Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Livro Século das Fraudes – por Xamã Gideon dos lakotas

seculo-das-fraudes-capa-setaLivro Século das Fraudes

Século das Fraudes

Por Xamã Gideon dos Lakotas

 

ADQUIRA O LIVRO

R$ 35,00 (trinta e cinco reais)

botao-comprar

E-mail: livros@ceunossasenhoradaconceicao.com.br

Telefone: (13) 3856 1583

Atendimento de Segunda à Sexta-Feira, das 08:00h às 17:00h

Livro produzido artesanalmente no formato 21cm X 29cm, com 281 páginas em papel pólen 90g e capa em supremo 250g.

 

Deus ordena: MATE o seu FILHO desobediente…
Deuteronômios 21:18 a 21

 “Se um homem tiver um filho obstinado e rebelde que não obedece ao seu pai nem à sua mãe e não os escuta quando o disciplinam, o pai e a mãe o levarão aos líderes da sua comunidade, à porta da cidade, e dirão aos líderes: ‘Este nosso filho é obstinado e rebelde. Não nos obedece! É devasso e vive bêbado’. Então todos os homens da cidade o apedrejarão até a morte. Eliminem o mal do meio de vocês. Todo o Israel saberá disso e temerá.”

Cananéia/SP

2014

 

 Nota do autor:

Ao escrever e publicar os livros “Despertai…!” (Agora 100% terminado) e “Século das Fraudes”, sinto de todo meu Ser que cumpri minha missão.  Auxiliar a humanidade a se libertarem do vitimismo assumindo a responsabilidade da própria realidade em que vivem, se libertarem dos cabrestos dos sentimentos de culpa e medo para alcançarem o natural estado do espírito de paz e felicidade plenos, nisso se resume meu legado. Minha lealdade se encontra exclusivamente com a humanidade, pois todo ser humano é, e especialmente quando desperto, a Essência, um Ser Divino. Portanto, de forma alguma, definitivamente jamais, terei qualquer lealdade com as atuais igrejas, religiões e doutrinas, ou para com pessoas que se tornaram ícones destas, pois tudo isto não passa de formas de governo das massas por parte de um sistema político egóico, imoral e decadente.
Através destes dois livros o leitor consegue enxergar o uno e o verso, e desta forma compreender de fato que Deus é Absoluto, Amor e Felicidade, deixando para trás o relativo, medo e sofrimento.
Se almeja a liberdade espiritual e a consciência expandida da Nova Era é necessário largar os grilhões aprisionadores do vitimismo, medo e culpa oriundos de uma consciência pequena que ainda não compreendeu que Deus é Absoluto, Amor e Felicidade.

Deus te AMA, e para ELE todo o universo tem menor valor que VOCÊ!

Xamã Gideon dos Lakotas

 

Índice

O QUE SE PASSA CONTIGO, LEITOR?. 8

Seria possível Deus ser um Hipócrita, Mesquinho e Tirano, ou seriam os livros santos, igrejas e doutrinas a “Cantilena de um Engabelo?”

INTRODUÇÃO.. 9

Espiritualidade sem a Razão Científica

Razão Científica sem a Espiritualidade

A JORNADA DE TODOS NÓS. 11

-O homem primitivo.

-O homem superior.

-O homem espiritual.

-Educação por parte do sistema.

-Educação por parte das religiões.

-Contradições do homem primitivo.

-Deus sendo Absoluto, Amor e Felicidade, pode concebê-lo sendo como as citações sagradas abaixo?

RETIRANDO VÉUS E MÁSCARAS. 20

-Planos espirituais.

-Nosso corpo físico e pensante.

-Você Essência.

-Hora do Recreio.

-Deus – Absoluto, Amor e Felicidade.

-Homem – Templo Vivo de Deus.

-As tais sagradas escrituras e o prejuízo Espiritual…

-Igrejas e Religiões.

-Kardecismo, obra de fé e ação!

-Os livros de Ramatis, Os Exilados da Capela e o Kardecismo

 -Fatos inegáveis sobre a vida e obras de:

A) Allan Kardec

Relação do “Livro dos Espíritos” e Flamarion.

Avanço científico X Éter.

B) Chico Xavier – O atual ícone do espiritismo.

Plágio: Livro “Nosso lar”  X  Livro “A Vida Além do Véu”.

As senhas do escritor Monteiro Lobato X Psicografias de Chico

Desmistificação: Cartas de uma morta X Ciência Atual.

Evidência da farsa de Chico sobre o Espírito Emmanuel.

Apegos Sexual e Vaidade X Iluminação.

Fotos e reportagens que comprometem seriamente.

Valdo Vieira expõe publicamente Chico por farsa, fraude e quadrilha.

 

-Com a queda de 99% de todas a crenças religiosas e igrejas atuais, o que você precisa saber na sua busca por Deus?

UM ALERTA AO KARDECISMO: 39

Existe um movimento para lhe denegrir e desmoralizar publicamente e, inclusive, substituir as fortes Moral e Ética do legado de Allan Kardec ainda preservadas, por propositais aspectos deturpados que confundem o espírita deixando-o em conflito quanto aos reais valores e virtudes que possuem os espíritos elevados e os planos da luz.

Como será o homem e a sociedade da Nova Era?. 50

Samael Aun Weor e o fim do mundo em 1999.

Referências de grandes mentes para os gnósticos.

Ó céus, como fui ingênuo!

REALIDADE NOVA ERA PARA: “XAMANISMO, AYAHUASCA E PLANTAS DE PODER, INCORPORAÇÕES E ALMAS PENADAS”. 54

Xamanismo.

Showmanismo e drogadição.

O que é de fato um Xamã, um pajé, um feiticeiro?

 

Ayahuasca, Plantas de Poder.

Diferenças entre Plantas de Poder e Drogas.

Do daime forte para a drogadição.

Santo Daime e a dependência química.

Fatos históricos dos fundadores do Daime, Santo daime e União do Vegetal.

Santo Daime investigado por crimes de Narcotráfico e Assassinatos.

UDV investigada por crimes de Racismo e Eugenia.

Incorporações e Almas penadas  70

ALMAS PENADAS. 70

ALMAS PENADAS E OBSESSORES. 70

Incorporações como no espiritismo, igrejas evangélicas, umbanda, santo daime e linhas ayahuasqueiras etc., elas são reais? Existe espíritos que vagam? Um espírito pode influenciar alguém a errar, roubar, beber, se drogar, cometer crimes?

Forjações Mentais e Fraudes para enganações.

A SOCIEDADE DA NOVA ERA, COMO SERÁ E COMO SURGIRÁ?. 75

Um resumo de tudo que aprendeu até agora para o próximo passo.. 78

SEGUE ABAIXO UMA MENSAGEM ENVIADA EM 07-11-2014 PARA UMA PESSOA SÉRIA E BEM INTENCIONADA QUE MUITO CONSIDERO, E QUE EXPÕE AO LEITOR CLARAMENTE COMO TENHO TRATADO A SITUAÇÃO DOS VICIADOS EM MULETAS E NA ILUSÃO: 80

LIVRANDO-SE DE CRENÇAS NOCIVAS E EQUIVOCADAS, SOLTANDO OS GRILHÕES PARA SER FELIZ !!! 80

QUESTIONÁRIO REVELADOR. 85

RESPOSTAS DE INÚMERAS PESSOAS. 94

REPORTAGENS E FONTES. 221


O que se passa contigo, leitor?

Obs.: Há quase 10 anos, quando procurava respostas para algumas de minhas indagações, enquanto assentado numa lanchonete de rodo­viária aguardando chegar o ônibus, um mendigo se aproximou e pediu um dinheiro. Pedi para ele um marmitex e uma coca grande. Enquanto aguardava, se assentou comigo na mesa e ficamos conversando. Logo no início ele disse que era um buscador e que escolheu viver como vivia porque nada na vida lhe fazia sentido além da filosofia e, para minha surpresa, ele começou a falar coisas fantásticas que havia visto em algum lugar, e agora, hoje, 11 de Setembro de 2014, passo a você as esclarecedo­ras palavras daquele abençoado mendigo. Foi uma mensagem aproximadamente assim:

“Em seu íntimo, sabe que Deus é Amor, mas apregoaram que Ele se recente, castiga e mata os pecadores e que você nasceu pecador.

Em seu íntimo, sabe que Deus te Ama, mas apregoaram que pre­cisa temê-lo porque ele amaldiçoa e pune.

Em seu íntimo sabe que é livre para arbitrar o que deseja viver, mas apregoaram que se arbitrar o que Lhe desagrada, ai de ti adiante de Deus…”

Seria possível Deus ser um Hipócrita, Mesquinho e Tirano ou se­riam os livros santos, igrejas e doutrinas a “Cantilena de um Enga­belo?”.

 

-Cristianismo (aprox. 2,2 bilhões de adeptos);

-Islamismo (aprox. 1,6 bilhões de adeptos);

-Hinduísmo (aprox. 900 milhões de adeptos);

-Religião tradicional chinesa (aprox. 400 milhões de adeptos);

-Evangélicos (aprox. 43 milhões só no Brasil);

-Sikhismo (aprox. 20 milhões de adeptos);

-Judaísmo (aprox. 15 milhões de adeptos);

-Espiritismo (aprox. 13 milhões de adeptos).

Introdução

Desde menino busquei compreender o que levava as pessoas ao meu redor a viverem infelizes e a sofrerem. Na adolescência presenciei muitos de meus amigos se perderem nas drogas e se tornarem ainda mais infelizes e sofridos. Percebi que a infelicidade e sofrimento da­queles que eu amava, refletia-se em mim exatamente porque os amava. Empenhei-me mais intensamente em encontrar a causa de toda infelici­dade e sofrimento. Mas somente quando busquei para dentro de mim foi que tudo clareou e pude enxergar. Ali encontrei não somente a causa de toda infelicidade e sofrimento, mas a própria natureza da causa.

Escrevo este livro com o único intuito de auxiliar o buscador a se libertar dos sentimentos de medo e de culpa, que são os únicos e verda­deiros inimigos da humanidade. Procurei escrevê-lo num linguajar sim­ples e de fácil entendimento, mesmo aos menos letrados. Muitos dos es­critos deste livro irão num primeiro instante chocar aos Católicos, Evangélicos, Judeus, Hinduístas, Kardecistas, Umbandistas, Xamanistas e religiões usuárias de drogas alucinógenas, enteógenos, etc. e etc. Mas num segundo instante, através do bom senso, trará ao buscador verda­deiro o alívio da Compreensão das Verdades Espirituais e de Deus, trará a Felicidade da Libertação dos cabrestos da culpa e do medo impostos à humanidade. No final deste livro há um questionário com 52 questões, o qual leva o leitor a uma profunda reflexão sobre as próprias crenças que professa e os pontos de estrangulamentos que têm. Bem como as res­postas de 40 de pessoas que antecipadamente responderam a estas questões permitindo ao leitor vislumbrar um universo de diferentes pontos de vistas e entendimentos de outras mentes, permitindo assim ao leitor uma avaliação mais profunda do seu próprio ponto de vista e en­tendimento.

Preste atenção: Espiritualidade e Ciência precisam sempre andar de mãos dadas, ou inevitavelmente levará ao sofrimento oriundo do  ce­ticismo, dogmatismo, fé cega e mesmo à extinção de seus defensores. Um sem o outro resulta em extremos, sendo que sempre o caminho do meio é que resulta em Paz e Felicidade.

         Espiritualidade sem a Razão Científica transforma-se em deva­neios e fé cega; ver como se houvesse fumaça nos olhos realizando uma péssima avaliação das situações que se apresentam; mesmo mantendo a fibra tornam-se presas fáceis para qualquer grupo mais racional, científico e organizado. Por não enxergarem com clareza não sabem o que fazer. Acaso a história não nos demonstra exatamente isto?

         Razão Científica sem a Espiritualidade torna-se fria e egóica. Em sua frieza racional cria um sistema predador ao meio que vive, já que em sua visão, o mais forte usufruir do mais fraco é lei natural e, portanto, plenamente justificado. Da mesma forma justificam o sentimento de posse, inclusive o de um ser humano em relação ao outro. Como, se¬gundo as leis da natureza, o topo da cadeia alimentar quase que sempre são os predadores e não as presas, enxergam a si mesmos não como mais uma espécie que vive na Terra, mas sim o dono de todas elas e inclusive donos da própria Pachamama. Em seu egoísmo partem para o consu¬mismo desregrado ajuntando muito mais que necessita para sua zona de conforto, mesmo que exaurindo os recursos naturais. Faz com que o crescimento tecnológico cresça muito acima da moral e da ética, e isso inevitavel-mente leva uma civilização à sua própria extinção e holo¬causto… Do ponto em que estamos agora, é apenas questão de pouco tempo!

Houve outras humanidades antes da nossa que por estas mesmas razões se extinguiram. A civilização de Atlântida existiu de fato, não é mito. Foi ela quem construiu a pirâmide Quéops na planície de Gizé, no Cairo, Egito. O que o Egito antigo fez ao longo de sua história foi refor¬mar a grande pirâmide algumas vezes, mas não construir, pois os sobre¬viventes de Atlântida foram quem a construiu. A ciência ainda vai des¬cobrir que a pirâmide de Quéops data de uma era bem mais antiga que o suposto 6 mil anos de atualmente.

Grande desenvolvimento tecnológico acima do desenvolvimento da moral e da ética, acaso não é exatamente esta a situação que nos en-contramos hoje?

Felicidades, leitor.

A jornada de todos nós

Todo buscador espiritual que se encontrou, que alcançou o íntimo contato com o Divino interno, com Deus, passou por três fases diferentes em sua jornada. As fases do homem primitivo, o homem superior e o homem espiritual.

 

         O homem primitivo mantém-se aferrado na educação defeituosa que recebeu por parte de seus pais, escolas, igrejas, religiões e doutrinas. Norteia-se por conceitos como certo e errado, céu e inferno, o bem e o mal, estar salvo ou condenado, temer a Deus, o dia do julgamento final, perseguição espiritual, obsessores, satanás, inferno, umbrais de sofri­mento, existência do pecado, dívidas ou débito espiritual etc. Uma mente completamente tomada pelos sentimentos de culpa e medo, os quais lhe foram impressos pela educação deficiente que recebeu. É instável e inse­guro, tomado por complexos, temores emocionais, intolerância, se es­tressa com facilidade. Na melhor das hipóteses, realiza reflexões rasas e diminutas sobre algum assunto. Não compreende que uma reflexão para ser profunda, por vezes se leva meses. Sua visão de homem realizado consiste exclusivamente em possuir bens e dinheiro, obter reconheci­mento e aprovação alheia, anda a cata de notoriedade e fama. Ele sofre.

O homem superior é quando se recusa a aceitar as coisas sem que antes faça um questionamento vigoroso e uma reflexão profunda do as­sunto em questão. Adquiriu melhor compreensão de si mesmo e da vida. Aprendeu a ser organizado, a dominar as emoções, desenvolver a força de vontade e a inteligência, aprendeu a planejar e a executar. É seguro de si, sabe o que quer e como conseguir. Conquistou bens e dinheiro, con­quistou títulos que lhe deram o reconhecimento social e popularidade. Contestou boa parte da educação deficiente com que foi educado e mantém definido seu ponto de vista, pois as reflexões profundas fazem parte de sua vida. Contudo, ainda sofre.

         O homem espiritual é quando o homem em sua busca volta-se para dentro de si, pois aprendeu a “Meditar” e no silêncio absoluto da mente, ou seja, ausência total das atividades do Ego/Mental, que são to­das as formas de pensamentos, sensações e movimentações, o buscador mantém contato com o seu Cristo Interno, o seu Eu Superior. Alcança o verdadeiro despertar da consciência e exata percepção das coisas. Final­mente ele encontrou, chegou lá… E agora descansa.

A humanidade da Terra se encontra quase que completamente no primeiro estágio, o homem primitivo… Mas e você?

Você recebeu uma educação que:

         – Por parte do sistema, você tem que competir contra o irmão ao invés de competir com o irmão; que tem que ser rico e ter status para ser feliz, pois os pobres e desconhecidos sofrem; que você tem o exato valor dos bens que possui, portanto, ser materialmente pobre é ser desconside­rado; que a sua referência primária de vida é “como posso ganhar mais?”, portanto, o respeito pelo ser humano e todas as demais formas de vidas é algo secundário.

         – Por parte das religiões sua educação consiste na existência do bem e do mal; do certo e do errado; do céu/salvos/planos da luz/felicidade e do inferno/pecadores/umbrais/sofrimento; do diabo com seus anjos caídos/atacantes e de Deus com seus anjos de luz/ defensores; espíritos inferiores/satanás/obsessores que atacam e obsediam, e os espíritos superiores/anjos/consciência enviados para a defesa e desob­sessão; a temer a Deus e que nasceu pecador, ao invés de amá-lo como Pai e que nasceu Divino!

Buscador, se deseja ser homem espiritual precisa sair da fase do homem primitivo e seguir para a fase do homem superior realizando um questionamento urgente das crenças que tem, crenças que te transmiti­ram. Como negar que busca por Felicidade, Saúde e Prosperidade? Mas para isso precisa pensar por si mesmo, ter seu próprio ponto de vista, viver segundo aquilo que faz sentido para você. Precisa parar de

defender e viver a verdade de outros como se fosse sua. Aceitar as crenças do mundo sem antes questioná-las severamente através de uma reflexão profunda, é se manter na fase do homem primitivo. Viver com as mesmas crenças de 2000 anos atrás é ser primitivo!

A título de exemplo e não de crítica, veja as contradições óbvias nas quais um homem primitivo vive:

– As igrejas, principalmente as evangélicas, criticam os espíritas por acreditarem em umbrais onde os desencarnados apegados e devedores cármicos, sofrem! Mas acreditam num inferno onde os mortos apegados e pecadores, sofrem! Acaso não estão crendo nas mesmas coisas com nomes diferentes? Acaso ambas não estão implantando em seus segui­dores os sentimentos do medo e da culpa?

– As igrejas, principalmente as evangélicas, criticam os espíritas por assumirem a incorporação de espíritos obsessores, mas assumem a in­corporação de demônios! Criticam os espíritas por assumirem a incorpo­ração de espíritos de luz, mas assumem a incorporação do espírito santo! Acaso não estão crendo nas mesmas coisas com nomes diferentes? Acaso ambas não estão implantando o vitimismo em seus seguidores, bem como os sentimentos do medo e da culpa?

– As igrejas, principalmente as evangélicas, criticam os espíritas por médiuns da luz praticarem a desobsessão de seus seguidores, mas têm o pastor de deus praticando expulsões de demônios de seus adeptos! Criti­cam os espíritas por acreditarem em médiuns videntes, mas acreditam em seus seguidores profetas! Acaso não estão crendo nas mesmas coisas com nomes diferentes? Acaso ambas não estão implantando em seus se­guidores os sentimentos do medo e da culpa?

– E, principalmente as igrejas, principalmente as evangélicas, criti­cam e procuram difamar os espíritas citando e apontando suas inúmeras comprovações de fraudes, como as fenomênicas onde se constataram se­rem truques de ilusionismo; as de curas de doentes sem a constatação da medicina etc… Fatos estes tão comuns na história passada e atual do es­piritismo. Mas escondem de seus crentes as inúmeras comprovações de suas fraudes, como pessoas representando os dons do espírito santo, as de curas de doentes sem a constatação da medicina por parte de seus pastores, e principalmente: os casos de pessoas contratadas para repre­sentarem papéis de moribundos e aleijados que foram curados na igreja… Fatos estes existentes e tão comuns na história passada e atual das igrejas!

Conclusão: Ora, igrejas e espiritismo, ambos têm em comum mui­tas FRAUDES em sua história, bem como a implantação na mente de seus fiéis, do vitimismo e dos sentimentos do medo e da culpa!

Em relação às religiões, igrejas e doutrinas em que foi educado, que mantenha consigo tudo aquilo que julgar ser bom para si mesmo, tudo aquilo que após avaliar, viu ser positivo em sua vida. E quanto a tudo aquilo que enxergou não lhe servir mais, simplesmente descarte, retire de si. Há boas tradições nos chamados livros santos, como a bíblia, Bhagavad-Gita, Alcorão, Torá, Livro dos Espíritos e o Evangelho Se­gundo Allan Kardec etc… Ora, aquilo neles que lhe faz sentido na vida, mantenha querido! Seja feliz! E descarte o que não lhe serve mais sem o menor peso de consciência. Ser feliz é a questão!

Deus é Absoluto – Amor e Felicidade, e embora 90% ou mais dos ditos livros santos sejam literalmente uma fraude escrita por homens como se fosse divina, ou escritos por mentes sem consciência expondo uma compreensão rasa da vida com seus medos e culpas, tanto que fa­lam de um deus mesquinho, hipócrita e tirano… Possuem também os seus aproximadamente 10% que realmente falam inspiradamente sobre o único e verdadeiro caminho que pode te conduzir a um íntimo contato com o único Deus e que é Absoluto – Amor e Felicidade: A meditação!

Alcorão 25:63 66 – “Na privacidade da noite eles meditam”

Bíblia – Mateus 6:22 – “Medite e deixe o olho ser um, e todo o corpo será iluminado.”

Bhagavad-Gita – “Quando se domina a meditação a mente fica inabalável como a chama de um candelabro num lugar sem vento”.

Preserved by Hazrati Ali

“A meditação em Deus é o meu capital.

A razão e a lógica são as raízes da minha existência.

O amor é a fundação da minha existência.

O entusiasmo é o veículo da minha vida.

A contemplação de Deus é a minha companhia.

A Fé é a fonte do meu poder.

A tristeza é minha amiga.

O conhecimento é a minha arma.

A paciência é a minha roupa e virtude.

A submissão à Vontade Divina é o meu orgulho.

A verdade é a minha salvação.

A oração é o meu hábito.

E na prece reside a calma dos meus olhos e a minha paz da mente.”

 

Vejam a similaridade destas citações milenares com as mensagens de outras grandes mentes bem mais recentes:

Dalai Lama – “A ênfase principal no budismo é transformar a mente e esta transformação está dependente de meditação”.

Martin Luther King Jr – “A escuridão não pode acabar com a escuridão, apenas a luz pode fazer isso. O ódio não pode acabar com o ódio, apenas o amor pode fazer isso”.

Mahatma Gandhi – “A verdade é totalmente interior. Não há que a procurar fora de nós nem querer realizá-la lutando com vi­olência com inimigos exteriores”.

Albert Einstein – “A realidade é meramente uma ilusão, embora seja uma muito persistente…”.

Mahatma Gandhi – “Não nos será outorgada a liberdade externa mais do que na medida exata do que tenhamos sabido, num mo­mento determinado, desenvolver nossa liberdade interna”.

Albert Einstein – “A nossa tarefa deve ser libertar-nos a nós próprios desta prisão, através da expansão do nosso círculo de com­paixão para abraçar todas as criaturas vivas”.

Mahatma Gandhi – “A voz interior me diz que siga combatendo contra o mundo inteiro, ainda que me encontre só”.

Há boas tradições em religiões e doutrinas como o Catolicismo, o Protestantismo, Evangélicas, o Kardecismo, o Hinduísmo, o Xama-nismo, a Umbanda, o Catimbó, o Candomblé etc… Ora, aquilo que lhe faz sentido na vida, mantenha contigo, querido! Seja feliz! E descarte o que não lhe serve mais sem o menor peso na consciência. Ser feliz é a questão!

Todas essas idéias apregoadas por religiões, igrejas e doutrinas não estão certas e nem erradas. Certo e errado não existe. O que existe é so­mente as escolhas que funcionam e as que não funcionam, segundo a ex­periência que escolheu viver. Por exemplo: Se escolheu vivenciar como é ser um mecânico, mas foi se especializar em geografia! Nada há de certo ou errado em se especializar em geografia, mas se deseja se aprimorar como mecânico, geografia não funciona… Compreendeu?

Assim é a verdade, ela é ou não é para você segundo a experiência que experienciou. A sua verdade será aquilo que vivenciou, não serve como verdade para aquele que ainda não vivenciou a sua experiência. Assim também o que outros somente vivenciaram não lhe serve de ver­dade, pois ainda não sabe como é. Tudo aqui é Conhecimento, Experien­ciar para Ser. Você tem um conhecimento, vive-o através de uma expe­riência, e então soube como é e, portanto, se tornou esse conhecimento. Não tenha receio de questionar tudo que aprendeu com seus pais, esco­las, religiões, igrejas e doutrinas. Não estará contra eles se questionar o que lhe ensinaram, mas estará a favor de si. Não se trata de rejeitar as opiniões e pontos de vista deles, mas de ter sua própria opinião e ponto de vista.

Veja o dinheiro, ele não é bom e nem mau, ele é uma forma de

energia. A forma com que empregá-lo é que fará a diferença. Mas os en­sinamentos de que dinheiro leva à perdição, que te desvia do caminho para Deus etc., são os responsáveis por um grande número de pessoas não conseguirem ganhos melhores e viverem com problemas financeiros. Porque você é um ser criador, você materializa os pensamentos que pensa. Tudo que existe, primeiro foi pensamento. Mesmo os planetas, as estrelas e galáxias, primeiro foram Pensamentos e Verbo… Chega a ser irônico, o pensamento é real e a matéria é ilusão. Você pensa, você cria. Se em suas crenças o dinheiro é algo que conduz a perdição, que o des­via do caminho de Deus, ora, mesmo que inconscientemente, porque então iria querer possuí-lo já que te afasta de Deus? E como resultado você cria para si mesmo as crises financeiras e a pobreza!

A sua verdade precisa ser sua, aquela que experienciou e, portanto sabe, e não as verdades que lhe são impostas pela sociedade, governos, religiões, igrejas e doutrinas. Em seu íntimo sabe que Deus é Amor, mas apregoaram que Ele se recente com os pecadores. Em seu íntimo sabe que Deus te Ama, mas apregoaram que precisa temê-lo porque ele amaldiçoa e pune. Em seu íntimo sabe que é livre para arbitrar o que de­seja viver, mas apregoaram que se arbitrar pelo caminho errado ai de ti adiante de Deus. Deus não é hipócrita querido, Ele é Deus, não julga e não condena exatamente porque é Deus. Ele é de fato Absoluto, não pre­cisa de leis e conceitos para governar, até porque se precisasse de tais coisas não seria Absoluto. Deus não tem vontades e necessidades, por­tanto não está sujeito a contrariedades e ofensas. Ele te Ama incondicio­nalmente rapaz, jamais vai te amaldiçoar ou punir independente do que venha a fazer. Nada há que possa fazer que seja pecado para Ele!

Rezas e protocolo religioso são nada mais que tradições. Deus te Ama, menino e adora te escutar. Converse com Deus como o filho amado conversa com o pai que o ama, ou como conversa com seu mel­hor amigo. Se vai estar em posição de lótus, ajoelhado, de pé ou plan­tando bananeira, Deus não se importa com tais coisas. Tudo que deseja é que converse com Ele… Ele adora te escutar rapaz! Todo o universo tem menor valor que você para Ele! Te vê como a mais preciosa joia de seu tesouro… Literalmente, menino!

Criou todo o universo com uma onda mental Libertadora de Amor-Felicidade, deseja que você seja livre se sinta amado e feliz! Livre-se dos protocolos e rezas religiosas e simplesmente faça como as crian­cinhas… Converse com o “Papai do Céu”!

Deus sendo Absoluto, Amor e Felicidade, pode concebê-lo sendo como as citações sagradas abaixo?          

Obs.: 2.552.452 assassinatos de deus ou a mando dele, segundo “escri­turas sagradas”… Este é o cálculo.  (Dois milhões, quinhentos e cinquenta e dois mil, quatrocentos e cinquenta e duas).

Levítico 25:44-45 – “E quanto a teu escravo ou a tua escrava que tiveres, serão das nações que estão ao redor de vós; deles comprareis escravos e escravas. Também os comprareis dos filhos dos forasteiros que peregrinam entre vós, deles e das suas famílias que estiverem convosco, que tiverem gerado na vossa terra; e vos serão por possessão”.

I Samuel 15:3 – “Vai, pois, agora e fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem até à mulher, desde os meninos até aos de peito, desde os bois até às ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos”.

Êxodo 31:14-15 – “Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo. 15 Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso, santo ao Senhor; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente morrerá “

Apocalipse 20:7-15 – Aqueles cujos nomes não foram encontrados no li­vro da vida foram lançados no lago de fogo

II Crônicas 15:12-13 – “E entraram na aliança para buscarem o Senhor Deus de seus pais, com todo o seu coração, e com toda a sua alma; 13 E de que todo aquele que não buscasse ao Senhor Deus de Israel, morresse; assim o menor como o maior, tanto o homem como a mulher. “

Ezequiel 18:4 – “A alma que pecar, esta morrerá”.

I Crônicas. 19:18 – “Porém os sírios fugiram de diante de Israel, e feriu Davi, dos sírios, os homens de sete mil carros, e quarenta mil homens de pé; e a Sofaque, capitão do exército, matou”.

2 Reis 19:35 – “Naquela noite o anjo do Senhor saiu e matou 185.000 (cento e oitenta e cinco mil) homens no acampamento assírio. Quando o povo se levantou na manhã seguinte, o lugar estava repleto de cadáveres!”

2 Reis 2:24 – “E, virando-se ele para trás, os viu, e os amaldiçoou no nome do Senhor; então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos”.

Levítico 20:13 – “Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato repugnante. Terão que ser executados, pois merecem a morte”.

1 Reis, capítulo 18:40 – “E Elias lhes disse: Lançai mão dos profetas de Baal, que nenhum deles escape. E lançaram mão deles; e Elias os fez descer ao ri­beiro de Quisom, e ali os matou”.

Gênesis 19:24-25 – “Então o Senhor, o próprio Senhor, fez chover do céu fogo e enxofre sobre Sodoma e Gomorra. Assim ele destruiu aquelas cidades e toda a planície, com todos os habitantes das cidades e a vegetação”.

Deuteronômios 22:5 – “A mulher não usará roupas de homem, e o ho­mem não usará roupas de mulher, pois o Senhor, o seu Deus, tem aversão por todo aquele que assim procede.

Deuteronômio 7:1-2 – “1 Quando o Senhor teu Deus te houver introdu­zido na terra, à qual vais para a possuir, e tiver lançado fora muitas nações de diante de ti, os heteus, e os girgaseus, e os amorreus, e os cananeus, e os peri­zeus, e os heveus, e os jebuseus, sete nações mais numerosas e mais poderosas do que tu; 2 E o Senhor teu Deus as tiver dado diante de ti, para as ferir, totalmente as destruirás; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas”

Êxodo 32: 27 – “E disse-lhes: Assim diz o Senhor Deus de Israel: Cada um ponha a sua espada sobre a sua coxa; e passai e tornai pelo arraial de porta em porta, e mate cada um a seu irmão, e cada um a seu amigo, e cada um a seu vizinho. 28 E os filhos de Levi fizeram conforme à palavra de Moisés; e caíram do povo aquele dia uns três mil homens. 29 Porquanto Moisés tinha dito: Con­sagrai hoje as vossas mãos ao Senhor; porquanto cada um será contra o seu filho e contra o seu irmão; e isto, para que ele vos conceda hoje uma bênção”.

Salmos 37:20 – “Mas os ímpios perecerão, os inimigos do Senhor mur­charão como a beleza dos campos, desvanecerão como a fumaça”

Salmos 58:9-11 – “Os ímpios serão varridos, antes que as suas panelas sintam o calor da lenha…”

Deuteronômios 20:10-17 – “Quando te achegares a alguma cidade para combatê-la, apregoar-lhe-ás a paz. 11 E será que, se te responder em paz, e te abrir as portas, todo o povo que se achar nela te será tributário e te servirá. 12 Porém, se ela não fizer paz contigo, mas antes te fizer guerra, então a sitiarás. 13 E o Senhor teu Deus a dará na tua mão; e todo o homem que houver nela pas­sarás ao fio da espada. 14 Porém, as mulheres, e as crianças, e os animais; e tudo o que houver na cidade, todo o seu despojo, tomarás para ti; e comerás o despojo dos teus inimigos, que te deu o Senhor teu Deus. 15 Assim farás a todas as ci­dades que estiverem mui longe de ti, que não forem das cidades destas nações. 16 Porém, das cidades destas nações, que o Senhor teu Deus te dá em herança, nenhuma coisa que tem fôlego deixarás com vida. 17 Antes destruí-las-ás total­mente: aos heteus, e aos amorreus, e aos cananeus, e aos perizeus, e aos heveus, e aos jebuseus, como te ordenou o Senhor teu Deus”.

Retirando Véus e Máscaras

Planos espirituais: Fala-se muito sobre os planos espirituais e o que sucede após a morte. Mas querido, precisa compreender que a própria Terra se encontra em um dos planos espirituais, o último deles, o mais denso deles, o plano da matéria grosseira. Para elucidar, imagine um copo de água misturado com um pouco de argila. A princípio toda água é opaca, a argila sujou a água por inteiro, mas em seguida começa a decantar. As moléculas pesadas da argila vão assentando-se e começamos a perceber diversas camadas dentro do copo. Observa-se uma camada mais densa de argila no fundo do copo, e subindo, outra camada com água suja, depois água menos suja, água mais transparente, água muito transparente e finalmente água translúcida. Assim também são os planos espirituais. O mais denso é o plano da matéria grosseira, do qual a Terra faz parte.

Referem-se como umbral os planos espirituais mais densos que translúcido, cujas frequências são mais pesadas que leves. Pensamentos vibram, pensamentos também possuem frequência. Há os pensamentos que vibram similares à frequência da energia de matéria grosseira; há pensamentos que vibram similares à frequência da energia de matéria menos densa; há pensamentos que vibram similares à frequência da energia mais sutil; há pensamentos que vibram similares à frequência da energia totalmente sutil. Existe o reino do Absoluto, que é real, e o reino do relativo, que é uma ilusão. Não somente o plano da matéria grosseira, como a Terra, é relativo, mas todos os planos espirituais também o são. O reino do Absoluto está além de tudo isso. Qualquer um dos planos espirituais, mesmo os planos da luz com toda sua beleza e formosura, magnificência e magnanimidade, paisagens paradisíacas, cidades incríveis, perfeitas etc., pertencem ainda ao reino do relativo. Mesmo o plano Ascensionado, onde nenhum resíduo da personalidade existe mais, pertence também ao reino do relativo. O Absoluto está além, muito além.

Nosso corpo físico e pensante é o veículo relativo e ilusório onde está conectado o condutor, que é a essência, o real e Absoluto. Nós seres humanos, todos sem exceção, estamos no Absoluto-Real conectado com o relativo-Ilusão para vivermos experiências. Tudo aqui é conhecimento, experienciar para Ser. Para se saber como é determinado conhecimento, primeiro vive-se na prática o que desejou conhecer, e então torna-se aquele conhecimento, ou seja, viveu a situação e agora sabe como é… Simples assim, filho! Nada há neste mundo para você aprender, mas somente a Relembrar. Somente teu ego – aparelho (corpo/cérebro/mente racional) veio do relativo, mas não você Essência porque é Absoluta e continua no Absoluto, mas dormindo, sonhando com a experiência que está vivendo agora. Todas as encarnações são um sonho, não são reais! Um sonho incrível e totalmente planejado pela Essência, você, onde vive as experiências que desejou vivenciar e depois de tudo vivenciado, simplesmente acorda, em total segurança, onde você Essência está dormindo, que é no reino Absoluto, do qual nunca saiu. Até porque não há outro reino além dele, por isso é “Absoluto”! Começa agora a entender a dimensão do que estou escrevendo, filho?

Mas o sonho que planejou experienciar para Ser, não tem necessariamente que durar uma única encarnação. Geralmente um sonho seu tem a duração de 4, 5, 6 encarnações. Se quiser pode ser uma única encarnação ou muitas mais que 6. Será tal qual você-Essência desejar. Por isso os planos espirituais, pois é onde o sonho continua entre uma fase e outra, ou seja, entre uma encarnação e outra. Somente na Terra, no plano da matéria grosseira, é que podemos presenciar a traição, a mentira, a tirania, os sentimentos grosseiros como a inveja, a ira, a vingança etc. Isso porque aqui é o único plano onde o lobo e o cordeiro se assentam juntos à mesa, é a sala de aula, é onde se vive as experiências… Compreende querido? Mas fora daqui, é hora do recreio! Entre uma encarnação e outra, você recreia! Acaso se lembra de quando estudava e após horas em sala de aula, tocava a campainha anunciando o recreio? Lembra-se de como todos corriam sorrindo e felizes para o recreio? Então querido, ao desencarnar você vai para o recreio… É só Felicidade viu! Não existe qualquer forma de sofrimento, fraqueza, punição, doença ou contrariedade após a morte, após o desencarne. Até porque não existe morte, mas só renascimento. A morte/desencarne/passagem, ou melhor dizendo, renascimento, é a maior e mais maravilhosa experiência que temos, é o maior êxtase que podemos sentir, é fantástico.

Quem me dera poder morrer todos os dias! Só teme a morte quem ainda não relembrou o suficiente. Só teme a morte quem ainda desconhece, quem ainda é inconsciente sobre o outro lado. Quem relembrou o suficiente, aquele que mantém a consciência sobre o outro lado, na verdade, por vezes deseja a morte. Por vezes nos é difícil permanecer por aqui, temos saudades de casa e sabemos que nada há que valha a pena levar daqui deste plano a não ser as amizades e boas lembranças. Mas em qual plano será o seu recreio? Para qual plano espiritual você segue ao desencarnar? Simples, querido, você segue para um plano cuja frequência é similar à sua. Lá vai encontrar somente pessoas com frequência similar à sua… Como milhares de almas gêmeas! Eles possuem o mesmo nível de Relembrar que você, portanto suas ideias, desejos, gostos, aspirações, são todas similares às suas. Simplesmente você ama e é amado. Independente do plano espiritual que esteja uma mente, se num umbral de frequência pesada, ausência de luz/inconsciência, ou se num plano das frequências sutis da iluminação/consciência, esta mente viverá a Felicidade plena. Ela inclusive achará difícil existir um paraíso melhor do que onde ela se encontra, pois ama e é amada, aceita a todos porque possuem frequências similares à dela, e em contrapartida é aceita por todos pelo mesmo motivo… Milhares de almas gêmeas querido, compreende agora?

No recreio não existe a traição, porque não se trai a quem se ama; não existe a mentira, porque não se mente para quem se ama; não existe a tirania, porque não se tiraniza a quem se ama; não existem os sentimentos grosseiros como a inveja, a ira, a vingança etc, porque deseja sempre a felicidade a quem você ama… O recreio para todos nós é o momento em que, literalmente, embora ainda não tenhamos relembrado quem somos em sua totalidade, experimentamos o fato de Deus Ser Absoluto, Amor e Felicidade. Diferente das escolas, o seu recreio só termina quando você assim desejar, quando você sente de continuar a experiência que veio vivenciar no plano da ilusão… É você quem decide encarnar novamente, não há qualquer cobrança ou imposição de ninguém para que faça tal coisa. Você sente o desejo de reencarnar e continuar do exato ponto em que parou sua experiência na última encarnação, e assim o faz!

Como pode ver, querido, Deus de fato é Absoluto-Amor e Felicidade. Qualquer conhecimento que se diga espiritual que mencione vitimismo, culpa, medo, cobrança, punição, sofrimento pós-morte, são simplesmente IMAGINAÇÃO da mente racional, do ego… Não existem! O carma e o darma como débitos espirituais e sua quitação, são IMAGINAÇÃO apenas. O que existe é somente causa e efeito tal qual Buda ensinou, e ainda assim somente no plano da matéria grosseira que é onde vivemos a sala de aula. Nos demais planos espirituais, não há.

O pecado é somente IMAGINAÇÃO. Deus não poderia ser Deus se fosse possível ELE se ofender ou depender de qualquer forma de leis e conceitos para governar. O inferno ou umbrais onde o espírito sofre após a morte é somente IMAGINAÇÃO. Deus é Absoluto-Amor e Felicidade, ELE te ama rapaz!  A personificação do mal, que é satanás ou obsessores, são somente IMAGINAÇÃO. Deus é Absoluto, querido, ELE não tem opositor.

Mas então como fica a Bíblia, o Bhagavad-Gita, a Torá e demais livros tido como representação terrestre da palavra de Deus? Não fica,   filho, são livros escritos por homens, nada possuem de Divinos. Inclusive apresentam um deus mesquinho, que se ofende; um deus capaz de odiar, ciumento e vingativo; um deus perverso que amaldiçoa e manda matar até as criancinhas dos vilarejos; Um deus que vive láaaaaaaaaaa no céu… Fora de ti! Percebe a gravidade disso? Tais livros foram escritos por interesse de dominação por parte de homens que  desejavam   governar, dominar as massas. Tais livros na verdade impõem os sentimentos do medo e da culpa na mente dos homens, afastando de Deus os seus crédulos leitores. Há tradições louváveis nestes livros, claro que há algumas. Não é de tudo uma armadilha para as mentes ingênuas e ignorantes, as quais aceitam como verdades as coisas tais quais lhe mostram, sem ao menos antes fazer um questionamento do que estão lhe mostrando como verdades. Mas ao menos 90% de tudo escrito nestes livros tido como santos, precisa urgentemente ser desconsiderado e descartado pela humanidade, pois a afasta de Deus ao crer em um deus fora de si, ao invés de exclusivamente um Deus dentro de cada um de nós.

Fica o homem afastado de Deus e sofrendo, quando acrescenta em suas crenças que a igreja é a casa de Deus, ao invés de que cada Ser humano indistintamente nasce na condição de Templo Vivo de Deus! Estes livros tidos como sendo a palavra de Deus retiram a identidade de seus leitores crédulos, e que por não saberem mais quem são, passam a uma condição de vítimas sofredoras, ficando fáceis de serem dominados pelas mentes mais astutas.

Imagine agora as religiões que têm como base de verdade livros como a Bíblia, o Bhagavad-Gita, a Torá etc… O prejuízo espiritual que estão trazendo à humanidade, a infelicidade e sofrimento que estão impetrando na mente dos homens ao lhes imporem o cabresto dos sentimentos do medo e da culpa, ao pregarem sobre o pecado e que você é um pecador, negando assim o Absolutismo-Amor e Felicidade de Deus; Sobre um opositor de Deus, o mito satanás e inferno, como se fosse possível Deus ter opositor e ser mesquinho, negando assim o Absolutismo, Amor e Felicidade de Deus; Ao ensinarem que busquem um deus do lado de fora, lá…, impedindo assim que todos os homens tenham um íntimo contato com Deus, o que aconteceria se o buscassem para dentro de si.

O Kardecismo (Espiritismo) também precisa urgentemente de uma reforma, pois embora diga não existir um inferno, prega os umbrais onde as almas sofrem após desencarnarem, pagam seus débitos, o que devem etc. Embora digam não existir o diabo, pregam sobre a existência de obsessores que podem influenciar e prejudicar pessoas. Percebe? Seguem a mesma ilusão das igrejas, mas com outros nomes! Onde estaria o Deus Absoluto, Amor e Felicidade se o livro Nosso Lar fosse uma verdade? Reflita sobre isso!

Eu cresci no Kardecismo, como tudo mais em minha vida, fui dedicado e esforçado no caminho que estava seguindo. Se houve livros que em minha época que foram verdadeiramente cogitados e indicados em centros espíritas, embora não fossem oficialmente assumidos pelo Kardecismo, mas que eram sim aceitos pela maioria como expressão espiritual da verdade, lidos e estudados, foram os livros de Ramatis e o livro do escritor Edgard Armond “Os Exilados da Capela” lançado em 1949. Este último é um livro cativante que conta de forma fascinante a História Espiritual da Humanidade formada por uma casta de espíritos com alto grau de conhecimentos em matemática, astronomia, arquitetura, agricultura, navegação e leis espirituais. Responsáveis por obras como as pirâmides do Egito, as edificações maias e astecas e os jardins suspensos da Babilônia etc. Muito bem escrito e minucioso, a princípio responde as perguntas inquietantes sobre nossa origem, satisfazendo o ego em sua busca por referências duais para comparações e posterior entendimento da mente racional. É fácil compreender umas das razões do porquê que este livro, embora não Kardecista, fora bem aceito e divulgado em seus centros, pois citava como referência de pesquisa os livros “A Gênese”, de Allan Kardec e “A Caminho da Luz”, de Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Presenciei por ao menos 30 anos os livros de Ramatis e Os Exilados da Capela serem os livros mais comentados dentro dos centros espíritas. Recordo-me de reuniões por parte de espíritas bem intencionados para estudarem exclusivamente o fim do mundo e poderem assim encaminhar com segurança a humanidade nos vindouros dias de grande sofrimento devido a transição planetária, sobre a qual estas obras su-geriram o desfecho final entre os anos 1999 e 2000. Inclusive no livro Mensagens do Astral psicografado por Hercílio Maes entre 1948 e 1949, Ramatis foi de fato enfático quanto às datas:

Até o final deste século, libertar-se-ão da matéria dois terços da humanidade, através de comoções sísmicas, inundações, maremotos, furacões, terremotos, catástrofes, hecatombes, guerras e epidemias estranhas. O conflito entre o continente asiático e o europeu, já mentalmente delineado entre os homens para a segunda metade do século, com a cogitação do emprego de raios incendiários e da arma atômica, comprovará a profecia de São João, quando vos adverte de que o mundo será destruído pelo fogo e não mais pela água.

Em virtude dos cientistas não poderem prever com absoluto êxito os efeitos de vários tipos de energias destrutivas, que serão experimentadas para serem empregadas na hecatombe final, mesmo no período de Paz e com o mundo exausto, surgirão estranhas epidemias, deformando, diluindo e perturbando os genes formativos de muitas criaturas, do que resultarão sofrimentos para as próprias gestantes!” (pág. 189 e 190)

“É óbvio que, ao se elevar o eixo terráqueo, o que há de acontecer até o fim deste século, também se modificarão, aparentemente, os quadros do céu astronômico com que estão acostumadas as nações, os povos e tribos, …” (pág. 122)

“Com a elevação gradativa do eixo terráqueo, os atuais polos deverão ficar completamente libertos dos gelos e, até o ano 2000, aquelas regiões estarão recebendo satisfatoriamente o calor solar. O degelo já principiou; vós é que não o tendes notado. …

O degelo descobrirá à luz do dia as vastas regiões que se encontram refrigeradas e que conservam em seu seio vegetação luxuriante e minerais preciosos, que servirão ao homem do terceiro milênio. Grandes reservas nutritivas, de muito antes da catástrofe da Atlântida, resguardam-se debaixo do gelo, desde quando os polos não eram ainda regelados e que a Terra se situava noutras condições em relação ao seu eixo imaginário.” (pág. 228)

A seguir, temos a cópia de um impresso distribuído em centros de estudos espiritualistas, onde mais uma vez Ramatís alerta sobre a vinda de uma nova era e suas consequências.

“ELUCIDAÇÕES SOBRE O ADVENTO DO TERCEIRO MILÊNIO, AS GRANDES TRANSFORMAÇÕES DO FINAL DO SÉCULO, O BRASIL SERÁ NÃO SÓ O CELEIRO, MAS TAMBÉM O CORAÇÃO DO MUNDO.

Como já tenho explicado através de inúmeras obras publicadas, o fim do ciclo terreno se aproxima. Há no Espaço Sideral uma grande campanha para alertar a vós, habitantes do planeta condenado a uma ‘higienização’.

A campanha, já o sabeis, é de esclarecimento. Todos serão alertados. Todos serão avisados. Todos conhecerão a Verdade.

É chegada a hora em que se definirão as posições. É chegada a hora em que todos prestarão contas de seus atos, não só desta encarnação que vivem agora, mas também de muitas, inúmeras que tiveram através dos séculos. …

… A Terra será planeta onde, lavados e purificados de seus resíduos, ares e mares emanarão eflúvios benéficos à nova humanidade que semeará o Bem, a energia benéfica, o amor, o altruísmo, fazendo florescer a doutrina do Cristo.

Poucos anos restam à Terra para atingir o ano 2.000. Muitos sinais serão dados de que os tempos são chegados. O mundo não acabará, como pensam alguns: sofrerá apenas tremendas modificações com a verticalização do eixo da Terra. O que está em cima, para baixo irá e, o que está embaixo, ressurgirá. Montanhas se tornarão planícies e mares invadirão terras. Vosso país muito será poupado.

Muitos dos nossos irmãos escolhidos já aqui se encontram, reencarnados, e outros virão de outras terras, daquelas que já se acham condenadas. Homens, assumi vosso verdadeiro papel! Homens, meditai sobre vossos erros! Homens, voltai atrás em vossas vaidades! Reconsiderai e segui pela estrada do Bem e do Amor!”

(http://www.jluciano.eti.br/profecias/ramatis.htm, 08/2014).

Por sua vez, o livro Os Exilados da Capela reforça todo o contexto apocalíptico relatando pontos muito similares aos de Ramatis sobre os acontecimentos futuros, fazendo menção a duas datas distintas pelas tábuas astrológicas, 1961 e 1999 (Cap XXII, pag. 87 e 88), ajuntando a tudo isso citações de profecias bíblicas que corroboram com seus pensamentos.

E Isaías, no cap. XXIV, reafirma solenemente: — “Já as janelas do alto se abrem e os fundamentos da Terra tremerão. De todo será quebrantada a Terra, de todo se romperá a Terra e de todo se moverá a Terra. De todo se balanceará a Terra como o bêbado e será movida e removida como a choça da noite. E a Lua se envergonhará e o Sol se confundirá.”

E o Apóstolo Pedro, na sua segunda epístola, cap. 3:12, diz, rematando estas profecias: —  “Os céus incendiados se desfarão e os elementos ardendo se fundirão. A Terra e todas as obras que nela há serão queimadas.”

Pois todas estas profecias se aplicam aos nossos tempos e são corroboradas pela própria ciência astronômica. As tábuas astrológicas mostram que até o último dia deste período final do ciclo somente haverá dois eclipses do sol, sendo um em 1961 e outro em 1999.”(Armond, Edgard. Os Exilados da Capela. São Paulo: Editora Aliança, 1987.)

Este livro fascinante, “Os Exilados da Capela”, explicou em detalhes e apontou os porquês de todos os acontecimentos que viriam na transição planetária como a verticalização do eixo da Terra, o aumento dos oceanos e a submersão das terras habitadas, a passagem do Hercólobus etc. Quando surgiam pessoas que questionavam a veracidade espiritual deste livro, recebiam como resposta firme que se tratava de uma obra além de nosso tempo, pois havia como referência de pesquisa livros como A Gênese, de Allan Kardec e A Caminho da Luz, de Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Contudo, 1999 e 2000 passaram e nada aconteceu de real, de concreto, de fato. Se a data marcante da transição era a maior prova da veracidade espiritual e falhou, não se cumpriu, foi um equívoco, como dar créditos a todo contexto, bem como suas fontes de pesquisas? Compreende agora a gravidade de tudo isso querido?

Assisti impotente e entristecido após a entrada de 2000, um grande número de pessoas kardecistas, gnósticos, esotéricos, místicos, homens de fé e entusiastas, perderem sua fé, ficarem abatidos, perdidos, sem norte. Muitos, com toda certeza, mesmo hoje, devido a amarga decepção sofrida, trazem graves sequelas na fé.

Em GO, depois de 2006, conheci diversas pessoas que mantinham excelente condição financeira e estruturas de moradia, antes de 1999, mas que hoje, por terem acreditado nestas profecias da transição planetária para 2000, conforme afirmavam alguns livros, venderam tudo que tinham e se mudaram para Alto Paraíso, município de 6 mil habitantes na época, pobre, com grande deficiência de gerar bons empregos ou retorno econômico a investimentos. Estas pessoas, após 2006 quando as conheci, uma boa parte estava quase banguela, quase sem dentes na boca, pois, segundo eles mesmos afirmaram: como ir ao dentista se nem conseguimos manter alimentação razoável para nós e familiares? Pessoas como estas são conhecidas por lá como “Bicho Grilo” . Todos estes bichos grilo que tive a oportunidade de conversar, após questionados se conheciam os livros que profetizaram o final do mundo para 1999 e 2000, responderam que leram basicamente os livros de Ramatis e Os Exilados da Capela, dentre outros poucos.

Os livros de Ramatis e Os Exilados da Capela não passaram de mais um romance espírita envolvente e fictício, que foi aceito pelos Kardecistas, gnósticos, esotéricos e místicos como sendo a expressão da verdade espiritual, mas tal qual todos os demais romances espíritas escritos ainda hoje, se dão datas elas não se cumprem, e se postos a provas científicas se mostram um equívoco… E os bichos grilo que o digam!

Admirei e admiro a Allan Kardec e mantenho alguma simpatia por Chico Xavier. Conheço de ambos as qualidades e virtudes, bem como suas limitações e deficiências. Escrevi textos e realizei palestras que enalteceram seus nomes. Compus músicas que destacam positivamente a ambos. Nos trabalhos espirituais daqui da fazenda, inúmeras vezes foram enaltecidos o espiritismo e Allan Kardec, o que me agrada mesmo hoje, mas também Chico Xavier, e por isso realmente percebo o quanto fui ingênuo em não questionar as informações que vinham pela mídia, principalmente pela Rede Esgoto de Televisão!

Com a globalização trazendo acesso às informações a quem desejar buscar, é que fui saber daquilo que desconfiava mas não tinha certeza, de diversos fatos que revelaram os limites e deficiências espirituais, tanto de Allan Kardec, numa escala muito menor, como de Chico Xavier, numa escala muito maior e mais grave. As limitações de Allan Kardec eram conhecidas e não passam de pequenas manchas de um vasto rastro de luz de incontáveis virtudes que é Allan Kardec. Em relação a Chico Xavier, a globalização permitiu acessar os fatos de sua história de vida e constatar de forma irrefutável  que Chico Xavier escreveu Ficções Espirituais como se fossem verdades Absolutas e isso é sim perigoso ao buscador de boa vontade mas desatento, pois uma vez crendo nestas ficções, permanecerá mentalmente preso a um deus relativo, mesquinho, tirano, que castiga, que pune, que condena, nas existências de forças do bem e do mal, umbrais de sofrimento e obsessores, enfim, ficará mentalmente sem alcançar o Deus Absoluto, Amor e Felicidade… Eis o que revelam os fatos da história de Chico. Se tiver a coragem de pesquisar imparcialmente sobre o histórico de Chico, vai constatar que sei de fato o que afirmo. Encontrará um lado muito positivo dele que permitiu que a Federação Espírita obtivesse a renda das vendas de, segundo afirma a mídia, aproximadamente 50 milhões de livros, o que acredito resultar numa cifra de 1 bilhão de reais aproximadamente, se houver a média de 20 reais o exemplar. Imagine quantas obras de caridade, o que aliás é marca registrada do Kardecismo, eu afirmo isso, a Federação Espírita pode fazer com um montante assim. E tudo isso graças ao maior escritor de Ficção Espírita e Romances imaginários que foi o Chico Xavier, então mantenha sua admiração e simpatia por ele porque ele tem este mérito, querido, e que Deus o abençoe por isso! Mas que faça isso com os pés no chão reconhecendo como legado de Chico o que apontam os fatos, ou seja, não o tome como referência de “verdade espiritual a ser seguida”, pois Chico Xavier se equivocou muito em suas dissertações, palestras e livros sobre o plano dos espíritos escrevendo muita ficção, imaginação e devaneios, como se fossem verdades espirituais. Chico não tinha sequer consciência do pós-morte e desconhecia também por completo os planos espirituais, tanto que seus escritos são similares à bíblia e por isso não bate com a verdade de um Deus Absoluto, Amor e Felicidade. E em relação a “morrer” então, Chico Xavier tinha verdadeiro pânico, se tornava histérico… E, filho, só teme a morte quem desconhece o outro lado, viu! 
Na mesma pesquisa imparcial que realizar sobre Chico Xavier, infelizmente filho, vai constatar também que se tratou de uma pessoa envolta a fraudes, ilusionismo, mentiras, truques de mágica para enganar a população. Lamento ter que ser eu a lhe dar estas más notícias, mas a verdade embora por vezes amarga, é sempre o melhor remédio, acredite.

