura da floração plena, são secadas à sombra e com boa ventilação, e igualmente usadas em infusões medicinais. As folhas frescas esmagadas servem de compressas para feridas de cura difícil. A raiz moída era usada para tratamento das hemorróidas e o extrato avinagrado servia para acalmar as dores de dentes.

As flores dos verbascos servem para aromatizar licores. São também excelentes espécies melíferas.