Respostas de Inúmeras Pessoas – Questão 29

29 – Acredita de todo seu coração, com total certeza, sem a menor dúvida, na existência de obsessores e obsessão? ( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

29 – M.N. – Não. Não acredito que existam obsessores e processos de obsessão conforme as doutrinas espíritas apresentam, espíritos sofredores capazes de manipular e influenciar encarnados para satisfazerem seus desejos e vontades.

29 – M.R. – Não. Hoje sei que não existem obsessores e umbral, assim como não existe o diabo ou o inferno, pois Deus é a Totalidade de tudo o que há.

29 – D.T.S – Não, não tem obsessores, nunca teve, Isso são coisas de igrejas, padres e pastores, para imporem o medo nos seus fieis. Não percebe isto os idiotas mentais, os irrefletidos e os dominados, o que aliás, é o que mais tem no mundo hoje.

29 – R. – Não, Ao menos que a pessoa forje mentalmente, mas eu tive uma experiência em épocas que era muito perdida, de objetos se moverem na mesa da minha casa, minha amiga viu também e a corda da minha calça espichou sozinha e bateu na minha barriga, até hoje não sei dizer o que ou quem era aquilo. Mas depois das palestras do padrinho, acredito que coisa ruim não podia ser!

29 – T.G. Não. Não mesmo, a maioria dos casos que já observei onde a pessoa dizia estar com obsessores ela estava mesmo era querendo fugir da responsabilidade pelas sementes que ela mesma plantou e no momento estavam colhendo.

29 – B.Z. – Não. Sei que somos aquilo que pensamos, que vivemos segundo o que pensamos, que criamos aquilo que pensamos. É muito cômodo fazer as merdas e jogar a responsabilidade no diabo ou obsessores. Desde que passei a assumir a responsabilidade total por minha vida, melhorei de vida, ajuntei dinheiro, me formei, comprei uma casa, troquei de carro e até comecei a gostar de mulher.

29 – M.N.N. – Não. Fugiria do nosso divino livre arbítrio já que teria um obsessor influenciando nossas atitudes, e outra, como poderia só alguns serem alvo de obsessores e outros não?

29 – R.V. – Não tem obsessores. Pode talvez até ter os espíritos juntos de outras pessoas, mas não possuem poder nenhum para se impor sobre outras pessoas. Este pessoal das obsessões, homo e hétero, estão precisando é ser homem, ao menos como eu, que assume o que faz e o que quer. Antes ser gay corajoso que um hétero assim covarde!

29 – B.D. – Não. Obsessão no mínimo deve ser essas pegadinhas da mente que o próprio homem em sua ilusão permite-se acreditar em tal coisa com tanta convicção a ponto de fazer uma forjação mental do tipo.

29 – C.S.D. – Não. Não acredito cegamente, porem também não desacredito, ainda não estou certa se existe ou não a interação do material e espiritual no mesmo plano ao mesmo tempo.

29 – M.M.O. – Não. Isso é totalmente impossível, já é dificil influenciar um indivíduo encarnado que dirá sem um aparelho a menos, isto é, o corpo físico.

29 – C.A.G. – Não. NÃO com toda essa força de expressão da pergunta “de todo seu coração, com total certeza, sem a menor dúvida, na existência de obsessores e obsessão”. Disse não com toda a força de expressão da pergunta feita porque não consigo entender algumas coisas que aconteceu até mesmo comigo, se não foi o tal dos obsessores do espiritismo então quem foi? Eu mesmo? Seria cômodo eu pensar que fui eu mesmo quem projetou a experiência, mas não consigo me convencer disto tamanha a separabilidade entre eu e o fenômeno.