Afirmo sobre Hippolyte Leon Denizart Rivail, mais conhecido como Allan Kardec, a quem tanto admiro por sua coragem, bom coração, capacidade de ação e intelectual, que:

– Algumas de suas mensagens, mesmo hoje são como a luz e o norte de milhares de vidas a começar pela minha própria – “Fé inabalável é aquela que encara a razão frente a frente em todas as épocas da humanidade” – “Fora da caridade, não há salvação” –“ Nascer, Viver, Morrer, Renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a Lei”. 
Pedagogo, professor, autor, tradutor e célebre escritor, de 1835 a 1840 fundou em sua casa à rua de Sèveres, cursos gratuitos de química, física, anatomia comparada e astronomia. Sem dúvida um homem extraordinário! Como não admirar alguém assim?

– Que teve como grande amigo o astrônomo francês Nicolas Camille Flammarion, o qual ajudou a escrever o livro da “Gênese” segundo Allan Kardec. Mais tarde, Camille Flammarion confirmou que aquilo que havia dito para o livro, era o conhecimento que ele tinha na época, o que ele pensava ser verdade e acreditava, mas que não veio por meio de espíritos, que não houve entidades espirituais revelando conhecimentos, que tudo aquilo não veio por intervenção mediúnica de espíritos.  

– Que muito do que escreveu em sua fascinante obra “O Livro dos Espíritos”, foi escrita por sua personalidade, por intervenção racional e não espiritual. Escrito segundo o que ele acreditava e imaginava na época. Tanto que Allan Kardec mantinha uma mente racista segundo os padrões sociais da época, o qual considerava como crença, e evidencia a epiderme escura dos negros e índios como uma marca incontestável de que eram inferiores mental e espiritualmente. Fato preconceituoso este da sociedade da época e que Allan Kardec participou, tanto que o registrou em seu livro como sendo de cunho espiritual. Se o livro dos Espíritos fosse 100% oriundo do plano espiritual, isso não sucederia, pois após o desencarne, independente para onde segue o espírito, se umbral ou planos de luz, ele experiência o Amor e a Felicidade que é o Deus Absoluto. O espírito segue para o plano de sua frequência com milhões de espíritos similar à sua frequência. Por isso se sente em casa, lá ele é aceito por todos bem como aceita a todos, ele é amado por todos bem como ama a todos.

Afirmo sobre Chico Xavier que:

– Que foi muito simples e tudo que queria era ser amado por todos, até porque foi muito rejeitado e judiado em sua infância. Foi o maior propagador do espiritismo, doando, segundo a mídia, toda renda obtida pelos livros que escreveu à Federação Espírita. Mas quase tudo que escreveu, hoje é severamente contestado por diversos intelectuais e mesmo por inúmeros espíritas como possível evidência de plágio e não de psicografia. Por exemplo, cito o livro escrito pelo reverendo inglês George Vale de Owen nascido na Inglaterra em 1869 e que a partir de 1913 apresentou-se como médium e psicografou mais tarde o livro “A Vida Além do Véu”. Chega a ser constrangedora a similaridade do livro do reverendo George com o livro Nosso Lar de Chico Xavier, principalmente para os que acreditavam de corpo e alma na mediunidade de Chico.

Deixarei no final deste livro diversos artigos e matérias que demonstram tais fatos, inclusive a matéria do Sr. Eduardo José Biasetto, um simpatizante da doutrina espírita por décadas.

– Que o escritor Monteiro Lobato, homem além de seu tempo, prevendo que após sua morte tentariam envolvê-lo nas tais comunicações mediúnicas, pois havia se tornado famoso como celebridade nacional, escreveu senhas quando ainda vivo que vieram literalmente a desmascarar a mediunidade e psicografia de Chico Xavier. Monteiro Lobato deixou dois envelopes lacrados que continham senhas e as entregou uma à sua amiga Dona Ruth Fontoura, e a outra ao seu grande amigo juiz e também escritor Dr. José Godofredo de Moura Rangel, de Três Pontas MG. Monteiro Lobato veio a falecer de derrame em 1948. Mais tarde, Chico Xavier declarou estar psicografando mensagens do escritor Monteiro Lobato, e foi aí que o Dr. Juiz Rangel cumpriu o combinado pondo totalmente por terra a farsa de Chico Xavier. Ao final do livro se encontra as reportagens do fato ocorrido.

– Que escreveu livros com afirmações fantásticas e fascinantes, os quais a própria evolução científica veio a provar serem somente fruto de muita imaginação, criatividade, ficção científica. Tanto que Chico Xavier em seu livro psicografado “Cartas de uma morta”, descreve lindamente como é a vida e a sociedade dos planetas Saturno e Marte; Lagos, oceanos; Arquitetura de construções, seus meios de transporte fascinantes e bem mais evoluídos que os da Terra! Contudo, a ciência evoluiu, e as descrições psicografadas por Chico não condiziam com as constatações científicas de anos após. Construímos e lançamos ao espaço a partir de 1978, satélites poderosos como o IUE (International Ultraviolet Explorer) que permitiu à humanidade acessar tamanha gama de informações que mudaram a nossa visão do cosmo, inclusive de nossos planetas vizinhos. Depois, em 1990 veio o Hubble Space Telescope com mais tecnologia e aperfeiçoamento revelando com extremo detalhe nosso Sistema Solar e além dele. E como queda absoluta e prova irrefutável da farsa psicográfica de Chico Xavier, pousamos, até o momento presente, cerca de 11 sondas em Marte, sendo que muitas delas têm grande capacidade de se locomover percorrendo grandes distâncias. São muitos anos de dados científicos sendo enviados todos os dias à Terra. Marte, hoje, 2014, não é mais um mito a se desvendar para a humanidade tal qual era em 1935, quando Chico Xavier descreveu o planeta no tal livro.  Hoje se sabe com total certeza científica de que na superfície de Marte não há oceanos, nem florestas, nem lagos, nem gramas e vastas pradarias, nem habitações e sociedades. Como você enxerga isso, querido? Precisamos ver sempre o que há para ser visto, sem véus, sem máscaras, para não ficarmos presos em ilusões.

– O espirito Emmanuel que segundo o próprio Chico Xavier, quando encarnado foi um Senador Romano da época de Cristo, e que o acompanhava, é 100% uma invenção ou forjação mental do Chico. Roma na época de Cristo tinha como língua oficial o Latim, tanto que a sigla SPQR (Senatus Populus que Romanus) estava presente em todos os estandartes das tropas romanas. Mas o padre Quevedo, parapsicólogo experimentado, conversou em Latim com Chico/Emmanuel, e o mesmo ficou mudo, nada respondeu, simplesmente porque Chico Xavier desconhecia latim! Emmanuel conversar em português, é compreensível, poderia ter aprendido. Mas como um espírito altamente evoluído não sabe conversar em latim, sua língua de origem…!?
Que crédito você daria a uma pessoa que afirmasse ser um senador brasileiro, mas que não fala português?

– Que em 1935 quando Chico escreveu o livro “Cartas de uma Morta”, a crença coletiva sobre o planeta Marte era a de que continha vastos mares e vegetação devido ao astrônomo italiano Giovanni Schiaparelli, em 1877, após muita observação pelos meios precários da época, ter publicado o primeiro mapa detalhado da superfície de Marte onde apresentava canais, e lhes deram inclusive os nomes de grandes rios daqui da Terra. Chico Xavier simplesmente descreveu em 1935 como se fosse psicografia aquilo que  conhecia segundo a crença mundial da época, mas que após os anos 1978 o próprio avanço técnico científico, constatou que os canais de Giovanni eram apenas ilusões de ótica. Agora pergunto a você como fica a mediunidade psicográfica de Chico Xavier?

– Que Chico Xavier não atingiu a iluminação e nem mesmo os planos espirituais da luz, é uma certeza, por mais que isso possa te chatear, esta é a mais pura verdade. Carismático e meigo sim, mas despertado e/ou iluminado, não! Chico Xavier estava ainda muito preso a conflitos de ordem sexual, tanto que era homossexual. E aqui ressalvo com ênfase: Ser gay é somente uma questão de escolha e nada tem de vergonhoso nisso, não é certo e nem errado, não é bom e nem ruim, não é divino e nem satânico, é somente a escolha sexual que se fez. Mas não tem como acender velas para dois senhores, não tem como dizer que é uma alma de luz se sua prioridade ainda é o sexo, e isso foi o que a escolha feita por Chico Xavier mostra claramente. Desapegar-se do sexo (vaidade) é uma escolha natural que fazem todas as mentes despertas antes da iluminação independente de ser homo ou hétero… Percebe agora que não se trata de julgamento, mas sim de ver o que tem para ser visto? Ser gay não é um estado espiritual ou superior a ser atingido pela humanidade buscadora, é simplesmente a escolha sexual que fez alguém. Afirmo em alta voz que não há espírito desperto e muito menos iluminado, que seja apegado a sexo… Simples assim! A humanidade espiritual da Terra, em seu amadurecimento está caminhando para a desistência das experiências que envolve sexo e tudo mais que é relativo e ilusório, pois está buscando pelas experiências mais elevadas do Ser, que são as que envolvem o Amor Incondicional e tudo mais que é Absoluto e Real.

– Que Chico Xavier detinha acentuada vaidade, tanto que tinha vergonha da calvície, usava perucas, fez implante, comenta-se na mídia que inclusive depilava as costas. O desapego é o principal propulsor para que um espírito alcance a iluminação, e no caso do Chico, um empecilho;

– Que Chico Xavier desconhecia o pós morte, desconhecia o plano espiritual, é real sim, tanto que temia a morte ao ponto de entrar em pânico, tal qual fez publicamente ao achar que o avião em que estava, ia cair. Por fim o avião não caiu e como havia muitas outras pessoas que presenciaram a histeria do Chico, achou melhor contar ele próprio esta passagem como caso engraçado e até gostoso de ouvir, já que a notícia estava se espalhando. Mas o fato é que um espírito iluminado tem consciência do pós-morte, sabe o que vem após o desencarne e por isso não a teme. Quer saber, querido, por vezes uma alma iluminada chega mesmo é a desejar a morte, porque conhece as maravilhas dos planos espirituais e está cansada das diabruras que vem cometendo a humanidade. Não tem como se iluminar sem que antes tenha consciência dos planos espirituais… Fui bem claro agora!?

chico xavier otila e fantasma– Há fotos muito comprometedoras mostrando Chico Xavier com a conhecida charlatã Otília Diogo nas fraudes mediúnicas de materialização de espíritos e ectoplasma. Segundo as reportagens constatam, quando Otília foi flagrada e desmascarada, para que não chamassem a polícia, admitiu ser tudo truques de ilusionismo. Uma amostra do tal ectoplasma foi colhido e levado para análise, onde verificou-se ser simples pano de algodão desenhado. Um espírito iluminado agiria de outra forma, te dou toda certeza disso.
Chico fantasma e otila– Há vídeo do Sr. Valdo Vieira, o qual acompanhou Chico Xavier por anos a fio e depois se afastou, de que Chico e sua mediunidade era somente uma armação por parte de um grupo de pessoas, que Chico tinha em mãos informações da pessoa a ser atendida, antes de atendê-la. Que a quadrilha que fazia parte Chico Xavier, entregava-lhe antes do atendimento o dossiê da pessoa que seria atendida.

chhco xavier fantasma e Otila

Lembrando que em 1971, Chico Xavier dizia estar psicografando já há ao menos 30 anos, e tinha 60 anos de idade. Infelizmente, em situações como estas, não tem como Chico Xavier estar somente na inocência da forjação mental de uma mente psiquicamente doente, mas sim de uma farsa devidamente planejada e executada com o intuito deOtila e fantasma

enganar e ludibriar pessoas para fins de interesses próprios, fossem dinheiro ou fossem reconhecimentos e aplausos.

 

 

Obs.: O fato é que as evidências que a globalização trouxe a tona e permitiu acesso fácil à população, pôs em cheque a pseudo mediunidade de Chico Xavier, e mais que isso, sua honestidade também. Ó céus, tenho bom coração e me esforcei em benefício da humanidade, mas poxa vida, como fui ingênuo…!

Sendo a bíblia um livro oriundo de homens e não de Deus, que inclusive mostra um deus relativo, mesquinho, cheio de vontades, ofensivo, que ordena matanças até de crianças, como fica a verdade das religiões e igrejas estruturadas nela? Sendo a bíblia formada por estórias, mentiras, em mais de 90% de tudo que nela está escrita, como fica a verdade espiritual das pessoas que seguem e creem nela? Terminam por implantarem em seus seguidores o cabresto dos sentimentos da culpa e do medo, bem como o vitimismo, onde terceirizando a responsabilidade de seu sofrimento à forças malignas, não assumem que são efeitos das péssimas escolhas que fazem. E isto inclui a maior igreja do mundo que é a Católica Romana com todos seus 2 bilhões de seguidores, e todas as igrejas evangélicas provindas ou não, de Martinho Lutero, com seus milhões de crentes seguidores.

Sendo o Bhagavad-Gita também um livro oriundo de homens e não de Deus, que mostra um deus relativo, mesquinho, cheio de vontades, ofensivo, que ordena matanças, como ficam as verdades espi-rituais apregoadas pelas religiões hinduístas e de todos seus milhões de seguidores? Terminam por implantarem em seus seguidores o cabresto dos sentimentos da culpa e do medo.

O mesmo se aplica, embora numa escala menor, ao Kardecismo, que embora tenha aberto a mente da humanidade ocidental para uma realidade maior que é a vida após a morte, a reencarnação, também termina por implantar o cabresto dos sentimentos da culpa e do medo, bem como o vitimismo, em seus seguidores. Portanto, querido, percebe agora o quanto todas as religiões, igrejas e doutrinas de nossa época precisam urgentemente de reformas? Afirmo a você que 99% de todas as crenças religiosas, doutrinárias e espirituais de hoje, vão cair mediante as verdades da Nova Era, onde se revela um Deus que te AMA incondicionalmente querido e que por isso jamais castiga ou julga, um Deus sem opositores para te atormentar filho, um Deus que de fato é Absoluto, Amor e Felicidade.

Mas com a queda de 99% de todas as crenças religiosas e igrejas atuais, o que você precisa saber na sua busca por Deus?

– Simples, precisa saber que: “Não há espaço na Nova Era para o deus mesquinho, hipócrita e relativo que apregoam as religiões, igrejas e doutrinas. Você, eu, todos nós, nascemos na qualidade de Templo Vivo de Deus. Voltando-se para dentro de si mesmo, o templo, com a devida disciplina e persistência, através da meditação, alcançará o silêncio pleno da mente e indubitavelmente terá o íntimo contato com o Divino”.

Contudo, afirmo em alta voz:

Que Deus abençoe a Allan Kardec pela sua coragem, bom senso, dignidade, idoneidade, mente científica e capacidade de ação, as quais suplantam em mil contra um seus poucos equívocos que não foram mais que minúsculas manchas no imenso rastro de luz de Kardec. Foi ele quem trouxe à humanidade ocidental a realidade de uma vida consciente após a morte e precisou enfrentar e vencer uma verdadeira guerra contra a sociedade e igrejas da época. Apenas tenha o cuidado de compreender quais foram as limitações e falhas que tinha Allan Kardec, para que não venha a incorrer nos mesmos erros.

Que Deus abençoe a Francisco Cândido Xavier, que embora comprovado que viveu envolto a fraudes, enganações, truques de mágica e mentiras, foi o maior escritor de Romances imaginários e Ficção Espírita, cujos livros, segundo diz a mídia, venderam 50 milhões de exemplares dos 460 livros que escreveu, e doou os direitos autorais à Federação Espírita. Apenas tenha o cuidado de não o ter como referência de verdades espirituais a ser seguida, pois Chico Xavier, mesmo agora, Outubro de 2014, já falecido, não é um espírito desperto e muito menos iluminado. Foi um ser que desejou ser reconhecido popularmente como santo e que, através de muita imaginação, escreveu lindas Ficções Espíritas.

Que Deus abençoe a Sai Baba, que mesmo tendo sido provado a farsa dos fenômenos que realizava, que se tratava somente de truques de ilusionismo, ele usou todo dinheiro que ajuntou para o bem da humanidade como construções de hospitais e auxilio de obras de caridade. Apenas tenha a prudência de não o ter como referência espiritual a ser seguida, pois assim como Chico, ele também não despertou ainda.

Chega a ser cômico ver as igrejas católica e protestante (evangélicas), com seus padres e pastores perseguirem o Espiritismo expondo seus equívocos, ao passo que usam como argumento de verdade espiritual um outro equívoco chamado bíblia, que em 90% dela apregoa um deus tirano, hipócrita e mesquinho. E é bem sabido da mídia as mentiras e fraudes nos fenômenos de curas espirituais que acontecem nas igrejas. Assim como bem sabido da mídia também é o império econômico que são as igrejas Católica e Protestante (evangélicas). Mas pergunto a você:

Quantos asilos, orfanatos, casa de apoio à mãe solteira, obras verdadeiramente de caridade, você conhece que são mantidas de fato por estas igrejas que seguem a bíblia? Eu não conheço nenhuma que seja de fato mantida por elas!

Mas quantos asilos, orfanatos, casa de apoio a mãe solteira, obras verdadeiramente de caridade, você conhece que são mantidas pelos Kardecistas? Eu conheço inúmeras!

E o dinheiro que proporcionou a venda das Ficções Espíritas escrito por Chico Xavier com certeza deu maior lastro à Federação Espírita para promover mais obras de caridades e testificar que “a fé sem obras é fé morta!”

Concorda, querido, que contra fatos não há argumentos?

 

 

Um alerta ao Kardecismo:

      Existe um movimento político no Brasil com o propósito de denegrir e desmoralizar publicamente toda forma de religiões, igrejas e doutrinas. Fazer tal coisa e corromper as demais religiões e igrejas que se fundamentam num livro escrito por homens (bíblia, bhagavad gita etc) como sendo o livro de Deus e absoluta expressão da verdade Dele, é muito fácil, já que a cegueira da ignorância é a base da fé que professam. Ao invés de parar para enxergar e avaliar uma situação e então agir, escolhem se manter inertes, passivos, devido à crença estimulada fortemente de que deus e jesus enviarão uma solução, ou um anjo, ou um salvador, e coisas assim. Para pessoas assim bastam promessas para o engambelo… Vejam as promessas que fazem em nome de deus para que os fiéis paguem o dízimo!

Mas quando se trata de Kardecistas isso muda significativamente, pois, embora não completamente, é formado por pessoas mais cultas, mais esclarecidas, pessoas que perguntam o porque das coisas, um grupo onde ao menos 30% dos adeptos possuem escolaridade de nível superior. Um grupo seleto de pessoas onde, uma parte ao menos, aprendeu pela experiência de vida aquilo que os mais jovens devem fazer e os mais velhos devem praticar, se chama observar e escutar, para depois refletir. Allan Kardec ensina isso! Enquanto Allan Kardec for a referência dos espíritas, engambelar seus adeptos fica muito difícil. Portanto, uma nova estratégia foi aplicada: “ Substituir as fortes Moral e Ética do legado de Allan Kardec, ainda meio preservadas, por propositais aspectos deturpados que confundem o espírita, deixando-o em conflito quanto aos reais valores e virtudes que possuem os espíritos elevados e os planos da luz”.
Começaram a marquetear como símbolo espírita pessoas que não possuem nem a moral e nem a ética de Allan Kardec, e que nem mesmo se aproxima da moral e ética que ele deixou, de forma a desnortear o espírita pelo obscurecimento do bom senso e razão científica outrora tão comum ao Kardecista, mas já anêmicos nos dias atuais.

Kardecistas, ouçam-me, pois são palavras amigas de quem lhes quer muito bem e trago comigo a sensatez de quem olha com coragem para ver o que tem para ser visto. Prestem atenção agora: Comunismo e Religiões são como sombra e luz, não se misturam, pois no comunismo a religião em si, direta ou indiretamente modernizado, continua a ser o próprio governo. A invasão e destruição do Tibet e seu legado budista, pelo governo comunista chinês Mao Tsé Tung, a forma como que tudo aconteceu, como por exemplo as humilhações eróticas públicas que a China forçou que fizessem os monges e as monjas nas praças, para o enfraquecimento da fé de toda uma população; e a forma com que continua ainda a acontecer hoje, como por exemplo montar imagens de Mao Tsé Tung ao lado das grandes estátuas de Buda, para que as novas gerações cresçam vendo ele e a Buda como iguais; e também o domínio total e completo de todas as formas de comunicação divulgando somente informações que interessam ao governo, independente de serem verdades ou não, como os monges budistas que em protesto ao massacre de sua fé, publicamente ateiam fogo ao próprio corpo, praticando em desesperança a autoimolação, mas todos os jornais, rádios, TVs e demais meios detibetano ateando fogo em si comunicação são proibidos de divulgarem a notícia impedido de ecoar o protesto e autoimolação dos monges desesperançados; todos estes fatores comprovam que a invasão do Tibet não se tratou somente da China comunista tomar para si as terras tibetanas, mas em igual prioridade também extinguir a forte moral e ética que ensina o budismo.

O comunismo se adaptou a atualidade, se modernizou, é o que dizem em seus discursos, contudo, suas ações revelam o oposto de suas palavras e a moral e a ética continuam a ser seu algoz. Mesmo agora 02.NOV.2014, observe a Venezuela, há alguma moral e ética no que o governo comunista está fazendo lá? Há alguma moral e ética nas urnas eletrônicas aplicadas no Brasil? Há alguma moral e ética em corromper com bolsas família a dignidade dos pobres nordestinos para a formação de curral eleitoral? Abram os olhos, queridos Kardecistas, pois de todas as religiões, igrejas e doutrinas do Brasil que possuem significativa influência à população, é a doutrina Kardecista quem mais faz oposição ao atual regime de nosso governo. É exatamente pelos fortes bom senso e razão científica mantidos e deflagrado na doutrina Kardecista que faz com que o Kardecismo seja uma possível ameaça ou ponto de dificuldade nas manobras para um futuro comunismo no Brasil.

 O Kardecismo atualmente, como já disse nesta obra, precisa sim de reformas urgentes para se adequar a consciência superior da Nova Era de reconhecer o Absolutismo de Deus e refletir nas profundas implicações libertadoras que isto significa espiritualmente sobre todos por Ser Deus de fato Absoluto, Amor e Felicidade. Mas, friso novamente, uma característica excelente que mantém desde Allan Kardec, até porque veio dele este legado, é a condução de seus crédulos para uma forte razão e bom senso científico. Então não percebem a manobra e marketing do governo através da REDE ESGOTO DE TELEVISÃO em expor nacionalmente o falecido Chico Xavier como a verdadeira expressão Kardecista? Então não percebem  que os mitos e as lendas envolvem seus mortos fazendo deles mártires, para que não sejam esquecidos? As pesquisas históricas sobre a vida de Chico Xavier provam que, embora caridoso e meigo, ele esteve sim envolto a plágios, enganações e mentiras para que fosse reconhecido como santo, e isso é fruto de muita vaidade. Também era apegado ao sexo, coisa que não é certo e nem errado, nem mau e nem bom, nem divino e nem diabólico, mas cuja escolha não condiz com as escolhas de uma mente desperta ou iluminada.

Qualquer escolha que priorize o sexo na vida, se homo ou hétero, não faz diferença; o desapego, principalmente do sexo, é uma das características que marca a mente espiritualizada. Chico Xavier, embora meigo, carismático e caridoso, se olhado como sendo referência de mente espiritualizada, desperta ou iluminada, não é nada mais que uma fraude, um embuste e, na melhor das hipóteses, um grande equívoco. Há muitos pontos no histórico de Chico que em minha opinião não passam de devaneios, como por exemplo ter sido encarnação de Joana, a Louca, hehehehehe, Joana, a Louca é o Allan Kartdec? Hehehehehehe, só rindo, mesmo! Até Emmanuel, seu pseudo guia espiritual, após testado pelo bom senso científico, ficou provado ser somente ficção, fantasias de Chico. Nos planos da luz nada se ouve sobre Chico Xavier, mas muito se escuta sobre Allan Kardec. Então, pergunto a vocês, Kardecistas, por que por anos a REDE ESGOTO DE TELEVISÃO mantém acirrada campanha e marketing sobre Chico Xavier como maior expressão espírita de todos os tempos? Acaso não corre nacionalmente o comentário de que Chico Xavier é a reencarnação do próprio Allan Kardec? Com que fins alastram isso?

Se aceitam a Chico Xavier e sua vida como a maior representação do Kardecismo ou espiritismo, então a humanidade num curto período de tempo associará o espiritismo, por consequência, as fraudes mediúnicas, plágios, truques para fraudar a materialização de espíritos e ectoplasma como golpistas conhecidos como a Otília Diogo com quem Chico aparece comprometedoramente nas fotos e reportagens, etc.

         Abram os olhos, Kardecistas, pelo próprio benefício de seus adeptos e mesmo da população espiritual buscadora que ainda não se encontrou, precisam urgentemente tomar Firme Posição sem meias palavras dentro de seus Centros Espíritas, e mesmo publicamente. É momento da Certeza, Ação e Coragem como testificou Allan Kardec nas muitas batalhas que precisou enfrentar; e não momentos de dúvidas, inatividade e medo disfarçado de prudência tão comuns nos homens egoístas e mornos que se escondem por detrás de uma doutrina. Se mesmo eu, um simples escritor e fazendeiro de Cananeia SP, tenho a coragem e a transparência de falar de peito aberto e sem meias palavras os fatos que as pesquisas mostram, por que vocês que assumem ser espíritas kardecistas fariam menos que isso? Não estou julgando Chico Xavier, simplesmente me permito ver o que se tem a ser visto, ou seja, enxergo o que o próprio Chico está me mostrando através de suas atitudes e comportamentos quando vivo, e a isso se chama fatos históricos. Kardecistas, precisam tomar uma decisão se desejam manter a Allan Kardec e seu legado de fortes razão científica, autenticidade com verdade, moral e ética, como base doutrinária do Kardecismo. A arte de se tomar decisões consiste primeiro em saber as opções que se tem, e no caso de você é simples, são três as principais:

  1. a) Vocês podem ficar quietos, inativos, e deixarem a mídia com seus meios de comunicações terminar de substituir a Allan Kardec e seu forte legado, por Chico Xavier e suas Ficções Espíritas, fraudes e enganações, tudo constatado. Para a Consagração de Chico Xavier como sendo a maior referência do Kardecismo, basta que continuem sem atitudes.
  2. b) Vocês podem se decidir, tomar posição e reagir. Erguerem o tom de voz e se utilizarem da mesma mídia com seus meios de comunicações para esclarecer que o Kardecismo possui como modelo a Allan Kardec e seu legado de fortes razão científica, autenticidade com verdade, moral e ética. Que Chico Xavier não é e jamais foi a reencarnação de Allan Kardec. E que um espírita e Kardecista, precisa, antes de aceitar qualquer pessoa como sendo uma representação de um espírito de luz, de sabedoria, de exemplo espiritual a ser seguido, ao menos investigar os fatos históricos de sua vida e ver se não está envolto a fraudes e enganações. Para retomarem a Consagração de Allan Kardec como a referência do Kardecismo, basta Decisão e Ação!
  3. c) Vocês podem começar a reforçar a expressão sobre Allan Kardec e, por qualquer razão que aleguem para se justificarem, não tocarem no nome do Chico Xavier e seu legado leviano envolto a fraudes e enganações, e desta forma manter a ilusão da independência e que estão remediando a situação… Claro que podem fazer isso! Mas o problema é que quando se atém na meia verdade, permanece também a meia mentira. E, ao dar ao adversário um pouco do que ele deseja, só atiça seu apetite por mais. Insistir em falar somente meias verdades e não expor o contexto todo seria travar uma batalha que nasceu morta, já que a REDE ESGOTO DE TELEVISÃO está presente em 9 de cada 10 casas que possui televisão e continua a disseminar a crença de Chico Xavier como maior expressão do espiritismo. Isso fora os filmes, jornais, revistas… Kardecistas, saibam que a crença é mais destrutiva que 100 exércitos!


       Lá atrás, em 2003, quando comecei a mostrar os fatos do padrinho Sebastião do santo daime não ter sido uma mente de luz, mas sim um dependente químico envolto ao crime do tráfico de drogas etc, e a partir de 2009, quando comecei a mostrar os fatos sobre o mestre Gabriel da UDV não ter sido uma mente de luz, mas sim um megalomaníaco ou talvez louco, que viveu envolto a devaneios e mentiras, que morreu abandonado e foi enterrado como ingente e como indigente enterrado ficou por 60 dias até que alguém fizesse alguma coisa… Na época, em ambos os casos houve muitas pessoas que se revoltaram comigo, principalmente os dirigentes de igrejas que lucravam muito com o chá. Tentaram todo tipo de argumentação, ameaças, calúnia, difamação e chantagem emocional. Disseram que eu estava julgando, que iam me processar se não parasse, que o livro que eu estava escrevendo “Santo Daime Revelado, Drogas, Fraudes e Mentiras” era somente para ganhar dinheiro e ficar ainda mais rico, que eu seria amaldiçoado e vítima da magia negra deles, dos obsessores que enviariam para me destruir e blá blá blá, um monte de outras baboseiras hehehehehe… Saudável, feliz e muito próspero, fiz tudo que precisava ser feito, escrevi os livros que precisavam ser escritos e os lancei gratuitamente na internet embora também houvesse dele impresso para os que desejassem comprar. Contudo, hoje, muitos anos após, na maior parte das pessoas direta e indiretamente envolvidas na ayahuasca, caíram as fichas, pesquisaram e constataram tudo que afirmei, assimilaram as coisas que escrevi. Hoje elas me agradecem e me tem como amigo. Compreenderam que tudo que de fato eu desejei era lhes mostrar a verdade esclarecedora dos fatos de forma que pudessem ver os dois lados, e assim, agora conscientes, fora das crendices e ilusões, escolhessem de verdade o caminho que queriam seguir, que experiência de fato queriam viver.

 Mesmo aqueles que hoje, porventura, ficarem chateados comigo pelas verdades que publico neste livro, em especial sobre Chico Xavier, logo à frente, as fichas te vão cair e vai me agradecer. Nada melhor para combater a mentira e a ilusão, que mostrar a verdade reveladora dos fatos.

Em minha vida, travei muitas batalhas onde muita gente, direta ou indiretamente, se beneficiou muito das vitórias. Onde todos correram e tremeram, fiquei, reuni novamente as pessoas e lutei, trouxe a vitória… Fiz tais coisas por questão de princípios e principalmente para mostrar as pessoas que uma das maiores características dos filhos da luz é a Coragem. A coragem é o catalisador entre o plano material e o plano espiritual. Ter coragem, filho, não é não ter medo, mas sim fazer o que precisa ser feito apesar do medo que tem. Cito abaixo algumas das batalhas que precisei travar nesta vida:

Das muitas batalhas que precisei travar nessa vida uma foi contra o Banco Santander. Escrevi o livro “Banco Santander Bastidores do Terror” e estava para lançá-lo quando ele tentou judicialmente me impedir. Levei adiante minha batalha e mostrei judicialmente ao Juiz o meu direito de alertar a todos a forma desonrosa e desleal que havia constatado no Santander e, como resultado, não somente lancei bem lançado o meu livro, o qual iniciou a queda deste banco, como também fiz seu pré-lançamento dentro do Senado Federal sendo filmado pelas TVs Senado, Câmara e pela internet online.

          

         Outra batalha que precisei lutar na vida foi a Caminhada Contra a Liberação das Drogas, pela Vida! Reunir milhares e milhares de pessoas na Av. Paulista com o único objetivo de alertar à família brasileira sobre as manobras que fazia um governo pró comunismo, não foi fácil, mas fiz com que acontecesse por duas vezes:

 

        

         Outra batalha ardida foi antes de 2012 quando o Instituto Espiritual que eu e minha amada Genecilda fundamos, ainda utilizava ayahuasca como ferramenta espiritual para poder mostrar os planos espirituais às pessoas espiritualmente cruas, para que elas vissem que de fato existe um plano espiritual. A ayahuasca, com a devida condução, permite sim as pessoas verem o plano espiritual, mas caminhar dentro dele, não! Também a utilizava na recuperação de pessoas depressivas, viciadas em drogas e dependentes químicas. Mas a campanha de um governo pró comunismo estava preste a liberar o uso da maconha para rituais religiosos, tal qual o daime. Então, realizamos um movimento grande em Brasília DF mostrando ao governo que havia um grande número de pessoas a favor de um daime sem drogas, e dispostas a lutarem por isso. Pessoas desgostosas com o uso de drogas como faz o santo daime da linha do padrinho Sebastião. Ora, que interesse maior tem os políticos que os votos que pode ganhar ou perder? Apenas fizemos que enxergassem o tamanho da briga que iriam comprar e os prejuízos eleitorais que teriam com a forte campanha que faríamos, expondo-os à família brasileira. O movimento surtiu grande efeito:

        

Outra batalha que precisei travar foi no início desta OBRA quando precisei escrever o livro “Santo Daime Revelado, Drogas, Fraudes e Mentiras”, hoje traduzido em 4 idiomas, apresentando ao mundo todos os documentos e provas dos crimes que praticavam o santo daime e a verdade sobre o padrinho Sebastião. Na época em que gravei o vídeo eu ainda não sabia a verdade por completo sobre a União do Vegetal, a qual hoje é investigada pelo MPF por crimes de racismo e eugenia. Hoje também o Santo Daime é investigado pelo MPF por crime de Narcotráfico internacional em 3 países:


         Outra situação que precisei mesmo tomar forte atitude, visto que ainda não havia entrado a nova era (21.12.2012), e por isso utilizava ayahuasca, foi quando houve o assassinato do Glauco Vilas Boas, cartunista da Globo e dirigente da igreja Santo Daime Céu de Maria, um dos maiores pontos de tráfico de drogas dentro do Santo Daime da grande São Paulo.

        

Também uma outra batalha foi quando chegou finalmente 21.DEZ.2012, a entrada oficial da Nova Era marcada pelo calendário Maia. Para comemorar a entrada da Nova Era aqui na fazenda, realizamos os 21 Dias com Gaya, onde em um grupo grande de pessoas permanecemos harmônicos pelo desfrute do espírito de Tribo. Nossa, foi mágico, queridos, e até hoje as pessoas me pedem para fazermos novamente. Contudo, na época com todo aquele besteirol de FIM DO MUNDO, o site UOL, possivelmente esperando ibope, lançou uma reportagem dizendo que centenas de pessoas de uma seita estavam numa fazenda aguardando o fim do mundo… Ah, que baixaria, quanta desonestidade e falta de seriedade do site UOL! No dia 18 de dezembro de 2012 gravei um vídeo resposta ao site UOL, sendo gentil, mas falando tudo que precisava ser dito e inclusive que iriam responder judicialmente pela falsa reportagem que fizeram, e hoje estão sim  respondendo a um processo pesado e a sentença proferida é a meu favor. Batalhas muito similares a da UOL travamos contra o site Google, onde inclusive solicitei a prisão do diretor brasileiro do Google. Também outra ação pesada movemos contra a revista Veja. A manifestação do Juiz foi a meu favor.

         Após 2009, quando direcionamos nossos esforços para investigar o possível envolvimento do GMT do CONAD com o  narcotráfico do santo daime, recebi uma carta sem o endereço do remetente e de alguém que se apresentou somente pelo nome Flavio, e que disse ser um dos mestres da União do Vegetal.  O mesmo, em sua carta, disse que haviam marcado um ponto para mim no Amazonas, que em 6 meses eu apresentaria câncer e com um ano estaria morto. Então me recordei que já havia escutado estórias furadas e idiotas assim antes, por parte de outras pessoas que estiveram na UDV, incluindo um ex mestre de lá, haviam me falado sobre estórias também assim dentro da União do Vegetal. Eita povinho de conversa fiada hehehehehehe… Estamos no décimo mês de 2014 e contra fatos não há argumentos heheheheh! Se ao menos se identificado corretamente este tal de Flávio tivesse feito, eu lhe teria respondido assim: Entre na fila moço!  Ameaças assim, como todos os dias no café da manhã, e o dedo do ridículo já lhe aponta para o rosto heheheheh…

         Sinto de fato que fiz tudo que tinha para fazer aqui na Terra. Tenho uma encarnação útil e fiz a diferença para melhor na vida de dezenas de milhares de pessoas. Embora totalmente realizado, saudável, feliz, próspero, rodeado de Ir+Mãos, confesso estar com muita saudades de onde venho, saudades do mundo espiritual a que pertenço. Sempre que posso, dou um passeio por lá, mas 90% de meu tempo preciso ficar na Terra, afinal, estou encarnado né! Com o lançamento dos livros “ Despertai…!” (agora escrito 100%) e “Século das Fraudes”, sinto que mostrei tudo que precisava ser mostrado para que a humanidade buscadora que deseja enxergar sem véus e poder fazer conscientemente as escolhas de quais experiências desejam viver agora! Kardecistas, uma alma de luz vive em propósitos, sempre tem um objetivo a ser atingido. Se ficarem somente aguardando como fazem os evangélicos, esperando cair do céu a solução de seus problemas e a vitória de suas batalhas, vão constatar que sem molhar de suor primeiro a camisa, do céu vai cair é relâmpagos, galhos de árvores e granizo.

         Na vida aprendi sempre a desconsiderar o conselho daqueles que dizem “Tem que…”, porque termos assim vem de gente egoica e irrefletida. Por isso, em meus conselhos, quando os dou, uso sempre o termo “Precisa de...” porque este termo vem de pessoas refletidas, de maior compreensão e que por isso respeitam a escolhas individuais das pessoas e a experiência que escolheram viver agora. Portanto, estou lhes dando um conselho, Kardecistas, vocês “Precisam de…” uma AÇÃO em grupos muito bem coordenada, focada e definida, ou verão as fortes Moral e  Ética de Allan Kardec serem suplantadas na sua doutrina, bem como seu nome ser esquecido.

Faço aqui a ressalva: Talvez, após lançar estes dois livros eu escolha retornar pra casa, já que cumpri todo o combinado e até mais que isso. Há um mês atrás uma panela de pressão ao ser aberta espirrou bastante óleo fervente em minha barriga e perna direita. O couro da região atingida saiu e escorreu para baixo deixando aparecendo a musculatura. Ao meu lado neste momento estavam minha noiva Glaucia e o neto Gideozinho e, graças a Deus, nenhuma gota espirrou neles, foi só em mim! Minha noiva gritou para que eu entrasse num chuveiro frio, o neto arregalou os olhos de susto e, como a casa estava cheia, foi um susto danado que todos tomaram, principalmente ao se aproximarem e verem toda a musculatura em carne viva aparecendo nas partes queimadas… Precisei falar alto: “Calma gente, estou bem, estou bem!” Precisei tirar a roupa toda, ficando só de cuequinha devido a circunstância, e com isso ficou ainda mais a mostra as feridas da queimadura, não dava para esconder da multidão e, então, para amenizar, dei um sorriso largo e disse: “Ainda não virei churrasco, gente, tá na carne viva mas nem tá doendo”, e fui caminhando de cueca para minha casa nos pinheiros. Deus do céu, estava era ardendo pra burro hehehehehe! Cheguei em casa e lá se encontrava todo um grupo espiritual, antigos amigos e irmãos bem mais velhos que eu. Me deitei que vieram cuidar de mim. Entrei num processo intenso de cura e dormi por 24h. Quando acordei no dia seguinte, minha noiva Glaucia tinha comprado muitas frutas, castanhas e uma pomada para queimadura. Quiseram me levar para o hospital mas recusei e, por isso a Glaucia faltou à faculdade de Curitiba e ficou cuidando de mim.

Bom, resumindo a história: em 9 dias a queimadura estava totalmente cicatrizada, a pele havia se refeito 100%, só estava rosada, e tem aqui mais de 40 testemunhas disso. Só estou contando isso para que vejam que uma vez que eu foque em algo, ele se concretiza, se materializa. O corpo obedece a mente. A saudade de casa é forte em meu peito e cumpri tudo que me propus a fazer, se eu decidir voltar, e talvez o faça, tudo que preciso é ordenar que os sinais vitais cessem, e meu corpo obedecerá. O único ponto que ainda pesa em minha mente é o Curso de Formação de Médiuns Dirigentes para Janeiro de 2015, onde literalmente vou liberar todo um conhecimento da Nova Era ainda desconhecido por esta humanidade, e abrir os chacras de todos os participantes para que expandam enormemente suas consciências. Mas se de fato eu resolver partir, estou deixando com meus filhos advogados, tal qual fez o escritor Monteiro Lobato, cartas seladas com senhas que somente eu sei quais são, para que se, após minha partida, aparecerem com mensagens minhas canalizadas ou psicografadas por pessoas que se dizem médiuns, espíritas etc, se não estiver escrito claramente nestas mensagens as senhas que deixarei com meus filhos Junior e Leonardo, então tais mensagens não vêm de mim e são fraudes espirituais.

Como é bom ter a Consciência do Absolutismo de Deus, de seu Amor e Felicidades… Somos livres, queridos, até para partir para o plano espiritual no momento em que quisermos. Somos livres, queridos, para ficarmos tanto tempo quanto quisermos no plano espiritual e escolher retornar para as experiências no plano da matéria e ilusões, conforme sua vontade, e ainda continuando do exato ponto em que parou na ultima encarnação!

 

Como será o homem e a sociedade da Nova Era?

Primeiramente, se faz necessário alguns comentários antes de descrever com precisão e clareza como será a sociedade da Nova Era, pois será exatamente a citação de fatos acontecidos no Brasil que farão com que você, brasileiro, alcance um vislumbre maior da libertação maravilhosa que é a Nova Era.

O ciclo de cada humanidade tem duração entre 25.650 e 25.920 anos, na qual da atual, se cumpriu em 21.12.2012. Nesta data encerrou-se a era antiga e iniciou-se a Nova Era. É um período da Consciência Expandida onde a humanidade vai trocar as experiências mundanas, relativas, pelas experiências do Amor, pelas experiências absolutas. Todo o relativismo como dogmas e tabus vão ruir, cair, serem reconhecidos e exterminados das crenças e religiosidade. Resumindo, é o período onde as verdades efêmeras da era antiga serão substituídas pelas Verdades Absolutas da Nova. O período onde a humanidade vai se livrar de vez do vitimismo e cabresto dos sentimentos de culpa e medo, pois compreenderão que Deus é de fato Absoluto, Amor e Felicidade.

Portanto, irão ruir todas as formas de crenças espirituais, místicas, religiosas, igrejas e doutrinas que, por serem cruas sobre as verdades espirituais do Absolutismo, Amor e Felicidade de Deus, professam como sendo verdade, ilusões como:

– A existência do mal e do bem, do certo e do errado, sendo que existe somente a escolha que funciona ou não, segundo a experiência que escolheu vivenciar.

– A existência do pecado, sendo que onde estaria o Absolutismo-Amor e Felicidade de Deus se existisse o pecado?

– A eterna luta entre a luz (hostes celestiais) e as trevas (hostes de satanás), como se fosse possível o Absoluto ter opositor!

– Pagamento de débitos espirituais como o carma sendo que o Sr. Gautama ensinou o carma como causa e consequência. Deus é Absoluto-Amor e Felicidade, não é agiota, nem banqueiro, nem tirano ou mesquinho!

– A existência de magia negra, sendo que o único poder é Deus, que é Absoluto-Amor e Felicidade e, portanto, só comunga do poder aquele que vive a Consciência do Amor. Filho, conhece aquele ditado “deus não dá asas à cobra”, pois é, isso é filosofia de botequim, viu!

– A existência de infernos e do diabo, de umbrais de sofrimento e obsessores, e de toda forma de crenças que levam ao escravismo, aprisionamento e dependência do Ser, impetrando em suas mentes os sentimentos da culpa e do medo.

E isso inclui aqui no Brasil, além das igrejas católicas e protestantes, também a gnose de Samael Aun Weor, cujos discípulos estão quase que sempre presos ao vitimismo de seus fracassos e sofrimentos devido a mitos como a existência do mal e do bem, magos negros, magia negra, mantras para proteção espiritual. Devaneios como o despertar da Kundalini na qual, da forma com que trata o assunto o Samael, torna-se somente um mito, uma ficção, algo que da forma com que ele explica simplesmente não existe. Muitos dos samaelitas mantêm verdadeira fissura por avistamento de OVNI e ET como se isso fosse a maior das descobertas, sendo que é tão natural, e o tão almejado contato em primeiro grau será público à humanidade um pouco mais a frente. Muitos criam tamanha expectativa que entram num devaneio chegando a afirmar que sempre são seguidos por OVNIs e vigiados por ETs e que, quando estiverem prontos, serão convidados a passearem de disco voador. Possuem até mantras que permitem o avistamento de OVNIs! Vivem numa fantasia de magias e encantamentos que nunca funcionam se colocadas a teste científico, talvez por isso uma boa parte dos intitulados sacerdotes e discípulos samaelitas vivem na drogadição, forjações mentais e alucinógenos. Quero lembrar aqui, que o mestre Samael Aun Weor (nome de batismo Victor Manuel Gómes Rodriguez) comentou sim, e em rede de TV, que o “fim do mundo e da humanidade” se daria em 1999, data esta em que passaria o Hercólobus e sucederia a 3ª guerra mundial. Contra fatos não há argumentos. Há muita coisa sã na gnose, digna de estudo e dedicação, como os ensinamentos e legado deixado por George Ivanovich Gurdjeiff, ensinamentos e legado deixado por Jiddu Krishnamurt.

Os fatos históricos da vida do mestre Samael Aum Weor revelam incontestavelmente que ele viveu em grande devaneio, possíveis plágios sim, afirmando ser o grande Avatar da era de aquário e reencarnação do buda Maitreya que é o Cristo Cósmico, o Buda Planetário, proferiu datas de acontecimentos que venceram faz 15 anos sem que nada do que disse se cumprisse. Consegue conceber o Grande Avatar da Era de Aquários e reencarnação do Buda Maitreya, predizer a data de um acontecimento e não se cumprir a risca o que foi dito?

Agora falarei por mim, é o meu ponto de vista: Se a gnose fosse o caminho que eu escolhesse trilhar, iria com toda certeza direto às fontes onde buscou Samael, ao invés de ler os ensinamentos em segunda mão escritos por ele. Pedi ao amigo Sergio Narduci que me passasse algumas referências sobre as fontes onde estudou Samael. Sergio sempre diz que estudou gnose e a conhece bem, mas não é gnóstico. Uma das coisas que mais gosto nele, e que ele deixa de forma translúcida, é que não segue ninguém, somente caminha junto. Segue abaixo algumas das fontes estudadas por Samael e que serviram de base do que se conhece hoje como Gnose Samaelitar:

Gurdjieff: Esclarece sobre o ego de forma profunda, objetiva e clara. Para conhecer melhor a vida e a busca de Gurdjeff, assista ao filme “Encontro com Homens Notáveis”, disponível na internet. Há que se destacar também a obra de Ouspensky, na linha de Gurdjieff e que destaca muito o trabalho sobre o Ego;

Blavatsky: Se você conhece algo sobre espiritualidade oriental é por causa do trabalho dela, o qual trouxe essas informações ao Ocidente. Seus ensinamentos são base de, entre outros, Alice Bailey, Rudolph Steiner. JHS (Eubiose) entre tantos outros…;

Rudolph Steiner (Fundador da Antroposofia): Na primeira metade do século passado, criou as bases da Arquitetura Orgânica (a construção deve seguir os padrões naturais), Agricultura Orgânica (uma agricultura que respeita os ciclos e conhecimentos da natureza); Pedagogia Waldorf (uma pedagogia que respeita o desenvolvimento físico, emocional, psicológico e espiritual da criança), Medicina Antroposófica (uma medicina que reconhece o ser humano como algo mais que um corpo físico) e outras tantas áreas que nos permitem viver nesta Terceira Dimensão sem que nos percamos de nossa origem…;

Arnold Krumm-Heller (fundador da Escola Rosa-Cruz Antiqua): Há inúmeros ensinamentos práticos em sua obra, além de todo o embasamento de cosmologia da Gnose de Samael (em conjunto com as informações de Blavatsky). Suas obras são fonte de referência para todo buscador espiritual;

No início da Obra Céu Nossa Senhora da Conceição, que presido na Terra, ouvi dizer maravilhas sobre o mestre Samael. Seguidores samaelitas me contaram muitos de seus conhecimentos, onde numa parte reconheci a verdade nos ensinamentos, pois batem com o que recebo diretamente da fonte, mas hoje sei que vieram copiadas ou retiradas das fontes citadas acima. E noutra parte reconheci apenas devaneios, senão loucura, pois a simples observação das leis da natureza e as modernas constatações científicas provam o contrário, coisinhas em que na vida real jamais funcionaram. Mas atribuí estes devaneios e visíveis equívocos ao mau entendimento de seus discípulos. Embora não sentisse no coração, mas de boa fé, cheguei a citar o nome Samael em palestras, em hinos de sabedoria, coloquei uma foto dele no templo construído aqui na fazenda. Mas, novamente, com a chegada da globalização e o fácil acesso a todas as informações, o que encontrei em pesquisa mais profunda e imparcial sobre o mestre Samael Aun Weor foi decepcionante. Criaram o mito Samael, mas os fatos históricos de sua vida revelam uma mente egoica, vaidosa, uma mente ainda longe de despertar para se iluminar. Essa foi o mesmo tipo de decepção que tive com José Gabriel da Costa, o tal mestre Gabriel fundador da União do Vegetal, o qual também citei em palestra e coloquei seu nome em hinos de sabedoria, mas também a globalização revelou ser apenas mais uma mente egoica, vaidosa, iludida, uma mente megalômana, senão louca, que se encontra muito longe do despertar para a iluminação…

Obs.: Ó céus, mais uma vez, como fui ingênuo!

E neste mesmo processo de extinção e substituição das verdades efêmeras pelas Verdades Absolutas, encontra-se muito do que foi ensinado por uma das fontes de Samael, a Helena Petrovna Blavatsky, e mantido na teosofia. Para a decepção de muitos, a fraternidade branca é somente outro mito. Muito do que ela escreveu é pura ficção. Existem os Ascensionados, mas não a fraternidade branca citada pela madame Blavatsky. Também deixo claro que seus poderes paranormais eram meros truques de ilusionismo e, se nos dias atuais, tal qual aconteceu com tantos outros, inclusive brasileiros como Otília Diogo, Thomas Greem Morton, ela também seria desmascarada.

 

Realidade Nova Era para: “Xamanismo, Ayahuasca e Plantas de Poder, Incorporações e Almas Penadas”

 

Uma analogia simples que expressa bem a situação do buscador espiritual de hoje:

Os buscadores vêm subindo uma colina faz algum tempo. Muitos destes desistiram no meio do caminho e retornaram para o vale no sopé da colina onde viviam anteriormente. Muitos outros continuaram a subir a colina com firmeza. Mas também houve muitos outros que, embora desejassem continuar, tremiam suas pernas por fraqueza, por cansaço, pelo desgaste sofrido ao longo da jornada desta subida. Para este, foram enviadas muletas, de forma a ajudar que subissem, já que isso desejavam. Então vieram as muletas espirituais, como ayahuasca e outras plantas de poder. Cuidamos que todos que desejassem tivessem acesso fácil às fortes muletas,  independente se iriam prosseguir até o fim ou se iriam desistir e retornar na metade do caminho. Tantos quanto clamaram, receberam de nós as melhores muletas. Com o auxílio destas muletas até os que tremiam as pernas, mas persistiram, conseguiram  chegar ao topo desta colina. Viram o que tinha para ser visto, desfrutaram com o que havia para ser desfrutado.

Mas esta jornada terminou ali, no topo desta colina, e fisicamente, racionalmente, chegaram lá, porque era uma jornada racional, tridimensional, uma jornada percorrida pela personalidade em si. A personalidade é limitada, muito limitada. Estende-se somente até onde o racional com sua parca percepção de tudo com três dimensões (comprimento, largura e altura/profundidade) pensa que entendeu. Contudo, há outra jornada para ser percorrida que segue para o alto e além desta colina, que segue para além da terceira dimensão… A quarta! Ficar andando no topo desta colina é ficar andando em círculo, pois tudo após este círculo é descida. Mesmo com muletas, tudo que o buscador ainda tridimensional pode fazer é ficar andando em círculo com sua muleta.  A nova jornada inicia já na quarta dimensão, é a jornada da mente intuitiva, é a jornada do espírito, nela a mente racional e o cérebro não contam, nela os limites da mente racional e cérebro te impedem de seguir adiante. Na nova jornada as coisas possuem um quarto elemento, e a personalidade, que é o ego, não consegue perceber este quarto elemento. Na quarta dimensão encontram-se a limitações das capacidades de percepção do cérebro e mente racional. Para continuar na nova jornada, precisa voar, a mente intuitiva voa, a mente intuitiva é ilimitada. Para continuar a jornada, a nova jornada, é necessário ficar somente na mente intuitiva, para isso é necessário neutralizar por completo toda forma de manifestação da mente racional e cérebro, que juntos formam o ego. Portanto, é necessário o “não pensamentos, o não emoções, o não sensações e o não movimentações”, porque toda forma de pensamento, emoção, sensação e movimentação são manifestações oriundas da mente racional e cérebro, o ego.  Na completa ausência das manifestações do pensamento, emoção, sensação e movimentação, o que permanece é VOCÊ, a Mente Intuitiva, a Essência… Somente a meditação permite que isso aconteça.   Qualquer coisa que venha de fora para dentro são frutos tridimensionais, e não vão funcionar. Seja conhecimentos, técnicas gnósticas, muletas espirituais como ayahuasca e outras, nada disso vai funcionar, pois é de fora pra dentro. Agora tudo é interno, agora é única e exclusivamente o momento da meditação, não há qualquer outro caminho para esta nova jornada. Inclusive, não há mais  tempo para argumentação, para parlamentação. O tempo de um alegar e o outro contradizer, expirou, buscador. Somente meditando irá entender. Sem meditar ficará andando em círculo no topo desta colina e, talvez, até descer. Agora é o momento onde o tagarela não prossegue e fica para trás. Não vai adiantar agora ficar falando que medita mentindo para si mesmo, porque se não meditar, não vai prosseguir. Neste ponto em diante, querido, não tem mais o tal do “jeitinho” não, viu! Ou você Medita e prossegue por si mesmo, como o Ser Divino e Intuitivo que é, para a jornada do espírito, ou se manterá no cérebro e mente racional permanecendo no plano da ilusão andando em círculos, segurando muletas. Este é o momento de parar de falar de Deus para Viver Deus… E somente MEDITANDO conseguirá isso!

