Pêra

Composição:

Baixo conteúdo calórico (100g equivalem a 50 calorias). O conteúdo de ácidos é menor que o da maçã, mas tem mais açúcar (esta quantidade varia de 6 a 13% conforme a maturidade da fruta).

Valiosas substâncias minerais básicas, maior que na maçã. Contém cálcio, magnésio, não possui sódio e cloro. Possui excesso de potássio. Certa quantidade em ácidos fosfóricos e silícico, em enxofre e em óxido de ferro.

Precariedade em vitaminas – falta vitamina A.

Quantidade pequena em vitaminas; procaroteno (0,014 mg), vitamina B1 (0,065 mg) e B2 (0,1 mg), vitamina C (3 mg para cada 100 gramas).

Hidratos de carbono, abundantes nas paredes celulares da pêra; um destes é a pectina que absorve tóxinas intestinais (Stepp, Prof. Dr. med. Wilhelm, ABC der Gesundheit, Verlag Carl Gerber, München).

Nome científico: Pyrus communis

Indicações:

Hidropisias e eliminação de inchaços edematosos característicos dos doentes do aparelho circulatório e dos rins, devido a sua grande quantidade em potássio e falta de sal, em combinação também pela falta (não possui) de proteínas e gorduras a torna eficaz nos tratamentos de eliminação de gorduras.

Eficaz no tratamento contra a obesidade (consumida crua ou cozida, combinadas as vezes com pão integral e iogurte no lugar da alimentação normal – não foi determinado o tempo de uso).

Possui leve ação diurética, depurativa e laxante.

A pêra crua pode ser pesada para doentes das vias gastrointestinais, mas cozida é digerível, não causando flatulência (cada caso deve ser analisado se é melhor crua ou cozida – pessoas sãs devem preferir peras cruas).

Em caso de haver grande sensibilidade de estômago e intestino, deve-se empregar o suco de peras cruas ou cozidas para conseguir a eliminação do sal e com ele a desidratação (pode combinar com outros tipos de sumos de frutas para uma cura a base de frutas).

Veja Também

Flores – Belezas Naturais em Defesa da Vida

No rico universo das flores, muitas ultrapassam limites, distanciando-se da função de decorar ambientes ou …