Melancia

Uma das frutas mais refrescantes da natureza, a melancia deve ser consumida bem fresca e madura; do contrário pode causar cólicas e disenteria. Não abusar nem combiná-la com outros alimentos, principalmente as crianças.

Nome científico: Cucurbita citrullus

Composição:

Fósforo, cálcio, ferro, calorias, proteínas, gorduras, hidratos de carbono, vitamina A, B1, B2, B5 e vitamina C.

Indicações:

levemente laxante e diurética. Indicada nos reumatismos e nas obstruções renais. A melancia lava o estômago e o intestino e traz muitos bons resultados nas enfermidades das vias urinárias. Vermífuga, antifebril, enérgica. Nos casos de ascite e obstrução renal é aconselhado o consumo de melancia.

Recomendada também para artrite, acidez gástrica, dispepsia, afecções dos rins e da bexiga.

As sementes pisadas são usadas pela medicina popular para combater moléstias do aparelho urinário.

A melancia é muito diurética (que facilita a secreção da urina).

Medicamento diurético – citação: Dicionário Aurélio), e levemente laxante (purgante – que causa evacuação intestinal; purgativo).

Uso:

Como diurética, vermífuga e antifebril comer uma fatia diária de melancia.

Externamente: a polpa e a casca trituradas, através de cataplasma ou em sumo em pinceladas, é excelente no tratamento de erisipela.

Contra as febres, o sumo de melancia é bastante eficaz, pode-se colocar também pedaços da fruta no abdômen.

As sementes, trituradas, acalmam as dores produzidas por ferimentos, além de reduzirem a hipertensão arterial (não indicou como usar as sementes).

Compartilhar

Veja Também

Flores – Belezas Naturais em Defesa da Vida

No rico universo das flores, muitas ultrapassam limites, distanciando-se da função de decorar ambientes ou …