Infelizmente hoje, quase que completamente, os adeptos do xamanismo, valendo-se da busca pela Integração, ficaram presos e perdidos na drogadição, nos alucinógenos, nas sensações, nas movimentações, nos pensamentos, transformando seus rituais em eventos sociais ou até mesmo em raves. Esqueceram-se de que a Integração com o Todo só acontece pela quietude da mente, pelo encerramento dos pensamentos, pela interiorização. Lamentavelmente, e digo isso com tristeza, observo que o Xamanismo transformou-se em Showmanismo.

 

Sabe o que é de fato um xamã, um pajé, um feiticeiro?

 

 – É um médium aberto, ou seja, uma pessoa que conseguiu abrir seus canais com o universo, por isso é conectado com os planos espirituais e as forças da natureza… E é nisso em que me enquadro! Mas se tem algo que literalmente está cheio aqui no Brasil, é de índios, negros e brancos drogados e viciados em drogas dizendo-se xamãs, pajés e feiticeiros; Pessoas que pitam maconha 6 vezes por dia e afirmam que não são viciados! Pessoas subjugadas pelo vício e se mantêm na ilusão de que são pessoas espiritualizadas, iluminados etc. Ornamentam-se com cocares e roupas exóticas, pintam o rosto com urucum, seguram cachimbo, tambor e maracá, servem ayahuasca ou outros alucinógenos aos participantes, e pronto, agora são Xamãs, pajés e feiticeiros… Quanta ilusão!

Também há os que, após a beberagem da ayahuasca, assentam-se em círculo, acendem um cachimbo e forjam as incorporações, principalmente por pretos velhos e, agora “incorporados por pseudos sábias entidades”, podem dar conselhos pessoais e receitas medicinais para a humanidade… Mais forjações mentais, mais fraudes, mais ilusões! E por vezes são gente estudada e de patentes, estes tais das incorporações… Bah… Há horas que fico meio que desanimado e penso seriamente em retornar para casa mais rapidamente.

E pelas mesmas razões de crenças e posturas como as citadas acima, por viverem quase que só em devaneios, ilusões, forjações mentais, principalmente no Brasil, será de fato quase total o desaparecimento de todas as linhas ayahuasqueiras e usuárias de outros alucinógenos, seja como santo daime, seja como união do vegetal, como pajelanças, o catimbó, umbanda, candomblé, congas etc.

Ayahuasca (santo daime ou vegetal) é um alucinógeno potente cujo princípio ativo, o DMT, encontra-se catalogado em nosso DNA, e somente por isso nosso corpo não lhe oferece resistência tal qual faz com outros princípios ativos como o tetra hidro canabinol da maconha, e outros. Todas as plantas são bênçãos, todas provêm de Deus, já que é Absoluto. Contudo, o veneno também é, e o que difere o veneno do remédio é dosagem aplicada e a via adequada de aplicação!
Existem as plantas medicinais e as plantas de poder.

As plantas de poder possuem registrados em nosso DNA seus princípios ativos, portanto, nosso corpo as aceita porque fazem parte de nosso aparelho físico. Nossa glândula pituitária produz o DMT em certos estágios de nossa jornada. Há momentos de nossa vida em que literalmente a pituitária jorra dimetiltriptamina dentro de nós.

As plantas medicinais não possuem registro em nosso DNA, por isso nosso corpo toma tais princípios ativos como moléculas invasoras e reage a elas, cria resistência a elas, as combate. E essa é a razão de que cada vez mais o usuário precisa de doses maiores do narcótico para manter a mesma sensação que na primeira vez, onde uma pequena dose foi o suficiente.

A primeira vez que o buscador comunga ayahuasca, daime ou vegetal, quase que sempre é maravilhoso devido à novidade, devido à nova experiência da consciência ampliada e maior percepção. Isso encanta de fato, mas passa! Meses mais tarde, quando passa a magia da surpresa, quando a novidade termina, em geral as pessoas comportam-se como que drogados, ou seja, vão em busca de daime ou vegetal cada vez mais fortes, como ayahuasca mel, e assim prosseguem misturando-a com outras substâncias, como cogumelos, bela dona, lírio, maconha com pasta de cocaína (merla), craque etc… Perdem-se! É comum encontrar usuários de ayahuasca há mais de um ano, viciados em drogas pesadas. Procure ler o livro “Santo Daime Revelado, Drogas, Fraudes e Mentiras”, disponível gratuitamente a todos em nosso site para leitura online e download. Também o livro do historiador Marcelo Borges, “História da Ayahuasca no Brasil” (http://historiadaayahuasca.net), que se trata de uma obra imparcial, acadêmica, possui como afirmação e referências somente os fatos históricos apurados após anos de pesquisa. Não possui qualquer conotação pessoal, mas somente o que revela os fatos.

Posso de imediato lhe adiantar que dificilmente uma igreja de santo daime na linha do padrinho Sebastião de Mota Mello não usará diversas outras drogas potentes. O próprio Sebastião foi um dependente químico, assim como quase todos seus discípulos da época e atual. Volto a dizer: Pessoas que se drogam 6 vezes ao dia e juram que não são pessoas viciadas, mas que são espiritualizadas… Aos olhos do Bom Senso são ridículas! Infelizmente são pais como estes que ensinaram aos próprios filhos a usarem drogas, já que se drogavam dentro de casa e os filhos viam. Hoje eles reclamam do pequeno desempenho dos filhos, que não se sobressaem, mas são estes somente sementes plantadas por estes pais maconheiros. Aqui no estado de São Paulo presenciei o uso intenso de drogas em pontos daimistas, como os conhecidos Céu da Lua Cheia do Leo Artese, o Céu de Maria do falecido Glauco, e etc. Preste atenção, e digo isso como aviso: Se a igreja em que foi, mantém uma foto do padrinho Sebastião, em ao menos 99% dos casos, será local de drogados e viciados, mesmo que neguem!

Retirei das drogas e dependência química aproximadamente 13 mil pessoas em 10 anos. Ensinei a usarem ayahuasca da forma que funciona, da forma que conduz para a concentração e o silêncio interior. Hoje se tornou clara a escolha de 90% dos que usam ayahuasca (daime ou vegetal) “escolheram a ilusão, a emoção, a movimentação, a racionalização, a tagarelice pensante do corpo mental… O ego! Hoje, ayahuasca, visto a forma e objetivo com que a estão utilizando, mantém no ego e na ilusão ao menos 90% dos que praticam a beberagem”.

Ayahuasca permite a pessoas espiritualmente cruas possam enxergar o plano espiritual, mas caminhar nele, não! Portanto, após uma pessoa ver de forma a não mais ter dúvidas de que existe de fato um plano espiritual, a ayahuasca perde sua validade, deixa de ser útil. Pois agora é o momento da pessoa procurar o silêncio da mente, o estado do não pensamento e que somente através da meditação se consegue, para então poder caminhar pelos planos espirituais e reconhecê-los, mesmo estando ainda encarnado. A verdade é que se manter na beberagem da ayahuasca após ter enxergado o plano espiritual ao ponto de não ter mais dúvidas de sua existência, é estar preso no ego, é escolher ficar na ilusão, é o ego entrando pela porta do fundo. Observe a presente situação dos atuais ayahuasqueiros, vejam por si mesmos! Num primeiro instante, verão que eles têm um protocolo de comportamento, tal qual os evangélicos e católicos mantém frente a sociedade. Mas quando observados por mais tempo e mais de perto, vai constatar grande devaneio, dúvidas e apegos fortes aos manifestos do ego.

A maior parte dos ayahuasqueiros de hoje, usando a justificativa de estar em busca de deus, faz uso da ayahuasca para fugir da realidade que está vivendo, tal qual fazem os viciados ao usarem maconha, outras drogas, e o alcoólatra ao ingerir álcool. E quem melhor do que eu nesta época para afirmar tal coisa? Pois mantive até 21.DEZ.2012 a maior concentração de ayahuasqueiros do Brasil e fiz que acontecesse em somente 9 anos aquilo que todas as chamadas linhas raízes, juntas, não fizeram em 60. Fiz com que todo o Brasil obtivesse um fácil acesso e também seguro, a uma forte ayahuasca sem a mistura de drogas e sem que fossem explorados comercialmente pelos comerciantes do sagrado, especialmente muito dos feitores do Acre, Rondônia, Mato Grosso que, tal qual diz um ditado mineiro, só pensam em como podem ganhar mais, e por isso vendem a própria mãe por uma nota de 100… E por isso, vivem numa miséria só!

Aqui na fazenda, realizei inúmeras vezes aos finais de semana, ri-tuais com ayahuasca para mais de 700 pessoas juntas, ao custo de somente 7 reais por pessoa. No domingo à noite ficava chateado ao conferir a caixa de oferta a qual não tinha nem ar quente, muito menos algum di-nheiro para ajudar nas grandes despesas das construções. Esta é sem dúvida a maior prova que posso lhe mostrar sobre a falta de luz da grande maioria dos que se utilizam de ayahuasca, pois uma alma de luz mantém no coração o espírito de gratidão e sempre encontra um meio de colaborar de alguma forma com o lugar que lhe auxilia, ao invés de só usufruir. Em meio a aproximadamente umas 80 mil pessoas que sustentei com ayahuasca por estes 9 anos no Brasil, somente entre 270 a 300 pessoas, através de AÇÕES de fato, somaram força com esta obra, umas outras 500 através de pequenas AÇÕES de fato fizeram alguma coisinha uma vez ou duas nestes 9 anos e, todo o restante destes 80 mil auxiliados por mim e pela OBRA que eu minha Genecilda trouxemos à Terra, apenas usufruíram, só sugaram.

Mas hoje, após a entrada da Nova Era e encerrar o ciclo da utilização das muletas espirituais em 21.12.2012, como a ayahuasca por exemplo, é uma alegria verificar a caixa de oferta após as Sessões Mediúnicas Ascensionadas, sempre há consideráveis contribuições daqueles que, mantendo no coração o espírito de gratidão, escolheram retribuir com AÇÃO ao invés de palavras vazias para nos ajudar nas altas despesas desta OBRA. Gente, os atuais frequentadores possuem um nível de consciência superior. São dispostos para o trabalho, comprometidos espiritualmente em seus princípios, praticam a meditação diária ao invés de apenas ficarem falando dela. Resumindo, hehehehehehehe, são espíritos agradecidos, mantém o Espírito de Gratidão em seus corações. Ao passo que, antes, na era antiga, quando ainda era lícito as muletas espirituais, 99% dos participantes dos rituais com ayahuasca ao irem embora diziam “muito grato padrinho, gratidão padrinho” e só 1% me procurava e dizia “como posso colaborar com a OBRA, padrinho?”. Hoje, após dezembro de 2012, hehehehehehe, 99% dos participantes ao irem embora, primeiro passam na caixa de ofertas e deixam ali sua gratidão e reconhecimento, e 1% somente só usufruiu, o qual quase sempre são os recém chegados ainda doentes e tristes. Mas logo, logo, se curam de seus males e acordam pra vida de que Deus é Absoluto, Amor e Felicidade, se tornam espirituais verdadeiramente, e então começam a somar força.

A grande verdade, meu filho, é que a maior parte dos bebedores de ayahuasca, mas não todos, são espíritos miséria e, o espírito miséria são os miseráveis. Esta turma iludida, por onde passam tiram algo das pessoas que lhes acolhem e estendem a mão e, ao lhes fecharem a porta pelo que aprontaram, cospem no prato em que comeram e na mão que os alimentou. Saiba que corri risco de vida por diversas vezes para fazer com que chegasse aqui na fazenda a melhor ayahuasca do Brasil ao custo de R$11,60 o litro e totalmente confiável, fora das drogas. Contudo, inúmeras foram as vezes que ficamos sabendo de pessoas que, ao terem acesso a nossa ayahuasca, a venderam a 500 reais o litro no mercado livre. Também tem os casos dos padrinhos que fizeram estoques com nossa ayahuasca e depois tentavam explorar comercialmente as pessoas que iam nos institutos deles buscar auxílio, fazendo com os outros exatamente tudo aquilo que malvadamente um dia fizeram com ele antes de chegarem aqui na fazenda. Por isso instituí o Projeto “Daime Para Todos”, onde forneci ayahuasca a todo buscador de forma que não precisasse mais de institutos se quisesse comungar ayahuasca. De forma a irem aos institutos somente se quisessem, porque gostavam do ambiente, do padrinho etc. O que teve de padrinho que se revoltou com esta atitude minha, achando um absurdo seus afilhados terem acesso também a ayahuasca, heheheheh, foram um monte! Na época lhes respondi: “Vejam, aqui na fazenda mesmo eu dando ayahuasca para todo mundo, para que eu consiga ficar um pouco sozinho, tenho quase que fazer milagre, porque o pessoal vai atrás de mim até dentro das matas, se recusam a ficar longe de mim. Quem vive em amor, mesmo que dê puxões de orelha, não fica sozinho! Porque seus afilhados não lhes procurariam mais se não por que estão faltando com o amor? Além do mais, se confiei ayahuasca a vocês, as quais eram complicadas na vida quando chegaram aqui, porque não faria o mesmo a outros que já são afilhados?”

Foi uma peneira fina, heheheheheheh… Que luz pode ter gente assim? E quem melhor que eu para afirmar tudo isso que estou afirmando, já que vivi toda essa história?

Certa vez, o irmão Irineu irritado e desanimado fechou sua obra ayahuasqueira, o Alto Santo, mas um tempo depois reabriu novamente. Hoje compreendo-lhe muito bem, com uma única diferença, tive força e decisão de não desistir do meu direito de amar e, portanto, não fechei o Céu Nossa Senhora da Conceição.

Mas a pergunta que não quer se calar é: Se voltasse ao passado, em 2003, materializaria esta OBRA novamente?

         Claro que sim, querido! Hehehehehehehehe, me sinto 100% rea-lizado por tudo que propiciei que acontecesse na Terra, e mais, independente destes que ainda dormem aceitarem ou não, deixei uma semente plantada dentro de todos eles, sem exceções, que num dado momento de suas vidas mantiveram contato comigo nesta OBRA. Estas sementes brotam, crescem e frutificam ao longo do tempo permitindo a estes dorminhocos preguiçosos acordarem para o espírito e despertarem para Luz. Isso por si só compensou cada gota de desgosto, traição e sofrimento que precisei suportar sem que desistisse do meu direito de amar. E outro ponto por demais importante para mim, é que tive a honra e o privilégio de levar à mente de todos estes, uma consciência maior sobre quem de fato é o Mestre Jesus, nosso irmão mais velho e diretor desta escola. O amigo de todas as horas, aquele em que pode confiar porque jamais vai lhe trair ou desamparar. Só para poder apresentar novamente a Verdade Feliz, Alegre, Amorosa, Magnética e Una com a Mente Universal que é o Mestre Jesus, ah… faria sim tudo novamente, querido heheheheheh! Eu, você, todos nós, não passamos de meras criancinhas se comparado a Ele, e esta é a mais pura verdade, meu filho… O Mestre Jesus é um objetivo a ser alcançado por todos nós e o que eu, você, todos nós, queremos em espírito, é ser como Ele quando crescermos hehehehehehe. Para que tenha uma ideia querido, imagine uma criança de 7 anos de mãos dadas com um homem completamente formado aos 40 anos. Percebe a  diferença de consciência e expressão na força, visão, capacidade de ação, compreensão do universo etc, que há entre a criança de 7 anos com o homem de 40? Então, querido, a humanidade é a criança de 7… Simples assim!

Para mim é um prazer e uma grande alegria, apresentar o meu Mestre às mentes dos buscadores, bem como desconstruir de suas mentes aquela figura moribunda e subjugada numa cruz criada e transmitida pelas religiões e governos.

Recebi recentemente uma mensagem onde um grupo de franceses desejam comprar de mim a Ayahuasca da Lua Azul que age com intensidade por mais de 24 horas antes de começar a diminuir a força. Me ofereceram 150 euros por litro sem ao menos me perguntarem se vendo ou comercializo com tais coisas… Depois não compreendem porque o plano espiritual ensinou tais segredos a mim e não a outros.

     email EMAIL
———- Mensagem encaminhada ———-De: Marcos Moenda <marcosmoendalunes@…………>Data: 13 de outubro de 2014 13:26Assunto: Ao Sr.Gideon dos LakotasPara: padrinhogideondoslakotas@gmail.com


 

Meu nome é Marcos, sou filho de pai brasileiro e mãe francesa. Tenho 39 anos e estou morando definitivamente na França desde 1999, há 15 anos. Mas estou de passagem aqui no Brasil, a negócios no Paraná, devo permanecer até dia 18, sábado. Sr.Gideon, comungo ayahuasca desde 1994, comecei no RJ, depois viajei para o Amazonas, Peru e Venezuela e ao me mudar para Borgonha apresentei ayahuasca para esta região da França.  Havia excelentes e famosos vinhos em Dijon e Beaune, uma das melhores gastronomia francesa e os melhores queijos e escargot do país, mas ayahausca nem conheciam. Existem igrejas neo-cristãs ayahuasqueiras na Alemanha, Belgica, Holanda e outros, é fácil de se chegar a elas.  Mas conheci um grupo de franceses que estiveram por muitos dias em curso na sua fazenda e experimentaram a ayahausca da lua azul. O que disseram é surpreendente, extraordinário. Ingeriram 50 ml desta ayahuasca que vocês fazem as 21h de sábado e se mantiveram na força, uma força forte, forte, forte, muito forte, assim eles enfatizaram, até ao meio dia de domingo. Também relataram que não houve enjoo neles e não viram ninguém presente no ritual vomitarem. O grupo francês também disse que se fosse contatar o senhor, que seria sábio de minha parte ser objetivo, claro e sincero sobre minhas intenções, caso cntrário nasceria morta esta relação. 

 

Por isto estou lhe escrevendo Gideon, porque na Europa estes vendem uma ayahausca grossa e ingerindo 100 ml a cada hora e meia, se mantém na força. Eu costumo beber 4 doses de 100 ml para rituais fortes de 6 horas, quase todos na França ingerem 400 ml dela ao longo da noite. Ayahausca como esta é vendida na Europa a 150 euros o litro, principalmente pelos vendedores do Brasil e Peru. Em certos países realizam drug tourism cobrando de U$ 800 a 1400 por pessoa. Sr.Gideon, como expliquei com franqueza e sinceridade a minha história de vida, pode perceber que tenho um grupo de pessoas na Europa que vão adorar beber desta sua ayahausca da lua azul. Se o senhor puder me receber em sua fazenda e permitir que experimente desta ayahuasca que tenho certeza que será incrível, divinal, poderei dizer ao meu grupo na Europa que os franceses não exageraram, que é tudo tal qual disseram e, claro, desde que o senhor concorde estamos dispostos a fazer uma encomenda de 600 litros desta sua ayahuasca da lua azul com o pagamento 50% adiantados e os outros 50% após embarcada. 

Como disse estarei no Brasil até dia 18, estou a disposicao.

Aguardo retorno.

Marcos Moenda.

    email  EMAIL
———- Mensagem encaminhada ———-De: Gideon dos Lakota <padrinhogideondoslakotas@gmail.com>Data: 14 de outubro de 2014 12:54Assunto: Fwd: Ao Sr.Gideon dos Lakotas – 150 euros o litro de ayahuasca 


 

Senhor Marcos Moenda, refleti muito sobre o que te escrever em resposta, mas percebo que os franceses não te colocaram a par de muitas coisas, o que te faz inocente.

É o seguinte, quanto a você experimentar a ayahuasca da lua azul, pode vir aqui na fazenda entre hoje a noite e quinta feira de manhã, que ministrarei um ritual para você com esta ayahuasca. Contudo irá permanecer aqui conosco durante 36 horas após o início do ritual. Para alguém mais experiente permitiria que com somente 24h após a ingestão da ayahuasca da lua azul, pudesse partir, mas no seu caso a qual é visível que nada sabe e tudo desconhece, será somente 36h após.

Quanto a você comprar de mim esta ferramenta joia, lhe será impossível agora e por toda esta encarnação sua… Compreendeu? Então não toque mais neste assunto comigo.

Quanto aos referido franceses que me indicaram, aconselho-os a permanecerem por lá mesmo na França.

 

Xamã Gideon dos Lakotas.

Vou deixar aqui uma pequena mensagem a estes dorminhocos que insistem em usar muletas espirituais como é a ayahuasca, bem como para todos aqueles que desejam acordar para a vida e despertar para o Espírito:

O texto abaixo é uma parte do livro “A Inoptável Busca do Ser…” que estou para terminar de escrever:

Vou te lembrar de alguns segredinhos, querido. A capacidade de pensar é somente uma das manifestações da Essência, que é você. Portanto, você não é seu pensamento, você está além dos pensamentos que pensa. Os pensamentos são simplesmente uma das múltiplas manifestações de Você Essência, através de uma máquina pensante que está conectado no momento para experienciar o plano da matéria grosseira, o plano da ilusão. Você Essência é a consciência que vem antes do pensamento, das emoções, das sensações e das movimentações. Você Essência é a consciência que permanece quando no silêncio pleno da mente, na ausência plena das emoções, sensações e movimentações. O que pensar, será, se materializará, mas somente porque é Você Essência por detrás criando para experienciar. Está insatisfeito com as situações que vive? Está descontente com a forma com que está vivendo? Se sente infeliz com os fatos da vida? Saiba que os acontecimentos nada têm a ver com sua insatisfação, descontentamento e infelicidade, mas somente os pensamentos que pensa sobre a situação que está vivendo é que fez existirem tais emoções. Ver o que se tem para ser visto se faz sem a presença de emoções, mas somente observando os fatos que observa. Trabalha com vendas e neste semestre quase nada vendeu, está falido, está em desgraça!     Ora, querido, se sentir triste, derrotado e falido são somente emoções. Ponham-nas de lado, atenha-se aos fatos e veja o que se tem para ser visto. Talvez o produto que esteja vendendo seja de pouca aceitação ao consumidor, mas sempre há inúmeros produtos bem aceitos no mercado que você pode passar a vender! A mente racional age por referências como preto e branco, alto e baixo, triste e alegre, bem e mal, santo e pecador, justo e ímpio, deus e diabo, tudo isto é relativo, ilusório, não é Absoluto. O que existe neste mundo, filho, é causa e efeito, portanto, deixe as emoções de lado, veja o que há para ser visto e a partir deste ponto dê a causa certa que obterá o efeito desejado… Simples assim!

Quando se medita, quando se vive o silencio da mente, sentimos a harmonia do universo e percebemos que fazemos parte dela. É a ferramenta pensante, o ego, quem desfragmenta pelos pensamentos que pensa tudo aquilo que está a sua volta e que por isso não percebe o “Todo Absoluto, Único e Harmônico” que o cerca. A ordem científica dos maquinários, construções, planejamentos etc, agrada a mente racional já que ela alcança o entendimento de tais coisas, mas a ordem natural do “Todo Absoluto, Único e Harmônico”, somente no silêncio pleno da mente se pode alcançar. A mente racional tende a avaliar, julgar, medir, comparar, dar nomes. A mente racional pensa avaliando, pensa julgando, pensa medindo, pensa comparando, pensa nomeando. Para despertar precisa primeiro ficar fora da avaliação, do julgamento, da medição, da comparação e da nomeação, pois somente fora de tudo isso é que percebe-se o “Todo Absoluto, Único e Harmônico… Somente a meditação lhe permite alcançar isso!

Agora feche seus olhos e se concentre exclusivamente na audição. Tudo que vai fazer é ouvir sem pensar sobre o que está ouvindo, apenas ouvir os sons do ambiente em que se encontra no momento. Apenas ouvir sem avaliar, julgar, medir, comparar, dar nomes. Quando conseguir realizar isso, perceberá a interconexão de todas as coisas.

Comece também a observar-se como uma terceira pessoa. Veja os pensamentos que está pensando, apenas observe os pensamentos que pensa sem avaliar, julgar, medir, comparar,  nomear. Faça este exercício e verá como a mente racional age, se comporta, tece. A meditação lhe permite alcançar isso! Quando isso conseguir fazer hehehehe, perceberá que você é a consciência que está observando os pensamentos pensado pelo ego. Sempre que puder observar a vida sem pensar e, portanto, sem avaliar, sem julgar, sem medir, sem comparar, sem dar nomes, viverá a felicidade da magia do “Todo Absoluto, Único e Harmônico”, indizível e inseparável.”

Segue abaixo, com o único intuito de esclarecer e não de denegrir, o que revelaram os fatos históricos pesquisados por anos sobre a vida dos fundadores do Santo Daime, Daime e União do Vegetal.

Sebastião de Mota Mello (O padrinho Sebastião fundador do Santo Daime – Cefluris): Os fatos históricos do padrinho Sebastião revelam qualidades de um homem de pulso forte, decisão e ação. Manifestava natural liderança e era convicto no que afirmava, o que por sinal fazia com que as pessoas lhe dessem crédito. Após tentar sem sucesso implantar a bandeira da santa maria (maconha) dentro do Alto Santo após a morte do mestre Irineu em 1971, revoltado saiu e foi para a Colônia 5000, seguido ao menos da metade do povo de lá que, contudo, bastaram poucos meses para que quase 100% deles retornassem para o Alto Santo inconformados com o padrinho Sebastião.

Padrinho Sebastião teve um sonho bonito de fundar a nova Jerusalém, um mundo mais livre e digno, de mais paz e tranquilidade para o povo. Pesquisas históricas revelam que o grande problema que o padrinho Sebastião enfrentou foi o vício em drogas. Padrinho Sebastião Mota de Mello era dependente químico e, segundo comentários dentro do próprio santo daime, padrinho Sebastião teria morrido por overdose, na igreja daimista Céu Rainha do Mar de Marco Imperial, localizada na pedra de Guaratiba no Rio de Janeiro.

Inseriu na ayahuasca o uso das drogas e do comércio para ganho de renda. A base doutrinária do santo daime é o uso da “santa maria”, que é como denominam a maconha. Mas muitos há lá que se drogam com o que tiver em mãos. Padrinho Sebastião se dizendo encarnação de São João Batista respondeu nos tribunais ainda em vida, pelo porte de 60 kg de maconha. Hoje o santo daime fundado pelo padrinho Sebastião é investigado pelo Ministério Público Federal do Brasil por crimes de narcotráfico, assassinatos de diversas pessoas etc.

Nota pessoal do autor: Aqui, eu (Xamã Gideon dos Lakotas), direi minha opinião pessoal sobre o padrinho Sebastião, portanto, essa parte são minhas observações e não fatos históricos. Ele teria sido um líder de luz se não houvesse se perdido nas drogas que o destruíram e o mantiveram na ilusão e em devaneios. Padrinho Sebastião tinha sim grandes qualidades, mas que se perderam corroídas pelas drogas que o rebaixou de mente sã para um mero dependente químico e preso na ilusão. Foram as drogas inclusive, e a começar pela nociva maconha, quem destruiu o padrinho Sebastião e o lindo sonho que tinha. Mais uma vez, são essas malditas drogas destruindo vidas!

José Gabriel da Costa (mestre Gabriel fundador da União do Vegetal): A pesquisa histórica do mestre Gabriel que fundou a União do Vegetal, revela um buscador e homem de bom coração, embora de pouca cultura e semianalfabeto. Era convicto de suas ideias, tinha natural liderança e capacidade de ação. As pesquisas históricas acadêmicas revelam que sempre honrou seus compromissos pagando suas dívidas, que não explorava comercialmente a boa fé alheia, que não usava e ainda combatia as drogas. Passagens registradas de sua vida apontam decepções quanto à consideração de seus discípulos sobre si mesmo. Morreu doente e abandonado num hospital de Brasília – DF, de câncer no cérebro. Embora no início da década de 70 no Brasil já houvesse relativa facilidade dos meios de transportes (rodoviário, ferroviário e aviação principalmente entre capitais) após falecer, mestre Gabriel foi enterrado como indigente num cemitério público do Distrito Federal e como indigente permaneceu por 2 meses, antes que alguém fizesse alguma coisa.

Após sua morte em 1971, a União do Vegetal criou e apregoou sobre um mestre Gabriel mítico, cujos fatos históricos pesquisados academicamente revelam exatamente o contrário. Os fatos históricos sobre a vida de mestre Gabriel revelaram também um homem com um grande ego, que viveu em devaneios da mente, preconceitos, ignorância científica e espiritual.

As pesquisas históricas mostram que mestre Gabriel saiu da Bahia fugido da polícia, se submeteu ao trabalho escravo nas suntas (seringais), revelam também o racismo e a megalomania. Segundo pesquisa histórica profunda, acadêmica e recente, mestre Gabriel, por vezes dava a entender ser a encarnação na Terra do próprio Sol (astro rei de nosso sistema solar); Da santíssima trindade (Pai, Filho e Espírito Santo) era um destes três. Bem como a reencarnação de Adão (pai da humanidade), Jó (Bíblia – o rei da paciência), Caiano o sacerdote de Salomão. Também teria sido ele quem apresentou a ayahuasca aos Maias e Incas (portanto, ao mundo, já que deles ela veio) e assim seguem diversas outras constatações. A história da criação escrita pelo mestre Gabriel e que é a base doutrinária da União do Vegetal, segundo historiadores, deixa especificado a inferioridade dos que têm peles manchadas (escura). Embora a União do Vegetal possua pequeno número de membros e talvez seja uma das menores linhas ayahuasqueiras do Brasil, está sendo investigada pelo Ministério Público Federal do Brasil pelos crimes de Racismo e Eugenia.  Membros de mais de 18 anos de UDV, que ocuparam em sua hierarquia cargos como o de mestre ou de outras posições, falam também dos crimes de sonegação fiscal e meio ambiente. Existem muitos relatos sobre a UDV que é comum o uso escondido de drogas como LSD e maconha por parte de muito de seus mestres e discípulos.

Ouvi por diversas vezes de pessoas que estiveram na UDV e ao longo dos anos dela se afastaram, que no início, tiveram sim certo receio de vingança pelo poder espiritual da magia do mestre Gabriel e mestres ativos de UDV. Mas à medida que passaram os meses, eles compreenderam que se tratava apenas de meras ameaças e tolices da UDV, que de fato nenhum poder da magia ou espiritual possuiu o mestre Gabriel e menos ainda possui hoje os atuais mestres da UDV. Que se tratava da mesma lavagem cerebral que fazem em seus membros as igrejas evangélicas, católica, e terreiros de macumba, ao criarem o mito de um perseguidor poderoso, e assim dominar o membro através do medo. Tudo isso, acrescentaram, foi para que não falassem a outros as coisas presenciadas lá dentro. E, ao perceberem que nenhum poder possui esse povo, resolveram narrar a outros como funciona e o que viram dentro da União do Vegetal.

O livro acadêmico “História da Ayahuasca no Brasil” do historiador Marcelo Borges, que com profundidade pesquisou 10 anos os fatos históricos levantados sobre a vida dos fundadores das chamadas linhas raízes da ayahuasca no Brasil, lançado em 2011, relata os fatos acontecidos de uma ótica íntegra, translúcida e impessoal.

Recentemente, num dos cursos aqui na fazenda, esteve um senhor, professor de universidades, que esteve recentemente na União do Vegetal, e relatou que a UDV atualmente está lendo no início de suas sessões, um registro da vida comum que teve o mestre Gabriel onde cita as coisas comuns e tradicionais que faz qualquer homem comum e mediano da sociedade. Confesso que fiquei surpreso, pois estes fatos, antes das pesquisas feitas por nós, até onde sabemos eu e outros es membros da UDV, eram mantidos escondidos da sociedade e mesmo de seus associados, pois pregavam o “mito Gabriel”, contando estorinhas dele como se ele tivesse sido uma espécie de salvador espiritual da Terra, como um semideus ou algo assim.

Raimundo Irineu Serra (mestre Irineu): O mestre Irineu fundador do daime, descendente de escravos, é uma alma maravilhosa, amiga, muito amorosa, agia de bom coração. Alma nobre, honesto e esforçado fez a diferença para melhor na vida de muita gente. Contudo, embora bom amigo e irmão, o fato é que não atingiu a iluminação e o histórico de sua vida confirma isso claramente. Viveu alguns devaneios como qualquer outro buscador que ainda está se espiritualizando. Entre ser boa pessoa e se iluminar há uma distância considerável, meu filho! Há fatos constatados por pesquisas tanto no meio como no final de sua encarnação que são condutas de uma mente racional ativa e não de uma mente iluminada. Contudo, mestre Irineu sempre foi amoroso tanto quanto quis bem a toda a humanidade.

 

Incorporações e Almas penadas

Incorporações como no espiritismo, igrejas evangélicas, umbanda, santo daime e linhas ayahuasqueiras etc, elas são reais? Existem espíritos que vagam? Um espírito pode influenciar alguém a errar, roubar, beber, se drogar, cometer crimes?

Todos estes casos quase que sempre são FRAUDES bem cons-cientes de quem os faz, e em um menor caso se trata de forjações mentais. Existe sim o espírito, e há aqueles que de fato, ao desencarnarem, escolhem permanecer por mais um período no plano da matéria grosseira, que são os popularmente designados como almas penadas. Existe sim a comunicação entre mentes. Um espírito não fala por palavras, fala pelos sentimentos e pensamentos. O sentimento é a linguagem natural dos espíritos, é a linguagem natural dos planos espirituais. Não há palavras lá. Palavras são utilizadas pela ferramenta pensante, pelo aparelho físico. Um espírito possui frequência única, é como uma digital, não há duas iguais. Esta frequência está conectada ao aparelho físico que possui, portanto, também possui uma frequência única, isolada, não há duas iguais.

Todas estas formas de incorporações sejam por pretos velhos, espíritos obsessores, espíritos demoníacos como nas igrejas evangélicas principalmente, se trata ou de FRAUDES devidamente planejadas ou de Forjações Mentais dos seguidores. Mas em ambos os casos prevalece o efemerismo e as ilusões.

 

Almas penadas e Obsessores

 

Ao desencarnar, o cérebro retorna ao pó, e a mente racional volta a ser energia pura da natureza, pois o fôlego da vida que é o espírito, se desconectou, saiu. Mas dependendo do grau de apego, medo e culpa da mente que desencarnou, a mente racional pode demorar um pouco mais a se desfazer. Lembre-se, a mente racional é o software, é uma energia, ela não possui matéria como o cérebro. Ela pode demorar sim, um pouco mais a se desfazer nuns e menos noutros. O grau do apego é que faz a diferença. Uma mente mais consciente de que Deus é Absoluto, Amor e Felicidade é mais desapegada das paixões, pois conhece o amor; é mais desapegada dos vícios, pois procura disciplinar seu ego; é mais desapegada do sexo e conflitos sexuais, pois procura seguir os objetivos da alma e não mais os objetivos da personalidade; é mais desapegado de crenças, pois compreende que a verdade é somente aquela que ele experienciou; é mais desapegado de bens materiais, pois sua frequência é espiritual e intuitiva; Uma mente assim, ao desencarnar, segue normalmente para o plano espiritual de sua frequência, pois assim ela escolheu, foi esta a sua escolha.

Uma mente quanto menos consciente de que Deus é Absoluto, Amor e Felicidade, apresentará diversas características onde uma ou mais delas podem ser observadas com facilidade: Viver apegado às paixões, pois desconhece ainda a diferença entre paixão (a qual vem do ego) e amor (estado natural do espírito); Viver apegado aos vícios, pois disciplina-se pouco ou mesmo nada; Viver apegado aos desejos sexuais e seus conflitos, pois vive mais os objetivos do ego e menos os objetivos da alma; Viver apegado às crenças religiosas e mitos, pois é irrefletido, tende a nunca questionar o que lhe ensinam como verdades; Viver apegado à bens materiais, pois ainda acredita que a felicidade está em obter dinheiro, bens, fama, status; Uma mente assim pode ou não, ao desencarnar, escolher permanecer aqui no plano da matéria grosseira, pois assim ela escolheu, foi esta a sua escolha. Estas são as tais das almas penadas.

Uma coisa é certa, todo espírito, por mais bruto que seja, por menos evoluído que seja, ao desencarnar sabe que desencarnou, sabe que morreu. Todos sem exceção podem escolher seguir para o plano espiritual ou permanecer no plano material. Por vezes, não querem acreditar que morreram, visto os apegos que ainda possuem, mas é questão de pouco tempo para que não neguem mais a situação. A princípio, uma alma penada procura ter as mesmas atitudes de quando encarnado. Ir aos mesmos lugares de antes, procurar as mesmas pessoas de antes e sim, ela tenta se comunicar diversas vezes com seus antigos conhecidos, mas se frustra por não conseguir. Depois, descobre que algumas pessoas podem perceber sua presença, sentir sua presença. Umas mais e outras menos, dependendo exclusivamente do grau de sensitividade em que se encontra, daí os médiuns.

A vida para uma alma penada não muda muito que antes, ela continua se simpatizando com algumas pessoas e não com outras. Busca por pessoas de mesma frequência, tal qual fazia antes de morrer. Por exemplo, em bocas de drogas, locais coletivos para consumo de drogas, raves e baladas, bares e botequins, é muito comum encontrar entidades espirituais apegadas aos vícios de drogas e alcoolismo. A entidade em questão, ainda por manter boa parte de sua mente racional a qual está se dissolvendo em energia pura e retornando como energia pura para a natureza, ainda mantém consigo resquícios da personalidade anterior como os vícios de quando ainda vivo. Por isso, se quando vivo era um viciado ou dependente químico, gosta de sentir a energia das drogas que antes usava, e consegue sentir novamente através da energia etérea que sai do usuário de drogas e álcool no momento em que está fazendo uso. Por isso é comum uma alma penada acompanhar pessoas com que simpatizam e que sofrem do mesmo vício. Não é a entidade espiritual que faz as pessoas vivas beberem e usarem outras drogas. O usuário de drogas e alcoólatras se drogam e bebem porque assim escolheram, porque assim desejam fazer. O poder que possui uma alma penada de obrigar alguém a se drogar, se alcoolizar, se prostituir, roubar, cometer crimes etc, é ainda menor do que quando estava vivo, porque antes ele tinha ao menos um aparelho físico e agora nem isso possui!

É possível sim uma mente impor sua vontade sobre outra, independente de encarnados ou não. Mas para se forçar uma mente a fazer a vontade de outra mente precisa ter tamanho, querido, ter alto grau de espiritualidade, ter grande compreensão do que significa Deus Absoluto, Amor e Felicidade. Uma mente assim segue para o plano espiritual imediatamente após o desencarne porque não possui apegos para se prender a nada do plano da matéria grosseira. Tenha por certo de que uma alma penada hoje, quando viva antes e ainda possuidora de um aparelho físico, em quase nada podia te obrigar a fazer que já não quisesse realizar por si mesmo. E agora depois de morto, é menos ainda, querido! O viciado em drogas, o alcoólatra, a prostituta, o ladrão, o criminoso, não fazem o que fazem porque uma alma penada o está acompanhando, é ao contrário, uma alma penada o acompanha exatamente porque ele faz tais coisas por si mesmo.

Com pouco tempo, o que permaneceu da mente racional na pessoa que morreu, vai perdendo cada vez mais sua influência, pois se desfaz e se desintegra cada vez mais, de forma que a tal alma penada agora menos egoica e mais intuitiva, faz nova escolha, que é a de seguir pra o plano espiritual, e segue… Simples assim!

Todo ser humano é sensitivo, não precisa de fé para isso. Quero lhes lembrar que um dos maiores sensitivos da história é um Russo que é ateu.
Uns sentem mais e outros menos segundo experiências que vivenciou. Perceber o campo magnético ou frequência do ambiente e pessoas é natural. O campo magnético ou frequências podem ser leves, sutis e espirituais, como as que têm em jardins floridos, matas e cachoeiras, ambientes com pessoas de bom coração. E podem ser pesadas, densas e materialistas, como as que têm em hospitais, delegacias, presídios, boca de fumo, bares, boates, raves, ambientes de pessoas dominadas pelo ego. No caso de pessoas de frequência similar, quando juntas, seus campos magnéticos se fundem, se mesclam, tornam-se como uma aura única enquanto estiverem próximas. Tais pessoas, indiferentes de encarnadas ou não, se sentem bem na companhia do outro, tendem a andar juntas, se sentem em casa, por assim dizer.

Pessoas de frequência muito diferentes, quando juntas, seus campos magnéticos não se fundem, não se mesclam, mantém-se separados, cada um mantém especificamente a sua aura. A isso denomina-se choque de aura. No caso do choque de aura, tais pessoas indiferentemente de estarem encarnadas ou não, evitam um ao outro o máximo possível.

Entendido até aqui, fica fácil compreender: O que é comum acontecer é as pessoas encabrestadas pelo vitimismo e pelos sentimentos de culpa e medo, ao sentirem a influência do campo magnético de um ambiente, ou de pessoas encarnadas, ou das chamadas almas penadas, pensarem que é obsessão. Principalmente no caso de choque de auras entre ambientes, pessoas e entidades. Portanto, perceber a influência de um campo magnético se fundindo com o seu, no caso de afins, é possível. Perceber o choque de aura de um campo magnético de frequência repulsiva é possível… Mas disso para a Incorporação e Obsessão que tentam demonstrar igrejas evangélicas (demônios), centros espíritas (Entidade de luz e Obsessores), terreiros de umbanda, santo daime etc (Entidade de luz e Obsessores), existe uma distância gigantesca!

Se deseja uma compreensão mais profunda de si mesmo, dos planos espirituais, sobre a iluminação e como seguir pra ela, estude o livro “Despertai…!” pois lá deixei tudo que precisa saber.

         Mas com a queda de 99% de tudo que ensina os livros santos, igrejas, religiões e doutrinas, o que vai restar?

Restará você, meu filho, a Verdade, o Divino Interno, a Essência… O Deus Absoluto, Amor e Felicidade! A meditação é o único caminho que leva o homem ao íntimo contato com o Divino! Somente no silêncio da mente onde se encerram todos os pensamentos, todas as emoções, todas as sensações e toda a movimentação, é que finalmente se ouve Deus…


A Sociedade da Nova Era, como será e como surgirá?

A sociedade da Nova Era terá como premissa o pleno desenvolvimento da Vontade, Inteligência e Sensibilidade. Será a unificação do Espírito Liberto Indígena com o Espírito Ciência Razão.  Isso faz com que cada Ser tenha como Verdade somente as experiências que vivenciou, experienciou, e não mais, tal qual hoje, o que ouviu, leu e foi apregoado por outros. Os filhos serão filhos da sociedade e não mais filhos de seus pais. Os pais amarão tanto a seus filhos quanto aos filhos de outros, pois a compreensão de que no máximo o corpo de seu filho é filho de seu corpo, de que após o corte do cordão umbilical ali se encontra um ser independente, de que pais e filhos são irmãos… Será uma consciência comum!

A história, diferentemente da atual, a qual é escrita pelo que venceu, passará a ser ensinada mostrando os fatos de ambos os lados, os pontos de vistas de ambos os lados, e o estudante concluirá por si mesmo a lição final.

Trata-se de uma sociedade formada pelos filhos da Luz, portanto, será uma sociedade conduzida pela mente intuitiva, pelo Amor. A mente racional (ego) será simplesmente o meio de condução, o veículo da Essência interior, o Divino. É uma sociedade formada por mentes que recusaram as experiências do mundanismo, do medo, do relativo, pois desejam vivenciar as experiências do Espírito, do Amor, do Absoluto. Trata-se de uma sociedade conectada com Deus. A educação de nossas crianças terá como estrutura, desde os pais às escolas, mais a observação que a tagarelice e toda a formação educacional será dotada de ciência com espiritualidade, ou seja, um sistema de ensino que estimula o aluno à sensatez científica da alva luz da razão em paralelo à aprender com alegria, desenvolver a afeição, cultivar a amizade, manter a afetividade, disposição para querença, moderação, tendência para confiança e serenidade. Uma educação assim conduz para o desapego e liberdade do Ser, o desenvolvimento da cordialidade, o desejo coletivo por Felicidade.

Resumindo: Trata-se de uma educação onde literalmente não e-xistem o vitimismo e os sentimentos do medo e da culpa. O espírito de competição será substituído pelo espírito da cooperação. Conceitos como machismo e feminisno (e ambos são o mesmo problema com máscaras diferentes) com todos seus malefícios serão extintos devido a plena igualdade entre os sexos.

As pessoas viverão segundo os objetivos da alma e não mais como as de hoje em que, quase que sempre, seguem os objetivos da personalidade. As mentes da Nova Era terão como referência “como posso contribuir mais?”, ao contrário de hoje cuja referência é “como posso ganhar mais?”. Os relacionamentos acontecerão também em um novo contexto onde cada um tem como base “o que posso acrescentar no relacionamento” e não mais “o que posso tirar desse relacionamento?”.

A humanidade terá sua mente sempre no presente, no aqui e no agora. A compreensão de que Deus é Absoluto, Amor e Felicidade, de que cada ser humano indistintamente é o templo Vivo de Deus, sucumbirá os complexos de superioridade e inferioridade, mesmo entre as religiões as quais compreenderão que há diversos caminhos para o buscador de Deus visto que cada um escolhe seu caminho segundo as experiências que viveu.

Haverá a completa extinção de divisas, serão extintas nações e bandeiras. O Planeta Terra será uma única nação, e mesmo que preservando a língua nativa de seus ancestrais, uma língua universal será adotada mundialmente. Os benefícios da ciência e dos recursos da Terra em porções iguais para todos.

Isto não é utopia meu filho, isso é a realidade do amanhã. Mas toda essa maravilha descrita não virá como que por toque de vara de condão, ou pela vinda de um messias, ou por meio de um milagre de Deus.

Acontecerá pelo despertar das mentes numa escala cada vez maior. Desde 21.12.2012, quando acabou o tempo da era antiga e muletas espirituais, e iniciou-se o período da Nova Era e espiritualmente caminhar sobre as próprias pernas, mentes estão despertando. Este livro, leitor, é um destes movimentos na humanidade, é a pedra atirada no lago… E você, querido, é a onda que segue após a pedra cair na água. A visão despertada de que as coisas hoje não estão funcionando e de que com certeza há um mundo bem melhor é o que me leva a ação. Será assim sucessivamente de um para outros. Mentes estão sendo despertas em todo o planeta. Você mesmo, por estar lendo este livro, mostra que busca pelo Despertar. Num dado momento haverá um número maior de mentes despertas em todas as áreas do governo, das igrejas, da política, dos relacionamentos sociais. Um maior número de mentes com clareza de pensamento e coragem irão questionar as ações do governo, a postura das igrejas, o interesse dos políticos, os programas para informações às massas, as pesquisas científicas dos laboratórios e das indústrias alimentícias e, inclusive, questionar a tal da urna eletrônica no Brasil hehehehehehehe. Será questionado tudo que nos foi ensinado… E a contestação com sobriedade junto da ação com clareza de objetivos se tornarão um ato público para a destituição dos atuais governos e igrejas, os quais, objetivando o domínio das massas, traíram a confiança que lhes foi depositada pela humanidade ao articularem um sistema de governo e crenças religiosas que incutem os cabrestos do medo e da culpa a todos os homens.

Mesmo sendo tudo desta forma, por conta ainda do sistema predador implantado desde 1850 e intensificado a partir de 1900 devido ao desenvolvimento tecnológico, e que domina até os dias de hoje, haverá sim uma terceira guerra mundial. Também acrescento que, não pela intervenção humana, mas somente por razões naturais de um ciclo que se fecha, haverá também uma sucessão de eventos naturais cataclísmicos, antes que a Nova Era seja plenamente implantada.

 


Um resumo de tudo que aprendeu até agora para o próximo passo

DEUS é Absoluto, é Perfeito, não tem opositor para contestá-lo, não possui vontades para serem saciadas, não precisa de leis para governar, Ele é Deus! Como, então, poderia ser real a existência do diabo e o mal, do pecado e da indulgência, dos débitos espirituais e seus carmas, dos sacrifícios, pagamento do dízimo e toda forma de cobrança em nome de Deus? Não poderia, são invenções.

Deus é Amor, e quem Ama não condena, não julga, não pune ou castiga, como então poderia existir o deus tirano, irado e punitivo da bíblia e das igrejas? Não poderia, são invenções.

Deus é libertação, e quem liberta livra a mente dos sentimentos da culpa e do medo, como então poderia existir o deus das cobranças e ameaças como mostra a bíblia e as igrejas? Não poderia, são invenções.

Como poderia um ser de luz, um ser com a consciência da unidade com Deus, ser racista, apegado, vaidoso, fraudulento e preconceituoso? Não poderia, o racismo, o apego, as fraudes e os preconceitos, existem somente numa mente adormecida, que vive ainda em ignorâncias.

Deus é felicidade, e quem é feliz deseja a felicidade em toda sua glória para todos, como então poderia existir o deus que amaldiçoa e faz sofrer da bíblia e das igrejas? Não poderia, são invenções.

Todo homem nasce na condição de templo vivo de Deus, pois o Divino está interno dentro de cada homem. Então, como poderia ser real os intermediadores entre Deus e os homens, como dizem ser os padres, pastores, pais de santo e outros? Não poderiam, são equívocos e quase todos, exploradores da fé.

Houve alguns poucos que de boa fé fundaram igrejas e nelas apli-caram o que compreendiam como sendo verdade na época, contudo, a verdade de cada um é diretamente proporcional ao nível de consciência que se encontra no momento. E quase todos estes, na inoptável busca do Ser por Deus, careciam de amadurecimento espiritual, estavam verdes. Ainda buscavam Deus fora de si. Buscavam por pactos, fórmulas, como livros sagrados e rituais santificados. Acatavam crenças de gerações se estas prometessem levá-los para perto de Deus. Em geral, as igrejas mostram o norte a ser seguido pelos fiéis para encontrar Deus, mas apontam para fora do homem. Para encontrar Deus não são necessários pactos, fórmulas, como livros sagrados e rituais santificados, simplesmente necessita voltar-se para dentro de si. No caminho para Deus, pregações eloquentes e leituras de livros aceitos como sagrados, se não conduzirem o fiel para dentro de si mesmo, não tem valor algum.

Muito obrigado a todos por existirem…

Xamã Gideon dos Lakotas.


Segue abaixo uma mensagem enviada em 07-11-2014 para uma pessoa séria e bem intencionada que muito considero, e que expõe ao leitor claramente como tenho tratado a situação dos viciados em muletas e na ilusão:

   email   EMAIL
Em 07/11/2014 12:19, “Gideon dos Lakota” <padrinhogideondoslakotas@gmail.com> escreveu:
Carlão, o sinal do celular caiu e não terminamos nossa conversa. Nem deu para telefonar para a Glaucia, coisa que ia fazer em seguida de sua ligação. Preciso saber já, que quantidade deseja de ayahuasca, a qual segundo disse era para encerrar este ano, até porque tenho sua média de consumo anual comigo.
Carlão, o que estou fazendo não é para encerrar, eu já encerrei! Receber você aqui para assunto de ayahuasca é a exceção. Avisei que iriamos parar com ayahuasca com a entrada da Nova Era com um ano e meio de antecedência.Desta forma, desde 21.12.2012 que aqui na fazenda não utiliza para os nos procuram, a muleta ayahuasca ou qualquer outra, contudo dei tempo com generosidade para que todos os institutos auxiliados e pessoas do daime para todos, acordassem, mesmo sabendo que seria um número pequeno de pessoas dentre o grande número que se intitulam buscadores que acordariam e soltariam as muletas. Quem não acordou até agora não acordará mais para o novo tempo, a menos que entre de cabeça na MEDITAÇÃO, mas com afinco mesmo, com decisão e vontade, de forma resoluta e férrea. Os anos restantes são poucos Carlão, poucos mesmo… Reflita sobre isso para não ficar acendendo vela boa pra defunto ruim, pois no seu caso não precisa fazer isso, ao contrário da minha situação que mesmo sabendo disso precisei lidar com dezenas de milhares de pessoas se dizendo buscadores do caminho, não passavam de buscadores de sensações e experiências diferentes. Retornaram de cabeça para o mundo e, em sua grande maioria, se tornaram ainda piores do que quando aqui chegaram. A promiscuidade, a drogadição e carrascagem com os que deles dependem (nos raros casos onde são patrões), é total nesta grande maioria. Carlão, lhe digo com toda sinceridade que minha grande alegria é não ter mais que trabalhar com este povinho que escolheram continuarem adormecidos, que despertar lhes é uma ideia terrível, que soltar as pedras do mundanismo é como que loucura. De mais de 80 mil pessoas que recebi em 10 anos aqui na OBRA, aqui na Fazenda, abrindo-lhes a porta de minha casa com humildade e muiiiiiiiiiita GENEROSIDADE, porque essa turma sabe muito é pedir, pedir, pedir e usufruir sem somar força, destes aproximadamente 80 mil, não chegam a 1000 os que estão prestes a despertar ou que despertaram… Somente 1000 (talvez menos um pouco) em mais de 80 mil pessoas! Contra fatos não há argumentos Carlão!
Hoje, no Brasil, o que mais tem são ayahuasqueiros que se drogam todos os dias, 6 vezes por dia, e juram de pés juntos que não são viciados. O que não falta no Brasil é estes viciados jurando de pés juntos que são xamãs, mentes iluminadas, seres espiritualizados, ao passo que o que fazem é buscar por sensações, maconha, cocaína, craque etc. Olha, é fato que não existe certo ou errado, nem pecado, nem carma e nem darma, mas com toda certeza afirmo em alta voz: “Todos os que buscam se manterem no vício das sensações, movimentações, pensamentos, drogadição e outros vícios, já compraram sua passagem para onde se começa de novo a era antiga. Nenhum destes ficarão aqui para a Nova Era, bem como também partirá daqui todos aqueles que ainda se mantiverem nas crenças da inconsciência como certo e errado, bem e mal, deus e diabo, obsessores e demônios, inferno e umbrais de sofrimento, dormir ao morrer e acordar no dia do julgamentos final para seguir para o céu ou o inferno segundo o que fez de bom ou ruim, ou da mesma forma mas de nome diferente, o pagamento de dívidas cármicas e sofrimentos pós morte segundo o espiritismo”… Tudo isso são puras ilusões, tudo isso pertence somente a adormecidos, a quem ainda não despertou, a quem ainda desconhece por completo que Deus de fato é Absoluto, Amor e Felicidade!
A única forma de compreender o que é o Absolutismo de Deus é através da mente intuitiva, é saindo por completo de tudo que é da mente racional, é encerrando completamente as atividades do ego,que são o pensamento, as emoções, as sensações e a movimentação… Conhece maconheiro que consiga isso de fato fazer? Não, no máximo os que mentem sobre isso! Conhece ayahuasqueiro que consegue isso? Não, no máximo os que mentem ou forjam isso! Conhece qualquer pessoa ainda viva, encarnada, que mantenha crenças em diabo, obsessores, umbral, inferno, carma, pecado etc, que também consiga de fato isso fazer? Não, no máximo são forjação mentais ou embustes propositais que se posto a provas científicas são desmascarados!
Conhece qualquer ser voltado a promiscuidade que consiga de fato isso fazer? Não, e neste caso nem estão interessados em afirmarem nada, até evitam conversas assim, pois gostam e assumem a promiscuidade que tanto gostam!
Todos estes casos que citei vivem presos ao ego e portanto vivem na ilusão, nos dogmas, nos tabus, nas ficções espíritas, pois vivem integralmente presos ao pensamento, as emoções, as sensações e a movimentação. Se MEDITASSEM de fato, ao invés de ficar falando e justificando-se, não viveriam como vivem!
 Quem quiser despertar de fato Carlão, que entre de cabeça na MEDITAÇÃO, e de preferência aqui debaixo de minhas asas para que aprendam de forma rápida e eficiente aquilo que realmente funciona ensinado por quem sabe ensinar porque viveu a experiência, passou por ela e portanto conhece o caminho. Até onde sei Carlão, de todas as OBRAS da Terra, aqui é a única que garante os resultados desde que faça passo a passo tal qual foi ensinado… Simples assim! A MEDITAÇÃO é o único caminho para a Nova Era… Qualquer coisa fora dela é ilusão.
Aguardo vocês domingo. Abraços a todos.