29 – E.M. – Não. Não em obsessores, mas em pessoas que conseguem exercer influência sobre outras que sentem-se inferiores a elas. Elas são capazes de identificar a fragilidade de um irmão que se perde no medo. Envolve este irmão em uma ilusão e domina seus passos. Porém, só consegue fazê-lo enquanto tem “permissão” do fragilizado ser, pois uma vez consciente de sua realidade existencial, toda influência externa dissipa-se. Com relação à obsessores espirituais, creio serem manifestações de nossa autocondenação, por “culpa” que carregamos que visualizam certos ataques espirituais. Porém, não passam de projeções de nossa mente.

29 – A.N. – Não, não acredito que exista algo que possa tomar minha mente e meu corpo e ditar as regras, em meu aparelho, me levar a fazer coisas que não desejo. Obsessor para o espiritismo é a mesma coisa que diabo para a igreja católica, apenas com outro nome. Não há como existir tais coisas, tais seres são ficção, contos da doutrina espírita para incutir nas pessoas os cabrestos do medo e da culpa.

29 – M.F.G. – Sim. Por que não é possível que um espírito desencarnado se aposse de uma pessoa e faça-a cometer atos nocivos ou até mesmo se matar. Não acredito nisso. Os chamados obsessores são espíritos desencarnados, que devido ao seu apego pelos vícios deste mundo, mesmo depois de desencarnados, escolheram ficar por aqui  apegados pelos seus vícios. E obsessão é a interferência negativa destes espíritos desencarnados em espíritos encarnados. Realmente não vejo isto como possível. Acredito que se uma pessoa baixar tanto a sua frequência, chegando a ficar similar à frequência do espírito desencarnado apegado, este pode se aproximar da pessoa e ficar digamos, sugando àquela energia liberada similar à sua. Que na verdade é a mesma energia do  apego que o espírito tinha antes de desencarnar.  Confesso que já acreditei em obsessores e até mesmo naqueles que ficam montados em sua canguta. Mas hoje não acredito mais nisso, pois faz a pessoa viver com medo e tira dela qualquer responsabilidade sobre algum ato insano que venha a cometer  e irão dizer: fulano fez isso porque estava com um espírito obsessor.

Sabe Padrinho, eu já ouvi o absurdo de que seria melhor eu parar de ler o livro “Conversando com DEUS”. Pois tal livro não é verdadeiro, que tinha sido algum espírito obsessor que se apoderou do escritor do livro para enganar a humanidade. Por isso que eu não acredito nessas coisas.

Só para encerrar esta resposta, pois já me estendi nela, me surgiram duas questões.  Sendo o desencarne um momento feliz como eu acredito, então como pode um espírito desencarnado não passar por este momento feliz, e continuar apegado aqui em seus vícios? Isso é uma escolha dele que é respeitada?  Ainda não sei responder estas questões.

29 – R.R. – Não. Acho que existe falta de fé e de firmeza. Se trabalhar para o bem com afinco nem sobra tempo pra pensar nessas coisas. Um tio meu passou por esse problema, eu era muito criança e pude sentir a luta da família pra tentar resolver isto.

29 – V.L. – Não. Depois que tive oportunidade de conhecer o Gideon não acredito mais em obsessores.

29 – J.J. – Também não sei responder a isso, tenho dúvidas, não consigo dizer nem que sim e nem que não; também não sei dizer por que não consigo responder.

29 – I.T. – Sim. Baseada em minhas observações do mundo vejo sobre os chamados “obsessores e magos negros”, mas não do jeito que é colocado na maioria dos centros espíritas, até mesmo nem chamaria por esse nome “obsessores”. Vejo que cada um atrai o que vibra e a companhia das mesmas frequências até mesmo nessa dimensão, e acredito que isso se estenda a outros planos da existência também. Mas não do modo que alguns centros espíritas colocam como sendo o “obsessor” a causa dos malefícios da pessoa “obsediada”, mas como a física quântica mostra, sendo como uma companhia espiritual que se afinizou com alguém que tenha mesma frequência, uma relação mútua, de troca energética de sentimentos como tristeza, ódio, rancor, etc…

E quanto aos chamados “magos negros”, para mim não passam de borra botas, de seres que desenvolveram o seu intelecto, sua mente racional, (mas a meu ver continuam burros pelas escolhas que fazem) e que se utilizam de conhecimentos sobre manipulação mental, de energias, por saberem que o universo é mental, mas se utilizam disso apenas para um tipo de falso poder de escravização de mentes mais fracas nessa e em outras dimensões criadas por esse tipo de frequência emitida por essas consciências, tal qual faziam e fazem quando encarnados, como se tem de monte exemplos na nossa humanidade de hoje, que nitidamente se encontra escravizada, em uma escravidão disfarçada, uma Matrix.

