Hino 86 – Nós, Nosso…

Por Xamã Gideon dos Lakotas

Ainda ontem quando usava couro como roupas, penas como ornamentos e desconhecia cercas, arames e os fios falantes, não tínhamos em meu povo uma palavra para eu ou meu, mas apenas para nós e nosso. Também éramos educados no silêncio e aprendíamos principalmente pela observação. Hoje vejo as crianças serem educadas na tagarelice e adultos tagarelarem o tempo todo, vejo crianças com o ímpeto do “eu – meu”, e adultos que não percebem DEUS. Termos “eu – meu”, são formas de manifestações do eu menor. Amam a tagarelice, portanto não escutam. Termos como “nós – nosso”, são formas de manifestações do EU SUPERIOR. Amam o silêncio porque gostam de Ouvir a Mente Universal.

“Eu – meu”, são termos do relativo e não do Absoluto. Quando se está preso no “eu – meu”, não se percebe DEUS e por não percebê-lo surgem as preocupações, os receios e os medos.

“Nós – nosso”, são termos do Absoluto e não do relativo. Quando se goza da liberdade do “nós – nosso” se sente DEUS em cada instante, em cada respiração, em cada batida de seu coração, e por percebê-lo é despreocupado, seguro e corajoso.

Muito Obrigado a todos por existirem…

Xamã Gideon dos Lakotas

Compartilhar