Obs: A resposta que estou te enviando querido, também a estou enviando a muitas outras pessoas, pois responde bem a elas também.Curso de Capacitação para Formação de Novos Médiuns Dirigentes para abertura de Centros Espíritas Ascensionados em todo o BrasilNeste curso de 23 dias estarão incluídos: Meditação Profunda, Viver de Luz Consorciado ao Simbiotismo Universal, Alta Magia na prática, conhecimentos sagrados da Nova Era sobre um Deus Absoluto, Amor e Felicidade, expansão rápida da sensitividade e aos aprovados somente, a Mediunidade.
De 03 à 25 de JANEIRO de 2015. Nenhum outro curso será tão completo com este… Saiba Mais.Xamã Gideon dos Lakotas.Em 7 de novembro de 2014 08:16, Carlos …. <carlaozubek@…………….> escreveu:Deixa comigo Padrinho, pretendo chegar próximo do almoço, rsrs tudo bem?O Marcelo de Floripa e o Ricardo Japonês estarão em minha casa nesse final de semana, minha mãe ficará para atendê-los, irei eu, a Paty, a Ananda e o Tonico.  Um forte abraço,

Carlão.

Enviado via iPhone

Em 06/11/2014, às 21:29, Gideon dos Lakota <padrinhogideondoslakotas@gmail.com> escreveu:Domingo precisa vir devidamente documentado. CNPJ e tudo mais.

abraços

Xamã Gideon dos Lakotas.

 

Livrando-se de Crenças Nocivas e Equivocadas, soltando os grilhões para ser FELIZ !!!

Para lhe ajudar a enxergar com maior clareza a crença que professa, segue abaixo 52 perguntas que, uma vez respondidas, permitem a pessoa identificar seus pontos de estrangulamentos; questões que precisa definir melhor e conhecê-las mais profundamente; identificar as causas do único inimigo de fato da humanidade: Os sentimentos da culpa e do medo. Segue também as respostas de 40 outras pessoas, de forma que além das suas próprias respostas e ponto de vista, terá a oportunidade de ler e avaliar as respostas e pontos de vista de 40 outras pessoas. Todas as respostas me foram enviadas por e-mail e cartas. Contudo, no intuito de não expor seus emissários, estão identificados somente pelas iniciais de seus nomes, e, todas estas respostas estão detidas comigo e à disposição das autoridades constituídas por lei representadas por um tribunal.

             OBSCaso venha a se sentir consternado, constrangido e com raiva, preste atenção: É porque não tem certeza ou convicção de suas crenças, e tais sentimentos são somente consigo mesmo!

 

Questionário Revelador

 

1 – Concorda que o que caracteriza um homem como “um buscador espiritual” é o fato que de alguma forma ou por algum caminho, ele busca sentir Deus, busca encontrar Deus, busca um íntimo contato com Deus, busca conhecer Deus e compreender os mistérios da criação, do universo, saber quem é, onde está e para onde vai após aqui?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 94

 

2 – Acredita ser você um buscador espiritual?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 98

 

3 – Você que se diz um buscador espiritual, tem a coragem de olhar imparcialmente para suas próprias crenças, enxergar com clareza no que acredita de fato, ver sem mascaras o que tem para ser visto?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?  101

 

4 – Você concorda comigo que Deus é de fato Absoluto, Amor, Felicidade?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 104

 

5 – E acaso já refletiu no que implica de fato em Ser Absoluto, Amor e Felicidade?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 106

 

6 – Acredita na existência do bem e do mal?
( ) Sim (  ) Não – Por que desta sua resposta?. 110

 

7 – Acredita que existe o inferno, que é para onde vão as pessoas más após morrer, desencarnar?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 112

 

8 – Acredita que existe o Céu, que é para onde vão as pessoas boas após morrer, desencarnar?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 115

 

9 – Acredita que existem umbrais onde a pessoa ao desencarnar sofre devido a inúmeras causas de quando ainda estava encarnado, tal qual mostra o filme nosso lar e os romances espíritas?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 117

 

10 – Acredita que a igreja é a casa de Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 120

 

11 – Acredita que Deus sendo Deus, precisou criar religiões, igrejas, doutrinas, enviar guerreiros para a luta entre o bem e o mau, guerreiros para uma guerra santa?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 122

 

12 – Acredita que todo ser humano, independente de desperto ou não, nasce na condição de templo vivo de Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?  124

 

13 – Acredita que todo ser humano, você inclusive, possa um dia, após despertar, ser um mensageiro de Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 126

 

14 – Acredita na existência do certo e do errado?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 128

 

15 – Acredita na existência do pecado?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?  130

 

16 – Acredita que Deus sendo Deus, tenha qualquer forma de necessidades ou vontades?. 132

 

17 – Acredita que Deus sendo Deus, se enfurece, se ofende, que pode ficar contrariado?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 134

 

18 – Acredita ser possível pecar contra Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 135

 

19 – Acredita que Deus sendo DEUS, necessite de leis espirituais e cobranças espirituais, para que assim possa governar, corrigir, comandar, direcionar, conduzir, fazer acontecer, promover mudanças, abençoar ou não etc.?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 137

 

20 – Acredita que você cria conforme pensa, ou seja, que são os seus pensamentos que criam a realidade que está vivendo?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?  139

 

21 – Concorda que Deus é o único poder, a única realidade e que por isso ELE é Absoluto?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 142

 

22 – Concorda que Deus é puramente Amor e Perfeição?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 143

 

23 – Acredita que existe o diabo, o satanás?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 145

 

24 – Acredita que uma pessoa que nunca apresentou de fato qualquer poder em vida, agora porque morreu, desencarnou, passou a possuir qualquer poder espiritual?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 147

 

25 – Você conhece de fato o que acontece quando se morre, quando se desencarna?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 149

 

26 – Acredita de fato serem reais as incorporações tal qual se vê em centros Kardecistas, umbanda, candomblé e congas, onde uma entidade espiritual assume totalmente o aparelho físico de outra pessoa?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?  152

 

27 – Tem conhecimento sobre o que seja “Forjações Mentais e Psicológicas” e está disposto a pesquisar profundamente sobre ela, constatar cientificamente até onde elas podem chegar?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 155

 

28 – Acredita que existam pessoas que: “Embora frustrada e decepcionada consigo mesma, desejam muito se sentir triunfante e orgulhoso; ou que embora desprezada e judiada deseja muito ser aceita e amada; ou que embora ame a alguém se sinta muito reprimida por não poder lhe dizer as coisas que desejar falar; ou que embora se sinta pequena e inferior, deseja muito se sentir grande e especial”… Acredita que pessoas que vivam em situações similares as citadas, podem como válvula de escape, forjar mentalmente outra personalidade, outra mente, mas incorporada em si mesmo, de forma a realizar-se como se sentir triunfante e orgulhoso, aceita e amada, corajosa para falar o que deseja, se sentir grande e especial?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 158

 

29 – Acredita de todo seu coração, com total certeza, sem a menor dúvida, na existência de obsessores e obsessão?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 161

 

30 – Acredita que há pessoas decidida, capazes e inteligentes, que ambicionam muito mais que dinheiro, riqueza e bens materiais: O reconhecimento alheio, os aplausos de seguidores, ser reconhecido publicamente como santo e divinal?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 165

 

31 – Confiaria como referência de verdade espiritual em livros psicografados por alguém que visivelmente demonstra a enganação, o apego e a vaidade, tal qual contratar atores para fraudar aparições espirituais, fraudar fenômenos psíquicos e assim iludir as massas; apegado ao mundano ao ponto de possuir distúrbios sexuais; vaidoso ao ponto de sentir vergonha da calvície e por isso sempre se apresentar de peruca?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 168

 

32 – Acredita que alguém como descrito acima teria alcançado a luz, a iluminação, a compreensão do Amor, a Sabedoria, a Verdade?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 171

 

33 – Concorda que o Mestre Jesus, Sidarta Gautama o Buda, Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, Lao Tsé são de fato excelentes referências de mentes espiritualizadas?
. 174

 

34 – Consegue imaginar o Mestre Jesus, Sidarta Gautama o Buda, Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, Lao Tsé, contratando atores para fraldar aparições espirituais, fraldar fenômenos e assim iludir as massas; Serem apegados ao ponto de possuírem distúrbios sexuais etc; Serem vaidosos ao ponto de sentirem vergonha de uma calvície e por isso usar perucas?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 176

 

35 – Acredita que iluminação é consciência, é compreensão, é lucidez?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 178

 

36 – Consegue imaginar o Mestre Jesus, Sidarta Gautama o Buda, Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, Lao Tsé, pregando aos seus discípulos e seguidores que, para se espiritualizar é bom os alucinógenos e as drogas?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 180

 

37 – Acredita que um ser de Luz, de compreensão, de sabedoria, ensinaria tolices a seus discípulos; Fosse racista descrevendo a cor da pele como sinal de definição da grandeza e purificação espiritual de uma pessoa; Dizer que é a encarnação do próprio Sol aqui na Terra; Dar a entender pelo que ensina que da santíssima trindade (pai, filho e espirito santo) ele é um dos três?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 182

 

38 – Acredita que, com a tecnologia de transporte já existente em 1971, um grande mestre espiritual reconhecido por uns 5 mil de discípulos, poderia morrer largado, sozinho, abandonado e ainda por cima ser enterrado como indigente num cemitério público em Brasília DF e assim permanecer por 02 meses?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 185

 

39 – Consegue imaginar seu gatinho, seu cachorrinho, o animalzinho que ama, ser enterrado como indigente?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 187

 

40 – Acredita mesmo que um dependente químico poderia ser a reencarnação de São João o Batista? Que um criminoso sentenciado a 9 anos de prisão por crime de sequestro poderia ser a reencarnação do rei Davi? Que um viciado em drogas poderia ser a reencarnação do rei Salomão?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?. 189

 

41 – Acredita na bíblia como sendo um livro santo, como sendo o livro de Deus, como o livro onde revela Deus em seu Absolutismo e Amor?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?  191

 

42 – Acredita na legitimidade da vontade de Deus segundo relata a bíblia em 2Reis 2:23-24 onde Deus mandou que duas ursas matasse e despedaçasse 42 jovens porque zombavam da calvice de Elizeu?
( ) Sim (  ) Não – Por que desta sua resposta?. 193

 

43 – Acreditaria de fato ser um Grande Avatar da Era de Aquários, alguém que afirme que reencarnou na antiga lua quando era habitada e com a missão de ser crucificado para salvar a humanidade de lá e preparar a quinta raça.
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?  195

 

44 – Acredita nos ensinos de alguém que afirme ser o próprio Buda Maitreya Kalki e que afirmou publicamente que a terceira guerra mundial, a passagem do ercólobus e o fim de toda a humanidade se daria exatamente em outubro de 1999? E que inclusive até descreveu detalhe por detalhe como que sucederia este acontecimento?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?  197

 

45 – Acreditaria na luz, verdade, sabedoria e compreensão de alguém que afirmando ser o Buda Maitreya Kalki, plagiasse obras renomadas de outros autores? Acreditaria que o Grande Avatar da Era de Aquários plagiaria do escritor Gurdjieff todo o conhecimento como “Técnicas para a dissolução do eu”, auto-observação, auto lembrar etc.?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 199

 

46 – Acredita de fato que o papa é o representante de Deus na Terra e a igreja católica romana é a igreja de Cristo?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 200

 

47 – Acredita em Martinho Lutero, o pai do protestantismo, foi de fato um enviado por Deus?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 202

 

48 – Acreditaria se alguém lhe dissesse que Martinho Lutero não somente suicidou-se, como também deixou registros sobre si de coisas como:
”Eu aqui me encontro insensato, e endurecido, ocioso e bêbado de manhã à noite… Em suma, eu que devia ter fervor de espírito, tenho fervor da carne, da lascívia, da preguiça e da sonolência”
Que ao falar sobre Jesus Cristo, afirma que “cometeu adultério com a samaritana no poço de Jacó, com a mulher adúltera que perdoou…, e com Madalena…”.
“Certamente Deus é muito grande e poderoso, bom e misericordioso…, mas é muito estúpido; é um tirano”… Acreditaria?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?  204

 

49 – Acredita no Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmo, Sabedoria devida sua unidade com Deus… Qualquer pessoa, instituição, igreja, doutrina, seita e religião, que apregoem sobre a existência do mau e do bem; do certo e do errado; de um opositor a Deus: o diabo; a exsistência do carma, de infernos, de obsessores, de umbrais onde pessoas sofrem após a morte; Que apregoam sobre a existência de obsessores e obsessões; que apregoam sobre vinganças e maldições por parte de Deus; Que apregoam sobre as doenças, fomes e pestes lançadas contra os homens, por de Deus; Que apregoam que Deus mora lá fora… no Céu? Que ensinam que os homens estão sujeitos a forças do bem e do mau? Que manifestam o racismo?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 206

 

50 – Acredita que estaria escrito na Gênese segundo Allan Kardec, ed. cit. p. 187 uma brutal manifestação de racismo: “O progresso não foi, pois, uniforme em toda a espécie humana; as raças mais inteligentes naturalmente progrediram mais que as outras, sem contar que os Espíritos, recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornam mais sensíveis a diferença do progresso(sic!). Com efeito, seria impossível atribuir a mesma antiguidade de criação aos selvagens que mal se distinguem dos macacos, que aos chineses, e ainda menos aos europeus civilizados”… Acreditaria nisto?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?. 208

 

51 – Como descreveria a mente de uma pessoa (seus pensamentos e realidade, sua vida e atitudes), que nascesse e crescesse numa sociedade totalmente tomada por conceitos religiosos e ensinamentos de igrejas e doutrinas sobre a existência de um deus relativo (Medonho), externo (Mora lá… no céu!), falho e imperfeito (Arrependeu-se de criar a humanidade e afogou o planeta), Punitivo (permite a existência de um inferno e umbrais de sofrimento), impotente (tem opositores como o diabo, obsessores, magia negra, macumbas, catiça, além de precisar de leis e débitos espirituais como o carma para reger a vida e o universo), ciumento e vingativo (Êxodo 20- Eu, Javé teu Deus, sou um Deus ciumento: quando Me odeiam, castigo a culpa dos pais nos filhos, netos e bisnetos); Mesquinho, Cruel (Deu ao homem o livre arbítrio para escolher e fazer o que bem desejar, mas se escolher e fazer aquilo que desagrade a ELE Deus, será castigado, amaldiçoado, entregue como escravo de outros etc.); Tirano (Tirano é todo aquele que tira dos outros: Se não dizimar deus não vai abençoar)?
Como acredita que seriam os pensamentos e realidade, a vida e atitudes de uma pessoa nascida e crescida numa sociedade totalmente tomada pelos conceitos religiosos e ensinamentos de igrejas e doutrinas sobre um deus relativo o qual se ofende; sujeito a ira; que amaldiçoa até a seus filhos; que permite a existência do mau e tentações por parte de diabo, obsessores e obsessões; Um deus que manda seus enviados destruírem nações, matar até as criancinhas dos vilarejos e tudo isso em seu nome; um deus de necessidades e de vontades?
Reflita e após descreva em detalhes: 211

 

52 – Como descreveria a mente de uma pessoa (seus pensamentos e realidade, sua vida e atitudes), que nascesse e crescesse numa sociedade totalmente LIVRE da ilusão sobre a existência de um deus relativo? Uma sociedade amadurecida sobre a compreensão de que Deus é de fato Absoluto, Amor, Felicidade e que, portanto está em todos os homens, Ama a todos os homens e deseja a felicidade de todos os homens?; Um Deus que é: Interno em todos os homens (o homem nasce na qualidade de templo vivo de Deus e se interiorizando através da meditação o encontra e mantem um íntimo contato com o Divino); Perfeito (somente ordem e graça emanam de suas mãos); Compassivo (jamais julga ou condena, até porque é DEUS!); Onipotente (Único poder – sem opositores); Compreensivo e Afável (que o compreende completamente e além em todos os aspectos, e o que mais gosta é de acolher e abençoar a todos); Magnânimo e Bondoso ( Deu ao homem o livre arbítrio para escolher seguir o caminho que desejar, mas cuidou antes de que não importe qual seja o caminho escolhido, sempre conduzirá você à ELE-Deus); Dadivoso e munífico ( Todo poder da mente do homem é simplesmente dádiva de sua a bondade. Abençoa com grandeza e tudo que deseja é te ver totalmente feliz!)
Como acredita que seriam os pensamentos e realidade, a vida e atitudes de uma pessoa nascida e crescida numa sociedade totalmente integrada com o Absolutismo, Amor e Felicidade que é Deus? LIVRE dos mitos e maledicências das igrejas, doutrinas, religiões, políticos e governos? Um Deus Banzado e onde o cântico da sabedoria ecoa em todas as suas obras? Um Deus supremo que do hausto de sua boca cria universos, dá vida aos mundos, ascende estrelas, toca as galáxias com os dedos e elas prosseguem em harmonia seu curso no universo? Um Deus Amoroso, Supremo, Gracioso, Feliz… Absoluto! Que te fez sua imagem e semelhança rapaz, ou seja, nascido para ser Amoroso, Supremo, Gracioso, Feliz… Absoluto!?
Então querido, como acredita que seriam os pensamentos e realidade, a vida e atitudes de uma pessoa nascida e crescida numa sociedade amadurecida assim? 
Reflita bem para só depois descrever. 217

 

Respostas de inúmeras pessoas

 

1 – Concorda que o que caracteriza um homem como “um buscador espiritual” é o fato que de alguma forma ou por algum caminho, ele busca sentir Deus, busca encontrar Deus, busca um íntimo contato com Deus, busca conhecer Deus e compreender os mistérios da criação, do universo, saber quem é, onde está e para onde vai após aqui?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

1 – M.N. – Sim. Um “buscador espiritual”, independente do caminho que escolhe seguir, procura encontrar Deus, conhecer as Verdades sobre Deus, sobre si mesmoA e sobre o Universo, busca o autoconhecimento, a paz interior e felicidade plena.

1 – M.R. – Sim. Porque enxergo como “buscador espiritual” aquele que busca ampliar sua compreensão da vida e do mundo em que vivemos, além do que a ciência explica usando somente o racional, pois, pelo sentir, percebe que existe algo a mais que pelo racional não se alcança. Acredito que o “buscador espiritual” procura conhecer os mistérios da criação de todas as coisas, portanto, busca conhecer Deus.

1 – D.T.S. – Sim. Sempre senti que algo me faltava, que havia uma lacuna dentro de mim. A princípio busquei preencher este vazio procurando para fora de mim, e nada consegui, por isso sofria. Busquei em formas alternativas de vida, usei muita maconha, e por ultimo estive no santo daime. Mas tudo isto foi para fora de mim, eram formas de prazeres mentais disfarçadas de espirituais e, por isso continuava a sofrer na minha busca de deus. Quando você, Gideon, disse que oasca era muleta espiritual, eu te odiei, cheguei a falar mentiras sobre você para outras pessoas e em destaque para os que tinham ligações comigo. Mas era porque estava revoltado com a verdade que havia falado, porque se o santo daime fosse muleta então eu não tinha o tamanho espiritual que pensava ter, se o santo daime fosse muleta espiritual eu estive vivendo uma ilusão que era espiritualizado. E eu estava numa ilusão, tanto que menti para outros pelo ódio que sentia das suas afirmações, e ser mesquinho não bate com ser espiritualizado. Até que em dezembro de 2013, frustrado na minha busca fracassada por deus, depois de ver que o santo daime foi somente para que pudesse ver o plano espiritual sem que com isso eu caminhasse nele e que, também não podia negar mais que as coisas espirituais que via ao comungar do santo daime, quase que todas e as vezes todas elas, as visões, era eu mesmo quem as criava com minha mente, que eu via mentalmente aquilo que eu queria ver como se fossem verdades espirituais sendo mostradas, mas depois de reconhecer e aceitar tudo isto e ver que isso era a razão do meu sofrimento, resolvi seguir o seu conselho Gideon, e partir ferrenhamente para a meditação. Faz somente 9 meses que pratico meditação todos os dias, e me encontrei, estou equilibrado e feliz, sinto deus dentro de mim porque sinto minha unidade com o universo. Pela primeira vez em 47 anos de vida de buscador eu posso dizer que o vazio dentro de mim deixou de existir e que estou trilhando um caminho sólido e sem ilusões para uma consciência maior. Por tudo isto é que eu sou um buscador.

1 – R. – Sim. Concordo com esta descrição e acredito que o que nos impulsiona a esta busca geralmente é o descontentamento, a tristeza e o sofrimento.

1 – T.G. – Sim. Creio que para ser verdadeira, a busca deva ser caracterizada por uma sincera e profunda procura por Deus e por apenas Ele!

1 – B.Z. – Sim. Porque como pode ser um buscador espiritual se não busca por deus e seus mistérios?

1 – M.N.N. – Sim. O homem nasce com um vazio, que inicialmente tenta suprir com coisas materiais e prazeres egoicos, o buscador espiritual, ao sentir Deus, compreender seus mistérios e o que está fazendo aqui, acalma esse vazio e a matéria deixa de ser alvo de sua saciedade.

1 – R.V. – Talvez eu seja, acho que devo ser. Por que acho que devo ser? Vamos lá, sou umbandista, gay, veterinário e conhecedor das obras do Chico Xavier. Sou gay assumido e não tenho vergonha, culpa e nem peso de consciência por ser gay. Quando pequeno sofri porque meu pai e alguns colegas de infância me chamavam de bicha. Hoje, me formei em medicina veterinária e exerço profissão. Meu pai morreu de alcoolismo, como viveu a vida inteira, e aqueles colegas de infância que me criticavam, uns estão afundados nas drogas e outros são empregados assalariados vivendo a mesma vida medíocre que viveram os pais deles. Estou bem melhor que todos eles. Frequento a umbanda porque acredito nos espíritos que nos acompanham e nas forças que governam o mundo. Agora, se sou um buscador? Acho que sim porque busco ser feliz e, como você mesmo Gideon, ensina, deus é felicidade. Mas minha preocupação é viver a alegria, satisfazer meus desejos, estar bem com os espíritos e com as forças do mundo. Gideon, resolvi responder seu questionário porque te admiro. Você é nobre, tem bom coração, é preocupado com a felicidade dos outros. Tem uns 6 anos que venho acompanhando sua história. Você defende a verdade que acredita e é a franqueza e coragem da suas atitudes que derruba as alegações da parte que se ofendeu, como as do santo daime que não assumem que usam drogas. Como as dos gays que não assumem que são gays. Deseja decidido e insistente a felicidade das pessoas batendo de frente mostrando as causas do sofrimento delas, e como um rio, é impossível de te segurar. Por isso te admiro. É um pecado se algum gay disser que você é um homofóbico, porque você não condena e nunca condenou a nós gays. Você não condena a ninguém, apenas expõe a clareza dos fatos. Quem olhar vai ver que sua luta é contra as drogas e não os drogados. É a favor da ética e da moral, e não contra a liberdade de expressão. É contra a libertinagem e depravação social e não contra os gays e prostitutas. Você fala na visão espiritual e pureza de coração, como outras mentes esclarecidas antes de você também afirmaram, que quem está muito preso ao sexo não está priorizando o caminho de despertar, porque estas ocupações e desejos são mais de ordem terrena que espiritual. Que isso não é certo e nem errado, mas revela o caminho que a pessoa escolheu, seja gay ou hétero não faz diferença. E é isso mesmo, assumo que é isso na boa. Reconheço que sou vaidoso, gosto de me admirar sempre no espelho, mas qual gay que não é narcisista? Gosto de me sentir lindo, usar roupas de grife, chamar a atenção e frequentar as baladas e os points mais cotados onde participam também os héteros, os indecisos, das barbies aos ursos, das musicas eletrônicas aos roqueiros. Qual gay não faz assim? Adoro homens jovens e atrevidos com musculatura definida, másculos e barriga de tanquinho com rosto de safadinho. Se é certo, errado, choca as pessoas, nem penso nisto. Minha vida é alegre vivendo assim, é isso que me importa. Se estou feliz vivendo assim, acho que deus se da por satisfeito também. Quando eu morrer o que vai acontecer, sei lá, mas vou deixar para pensar nisso depois que morrer, até lá vou cuidar de viver bem satisfeito e alegre. Além do mais, um ditado comum entre nós gays: Bicha não morre, bicha vira purpurina! Kkkkkkkkkkkkkk

Outra ponto importante, ninguém nasce gay, todo gay escolheu ser gay e só por isso que não sente atração pelo sexo oposto. Aquela história de hormônios trocados, isso acontece num caso dentre milhões, e precisam ser gêmeos univitelinos de sexo opostos, é coisa raríssima! Mas hoje essa desculpa virou modismo, agora todo gay se diz vítima do nascimento. Seja gay mas seja homem, assuma sua escolha!
Sou médico veterinário, o homossexualismo nos animais é igualmente raríssimo, é uma exceção. As reportagens atuais são tendenciosas, elas pegam a exceção e apresenta como casos recorrentes e abundantes, mas não são. Mesmo eu, médico veterinário, até hoje nunca vi pessoalmente um animal homossexual, mas nem um cãozinho ou um gatinho. Li reportagens e eram tendenciosas, ouvi pessoas falarem que viram e não bate com a realidade animal e científica a forma que disseram! Volto a dizer para esses gays que posam de vítima da natureza, que estão é precisando ser mais homem assim como sou e assumirem a responsabilidade das escolhas que fizeram. Desde de quando é pecado ser gay? Pense nisso e pare de posar de vítima!. Sou gay, escolhi isso, sou feliz vivendo como gay! Porque escolheu ser gay não tem que ser covarde!

1 – B.D. – Sim. Por que a vida tal como é conhecida exteriormente não é completa, a vida tal como é conhecida de fora não tem sentido. No momento que alguém se torna alerta para o fato de que toda essa vida é uma coisa sem sentido, a busca se inicia. Essa é a parte negativa, mas a não ser que essa parte negativa esteja presente, a positiva não pode vir, não faria sentido procurar por algo que não faz falta.

1 – C.S.D. – Sim. Porque temos a necessidade de resposta aos nossos questionamentos íntimos, desejamos a paz e conhecer o verdadeiro amor.

1 – M.M.O. – Sim, acredito que o verdadeiro buscador espiritual, aspira sentir Deus, e ter o íntimo contato com ele, voltando se para dentro de sí, pela meditação, pois, é através do silêncio da mente que temos um profundo contato com nosso Cristo Interno.

1 – C.A.G. – Sim. Porque concordo com a afirmativa da questão, foi e é, uma inquietude constante em minha vida.

1 – E.M. – Sim. Porque se um homem agir diferente das afirmações acima não pode ser reconhecido como “um buscador espiritual”. Se ele simplesmente baseia-se em fatos relatados por outrem pode no máximo ser considerado um estudioso espiritual. Mesmo que venha a decorar as escrituras sagradas de todas as religiões não passará de um mero conhecedor de fatos historicamente registrados e manipulados por outros homens. O sentir implica em vivenciar, experimentar. Conhecer e saber distingue o inteligente do sábio. Descobrindo quem é pode distinguir o que funciona ou não funciona para construir o futuro almejado. O ponto de partida é onde está! Agir conscientemente. Para onde vai? O buscador espiritual descobre após compreender quem Realmente É!

1 – A.N. – Sim, pois o buscador espiritual não se satisfaz com as coisas materiais, mundanas, pois ele não encontra sentido em apenas buscar por riquezas, status, posses. Quando o faz, sente um vazio imenso. O buscador sente em seu coração que a vida é mais profunda e que tem algo a mais do que vemos ao nosso redor. O buscador em seu íntimo sente Deus, mas ainda não compreende como se manifesta e quais são seus princípios, mas a busca por compreensão é latente.

1 – M.F.G. – Sim. Por que este é o processo de relembrar quem somos na verdade. E essa é a vontade de DEUS também. Ele se dividiu em infinitas partes para poder experienciar como que é ser divino. Não que ele não saiba, mas na esfera do absoluto, não existe nada além do mais puro amor, e isso é realmente maravilhoso. Mas DEUS quis saber como que era ser tão magnificente através da experiência e criou a relatividade para fazer isso (descobrir como é ser  DEUS). É o que estamos tentando fazer no momento.

1 – R.R. – Sim. Tudo que aprendi, durante o tempo em que convivi na religião ensinada por meus pais, foi no sentido de me livrar principalmente do pecado para então conhecer Deus e tomar posse de suas bênçãos, proteção e vida eterna. Deus era uma coisa difícil de ser atingida, distante. Aprendi que eu fui criado segundo imagem e semelhança de Deus. Nunca me ensinaram que eu era um Deus em miniatura, um Deusinho.

1 – V.L. – Sim. Acredito que exista somente um meio de buscar a Deus tendo assim o verdadeiro amor. Que adentro de cada um de nós Deus e amor.

1 – J.J.  – Sim, Isso que é isso o que o caracteriza como buscador (aquele que ainda não se encontrou), ele ouve falar que ele já tem essas respostas, que ele já é perfeito, mas não manifesta nem sente isso de fato.

1 – I.T. – Sim. Porque concordo que esses são princípios que movem um buscador.

1 – J.A. – Sim, cresci na Igreja evangélica, e sempre soube que tinha que escolher entre deus e o capeta.

1 – F.G. – Sim, Pois é o que sinto, há uns quatro anos atrás eu vi que mesmo tendo bom emprego, família e amigos, porém; existia um vazio que não conseguia preencher, foi quando encontrei o instituto Céu de Govinda do padrinho Jorge e da madrinha Inês, desde então percebi que este vazio era essas perguntas e que começavam a ser respondidas.

1 – A.S. – Sim. Mas tem outro aspecto, se eu busco é porque não sinto que sou templo vivo de Deus, sendo assim uso outras vias para tentar compreender sua natureza, talvez me faltasse entender que as respostas podem estar dentro de mim mesma e não fora.

1 – M.A.T. – Sim. Porque sem Deus não somos completos. O ser que não está de fato em contato com Deus sente-se vazio, pelo menos eu me sinto assim.

1 – M.C. – Sim. Acredito que existe algo que vai além da nossa imaginação e crença que vivemos.

1 – R.M. –  Sim. É por que na busca de Deus é que encontramos nosso verdadeiro eu, assim conseguimos emanar amor e compreensão ao nosso semelhante.

1 – F.L.B. – Sim. Esta busca direta com Deus sim de fato faz sentido. A busca que encontra em seu caminho o ego e então decide enfrenta-lo, para só assim ciente, abrir sua visão e entender que é Deus-Filho e Ele esta em Ti. É uma pena que a grande maioria das religiões, senão todas omitem esse fato e coloca cabrestos na humanidade.

1 – B.C. – Sim, pois ele busca respostas sobre sua origem, e busca seu crescimento como individuo.

1 – H.J. – Sim. A busca pelo espiritual inicia-se a partir do momento em que se começa a adquirir a consciência do divino que está dentro de si. A partir de então, inicia-se sua jornada de recuperação da consciência do seu verdadeiro Eu. Isto o torna um buscador espiritual.

1 – M.S. – Sim. Buscando dentro, ele vai encontrar Deus, encontrando conhecerá todos os mistérios do universo, que se dissolve na simplicidade.

1 – P.E.D. – 
Sim. Um buscador Espiritual busca Deus em sua essência, formando um conceito ainda que humano do que é Divino e Incognoscível para nossa natureza. Também busca os mistérios da Criação e suas manifestações…

1 – M. F. – Sim.

1 – S.G. – Sim. Na realidade, em minha opinião o buscador “sofre” de uma profunda inquietude espiritual, inquietude esta que leva o mesmo a bater em portas, por vezes e muito frequentemente não encontra respostas para seus anseios, desta forma; vê, experiência, e continua sua busca. Pessoalmente já fui muita coisa, católico, espírita, evangélico por 8 anos, depois disto ateu convicto por mais uns 10 anos, e recentemente me denomino livre pensador, creio que a consciência permanece após a morte, este insight tive com o uso cerimonial da sagrada ayahuasca em novembro último. Só tenho a  agradecer.

1 – I.P. – Sim. Porque as coisas da matéria nunca preenchem.

1 – C.C.A.A. – Sim, gosto, particularmente, de chamar de filosofo, ou seja, Filos Sophos, amigo da Sabedoria, buscador da Sabedoria. E sabedoria é verdade. E a primeira inquietude de um buscador da sabedoria é saber de onde vim, para onde vou, qual é minha missão no mundo, sobre a existência e os mistérios de Deus.

1 – L.A.P. – Sim. O que caracteriza um buscador espiritual é o fato de tentar chegar a alguma compreensão da experiência humana e da sua ligação com o Criador. O caminho para este entendimento é a introspecção, é o homem voltar-se para o seu mundo interior e conhecer a si mesmo. Como somos filhos de Deus e feitos a sua imagem e semelhança, descobrimos Deus à medida que descobrimos nós mesmos. Desta forma não encontraremos Deus dentro das religiões, pois estas são apenas criação do próprio homem e na maior parte dos casos só busca aumentar o seu poder sobre aqueles que a elas se submetem.

1 – M.C.Q. – Sim. Porque quando o homem, na inquietude do seu travesseiro, sente que a vida, como é conhecida externamente, não faz sentido, sente a necessidade de buscar algo que faça sentido, sente a necessidade de buscar a compreensão de sua atual condição, de sua realidade.

1 – A.C.Z. – Sim. É o grande objetivo do buscador, encontrar o “Arquiteto” do Universo é o sentido da experiência.

1 – R.S.S.S. – Sim. Acredito ser o único objetivo do buscador espiritual, este contato, saber de fato quem ele é. Não me preocupo para onde vou apenas saber quem sou e o que vim aqui fazer de verdade.

 

 

2 – Acredita ser você um buscador espiritual?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

2 – M.N. – Sim. Desde muito jovem buscava pelo conhecimento, depois percebi que sem sabedoria o conhecimento teria papel limitado ao longo da vida, buscava por experiências sensoriais e satisfação de desejos, até que em um momento de tristeza profunda, percebi que o que sempre buscava era Deus, encontrar Deus, ter uma experiência espiritual profunda e verdadeira, e me tornei um “buscador espiritual”.

2 – M.R. – Sim. Porque busco conhecer a vida além do que se pode racionalizar, pois sinto que existe “algo” além da matéria. Quando observo o universo e leio sobre o que a ciência sabe sobre o universo, vejo que a humanidade sabe muito pouco, quase nada, de um universo que acredita ser infinito. Assim, percebo como sou pequena, como somos todos pequenos na Terra, percebo que não consigo compreender a grandeza do universo e, portanto, sinto que existe um Criador que orquestra todas essas maravilhas.

2 – D.T.S.
– Sim. Como respondi na pergunta anterior, hoje eu sou um buscador espiritual, mas desde que comecei a meditar há 9 meses, que me encontrei e encontrei o caminho passando de buscador para um caminhador espiritual do caminho encontrado.

2 – R. – 
Sim. Busco e me satisfaço plenamente quando encontro este contato, tenho a necessidade de me libertar das artimanhas do ego, pois sei que ele é o pai da infelicidade.

2 – T.G. – Sim. Considero-me sim uma buscadora espiritual, pois busco o íntimo contato com Deus!

2 – B.Z. – Sim. Sou um buscador espiritual porque desejo um encontro com deus e compreender os mistérios de sua criação.

2 – M.N.N. – Sim. Há algum tempo o foco da minha existência deixou de ser suprir apenas os anseios materiais, cada vez mais procuro estar consciente das minhas ações e consequências delas para mim, os que me cercam e para o planeta, mas somente isso não me caracteriza uma “buscadora”, essa e outras mudanças são apenas acontecimentos que houve a partir de uma mudança interna, é fora e dentro.

2 – R.V. Acho que sim, semana sim e semana não, nas quartas feiras frequento um terreiro de umbanda, ascendo velas, defumo, agrado aos exus, aos orixás, eu faço bem a minha parte. Se isso for ser um buscador, eu sou. Porque se para ser um buscador espiritual vai depender de poder ser ou não ser gay, fica complicado porque se eu tiver de deixar ser gay para ser um buscador, de ser gay não vou abrir mão, porque gosto da vida que levo. Melhor ser um gay feliz do que um buscador frustrado kkkkkkkkkkkkkk

2 – B.D. – Sim. Tenho sentimentos de ser o templo de Deus vivo, a pura essência do amor e da consciência Divina habita minha matéria, matéria essa que um dia apodrecerá e restará apenas a consciência Divina do eu sou.
Eu sou um buscador espiritual, eu sou o templo de Deus vivo, eu sou a essência do amor Divino. A consciência que após deixar a matéria será apenas paz amor e Divino.

2 – C.S.D. – Sim. Vivo minhas experiências espirituais para encontrar dentro de mim as respostas aos meus questionamentos, para me conectar ao amor divino que abita dentro de mim, para tentar acessar meu verdadeiro ser, para superar minhas fraquezas e assim poder voltar para casa.

2 – M.M.O. – Sim. Pois, desde muito menina, eu sempre tive em meu coração o desejo de sentir um íntimo contato com o Pai. Com um espírito questionador, e explorador, busquei encontrar Deus fora de mim, frequentei igrejas, centros espíritas, umbanda, candomblé, templo hare krishna, e santo daime. E compreendi que todas as religiões, tinha em comum uma mesma coisa, a fé cega, e o objetivo de aprisionar o ser humano no medo e na culpa. Os espíritas disseminando o sentimento de medo e culpa, atraves da crença em um “Umbral” de sofrimento, apenas mudando de nome o dito inferno dos católicos e evangélicos, e tercerizando a culpa dos atos do ser humano apregoando a existência de obsessores que tem o poder de influenciar as atitudes do homem, fato estes que são mera ilusão e ficção para domínio de massas. Por experienciar diversas crenças religiosas equivocadas, e errôneas, percebi nessa jornada, que as religiões disseminam a idéia de um falso Deus, e minha visão ficou clara, após muita reflexão e introspecção no silêncio da mente, consegui ouvir meu coração, e fui compreender que a única chave que liberta o ser humano para o seu Divino Interno é a Meditação.

2 – C.A.G. – Sim. Porque sempre esteve comigo um sentimento que a vida é muito mais que simplesmente nascer fisicamente, se desenvolver em meio a cultura, estudar, trabalhar pra depois envelhecer e morrer, tendo nesse intervalo chamado vida; experiências “boas” e “ruins”… Havia algo mais a se buscar na vida, além das simples experiências ligadas as nossas limitadas percepções que o mundo externo nos apresenta.

2 – E.M. – Sim. Jamais aceitei as verdades que me impuseram na escola, na catequese ou grupos de estudos espirituais. Percebi que em toda parte havia sempre uma enorme lacuna a ser preenchida. Falam de amor e igualdade e ao mesmo tempo excluem o que não lhes agrada. Desde criança, mesmo sem conhecer nada sobre meditação, ciência, liberdade, encontrava em meu quarto a forma de ver-me em uma águia e voando no céu azul! Sempre soube que o mundo era perfeito! Sabia que chegaria o dia que a paz reinaria entre nós! Lindas redações. Ótimas notas… Teoria inaceitável no mundo acadêmico. Então, se o mundo da ciência dos homens tem medo de sair da caverna, certamente não é o lugar adequado para continuar minha busca. Utópica e “avoada”. Era assim que se referiam a mim meus educadores. “O mundo que crê é lindo… Porém, acorde criança! É hora de crescer e viver a triste realidade!”… Só eu sei o que passei nas vezes que resolvi escutar este conselho… Porém, a coragem de prosseguir do ponto que muitos desistiram me mostrou que buscar é muito mais que desejar prosseguir. É Coragem e Dedicação.

2 – A.N. – Sim, pois sempre trouxe em meu coração a certeza de que a vida não era feita apenas para trabalhar, ganhar dinheiro, ter posses, constituir família, etc. Sabia, mas ainda não compreendia que havia algo a mais. Essa busca me levou a conhecer o Céu Nossa Senhora da Conceição. Lembro-me que no primeiro curso que fiz na Fazenda, o Padrinho Gideon disse que todos os participantes do curso apenas chegaram à fazenda, porque em algum momento de sua vida clamaram por auxílio e socorro, por isso foram conduzidos pela espiritualidade. Após esse curso a busca espiritual se consolidou, descobri um caminho que antes não imaginava trilhar, o caminho interior. E desde então meu olhar para as coisas de Deus se alargou e o desejo de saber quem realmente sou aumentou.

2 – M.F.G. – Sim. Acredito que todos nós somos. Mas o que diferencia é se a pessoa faz isso consciente ou não. A maioria esta como um sonâmbulo. Mas respondendo diretamente a mim. Bom, acredito ser um buscador espiritual por que apesar do pouco que ainda relembrei, sei que não sou o meu corpo e minha mente racional mais sim o espírito em uma jornada eterna. Antes de chegar ao Céu Nossa Senhora da Conceição, frequentei igrejas e religiões e serviu apenas para enxergar o quanto elas nos atrasam. Foi ti Padrinho que me fez enxergar isto e muito mais (obrigado). Porém confesso que não venho sendo um buscador assíduo como gostaria de ser, mas eu vou mudar isso. Por que a minha vontade é buscar as virtudes do espírito.

2 – R.R. – Sim. Hoje sim mais do que nunca, pois, acordei para o fato de ser uno com o Pai. Hoje o Deus que busco é mais simples assim, mais próximo, mais acessível e já esta em mim. Descomplicado. Nunca podia imaginar que um dia fosse enxergar Deus dessa maneira. Aos 12, 13 ou 14 anos de idade, morria de medo de Deus. Medo de desagrada-lo, medo de estar pecando.

2 – V.L. – Sim. Acredito sim ser uma buscadora espiritual. Busco todos os dias sentir e conhecer e compreender os mistérios de Deus.

2 – J.J. –
Sim, embora tenha lampejos de clareza e isso, às vezes dure dias, acabo retrocedendo ao estado anterior. Ainda não entendo claramente porque há tanto sofrimento, principalmente o físico (doenças, tortura, guerra, dor, morte). Não me parece haver nenhum propósito que justifique isso.

2 – I.T. – Sim. Porque o que guia meu caminho são os princípios citados na questão numero 1.

2 – J.A. – Sim.Medo do inferno.

2 – F.G. – Sim. As perguntas ainda não foram todas respondidas, ainda tenho que me melhorar, durante esses quatro anos vi que ao passo que vencia uma batalha interna, outra estava me aguardando, ainda tenho objetivos a alcançar na caminhada espiritual.

2 – A.S. – Sim. Como eu disse na resposta anterior, eu busco encontrar resposta e o intimo contato com Deus nas meditações que faço com ayahuasca!

2 – M.A.T. – Sim. Porque sempre estive procurando por Deus, desde que me recordo por gente. Entretanto buscava fora. Agora, depois de conhecer o esta caminho abençoado que o Padrinho Gideon propaga, estou buscando onde realmente ele está: em meu interior.

2 – M.C. – Sim. Por não acreditar que só exista o que vivemos na Terra.

2 – R.M. – Sim. Há muito tempo eu venho buscando alternativas; tentando cada vez mais lapidar o despertar da minha sabedoria, e a meu ver buscar o espiritual e ajudar ao pró-ximo.

2 – F.L.B. – Sim. Hoje posso dizer que de fato sou um buscador, depois que aprendi a esvaziar a minha taça, esta que estava cheia de teorias e nada de prática. Posso dizer que sou um bebê neste caminho, mas sei que o Amor de fato está despertando e que somente a prática leva ao Pai.

2 – B.C. – Sim, pois procuro a verdade dentro de mim, busco o contato com meu cristo interno através da meditação.

2 – H.J. – Sim. Há muito comecei a buscar a consciência do divino, e aos poucos percebi de fato que a minha jornada de recuperação da consciência do seu verdadeiro Eu se fazia cada dia mais presente.

2 – M.S. – Sim. Procuro luz e me conhecer, ampliar minha consciência e ser um ser humano melhor pra mim e para os outros.

2 – P.E.D.
 – Sim. Sou, pois busco a compreensão do Divino, as escalas vibratórias da Criação, a natureza humana e seus conceitos e me direciono sempre em direção da verdadeira Luz.

2 – M.F. – Sim.

2 – S.G. –  Sim. Sou um buscador, continuando minha resposta acima a desconstrução da crença do ateísmo convicto ocorreu por conta das minhas buscas, aparente paradoxo se explica, era um ateu convicto, entretanto admitia a possibilidade, mesmo remota da existência de Deus, o que me fez prosseguir em minhas buscas.

2 – I.P. – Sim. Quando eu era criança ouvia dizer, na igreja que Jesus subiu ao céu e está sentado do lado direito de deus e eu não entendia e ficava pensando: fazendo o que será? É só isso? Morrer e ir para o céu se fossemos bonzinhos pra ficar lá sentado!?

2 – C.C.A.A. – Sim, mas como disse gosto de chamar de filosofo, pois buscador espiritual me traz uma conotação de um buscador de crenças religiosas e muitas das crenças nos afastam da verdade. Sou buscador da sabedoria. E para mim sabedoria não é conhecimento, pois sabedoria implica em uma pratica daquilo que eu reconheci como sendo verdade.

2 – L.A.P. – Sim. Desde o início da minha busca tenho procurado construir as minhas próprias respostas para aquelas questões essenciais do ser humano. É valido que tenhamos o conhecimento das respostas dadas pela mitologia, pelos sistemas religiosos, pela ciência moderna e pelos filósofos e místicos, no entanto não devemos nos apegar a elas pois a verdade é a verdade de cada um, é necessário experienciar todo conhecimento externo a nós mesmos para que cheguemos às nossas próprias conclusões.

2 – M.C.Q. – Sim. Porque sinto a necessidade de não só saber, mas de conhecer, de relembrar quem de fato eu sou.

2 – A.C.Z. – Sim. Sempre estive buscando Deus mas, antes nem sabia por onde começar, agora começo pelo meu Eu Interior, o caminho será longo mas é o caminho certo.

2 – R.S.S.S. – Sim. Devido minhas longas jornadas com passagens em diversas escolas em busca de preencher o meu vazio existencial.

 

3 – Você que se diz um buscador espiritual, tem a coragem de olhar imparcialmente para suas próprias crenças, enxergar com clareza no que acredita de fato, ver sem mascaras o que tem para ser visto?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

3 – M.N. – Sim. Aprendi em minha caminhada que a Coragem é a liga entre o Plano Material e o Plano Espiritual, portanto percebi que para conhecer a verdade é preciso conhecer as inverdades, as mentiras, enxergar claramente se minhas crenças me aprisionam ou libertam, perceber minhas crenças dogmáticas. Desde então passei a enfrentar a mim mesmo e encarar minhas atuais crenças de frente e sem véus.

3 – M.R. Sim. Procuro ter coragem para rever minhas crenças porque busco conhecer a verdade acima de tudo.

3 – D.T.S. –  
Sim. Hoje através da meditação realmente faço isso. Vejo as situações da vida sem julgamentos, sem me por como o bandido ou mocinho. Na época das drogas e do santo daime falava muito destas coisas sempre que me convinha falar delas, mas praticar que é bom, nada. Tanto eu quanto os outros da turma só nas palavras. Era um discurso pensado que impressionava os recém chegados e quem nos conhecia pouco. E havia o daime mel e o daime melhor, que é o que a gente sempre buscava por um mais forte, mais forte e mais forte, cheguei a beber 4 doses de daime mel, daqueles grosso e se deixassem bebiam uma quinta dose. Era nós usando daime como drogas, era nós buscando pela ilusão e sensações das drogas bebendo santo daime. Hoje vivo realizado, livre, me olho com coragem e imparcialidade.

3 – R. –
 Sim, gosto de mudar e de me refazer sempre que for necessário.

3 – T.G. Sim. Tenho sim, pois creio poder enxergar as verdades é o que me ajuda e me liberta. E além do mais, onde estaria a sinceridade da minha busca se eu aceitasse meias verdades?

3 – B.Z.  Sim e estou fazendo isto faz algum tempo. Eu ainda sou homossexual e estou me trabalhando para deixar isso de lado. Foi difícil olhar para mim e ver como estava de verdade, ver que era bem apegado à matéria, ao sexo, que era fútil, minha versão de felicidade era ter muito dinheiro, roupas com etiquetas e muita fantasia sexual, meu negocio era urruuuuuuuu! Adorava novelas da globo e assistir ao big brother. Ver e reconhecer tudo isso não foi fácil, mas foi depois disso que comecei a ser um buscador espiritual de verdade.

3 – M.N.N. – Sim. Diante dos acontecimentos da vida procuro não me colocar como vítima ou heroína, procuro enxergar os fatos além da minha primeira impressão ou reação.

3 – R.V. – Sim e não. Minhas preocupações está em viver alegre, viver bem satisfeito, ter um carrão e não ficar prejudicando a ninguém. Este negócio de procurar ver a si mesmo sem mascaras, é interessante mas não curto muito isso. Eu estando bem com os espíritos tá bom e me dou por satisfeito nesta parte. E presto atenção nas enganações e estelionatos que estão a solta na vida religiosa. Hoje tem um surto de chamãs, pajés, pais de santo, videntes, médiuns especiais, pastores, curandeiros, médiuns curadores etc, toda sorte de exploradores e estelionatários da fé para benefícios de si mesmo.

3 – B.D. –  Sim. Sendo um “buscador espiritual” estou buscando de fato o que acredito ser a pureza do amor que abita meu ser. Um buscador espiritual tem sua crença em algo superior que na realidade habita o seu próprio interior com clareza, mas que por algum motivo ele ainda não enxergou.
Um buscador espiritual hoje acredita com muita fé em algo que ele acha ser uma consciência superior, mais isso não quer dizer que daqui dez anos ele estará acreditando fervorosamente na mesma coisa.
Sendo assim não teria problema algum em enxergar de fato o que realmente tem para ser visto.

3 – C.S.D. – Sim. Não tenho vergonha, nem medo de ver meu lado mais denso, pelo contrario, venho trabalhando arduamente para o meu melhoramento íntimo, nada mais me surpreende e me assusta, hoje já posso ver que tudo é possível.

3 – M.M.O. – Sim, acredito que onde há fatos, não há argumentos. Tenho a coragem de enxergar que a verdade tem de ser mostrada tal qual é, sem máscaras, e sem véus. Uma verdade só pode ser verdade se for averiguada, questionada, especulada até ter-se uma visão integral dos fatos como são em sua totalidade.

3 – C.A.G. – Sim. Porque se no que eu acredito não me transforma, não me traz felicidade, sinceramente olho até mesmo com sentimento de revolta para uma “verdade” que não me traz a transformação que almejo, e só me faz perder tempo.

Desejo mesmo a verdade que acredito seja posta em xeque para que em mim, o meu espaço, fique reservado somente à verdade absoluta.

3 – E.M. – Sim. Se foi difícil viver na ilusão que um dia tentei aceitar como verdade, pior tem sido encarar as consequências dos atos cometidos nesta época. Mas ter vindo até aqui apesar de tudo conspirar contra essa decisão fortaleceme cada vez mais a prosseguir. Se as lágrimas rolaram como cascata a cada mistério revelado, o dobro de paz instaurou-se em meu ser. Reconheço que ainda há muitos aspectos a serem revistos e restaurados, porém não vim até aqui para sentar-me a sombra. São existências infinitas de busca! Não tenho mais tempo para descansar e brincar de existir!

3 – A.N. – Sim, pois as crenças aprisionam o ser humano. Desejo me libertar de crenças, me libertar de tudo que foi incutido através dos cabrestos do medo e da culpa.

3 – M.F.G. – Sim. Por que essa é a vontade do espírito. Mas para a mente racional, isto não é muito fácil. Sempre que acontece uma situação em que as mascaras caem, algumas mazelas que estavam escondidas atrás delas aparecem, e é nesse momento que o bicho pega. Eu enxergo isso como uma oportunidade de exercitar o espírito. Confesso que estou um pouco lento nesse processo.

3 – R.R. – Sim.  Posso dizer hoje que aumentei bem minha coragem de ver a realidade, seja ela qual for. Tudo depois de ter convivido esses anos no CNSC, comungando Ayahuasca, no aprendizado das palestras, dos hinários. Se perceber que estou errado, hoje, tenho bem mais coragem de aceitar e tentar mudar.

3 – V.L. – Sim. Vim em busca de respostas sobre todas as religiões e crenças.

3 – J.J. –Sim, as vezes me pego questionando sobre toda forma de crença extra- física, considerando até mesmo o ateísmo e, às vezes, questionando até o próprio ateísmo

3 – I.T. – Sim. Porque já fiz isso outras vezes e farei sempre que necessário para o amadurecimento espiritual.

3 – J.A. – Sim. Jesus disse: “Conhecerás a verdade e a verdade vos libertará”

3 – F.G. – Sim. Foi desta forma que consegui vitórias e concordo que seja o único caminho para uma libertação verdadeira, nunca esqueço que num curso do Viver de Luz, o senhor nos ensinou a sermos o psiquiatra de nós mesmos, observarmos como uma terceira pessoa, com imparcialidade… E isso me ajudou muito e ainda me ajuda sempre que coloco em prática.

3 – A.S. – Sim. Tenho uma natureza questionadora, mais ainda quando percebo crenças conflitantes.

3 – M.A.T. – Sim. Embora às vezes seja difícil, pois temos que desmontar toda uma estrutura de pensamento a tempos enraizados. Isso aconteceu quando me libertei da Igreja católica e, mesmo contra vontade de meus pais, fui em busca de desenvolver meus “dons mediúnicos” na umbanda e depois, no Kardecismo. Penso assim porque sempre estou me questionando sobre o que devo realmente fazer, o que sinto.

3 – M.C. – Sim. Quero sentir o Divino que habita dentro de mim.

3 – R.M. – Sim. Porque crenças podem estar relacionadas a ilusões.

3 – F.L.B. – Sim. Embora não seja fácil encarar sim, tenho batalhado incessantemente contra as crenças elaboradas no passado e tenho consegui progressos em todos os meios que no passado pareciam ser uma utopia.

3 – B.C. – Sim, pois é um bem necessário mesmo que doa às vezes.

3 – H.J. – Sim. No estágio atual que me encontro, já sou capaz de olhar imparcialmente para as minhas próprias crenças, visando deixar ir aquilo que não expressa a Divina Luz.

3 – M.S. – Sim. Busco corrigir minhas falhas e ver sem máscaras, a meu ver é interessante ver as coisas como são, será um presente magnífico.

3 – P.E.D.
 – Sim. Tenho, pois a experiência humana nos faz aprender a cada instante e sempre estou aberto a incorporar novos conceitos sobre a espiritualidade.