29 – J.A. – Não, pessoalmente não tenho essa vivência para acreditar.

29 – F.G. – Não. Acredito que existam espíritos de baixa frequência, apegados às coisas da matéria e que se aproveitam de situações e se associam a pessoas encarnadas que compactuam das mesmas frequências e vontades que as suas. Mas isso não deve servir como desculpa por nossas ações, pois somos Deuses filhos encarnados e só permanecemos na lama se assim desejarmos. Deus é pai, amor e absoluto, nos ama, quer que sejamos felizes e respeita nosso livre arbítrio mesmo que nossa vontade seja de permanecer nos vícios e apegos da matéria, já que é só uma experiência, contudo está sempre com a mão estendida pronto a nos auxiliar.

29 – A.S. – Sim e não. Às vezes sim outras não! Acredito que a mente possa realmente criar estados obsessivos e obsessões.

29 – M.A.T. – Não. Já acreditei nisso, mas hoje consciente de que sou pleno e filho de Deus e, portanto Deus Filho não há força que possa me prejudicar.

29 – M.C. – Não. Atrai aquilo que vibra.

29 – R.M. – Não. O não como resposta é que não tenho certeza, pois estou em estudo para a realidade verdadeira.

29 – F.L.B. – Não. Não, acredito na panaceia do ego.

29 – B.C. – Não, pois Deus é ABSOLUTO.

29 – H.J. – Não. Mas não tenho uma opinião totalmente formada a respeito. Preciso me aprofundar mais no assunto.

29 – M.S. – Não. Para mim existia, agora sei que não é real.

29 – P.E.D. – Não. Não acredito em obsessores.

29 – M.F. – Não. Essa é uma forma de responsabilizar os nossos próprios atos, às outros seres/pessoas. É uma forma de se esconder.

29 – S.G. – Sim. O mal existe, ele é traçado e executado por consciências que não tem interesse em evoluir e para sua manutenção pessoal o mais racional seria criar hierarquias no mundo espiritual a fim de canalizar energias suficientes, já que não querem a do Todo, de Deus.

29 – I.P. – Não. Porque fica mais fácil por a culpa em obsessores do que a pessoa olhar para si e ver o que tem que mudar em si mesma para que sua vida flua com mais prosperidade.

29 – C.C.A.A. – Não acredito. Pode até existir. Mas colocar suas fraquezas, culpar pessoas, espíritos ou mesmo objetos é covardia de encarar seus próprios defeitos de frente. Não existe entidade que possa contra uma boa força de vontade.

29 – Luis A.P. – Não. São criações mentais e que realmente podem fazer muito mal àqueles que criam essas projeções. Mas não pertencem ao plano absoluto da consciência de Deus.

29 – Marlus C.Q. – Não. Não nos agrada o fato de acreditar que desencarnados nos comandam e aprisionam, vai de encontro com o livre arbítrio que Deus, em sua infinita bondade, nos deu.

29 – Antonio C.Z. – Não. Você cria seu Universo e também estas energias ruins a sua volta.

29 – Roseli S.S.S. – Não. Hoje afirmo com todas as letras não acreditar mais nestas bobagens. Como bem dito, mas, no entanto por um longo tempo acreditei, devido às velhas crenças.

Compartilhar

Veja Também

INVESTIGAÇÃO DA REVISTA SUPER INTERESSANTE

Nunca tinha procurado saber fosse o que fosse sobre um dos espíritas mais falados de …