Hino 38 – Autenticidade

Por Xamã Gideon dos Lakotas

Quando o homem se afasta de DEUS,
Se afastou da justiça e humanidade.
Regras de condutas vindas da hipocrisia,
Na ausência do divino surge falsidade.

É mais trabalhoso fingir do que SER,
O hipócrita é um viciado na insensatez.
Seguir um caminho é questão de escolha,
Ser honesto é o caminho da lucidez.

Não desmereça a boa ação de um homem
Alegando que ele fez por motivo suspeito
Acaso enxergas o teor do coração alheio
ou é teu coração que de inveja está cheio?

Que não faça o bem só devido aos elogios
Que não seja honesto só devido ao louvor
Que não faça o mal só devido às críticas
Que busque LUZ por Ser filho do amor.

Vale mais a reprovação de um sábio
do que os aplausos vindos de um insensato.

O sábio reprova quando ainda há esperança,
E o tolo te aplaude por julgar equiparado.

Como pode assumir um compromisso
da qual não está qualificado a cumprir?

Como pode falar do que nada conhece
e ainda a outro tentar instruir?

O qualificado vai te expor ao ridículo
buscou exaltação, mas terminou humilhado.

O professor apontará suas falácias tolas
buscou reconhecimento e terminou ignorado.

Quem prejudica mantém o peso do receio
Mesmo perdoando, dele não terá amizade.

Ele sabe o que fez e a consciência acusa
o medo do revide não o deixará a vontade.

Mas todo ato é digno de reconciliação.
Acaso gosta da dívida que não saldou?

Acaso não fica com a face vermelha,
Quando na presença de quem prejudicou?

Por isto tudo é reconciliável meu filho
deixe fluir a natureza do amor incondicional
que gozará do mérito e da simpatia alheia
e sua reconciliação terá âmbito universal.

Compartilhar