3 – M.F. – Sim. Participei do curso “Desbloqueando o Ser Humano”, mas ainda estou no processo de ser imparcial às pessoas que, com carinho, acreditava que fossem um canal mais próximo à Deus (em comparação à mim). Irei pesquisar melhor sobre cada uma delas, como foi sugerido no curso.

3 – S.G. – Sim. Porque desta sua resposta? Estou disposto a desconstruir crenças, e o próprio ego na medida da necessidade do processo de iluminação, diga-se de passagem que a iluminação repousa em uma zona de desconforto e a meu ver não termina nunca, a única crença que devemos ter é a de que todas as crenças podem e devem ser refeitas a todo momento, assim caminha a evolução e o universo.

3 – I.P. – Sim. Porque penso em quando voltar para o mundo espiritual quero ir melhor do que estou agora.

3 – C.C.A.A. – Sim, e para isso uso uma ferramenta que foi ensinada por Sócrates pelas palavras de Platão, que se chama Dialética. A dialética consiste em uma tese, uma antítese e a síntese. Ou seja, a tese que é toda informação, teoria, crença ou conhecimento que se apresente tem que passar pela antítese que é uma informação ou ideia contrária, oposta e tão impactante e tão verdadeira quanto à primeira ideia. Só ai, definimos o que queremos acreditar eliminando uma ideia ou mesmo sintetizando as duas ideias.

3 – L.A.P. – Sim. É preciso fazer uma constante reflexão sobre nossas crenças para que não corramos o risco de perder o nosso tempo tão precioso vivendo ilusões criadas por nós mesmos. A minha busca por Deus começou pelo ateísmo e isto durou até que eu percebesse que a minha revolta não era com o criador e sim com as explorações que as igrejas faziam em seu nome. Quando descobri que Deus não era aquele das escrituras pude reavaliar a minha crença e seguir em frente.

3 – M.C.Q. – Sim. Porque 99% do que lemos, do que nos dizem, do que nós pensamos ser a verdade, de fato não é. E isso vale para nossas crenças.

3 – A.C.Z. – Sim. Porque o caminho esta correto; para dentro.

3 – R.S.S.S. – Sim. Olhar imparcialmente para minhas próprias crenças sim, acredito estar caminhando para enxergar o que precisa ser visto. As máscaras vão se desnudando aos poucos. Processos.

 

 

4 – Você concorda comigo que Deus é de fato Absoluto, Amor, Felicidade?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

4 – M.N. – Sim totalmente. Inclusive percebo que até mesmo as religiões pregam em seus livros santos superficialmente e de maneira sutil que Deus é Amor, que nos ama incondicionalmente, que somos Filhos de Deus, que Deus é onipotente, onipresente e onisciente, mas não conhecem essa Verdade e estabelecem dogmas que impõem o medo e a culpa, criam a imagem de um deus punitivo, para que seus seguidores não abandonem suas igrejas e se libertem.

4 – M.R. – Sim. Hoje acredito que Deus é Absoluto, Amor, Felicidade, porque quando reflito sobre Deus ser Absoluto, Amor, Felicidade, reconheço como verdade, me sinto feliz, meu coração se aquece. Deus ser Absoluto significa que não há nada além de Deus, não há nada diferente de Deus, Ele É tudo o que há. Se Deus não fosse Absoluto, exisitiria algo sendo opositor a Ele, portanto, Deus não seria o Criador de tudo. Deus não criaria algo ou alguém para se opor a Ele. Deus é Amor e Felicidade, porque são os mais sublimes sentimentos que se pode utilizar para descrever Deus.

4 – D.T.S – 
Sim, hoje sim, graças a meditação hoje eu posso dizer conscientemente que sim.

4 – R. –
Sim, apesar dos meus limites em tentar entender o que é o absoluto, sei que a força que criou e mantém tudo aqui é perfeita e somente o amor é perfeito.

4 – T.G. Sim. Para mim Deus é Tudo, e Tudo vem Dele.

4 – B.Z. – Sim, hoje eu concordo. Precisei sofrer bastante até entender que somos nós mesmos quem escolhemos o que queremos ser, viver, experienciar. O que deus faz é amar a todos nós e fazer com que qualquer escolha que faça vai fazer com que se volte para ele.

4 – M.N.N. – 
Sim. Assim que sinto Deus.

4 – R.V. – Concordo, ou ele não poderia ser deus.

4 – B.D. – Sim. Deus é a pura essência do amor e da felicidade “O Absoluto” sendo um templo de deus vivo sente é que esse amor essa felicidade habitam em meu ser por algum motivo ainda busco o absolutismo desse Deus que me habita para que possa espalhar todo esse amor e felicidade aos irmãos que precisam ou que tanto desejam também conhecer o absolutismo de Deus no amor verdadeiro.

4 – C.S.D. – Sim. Sim, claro! Essa resposta é fácil, ao ler a pergunta já senti meu coração bater forte, assim e quando vibro a presença divina, o amor brota forte em meu peito, não tenho como descrever esse amor, mas não existe mais nada só eu e Deus.

4 – M.M.O. – Sim. Acredito que o Papai do Céu, nos Ama Incondicionalmente, pois ele é Absoluto, é Amor é Felicidade. Acredito que somos filhos muito amados de Deus. Ele nos Ama e para ele não importa o que façamos, ele é Absoluto, logo não possui vontades. Deus nos ama e nos abençoa a todo tempo, somos nós que por vezes nos fechamos para suas bençãos.

4 – C.A.G. – Sim. Porque é completo! É a origem de tudo! Tudo o que possamos imaginar, DEUS JÁ É!

4 – E.M. – Sim. Se assim não o reconhecermos ele não seria Deus. Seria talvez um gover-nante, um rei, uma autoridade maior a quem deveríamos obediência e fidelidade. Um simples ser que estaria no comando. É assim que o percebi nas escrituras. Como sempre afirmei, repito que se Deus for o que descreve a bíblia, prefiro ser repudiada como um simples ateu, pois não reconheço o amor quando relatos me mostram um ser vingativo, autoritário e preconceituoso.

4 – A.N. – Sim, Deus é tudo que existe, a única realidade. É nosso Papai e amigo muito amado, não abre mão de nenhum de seus filhos, ama a cada um incondicionalmente, independente do que cada um faça ou deixe de fazer. Seu maior desejo é nos ver felizes, é abençoar com todas suas forças. Deus é a Inspiração.

4 – M.F.G. – Sim. Por que DEUS é tudo que realmente existe. E tudo que provém dele, é sempre o sentimento mais nobre que existe (o amor). Não existe nada além do amor, portanto DEUS é e sempre será absoluto.

4 – R.R. – Sim. Ele, definitivamente não pode ser aquele homem que fica sentado numa cadeira lá no Céu, atirando raios e trovões para amedrontar seus filhos na terra, punindo quem “peca” e lançando pragas.

4 – V.L. – Sim. Por que Deus não se explica se senti dentro de cada um. É um Amor puro e verdadeiro.

4 – J.J. – Sim. Felicidade varia de acordo com a pessoa, porém o amor, esse, no geral é tido como incondicional e, penso que um ser que consegue amar até o seu opositor só pode ser divino.

4 – I.T. – Sim. Porque o grau de amor e felicidade que sinto já são a prova disso.

4 – J.A. – Sim. Após aprender no CNSC.

4 – F.G. – Sim. Já tive experiências que pude sentir e perceber o amor de Deus.

4 – A.S. – Sim. Quando pouso meu olhar nas belezas naturais desse planeta e todo engrenagem para que eu possa estar aqui.

4 – M.A.T. – Sim. Porque DEUS é a essência o princípio de tudo. Nunca concebi uma ideia de vida sem a presença de Deus.

4 – M.C. – Sim. Absoluto, Amor e Felicidade.

4 – R.M. – Sim. Acredito sim no absolutismo de deus, porque a nossa escola que e a nossa estadia neste planeta seria como uma forma de lapidar a nossa alma para que alcancemos a pureza e a perfeição que é o amor.

4 – F.L.B. – Sim.

4 – B.C. – Sim, pois isso é ser Deus; o amor.

4 – H.J. – Sim. Não há espaço dentro do buscador espiritual para um Deus relativo, a partir do momento que se começa a recuperação da consciência do seu verdadeiro Eu.

4 – M.S. – Sim. Deus é tudo isso e muito mais.

4 – P.E.D. – Sim, pois o Criador só poderia ser Absoluto de outra forma seria vulnerável em sua criação.

4 – M.F. Sim.

4 – S.G. – Não. Não posso afirmar categoricamente tal assertiva sem me sentir hipócrita, sou um peregrino em um caminho novo, apenas engatinhando… O mal existente no mundo para mim ainda é um conceito que preciso pesquisar e chegar a conclusões. Mas, uma coisa de cada vez, acredito que nos últimos meses tenho passado por grandes transformações.

4 – I.P. – Sim. Porque ele é o pai que ama seus filhos e quer o melhor.

4 – C.C.A.A. – Sim, só tenho que colocar nome aos bois. Amor e felicidade estão contidos no absoluto. O absoluto é a unidade é o todo de onde vem todas as coisas e sua primeira manifestação é triádica que resumindo é; vontade, amor e inteligência. Felicidade é a noção que a gente da à nossa vida e do que fazemos.

4 – L.A.P. – Sim. Sendo Deus o criador da obra, cada detalhe da mesma encontra-se submetido a suas leis e princípios divinos, da menor das partículas ao maior dos astros. E se as leis formuladas pela Ciência dos homens não atestam isto é porque a percepção e o conhecimento dos homens ainda é limitado e não o do Criador, que é perfeito.

4 – M.C.Q. – Sim. Pois Ele tem nos dado chances fantásticas de experienciar e relembrar que também somos amor e felicidade.

4 – A.C.Z. – Sim. Sem ele tudo é material, chato e sem sentido algum.

4 – R.S.S.S. – Sim. Não tenho dúvidas que ele é absoluto. Mesmos nos momentos em que duvidei o encontrei na vida que move o Cosmos.

 

 

5 – E acaso já refletiu no que implica de fato em Ser Absoluto, Amor e Felicidade?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

5 – M.N. – Sim. Deus criou tudo o que há, está em todas as suas criações, que só existe Deus e nada além disso, Deus é tudo e o todo, só existe o Amor, a Felicidade é o nosso estado natural. Isso implica que não existe nada que se oponha a Deus, que apenas a ausência ou o distanciamento de Deus pode gerar situações negativas, desarmônicas e desequilibradas, gerar a falta de Amor, a infelicidade e a tristeza.

5 – M.R. – Sim, há um bom tempo venho refletindo sobre essas questões. Quando criança, aprendi no catolicismo que existe o inferno e o diabo. Fiz catequese (a escola de crianças da igreja católica) e ficava com muito medo quando lia a bíblia, porque falava coisas horríveis sobre matança, tentações pelo demônio e sobre Deus que é Pai, mas que pune e castiga severamente seus filhos quando é desagradado. Eu nunca conseguia saber quando eu poderia desagradar ou agradar a Deus. Gostava de ler o apocalipse, mas ninguém sabia me explicar quando chegaria o momento do apocalipse, e era um assunto tabu na catequese, os professores não gostavam quando eu perguntava. Uma vez me confessei antes de fazer a primeira comunhão, porque era obrigatório, e disse ao padre que às vezes eu brigava em casa e xingava meus irmãos e minha mãe. O padre ficou me pressionando para que eu contasse mais pecados, disse que não acreditava que eu cometia somente esses pecados. Eu tinha 10 anos de idade. Depois da catequese, eu corria da igreja católica. Na adolescência, parti para o Kardecismo porque as “verdades” católicas não mais me preenchiam, não faziam sentido para mim. No kardecismo, me senti encantada e fascinada com o que diziam sobre a reencarnação. Fazia sentido! Então, durante anos erroneamente acreditei nas “verdades” do kardecismo, que diziam que, embora o ser humano tenha a oportunidade de reencarnar inúmeras vezes para aprender a viver no Amor, quando ele pratica maldades na Terra, se enche de obsessores ao seu redor, influenciando sua mente para que faça ainda mais maldades. E esses obsessores, por sua vez, são espíritos que viveram em maldade na Terra e, ao desencarnarem, continuam fazendo maldade, dotados de poderes espirituais capazes de influenciar a mente de outras pessoas encarnadas. E esses espíritos maldosos também se engalfinhavam entre si no plano espiritual em que viviam, o umbral. Essas coisas eu aprendia nas palestras do kardecismo e nos livros kardecistas, como o Evangelho Segundo o Espiritismo e os livros do Chico Xavier, como o Nosso Lar. Quando comecei a frequentar o Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição, foi quando passei a questionar minhas crenças religiosas e refletir sobre elas. Assim, percebi que, se Deus é Absoluto, não é possível existir seres que espiritualmente têm poderes ocultos para prejudicar pessoas encarnadas, assim como não é possível a existência do diabo católico que faz a mesma coisa! E que, se uma pessoa morre e vai para o umbral, onde só há sofrimento e nada mais, mesmo que seja temporariamente (até que o espírito clame pela ajuda da luz), é o mesmo que ir para o inferno, onde só há sofrimento e nada mais. Sendo assim, concluí que o diabo do catolicismo tinha sido apenas substituído pelos obsessores do kardecismo, assim como o inferno substituído pelo umbral. Portanto, há algum tempo percebi que Deus sendo Absoluto, significa que não há nada diferente de Deus, ou seja, não é possível existir o inferno e o diabo, obsessores e umbral, pois estes seriam opostos a Deus! Não tem como se opor ao que é Absoluto! Deus é Amor e Felicidade, nos dá a liberdade de viver como escolhemos, então não nos castiga por nossas escolhas.

5 – D.T.S. –
Sim, mas é possível sentir somente, não tem como falar disto porque seria limitar o todo.

5 – R. – Sim, Sobre o amor e a felicidade é mais fácil sentir e definir, já o absoluto talvez não saberia definir.

5 – T.G. – Sim. Marco sim, porém esta é uma pergunta muito ampla, pois creio que refletirei sobre isso por um longo tempo e ainda sim não alcançarei a magnitude desta resposta.

5 – B.Z. – Sim. É ser único e a única realidade, completo, sem opositor, único poder. Que tudo que sair de sua mão será amor e felicidade para todos sem distinção.

5 – M.N.N. – Sim. Já refleti, percebi que tentar dimensionar essas qualidades é limitá-las, são qualidades do espírito estão além da nossa definição racional

5 – R.V. – Não muito.

5 – B.D. – Sim. O Amor, a felicidade e o absolutismo já foram plantados em meu ser antes mesmo de nascer. Então já sou absoluto na essência de Deus. Continuemos caminhando no caminho da verdade para que se aflore cada vez mais.

5 – C.S.D. – Sim. Eu faço uma ideia do que seja, e a perfeição! Não existe nada que se oponha a ele, tudo é ele, tudo é amor.

5 – M.M.O. – Sim. Um Ser Absoluto, não possui vontades, nem desejos, não se ofende, não exige, não manda matar, não castiga, pois, sendo o TODO, não precisa de nada, isto é, DEUS é ABSOLUTO. Um Ser que é AMOR, ama incondicionalmente, e esse Amor sendo UNO é igual ao TODO, ou seja, por ser AMOR, não se mistura com sentimentos de raiva, ira, fúria, vingança, ciúmes, ama a todos sem distinção de credo, raça, cor, pois é simplismente AMOR puro e a única realidade existente. Um Ser que é FELICIDADE, ama, pois a Felicidade é o estado natural do espírito, é nossa essência e natureza. Deus é Felicidade, portanto, tudo que está fora da felicidade é ilusão, por não ser Deus.

5 – C.A.G. – Sim, é SER TUDO! Inclusive nós mesmos e também até mesmo aquilo que julgamos em nossa experiência terrena ser ruim.

5 – E.M. – Sim. Ser absoluto é ser perfeito! O absoluto é incontestável! É a verdade única… Não existe argumento que possa encarar o absoluto! E ele é amor! Amor é uma ação linear, infinita e constante. Esta ação não conhece curvas, vírgulas e muito menos ponto final. É a ação pura que preenche todas as lacunas. O Amor é uma Ação plena e perfeita! Felicidade é amar! É este sentir absolutamente amoroso que encontramos quando aceitamos o alimento da paz que nos é ofertado após mais uma batalha enfrentada contra nossas mazelas e egos. É o estado verdadeiro do ser!

5 – A.N. – Sim, pois Deus é Onisciente, Onipresente e Onipotente.  Ele sabe de tudo que se passa (pensamentos, ações, pedidos, desejos, Em oração Ele sabe de tudo que iremos conversar, mas mesmo assim adora nos ouvir). Faz-se presente em todos os lugares, é tudo. É capaz de realizar tudo que podemos imaginar e o que não podemos imaginar também. Deus se manifesta no amor e na felicidade, pois é o próprio Amor e a Felicidade.

5 – M.F.G. – Não. Não na frequência com que precisaria para clarear mais a mente. Refleti um pouco antes de dar a resposta, e vou me atrever a dar uma aqui. Acredito que ser absoluto, amor e felicidade é ser único.

5 – R.R. – Não. Confesso que venho tentando refletir após seus ensinamentos. Nunca nessa amplitude. As coisas ruins da vida me deixavam em dúvida quanto ao porque que elas aconteciam.

5 – V.L. – Sim. Deus é desapego, Deus é amor, Deus é transparência, sem mitos sem crenças.

5 – J.J. – Sim. Ser absoluto vislumbro que seja estar pleno e realizado em sí mesmo, sem que nada externo ou interno seja capaz de abalar tal paz. Amor penso que seja a doação total e a entrega à existência, conseguir agir bem para com o outro, não para sentir-se bem consigo mesmo e tirar peso da consciência (forçando uma boa ação), mas fazendo isso por ser o impulso natural e pelo sentido da compaixão. Já a felicidade penso ser um estado superior de consciência onde se é possível ver a beleza de todas as coisas, porém eu mesmo ainda não vi a beleza da guerra entre as espécies do mundo natural, nem na dor, nem na morte.

5 – I.T. – Sim. Porque essa reflexão tem guiado minha compreensão do universo.

5 – J.A. – Sim. Saber que deus é absoluto, e que não existe opositor, e que estou vivendo uma experiência no relativo, sei que vou acordar no amor e felicidade de Deus.

5 – F.G. – Sim. Acredito que Ser Absoluto, amor e felicidade é ser um com Deus, é ser ele, de forma totalmente consciente.

5 – A.S. – Não. Por que se eu tivesse refletido, não seria um buscador espiritual, eu teria plena consciência de quem eu sou.

5 – M.A.T. – Sim. Com os ensinamentos do Padrinho Gideon, meus olhos foram abertos para outra realidade e tenho refletido muito sobre essas questões. E cada vez entendo um pouquinho mais. Longe estou da compreensão completa ou tão aprofundada quanto penso que devo ter. O simples fato de sabermos que somos Deus Filho já transforma nossas vidas.

5 – M.C. – Sim. O fato de não existir nada fora do Absoluto, Amor e Felicidade.

5 – R.M. – Sim. E um estado de espírito, que a meu ver é o sentir, pois questionar o amor seria impossível se não o sentisse.

5 – F.L.B. – Sim. Implica ser livre de fato, aceitar a Luz em sí e assim com imensa gratidão iniciar sua jornada em benefício aos irmãos que ainda não conhecem essa verdade e estão presos ao ego, crenças, a infernos e purgatórios. Somente assim, nessa prática podemos sentir o que é Amar de fato.

5 – B.C. – Sim. Não julgar. Não existe karma, darma, pecado, certo ou errado.

5 – H.J. – Sim. Embora eu tenha consciência de que só em espírito poderei sentir o Ser Absoluto, que é o nosso Deus.

5 – M.S.

Não. O Deus que eu aprendi era criado à imagem e semelhança ao homem.

5 – P.E.D. – Sim. A inquietude leva ao pensamento e reflexão do Divino.

5 – M.F. – Sim. Busco vivenciar o Absolutismo de Deus, e percebo que há muitas coisas que devo melhorar, identificar… Realmente não sei o real significado – a vivência. Isso implica em eu ter algumas percepções equivocadas.

5 – S.G. – Sim. O ser Absoluto é um pouco mais fácil de definir, já que o Universo permeia tudo e o criador é a sua própria criação. Amor e Felicidade já são conceitos para mim a serem ainda definido de forma conclusiva, no que tange a Felicidade tenho a dizer que desde que passei a caminhar por estas veredas tenho sido mais feliz. Amor no conceito Divino ainda é de se estudar.

5 – I.P. – Sim. Porque o contrário não pertence ao divino.

5 – C.C.A.A. – Sim, o absoluto é unidade de onde emana e contem tudo. Amor é o laço que une tudo. A felicidade (olhando pelo prisma espiritual) é um contentamento pelo que estamos fazendo e isso não depende de dor ou prazer, pois posso estar feliz crucificado ou com uma espada no peito, mas sabendo que o que fiz foi feito dentro da verdade de Deus.

5 – L.A.P. – Sim. Sendo filhos de Deus somos portadores dos mesmos atributos, também somos capazes de criar obras que refletem a mesma perfeição do nosso Pai.

5 – M.C.Q. – Sim. Refletimos isso sempre porque queremos formar diariamente, mesmo que de forma insipiente, rudimentar, o que é o Pai.

5 – A.C.Z. – Sim. A reflexão aflorou, mas; com certeza ainda estou aprendendo a viver com este momento do Absoluto, pois muito tempo vivendo no domínio do Ego, sem ao menos pensar no Absoluto, deixou-nos cegos.

5 – R.S.S.S. – Sim. Tenho plena consciência do absolutismo de Deus, embora sendo eu espelho que reflete Deus ainda não consigo esta compreensão de absolutismo, pois ainda apresenta as partes escuras e inconscientes do ego que ainda me assusta e me bloqueia. A minha sombra.

 

6 – Acredita na existência do bem e do mal?
( ) Sim (  ) Não – Por que desta sua resposta?

 

6 – M.N. – Não. Não acredito que existam forças opostas que permaneçam em disputa para ver quem domina o mundo e conquista os corações dos homens, ou exércitos inimigos em constante batalha, mas sim energias de polaridades diferentes, caminhos que levam a estados de Amor, Paz e Harmonia e outros que levam ao sentido oposto, escolhas que “levam” a Deus, ao Amor Incondicional e escolhas que não funcionam.

6 – M.R. – Não. Acredito que Deus é Absoluto, então não podem existir forças opostas como bem e mal. O ser humano muitas vezes escolhe praticar a maldade, ou seja, agir com egoísmo, desvalorizando o próximo, muitas vezes tratando a outros seres humanos como animais, tratando os animais e a natureza como objetos quaisquer e sem vida, prejudicando ecossistemas, o planeta e toda a humanidade. Mas essas maldades cometidas pelos seres humanos, são escolhas, não são o “mal”.

6 – D.T.S – Não, mas até 9 meses atrás eu acreditava. Quando você, Gideon, disse que o carma, o pecado e o mau, eram somente ilusões da mente, que nada disto era real, eu te achei doido, um surtado. Hoje não faz nem um ano que pratico diariamente a meditação e compreendo claramente tudo aquilo que você dizia. Não, não há como existir o bem e o mau, nem o pecado, nem o carma, nem o justiceiro do santo daime, nem a magia negra e nem nada que saia do absolutismo e amor de deus.

6 – R. – Sim e Não, em relação aos meus atos sei que posso julgá-los como bons ou maus, isso de acordo com meus propósitos. Mas sei que isso é relativo, mas me guio desta forma, me afastando daquilo que eu considero mal.

6 – T.G. – Não. Não acredito, mas é totalmente devido aos ensinamentos do Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição. Procuro aplicar este ensinamento ao meu dia-a-dia, tentando sempre libertar a todos e a mim mesma. É um exercício diário.

6 – B.Z. – Não, porque Deus está acima desta forma de compreensão humana.

6 – M.N.N. – Não. Um dia acreditei, na medida em que estou assumindo as rédeas da minha existência e tomando coragem para enxergar minhas amarras, e a cada dia aprendo mais, percebo que existem escolhas que funcionam e outras não. Consequências do nosso livre arbítrio, que é Divino

6 – R.V. – Não tenho certeza se tem ou não estas coisas.

6 – B.D. – Não. Acredito que o homem em sua ignorância acaba confundindo muita coisa e criando o mal e destruição em sua mente perversa e doentia.
 “Todos somos um, Um somos com o Todo”, logo não temos tempo e nem lugar para o mau que o homem diz destruir vidas, famílias, etc.

6 – C.S.D. – Sim. Acredito sim que o mal exista sim, nesse plano relativo em que vivemos, muitas vezes fortemente arraigado dentro de nós.

6 – M.M.O. – Não. De fato não existe nem bem, nem mau, nem mesmo o certo, nem o errado. Pergunte a um drogado, viciado em muletas espirituais, se é mau viver nas drogas e na ilusão, e ele dirá que não, agora pergunte a um buscador espiritual se é mau usar drogas e ele dirá que é uma experiência que não funciona. Existem apenas escolhas segundo as experiências que cada um escolheu viver, ou seja, se a pessoa escolheu ser um Médico, ser Músico é o caminho contrário as experiências que escolheu viver.

6 – C.A.G. – Sim. Ambos estão relacionados, é relativo. Penso no bem e no mau apenas como rótulos que damos de acordo com nossa conveniência, de acordo com nossa cultura etc. Em profundidade só existe o BEM (Amor, Felicidade… DEUS), mas no mundo dual em que vivemos, por ser dual existe o mau, até mesmo para entendermos o que é o bem.

6 – E.M. – Não. Como a maioria das pessoas, já acreditei. Já me intitulei como uma boa pessoa que enfrentava o mau… Rsrsrs… Mas aos poucos compreendi que o que existe são escolhas e que a partir das escolhas que fazemos é que define o nosso presente estado. A partir das escolhas podemos definir exatamente o que funciona ou não funciona a cada experiência escolhida para vivenciarmos. O que existe é Real. É Perfeição! O resto é pura ilusão!

6 – A.N. – Não, Deus não possui opositores, Ele é absoluto. “Bem e mal” são termos usados no relativo, no plano da ilusão, pois a mente racional para poder entender, precisa se nortear por referências. Acreditar no bem e no mal é como comparar a vida com um jogo de tênis, de um lado o bem (Deus) e do outro o mal (demônio) e nós somos a bolinha (trouxas) jogados de um lado para o outro sem saber o que fazer. Acredito na existência de causa e efeito, plantar e colher. Deus não possui opositores, Ele é absoluto.

6 – M.F.G. – Não. Por que são conceitos relativos. O que pode parecer “fazer o bem” para uma pessoa, para outra pode parecer “fazer o mal”. Ex: um ditador alemão acreditou estar fazendo o bem para seu povo através do nazismo. Já para o resto do mundo ele estava fazendo um mal danado. É questão de escolha. Escolher o que eu sou e o que desejo ser em relação a isso.

6 – R.R. – Não. Não quando está tudo bem e sim quando alguma coisa vai mal. Às vezes quando alguma coisa vai mal e perco a certeza, fico na dúvida. Falta uma compreensão firme, uma certeza fixada na alma. Não acredito que uma pessoa possa, com pedidos, orações e trabalhos possa fazer mal a outra, nesse mal não acredito mais, porém, no mal realizado por ações frias e calculadas previamente com objetivo de prejudicar, nesse sim acredito.

6 – V.L. – Sim. Acredito na influência negativa de espíritos baixos. Continuo em estudo sobre o assunto.

6 – J.J. – Não, Sinto-me confuso nesse ponto, para o leão o bem é comer o cervo, para o cervo o bem é comer a grama e o leão é o mau, para o grama o leão é neutro e o cervo é o mau. Enfim, esses conceitos parecem variar de acordo com o ponto de vista, me pergunto como seria a partir de um olhar universal, talvez só haja bem e mal na realidade de cada consciência e de acordo com suas óticas.

6 – I.T. – Não. Por já ter sentido o absolutismo de Deus.

6 – J.A. – Sim. As pessoas escolhem fazer bem ou fazer mal.

6 – F.G. – Não. Acredito em escolhas que funcionam ou não, de acordo com o nosso propósito.

6 – A.S. – Sim. Acredito que o bem e o mal seja atributo do relativo

6 – M.A.T. – Não. Já acreditei. Hoje estou tendo outro entendimento e compreendi que causa e efeito é o que realmente existem e que estamos aqui só experienciando. Dormimos no absoluto e tudo aqui é um sonho. E sendo Deus absoluto não pode haver bem e mal, pois Deus não precisa de leis espirituais para governar isso seria contrário ao seu absolutismo.

6 – M.C. – Não. Hoje não mais, pois seria contraditório com o Divino.

6 – R.M. – Sim. A ação do mal seria uma falta de conhecimento do espírito em sentir o que é amor compreensão.

6 – F.L.B. – Não. Somente na existência do Bem, do Pai e do Absoluto.

6 – B.C. – Não. Se existisse o mal, Deus não seria Absoluto, Deus não tem opositor.

6 – H.J. – Não. Acredito que o bem e o mal estão restritos à mente racional. Do ponto de vista espiritual, creio que para Deus, por ser um ser absoluto, amor infinito, não há bem ou mau. Tudo é perfeito para o Pai. Do contrário, não seria amor incondicional.

6 – M.S. – Não. Tudo é para o bem. Para crescermos como ser humano e lembrarmos que somos divinos.

6 – P.E.D.
 – Não. Bem e mal são conceitos humanos.

6 – M.F. – Não. Deus é absoluto, não tem opositor.

6 – S.G. – Sim. Penso que o bem e o mal são energias correntes no Universo aplicáveis pelos seres, a existência do mau e do bem podem ser comprovadas apenas abrindo uma página de jornal, infelizmente o mal tem prevalecido neste planeta.

6 – I.P. – Não. Hoje não mais, mas por muitos anos sim, pois foi o que me foi ensinado.

6 – C.C.A.A. – Sim, o mundo manifestado me chega através dos sentidos tudo aquilo que me trás sofrimento de alguma maneira é mau. E aquilo que me trás prazer é bom. Dentro de uma visão espiritual tudo que me coloca no caminho é bom o que me afasta é mau.

6 – L.A.P. – Não. Só existe a lei divina, o mal decorre de uma deformação de nossa percepção que resulta em escolhas que contrariam a lei absoluta do regente absoluto do universo, Deus. Disso decorre todo o sofrimento humano, que é livre para fazer as próprias escolhas.

6 – M.C.Q. – Não. O Conceito de bem e mal é produto da mente racional do homem. Estes conceitos foram criados há milênios, a partir da necessidade de estabelecer referenciais para o julgamento de ações humanas e elucidações de fenômenos naturais. A mesma necessidade surgiu na matemática, na antiguidade, quando inventou- se o conceito de positivo e negativo, a fim de sustentar o conceito dos números e sendo assim, a existência de números menores que zero.

6 – A.C.Z. – Não. Acredito nas escolhas certas ou erradas, o livre arbítrio nos dando a lei do retorno.

6 – R.S.S.S. – Não. Por que tudo, ou quase tudo na verdade é relativo. Ex: Uma pessoa que desenvolveu um câncer, no primeiro momento aquela doença é um mau. Porém esta doença poderá ser uma oportunidade para que ela reflita e possa cuidar de si melhor, dos seus sentimentos rever sua vida. A doença lhe trará infinitas possibilidades de como lidar com ela. Lamentar pela morte ou lutar pela vida…

 

7 – Acredita que existe o inferno, que é para onde vão as pessoas más após morrer, desencarnar?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

7 – M.N. – Não. Se existisse inferno Deus não seria absoluto, não seria o Puro Amor Incondicional, acreditar no inferno é negar que Deus é Amor, é dizer que Ele julga e condena, é afirmar que Deus tem desejos, vontades e pune aqueles que não seguem suas ordens e castiga as pessoas “más”.

7 – M.R. – Não, porque não acredito em punição após a morte. Acredito que após a morte, todas as pessoas são felizes, independente se praticaram maldades aqui na Terra.

7 – D.T.S – Não, não há tal coisa porque deus é absoluto, amor. Hitler foi mau na visão de muito, mas na visão dos alemães de sua época ele foi um herói. Quem é mau e quem é bom?

7 – R. – Não. Não faz sentido, torturar quem errou é um erro ainda maior.

7 – T.G. Não. Impossível acreditar em um lugar assim. A mente que criaria um local assim teria de ser muito cruel e sádica.

7 – B.Z. – Não, de jeito nenhum! Onde estaria o amor de Deus se isto fosse verdade? Além do mais ser bom e ser mau é somente questão de ponto de vista. O PT é um vírus para o Brasil, mas tem quem goste!

7 – M.N.N. – Não. Se acreditasse nisso não poderia acreditar no Absolutismo e Amor de Deus. Como nosso Pai Criador, Deus, criaria um mau tão grande que não pudesse me libertar? Eu no meu ainda imperfeito e limitado modo de amar não faria isso para um filho meu, não o castigaria eternamente por um erro cometido por sua ignorância. Não consigo compreender e aceitar que Deus em sua perfeição seria capaz de feitos como inferno. Isso é criação de uma mente limitada.

7 – R.V. – Não acredito.

7 – B.D. – Não. “Todos somos um, Um somos com o Todo” então se sou a essência do divino absoluto não existe inferno pra onde deuses filhos vão para ser castigados após morrer.
Até deva existir um inferno, mas dentro daqueles que o cria e se lá se trancam por livre e espontânea vontade.

7 – C.S.D. – Não. O inferno que a maioria das pessoas pensam não, acredito que todos depois do desencarne vão para lugares de acordo com seu nível de vibração.

7 – M.M.O. – Não. Definitivamente, isto é mito que igrejas criaram para aprisionar o homem, no sentimento de medo e de culpa. Deus é AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE, não poderia ser AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE, se existisse o inferno.

7 – C.A.G. – Não. Porque não tem sentido. Se não existissem as pessoas más não poderíamos ter uma experiência aqui na terra que fosse profunda o suficiente para confrontar com o Bem. Penso que é o confronto que faz com que nós nos identifiquemos cada vez mais com o Amor e Felicidade que somos e vamos nos orientando a buscar este caminho, nos forçar a relembrar. Enfim, as “pessoas más”, embora difícil de aceitar, nos fazem um grande bem, estão todas nos planos do Universo, nos planos de DEUS, até mesmo as pessoas más são o próprio DEUS.

7 – E.M. – Não. Como crer em uma condenação e exclusão ditada por um Ser que é Absoluto? No máximo, o que pode existir é um plano mental que criamos e lá confinamos os atos que nos envergonham por acreditarmos ser um pecado. Para o inferno existir, teria que ser criado pelo Absoluto. Se Ele é Absoluto, só pode criar Perfeição. Dor, punição, castigo não são criações Divinas, portanto, não existem!

7 – A.N. – Absolutamente não. Como poderia existir um local de sofrimento eterno se Deus é Absoluto, Amor e Felicidade? Claro que não poderia! Essa invenção do inferno foi coisa de igrejas e governos para incutir na humanidade os sentimentos do medo e da culpa e assim manter a humanidade com cabrestos. Manter você com medo é a forma mais simples de manter você dentro de uma igreja.

7 – M.F.G. – Não. Como posso acreditar em algo que não existe. Toda essa estória de inferno foi criada pelas religiões como meio de aprisionar e botar terror nas grandes massas.

7 – R.R. – Não. Hoje não acredito mais, porém, já acreditei. Já acreditei também, nas infradimensões de uma determinada escola.

7 – V.L. – Não. Acredito que tenha sim um lugar onde você refletirá sobre suas malfeitorias.

7 – J.J. – Não. Com o senso comum de justiça humana, seria necessário pagar o sofrimento com sofrimento, sinto como homem que seria justo sofrer na mesma medida em que se fez sofrer; o que não concordo mesmo é que se sofra eternamente, esse pagamento seria maior que qualquer dívida. Porém, talvez haja outra forma de trazer o homem para o caminho correto. Não acredito na lei da causa e consequência porque estou cansado de ver vigaristas muito bem e gente de bem sofrendo.

7 – I.T. – Não. Porque nem quando criança conseguia acreditar nessa historinha para boi dormir, quanto mais agora.

7 – J.A. – Não. Hoje não acredito.

7 – F.G. – Não. Para mim é muito claro que isto é uma mentira para colocar medo nas pessoas e assim controlar com facilidade, história pra boi dormir.

7 – A.S. – Não. Acredito no estado de consciência.

7 – M.A.T. – Não. Já acreditei. Agora entendo e compreendo que inferno não existe, pois Deus não precisa de débitos ou leis espirituais para ser absoluto.

7 – M.C. – Não. O absolutismo de Deus ficaria em questão se acreditasse em inferno.

7 – R.M. – Não. O inferno é o não despertar para sabedoria, pois sabendo que o mundo é ilusório o espírito pode se prender em imaginações e não evoluir.

7 – F.L.B. – Não. Já acreditei em umbral, infernos, por teorias baseadas em livros do Samael (gnose), Espiritismo e alguns livros ilusórios. Hoje compreendo que quem julga somos nós a nós mesmos, devidos às crenças do passado, impostas principalmente no início de nossa educação por nossos familiares.

7 – B.C. – Não, pois não existe inferno e nem umbral, existem as escolhas, as pessoas “más” apenas tiveram escolhas que não funcionam, Deus é amor não há nenhuma forma de julgamento.

7 – H.J. – Não. Deus é amor. A existência de inferno não se sustenta diante do amor absoluto.

7 – M.S.
 – Não. Porque aprendi com você Gideon que não é assim.

7 – P.E.D. – Não. O inferno é a personificação do mau, na medida em que não existe mal, não há julgamentos e castigos.

7 – M.F. – Não. Gostaria de entender melhor se realmente não existe um plano espiritual em que haja sofrimento. Não por débito espiritual, mas também por escolha do próprio espírito, assim como há na Terra.

7 – S.G. – Sim. O Inferno é criado pela própria pessoa.  E a vivência do inferno após a morte funciona pela aplicação dos atos que o agente realizou aqui na terra. Penso que após a morte a consciência será ampliada a viver aquilo que vive hoje, ou seja, se  ela é feliz aqui será lá e vice versa… apenas que com a ausência da matéria será a sensação multiplicada.

7 – I.P. – Não. Mas cresci achando que era assim. Quando criança não podia falar certas palavras, se as dissesse iria para o inferno após a morte. Tudo era pecado.

7 – C.C.A.A. – Sim e não. Não tem como saber com certeza absoluta o que tem depois da morte. Existem crenças que diz que tem e outras que não. Tanto uma resposta quanto a isso. É tudo crença, não tem com absoluta certeza saber dos dois fatos. Qualquer resposta é especulativa. Neste caso eu resolvi esta questão da seguinte forma. Não importa para onde vá o que importa é o que fazemos aqui e agora. Eu vou fazer o bem independentemente se terei ou não um prêmio no final. É meu dever ser bom. E mesmo se chegar minha hora e eu descobrir que tem um inferno do outro lado e que eu fui direto para lá. Não importa, continuarei sendo sempre o que sou bom, e alguém que sempre busca a Deus. Eu brinco com amigos cristãos fanáticos que fazer o bem no inferno é pedir para ser expulso de lá.

7 – L.A.P. – Não. O inferno não é um lugar, é um estado de consciência do homem e que em algum momento nos força a retornar para o estado original, que é harmonia e felicidade de acordo com a lei do amor, divina e absoluta.

7 – M.C.Q. – Não. O inferno, como citado na pergunta, não passa de uma má interpretação das antigas escrituras, uma vez que estas são repletas pela linguagem Cabalística e Simbólica, inerentes ao conhecimento Judaico da época em que os textos foram escritos. Na verdade, o conceito de inferno simboliza um estado de consciência do ser humano, este podendo ser o remorso, culpa ou a frustração.

7 – A.C.Z. – Não. A experiência do espírito na vida humana não o leva senão à volta pra casa do Pai, que com certeza não é “Inferno”.

7 – R.S.S.S. – Não. Nesta ideia de inferno, acho que acreditei quando criança, devido à religião que meus pais professavam. Fui crescendo esta fantasia foi perdendo força e sentido.

 

 

8 – Acredita que existe o Céu, que é para onde vão as pessoas boas após morrer, desencarnar?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

8 – M.N. – Não. Se existisse um Céu como as religiões colocam, necessariamente teria que haver o inferno para onde os maus iriam. Acredito que existam planos espirituais de níveis diferentes em que as consciências semelhantes se encontram, por estar nos mesmos degraus de frequência, de vibração.

8 – M.R. – Não, porque acredito que após a morte todas as pessoas são felizes. Acredito que todos que desencarnam, vão para o seu “próprio céu”, que serão felizes junto daquelas pessoas com quem têm afinidade. Eu acredito nisso porque quando reflito sobre essa questão, sinto no meu coração que, ao morrermos, nada de ruim pode nos atingir. E quando sinto isso, sinto um alívio, sinto-me livre.

8 – D.T.S – Hitler estaria no céu ou no inferno segundo a visão de seus patrícios alemães da época? E segundo a visão dos judeus? Tudo é somente ponto de vista. Não há o céu.

8 – R. –  Sim, Por que acredito que existem muitos céus e planos de luz que a gente acessa para seguir nossa jornada espiritual.

8 – T.G. Sim. Acredito que exista um lugar MARAVILHOSO, onde só exista o Amor e o que venha Dele!! Um lugar inexplicável, cheia de incomensuráveis momentos sublimes de PAZ e AMOR! Mas acredito que as pessoas vão para lá. Boas ou más, isto é relativo… mas acredito que todos, sem exceção desfrutarão deste lugar!

8 – B.Z. – Não, tenho certeza de que também não existe um céu pela mesma razão da resposta acima. Pergunto se a presidenta Dilma vai para o céu depois de morrer? Mas pergunta isso pra filha dela pra ver só a resposta!

8 – M.N.N. – Não. Acredito que todas as pessoas de acordo com suas escolhas em vida criam a próxima experiência após a morte.

8 – R.V. – Acredito que tem um lugar bom para onde vão as boas pessoas.

8 – B.D. – Não. Acredito na verdade que essa hora é a hora do absolutismo total do Deus filho que viverá em uma dimensão de consciência em profundo amor e paz.

A frequência de Deus, a frequência do AMOR.

8 – C.S.D. – Não. Acredito que as pessoas vão para lugares de acordo com seu nível de vibração.

8 – M.M.O. – Não. Não como as religiões apregoam. Quando a essência desencarna, dissolve a mente racional, e ela vai para um local onde de fato é amada e ama a todos, pois, cada ser que desencarna, vai para a “dimensão” que esta sintonizado. Se foi um assassino vai para o “céu” dos assassinos, e será feliz pois ama e é amado, mesmo com uma energia mais densa, pois, relembrou pouco. Se foi uma alma nobre que deixou obras, e relembrou quem é, vai para um plano de consciência mais sutil, vai para o “plano” que está em sintonia com sua frequencia, é feliz, ama e é amado por todos. Como cada um tem o seu “Céu”, para cada um o “Céu” se apresenta de forma diferente.

8 – C.A.G. – Não. Não existe um lugar Céu como pregam as religiões, mas existe uma percepção de consciência que poderia até ser rotulada como o Céu descrito pelas religiões. Não um cenário paradisíaco, embora se desejarmos possa existir, mas um estado de espírito pleno no Amor e Paz de DEUS, sem referências para os sentimentos aqui da terra, e este estado esta disponível a todos, seja para as pessoas “boas” ou para as pessoas “más”.

8 – E.M. – Não. Crer na existência do Céu é acreditar na existência do inferno. Melhor ainda. Crer que vamos a algum lugar implica em dizer que saímos dele. Jamais saímos do Absoluto. Apenas uma parte de nós encontra-se experimentando estar presa a matéria. Após a “morte do corpo” que nos prende aqui, simplesmente a parte que separada une-se novamente à parte Única!

8 – A.N. – Absolutamente não. Como poderia existir um local de sofrimento eterno se Deus é Absoluto, Amor e Felicidade? Claro que não poderia! Essa invenção do inferno foi coisa de igrejas e governos para incutir na humanidade os sentimentos do medo e da culpa e assim manter a humanidade com cabrestos. Manter você com medo é a forma mais simples de manter você dentro de uma igreja.

8 – M.F.G. – Não. Não do modo como às religiões ensinaram. Acredito que existam planos espirituais mais elevados que o nosso. E que aonde cada um vai após desencarnar, dependerá de sua frequência e das obras que realizou.

8 – R. R. – Sim. Mas da forma que aprendi quando criança não, tem que ser um lugar bom senão é inferno. Acredito que tem um lugar de paz. Lembro-me do curso de regressão que fui a um lugar de onde não queria mais sair, voltar.

8 – V.L. – Sim. Acredito que tenha um lugar junto ao nosso Deus, não sei se realmente é o céu.

8 – J.J. – Não, na verdade minha resposta estaria mais para “não sei”, pode haver realidades diferentes para se visitas de acordo com o estágio, certos mestres dizem que o céu é um estado de consciência plena e ainda muitas outras possibilidades.

8 – I.T. – Não. Porque compreendo como Céu um estado de consciência, e não um lugar.

8 – J.A. – Sim. Retorno garantido a todos após experiências relativas.

8 – F.G. – Não. Sei que não existe este Céu que prega a bíblia, por exemplo; aqueles que só os bons entram, o que entendo é que desencarna aqui e “acorda lá” nunca tive uma experiência com consciência ampliada que eu pudesse compreender tintin por tintin como funciona, mas enquanto dormia certa vez, estava sonhando com alguns acontecimentos, em certo momento vi que ia morrer e quando morri no sonho, acordei feliz e disse: – Ufa! Foi só um sonho hehehe. Acredito que seja por aí só que muito melhor.

8 – A.S. – Não. Acredito que ao desencarnar o espírito está livre para seguir a qualquer mundo de acordo com seu estado vibracional.

8 – M.A.T. – Não. Já acreditei hoje não mais. Pela mesma razão que não existe inferno.

8 – M.C. – Não. Novamente cairíamos na questão do Absolutismo Divino

8 – R.M. – Não. Porque acredito em mundos paralelos.

8 – F.L.B. – Não. Acredito no Absolutismo do Pai, aonde todos vão para onde devem ir de acordo com suas vivências, mas não lugares bons ou ruins. Mas sim locais com seus iguais num aprendizado ao qual todos nós passaremos provando o Amor Incondicional do Pai.

8 – B.C. – Não. As pessoas boas apenas fizeram a escolha que funciona nesta encarnação, e há inúmeras reencarnações até o relembrar completo.

8 – H.J. – Sim. Contudo, penso que, ao morrer, a pessoa não será conduzida diretamente para o mundo não manifesto de imediato. Continuaremos no mundo da manifestação, porém em mundos vibracionais superiores ao da terra, manifestando-se através de corpos mais sutis.

8 – M.S. – Não. Deus é amor e é justo, só existe o bem. Bom é relativo e mal é relativo.

8 – P.E.D. – Não. Acredito no Divino, em mundos e dimensões infinitas…

8 – M.F. – Não. Todos nós temos como destino final a Felicidade Plena, o Absolutismo. Todavia, esse é um processo de reencarnações em minha concepção. Portanto, como explicado na resposta anterior, não descarto a possibilidade de existir sofrimento em planos espirituais relativos, por escolha do próprio espírito (ex: exatamente por ainda não ter essa consciência, seu medo e culpa podem ser carregados para outros planos).

8 – S.G. – Sim. Penso que deva existir locais bons no Universo onde os espíritos habitem, chamar de céu acho simplista.

8 – I.P. – Não. Acredito que o céu é para todos, que um dia todos estaremos juntos. Deus não julga. Como mãe de quatro filhos e cada qual no seu no seu nível de entendimento, por mais que haja rebeldia eu os amo demais, assim é Deus, então o céu é para todos.

8 – C.C.A.A. – Sim. De acordo com todas as religiões sim. As religiões só mudam na forma objetiva de como é o céu. Eu gosto de pensar que é o retorno à morada do pai.

8 – L.A.P. – Não. Assim como o inferno, aquilo que as religiões chamam de céu também é um estado de consciência. Um ser afinado com a lei divina, não está confinado a um lugar frequentado apenas por seres semelhantes, por amor ele pode se dirigir aos planos mais densos para contribuir com a evolução de outros espíritos. O plano espiritual não é um condomínio fechado, onde os “bons” estão apartados e longe da perturbação dos “maus”, isso é coisa da mente materialista.

8 – M.C.Q. – Não. Assim como na pergunta anterior, este conceito é resultado de uma má interpretação das escrituras. Essa má interpretação é resultado do desconhecimento, da maioria das pessoas, da linguagem utilizada nos textos bíblicos. Não podemos se esquecer também; das alterações que a Igreja Católica impôs às antigas escrituras, sendo que os únicos textos que aparentemente permanecem inalterados são o Gênesis e o Apocalipse, que discorrem, respectivamente, sobre o princípio do “projeto terra” e do caminho ascensional da humanidade. Sendo assim, o conceito céu, segundo os textos iniciáticos, está relacionado com o plano mais elevado da existência, com Deus, com o Absoluto, como preferir, de onde viemos e pra onde retornaremos, assim que relembrarmos de nossa real natureza, de nossa origem cósmica.

8 – A.C.Z. – Não. Idem a 7

8 – R.S.S.S. – Não. Embora também venha de encontro com a resposta dada acima. aqui troco pelo imaginário coletivo das crenças cristãs.

 

 

9 – Acredita que existem umbrais onde a pessoa ao desencarnar sofre devido a inúmeras causas de quando ainda estava encarnado, tal qual mostra o filme nosso lar e os romances espíritas?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

9 – M.N. – Não. O sofrimento é uma escolha da mente racional, do ego, logo o espírito que sofre é que se esqueceu de sua própria divindade. Após desencarnar podem existir estados em que a mente racional ainda esteja muito ligada ao plano material e “demore” para ter consciência de que sua experiência naquela vida se encerrou, mas não existem locais aonde vários espíritos “sofredores” se encontrem ou sejam enviados para ficar sofrendo e se arrastando até serem salvos e seguirem para a luz, como é ilustrado em histórias da doutrina espírita.

9 – M.R. – Não. Deus sendo Absoluto, significa que não há nada diferente de Deus, ou seja, não é possível existir o inferno e o diabo, obsessores e umbral, pois estes seriam opostos a Deus. Não tem como se opor ao que é Absoluto.

9 – D.T.S –
Não. Antes quando nas drogas e no santo daime, eu acreditava em tudo isto, eu até discutia se alguém negasse a existência dos umbrais etc. Eu tinha o livro nosso lar e o próprio chico Xavier como escudo e referências da minha verdade. Mas agora, depois de 9 meses meditando, só 9 meses, foi o suficiente para perceber nitidamente que nada disso é real porque reconheço o absolutismo e amor de deus. Hoje tenho certeza de que chico Xavier não foi médium e nem sensitivo, mas que enganava as pessoas, muitas pessoas. E a troco de que? Reconhecimento, fama, santidade! O que o chico Xavier fez foi pregar a mesma tirania da bíblia e igrejas de outra forma, a kardecistas, trocando o inferno pelos umbrais, e o satanás pelos obsessores. O deus que o chico Xavier pregou em seus livros é o mesmo deus hipócrita e malvado da bíblia e igrejas.

9 – R. – Não, Acho que talvez por alguns instantes brota um arrependimento e uma sensação de tristeza, mas isso tem a ver com a nossa consciência.

9 – T.G. – Não. Não consigo acreditar na existência de tais locais. Sendo Deus Absoluto, em sua Totalidade, como poderia criar um lugar de separação, onde o sofrimento imperaria?

9 – B.Z. – Não, nunca! O filme nosso lar mostra uma versão do inferno evangélico com nomes trocados. Pegou o inferno e chamou de umbral, pegou o pecado e chamou de carma, pegou o pecador e chamou de devedor pra deus. Os espíritas e os crentes precisam muito é rever suas crenças, porque a idade média passou.

9 – M.N.N. – Não. Tal qual o filme e romances espíritas não acredito, mas penso que pessoas que se mantiveram em escolhas que não funcionaram por toda vida, ao desencarnarem continua numa experiência semelhante.

9 – R.V. – Não mesmo. Aquilo do filme é falta de visão do Chico Xavier e que, alias, de santo não teve nada. Chico foi gay como eu sou, mas as coisas que ele fez como enganar um montão de gente, isso ele fez não porque era gay, mas porque foi desonesto com as pessoas. Na umbanda a gente sabe que o chico não era médium e as enganações que fez. Mas agente não condena, mas agente também não aprova o que ele fez, porque enganar as pessoas como ele fez é coisa de espírito sem luz.

9 – B.D. – Não. Quanta besteira… Umbral? Ou o umbral é essa terra de ninguém, onde todos querem devorar a todos, ou como disse anteriormente até deva existir umbrais dentro de algumas pessoas que fantasiam isso criando assim sofrimentos intensos e se aprisionando nesse mundinho de que está pagando por pecados que cometeu e morre tentando consertar o que não estava nem certo e nem errado, apenas foi criado por uma mente pobre.

Nosso lar? Sinceramente foi o pior filme que já vi em toda minha vida… isso sim é minha opinião sobre esse filme.

9 – C.S.D. – Não. Não recordo de como seja a passagem do desencarne, mas acredito que não seja sofrimento, até porque o sofrimento já aqui e agora, nesse plano relativo, porém acredito que existam níveis diferentes de consciência.

9 – M.M.O. – Não. Não existe umbrais de sofrimento, isto é, Deus é AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE, tais relatos são apenas ilusão criadas por uma forjação mental, de escritores como  Chico Xavier, que embora, tenha sido uma alma carismática, a qual até tenho carinho, estava bem longe de ser um Ser Iluminado, pois, nunca foi médium, e inclusive o livro Nosso Lar, parece mais uma cópia do livro “A Vida Além do Véu”, escrito pelo Inglês e reverendo George Vale de Owen.

9 – C.A.G. – Não. Não, mas penso eu que a consciência ao desencarnar, se ainda muito apegada ao ego e crenças, pode vir a ainda sofrer mesmo sem o aparelho físico.

9 – E.M. – Não. Como Céu e o inferno, o umbral é uma criação de mentes equivocadas que contaminam outras. Foram criadas ilusões que influenciam grandes massas a não prosseguir A Jornada de Junção e permanecem presas em espaços que acreditam serem reais. Infelizmente, é assim que nos enganamos diariamente. É assim que posso compreender fenômenos que percebemos ocorrer à nossa volta. Acontecem, mas não são Reais pelo simples fato de ser uma criação da mente humana e não do Absoluto!

9 – A.N. – Não, não acredito em umbrais, pois é o local inventado pelos espíritas como o inferno é o local inventado pelas igrejas, apenas com nomes distintos. Não acredito que exista um local de sofrimento aonde vamos após desencarnar, pois isto sairia do absolutismo de Deus, sairia do amor e da felicidade. E acredito menos ainda que a pessoa sofra devido a causas de quando ainda estava desencarnado, pois não existe o tal do débito espiritual. Deus não é banqueiro e nem agiota para nos cobrar algo, Ele simplesmente nos ama, quer nossa felicidade e sua forma mais intensa de amar é atendendo nossos desejos, respeitando nossas escolhas (aquelas que funcionam e também aquelas que não funcionam).

9 – M.F.G. – Não. Por que acreditar nisso, seria o mesmo que acreditar em um DEUS que pune, julga e condena. O que DEUS ganharia com isso?

9 – R.R. – Sempre ouvi falar, mas nunca tive uma certeza se existe. Se não há inferno, pode existir umbral? A diferença entre os dois eu não sei explicar.

