Falsas Igrejas de Daime – Drogadição e Comércio

Me foi confiado pelo “Alto” uma Obra de Luz, e para isto me foi entregue a espada e não um escudo. Isto porque é o momento de brandir esta espada e cortar a mascará da ilusão que formaram as falsas igrejas de daime. Depois, quem lá permanecer, fica por escolha consciente que apenas está se drogando, em negação as virtudes do espírito, sabendo que está em um local onde não habita nenhuma luz.

Outro dia veio aqui uma pessoa que frequenta estas falsas igrejas de daime, que são aquelas que cobram com lucros e que usam maconha e cocaína, alegando estarem consagrando santa maria e a santa clara.

Este jovem foi bem recebido, como todos que aqui vem são bem recebidos . Contudo, ele já chegou usando óculos escuros, porque assim esconde os olhos. Achou tudo aqui muito simples e um absurdo no alojamento ter apenas beliches para ele dormir!

Também comentou que na igreja de daime onde frequentava tomava um copo cheio de daime, quantas vezes quisesse.

Aqui todos o ouviram e o trataram com muita paciência, porque é isto que eu ensino aqui.

O trabalho que aconteceria a noite, devido a sua data, seria um trabalho simples, com poucas pessoas. Ficou entre umas 80 e 100 pessoas e destas, umas 30 pela primeira vez.

À noite, às 20hs, comecei a palestra, mas senti de tomar o vinho das almas ali mesmo, antes da palestra e na frente de todos. Não preciso saber o porque, se minha intuição falou, tá falado!

O cálice que servimos a Ayahuasca aqui, é pequeno. Cheio, dá no máximo 50 ml, mas é difícil nós enchermos até a boca.

Às 21hs começamos a servir a Ayahuasca para todos os participantes, e chamei o jovem que veio de uma destas falsas igrejas e lhe dei dois cálices do daime que eu mesmo tomei. Aqui, todos tomam 2 cálices no início e se quiser podem tomar mais um cálice, após 1 hora e meia.

Com trinta minuto, já se iniciaram as limpezas. Este jovem drogado já manifestava a limpeza, mas envergonhado tentava esconder.

Uma hora e meia depois, servimos mais um cálice para os que desejavam, porque não é obrigatório. Mas a este jovem drogado eu levei um outro cálice do daime que costumo tomar.

O trabalho continuou e o rapaz foi rápido para o banheiro onde fez muita limpeza. Tentou ficar no banheiro escondido, mas os fiscais daqui o conduziram de volta para a igreja, onde ele assentou em sua cadeira. Com mais 5 minutos ele pediu um colchonete para deitar, pois não suportava a força que estava. Esticamos para ele um colchãozinho e ele ficou deitado até de manhã. Eu sei que ele viu a si próprio por dentro, com todas as podridões e falta de caráter que tem. Mas, também sei que ele se acovardou adiante da luta interna que aconteceria dentro de teu coração.

Levantou rebelde, envergonhado, já sentindo falta da maconha que pita todas as manhãs. Foi arrumando tuas coisinhas para ir embora e na tentativa de disfarçar a peia que havia levado, dizendo com visível arrogância: “Agora vou para um bailado de 12hs!”

Percebem o ego e a ilusão que este jovem drogado vive? Mas não enganou nem a si mesmo!

Aqui ele ingeriu menos de 150 ml da nossa Ayahuasca e nem assentado numa cadeira conseguiu ficar, teve de deitar porque não resistiu a força.

Depois fiquei sabendo que ele veio aqui obrigado pelos seus pais!

Deixo claro que gosto muito de tomar o vinho das almas e o tomo com frequência, o gosto não é agradável mas o seus resultados espirituais são maravilhosos, desde que você deseje crescer.

Advirto que, quando forem ministrar trabalhos a outros, não tomem o vinho das almas, pois quem comunga o daime entrará em trabalho, faz aflorar tuas mazelas, tuas fobias, tuas taras e psicoses, vícios e desvios de personalidade e do ego. Faz isto, exatamente para que você possa se trabalhar, enxergando o problema, lutando contra  ele para desenvolver a força de vontade para superá-lo. Assim, o problema deixa de existir, porque você o superou, se tornou senhor de si mesmo.

Então, quem toma o vinho das almas é para batalhar e enfrentar a si mesmo, já quem ministra o trabalho, quem abre o trabalho, não deve comungar, para estar apto a cuidar dos demais.

Ademais, se uma pessoa não consegue conduzir um trabalho espiritual sem o uso de qualquer planta de poder, então esta pessoa não está espiritualmente preparada para conduzir nenhum trabalho espiritual.

Quem ministra os trabalhos espirituais não somos nós!!! Quem ministra os trabalhos espirituais são os médicos celestiais, as grande mentes do Astral Superior que por puro amor incondicional e orientadas pelo Mestre Jesus, vem e cuidam de todos nós. Algumas destas grande mentes são mais velhas do que o próprio planeta Terra. Todos estes, são seres já evoluidíssimos mesmo na quarta dimensão.