9 – V.L. – Sim. Acredito que exista um lugar aonde vão espíritos inferiores ou mal evoluídos que precisam de evolução como até mesmo pessoas muitos apegadas com o mundo material.

9 – J.J. – Não. Não sei se o sofrimento mudaria o ímpeto de alguma criatura, aqui mesmo temos exemplo de muitos que passam pelo sofrimento e continuam sendo crápulas, ou até de quem se tornou crápula exatamente porque ter sofrido e perdido as esperanças.

9 – I.T. – Sim. Mas não do jeito que e colocado pelos centros espíritas. Depois de nossa conversa padrinho, tenho questionado essa minha crença, mas tenho uma visão de que se colhe o que se planta, e que uma mente que encarnada planta espinhos, e colhe espinhos, criando uma realidade de espinhos encarnada, continua, quando desencarnada pode continuar criando as mesmas realidades, e se atraindo por magnetismo energético a planos condizentes com a frequência que emana, por escolha própria, ate que decida mudar a própria criação. Mas não exatamente como no filme nosso lar ou nos romances espíritas, minha crença esta embasada na física quântica, de como observo o universo funcionando e as consciências criando as próprias realidades, e acredito que em outros planos deve ser igual ou ate mesmo mais rápido, pois estando em frequências mais sutis, o poder do pensamento se manifesta mais rapidamente, sendo o universo mental. E na benevolência de Deus, do livre arbítrio nos permite criar a realidade que quisermos, e nos auxilia no que é preciso quando nossa vontade é de melhorarmos nossa criação na direção do Amor.

9 – J.A. – Não. A pessoa escolhe a experiência que viverá, pagar por isso depois não faz sentido.

9 – F.G. – Não, os conhecimentos passados pelo senhor e as experiências de Amor que tive com Deus me dão a certeza de isso ser mentira.

9 – A.S. – Não. Mas houve uma época em que acreditei, porém hoje minha percepção é diferente, sinto que há algo, mas profundo!

9 – M.A.T. – Não. Já pensei que sim Agora estou desconstruindo a ideia disseminada por Kardec.

9 – M.C. – Não. Hoje não mais, mas já acreditei.

9 – R.M. – Não. Ainda continuo a pensar em ilusões que a mente pode criar, acredito no retorno para a casa do pai.

9 – F.L.B. – Não. De acordo com a resposta acima, não acredito no umbral, apenas que existem locais onde somos tratados e assim prosseguimos rumo a novas experiências. Mas sofrimento não faz parte do Absolutismo do Pai.

9 – B.C. – Não. Deus é amor, não existe certo ou errado apenas a escolha na reencarnação.

9 – H.J. – Não. Acredito na existência de umbrais. No meu entendimento, penso que, ao morrer, embora a pessoa não seja conduzida diretamente para o mundo não manifesto, ela continuará no mundo da manifestação, porém em mundos vibracionais superiores ao da terra, manifestando- se através de corpos mais sutis.

9 – M.S. – Não, pois Deus é absoluto em amor e felicidade.

9 – P.E.D. – Não. Não há espera no plano espiritual, não há julgamentos.

9 – M.F. – Não.

9 – S.G. – Sim. Curiosamente assisti o filme Nosso Lar há apenas alguns dias, já havia lido o livro há uns 25 anos. Penso que o filme “Nosso Lar” retrate parte do mundo espiritual, mas devemos ter em mente que o universo é imenso, infinito e existam infinitas possibilidades de umbrais.

9 – I.P. – Não. Padrinho, só entendi de fato depois de suas explicações sobre esse assunto, pois acreditava que assim era.

9 – C.C.A.A. – Se for da forma como os espíritas veem, não. Tem muita forma física e concreta nesta visão. Creio sim que exista uma readaptação ao estado em que se encontra como a lagarta que virou borboleta e precisa de um tempo para reaprender a bater asas.

9 – L.A.P. – Não. Este planeta já é o plano mais denso, a astronomia nos mostra isso, dentro de nossa galáxia espiral estamos localizados na periferia de um dos braços da galáxia. O homem que não evolui reencarna aqui mesmo para viver novas experiências até que esteja pronto para experimentar outros mundos mais evoluídos.

9 – M.C.Q. – Não. Novamente, este conceito é resultado de más interpretações dos da realidade. O conceito de umbral, como citado na pergunta é semelhante ao conceito de inferno do catolicismo da pergunta nº 7. Na verdade o conceito de umbral está relacionado, do mesmo modo que o de inferno, com um estado de consciência individual, como foi citado na resposta da pergunta n º 7.

9 – A.C.Z. – Não. Umbral seria a antessala antes da porta de entrada, na visão Espírita, Como ainda não consegui chegar perto  desta resposta, sei que não é assim, mas não consigo descrever como é com a certeza daquele que já viu.

9 – R.S.S.S. – Não. Por um período de tempo acreditei sim que fosse daquele jeito como mostrado nos romances espíritas e no filme nosso lar. Mas as vendas vão sendo retiradas e o que era velado passa a ser revelado. Nova Era novos tempos, graças a Deus.

 

 

10 – Acredita que a igreja é a casa de Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

10 – M.N. – Não. Acredito que Deus não habita em coisas criadas pelos homens, em construções ou objetos, mas onde há vida nos vários níveis de consciência. Acreditar que a igreja é a casa de Deus é negar que somos Templos Divinos e que Deus está “dentro” de cada um de nós, que somos deuses-filhos vivenciando trilhões de experiências de como é ser divino.

10 – M.R. – Não. Sempre procurei Deus para fora, indo em igrejas, templos e centros espíritas. Depois, passei a perceber Deus dentro de mim, dentro de todas as pessoas, em meio à natureza, aos animais, e percebi que Deus não mora nas igrejas, as igrejas são construções da matéria feitas pelas mãos dos homens e não por Deus.

10 – D.T.S –

Não. Esta estória foi a maior mentira secular já pregada para a humanidade. Tem como ver a igrejas católica como casa de deus? A assembleia e a universal como casa de deus? Acredita que igrejas tem algum papel na busca por deus? Se achar que sim, medite para abrir a visão, sair da cegueira!

10 – R. – Não. Deus habita todos os lugares e só pode ser vivido e sentido em nós.

10 – T.G. – Não. Como pode ser a igreja a casa de Deus, se Deus habita em cada Ser.

10 – B.Z. – Não, graças a deus não é lá a casa do pai, deus me livre de na casa de deus dá de frente com o “pedir mais cedo”! Se há algo que constatei ao longo de muita reflexão; é que deus mora dentro de cada um de nós.

10 – M.N.N. – Não. Deus é Onipresente, ele esta em todo lugar, dentro e fora de nós.

10 – R.V. – Não, as igrejas são instituições e só isso.

10 – B.D. – Não. Eu sou a casa de Deus, a casa do amor e da paz.

10 – C.S.D. – Não. Nunca acreditei nisso, nem quando eu era criança, porque se Deus e absoluto e habita dentro de todos os seres, porque necessitamos de um templo para encontrá-lo?

10 – M.M.O. – Não. Cada ser humano já nasce sendo o Templo Vivo de Deus, e a própria manifestação de Deus em Ação!

10 – C.A.G. – Não. Porque DEUS não esta em algo que o ser humano cria, pois se não fosse criada a igreja, DEUS então nunca estaria acessível a nós? Como nós decidimos experienciar como é não ser DEUS, na busca por DEUS, sem saber que somos o próprio, criamos mais essa ilusão, a igreja, com o intuito de chegar a ELE, mas fato é que a igreja é instrumento de manipulação por meio do medo.

10 – E.M. – Não. Se fosse, não seria lá que Deus deveria morar? Acaso alguém já viu- o ou marcou uma audiência com Ele em uma igreja?

10 – A.N. – Não, de jeito nenhum. NÓS somos o templo vivo de Deus, nós somos a Essência Divina, a própria manifestação Dele. Deus não habita em nada feito por mãos humanas. Mais uma vez essa história de que a igreja é a casa de Deus foi inventada por igrejas e governos, justamente para manter a humanidade em cabrestos, em rédeas curtas e assim dominar as massas.

10 – M.F.G. – Não. Por que nós somos o templo vivo de DEUS. Acreditar que igreja é a casa de DEUS é negar a própria natureza.

10 – R.R. – Não. Hoje não mais, impossível. “Deus não habita nada feito pelo homem e o homem já nasce como sendo o templo vivo de Deus”. Intuitivamente não há como fugir desta verdade! No passado fui ensinado a crer que sim.

10 – V.L. – Não. A casa de Deus e moradia somos nós, Irmãos do mestre Jesus.

10 – J.J. – Não, Penso que a casa de Deus seja a existência como um todo e cada Consciência.

10 – I.T. – Não. Porque sei que Nos somos o templo vivo de Deus.

10 – J.A. – Não. A igreja é a casa do medo.

10 – F.G. – Não. Encontrei Deus dentro de mim, é algo que experienciei, agora vejo Deus em muitas coisas, em todo lugar na verdade, tudo é ele, mas primeiro precisei encontrar dentro, e a ayahuasca me ajudou muito.

10 – A.S. – Não. Nunca tive qualquer religião, tão pouco fui batizada! Respeito o caminho de todos meus irmãos.

10 – M.A.T. – Não. Porque Deus está em seu templo sagrado. No meu interior. Assim como em todas as partes e em todos os seus filhos. Deus não precisa de edifícios físicos.

10 – M.C. – Não. Eu Sou o templo vivo de Deus

10 – R.M. – Não. Porque igrejas, religiões foram criadas pelos homens, e não somos gerados dentro de templos.

10 – F.L.B. – Não. A casa de Deus somos nós mesmos.

10 – B.C. – Não. Eu sou o Templo vivo de Deus a igreja é uma construção humana.

10 – H.J. – Não. O templo de Deus é o nosso próprio corpo.

10 – M.S. – Não. Deus é absoluto e está em todo lugar e dentro de nós.

10 – P.E.D.
– Não. A Igreja o lugar dito Sagrado de uma determinada Religião. Não é necessariamente uma integralidade divina.

10 – M.F. – Não. Somos o Templo Divino de Deus. Igreja é obra de homens.

10 – S.G. – Não. Tudo e qualquer coisa deve ser a casa de Deus, este deve residir em sua própria criação, desde um ser humano a uma pedra, tudo é Deus.

10 – I.P. – Não. De jeito nenhum, porque sempre vi muitas contradições nas próprias pessoas que diziam isso que me afastei há muito tempo.

10 – C.C.A.A. – Não, contudo sei que algumas igrejas góticas conseguem canalizar, dentro de seus espaços, uma energia divina muito específica funcionando em seu interior como uma maquina alquímica de evolução. A sua acústica, os vitrais coloridos psicodélicos sua proporção áurea, os símbolos, sua geometria e arquitetura fazem o trabalho de evolução melhorar em muito. As novas igrejas têm apenas parte deste conhecimento.

10 – L.A.P. – Não. Deus está em toda parte, permeia toda a criação.

10 – M.C.Q. – Não. O conceito de “casa de Deus” é fruto dos ousados esforços da igreja católica em programar sua doutrina em função de seus objetivos inferiores, entende? Portanto, como é de vosso conhecimento, o todo, tudo que existe, todo invisível e visível, é a casa de Deus.

10 – A.C.Z. – Não, Deus está dentro de nós e não dentro dos templos.

10 – R.S.S.S. – Não. Também me alimentei desta crença passada. Mas que em um determinado tempo desistir das religiões e de procurar Deus fora de mim, comecei a refletir sob a máxima de Jesus em nos dizer sermos templo vivo de Deus e este tempo não demoraria a chegar.

 

11 – Acredita que Deus sendo Deus, precisou criar religiões, igrejas, doutrinas, enviar guerreiros para a luta entre o bem e o mau, guerreiros para uma guerra santa?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

11 – M.N. – Não. Nenhuma religião foi criada por Deus. A palavra religião, em um dos seus conceitos, significa religar, ou seja, seria uma forma de religar o homem a Deus. Mas como podemos religar algo que nunca foi desligado? As ilustrações de guerreiros enviados por Deus para fazer as guerras santas, foram artifícios usados pelos líderes religiosos do passado para justificar a execução de seus interesses e vontades, aproveitando-se da crença inocente das pessoas cegas pelo medo.

11 – M.R. – Não. Nunca acreditei que Deus precisou criar religiões e igrejas, mas ingenuamente acreditava que as religiões e igrejas poderiam conter respostas e orientações de como ter um íntimo contato com Deus. Até que percebi, frequentando o Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição, que o caminho para o encontro com Deus é interno, pela meditação, coisa que não me explicaram em religiões, centros e igrejas que conheci até hoje.

11 – D.T.S – Não. Ele fez de cada homem e mulher a sua moradia.

11 – R. – Não. Isso é coisa de homens.

11 – T.G. – Não. Para falar a verdade não consigo mais acreditar em nenhum tipo de religião, doutrina. Para mim tudo isto aprisiona o Ser, ao invés de libertar.

11 – B.Z. – Não. Deus é Absoluto, não tem limitações e nem precisa de auxiliares.

11 – M.N.N. – Não. Deus sendo Deus, não precisa de mais nada. Ele simples e completamente É.

11 – R.V. – Não, desse jeito não.

11 – B.D. – Não. Deus sendo Deus não precisou de nada e de ninguém. Eu sendo Deus filho, continuo a me firmar no caminho da justiça do amor e da harmonia, para que um dia atinja o absolutismo da consciência divina que eu sou.

11 – C.S.D. – Não. Não acredito em nada disso, Deus é absoluto, e puro amor, as religiões estão aqui feitas pelo homem para aprisionar os próprios homens.

11 – M.M.O. – Não. Isto é folclore e lenda de homens. Igrejas e governos apregoam apenas ao Ser Humano o sentimento do medo e da culpa.

11 – C.A.G. – Não. Assim só é porque assim decidimos que seria ou nos deixamo-nos levar. É assim para os que acreditam que seja dessa forma.

11 – E.M. – Não. Bem, terei que plagiar esta resposta, pois é a melhor resposta a ser dada. Se Deus É Absoluto, pode ter Ele opositor? Se Ele não tem opositor como pode precisar de um exército para defender-se? As guerras chamadas santas foram conduzidas por homens que almejavam poder. Guerra pertence ao mundo ilusório o ter!

11 – A.N. – Não, acredito que os homens criaram todos esses mitos, justamente pela inconsciência de Deus. Religiões, bem e mal, guerra santa são criações vindas de mentes presas na ilusão, presas na inconsciência de quem realmente são. O Pai não precisa de nada, ele é Deus.

11 – M.F.G. – Não. Igrejas e religiões foram feitas por homens, não por DEUS. Sendo igrejas e religiões no meu modo de ver o que mais separa o homem de DEUS, qual seria o propósito em criar algo que o separasse DELE? Nenhum. Acredito que foi mais uma estória inventada como um modo de justificar as chamadas guerras “santas”.

11 – R.R. – Não. Sinto que melhorei minha consciência. Impossível atualmente acreditar nessas balelas.

11 – V.L. – Não. Aprendi que Deus é absoluto amor felicidade. Deus não precisa dessa guerra santa que está nos tempos de hoje.

11 – J.J. – Não, Embora alguns mestres digam que toda situação é perfeita não consigo ver o porquê dessas coisas.

11 – I.T. – Não. Vejo isso como mais historinhas para criancinhas.

11 – J.A. – Não. Deus não tem opositor.

11 – F.G. – Não. Como diz uma música do hinário, Deus fez os princípios, o homem faz a história.

11 – A.S. – Não. Nunca acreditei nos santos das igrejas.

11 – M.A.T. – Não. Porque ele é absoluto.

11 – M.C. – Não. Necessidade Humana de se fazer seguidores

11 – R.M. – Porque sendo deus absoluto amor não seria necessário matar em nome de santo,  deuses, igrejas não seria necessário matar e sim amar.

11 – F.L.B. – Não. Igrejas e guerras são invenções humanas.

11 – B.C. – Não. As igrejas são criação humana, não existe o mal apenas o bem o absoluto, ele não precisou mandar guerreiros para lutar, apenas houve com o passar dos anos homens que foram grandes mentes.

11 – H.J. – Não. Todas essas coisas são criações da mente humana. Deus é absoluto, é amor. Ele está além das coisas mundanas.

11 – M.S. – Não. Isso é coisa do homem criança.

11 – P.E.D. – Não. Deus é absoluto. Essas concepções são humanas e equivocadas.

11 – M.F. – Não. Deus é Absoluto, sem necessidades. Deus é Amor, e não punição.

11 – S.G. – Não. A criação de religiões, doutrinas, etc… tem a ver com o ego do ser humano, penso que a religião, qualquer uma deva ter um pequeno resquício do entendimento que teve o seu profeta, como o Cristianismo por exemplo. O homem com sede de ter poder e dominar criou dogmas religiosos, templos, etc…  infelizmente ocorre até com alguns exemplos de instituições e líderes religiosos que utilizam a sagrada Ayahuasca que é um agente de expansão da consciência.

11 – I.P. – Não. Porque sempre foram as pessoas que ditarem as regras, normas e as condutas que deveríamos ter para “ganharmos o céu”, mas confesso que antes não questionava isso por não ter liberdade dentro da família. Imagine crescer numa família que tem como membro um tio padre!

11 – C.C.A.A. – Não. Deus se manifesta até nos através de suas leis. O homem a identifica e tenta ensinar as outras pessoas destas leis. É como a brincadeira do telefone sem fio, depois de algumas gerações a informação está totalmente deturpada. Muito pela falta da pratica religiosa.

11 – L.A.P. – Não. Isto são criações dos homens, da mentalidade egocêntrica que ainda não conseguiu perceber a conexão e a unidade da criação.

11 – M.C.Q. – Não. Deus é eterno, o criador não criado. Com seu amor infinito, Deus criou o homem e lhe deu a chance de criar sua realidade. E as criações citadas na pergunta são obras das escolhas da mente racional do homem, assim como sua completa realidade na matéria densa.

11 – A.C.Z. – Não. As religiões são guiadas somente pelo Ego Humano, Interesses financeiros e dominantes do ser que ainda não percebeu seu real papel nesta grande jornada.

11 – R.S.S.S. – Não. Se algum dia esta crença fez parte do meu ser, há muito tempo desapareceu.

 

12 – Acredita que todo ser humano, independente de desperto ou não, nasce na condição de templo vivo de Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

12 – M.N. – Sim. Acredito que todo ser humano, independente de seu nível de consciência, nível de relembrar, de estar adormecido ou desperto, é sim um templo vivo de Deus, é um ser divino, é Deus vivenciando uma experiência no plano do relativo.

12 – M.R. – Sim. Uma vez que cansei de buscar Deus para fora, encontrei Deus dentro de mim mesma e vi que todo ser humano é criação Divina, ou seja, tem Deus dentro de si também. Mesmo que uma pessoa pratique maldades, foi somente pela escolha que ela fez, mas em sua essência, ela é divina.

12 – D.T.S – Sim, todos nós sem exceção. Mas uns se recordaram disso e outros, como os evangélicos, católicos, espíritas etc, realmente não se recordaram ainda.

12 – R. – Tudo é uma questão de tempo e um dia ele vai se iluminar, isso pode demorar, mas acontece.

12 – T.G. – Sim. Sem dúvida nenhuma!!

12 – B.Z. – Sim, sim, disso tenho plena certeza. Fui muito fútil e pervertido na vida, fui devasso mesmo, mas quando busquei para dentro de mim deus estava lá.

12 – M.N.N. – Sim. Por sermos todos filhos de Deus, somos todos iguais, não funcionaria ou não haveria perfeição Divina se uns fossem mais do que outros.

12 – R.V. – Acredito que em algum instante da evolução do espírito ele para de se preocupar com as coisas terrenas, como eu faço, e começa a se preocupar mais com as coisas do espírito. Daí, num grau mais elevado disso, se aprimorou bastante e tem condição de começar a ser um mensageiro de oxalá etc.

12 – B.D. – Sim. Todo ser humano é o templo vivo de Deus, todos são Deuses filhos, estando desperto ou não.

12 – C.S.D. – Sim. Claro que acredito, todos somos parte de Deus e ele abita os corações de todos, nós e que muitas das vezes estamos desconectados dele, mas ele nunca se desconecta de nós.

12 – M.M.O. – Sim. Cada Ser Humano, independente de desperto ou não, é Divino, pois, sendo Filho de Deus é deus filho, é o templo vivo de Deus.

12 – C.A.G. – Sim. Cada um aqui esta passando pelas experiências que decidiu passar, embora o ego não compreenda e por muitas vezes se revolte. Todos somos faces de DEUS em diferentes experiências, algumas faces fazendo e experienciando o papel de despertos outras nem tanto e ainda outras totalmente desligadas da consciência DIVINA.

12 – E.M. – Sim. Todos carregam dentro de si a Centelha Divina. Independente das escolhas feitas. Independentemente do ato mais bárbaro que praticar, sempre Será um templo vivo de Deus, enquanto seu coração pulsar e seu corpo viver!

12 – A.N. – Sim, acredito. Somos parte de uma Única Essência, todos viemos da mesma Fonte e carregamos Deus em nós. Se filho de peixe é peixinho, filho de Deus é deusinho, deus ainda neném, mas Divinos. Acredito no dia em que todos se reconhecerão divinos, todos manifestarão a Mente de Deus.

12 – M.F.G. – Sim. Por que ele habita em cada um de nós. Acredito que na mais profunda essência somos ELE, e que precisamos relembrar disso. Não importa a condição e as escolhas que tenhamos feito. O PAI sempre habitará em nós. Nas situações de minha vida onde mais consegui ouvi-lo, foi quando eu estava voltado para dentro de mim. Concluo assim que DEUS mora em meu ser.

12 – R.R. – Sim. Após esses últimos tempos na Obra acredito, pois, filho de Deus só pode ser Deus. Confesso que sozinho acho que não conseguiria enxergar isto.

12 – V.L. – Sim. Já nascemos à sua semelhança, todos somos filhos de Deus.

12 – J.J. – Sim, estou confuso e respondendo pela intuição porque a minha razão me leva a questionar se aqueles que nascem sem cérebro, dementes, e tantas outras coisas seriam vontade de um Deus amoroso.  

12 – I.T. – Sim. Porque independente de seu grau de consciência já é a manifestação do Divino.

12 – J.A. – Sim. Todos são divinos.

12 – F.G. – Sim. Somos todos iguais, somos Um, alguns compreendem mais outros nem perto de compreender, mas não deixam de fazer parte.

12 – A.S. – Sim. Por que se ele é Deus filho.

12 – M.A.T. – Sim. Porque somos Deus Filho, parte da centelha divina e, portanto parte do todo.

12 – M.C. – Sim. Se todos viemos do Absoluto somos todos Divindades

12 – R.M. – Sim. Acredito que se filho de deus pai seremos deus filho.

12 – F.L.B. Sim, isto prova o Amor do Pai e o direito que todos temos sem distinção.

12 – B.C. – Sim, pois essa é sua natureza, independente de seu relembrar.

12 – H.J. – Sim. Todos somos Deuses Filhos em essência.

12 – M.S. – Sim. Somos Deuses, filho de Deus é Deus.

12 – P.E.D. – Sim. Filho de Deus só poderia ser Deus também!

12 – M.F. – Sim.

12 – S.G. – Sim. Templo vivo em potencial, potencial este que é exercido em escalas diferentes para cada ser.

12 – I.P. – Sim. Porque nossa essência é divina, por mais difícil que seja pensar em, por exemplo, que um assassino também seja o templo vivo de deus, mas temos que encarar e olhar de cima, como o senhor nos ensina.

12 – C.C.A.A. – Sim, se Deus esta em tudo, também está dentro de nós.

12 – L.A.P. – Sim. Todos são capazes de comungar com Deus, para isto basta que façam esta escolha.

12 – M.C.Q. – Sim. Cada um de nós é uma centelha divina, apesar da maioria ainda não se dar conta dessa realidade.

12 – A.C.Z. – Sim. Se somos  todos um, não poderia ser diferente. Todos mesmo.

12 – R.S.S.S. – Sim. Esta sim foi uma crença que mesmo eu estando presa em alguns dogmas. Tinha certeza disso, eu templo vivo de Deus.

 

13 – Acredita que todo ser humano, você inclusive, possa um dia, após despertar, ser um mensageiro de Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

13 – M.N. – Sim. Acredito que todo ser humano ao relembrar quem é, se liberta gradativamente da influência da mente racional, do “filtro” do ego, consegue se conectar com sua essência, com níveis de frequência elevados e passa a servir de canal para expressar o Divino através de palavras, da música, da arte, manifestando o Puro Amor das mais variadas formas.

13 – M.R. –  Sim. Como hoje eu sei que Deus habita dentro de cada um de nós, concluo que todos nós alcançaremos a iluminação um dia, portanto, todo ser humano terá a capacidade de ser um mensageiro de Deus.

13 – D.T.S – Sim, mas todos nós somos mensageiros, a diferença é que uns, os que meditam, recordam disto mais rapidamente. Enquanto eu usava drogas, bebia santo daime, eu não tinha consciência verdadeira disto, eu só falava disto. Foi pela meditação que sentindo eu pude compreender realmente isto.

13 – R. – Sim, Porque desta sua resposta? Sim, pois estas mensagens de luz no ajudam a sair das trevas da mente.

13 – T.G. – Sim. Olha, esta é difícil de responder… mas creio na iluminação e em todas as capacidades que despertam a partir deste estado!

13 – B.Z. – Sim, isso é outra certeza que tenho.

13 – R.V. – Sim, acredito que um dia quando eu achar que isso é mais importante que viver bem satisfeito e alegre, isso possa acontecer.

13 – M.N.N. –  Não. Pois vejo que todos já somos mensageiros de Deus, de forma consciente ou não

13 – B.D. – Sim. Sim todos já somos mensageiros de Deus, todos já somos Deuses pequenininhos. O despertar pode sim fazer com que todos espalhemos a mensagem plantando sementinhas do amor.

13 – C.S.D. – Não. Já somos um mensageiro de Deus, todos nos vimos com a mensagem de Deus gravada em nosso intimo, em nosso ser, só nos resta religar essa conexão com o divino.

13 – M.M.O. – Sim. Acredito que todos podemos ser mensageiros de Deus. Assim como o Mestre já foi “criancinha” como nós, nós um dia seremos como ele.

13 – C.A.G. – Sim. Acredito, só que está demorando muito rsrs Particularmente eu resisto à ideia de que talvez não desperte nessa vida… ou seja, não quero acreditar que passarei essa vida inteira como Claudio sem despertar. Mas penso eu que não precisamos estar despertos para sermos mensageiros de DEUS, mesmo sem saber em nossos atos e palavras estamos sempre passando uma mensagem de DEUS na nossa interação com nossos irmãos na terra, um ajudando o outro, mesmo inconscientes, um ajudando o outro.

13 – E.M. – Sim e não. Depende da forma que for vista a condição de mensageiro de Deus. Vejo fiéis de igrejas batendo às portas dos “irmãos”. Eles dizem “pregar a palavra” oferecendo a salvação para as almas perdidas. Não! Um mensageiro é muito mais que palavras e imposições… Ele fala através da Ação concreta do Agir! Ele torna-se um paradigma a ser observado e compreendido. Um mensageiro Age quase em silêncio e suas palavras são proferidas somente quando são requisitadas. Todo ser humano tem procedência Divina. É uma simples questão de escolha Ser ou ter. Não basta saber. É preciso Agir!

13 – A.N. – Sim, pois acredito que um mensageiro de Deus despertou para o Amor e Felicidade para a união com Deus. Quando se vive em amor e felicidade, a vontade é que todos também vivam em amor e felicidade. Aprendi no Céu Nossa Senhora da Conceição que a felicidade existe apenas no coletivo, não dá para ser feliz sozinho.

13 – M.F.G. – Sim. Acredito que quando despertamos, a nossa consciência divina fala mais alto. E passando a escutá-la, naturalmente escolheremos dizer as verdades que estamos descobrindo, em espalhar as boas novas. Sentiremos vontade de despertar quem ainda dorme.

13 – R.R. – Sim. Se somos todos Divinos, podemos sim.

13 – V.L. – Sim. Basta um despertar de Deus para essa evolução espiritual acontecer para ser sensível o bastante pra ser uma mensageira de Deus.

13 – J.J. – Sim, Se alguém sente Deus em si e ele em Deus então qualquer coisa em sua existência será mensagem de Deus.

13 – I.T. – Sim. Porque essa é nossa natureza.

13 – J.A. – Não. Somos o próprio Deus.

13 – F.G. – Sim. À medida que vou despertando sinto cada vez mais vontade de auxiliar, de contribuir de alguma forma para que as outras pessoas descubram as verdades que descobri, esse sentimento só tende a crescer, é a nossa natureza servir.

13 – A.S. – Sim. Acredito que ao despertar eu conhecerei a natureza de Deus que habita em mim.

13 – M.A.T. – Sim. Porque é para isso que fomos criados.

13 – M.C. – Sim. Eu vim como mensageiro de Deus.

13 – R.M. – Sim. Pois despertando a sabedoria em saber que sou deus filho poderei observar o meu irmão e passar a mensagem que somos a semelhança de deus pai assim assumindo o verdadeiro papel de mensageiro da verdade.

13 – F.L.B. – Sim. Com certeza, todos nós!

13 – B.C. – Não. Eu posso começar a relembrar e transmitir a mensagem de um Deus do absoluto, mais não significa que eu seja um mensageiro.

13 – H.J. – Sim. A partir do momento em que se tem a consciência do Divino Absoluto, o sentir é Uno. E todo Deus Filho sempre se comporta como mensageiro do Pai.

13 – M.S. – Sim. Não só é mensageiro, mas o próprio Deus.

13 – P.E.D. – Sim. Podemos ser mensageiros e levar a Luz para a humanidade.

13 – M.F. – Sim.

13 – S.G. – Sim. O Amor divino, caso eu me convença que ele exista pode ser transformador e também capacitador para prosseguir o despertar da humanidade. Confesso que em meu íntimo há um desejo de ajudar os outros talvez seja a centelha divina reclamando um posicionamento.

13 – I.P. – Sim.  Penso que sim, que é isso que deus quer; que despertemos e nos reconheçamos como sua essência.

13 – C.C.A.A. – Sim, conhecendo sua natureza e suas leis é imprescindível ensinar aos outros, pois a humanidade é um grande ser vivo e para evoluirmos todos têm que evoluir.

13 – L.A.P. – Sim. É para isso que despertamos, para ser um mensageiro de Deus, um exemplo da lei divina para que possamos ajudar na evolução do universo.

13 – M.C.Q. – Sim. Um mensageiro é um irmão abnegado, que emana o amor universal por nós. É um irmão mais velho, que se preocupa conosco, com nossa jornada. Este estágio evolutivo será alcançado por todos nós num determinado momento.

13 – A.C.Z. – Não. Acredito que todos viemos experimentar o “humano sentir”, sentir e sentir, voltar com a grande experiência seja ela boa ou má. Se podes ajudar ao irmão na busca seja bem vindo, se não; até logo.

13 – R.S.S.S. – Sim. Sim também não tenho duvidas, e acho que a vida não teria sentido se não fosse deste jeito. E acredito já estamos sendo, quando nos predispomos a servir aos nossos irmãos. Simplesmente pelo fato de amar e de ficar feliz somente em ver o irmão feliz, acho que isso já diz tudo.

 

14 – Acredita na existência do certo e do errado?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

14 – M.N. – Não. Para que houvesse o certo e o errado, algo ou alguém teria que estabelecer ou julgar o que seria certo ou errado. E quem seria, algum homem ou Deus? Se Deus fizesse esse julgamento como ele poderia ser Absoluto? Acredito que existam escolhas que funcionam, que te conduzem para o Amor Incondicional, e as escolhas que não funcionam, aquelas que te levam no sentido contrário.

14 – M.R. – Não. Durante boa parte da minha vida fiquei perdida pensando sobre o que é certo e errado, não conseguia saber o que era certo ou errado, o que agradaria a Deus ou desagradaria a Ele. Então, muito cansada de viver com medo de desagradar a Deus, procurei me esforçar para tomar as decisões da minha vida sem pensar muito nisso, seguindo meu coração. Até que passei a compreender, praticando a meditação como aprendi no Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição, que só existem escolhas. Certo e errado é uma questão de ponto de vista. Porém, toda escolha que você faz, traz consigo uma consequência, é como plantar e, depois, colher.

14 – D.T.S – Não, não há tais coisas. São pontos de vista diferentes de um mesmo acontecimento.

14 – R. – Sim. Eu sei que é relativo e eu defino isso de acordo com minha mente, com os objetivos que eu tenho.

14 – T.G. – Não. Certo e errado são termos relativos. O que é certo para mim pode ser totalmente errado para outros… assim como o que é errado para mim pode ser plenamente certo e aceitável para outros, por isso NÃO é absoluto. Acredito que o Absoluto seja uno e indivisível!

14 – B.Z. – Não, porque o que existe são pontos de vista diferentes.

14 – M.N.N. – Não. Foi-nos concedido o livre arbítrio, escolhas e suas consequências… Certo e errado é só um ponto de vista.

14 – R.V. – Não, não tem isso de certo e errado. Certo e errado depende do lado da história que está.

14 – B.D. – Não. No absolutismo de Deus não existe certo ou errado, existem caminhos e escolhas, o homem com sua ignorância que fantasia tudo como certo ou errado.

14 – C.S.D. – Sim. Acredito sim, porem no plano relativo, o que e certo para mim pode não ser o certo para você, e vice-versa.

14 – M.M.O. – Não. O certo e errado é relativo, cada um “acha” certo ou errado uma coisa. Portanto apenas existe escolhas que funcionam e que não funcionam, segundo as experiências que cada um escolheu viver.

14 – C.A.G. – Sim e Não. Sim porque estamos no mundo relativo onde o certo e o errado faz parte do teatro das experiências.

Não no sentido que sendo o certo e o errado uma coisa criada por nós, humanidade, para jogarmos o jogo da vida aqui na terra eles não tem peso algum fora daqui, ou seja, só tem validade esses conceitos no mundo e em vida nele para melhor nos orientarmos no mundo, de nada vale fora dele.

14 – E.M. – Não. A vida que escolhemos viver é uma grande Ciência! Em estado individual somos os cientistas. Todo cientista precisa de um laboratório. O nossa mente conduz as experiências que desejamos vivenciar. Fazemos escolhas que podem nos levar a um resultado satisfatório ou não. Algumas vezes explodimos o laboratório com nossos excessos, mas um Cientista não desiste! Ele experimenta e experimenta até concluir sua pesquisa. Ele jamais erra. Ele só calcula e experimenta o resultado, tenta várias vezes até encontrar a Fórmula Exata! É incontestável que todo ser humano busca pela Felicidade. Com isso acaba por cometer atos individualistas que o afasta da felicidade. Por muito tempo nos condenamos pelos erros cometidos até compreendermos que o que fizemos foi tentar um novo caminho que nos levasse a felicidade. Cada vez que percebemos um equivoco compreendemos que a experiência não foi satisfatória. Tudo bem. Ao menos já sabemos o que não funciona. Percebendo isto, como crer na existência do certo e do errado? São somente escolhas…

14 – A.N. – Não, acredito na existência de escolhas. Certo e errado são termos do relativo (plano da ilusão, plano material). Acredito em escolhas conforme as experiências que escolhemos viver (escolhas que funcionam e escolhas que não funcionam).

14 – M.F.G. – Não. Por que certo e errado faz parte do relativo. O que é certo para um, pode ser errado para outro. Existem escolhas, e são elas que me dirão se estou de acordo com o objetivo que escolhi traçar. Acreditando nos conceitos de certo e errado, a pessoa entra no processo de julgamento que também é relativo, passando assim a não dar espaço para a compreensão.

14 – R.R. – Não. Dá forma que aprendi durante anos não acredito mais. Hoje, já concordo com a ideia daquilo que funciona e aquilo que não funciona. Tenho que dar os passos na direção do que quero atingir.

14 – V.L. – Sim. Procuro sempre entender e compreender a todos, a respeitar o próximo acima de tudo, Independente de estar errado ou certo.

14 – J.J. – Não. Sinto-me confuso nesse ponto, para o leão o bem é comer o cervo, para o cervo o bem é comer a grama e o leão é o mau, para o grama o leão é neutro e o cervo é o mau. Enfim, esses conceitos parecem variar de acordo com o ponto de vista, me pergunto como seria a partir de um olhar universal, talvez só haja bem e mal na realidade de cada consciência e de acordo com suas cores.

14 – I.T. – Não. Porque acredito no Absolutismo, e no que funciona e no que não funciona de acordo

com onde se quer chegar.

14 – J.A. – Não. A pessoa escolhe a experiência que viverá.

14 – F.G. – Não. Como respondi anteriormente, acredito em escolhas que funcionam ou não, de acordo com o nosso propósito.

14 – A.S. – Não. Ainda tenho questões internas que julgo estar certo e outras julgo estar errado. Mas compreendo que isso é relativo em cada fase de minha vida o conceito muda.

14 – M.A.T. – Não. Porque certo e errado são contrários à plenitude divina.

14 – M.C. – Não. Tudo é Absoluto!

14 – R.M. – Não. Acredito no caminho que nos leva ao despertar da sabedoria nos conduzindo ao absolutismo de nosso deus pai penso em sentimentos de paz e harmonia.

14 – F.L.B. – Não. Não acredito em certo e errado, apenas em escolhas, estas que podem ir de acordo com o caminho escolhido, a favor ou contra.

14 – B.C. – Não. O certo e errado é apenas um conceito estabelecido pela sociedade, pra Deus não existe certo ou errado existem escolhas.

14 – H.J. – Não. Contudo, não tempo uma concepção formada à respeito. Acredito que temos a escolha. Certo e errado se restringem ao mundo da manifestação.

14 – M.S. – Não. Errado o que será? Certo o que será?  Pra mim é relativo.

14 – P.E.D. – Não. São conceitos humanos, não espirituais.

14 – M.F. – Não. Certo e errado são relativos, ou seja; ilusão.

14 – S.G. – Sim. O certo e o errado passam pelo crivo de valor apenas de quem age, penso que ninguém pode apontar o dedo e julgar.

14 – I.P. – Não. Mas só entendi depois que comecei a frequentar o céu nossa senhora da conceição e ouvir suas palavras.

14 – C.C.A.A. – Sim, o certo é estar dentro das leis de Deus e errado é estar fora das leis.

14 – L.A.P. – Não. O que é certo ou errado depende do nível de consciência de cada um. Existe a lei, as escolhas e as consequências.

14 – M.C.Q. – Não. Este conceito, assim como o de bem e mal, é resultado das criações da mente racional do homem. Estes conceitos, junto com inúmeros outros, correspondem a base do entendimento humano do mundo. O fato é que se configuram como uma representação mental e abstrata da realidade.

14 – A.C.Z. – Não. Não existe o certo nem o errado, em minha opinião existe o caminho que trilho e a experiência que busco, o resto é a própria “experiência”.

14 – R.S.S.S. – Não. Pelo fato da lei da relatividade, e de que tudo é uma questão de escolhas.

 

15 – Acredita na existência do pecado?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

15 – M.N. – Não. Acredito que não existe pecado como forma de desagradar a Deus e ser condenado por isso. No idioma hebraico e no grego comum, pecado tem sentido de errar ou não atingir um alvo, ideal ou padrão. Se considerarmos Deus, o Amor, como sendo o alvo, poderíamos ter atitudes que “errariam” o alvo, que iriam numa direção oposta. Mas a expressão pecado, utilizada pelas religiões, como desobediência à Deus, vai de encontro ao Absolutismo e o Amor Incondicional.

15 – M.R. – Não. Não acredito mais em pecado, porque depois de perceber que Deus é Absoluto, Amor e Felicidade, acho que o conceito de pecado não combina com Deus, na verdade pecado é só um conceito mesmo, é da mente racional, não tem nada de espiritual na ideia de pecado. Às vezes tomo algumas decisões e atitudes das quais me arrependo, considero como um erro, pois vejo que foram escolhas que não funcionaram de acordo com a experiência que escolhi viver. Mas não fico me culpando e achando que foi um pecado, ou que Deus considerou um pecado. Acredito que Deus conhece meu coração e sabe das minhas intenções. Então, procuro tomar novas decisões melhores.

15 – D.T.S – Não. É impossível existir o pecado porque deus é mesmo absoluto, amor.

15 – R. – Sim e Não. Não da forma que a igreja fala, mas quando não vivemos os objetivos da nossa alma acredito que estamos pecando.

15 – T.G. Não. Não mesmo! Como seria possível ofender a Deus? Só se ofende o ego, que é cheio de complexos. Deus não tem vontades e nem caprichos… impossível imaginar Deus, sendo Absoluto, Amor, se ofendendo com algo. E pecado perante a lei de quem? Dos homens? Que criam o que querem na medida de suas próprias conveniências? Impossível crer em pecado.

15 – B.Z. – Não, porque o deus do amor teria que ser um deus de contrariedades, que se ofende, incompleto, ignorante, imperfeito e também mesquinho para que pudesse existir o pecado, porque nos deu o livre arbítrio para escolher o que quisermos fazer e seguir, mas se escolher ou seguir aquilo que o contrarie vai amaldiçoar, castigar e matar. Para ser assim deus teria que ser hipócrita!

15 – M.N.N. – Não. Assim como não existe certo e errado, céu dos bons e inferno dos maus.

15 – R.V. – Não, acredito que tem as coisas que desagradam ao espíritos, mas não que isso seja pecado.

15 – B.D. – Não. Acho mesmo é que pecado é o homem criar esse Deus tirano que pune, que julga e que te manda para o inferno caso não siga suas regras.
Deus no seu absolutismo tem lá tempo pra julgar e punir Deuses filhos que somos. 
Pecado é coisa criada por homem que não tem o que fazer e no fundo adora julgar e criticar os outros.

15 – C.S.D. – Não. Acredito na lei de causa e efeito, você comete uma ação e depois observa o efeito tanto positivo quanto negativo.

15 – M.M.O. –  Não. DEUS é AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE. Não há como pecar contra Deus, pois, ele não pune, não castiga e nem condena ele é ABSOLUTO, não possui vontades. Deus é AMOR. Ele te ama, independente do que você venha a fazer. Contudo, entretando, todavia, existe Causa e Efeito, Plantio e Colheita.

15 – C.A.G. – Não. O que eu entendo de pecado é que é uma coisa que desagrada DEUS. Como poderia DEUS, ABSOLUTO, se desagradar com alguma coisa criada pela humanidade? O pecado criado pelas religiões não desagrada nem a muitos humanos.

15 – E.M. – Não. O pecado é sinônimo de errar. Se não existe erro a ser cometido, consequentemente não existe o pecado.

15 – A.N. – Não, de maneira alguma. É impossível pecar contra Deus. Ele é Absoluto, não precisa de leis, não possui vontades e muito menos desejos. Não há como ofender a Deus. Deus nos ama intensamente e tudo que sair do amor e felicidade não provém de Deus.

15 – M.F.G. – Não. Por que tudo que DEUS criou é perfeito. Dizer que existe pecado, inclusive que já nascemos como tal, é dizer que DEUS criou algo imperfeito, que alguma coisa não saiu como o esperado. E como se não bastasse, ELE teve que nos enviar o seu “único filho” para nos salvar da imperfeição com que o PAI nos criou. Chega a ser irônico, mas não pode questionar, porque isso seria um pecado. Acredito que isso é mais uma ferramenta que as religiões usam para manterem seus fiéis pagãos.

15 – R.R. – Não. Se não existe o errado, não existe o pecado. O que existe é uma conduta inadequada para atingir o que quero.

15 – V.L. – Não. Não existe pecado.

15 – J.J. – Não, vejo que existem muitos canalhas que não se punem e nem sentem culpa pelos seus atos e estão bem e existem pessoas que praticam menos ações reprováveis e sofrem com isso porque elas mesmas se punem.

15 – I.T. – Não. Falta de compreensão e estratégia para manipulação de mentes se utilizando de cabrestos.

15 – J.A. – Não. A pessoa escolheu.

15 – F.G. – Não. Não tem como pecar contra Deus já que ele é absoluto, podemos fazer escolhas que não funcionam pro nosso propósito, mas aí temos que lidar com nossa consciência, buscar o auto- perdão, não o de Deus. Acredito que o termo pecado tenha sido mal interpretado e ensinado de forma distorcida tal como o “karma”.

15 – A.S. – Não. Jamais acreditei em pecado! Sempre tive a ideia do erro ou equivoco passível de reparo, como um aprendizado.

15 – M.A.T. – Não. Pecado contradiz o absoluto.

15 – M.C. – Não respondeu.

15 – R.M. – Não. Pecado foi uma forma de punição imposta pelos ignorantes homens presos em antigas crenças.

15 – F.L.B. – Não, pecado é criação humana, apenas caminhos que resolvem ou não de acordo com a resposta anterior.

15 – B.C. – Não. Nós somos livres pra fazer o que quiser sem nenhuma punição, pois não há certo ou errado.

15 – H.J. – Não. Pecado não passa de uma criação da mente humana para justificar suas dificuldades decorrentes das más escolhas realizadas.

15 – M.S. – Não. Pecado é coisa de igreja.

15 – P.E.D. – Não. Não existe certo e errado, bênçãos ou pecados.

15 – M.F. – Pecado fora criado pelas igrejas – obra dos homens – para manipulação e cegueira das massas.

15 – S.G. – Não. O pecado foi um atributo da religião, os seres apenas pecam contra eles próprios, pois a cada mal realizado advêm suas consequências.

15 – I.P. – Não. Porque se existisse pecado deus estaria julgando seus filhos e ele não faz isso.

15 – C.C.A.A. – Não, pecado seria uma atitude que estaria errada perante as leis de Deus, porém; se somos nós que decidimos e temos a condição de livre arbítrio dado por Deus, errar e se afastar de Deus é uma lei. Mas quem decide ir por outro caminho assume toda a responsabilidade do erro. E por isso não há pecado, pois eu assumo o erro com a consequência.

15 – L.A.P. – Não. Deus nos permite fazer escolher que quisermos e não se incomoda se fizemos a melhor escolha ou não, isto já está previsto no processo de aprendizado que nos leva a evoluir.

15 – M.C.Q. – Não. Este é mais um conceito criado, nos primeiros séculos após a passagem do Mestre Jesus pelo Oriente Médio, pelo catolicismo com objetivos inferiores, baseados na dominação e subserviência daqueles que ainda se encontram no sonambulismo de nossa real natureza cósmica.

15 – A.C.Z. – Não. O Amor Divino não tem olhos para isto, apenas espera que encontremos o caminho o mais rápido que puder, para aproveitarmos ao máximo a grande “aventura da vida”.

15 – R.S.S.S. – Não. Embora também em algum momento de minha existência tenha acreditado devido às crenças impostas, culturais.

 

16 – Acredita que Deus sendo Deus, tenha qualquer forma de necessidades ou vontades?

( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

16 – M.N. – Não. Necessidades e vontades são características e padrões das personalidades egoicas, Deus, o Divino, não tem desejos, vontades ou necessidades.

16 – M.R. – Não. Se Deus é Absoluto, Amor e Felicidade, acredito que Ele não tem vontades. Ter vontades e necessidades é coisa da mente racional do ser humano.

16 – D.T.S. – 
Não. Claro que não, ele é deus

16 – R. – Não. Nós temos vontades, desejos e necessidades.

16 – T.G. – Não. Não mesmo! Imagine só, se Deus tivesse vontades ou necessidades, ele também daria preferência a uns e não a outros… e inclusive, eu, você, poderíamos estar na lista dos excluídos de deus… Deus é Amor, Energia Pura que nunca se separa!

16 – B.Z. – Não, porque deus é absoluto.

16 – M.N.N. – Não. Ele é. Como a pura essência do Amor. Limitando a um pensamento, ele já sabe de tudo.

16 – R.V. – Não, isso é coisas de bíblia, padres, pastores, gente sem luz. Se fosse assim como a biblia mostra deus não seria supremo.

16 – B.D. – Não. Deus sendo Deus ele é a pura essência do amor, a total frequência do amor e da harmonia. Deus é absoluto, pra ele não existem necessidades ou vontades, isso é coisa de homem que vive na terra.

16 – C.S.D. – Não. Porque ele teria? Deus é amor, porque teria vontades se acredito ser absoluto.

16 – M.M.O. –  Não. Ele sendo Deus é ABSOLUTO, não poderia ser de fato ABSOLUTO, se tivesse vontades ou necessidades.

16 – C.A.G. – Não. Tudo o que possamos imaginar DEUS JÁ É!  Graças a DEUS.

16 – E.M. – Para ter necessidades a serem supridas ou vontades a serem compridas é necessário que falte algo. Há um vazio a ser preenchido. Deus É O Absoluto, Plenitude. Deus não precisa de nada, pois Ele É O Todo.

16 – A.N. – Não, pois Deus é Absoluto.

16 – M.F.G. – Não. Por que quem tem vontades e necessidades é a mente racional que faz parte da relatividade. DEUS não é a mente racional  e nem a relatividade, foi ELE que as criou para que pudéssemos experienciar novas oportunidades no processo de relembrar.

16 – R.R. – Não. Senão não seria Deus. Necessidade e vontade é coisa de homem.

16 – V.L. – Não. Luz Divina Deus não tem vontades e nem necessidades Deus do Absoluto.

16 – J.J. – Não. Penso que o estado mais superior seria ser pleno em si mesmo, se houvesse necessidade ou vontade, isso seria necessidade ou vontade de Si próprio.

16 – I.T. – Não. Porque o Absoluto como o nome já diz, já é Absoluto.

16 – J.A. – Não. Por ser ABSOLUTO.

16 – F.G. – Não. Ele já é Deus, não precisa de mais nada… mas quer muito que sejamos felizes.

16 – A.S. – Não respondeu.

16 – M.A.T. – Não. Deus já é o todo, tudo. É a plenitude e o ser Divino não precisa destas construções mentais.

16 – M.C. – Não. Deus é Absoluto.

16 – R.M. – Sim. A vontade de deus é a mesma de um verdadeiro buscador espiritual na posição de encontrar a felicidade do pai, do filho e ser feliz.

16 – F.L.B. – Não. Deus somente Ama. O Amor do Pai é tão imenso que ainda não podemos compreender e muito menos explorar em palavras humanas.

16 – B.C. – Não, pois ele não seria Deus.

16 – H.J. – Não. Deus é absoluto, pleno. Mas considerando que Deus criou o mundo da manifestação para curtir sua criação, acredito que, embora não tenha necessidades, houve uma vontade.

16 – M.S. – Não. Deus é perfeição, manifestação do Amor.

16 – P.E.D. – Não. Acredito no absolutismo de Deus.

16 – M.F. – Não. Deus é Absoluto, sem necessidades ou vontades!

16 – S.G. – Sim. Deus tem vontade sim, ele criou o universo por vontade própria, “repartiu” ele próprio por qualquer razão que desconheço e criou  a necessidade dele próprio crescer através de sua criação.

16 – I.P. – Não. Porque ele é absoluto, é tudo e o todo, de nada necessita.

16 – C.C.A.A. – Não. Deus é lei, amor e inteligência. Quem tem necessidades é o Ego.

16 – Luis A. P. – Não. Sendo absoluto, Deus é.

16 – M.C.Q. – Não. Em minha rudimentar concepção, Deus apenas faz as nossas vontades, devido o Seu amor incondicional, desinteressado e infinito por nós.

16 – A.C.Z. – Não. O uno não precisa.

16 – R.S.S.S. – Não. Estes foram e ainda são os conceitos religiosos, um Deus cheio de desejos, e muito parecidos com os desejos humanos.

 

17 – Acredita que Deus sendo Deus, se enfurece, se ofende, que pode ficar contrariado?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

17 – M.N. – Não. Deus criou tudo o que há, é a Consciência Suprema, não poderia sentir ira, ou se ofender, muito menos se sentir contrariado pois não tem desejos ou opiniões limitadas.

17 – M.R. – Não. Hoje eu não acredito mais num deus que se enfurece, porque eu sinto Deus dentro do meu coração e acho que Ele é sempre Feliz.

17 – D.T.S. – Não. Esse deus descrito na pergunta é o deus mesquinho da bíblia, dos evangélicos, católicos, kardecistas, hinduístas etc.

17 – R. – Não. A consciência absoluta não é afetada com a impermanência das coisas relativas.

17 – T.G. Não. De forma alguma. Só fica contrariado o ego, que possui uma infinidade de complexos de superioridade, inferioridade, medos, culpas etc. Deus é AMOR!!!

17 – B.Z. – Não, porque deus é absoluto, amor e felicidade.

17 – M.N.N. – Não. Não vejo como Deus a plenitude pode se limitar a uma vontade, onde ficaria nosso livre arbítrio?

17 – R.V. – Não, pensar assim é ser um ignorante total, um analfabeto de deus, um retardado das coisas de deus.

17 – B.D. – Não. Deus sendo Deus ele é a pura essência do amor, a total frequência do amor e da harmonia. Deus é a magia da paz, fúria é coisa de homem que gosta de andar por um caminho oposto a paz de Deus.

17 – C.S.D. – Não. Não seria AMOR se enfurecesse, se ofendesse ou ficasse contrariado, o amor é sublime, Deus nos observa e nos espera com incondicional e infinito amor.

17 – M.M.O. –  Não. Pois ele é AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE. Sendo Amor não se ofende, sendo Absoluto não há do que se contrariar. Sendo Felicidade, não há como se enfurecer.

17 – C.A.G. – Não. DEUS É ABSOLUTO, É TUDO. Enfurecer, se ofender são emoções humanas… impossível DEUS contrariar a si próprio!

17 – E.M. – Não. Jamais! Deus É Amor! Quem Ama não cobra, não se ofende. Simplesmente, Compreende!

17 – A.N. – Não, pois Deus é Absoluto, Amor e Felicidade, não há como se ofender ou ficar contrariado. Aquelas histórias da bíblia de que Deus mandou matar todas as pessoas de certo vilarejo, não passam de histórias inventadas por pessoas que não conhecem realmente Deus e mantidas pelas igrejas para que as pessoas possam temer Deus e assim continuar nos cabrestos do medo e da culpa.

17 – M.F.G. – Não. DEUS nos deu o livre arbítrio para fazer as nossas escolhas. Louvado seja por seu amor e misericórdia. Mas que tipo de livre arbítrio é esse que se não fizermos o que o PAI nos pede despertaremos sua fúria. Tudo isso é coisa de igrejas. Dizem elas: -Devemos amar DEUS, mas também devemos temer a sua ira. Não! DEUS não tem vontades, necessidades, se enfurece e muito menos se ofende quando contrariado. Ele é DEUS, é o mais puro amor que existe.

17 – R.R. – Não. Deus não possui as características dos homens e isto é coisa de homem.

17 – V.L. – Não. Deus é amor e Felicidade.

17 – J.J. – Não, Se isso fosse verdade Ele não seria absoluto em Si mesmo.

17 – I.T. – Não. Porque se nem alguns irmãos com uma consciência mais amadurecida já não sentem isso, quem dirá a consciência Suprema.

17 – J.A. – Não. Por ser ABSOLUTO.

17 – F.G. – Não. Se o Fizesse não seria Deus.

17 – A.S. – Não. Deus é quietude. Não percebe a baixa frequência! Isso é crença dos que querem manipular e controlar as mentes.

17 – M.A.T. – Não. Porque para o absoluto isso não existe. Certo e errado são criações mentais para manter o homem no apego. Deus não quer isso.

17 – M.C. – Não. Hoje não, mas já cheguei a acreditar.

17 – R.M. – Não. Pois sendo deus puro amor seria o contrario ao se enfurecer

17 – F.L.B. – Não. Jamais, Deus é Absoluto.

17 – B.C. – Não, pois ele respeita as suas as suas escolhas e te ama incondicionalmente.

17 – H.J. – Não. Deus é absoluto, pleno. Deus é amor.

17 – M.S. – Não. Isso é coisa do homem ego.

17 – P.E.D.
 – Não. Deus é absoluto.

17 – M.F. – Não. Deus não tem necessidades e nos ama incondicionalmente. Não há certo e nem errado, ou seja, não há como pecarmos contra Deus, afinal ele nos deu o livre-arbítrio.

17 – S.G. – Não. Obviamente que deus não pode se sentir contrariado ou ofendido, pois ele estaria contra sua criação, que é ele mesmo; perfeito, seria o maior dos paradoxos.

17 – I.P. – Não. Deus é amor.

17 – C.C.A.A. – Não. Não vejo Deus como um ser humano que se aborrece ou fica feliz. Apenas o vejo como; bom, belo e justo.

17 – L.A.P. – Não. Estas são manifestações do ego.

17 – M.C.Q. – Não. Sendo Deus amor infinito, não existe a possibilidade de tais sentimentos inferiores serem cogitados a existirem Nele. Esses sentimentos primitivos são apenas de caráter humano.

17 – A.C.Z. – Não. O amor é incondicional.

17 – R.S.S.S. – Não. Vejo isto também como conceitos concebidos pelos historiadores de livros ditos como sagrados com intuitos de por cabrestos nos homens e incutir o medo, para exercer poder sobre os mesmos.

 

18 – Acredita ser possível pecar contra Deus?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

18 – M.N. – Não. Acredito que não seja possível desagradar a Deus, desobedecê-lo ou ofendê-lo. Deus não condenaria ou mesmo julgaria seus Filhos, crianças espirituais que não tem consciência plena da experiência que vivenciam e esqueceram que são divinas.

18 – M.R. – Não. Porque Deus é Absoluto, então não tem como fazer mal a Ele. Ele é Todo Poderoso.

18 – D.T.S – Não, não há pecados.

18 – R. – Não. A consciência absoluta não é afetada com a impermanência das coisas relativas.

18 – T.G. Não. Jamais! Deus nos Ama e Ama muito! A humanidade anda fazendo muita “traquinagem”, e com toda certeza vivenciará as consequências de tudo isso, mas por escolha e não por punição! Mas sinceramente, Deus não se importa com nada disso! Ele é pura Doação! Ele brilha sua luz sobre o “justo” e o “injusto”… sobre o “bom” e o “mau”. E nunca, jamais, em tempo algum deixará de enviar sua Energia Pura aos corações. E todos sem exceção recebem este Amor, mesmo que não perceba, que não se sinta merecedor, que o rejeite. Não há como escapar de Deus!

18 – B.Z. – Não. Acreditar na existência do pecado é desconhecer Deus por completo. Somente um ignorante de que Deus é absoluto, amor e felicidade, veria a existência do pecado com se fosse possível. Somente o povo da Terra mais ignorante sobre as coisas de Deus acreditaria na existência do pecado.

18 – M.N.N. – Não. Não há pecado, não há vontades externas.

18 – R.V. – Olha o ignorante e o retardado aí de novo!

18 – B.D. – Não. Deus em seu absolutismo não vê o seu templo vivo como pecador, não existe pra ele o pecado criado por homens.

18 – C.S.D. – Não. Primeiro não acredito em pecado, segundo, o que fazemos de ruim só afeta a nos mesmos, Deus só nos observa e com amor espera que encontremos a luz e voltemos para casa.

18 – M.M.O. –  Não. Não há como pecar contra Deus, pois, ele é ABSOLUTO, então não possui vontades.

18 – C.A.G. – Não. Tudo é experiência pra DEUS, tudo é um tesouro, na consciência de DEUS não existe pecado, o que as igrejas julgam como pecado é tão importante pra DEUS quanto à benevolência e outras virtudes.

18 – E.M. – Não. O pecado foi a forma que os humanos utilizaram para impor a ordem segundo as regras sociais de cada comunidade. O pecado nos dá uma imagem de um Deus distante e rigoroso. Pecado leva ao sentimento de temor a um soberano que se abstêm em criar regras. Se Deus fosse um simples soberano, não poderíamos chamá-lo de Pai. Como servos somente nos restaria obedecer a suas ordens. Nós e Aquele que nos chamou de irmãos, nosso Amado Irmão Maior Mestre Jesus Cristo!

18 – A.N. – Não, não há como fazer algo que desagrade a Deus, pois Ele não possui vontades, necessidades ou qualquer outra coisa. Outro cabresto incutido pela igreja para aprisionar os homens no sentimento do medo e da culpa para assim poder mantê-los em cabrestos. Deus é absoluto, amor e felicidade, qualquer coisa fora disso não provém do Pai.

18 – M.F.G. – Não. Por que não existe pecado.

18 – R.R. – Não, não mais. Já sofri muito quando criança com este negócio de pecado. Tinha um tal de pecado mortal que me apavorava.

18 – V.L. – Não. Como conseguir pecar contra Deus? Impossível.

18 – J.J. – Não, Embora muitos estejam dormentes e O negue, Ele está lá, incorrupto.

18 – I.T. – Não. Porque é impossível pecar contra o Amor.

18 – J.A. – Não. Por ser ABSOLUTO.

18 – F.G. – Não. Ele é Amor, Absoluto e nos criou para termos experiências, não existe certo e errado.

18 – A.S. – Não. Jamais… Acredito nas leis de ação e reação.

18 – M.A.T. – Não. Deus é amor absoluto. Para ele tudo está certo e Ele entende nossa jornada evolutiva. Nos ama incondicionalmente.

18 – R.M. – Não. Pecado não vem do pai e sim uma coisa criada pela mente ilusória de falsos profetas para punir e controlar fiéis.

18 – B.C. – Não, pois não existe pecado.

18 – H.J. – Não. Deus é absoluto, pleno. Deus é amor. Ele não tem necessidades.

18 – M.S. – Não. Deus não se ofende, Ele é perfeição.

18 – P.E.D. – Não. Deus é Absoluto.

18 – M.F. – Não. Idem 17.

18 – S.G. – Não. A crença de pecado está enraizada no contexto religioso, não se pode pecar contra Deus porque ele é perfeito e suas criaturas também, estas criaturas pecam contra elas mesmas atrasando sua evolução e a plenitude de sua divindade.

18 – I.P. – Não. O pecado não existe, se existisse seria contra a nós mesmos.

18 – C.C.A.A. – Não, está tudo na lei. Errou, paga.

18 – L.A.P. – Não. Deus tem o completo domínio sobre toda a criação.

18 – M.C.Q. – Não. Como não admitimos a existência do pecado, não existe a possibilidade de pecar contra Deus.

18 – A.C.Z. – Não. Acredito demorar mais para encontrar o caminho, mas o pecado quem inventou precisava dominar pelo medo, e este com certeza foi o “homem”.

18 – R.S.S.S. – Não. Talvez em um dado momento de minha ignorância espiritual eu tenha acreditado em tamanha besteira. Por isso o não de minha resposta.

 

19 – Acredita que Deus sendo DEUS, necessite de leis espirituais e cobranças espirituais, para que assim possa governar, corrigir, comandar, direcionar, conduzir, fazer acontecer, promover mudanças, abençoar ou não etc.?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

19 – M.N. – Não. Acredito que Deus nos concedeu total liberdade para fazer nossas escolhas e criar nossa realidade e inclusive, para facilitar nossa percepção desse processo, criou a lei da ação e reação, pois assim poderíamos perceber os efeitos de nossas escolhas e poderíamos mudar as causas gerando novos efeitos desejáveis. Deus não criaria o universo relativo, a sala de aula, o “parque de diversões” e estabeleceria regras rígidas e limitadoras, com sistemas de punição caso fossem contrariadas, conduzindo e direcionando nossas ações e escolhas, senão não haveria o livre-arbítrio.

19 – M.R. – Não. Acredito que não, porque cobranças, desejo de abençoar ou não, são coisas que vêm da mente racional dos seres humanos. Há anos que frequento o Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição, e lá tenho aprendido a vivenciar Deus voltando-me para dentro. Assim, tenho percebido que Deus é pura Serenidade e é Absoluto, portanto, Ele não tem vontades, Ele também não precisa de leis para governar, porque criou tudo… Ele é Imutável… Ele simplesmente É.

19 –D.T.S – Não, deus é absoluto! Supre a si mesmo, ele é deus!

19 – R. – Não. A gente cria tudo isso, pois acha mais fácil a principio se conduzir assim.

19 – T.G. – Não. Olha… eu acredito que Deus NUNCA necessitará de um intermediário para criar “leis”… Ele mesmo as faria se isso fosse necessário… Ele é Absoluto e Soberano… abaixo Dele tudo é Sua Lei!

19 – B.Z. – Não, nunca! Como Deus seria absoluto se precisasse de leis, conceitos e débitos para governar? Ele é absoluto, amor e felicidade!

19 – M.N.N. – Não. Porque ele precisaria de leis e cobranças contra si? Se ele é o Alfa e o Omega, o início e fim, onipresente e onipotente, até pela logica é perceptível que esses tipos de pensamentos de Leis, cobranças, governos e comandos são limitantes.

19 – R.V. – Não, mas até eu que não sou lá muito de buscar ver deus sei que não é assim. É necessário ser um cego de deus para não ver isso.

19 – B.D. – Não. Pra mim nada disso faz o menor sentido, Deus já é absoluto, se Deus é absoluto do que mais Ele precisaria? Sinceramente o Seu absolutismo faz com que Ele não precise de nenhuma dessas coisas de homens.

19 – C.S.D. – Sim. Não estou muito certa sobre essa questão, de fato não acredito que Deus tenha leis severas e tal, como diz a bíblia, porém creio sim em algumas leis que regem o universo, por exemplo, a lei de ação e reação.

19 – M.M.O. – Não, pois Deus não é banqueiro, muito menos agiota. DEUS é AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE, logo não há leis espirituais, nem cobranças, apenas CAUSA e EFEITO.

19 – C.A.G. – Não. Sendo nós mesmos o próprio DEUS penso que essas firulas possam acontecer/existir se desejarmos e acreditarmos, mas não há a necessidade.

19 – E.M. – Não. A lei sua função social, pois limita que nossas experiências extravasem o “aceitável”, ou ao menos tenta fazer com que uma “ordem” se estabeleça no mundo do ter. Foi a forma encontrada para evitar que a humanidade saísse do controle e as barbáries fossem além do “aceitável”. Não discutindo sua eficácia, porém não a desmerecendo tão pouco, compreendemos que O Amor não é uma regra a ser seguida. Deus É Amor e nós também! No mundo do Ser nada é imposto.

19 – A.N. – Não. Deus não necessita de nada, pois ele é Deus (absoluto). Ele não é banqueiro e nem agiota para nos cobrar algo. Ele é o Pai que muito nos ama e nos quer felizes. Essa visão de um deus punitivo é muito comum, com isso as pessoas deixam de amar Deus, se entregar aos seus princípios, pois mantém os sentimentos de medo e culpa perante Deus.

19 – M.F.G. – Não. Pelo que eu entendi da pergunta seria o mesmo que acreditar no carma e no darma. Se DEUS criou leis espirituais, então quer dizer que ele é um juiz? Confesso que não tenho uma resposta clara e objetiva para esta pergunta. Só não acredito que ele seja um juiz. Acredito na colheita e no plantio. Ele deixou a terra arada igualmente para todos nós plantarmos o que a gente quiser. Do que eu plantar irei colher. Foi o modo de nos mostrar que nós criamos a nossa própria realidade.

19 –R.R. – Não. É Deus. Faz para nós por amor. Quer o nosso bem por amor. Criar para depois punir não cabe na mente de Deus. Mas também acho que não era pra o ser humano sair por aí arrebentando com tudo, matando, fazendo maldades.

19 – V.L. – Não. Deus jamais teria criado leis carma para seus filhos amados.

19 – J.J. – Não, Se houvesse leis para Deus então haveria algo superior a Ele e deixaria de ser absoluto.

19 – I.T. – Não. Porque o Absoluto já é Absoluto.

19 – J.A. – Não. Não faria sentido, prestaria conta a quem.

19 – F.G. – Não. Acredito em Leis que regem o universo, criadas por Deus, mas tenho certeza de que São leis de amor, mesmo as que nem conheço hehehe.

19 – M.A.T. – Não. Porque Deus é Absoluto.

19 – M.C. – Não. Outra crença que fazia parte da minha vida e que caiu.

19 – R.M. – Não. Tenho notado que leis foram impostas por religiões imperialistas que para ganhar dízimos e ofertas usam o nome de deus e amedrontam fiéis.

19 – F.L.B. – Não. Deus não precisa de tudo isso.

19 – B.C. – Não. Ele não é banqueiro, Ele é absoluto.

19 – H.J. – Não. Embora o mundo da manifestação seja dotado de leis, elas não foram criadas para que Deus pudesse governar corrigir ou direcionar. Até porque nos foi dado o livre arbítrio.

19 – M.S. – Não. Se fosse assim, não seria Deus.

19 – P.E.D. – Não, Deus é absoluto.

19 – M.F. – Não. A única lei universal é a Lei da Causa e Efeito. Corrigir, comandar etc, não existe se há o livre-arbítrio.

19 – S.G. – Não. O Advento da Nova Era deverá corrigir este e outros absurdos criados pelas religiões. Deus já mora em cada indivíduo, portanto dentro dele tem tudo a ser aplicado em relação a Deus e o fluxo universal.

19 – I.P. – Não. Para Deus nada disso há necessidade, normas, leis, direcionamentos, há necessidade aqui na matéria enquanto os seres humanos não se enxergarem como seres divinos.

19 – C.C.A.A. – Não para ferrar ninguém ou para governar, mesmo porque não o vejo como Deus, uma entidade com características humanas. Ele emana suas leis (dentro do universo) para haver ordem.

19 – L.A.P. – Não. A lei absoluta é o amor.

19 – M.C.Q. – Não. Se existe uma condução, uma direção, por parte de Deus, é por amor. Somente o amor Dele por nós que é responsável por essa oportunidade de crescimento através das experiências densas em que nos encontramos nesse momento. As leis citadas nas perguntas são tentativas equivocadas de tentarmos conceituar nossa realidade

19 – A.C.Z. – Não. Idem a 18.

19 – R.S.S.S. – Não. Por que Ele é absoluto e nos deu a liberdade para viver a experiência que desejar.

 

20 – Acredita que você cria conforme pensa, ou seja, que são os seus pensamentos que criam a realidade que está vivendo?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

20 – M.N. – Sim. Acredito plenamente que minha atual realidade foi criada por meus pensamentos, palavras e ações do passado, e que meu futuro está sendo criado por meus pensamentos do presente. Portanto a qualquer momento posso mudar minhas escolhas e criar uma nova realidade. Afinal a sequência para a manifestação de uma condição, começa em um pensamento, que gera uma imagem, essa imagem produz uma emoção, essa emoção libera energia que materializa o pensamento inicial, conforme os ensinamentos do Xamã Gideon dos Lakotas no Céu Nossa Senhora da Conceição. Podemos considerar ainda a Lei da Atração, abordada em diversas crenças, segundo a qual semelhante atrai semelhante, outro ensinamento transmitido pelo Padrinho Gideon.

20 – M.R. – Sim. Nisso eu sempre acreditei, sempre percebi como verdade. Também é possível experenciar esse tipo de coisa. Muitas coisas que eu desejo realizar ou adquirir, eu mantenho o foco da minha mente naquilo, direciono meu pensamento e acontece do jeito que eu estava pensando. Algumas vezes acontece um pouco diferente, mas me examinando melhor, percebo que fiquei com algumas inseguranças, tive pensamentos de medo, então atrapalha um pouco. Quando eu frequentava o kardecismo, também acreditava nisso, mas ao virem as dificuldades da vida, eu sentia muita culpa por saber que eu crio minha realidade e que criei uma realidade ruim… Então mantinha pensamentos negativos sobre mim mesma. Quando passei a frequentar o Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição, passei a ter mais fé em Deus, porque senti Deus mais como Pai, sempre abençoando e me ajudando, então tive menos medo e senti menos culpa e, tendo menos medo e culpa, meus pensamentos passaram a ser mais positivos, e assim a realidade da minha vida foi melhorando bastante, significativamente.

20 – D.T.S. – Sim, com toda a certeza do mundo, são os nossos pensamentos quem cria a realidade que vivemos. Se tem algo que realmente aprendi nestes últimos 9 meses meditando, foi que sou responsável pelo meu destino, que sou eu quem cria minha realidade.

20 – R. – Sim, É uma tarefa árdua governar a mente.

20 – T.G. Sim. Totalmente, por mais que não percebamos.

20 – B.Z. – Sim, é isso sim. Desde que mudei minha forma de pensar que minha vida mudou junto. Ainda sou homossexual, mas só a metade do que era há 3 meses atrás. Comecei a pensar de maneira mais positivo e minha vida ficou mais positiva em pouco tempo.

20 – M.N.N. – Sim. Antes de qualquer acontecimento na vida, o fato foi pensamento. Assim como pensamos o que vamos comer, vestir, aonde vamos morar… Se não estamos felizes mudamos de escolhas, se estamos com problemas de saúde, mudamos de alimentação e hábitos de vida. Antes dessas mudanças há um pensamento que nos auxilia a traçar a próxima meta.

20 – R.V. – Sim e não. Li os seus livros Gideon, e confesso que comecei a ver a vida de outra forma, mas ainda não tenho certeza de algumas coisas. Mas procuro fazer o que você ensina sempre, que é fazer o bem aos outros e assumir o que fizer e falar.

20 – B.D. – Sim. O pensamento gera imagem, imagem gera emoção, emoção libera energia que materializa aquilo que pensou.

20 – C.S.D. – Sim. Acredito que a realidade que vivo hoje a criei ontem, e a realidade que viverei amanha estou criando hoje.

20 – M.M.O. – Sim, o ser humano cria sua própria realidade segundo os seus pensamentos. Pensamento gera imagem, que gera emoção e libera energia e ocorre a materialização do que foi pensado. Cada um é responsável por sua própria realidade, independente se for uma realidade feliz ou triste, cada um escolhe em que pensar, em que acreditar. Como pensar será.

20 – C.A.G. – Sim. Porque por diversas vezes nessa vida (e ainda atualmente) criei situações que não existiam, por meio do medo me enredei em pensamentos que criaram em mim sensações desproporcionais ao momento presente.

20 – E.M. – Sim. Há alguns anos busquei a psicologia para tratar minha depressão. Ouvi da psicóloga que deveria livrar-me de tanta culpa. Sentia-me culpada por tudo que ocorria. Até uma guerra distante, sentia ter sido um pensamento ou palavra minha que a teria criado. Culpa a dor que me acompanhou desde minha infância. Hoje não me sinto culpada, mas sei que estava certa. Cada pensamento negativo. Cada ato que pratico vejo refletir positivamente ou negativamente em minha volta. Gratidão foi o meu maior legado que construí! A partir do momento que passei a agradecer a pobreza desapareceu, assim como tudo que me incomodava. Por mais que as pessoas digam a minha volta que estamos vivendo um caos, não é isso que vivo! O tempo passa suavemente. Por mais que os que me cercam se aflijam com minha “pobreza material”, sinto-me rica! Sou tudo o que sempre desejei ser. Tenho plena convicção que a distinção de estado que me fazia sofrer no passado e que hoje me faz cantar, é a mudança em minha forma de pensar e agir.

20 – A.N. – Sim, acredito que são os pensamentos que criam nossa realidade, pois pensamento gera imagem, imagem gera emoção, emoção libera energia que faz a materialização do pensamento que tivemos. Todo o universo é energia, o pensamento é energia que cria a realidade.

20 – M.F.G. – Sim. Por que tudo que existe, antes mesmo de existir foi um pensamento. Todo o processo de criação começa no pensamento e através da ação se materializa. Acredito que a grande maioria de nós acaba criando de dois modos: consciente ou inconsciente. Quando o processo de criação é feito consciente, normalmente a realidade que se vivenciará será agradável. Já quando o processo de criação é inconsciente, normalmente a realidade que se vivenciará será desagradável. Quando isso acontece, vem aquela famosa pergunta: O que fiz para merecer isso, meu DEUS? E ELE nos diz: – Você só está colhendo o que plantou meu filho. Foi ti mesmo que criou esta realidade. Eu lhe dei o mesmo poder de criar que tenho. Se não gostou do que criou, então crie uma nova realidade agradável. Você pode. Bom, é nisso que eu acredito.

20 – R.R. – Sim. Como me arrependo de não ter utilizado corretamente todos esses anos esta faculdade. Quantos aos criando errado, sendo que poderia criar corretamente um futuro brilhante.

20 – V.L. – Sim. Acredito que tudo que em pensamento positivo ou negativo conseguimos atingir.

20 – J.J. – Sim, talvez eu não consiga responder sim quanto a termos influência no mundo físico, mas responda sim para você é a realidade que pensa ser.

20 – I.T. – Sim. Porque a vivência e a experiência são a maior prova disso.

20 – J.A. – Sim. Pensamento é o causador.

20 – F.G. – Sim. Já tive experiências de situações que se concretizaram após mentalizações e orações.

20 – A.S. – Não. Acredito que hoje eu tenho um pouco dessa consciência, antes eu criava a realidade de felicidade e de tristeza de forma inconsciente, pensava que eram acontecimentos externos e atribua esses acontecimentos a terceiros.

20 – M.A.T. – Sim. Hoje somos o reflexo do que pensamos ontem.

20 – M.C. – Sim. Sou Divina.

20 – R.M. – Sim. Sim, pois se acreditar que somos filhos de um Deus que é puro amor, seremos pura felicidade.

20 – F.L.B. – Sim. Nossos pensamentos criam, geram imagem, emoção e materialização. O que pensar seremos. Tive provas de algum tempo pra cá em minha própria vida e sei que isso de fato é real a cada segundo de nossos dias.

20 – B.C. – Sim, pois pensamento gera imagem, imagem gera emoção, emoção libera energia que ocorre a materialização do pensamento que teve.

20 – H.J. – Sim. Somos o espelho de Deus. Assim como Ele criou o mundo da manifestação, coube a nós continuar a criação, que se dá através dos pensamentos.

20 – M.S. – Sim. Somos deuses e criamos também.

20 – P.E.D. – Sim. Pensamento é energia e nossa realidade é pura energia condensada.

20 – M.F. – Sim. Pensamento gera imagem, que gera emoção, que faz a materialização do pensamento que se teve. Já vivenciei na prática este processo.

20 – S.G. – Sim. O pensamento é um reflexo do que se está sentido, se me sinto bem penso bem, e é um ciclo sem fim… Penso que atribuir criação apenas ao pensamento é reduzir o potencial da criação… O sentimento cria a emoção, o TODO do ser humano que cria e transforma a realidade aqui vivida.

20 – I.P. – Sim. Hoje entendo isso, então procuro cada dia mais atentar aos meus pensamentos.

20 – C.C.A.A. – Sim. Existe um principio hermético que diz “tudo é mental”. O que somos hoje foi o que pensamos no passado e o que seremos é o que pensarmos hoje.

20 – L.A.P. – Sim. Nossos pensamentos sintonizam aquilo que desejamos experienciar. Vivemos tantas vidas quantas escolhas somos capazes de fazer.

20 –M.C.Q. – Sim. Tudo é vibração. O que pensamos e o que sentimos é vibração. Quando pensamos, criamos a contrapartida etérica de nossa realidade. Significa que quando pensamos e sentimos 50% do trabalho para aquele pensamento se tornar realidade já foi feito.

20 – A.C.Z. – Sim. Depois que se entende a lei do universo isto fica claro.

20 –R.S.S.S. – Sim, não há duvidas, embora seja difícil dominar a mente para criar apenas o que se deseja. Este é um exercício constante: silenciar a mente.

 

21 – Concorda que Deus é o único poder, a única realidade e que por isso ELE é Absoluto?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

21 – M.N. – Sim. Só existe Deus, só existe o Amor e a Luz. Algo oposto a isso não pode existir, mas algo diferente disso que pode existir é o distanciamento de Deus em algumas situações e níveis vibratórios.

21 – M.R. – Sim, concordo, porque Deus criou tudo o que há e é Todo Poderoso, não tem como Ele ter criado um ser do mal, inferno, umbral, etc.

21 – D.T.S – Sim, mas não por fé, mas porque ao meditar sinto isto. Raciocinando não se alcança isto, sentindo sim, por isto a meditação.

21 – R. – Sim, Mas sei que minha visão de Deus e absoluto ainda é limitada.

21 – T.G. Sim, com toda certeza!

21 – B.Z. – Sim, totalmente.

21 – M.N.N. – Sim. Por ter fé.

21 – R.V. – Concordo com isso sim.

21 – B.D. – Sim. Sim, Deus é de fato absoluto, o absolutismo de Deus faz com que todos nos sejamos o poder, faz com que todos somos um.

21 – C.S.D. – Sim. Claro, acredito que tudo que existe é Deus, não tenho dúvidas de que Ele seja absoluto.

21 – M.M.O. – Sim, Deus é o único poder, e como não há poder fora do AMOR, Deus é Amor, ou seja, a única realidade, por isso, é ABSOLUTO, logo só o Amor é real, uma vez que não há nada fora de Deus, pois, ele é ABSOLUTO, AMOR e FELICIDADE.

21 – C.A.G. – Sim. Graças a DEUS. Porque se não fosse assim não seria ABSOLUTO.

21 – E.M. – Sim. Porque Sinto esta Verdade quando permito-me ser levada a Ela!

21 – A.N. – Sim, Deus é tudo que existe, é o Grande Espírito, a Grande Mente Universal. Tudo reflete Deus, o canto de um pássaro, uma linda tarde ensolarada, a brisa fresca em um dia quente, a companhia de um amigo querido, uma noite estrelada, o sorriso de uma criança, o sentimento de tribo, enfim, poderia escrever páginas e páginas, rs.

21 – M.F.G. – Sim. Por que ELE sendo o único poder e a única realidade, ELE só pode ser absoluto e nada mais existir além Dele. Tudo isso chega a ser complexo e profundo. Analisando profundamente esta questão, significa então que nós, a nossa essência, ouso dizer, somos DEUS.

21 – R.R. – Sim. Não consigo imaginar se não fosse assim.

21 – V.L. – Sim.  Deus é a única realidade.

21 – J.J. – Sim, para ser Deus isso teria que ser verdade.

21 –I.T. – Sim.

21 – JA. – Sim. Porque EU SOU.

21 – F.G. – Sim. Concordo, já compreendi que Ele não tem opositor.

21 – A.S. – Sim. Essa questão é tão profunda, porém resumirei, sinto o poder de Deus no ar que respiro.

21 – M.A.T. – Sim. Porque Ele é o tudo, pleno.

21 – M.C. – Sim. Nada fora do Absoluto.

21 – R.M. – Sim. O poder se encontra dentro da minha própria existência espiritual como negar este poder? Deus é minha respiração e toda criação.

21 – F.L.B. – Sim.

21 – B.C. – Sim, pois se houvesse opositor Ele não seria absoluto.

21 – H.J. – Sim. Somos unos com Deus. Nada há além de Deus.

21 – M.S. – Sim. Só existe Deus.

21 – P.E.D. – Sim. No absoluto não há dissidências de outra realidade.

21 – M.F. – Sim.

21 – S.G. – Sim. Creio que Deus é absoluto porque criou todas as coisas, inclusive o mal está abarcado dentro de Deus, por assim dizer.

21 – I.P. – Sim.  Porque aqui é apenas uma passagem.

21 – C.C.A.A. – Sim. É inquestionável. Não tem o que dizer é isso e pronto.

21 – L.A.P. – Sim. Deus já criou todas as nossas escolhas, basta sintonizarmos e uma dessas múltiplas realidades manifesta-se.

21 – M.C.Q. – Porque Ele é o criador eterno e incriado.

21 –A.C.Z. – Sim. Tanto que o é que nos deu esta grande viagem como presente.

21 – R.S.S.S. – Sim. É a consciência desta certeza que nos dá a leveza da alma, a certeza da conexão com Ele o absoluto.

 

22 – Concorda que Deus é puramente Amor e Perfeição?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

22 – M.N. – Sim. Deus é Absoluto, portanto é a Perfeição, é o Puro Amor Incondicional, não poderia ser diferente disso.

22 – M.R. – Sim. Porque Deus nos dá a liberdade de escolhermos as experiências que queremos viver. Só sendo Amor e Perfeição para nos dar tamanha liberdade.

22 – D.T.S – Sim, isto é certeza. Olhe a natureza, o universo, e sinta!

22 – R. – Sim. Sim o amor e a perfeição são reais, pois acendem nossos corações.

22 – T.G. Sim, e como!

22 – B.Z. – Sim, totalmente.

22 – M.N.N. – Sim. Eu sinto e creio.

22 – R.V. – Com isso também eu concordo.

22 – B.D. – Sim. O que seria do seu absolutismo se não fosse pura paz, perfeição, amor e harmonia. Pra mim ele é sim.

22 – C.S.D. – Sim. E o amor tem explicação?  O amor é sentido e não explicado.

22 – M.M.O. – Sim, pois, ele nos Ama, e nossa essência é Amor. É perfeito pois é Deus, logo, sendo Amor e Perfeição, não é um carrasco ou um tirano, como muitas passagens biblícas retrata a figura de um falso Deus.

22 – C.A.G. – Sim. O Sentimento de AMOR só pode ser DEUS! Quando sentimos AMOR tudo é PERFEITO não há necessidade de nada, portanto o AMOR É ABSOLUTO, e se DEUS é ABSOLUTO então DEUS É AMOR É PERFEIÇÃO.

22 – E.M. – Sim. Porque Deus É Felicidade! Porque é assim que me Sinto quando fico a sós com Deus!

22 – A.N. – Sim, Deus é a realidade perfeita. O amor é a força que move o universo, o desejo de amar move as pessoas, assim Deus também se manifesta. A vida é perfeita, tudo acontece no tempo certo e com perfeição, quando olho as situações da vida nesse aspecto, sinto e compreendo a condução do Papai, os sinais ao longo do caminho, as oportunidades que aparecem quando ás vezes não havia nada aparente. A vida é beleza e perfeição, basta mudarmos nossa forma de enxergar que tudo fica mais claro.

22 – M.F.G. – Sim. Porque a esfera onde ELE reside é a esfera do absoluto, e lá tudo é puro amor e perfeição. Porque tudo que o PAI criou, cria e criará é perfeito e amoroso. Como não se maravilhar com um pôr do sol, com um céu estrelado, com o luar? Ele nos acaricia com o vento, nos abraça através de um amigo querido, de uma companheira amada. Nos mostra o seu sorriso através de uma criança. É, falar de DEUS me parece ser inspirador. Daria para ficar escrevendo aqui e não parar mais.

22 –R.R. – Sim. O universo funcionando acho a melhor prova.

22 – V.L. – Sim. Deus é amor puro e verdadeiro.

22 – J.J. – Sim, Penso que em lugar de dizer que o Deus é Amor e Perfeição, deveríamos dizer o Amor e a Perfeição são Deus.

22 – I.T. – Sim. Porque o grau de amor divino que já senti já me provou isso.

22 – J.A. – Sim. Deus não tem motivos para ser outra coisa.

22 – F.G. – Sim. Antes de conhecer a Obra isto era uma dúvida, mas hoje é uma certeza.

22 – A.S. – Sim. Totalmente… Ainda que eu não perceba e compreenda em sua totalidade.

22 – M.A.T. – Sim. Porque esse é um de seus atributos de divindade.

22 – M.C. – Sim. Deus é Absoluto e, portanto amor e perfeição.

22 – R.M. – Sim. Quando penso em Deus vejo o mar, as matas, o céu, as estrelas, como negar a perfeição de toda esta criação o amor e para sentir a perfeição para observar.

22 –F.L.B. – Sim.

22 – B.C. – Sim, pois Ele é ABSOLUTO…

22 – H.J. – Sim. Deus por ser Absoluto, é pleno em todos os sentidos.

22 – M.S. – Não. Amor, perfeição e absoluto também. Sim. No absolutismo de Deus só há amor!

22 – M.F. – Sim.

22 – S.G. – Não. Tenho alguns questionamentos filosóficos ainda não resolvidos, por ora não posso concordar com isto.

22 – I.P. – Sim. Porque só o amor é real.

22 – C.C.A.A. – Sim, mas falta colocar adjetivos. Ele é perfeição e por isso é bom, belo, justo e verdade.

22 – L.A.P. – Sim. Pois nos deu a liberdade de fazermos a escolha que quisermos.

22 – M.C.Q. – Sim. Pois Ele nos Fez perfeitos e faz nossas vontades, mesmo quando queremos sofrer.

22 – A.C.Z. – Sim. Idem 21.

22 – R.S.S.S. – Sim. Por que Ele só quer a nossa felicidade, ou seja, o seu reflexo, e tudo que estiver fora destes preceitos é sofrimento.

 

23 – Acredita que existe o diabo, o satanás?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

23 – M.N. – Não. Acredito que Deus não tem opositor, afinal é Absoluto, figuras como o diabo foram criadas para terceirizar a culpa de escolhas que não funcionaram, para justificar ações de pessoas com medo das consequências de suas atitudes.

23 – M.R. – Não. Hoje em dia não acredito mais nessas coisas, porque sei que Deus é Onisciente, Onipresente e Onipotente, ou seja, não há nada além de Deus, não há nada mais poderoso do que Deus.

23 – D.T.S – Não, sem chances de existência disso, porque deus é absoluto, amor. Mas quando ainda no santo daime para mim existia o mau, forças do mau, magias negras etc. Hoje me livrei destas travas.

23 – R. – Não, meu ego atua como satanás muitas vezes, no sentido de fazer más escolhas, mas isso só mostra o quanto tenho que crescer e me iluminar nesta vida.

23 – T.G. Não, de jeito nenhum… como Deus sendo puramente Amor e Perfeição, sendo Ele Absoluto, pode ter qualquer tipo de opositor?

23 – B.Z. – Não. Satanás e inferno foi uma invenção dos líderes de antigamente que desejavam controlar a população.

23 – M.N.N. – Não. É subestimar a Deus e seu poder absoluto imaginar que ele criaria um opositor. Você daria a senha da sua conta poupança bancária para um ladrão? Porque Deus o Amor perfeito na sua Inteligência que criou todo universo em perfeição criaria algo ou alguém que lhe e nos fizesse o mau?

23 – R.V. – Sim e não, porque acredito que existe espíritos que gostam de fazer o mau, mas se conseguem ou não, isso vai depender da pessoa deixar ou não, aceitar ou não. Mas na dúvida procuro agradar a eles no terreiro

23 – B.D. – Não. Acreditava quando eu tinha 4 anos, isso na mesma época em que eu acreditava no papai Noel, no saci Pererê etc.

Satanás? Diabo? Chifre? Caldeirão? Tridente?

Belo conto de fadas.

23 – C.S.D. – Não. Porque em minha opinião o diabo que pregam e só um arquétipo do nosso lado desconecto de Deus.

23 – M.M.O. – Não. DEUS não tem opositor, ora, se tivesse não seria Deus. Como Deus sendo Absoluto teria um opositor igual a ele? Não faz nenhum sentido. O Diabo, o Tinhoso, o Coisa ruim, Satanas, é apenas um folclore, mito criado por igrejas para encabrestar o ser humano no sentimento de  medo e culpa.

23 – C.A.G. – Não. Mas sei lá, tudo é possível, talvez exista em um outro teatro, em uma outra brincadeira, em um outro mundo, NÃO NESSE rsrs.

Nesse não estamos preparados nem pra lidar com a influência da própria mente quanto mais com a influência de um ser tão mau e poderoso como o diabo e o satanás das igrejas.

23 – E.M. – Não. Existem alguns de nós que insistem em criar ilusões de poder e domínio. Utilizam seu poder criativo para seu próprio benefício. A esses seres a humanidade denominou diabo, satanás. Estes seres tentam desviar a humanidade da realidade. Mas não existem realmente. São resultados da mente criativa que é alimentada pelo medo. Mas, mesmo que esses seres consigam enganar-se, continuam sendo a Centelha Divina em ação.

23 – A.N. – Não, Deus é absoluto, amor, felicidade, não há como Deus ter um opositor, não há como existir o mal. O diabo, satanás, são apenas ficções de igrejas. Mais uma vez a igreja criando personagens para aprisionar as pessoas em seus cabrestos: medo e culpa. É muito fácil dizer que foi o diabo que o levou a fazer isso, a pensar aquilo, ao invés de assumir as consequências perante a vida, assumir a responsabilidade dos atos. Durante muito tempo acreditei em diabo, satanás, mas isso desaparece quando se sente o amor do Pai, a condução do Pai, não faz sentido acreditar em um opositor a Ele se todo amor e felicidade provêm Dele.

23 – M.F.G. – Não. Por que DEUS é onipotente, onipresente, onisciente e absoluto. Então como poderia existir um opositor a DEUS sendo ELE absoluto como é? É mais uma das “incríveis” criações das religiões. É nesse ponto que as religiões mais acorrentam as pessoas. Pois botam medo, terror no íntimo delas. Mas chegam a botar tanto medo, que as pessoas têm medo de dizer o nome dele. Dizem como “o inimigo”, e o mais engraçado que eu já ouvi foi de “homenzinho”. Já que inventaram o diabo, tiveram que inventar o lugar onde ele mora, e para onde os pecadores vão. Chamaram esse lugar de “inferno”. Onde as almas pecadoras sofrerão em fogo eterno no caldeirão de satanás. Enxergo essa invenção como um jogo de ping-pong. Onde no céu está DEUS com sua raquete, e no inferno o diabo com a sua. Nós somos a bolinha deste jogo, levando raquetada daqui e de lá. Você está indo bem, está no céu, mas de repente comete um erro, ofende DEUS e ELE te senta uma raquetada e te manda para o inferno. Mas no inferno você tem a possibilidade de se redimir, pagando seu dízimo, passando o número da conta bancária para o pastor, se confessando para o padre. Se fizer isso, satanás dirá que você está sendo muito bom, e que no inferno só tem lugar para pessoas más. Dai o que ele faz? Senta-te outra raquetada e te manda para o céu novamente. E o pior de tudo é que DEUS e o diabo parecem estar se divertindo com esse jogo. E veja bem o “homenzinho” tem as mesmas forças de DEUS, só que do lado “mal”. Onde está o absolutismo de DEUS nessa estória? Onde estaria o livre arbítrio? Onde estaria o amor de DEUS, permitindo que seus amados filhos vão para um lugar onde o sofrimento é eterno?

Somente DEUS e seu amor infinito existem.

Obs.: Padrinho. Desculpe ter me prolongado nesta questão, mas não resisti, tive que ironizar nela.

23 – R.R. – Não. O mal está na mente do homem. Diabo e Satanás é o ego.

23 – V.L. – Sim. Acredito que exista uma influência negativa no universo.

23 – J.J. – Não, Acho que esse é um nome que as pessoas deram, inconscientemente, às suas próprias resistências a Deus.

23 – I.T. – Não. Historinha para boi dormir.

23 – J.A. – Não. Essa ideia faz parte do meu passado, hoje vivo o PRESENTE.

23 – F.G. – Não. Nós somos quem temos capacidades de criar mazelas e plasmar doenças, essa de capeta serve pra enganar pessoas sem instrução e fugir da responsabilidade de certas ações… É mais fácil culpar um capeta que assumir algumas responsabilidades.

23 – A.S. – Não. Por que Deus não tem opositor… Assim eu sinto, se houvesse diabo e ele tivesse encontro face a face com Deus ele se transformaria no mais doce e frágil carneirinho.

23 – M.A.T. – Não. Porque isso é contrário a nossa natureza divina. Diabo foi criado para nos manter ligados ao relativo.

23 – M.C. – Não. Se houvesse opositor a Deus Ele não seria Absoluto.

23 – R.M. – Não. Para muitos covardes e muito mais fácil criar um inimigo do que assumir seus fracassos.

23 – F.L.B. – Não. Apenas Deus. Diabo e Satanás é o próprio ego julgador por assim se dizer.

23 – B.C. – Não, pois Deus é absoluto sendo assim é impossível a existência de um opositor.

23 – H.J. – Não. Trata-se tão somente de uma projeção da mente mundana, que ainda não relembrou quem é.

23 – M.S. – Não. Sei que só existe o bem.

23 – P.E.D. – Não. O diabo é um conceito humano.

23 – M.F. – Não. Deus é absoluto, sem opositor.

23 – S.G. – Não. Deus não iria criar um ser que pudesse ser considerado o seu outro ponto do pêndulo, porque seria admitir que Deus não é inteligente. O que existem de “diabos” são espíritos que não evoluem e buscam o prazer e sobrevivência através de vampirizar seres humanos ou mesmo espíritos, tomam sua energia e recursos espirituais para poder alimentar sua ganância e bem estar. É o mais próximo de um “diabo” que posso conceber, entretanto vale dizer que estes mesmos involuídos e malvados são seres criados por deus e em processo de evolução, mesmo que temporariamente estagnados.

23 – I.P. – Não. Demorei para entender, mas há muito tempo não acredito nessas figuras.

23 – C.C.A.A. – Não, Se Deus criou tudo não pode ter criado algo tão forte quanto si.

23 – L.A.P. – Não. Isso é criação das religiões para escravizar a mente dos homens ainda ignorantes de sua verdadeira natureza.

23 – M.C.Q. – Não. O Diabo, assim como o conceito de pecado e inferno, não passam de uma má interpretação da bíblia, carregadas de linguagem Cabalística e Simbólica. Na verdade, o conceito de Diabo simboliza os desejos primitivos que influenciam a mente consciente, como egocentrismo a auto-satisfação na matéria.

23 – A.C.Z. – Não. Acredito em ego formando seu inferno particular.

23 – R.S.S.S. – Não. Não acredito na criação destes seres como reais, embora existente no imaginário coletivo. Na psicologia são conteúdos inconscientes entidades que tomam o individuo como se fossem satânicas, forças sobrenaturais, mas que não passam da sombra constelada conceitos junguianos. Para quem desconhece estes fenômenos e que as respostas podem ser obtidas através da psicologia, denomina como demoníacas e satânicas, como são pregados pelos pastores, padres entre outros enganadores.

 

24 – Acredita que uma pessoa que nunca apresentou de fato qualquer poder em vida, agora porque morreu, desencarnou, passou a possuir qualquer poder espiritual?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

24 – M.N. – Não. Acredito que alguém que comunga do Poder, que é a Luz, pode manifestar essa força no plano do relativo e que ao desencarnar se libertando do ego pode relembrar um pouco mais a realidade do Espírito, entretanto alguém que não manifestou nenhum poder em vida, não pode simplesmente dar um salto e manifestar níveis de frequência acima do qual se encontrava quando encarnado.

24 – M.R. – Não. Quando eu frequentava o kardecismo acreditava nisso. Mas aqui no Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição, o padrinho Gideon já me fez essa pergunta, então refleti: como uma pessoa que, em vida, não tinha poder espiritual algum, depois que morre, passa a ter algum poder? Concluí pela lógica que não tem como. Ou seja, não acredito mais nisso.

24 – D.T.S – Não. É uma contradição enorme pensar assim, é cegueira espiritual se ver assim!

24 – R. – Não, Mas existem pessoas cuja convicção e fraqueza fazem delas abaladas com tais ilusões.

24 – T.G. – Não… mas é algo que quebrei há pouco tempo, assistindo às palestras do Padrinho Gideon. Antes acreditava que ficar sem um corpo físico facilitava o acesso às pessoas encarnadas, e que elas passavam a ter um poder de influência maior. Mas hoje consigo perceber que não funciona assim, que as pessoas quando desencarnam perdem sim seu aparelho físico, porém continuam com as mesmas capacidades psíquicas (mesmo que por um curto espaço de tempo) após o desencarne.

24 –B.Z. – Não, a natureza não dá saltos. O que acharia se te dissessem que a Dilma, Lula, Genuíno, Bush, Edir Macedo, RR Soares e o Maradona vão ser tudo iluminado imediatamente após a morte? Também assim é o personagem André Luís do Chico Xavier, que era um médico ateu durante sua vida, mas agora que morreu está santificado, se iluminou, virou até mensageiro da luz para a Terra. A natureza não dá saltos!

24 – M.N.N. – Não. Se isso acontecesse não seria apenas uns prejudicados e apenas poucos que teriam acesso e contato com esses desencarnados.

24 – R.V. – Não, isso não. É o cumulo da ignorância não perceber que morte não dá poder pra ninguém. Se estando vivo, cheio de bom papo, vestido de grife e bonito, com grana pra gastar e um carrão, mesmo assim nem sempre se consegue atrair quem a gente quer. Com tudo isso nem sempre a gente consegue fazer a pessoa cair na nossa porque ele busca outras coisas. Imagina então depois de morto sem nada disso na mão pra usar! Só os mesmos pensamentos e os mesmos desejos, como influenciar outra pessoa com isso? Quando morrer a melhor coisa a fazer é seguir logo pro outro lado.

24 – B.D. – Não. Todos já viemos e somos Deuses filhos, isso já nos da o poder em vida.

24 – C.S.D. – Sim. Eu acredito que depois que desencarnamos, acessamos parte de nosso verdadeiro ser. Com isso acessamos parte de quem somos. Não estou certa de que seria “poder”.

24 – M.M.O. – Não. A fé sem obras é fé morta. O ser humano testifica na terra sua nobreza de coração e ideais, através de suas obras, o fato de o espírito ter desencarnado não lhe dá nenhum poder.

24 – C.A.G. – Não. Mas sinceramente não estou certo disso, é uma coisa que pouco tem importância pra mim, pouco me preocupei com isso e, portanto pouco refleti sobre isso também.

24 – E.M. – Não. Mais uma vez, é a força mental que age de forma densa para convencer a humanidade que tais forças existem. Isso explica fenômenos paranormais que alguns de nós presenciamos. O medo alimenta essa manifestação. Mas, o único poder Real É O Amor!

24 – A.N. – Não, porque a vida reflete apenas nossa condição interna, nosso grau de relembrar quem somos de fato. Se uma pessoa não apresenta nenhum poder espiritual em vida, ainda não relembrou o suficiente sobre quem é não despertou para suas capacidades divinas. Acredito que quando ela desencarnar ela manifestará a mesma frequência com que desencarnou o mesmo nível de consciência.

24 – M.F.G. – Não. Porque iremos ter a mesma consciência desencarnado de quando estávamos encarnado. Iremos para uma frequência similar à que apresentávamos antes da “morte”.

24 – R.R. – Não. Estamos aqui para sentir este mundo, viver esta experiência e fazer boas obras. Aqui deve ser o primeiro degrau. Quem não fizer nada de bom aqui acho que nunca vai ter poder nenhum.

24 – V.L. – Não. Histórias que a mídia manipula a todos.

24 – J.J. – Estou confuso, não consigo responder.

24 – I.T. – Não. Por lógica.

24 – J.A. – Sim. O poder da Invisibilidade.

24 –F.G. – Não. Não sei ao certo o que acontece quando desencarnamos, mas tenho certeza que nada acontece sem o consentimento de Deus, e sendo ele Amor e Absoluto, sei que está tudo certo! Sei que estamos sendo cuidados e zelados pelo amor divino… Algumas vezes me deparo com situações difíceis na vida e por vezes desanimo, mas sempre tento trazer essa verdade comigo.

24 – A.S. – Não. Creio que siga a jornada dormindo!

24 – M.A.T. – Não. Somos o que somos e morrendo continuamos sendo a mesma coisa. Somente mudamos de frequência.

24 – M.C. – Não. Não é o fato do desencarne que deu poderes a ele e sim o despertar da sua consciência. Somos Divinos em vida ou na vida após a vida, somos divinos eternamente, portanto não só a partir do desencarne.

24 – R.M. – Não. O único poder que podemos ter em vida é se iluminar através de boas ações e um grande despertar da consciência para voltarmos para nossa morada e deixar o Pai orgulhoso.

24 – F.L.B. – Sim. Acredito que ele ao desencarnar possa se relembrar e sentir o Absoluto. Não que isso seja um motivo para nada se fazer ainda encarnado, pelo contrário. Mas se discordasse disto também discordaria que um encarnado possa despertar.

24 – B.C. – Sim. Depois do desencarne não há mais o aparelho físico, liberando assim, a sua capacidade criadora.

24 – H.J. – Não. O poder vem com a experiência de vida no mundo da manifestação.

24 – M.S. – Não. Se não cultivar, como colher o que não plantou?

24 P.E.D. – Não. Vivemos numa cadeia de eventos, o que não houve aqui, não haverá lá…

24 – M.F. – Não. A consciência espiritual acompanha o Ser durante a vida e depois da mesma. Se não alcançou poderes, que só são provenientes quando se há o Amor, com certeza não o alcançará ao desencarnar.

24 – S.G. – Não. O desencarne apenas maximiza e potencializa o que vivemos aqui, já que não existe a matéria. Tal pessoa nasceu e morreu do mesmo jeito, não evoluiu, usou a oportunidade do tempo por aqui apenas para sobreviver, ou para gastar seu tempo com desfrutes de prazer, desta forma nada adquiriu.

24 – I.P. – Não. Não porque acredito que depois de desencarnar a pessoa continua como era, sem poder sobre os encarnados, mas, de novo reforço que só entendi isso depois das suas explicações.

24 – C.C.A.A. – Não, o que fazemos aqui é como vai ser na morte.

24 – L.A.P. – Não. Só manifesta algum poder espiritual quem vivencia o amor.

24 – M.C.Q. – Não. Não faz muito sentido essa mudança.

24 – A.C.Z. – Não. Porque “somos todos um” então como alguém pode ser um, ou um+ não faz qualquer sentido.

24 – R.S.S.S. – Não. Isso não passa de mistificação e principalmente quando existe algum interesse escuso por traz desta intenção.

 

25 – Você conhece de fato o que acontece quando se morre, quando se desencarna?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

25 – M.N. – Não. De fato, não conheço, pois ainda não relembrei o suficiente, mas acredito que ao desencarnar passa-se por um estado, pela imagem particular do “paraíso”, depois segue-se para os planos espirituais ainda no relativo de acordo com o nível de consciência de cada um, retornando-se ao plano da matéria, mesmo que mais sutil, seguindo nesse fluxo de alternância de planos até retornar um dia para o plano Absoluto.

25 – M.R. – Não. Bom, eu não sei exatamente o que acontece quando se morre, mas, praticando a meditação eu perdi bastante o medo da morte, porque já vi e senti que quando uma pessoa morre, não acontece nada de ruim, só coisas boas. A princípio eu não entendia, mas depois fui compreendendo que nós somos a Essência e todos somos divinos, o que vivermos aqui na Terra faz parte do mundo da ilusão, por  escolha nossa decidimos vivenciar a experiência do relativo. Fora do mundo da ilusão, é tudo LUZ. Graças a Deus.

25 – D.T.S – Sim, hoje eu tenho uma boa noção de como é o processo do desencane. Mas a medida que vou meditando a compreensão vai se aprofundando. Mas hoje posso afirmar, a morte é só alegria. Quanto mais treino o estado de silencio absoluto da mente, o “não pensar”, mais compreendo o que chamamos de morte.

25 – R. – Não. Mas sinto que é igual ao nascer.

25 – T.G. Não. Não faço ideia do que acontece.

25 – B.Z. – Não, ainda não tenho certeza de como é, mas tenho certeza de como não é. Sei que inferno e céu conforme as igrejas pregam não é possível existir, porque Deus é absoluto, amor e felicidade. Sei que após a morte é só alegria independente de como foi e para onde segue a consciência, porque Deus é absoluto, amor e felicidade.

25 – M.N.N. – De fato não. Não me lembro de ter desencarnado e nunca vi ou falei com ninguém que morreu e voltou.

25 – R.V. – Não, talvez. Mas deve ter um local apropriado para cada tipo de gente. Gideon, sabia que suas palestras, as coisas que ensina trás muito conforto e paz pra gente? Não sei com certeza o que vem depois da morte, mas graças a você hoje não tenho mais medo, porque tenho a certeza de que existe um deus que me ama muito e que não liga se sou isso ou aquilo, ou com as escolhas que fiz quando vivo. Hoje eu sei que as igrejas, a bíblia, o livro dos espíritos, os pastores, padres e centros espíritas estão muito enganados sobre deus.

25 – B.D. – Sim. Dependendo do despertar de cada um podemos atingir um patamar de frequência até mais elevado ou não. Mas todos atingirão um nível de consciência que habitará uma dimensão superior onde seremos a pura consciência da paz e do amor.

25 – C.S.D. – Não. Porque com certeza nada sei, mas imagino que vou para algum lugar que nesse plano relativo não me recordo, mas vou para um lugar de acordo com meu nível vibracional.

25 – M.M.O. – Sim. Acredito que a morte é um extase, e não poderia ser diferente, uma vez, que nos libertamos do peso da matéria. Vamos a uma dimensão de igual frequencia a nossa, isto é, vamos a um plano no qual amamos e somos amados por todos.

25 – C.A.G. – Sim e Não. Sim e Não porque de fato não trago na memória essa experiência em profundidade, mas através da sagrada ayahuasca o Claudio pode ter experiências que acredita ser bem próximas do que acontece no desencarne.

25 – E.M. – Sim. A Centelha Divina que vive em nós reintegra-se ao Todo.

25 – A.N. – Não, não conheço de fato, não tenho lembranças dessa experiência, apenas tenho uma ideia de como seja e vale ressaltar, tenho essa ideia sobre o desencarne através das explicações simples e claras do Padrinho Gideon sobre o assunto, refletindo sobre o assunto e sabendo que Deus é absoluto amor e felicidade, acredito que seja dessa forma que acontece. O desencarne é um momento fantástico, de êxtase e libertação, onde e espírito não possui mais o peso da matéria grosseira e pode se expressar com intensidade. Em seres que possuem a Consciência sobre quem São de fato, o ego (mente racional e cérebro, ferramentas do espírito) se desfaz com rapidez abrindo espaço para a Essência criar sua realidade instantaneamente (agora sem a interferência do ego).

25 – M.F.G. – Não. Coloquei não, porque na verdade eu não me lembro de como é essa experiência. No fundo eu sei, mas não me lembro. Sei conceitualmente por livros que li, mas não posso afirmar que de fato que sei o que a acontece após o desencarne enquanto não relembrar disso. Porém acredito que deva ser um momento muito feliz, de libertação do espírito. E que iremos ver tudo que fizemos e pensamos do nosso ponto de vista e do ponto de vista de todas as outras pessoas envolvidas nas nossas escolhas. E tudo isso sem julgamentos. Simplesmente ver com clareza e em paz.

25 – R.R. – Não. Mas se for parecido com o que senti no curso de regressão em 2009, confesso que não tenho mais nenhum receio da morte. O que senti naquele dia, na vivência e que acredito até hoje que foi o Pai falando comigo, foi uma das experiências mais maravilhosas que vivi.