Esta história de que, o dirigente precisa tomar daime durante o trabalho para “cuidar espiritualmente” dos afilhados, é pura ilusão, é fruto de muito ego de quem ainda se quer vislumbrou como de fato ocorre um trabalho de luz. Saibam que, nós aqui da terceira dimensão, vamos no máximo ser bons enfermeiros, isso se formos sérios e esforçados, porque os médicos celestiais são tão evoluídos que não encarnam mais, com exceção dos avatares que vem mudar a humanidade.

Alguns acontecimentos negros dentro de igrejas de daime vieram a acontecer exatamente porque seus dirigentes haviam tomado daime para ministrar trabalhos espirituais. Porque, como um enfermeiro, ele precisa cuidar daqueles que estão na batalha enfrentado a si mesmos. Portanto, quem ministra os trabalhos precisa estar em suas plenas faculdades mentais, atento para cuidar de todos, inclusive em estado de beta.

Qualquer pessoa usuária de drogas, e isto inclui sim a maconha ou santa maria, a cocaína ou a santa clara, não está preparada para dar trabalhos. E inclusive teus karmas (plantio) se tornam muito pesados, ruins, devido aos trabalhos que teimam em dar, que além de fortalecer o ego, viciam e desestabilizam famílias.

O que mais vemos, nesses trabalhos onde ocorrem as drogadições, são casos de abusos sexuais, mortes e assassinatos, famílias arrasadas e desestruturação social dos seus membros.

Pense bem no que resultou isto, a mídia passou a falar que daime é sinônimo de drogados!

O querido irmão de luz IRINEU SERRA, deu início a uma obra de luz, séria, sem uso de drogas e que ajudou a recuperação de milhares de doentes, de milhares de viciados, de milhares de necessitados, levou luz e perene crescimento as almas de milhares de homens e mulheres.

Por si mesmo isto já se faz maravilhoso, mas ainda do trabalho espiritual do querido irmão Irineu, saíram várias outras igrejas autênticas, com trabalhos sérios, longe das drogas como maconha e cocaína e do comércio. Então estas igrejas continuam plantando boas sementes, e claro, colherão bons frutos!

Primeiro você dá, para depois receber, primeiro você semeia, para depois colher!

Se irá plantar sementes boas ou sementes más cabe a você escolher.

Imagine como ficou o Sebastião de mota melo, que traindo o daime e os ensinamentos do irmão de luz Irineu Serra, acrescentou a maconha e a cocaína nos rituais de daime. Que sementes terríveis este homem plantou.

Sebastião deixou um mito, muito sustentado pelos teus discípulos drogados: “Padrinho Sebastião, um homem iluminado pela maconha com pasta de cocaína”… QUE ABSURDO!!!

Como se já não bastasse ele ser um espírito viciado em drogas, como a maconha com pasta base de cocaína, em uma total falta de luz, fundou igrejas aonde passa-se a viciar e drogar muita gente.

Xamã Gideon dos Lakotas

 

Literatura Recomendada

Aqui no CNSC você não encontrará qualquer tipo de drogas. Nesta casa de Amor e Caridade encontrará a seriedade dos trabalhos de luz e por isso o “Alto” aqui lhe conduz ao caminho, para que também possa vivenciar o grande vazio e o nada de Buda.

Indico a vocês a leitura dos livros que estão neste site Céu Nossa Senhora da Conceição, pois lhes abrirão a visão sobre estas falsas igrejas de daime.

Leia o livro Santo Daime  Revelado – Drogas, Fraudes e Mentiras, vai lhe abrir muito a visão, demonstrando as barbáries cometidas por se misturarem drogas nos trabalhos com ayahuasca.

O livro Santo Daime Fanatismo e Lavagem Cerebral da Sra, Alicia Castilla, escreveu com muita clareza que muitas vezes pitou maconha com o padrinho sebastião – sebastião de mota melo! Contudo, ela narra o drama que passou dentro destas falsas igrejas na tentativa de recuperar sua filha Verônica, menor de idade na época, ela comeu o pão que o diabo amassou.

É mais um livro que registra a escusa realidade destas falsas igrejas que se drogam. A escritora com muita sensatez e discernimento cita nomes e datas dos acontecimentos medonhos que ela e outros presenciaram.

O livro o Mensageiro, é magnífico que com extrema clareza expõe fatos e anos de pesquisa, além da própria vivência.

Leia o livro A História da Ayahuasca no Brasil do escritor Marcelo Borges, um excelente trabalho realizado com seriedade, e muitas referencias histórias ajuntadas por toda uma vida para falar com propriedade sobre a trajetória da Ayahuasca no Brasil e o seu vilipêndio.

Compartilhar

Veja Também

Ayahuasca e Iluminação da Mente

Esse texto é uma importante reflexão: Ayahuasca ou qualquer outra planta de poder, por si …