25 – V.L. – Não. Desconheço.

25 – J.J. – Não, Não tenho qualquer lembrança, se alguma vez morri, e também não morri ainda nesta vida, se é que existem outras.

25 – I.T. – Não. Porque ainda não relembrei de como é isso.

25 – J.A. – Não. Faço ideia, mas não me recordo de vidas anteriores, e como estou muito vivo.

25 – A.S. – Sim. Tenho uma pequena ideia devido a vivências de projeção astral desde que eu era menina e às vezes nas meditações com ayahuasca.

25 – M.A.T. – Sim. Porque quando morremos acordamos no lado espiritual com a consciência da experiência que nos propusemos a ter encarnados.

25 – M.C. – Não. Não consegui ainda me recordar de outras experiências.

25 – R.M. – Não. Ainda não alcancei este conhecimento.

25 – F.L.B. – Não. Não posso dizer que sim. Tive experiências astrais maravilhosas, ensinamentos também, mas não me recordo exatamente como é o desencarne, embora em experiência astral tenham me dito que a dor do encarnado tem um limite, que antes de desencarnar ela se cessa e isso foi demonstrado em meu próprio corpo. Mas ainda estou encarnado né? Rsss!!!

25 – B.C. – Não. Nesta minha encarnação eu não relembrei ainda.

25 – H.J. – Não. Penso que, continuaremos no mundo da manifestação, ocupando esferas mais elevadas através de corpos mais sutis.

25 – M.S. – Não. Não me lembro.

25 – P.E.D. – Não. Tenho um conceito absoluto de todo o processo.

25 – M.F. – Não. De fato eu não conheço ainda, mas imagino que vamos para um lugar onde encontrarei seres de exata frequência, ou seja, seres que me amam muito. Por este motivo e consequência, não haveria sofrimento, mas como respondido em outras perguntas, não sei se seria extinto todo o sofrimento, pois o espírito ainda rústico tem certas limitações, que o impedem à Felicidade plena, em minha concepção.

25 – S.G. – Sim. Penso que já devo ter passado por este processo algumas vezes então a resposta é sim. Se me lembro? Não. Com a utilização da Ayahuasca em estágios de meditação e consciência expandida e lendo e estudando sobre o assunto que sempre me instigou, penso que consigo começar a traçar algumas teorias.

25 – I.P. – Não. De fato não, por não me recordar.

25 – C.C.A.A. – Não e também não tenho interesse em saber. Gosto de saber que vou estar pronto e totalmente aberto para aprender e se adaptar para o novo. Se eu criar uma ideia de como vai ser e não for posso me decepcionar é melhor estar pronto para a nova vida.

25 – F.G. – Não. Respondido na pergunta anterior.

25 – L.A.P. – Não. No entanto é possível conhecer, estive fora do corpo algumas vezes e mesmo sem plena lucidez pude me certificar de que não somos o corpo físico.

25 – M.C.Q. – Não. Temos acessado diversas literaturas que abordam esse assunto. Entretanto, não podemos tecer comentários, em virtude de ainda não podermos relembrar de nossos últimos desencarnes.

25 – A. C.Z. – Não. Sem nenhuma hipocrisia, ainda é um mistério não revelado a mim. Dizer o que os outros dizem é viver na realidade do outro. Espero esta resposta nas meditações.

25 – R.S.S.S. – Sim. Acredito que sim, mas também não me preocupo muito com isso. Acredito que vai depender de sua faixa vibratória, ou seja, você estará na frequência que estiver vibrando o seu coração.

 

26 – Acredita de fato serem reais as incorporações tal qual se vê em centros Kardecistas, umbanda, candomblé e congas, onde uma entidade espiritual assume totalmente o aparelho físico de outra pessoa?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

26 – M.N. – Não.Não acredito que seja possível uma entidade espiritual comandar o aparelho físico de uma pessoa, agindo por conta própria e dominando a pessoa. Afinal, se o espírito está apenas conectado ao aparelho físico, como um outro espírito poderia incorporar ou entrar no corpo de outro? Acredito na sintonização mente à mente e que as incorporações de centros sejam apenas teatro e criação da mente.

26 – M.R. – Não. Um dia eu acreditei que incorporações eram reais. Refletindo sobre essa questão, foi difícil de admitir, mas percebo que não é poissível um espírito tomar um corpo de uma pessoa sem que ela permita. Vejo que que nada nos acontece sem a nossa permissão. No entanto, ao chegar a essa conclusão, me senti aliviada, pois no fim das contas, nunca entendi como isso seria possível! “Pra onde vai a pessoa quando um espírito toma seu corpo?” – eu pensava. Lembrei de centros espíritas que já frequentei e que gostava muito, gostava das pessoas que lá trabalhavam e que diziam receber espíritos em incorporações, e via nessas pessoas somente boas intenções, então veio o conflito. Após refletir, compreendo que essas pessoas são sim pessoas boas, que tem boas intenções, mas mesmo dotadas de boas intenções, deixaram-se levar por crenças nas quais muitas vezes foram criadas. Percebo que as coisas bonitas que diziam eram mérito delas mesmas! Elas tinham a capacidade e muitas vezes a sabedoria de orientar, de levar carinho e dar amor aos mais necessitados. Fiquei feliz ao perceber que essas pessoas que eu gostava muito, são até melhores do que eu pensei e do que elas próprias pensam! Acredito que a verdadeira mediunidade é trabalhar em conjunto com entidades espirituais sem perder a sua própria consciência.

26 – D.T.S – Não, não é assim. Uma mente naturalmente pode se sintonizar com outra mente, mas uma mente tomar conta da outra mente somente sendo uma mente muito grande, uma mente iluminada. Hoje sei que é o amor e compreensão de uma mente que a torna grande assim, portanto, é a ausência do ego ativo que faz uma mente ser capaz de se impor sobre uma outra mente, como um adulto que segura a força o braço de uma criancinha. As incorporações de demônios como nas igrejas evangélicas, centros kardecistas, terreiros da umbanda e congas, são fraudes na maioria das vezes  e, outras vezes são forjações mentais. Existe as entidades desencarnadas, podemos nos comunicar com elas e elas conosco normalmente, sem fraldulações, sem incorporações, sem impressionismos. No santo daime tem as sessões de incorporações deixadas pelo padrinho Sebastião, na época eu até acreditava naquela mulherada tremendo e se debatendo todas, porque estavam incorporadas. Umas inclusive se valendo de incorporada se deitavam com todo mundo, e vice versa. A tal da pomba gira, girava muito, diversas vezes na noite! Mas no santo daime o troca-troca de parceiros, é muito visível e chamam isto de liberdade ou amor livre, mais fraude mental! Mas com a desculpa de estar incorporada fica mais fácil, é a desculpa perfeita, porque era outro no corpo dela, ou dele e assim segue; Não, as incorporações é uma fraude proposital ou mental, mas é fraude sim.

26 – R. – Não. Acho que para a pessoa aquilo é a realidade, mas para mim não. AUTO ILUSÃO.

26 – T.G. Não. Isso soa muito mal… inclusive que as pessoas por estarem “incorporadas” possam abusar de seus vícios, falarem o que vem à cabeça e etc.. Acredito que mentes superiores não necessitam de tais instrumentos para fazer comunicação ou para operar curas.

26 –B.Z. – Não acredito e tenho fortes razões para manter esta opinião. Quando mais novo frequentei um terreiro e presenciei fraudes nas incorporações várias vezes. Depois em outros terreiros presenciei novamente as fraudes. Depois, experiente e calejado, em centros espíritas novamente presenciei as mesmas fraudes de forma diferente.

26 – M.N.N. – Não. Porque são manifestações muito limitadas. Tudo que já vi e ouvi fala sobre tais incorporações estão cercadas pela mente e pelo ego dos “médiuns”.

26 – R.V. – Acreditava, mas hoje não acredito mais, mesmo frequentando terreiro de umbanda. Me impressionou muito ver minha prima cair no chão e ficar tremendo, incorporada se debatendo etc, mas tempo depois percebi que era armação psicológica, que ela queria chamar a atenção sobre si. O curioso é que ela no dia a dia tem uma postura equilibrada, mas no fundo escondia muita frustração e nas suas incorporações ela se soltava. Também pude ver várias incorporações serem desmascaradas ou algo acontecer que mostrou a fraude da incorporação. Os demônios incorporados nas igrejas, os obsessores dos centros kardecistas e até outros de outros nomes dos terreiros de umbanda e candomblé, quando postos a prova são desmascarados! Dizem que João de deus pode curar as pessoas, mas ele mesmo com problemas no coração precisou da medicina convencional e implantou 2 Stent?  
Um amigo sem eu esperar, foi uma noite no terreiro, fiquei surpreso quando o vi ali. O pai de santo me viu conversando com ele e perguntou se eu conhecia aquela pessoa. Eu disse que sim e ele me pediu pra falar sobre ele, sobre a família dele e eu disse as coisas que sabia. Horas depois ele incorporado chamou meu amigo e disse um monte de coisas sobre sua vida intima, ele ficou impressionado, só que foi eu quem tinha contado tudo pro pai de santo, não tinha nada de espirito nisso. Pra mim isso só mais uma prova sobre a farsa que são as incorporações, mas mesmo assim continuo gostando da umbanda, porque umbanda não é só incorporações, tem muitas coisas boas também. 
Na umbanda a gente sabe que o Chico Xavier também fazia estas coisas, só que com muito mais informantes. Ele usava o carisma e provocava emoção nas pessoas, aí enganar ficava fácil. Que pai e mãe não queria acreditar que tinha uma chance de receber notícias do filho querido que morreu? Ou notícias de outro falecido muito amado? Havia uma multidão de gente para ser atendida, isto é o que os jornais mostravam, mas só eram atendidos aqueles que as informações colhidas já estavam nas mãos do Chico. O Chico não foi melhor que o pai de santo que me fez perguntas sobre meu amigo, com uma diferença, o Chico opor ser carismático conseguiu mentir e enganar um numero grande de inocentes emocionados e fragilizados pela morte de alguém que  amavam.

26 – B.D. – Não. Quem assume totalmente o aparelho é a grande essência de Deus filho que somos, os homens confundem uns aos outros, e as vezes acabam confundindo a si mesmo.

Posso estar errado, mas alguma frequência de energia pode até vir a fazer algum tipo de conexão com a frequência do homem que ainda está em terra, alguma frequência de energia que venha auxiliar um médium, mas tomar controle total sobre o seu aparelho já é muito.

26 – C.S.D. – Sim. Porque como as informações podem chegar a nós nesse plano relativo sem um intermédio da espiritualidade? Porém a grande maioria creio que seja ação do ego e forjação da mente, mas acredito sim, na interação da espiritualidade com a relatividade.

26 – M.M.O. – Não. É pura forjação mental, criação de um indivíduo que se julga espiritualizado, mas é mentalmente espiritualizado, fala do que nada conhece, pois,  não há como um espírito desencarnado tomar posse do corpo de alguém encarnado. O máximo que pode ocorrer é conexão telepática de mente pra mente, desde que, estejam na mesma sintonia.

26 – C.A.G. – Sim e Não. Sei que existem muitas mentiras e expressões do próprio ego do “médium”, mas vi vídeos que a entidade se dizia NÃO incorporada embora aparentasse estar, a entidade dizia apenas fazer um contato respeitoso mental e as mensagens que esta entidade passava (grande parte nem todas) eram as mesmas que eu obtinha na meditação com ayahuasca e também do Professor Padrinho Xamã Gideon dos Lakotas e isto me levou a dar mais credibilidade.  Por isso essa minha dúvida ainda, entendo que não há incorporação, mas me parece que a entidade pode sim assumir o aparelho físico do médium com a devida autorização e respeito.

26 – E.M. – Não. Fui batizada, coroada e cruzada na linha de Umbanda. Sim, parecia haver as incorporações, porém hoje as vejo como manifestações de minhas existências passadas que se manifestavam através da concentração. Meu eu escravo, suicida, guerreiro, caboclo, criança, das águas… Hoje compreendo. Eu sou todas as minhas entidades!

26 – A.N. – Não. Acredito que a incorporação exista, mas não se manifesta dessa forma que esses lugares demonstram. Acredito na incorporação mente a mente, onde a pessoa incorporada permite a incorporação e está 100% consciente do que está acontecendo. Não há como outro espírito ou entidade invadir seu corpo sem sua autorização, sem sua permissão e não há necessidade de tanto alarde quando se está incorporado, tipo, ficar se contorcendo feito um frango destroncado, mudar a voz. Esses tipos de atitudes são frutos da mente racional, do ego e muitas vezes são forjações mentais.

26 – M.F.G. – Não. Eu não acredito ser possível um espírito desencarnado entrar em um corpo ao qual não é dele. Acredito em conexão mente a mente, onde a alma desencarnada se conecta com sua mente, onde você passa a ser um canal neste momento.

26 – R.R. – Não. Pra que ter um intermediário entre eu e Deus? Eu e Deus somos um. Melhores ou piores todos nós somos médiuns.

26 – V.L. – Não. Acredito que seja tudo manipulado.

26 – J.J. – Não sei responder a essa pergunta, para mim é mistério, nunca presenciei essas coisas.

26 – I.T. – Não. Algumas, porque apesar de muitas vezes me parecerem forjação mental, já tive provas de manifestações reais de mediunidade durante trabalhos na Umbanda. Mas entendo a umbanda como uma manifestação teatral da espiritualidade, como um modo de as mentes mais céticas começarem a se abrir para o contato com as entidades espirituais, mas sei que a minoria das pessoas que frequentam tem essa consciência, e acreditam nas próprias forjações, mas ao menos no centro de umbanda que frequento tenho visto tanto nas palestras e conversas quanto nos trabalhos um caminhar em direção dessa compreensão.

26 – J.A. – Sim. Fui conhecer uma casa do candomblé após o ritual. Falei com os participantes e eles não lembravam de nada.

26 – F.G. – Não. Estive presente em uma palestra que o senhor abordou o assunto e passei a compreender que não é assim que funciona, nesses casos de “incorporação” é muito mais o ego querendo chamar atenção e falta de domínio do que qualquer outra coisa. Como o senhor mesmo ao dar palestras está conectado a várias mentes, mas nem por isso fica se fazendo de “incorporado”.

26 – A.S. – Não. Mas eu acredito em incorporações e em médium realmente sinceros, eu mesma poucas vezes vivenciei essa experiência e acredito que seres não se ocupam da vida no relativo.

26 – M.A.T. – Não. Somente um espírito habita um corpo. Dois corpos espirituais não habitam o mesmo templo.

26 – M.C. – Não. Não acredito que assuma totalmente o aparelho físico

26 – R.M. – Não. Não acredito em incorporações e sim em uma telepatia.

26 – F.L.B. – Não. Embora eu mesmo tenha participado com certa intensidade e inclusive como médium, hoje compreendo que tudo é panaceia do ego.

26 – B.C. – Não. O que eles fazem é forjação mental.

26 – H.J. – Não. Acredito que, quando não se está enganando de propósito, trata-se de ilusões criadas por parte de nosso ego sorrateiro.

26 – M.S. – Não. Incorporação para mim é fantasia, é coisa da própria pessoa.

26 – P.E.D. – Sim. Acredito que seja possível um espírito poder se manifestar em outro corpo.

26 – M.F. – Não. Não acredito que assuma totalmente o aparelho físico, mas a pessoa possa demonstrar algumas características daquele Ser, como a postura e modo de falar.

26 – S.G. – Sim. Penso ser real, entretanto não me sujeitaria a aceitar ser um “cavalo” de uma entidade e perder a consciência do que está acontecendo.

26 – I.P. – Não. Não, há algum tempo ouvi uma explicação num centro espírita que isso não ocorre e desde então refleti muito sobre muitas coisas que vi em alguns lugares.

26 – C.C.A.A. – Não tenho ideia. Pode ser verdadeiro, mas também pode ser uma auto-hipnose. Para mim tanto faz. Não sou destas religiões. Se as pessoas acreditam ou não acreditam, realmente não faz diferença. Se acreditarem, mas forem honestos bons justos e verdadeiros está valendo, pois não estão fazendo mal a ninguém, nem a eles.

26 – L.A.P. – Não. Acredito na comunicação com os espíritos e não duvido da boa fé de alguns desses médiuns, no entanto não acredito que seja possível um espírito tomar totalmente o nosso corpo físico. O espírito propõe e o médium aceita representar o que ele deseja comunicar.

26 – M.C.Q. – Não. Acreditamos que tais fenômenos, como citados na pergunta, são má interpretações dessas ocorrências de caráter psíquico. Entretanto não temos condições de tecer maiores comentários devido o nosso pouco conhecimento do assunto.

26 – A.C.Z. – Não. Aprendi que não precisamos disto, portanto não existe é Ego enganando Ego.

26 – R.S.S.S. – Não. Esta foi sempre minha briga com estes lugares, nunca acreditei nestas forjações mentais. Isto para mim foi sempre algo que me chamou atenção independente das escolas que frequentei, tomei sempre como fraude.

 

27 – Tem conhecimento sobre o que seja “Forjações Mentais e Psicológicas” e está disposto a pesquisar profundamente sobre ela, constatar cientificamente até onde elas podem chegar?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

27 – M.N. – Sim. Tenho pouco conhecimento do que sejam as “Forjações Mentais e Psicológicas”, mas tenho muita disposição em conhecer a verdade, até onde nossas capacidades espirituais podem chegar, constatando também o que é falso e comprovando cientificamente o que é encenação mental.

27 – M.R. – Sim. As forjações mentais e psicológicas, ao meu ver, são ilusões criadas pela mente daqueles que acreditam estar recebendo algum espírito em seu próprio corpo. Observando tudo o que eu já vi em centros espíritas, e o que vejo hoje vindo de kardecistas e umbandistas, percebo que as forjações mentais ocorrem com aquelas pessoas que desejam receber atenção, desejam “pompa”, com pessoas que querem algo em troca, por exemplo, ter seguidores, ou, nos casos mais graves, têm algum interesse financeiro em cima daqueles que buscam por ajuda. Mas as forjações mentais também acontecem com muitas das pessoas bem intencionadas, que desejam de fato ajudar, que buscam forças dentro de si para auxiliar o próximo, aliviar o sofrimento de seus semelhantes, fazer caridade e, assim, tornar o mundo um pouco melhor, mas que, iludidas dentro das crenças que foram criadas, que acreditaram por anos, pensam que precisam de outras entidades dentro de si para realizar curas e levar palavras de auxílio, enganando-se ao não perceber que também possuem maravilhas dentro si mesmas… Muitos kardecistas agem como os católicos ou evangélicos. Esses últimos, sentem-se pecadores, e os primeiros, sentem-se devedores, dotados de débitos cármicos espirituais. Quando passei a frequentar o Centro Espírita Ascensionado Céu Nossa Senhora da Conceição, pude enxergar o tanto de crenças negativas que carregava dentro de mim. Parte dessas crenças, vinham do sistema, que sempre te coloca como uma pessoa inferior quando você não tem muitos recursos financeiros, e parte dessas crenças vinham mesmo do kardecismo, que acredita em débitos cármicos e espirituais. Comcei a ver que minha essência é divina, que Deus me ama muito e me quer bem, independente de coisas boas ou ruins que possa ter feito na vida e que, se plantei espinhos no passado, seja nessa ou em outra vida, tenho o maravilhoso Momento Presente para começar já a plantar boas sementes e logo ali na frente ter uma boa colheita! Fico me perguntando como ficariam certas pessoas que cresceram no kardecismo, catolicismo, no protestantismo, ao refletir profundamente sobre essa e outras questões colocadas nesse questionário. No fim das contas, o que nos resta, somos nós mesmos! Um bom livro que me ajudou muito quando passei a questionar as minhas crenças e muitas vezes entrei em conflito, foi o Livro “Despertai”, do escritor e Xamã Gideon dos Lakotas.

27 – D.T.S – Sim. No caso das incorporações é quando uma mente sabota a si mesmo. Ela cria uma falsa personalidade nela mesmo, e acredita ser uma outra mente, a personalidade que adotou por si mesma. Um perfeito caso de forjação mental é o chico Xavier, com a ficção da existência de um acompanhante chamado Emanuel.

27 – R. – Sim, é o poder da mente em criar realidades e situações.

27 – T.G. Sim. Tenho conhecimento, assim como disse anteriormente, pois o Padrinho Gideon vem abrindo nossa visão para este fato.

27 – B.Z. – É quando uma pessoa sabota a si mesmo. Ela forja uma situação e acredita que aquilo é de verdade. A maioria das incorporações que presenciei no terreiro, umbanda e centros eram forjações e outra parte eram fraudes planejadas e executadas. Realizei uma pesquisa profunda sobre forjação mental e descobri que Chico Xavier também foi caso comprovado de forjações mentais numas situações e fraudes planejadas e executadas, noutras. Fiquei chocado, pois logo o Chico Xavier que eu tanto acreditava, tinha como exemplo espiritual na Terra, mas fatos são fatos e não posso negar os fatos já são os fatos que revelam a verdade sobre ele.

27 – M.N.N. Sim. Forjações Mentais e Psicológicas acho sejam as mentiras e manipulações feitas a alguém ou a algum grupo, devido à falta de algumas ferramentas e de mais conhecimento não dispus energia para pesquisar mais profundamente até porque o pouco que já sei me dá uma certa revolta para não dizer nojo de onde pode chegar essa enganação toda.

27 – R.V. – Não tinha, mas fui pesquisar e agora sei. Resumindo, em parte é o que minha prima fazia, o que Chico Xavier fazia, o que o pai d santo fazia. Só que tem uma parte do pai de santo e do Chico Xavier que não tem como ser forjação mental não, foi enganação braba, pilantríssimos, teve planejamento e execução. A vida do Chico Xavier tem muita sujeira nela, só não vê isso o cego. Qual o real interesse por detrás da federação espírita que fez com eles nunca denunciassem o Chico Xavier? O dinheiro das vendas dos livros talvez?

27 – B.D. – Não. O problema do homem é viver forjando aquilo que tem medo de aceitar. Não conheço nada sobre esse assunto.

27 – C.S.D. – Sim. Tenho uma ideia do que seja a forjação mental, porém ainda não sei bem distinguir uma da outra, estou estudando com as vivências o que seja a diferença, exatamente para não ficar escravos dela.

27 – M.M.O. – Sim. A forjação mental é um realidade inventada, criada, na qual a mente do autor, tem plena convicção que sua criação é real, criando toda uma história em volta de sí próprio. No qual atua de forma, que quem assiste ou participa, tem a impressão de ser uma verdade, até questionar e averiguar, que os fatos não passam de mera forjação mental. Um exemplo são esses indivíduos que se dizem: “pai de santo’, “mãe de santo” da Umbanda ou Candomblé, que fazem todo um teatro de incorporações, agindo puramente por forjação mental.

27 – C.A.G. – Sim. Gostaria de saber até que ponto a mente o ego consegue nos tapear.

27 – E.M. – Sim. Creio que seja uma das forças em que a psique se manifesta podendo materializar as imagens que projetamos em nossa mente. Podemos, através dela, criar uma situação ilusória e recebê-las como verdadeiras.

27 – A.N. – Sim. Acredito que quando a pessoa se sente frustrada com alguma situação em sua vida, e não consegue superar, como uma forma de desespero e para sanar o problema, sua mente cria uma ilusão, uma situação (ou mesmo outra personalidade) que não é real e acredita nela, acredita que aquela criação mental é real e vive essa ilusão.

27 – M.F.G. – Sim. Por que o Padrinho Gideon me falou e me mostrou o que é isso. Através dos trabalhos com ayahuasca, pude presenciar isso e inclusive a minha própria mente criando tais farsas. Forjações mentais e psicológicas são mentiras criadas pela mente racional para lhe dominar. Fazendo-te acreditar em algo ou alguém que você não é. Por exemplo: uma reencarnação de João Batista ou Maria (mãe do MESTRE JESUS). Todas aquelas movimentações, batidas no peito, mudar o modo de falar e andar, acredito ser o ego querendo chamar a atenção para si. Querendo que os outros vejam como você está evoluído espiritualmente ao ponto de incorporar um espírito muito velho e de luz. Por que assim aqueles que acreditam nisso irão te respeitar. Mas eu gostaria de saber mais a fundo sobre este tema.

27 – R.R. – Não. Não tenho conhecimento e estaria disposto a estudar sim.

27 – V.L. – Não. Não tenho nenhum conhecimento sobre o assunto forjações mentais e psicológicas estou disposta a constatar sobre o assunto.

27 – J.J. – Sim, quero a verdade, se é que ela existe.

27 – I.T. – Sim. Porque esse é o caminho.

27 – J.A. Não. Não tenho conhecimento sobre “Forjações mentais e Psicológicas” estou disposto a conhecer profundamente.

27 – F.G. – Sim. Nunca cheguei a pesquisar a fundo, mas já tive algumas compreensões sobre criarmos nosso próprio mundo, e de fato acredito que cada um vê o mundo a seus olhos, mas existem casos onde a pessoa realmente está viajando na maionese, por medo de encarar alguma realidade ou situação.

27 – A.S. – Não. Mas vou investigar!

27 – M.A.T. – Sim. Meu conhecimento ainda é pequeno sobre o assunto pouco sei, mas quero aprender e aprenderei mais sobre isso.

27 – M.C. – Sim. Estou na busca.

27 – R.M. – Sim. Benefícios próprios para ganhar dinheiro, e jogos de palavras e manipulação.

27 – F.L.B. – Não. Não com esse nome. Acredito na panaceia do ego.

27 – B.C. – Sim. Posso pesquisar para conhecer mais, e ver os grandes absurdos que já acorreram.

27 – H.J. – Sim. Como buscador espiritual que sou, tenho e estou disposto a pesquisar profundamente sobre ela, para constatar cientificamente até onde elas podem chegar. Acredito que somos constituídos de inúmeras consciências egóicas. E já percebi que algumas fazem de tudo para enganar a nós mesmos.

27 – M.S. – Não. Não sei o que é, mas estou disposto a saber e a pesquisar.

27 – P.E.D. – Sim. Em toda a história do Espiritismo houve infinitas fraudes. Sempre estou disposto a investigar e constatar.

27 – M.F. – Sim.

27 – S.G. – Não. Não conheço sobre o  tema, ao menos como foi proposto.

27 – I.P. – Sim.  Estou disposta a entender cada vez mais, porque sempre tive interesse em entender como funciona nossa mente.

27 – C.C.A.A. – Sim, tenho conhecimento, mas gastar meu tempo para saber se uma pessoa pode estar falando a verdade ou não sobre seus poderem paranormais. Para que estas pessoas têm estes poderes? Que diferença faz em minha vida? Se eu tivesse tais poderes psíquicos seria para fazer circo? Onde posso evoluir tendo poderes ou mesmo sabendo se a pessoa tem capacidade de fazer circo para os outros. Nada disso contribui para a evolução das pessoas. Prefiro pesquisar sobre assuntos sobre o bem, o belo e o justo das verdades de Deus.

27 – M.C.Q. – Sim. A elucidação de tais fenômenos é de nosso total interesse.

27 – A.C.Z. – Sim. Melhor resposta do próprio Dr Celso. Então, como é que as pessoas podem evitar aspectos de forjação mental? Quando forem realmente livres. Assim, não forjarão o que têm medo de aceitar. Dr. Celso Charuri

27 – R.S.S.S. – Sim. É algo que ainda vou fazer: pesquisar e principalmente questionar estes forjadores mentais. Por que como já citei acima nunca acreditei.

28 – Acredita que existam pessoas que: “Embora frustrada e decepcionada consigo mesma, desejam muito se sentir triunfante e orgulhoso; ou que embora desprezada e judiada deseja muito ser aceita e amada; ou que embora ame a alguém se sinta muito reprimida por não poder lhe dizer as coisas que desejar falar; ou que embora se sinta pequena e inferior, deseja muito se sentir grande e especial”… Acredita que pessoas que vivam em situações similares as citadas, podem como válvula de escape, forjar mentalmente outra personalidade, outra mente, mas incorporada em si mesmo, de forma a realizar-se como se sentir triunfante e orgulhoso, aceita e amada, corajosa para falar o que deseja, se sentir grande e especial?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

28 – M.N. – Sim. Acredito que tal situação seja a razão motivadora para que pessoas forjem “incorporações” e tentem se sentir maiores e melhores.

28 – M.R. – Sim. Acredito nisso porque já vi e ainda vejo tais coisas acontecerem, como por exemplo o caso do Chico Xavier. Já é sabido que o Chico Xavier não era um medium verdadeiro. Suas cartas psicografadas e seus livros eram falsos. Primeiro pude perceber que seus livros eram falsos porque falava do umbral, que é como o inferno, falava de obsessores e, sendo que Deus é Absoluto, nada dessas coisas existem. A princípio pensei ser um equívoco da parte dele ter escrito essas coisas, pensei que ele era uma pessoa boa e caridosa e que cometeu erros. Mas percebi que esses erros eram muitos, eram a base de todos os livros dele, e ele escreveu centenas. Vi que eram erros demais para uma pessoa que se diz médium, diz ter contato com o outro lado, mas tem medo da morte, como mostra no livro e no filme da biografia de sua vida – sentiu-se apavorado quando esteve num avião e pensou que iria cair, ele próprio confessou que esse fato aconteceu mesmo. Depois, pesquisando, vi que no início da carreira de Chico Xavier como médium, ele realizou fenômenos de caráter no mínimo duvidoso, como a aparição de uma pessoa vinda do pós morte, o espírito de uma mulher. Achei estranho ele ter realizado esses fenômenos apenas por um breve período de tempo, ficava me perguntando por que ele não realizava mais. Com a internet, ficou fácil descobrir que esses fenômenos eram falsos: a mulher que aparecia como sendo um espírito, confessou na delegacia, se entregou, por não aguentar viver com essas mentiras. Muitas pessoas que conviveram com o Chico denunciaram tramóias realizadas por ele e sua equipe, como por exemplo quando alguém ia em busca de uma carta psicografada vinda de algum familiar que já estava morto. Nesses casos, a equipe de Chico Xavier procurava conversar com as pessoas que seriam atendidas, sem que essas soubessem que se tratava de pessoas da equipe do Chico. Então colhiam informações como nome de familiares, causa da morte, etc., e contavam ao Chico, que realizava as ditas psicografias. Nunca ficou provado que o Chico Xavier estava interessado no dinheiro das pessoas, o que se constata, ao menos até agora, é que ele doava o dinheiro que muitas vezes recebia, à Federação Espírita. Esses atos dele, fizeram com que milhares de pessoas ingenuamente acreditassem em sua boa vontade e no seu trabalho como médium. Mas creio que ele é uma dessas pessoas que buscava por reconhecimento, buscava ser amado, sentir-se especial.

28 – D.T.S – Sim, o chico Xavier é um perfeito exemplo disso. Ele sofreu muito quando criança e criou mentalmente uma situação (forjação mental) para que fosse reconhecido como santo. Ser reconhecido e adorado como santo é o que revela as atitudes de chico Xavier, onde ele usou de truques de ilusionismo para forjar aparições, e de olheiros para saber coisas em detalhes de outras pessoas e enganá-las, tudo isto para parecer que era um enviado de deus para a Terra.

28 – R. – Sim, ás vezes é duro e difícil encarar a realidade. Estas forjações provavelmente tem esta origem, frustrações.

28 – T.G. – Sim. Isso faz mais sentido para mim do que acreditar que uma entidade toma o corpo de outra pessoa.

28 – B.Z. – Sim é o caso do Chico Xavier. Ele foi muito rejeitado quando menino, e daí surgiu a ideia de que quando fosse santificado seria amado e aceito por todos. E foi isso que Chico fez e viveu fazendo pela vida inteira. Mas também tem situações que flagraram o Chico em que se tratava exclusivamente de fraudes para enganar a população, armações planejadas e executadas muito bem conscientes do que estava fazendo.

28 – M.N.N. – Sim. Acredito sim, até acho que para agregar mais pessoas e consequentemente sua contribuição alguns grupos, religiões criam um espaço para que essas pessoas se sintam importante e solicitadas, é uma estratégia.

28 – R.V. – Conheço um montão de gente assim na umbanda, fora dela, nas igrejas, nos centros kardecistas. E o mais famoso destes casos, Chico Xavier, que é o melhor exemplo desta pergunta. Ele foi tão maltratado na infância que deu no que deu!

28 – B.D. – Sim. Por algum motivo tem gente que precisa se aparecer né? Ou até mesmo pelos motivos citados na questão, que podem ser frustração, decepção ou até o desprezo. Até por ignorância ou mesmo inconscientemente podem elas mesmas criar a tal forjação metal.

28 – C.S.D. – Sim. Nós temos muitas estruturas a serem vencidas dentro de nós, as carências e necessidades, ainda não compreendemos que o PAI tudo provê, não estamos sozinhos, e somos muito amados. Deus é tudo que temos e Ele supre todas as nossas necessidades, porém não estamos totalmente conectados a Ele, nos desligamos do Pai e nos sentimos assim, vazio.

28 – M.M.O. – Sim. Isso não só é possível, como acontece com frequencia em pessoas que possui pouca compreensão de sí próprio, ou que vive frustado com a vida que criou. Para tais pessoas é mais fácil forjar mentalmente uma personalidade, do que de fato SER uma personalidade autentica.

28 – C.A.G. – Sim. Por vezes, fazemos isso em maior ou menor grau, nos auto enganar, é mais fácil do que encarar a realidade, acontece que algumas pessoas vão ao extremo o tal do inri cristo é um exemplo disso.

28 – E.M. – Sim. Desde que “adormeci” minha criança interior e decidi aceitar o mundo dos “adultos”, esta é a descrição perfeita de quem me tornei. Criei tanta ilusão que nem sabia mais o que era verdade ou mentira. Ser “amada” e “aceita”, era tudo que importava.

28 – A.N. – Sim, e acredito que se encaixem muito bem nessa descrição, médiuns, pretos velhos da umbanda, curandeiros, pastores.

28 – M.F.G. – Sim.    Primeiramente esta é até agora a pergunta mais difícil para mim a ser respondida. Nunca tinha pensado desse modo. E vejo que tem muita similaridade nisso, uma auto forjação mental para sair de suas frustrações e ser aparentemente como gostaria de ser. Tudo isso acontecendo dentro da mente racional, criando personalidades fictícias. Foi como eu falei no fim da resposta anterior a esta pergunta, criando algo para chamar  a atenção e se sentir respeitado. Acabei vendo a minha mente em alguns aspectos dessa pergunta e isso é intrigante e perturbador requerendo coragem para analisar com sinceridade esta questão. Mas quer dizer então que a mente racional pode criar diversas personalidades para suprir um desejo não realizado? Talvez esteja aí a resposta para a esquizofrenia? Não sei se é isso, mas eu acredito que sim.

28 – R.R. – Sim. Falta de luz, falta de humildade pra pedir ajuda ou procurar ajuda e solução, arrogância, orgulho. Cria uma segunda personalidade para tirar a culpa.

28 – V.L. – Sim. Por que seres humanos mal evoluídos precisam de status para serem mestres e nada são.

28 – J.J. – Sim, Essa pergunta responde a si própria, eu nunca tinha pensado assim sobre essas incorporações e forjamentos.

28 – I.T. – Sim. Porque vejo esse tipo de forjação mental em centro espíritas/umbandistas.

28 – J.A. – Sim. A mente humana é um mar de possibilidades.

28 – F.G. – Sim. Inclusive conheço pessoas que são assim, no trabalho e na família… De forma sutil, mas que consigo identificar a fuga criada para não ver o que tem para ser visto, e ao serem questionadas sobre a situação já vi casos em que ficam com raiva, discutem e não mudam por que estão certas e outros casos desabam no choro, admitem, dizem que vão mudar, mas na prática não mudam, hehehe.

28 – A.S. – Sim. A vida no relativo faz a gente pensar em ser vítima das circunstâncias e assim deixamos a mente no ego conduzir nossas vidas.

28 – M.A.T. – Sim. A mente prega peças em nós o tempo todo. É nossa jornada conseguir dominá-la e antes deste domínio esses fenômenos podem acontecer. Mas precisamos ter consciência de quem somos e não permitir que isso nos aconteça.

28 – M.C. – Sim. Animismo.

28 – R.M. – Sim. É o que acontece em muitos terreiros de umbanda, as pessoas fingem estar incorporadas para poder chamar a atenção das outras e dizer aquilo que não consegue em seu estado normal.

28 – F.L.B. – Sim. Sim, pois no passado já passei por isso e hoje compreendi que na verdade vivi outra personalidade, criei alguém que meu ego gostaria de ser.

28 – B.C. – Sim. Com Chico Xavier e outras pessoas.

28 – H.J. – Sim. Conforme disse acima, somos constituídos por um conjunto de mentes. Há aquelas que desejam crescer, mas há aquelas que insistem em permanecer no trono. Para tanto, forjam mentalmente outra personalidade com intuito de enganar a si mesmo.

28 – M.S. – Sim. O ser humano quer sempre se sentir bem e especial e pode usar de modos conscientes e inconscientes para ser assim.

28 – P.E.D. – Sim. Acredito, são processos mentais que podem manifestar-se.

28 – M.F. – Sim.  No dia-a-dia eu também tenho máscaras na vida profissional, por exemplo. Preciso, para ser aceita, assumir determinada postura e ter vestimenta condizente com meu cargo, minha função. De forma que, às vezes pareço ser mais confiante e impositiva, mesmo em situações que me sinta um pouco insegura ou desconfortável. Por isso, acredito que para outras pessoas, essa mesma caracterização possa ocorrer em maior ou menor nível, chegando a cometer imprudências e mentiras.

28 – S.G. – Sim. Parece-me uma possibilidade real a ser estudada pela psicanálise, eventualmente poderiam ocorrer “incorporações” neste sentido. Importante observar que o espiritismo Kardecista foi criado no século XVII se não me engano, e desde aquela época nada mudou… E tudo evolui, tudo, o Universo é evolução.. Então as incorporações devem passar por um processo evolutivo, bem como o contato com seres de outras dimensões.

28 – I.P. – Sim. Porque já vi isso.

28 – C.C.A.A. – Sim, pode ser. Essas pessoas devem procurar um médico especialista para tratamento psicológico ou psiquiatra.

28 – L.A.P. – Sim. O cérebro projeta aquilo que desejamos, mesmo que o desejo seja inconsciente.

28 – M.C.Q. – Sim. A psique humana é um universo deveras complexo e que necessita de continuados e profundos estudos. Portanto é sensato aceitar que tais comportamentos ocorram e que estejam atrelados a traumas e bloqueios.

28 – A.C.Z. – Sim. É a fuga, a válvula de escape.

28 – R.S.S.S. – Sim. A mente humana pode forjar tudo que quiser, só vai depender do estado emocional do qual se encontra. Algumas pessoas passam por este período e percebem a forjação, tomam consciência e mudam suas atitudes, outras passam a vida inteira acreditando em suas mentiras e fraudes levando outros á acreditarem em seus engodos. Elas vestiram esta máscara e a máscara passou a ser ela. Se lhe tirar esta máscara, morreria.

 

29 – Acredita de todo seu coração, com total certeza, sem a menor dúvida, na existência de obsessores e obsessão?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

29 – M.N. – Não. Não acredito que existam obsessores e processos de obsessão conforme as doutrinas espíritas apresentam, espíritos sofredores capazes de manipular e influenciar encarnados para satisfazerem seus desejos e vontades.

29 – M.R. – Não. Hoje sei que não existem obsessores e umbral, assim como não existe o diabo ou o inferno, pois Deus é a Totalidade de tudo o que há.

29 – D.T.S – Não, não tem obsessores, nunca teve, Isso são coisas de igrejas, padres e pastores, para imporem o medo nos seus fieis. Não percebe isto os idiotas mentais, os irrefletidos e os dominados, o que aliás, é o que mais tem no mundo hoje.

29 – R. – Não, Ao menos que a pessoa forje mentalmente, mas eu tive uma experiência em épocas que era muito perdida, de objetos se moverem na mesa da minha casa, minha amiga viu também e a corda da minha calça espichou sozinha e bateu na minha barriga, até hoje não sei dizer o que ou quem era aquilo. Mas depois das palestras do padrinho, acredito que coisa ruim não podia ser!

29 – T.G. Não. Não mesmo, a maioria dos casos que já observei onde a pessoa dizia estar com obsessores ela estava mesmo era querendo fugir da responsabilidade pelas sementes que ela mesma plantou e no momento estavam colhendo.

29 – B.Z. – Não. Sei que somos aquilo que pensamos, que vivemos segundo o que pensamos, que criamos aquilo que pensamos. É muito cômodo fazer as merdas e jogar a responsabilidade no diabo ou obsessores. Desde que passei a assumir a responsabilidade total por minha vida, melhorei de vida, ajuntei dinheiro, me formei, comprei uma casa, troquei de carro e até comecei a gostar de mulher.

29 – M.N.N. – Não. Fugiria do nosso divino livre arbítrio já que teria um obsessor influenciando nossas atitudes, e outra, como poderia só alguns serem alvo de obsessores e outros não?

29 – R.V. – Não tem obsessores. Pode talvez até ter os espíritos juntos de outras pessoas, mas não possuem poder nenhum para se impor sobre outras pessoas. Este pessoal das obsessões, homo e hétero, estão precisando é ser homem, ao menos como eu, que assume o que faz e o que quer. Antes ser gay corajoso que um hétero assim covarde!

29 – B.D. – Não. Obsessão no mínimo deve ser essas pegadinhas da mente que o próprio homem em sua ilusão permite-se acreditar em tal coisa com tanta convicção a ponto de fazer uma forjação mental do tipo.

29 – C.S.D. – Não. Não acredito cegamente, porem também não desacredito, ainda não estou certa se existe ou não a interação do material e espiritual no mesmo plano ao mesmo tempo.

29 – M.M.O. – Não. Isso é totalmente impossível, já é dificil influenciar um indivíduo encarnado que dirá sem um aparelho a menos, isto é, o corpo físico.

29 – C.A.G. – Não. NÃO com toda essa força de expressão da pergunta “de todo seu coração, com total certeza, sem a menor dúvida, na existência de obsessores e obsessão”. Disse não com toda a força de expressão da pergunta feita porque não consigo entender algumas coisas que aconteceu até mesmo comigo, se não foi o tal dos obsessores do espiritismo então quem foi? Eu mesmo? Seria cômodo eu pensar que fui eu mesmo quem projetou a experiência, mas não consigo me convencer disto tamanha a separabilidade entre eu e o fenômeno.

29 – E.M. – Não. Não em obsessores, mas em pessoas que conseguem exercer influência sobre outras que sentem-se inferiores a elas. Elas são capazes de identificar a fragilidade de um irmão que se perde no medo. Envolve este irmão em uma ilusão e domina seus passos. Porém, só consegue fazê-lo enquanto tem “permissão” do fragilizado ser, pois uma vez consciente de sua realidade existencial, toda influência externa dissipa-se. Com relação à obsessores espirituais, creio serem manifestações de nossa autocondenação, por “culpa” que carregamos que visualizam certos ataques espirituais. Porém, não passam de projeções de nossa mente.

29 – A.N. – Não, não acredito que exista algo que possa tomar minha mente e meu corpo e ditar as regras, em meu aparelho, me levar a fazer coisas que não desejo. Obsessor para o espiritismo é a mesma coisa que diabo para a igreja católica, apenas com outro nome. Não há como existir tais coisas, tais seres são ficção, contos da doutrina espírita para incutir nas pessoas os cabrestos do medo e da culpa.

29 – M.F.G. – Sim. Por que não é possível que um espírito desencarnado se aposse de uma pessoa e faça-a cometer atos nocivos ou até mesmo se matar. Não acredito nisso. Os chamados obsessores são espíritos desencarnados, que devido ao seu apego pelos vícios deste mundo, mesmo depois de desencarnados, escolheram ficar por aqui  apegados pelos seus vícios. E obsessão é a interferência negativa destes espíritos desencarnados em espíritos encarnados. Realmente não vejo isto como possível. Acredito que se uma pessoa baixar tanto a sua frequência, chegando a ficar similar à frequência do espírito desencarnado apegado, este pode se aproximar da pessoa e ficar digamos, sugando àquela energia liberada similar à sua. Que na verdade é a mesma energia do  apego que o espírito tinha antes de desencarnar.  Confesso que já acreditei em obsessores e até mesmo naqueles que ficam montados em sua canguta. Mas hoje não acredito mais nisso, pois faz a pessoa viver com medo e tira dela qualquer responsabilidade sobre algum ato insano que venha a cometer  e irão dizer: fulano fez isso porque estava com um espírito obsessor.

Sabe Padrinho, eu já ouvi o absurdo de que seria melhor eu parar de ler o livro “Conversando com DEUS”. Pois tal livro não é verdadeiro, que tinha sido algum espírito obsessor que se apoderou do escritor do livro para enganar a humanidade. Por isso que eu não acredito nessas coisas.

Só para encerrar esta resposta, pois já me estendi nela, me surgiram duas questões.  Sendo o desencarne um momento feliz como eu acredito, então como pode um espírito desencarnado não passar por este momento feliz, e continuar apegado aqui em seus vícios? Isso é uma escolha dele que é respeitada?  Ainda não sei responder estas questões.

29 – R.R. – Não. Acho que existe falta de fé e de firmeza. Se trabalhar para o bem com afinco nem sobra tempo pra pensar nessas coisas. Um tio meu passou por esse problema, eu era muito criança e pude sentir a luta da família pra tentar resolver isto.

29 – V.L. – Não. Depois que tive oportunidade de conhecer o Gideon não acredito mais em obsessores.

29 – J.J. – Também não sei responder a isso, tenho dúvidas, não consigo dizer nem que sim e nem que não; também não sei dizer por que não consigo responder.

29 – I.T. – Sim. Baseada em minhas observações do mundo vejo sobre os chamados “obsessores e magos negros”, mas não do jeito que é colocado na maioria dos centros espíritas, até mesmo nem chamaria por esse nome “obsessores”. Vejo que cada um atrai o que vibra e a companhia das mesmas frequências até mesmo nessa dimensão, e acredito que isso se estenda a outros planos da existência também. Mas não do modo que alguns centros espíritas colocam como sendo o “obsessor” a causa dos malefícios da pessoa “obsediada”, mas como a física quântica mostra, sendo como uma companhia espiritual que se afinizou com alguém que tenha mesma frequência, uma relação mútua, de troca energética de sentimentos como tristeza, ódio, rancor, etc…

E quanto aos chamados “magos negros”, para mim não passam de borra botas, de seres que desenvolveram o seu intelecto, sua mente racional, (mas a meu ver continuam burros pelas escolhas que fazem) e que se utilizam de conhecimentos sobre manipulação mental, de energias, por saberem que o universo é mental, mas se utilizam disso apenas para um tipo de falso poder de escravização de mentes mais fracas nessa e em outras dimensões criadas por esse tipo de frequência emitida por essas consciências, tal qual faziam e fazem quando encarnados, como se tem de monte exemplos na nossa humanidade de hoje, que nitidamente se encontra escravizada, em uma escravidão disfarçada, uma Matrix.

29 – J.A. – Não, pessoalmente não tenho essa vivência para acreditar.

29 – F.G. – Não. Acredito que existam espíritos de baixa frequência, apegados às coisas da matéria e que se aproveitam de situações e se associam a pessoas encarnadas que compactuam das mesmas frequências e vontades que as suas. Mas isso não deve servir como desculpa por nossas ações, pois somos Deuses filhos encarnados e só permanecemos na lama se assim desejarmos. Deus é pai, amor e absoluto, nos ama, quer que sejamos felizes e respeita nosso livre arbítrio mesmo que nossa vontade seja de permanecer nos vícios e apegos da matéria, já que é só uma experiência, contudo está sempre com a mão estendida pronto a nos auxiliar.

29 – A.S. – Sim e não. Às vezes sim outras não! Acredito que a mente possa realmente criar estados obsessivos e obsessões.

29 – M.A.T. – Não. Já acreditei nisso, mas hoje consciente de que sou pleno e filho de Deus e, portanto Deus Filho não há força que possa me prejudicar.

29 – M.C. – Não. Atrai aquilo que vibra.

29 – R.M. – Não. O não como resposta é que não tenho certeza, pois estou em estudo para a realidade verdadeira.

29 – F.L.B. – Não. Não, acredito na panaceia do ego.

29 – B.C. – Não, pois Deus é ABSOLUTO.

29 – H.J. – Não. Mas não tenho uma opinião totalmente formada a respeito. Preciso me aprofundar mais no assunto.

29 – M.S. – Não. Para mim existia, agora sei que não é real.

29 – P.E.D. – Não. Não acredito em obsessores.

29 – M.F. – Não. Essa é uma forma de responsabilizar os nossos próprios atos, às outros seres/pessoas. É uma forma de se esconder.

29 – S.G. – Sim. O mal existe, ele é traçado e executado por consciências que não tem interesse em evoluir e para sua manutenção pessoal o mais racional seria criar hierarquias no mundo espiritual a fim de canalizar energias suficientes, já que não querem a do Todo, de Deus.

29 – I.P. – Não. Porque fica mais fácil por a culpa em obsessores do que a pessoa olhar para si e ver o que tem que mudar em si mesma para que sua vida flua com mais prosperidade.

29 – C.C.A.A. – Não acredito. Pode até existir. Mas colocar suas fraquezas, culpar pessoas, espíritos ou mesmo objetos é covardia de encarar seus próprios defeitos de frente. Não existe entidade que possa contra uma boa força de vontade.

29 – Luis A.P. – Não. São criações mentais e que realmente podem fazer muito mal àqueles que criam essas projeções. Mas não pertencem ao plano absoluto da consciência de Deus.

29 – Marlus C.Q. – Não. Não nos agrada o fato de acreditar que desencarnados nos comandam e aprisionam, vai de encontro com o livre arbítrio que Deus, em sua infinita bondade, nos deu.

29 – Antonio C.Z. – Não. Você cria seu Universo e também estas energias ruins a sua volta.

29 – Roseli S.S.S. – Não. Hoje afirmo com todas as letras não acreditar mais nestas bobagens. Como bem dito, mas, no entanto por um longo tempo acreditei, devido às velhas crenças.

 

30 – Acredita que há pessoas decidida, capazes e inteligentes, que ambicionam muito mais que dinheiro, riqueza e bens materiais: O reconhecimento alheio, os aplausos de seguidores, ser reconhecido publicamente como santo e divinal?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

30 – M.N. – Sim. Acredito que existem muitas pessoas que buscam ter seguidores, serem aclamadas como mestres, se sentirem superiores e serem reconhecidos como santos ou mesmo deuses.

30 – M.R. – Sim, porque também já presenciei tais coisas acontecerem, a maioria dos brasileiros já presenciaram tais coisas, mas ainda não perceberam ou não querem acreditar, como é o caso do medium mais famoso do país, o Chico Xavier. Basta pesquisar na internet que fica fácil constatar as fraudes cometidas pelo Chico Xavier. Muito do que aprendi no kardecismo foi devido aos livros dele, que continham inúmeras histórias sobre obsessores e os horrores que aconteciam no umbral, sobre débitos cármicos, sendo que, na verdade, nem ele próprio acreditava no que escrevia. Muitos de seus livros foram plagiados de outros autores e outros tantos, foram inventados por ele, que era uma pessoa muito inteligente, lia muito, tinha diversos livros em sua própria casa. Fora os embustes cometidos nas cartas psicografadas, nos fenômenos de aparição de espírito que moldava ectoplasma e que não passava de uma pessoa com um lençol, ficou provado isso. Foi difícil acreditar quando comecei a constatar esses fatos, mas são fatos e eu não podia deixar de enxergá-los. Não podia deixar de lado, sendo que dentro do meu coração tenho o desejo sincero de saber a verdade dos acontecimentos, tenho o desejo sincero de estar sempre próxima de Deus. Também já acreditei em pessoas iludidas assim, como um de Brasília, que se dizia mensageiro do comando Ashtar e colocava palestras na internet. Desde criança, sentia no meu coração que a Nova Era estava por vir, um mundo muito melhor, onde todos vivem em paz e convivem como verdadeiros irmãos. Por acreditar nisso, ingenuamente acreditei em histórias como essa de mensageiro do comando Ashtar, pois também falava da nova era. Mas no fim das contas, isso tudo me botava muito medo e me enchi de crenças negativas. Essa pessoa dizia que viria uma transição planetária por meio de inundações gigantes. Sentia medo quando ouvia essas palestras, porque parecia que na tal nova era, sobreviveriam somente aqueles escolhidos por Deus, sei lá sob qual critério, que a nova era seria somente para pessoas especiais. Eu não me sentia especial e nem iluminada, então tinha medo mesmo de morrer afogada e não vivenciar a nova era. Me revoltei com isso, esqueci os assuntos da nova era e comecei a viver mais para o mundo material, esqueci um pouco do lado espiritual. Comecei a frequentar centros espíritas kardecistas e me acomodei por lá, acreditando que sofria porque tinha algum débito espiritual do passado. Mas depois de anos sofrendo, comecei a pesquisar sobre a Nova Era novamente, porque meu coração ficou vazio, foi quando encontrei o site do Céu Nossa Senhora da Conceição (www.ceunossasenhoradaconceicao.com.br) e comecei a ler tudo que o Xamã Gideon dos Lakotas escrevia. E lá estava, falando sobre a Nova Era de um jeito que não me dava medo, de um jeito tão positivo como eu nunca havia visto antes ninguém falar, então meu coração se encheu de alegria. Ele dizia que todos somos divinos e que a Nova Era estava sim por chegar, e que os escolhidos para a Nova Era são aqueles que se escolhem, que fazem a escolha de viver a Nova Era. “Então não era Deus que ia decidir se eu ia viver a Nova Era?” – pensei. “Ah, então eu escolho viver a Nova Era!”. Isso tudo que passei, acreditando nessas ilusões, é muito sério. Tenho amigos queridos que acreditaram nisso também, que assim como eu, buscavam o espiritual, mas depois de tantas decepções, hoje em dia não buscam mais o espiritual. Acreditam em Deus, vivem bem, mas não buscam mais. Estão voltados para a busca material, não que o lado material não seja importante, é essencial, mas sem o espiritual fica fora do equilíbrio. Eu vejo que eles se afastaram da busca espiritual por medo e insegurança, depois de tudo isso que passaram, acreditando em pessoas que inventavam histórias, em pessoas que buscavam justamente bens materiais e aplausos. O caso das fraudes cometidas pelo Chico Xavier, considero gravíssimo. Fico me perguntando como fica a situação de MILHARES de brasileiros que acreditam ser verdade tudo o que ele fez. São anos, décadas de crenças em coisas que não existem, que não são verdade! Ao constatar todas essas fraudes, que estão provadas, uma pessoa pode entrar em depressão, pode perder a vontade de viver, revoltar-se. E, sinceramente, acho compreensível. Eu tive a sorte de ter descoberto os verdadeiros fatos da vida e obra do Chico Xavier quando já frequentava o Centro Espírita Ascensionado. Então teve um livro, o livro “Despertai”, que muito me ajudou a rapidamente rever minhas crenças. Por exemplo, já vinha há algum tempo sabendo, sentindo, já tinha clareado dentro de mim a verdade sobre umbral e obsessores – que não existem. Então, antes que os conflitos em que entrei aumentassem, o livro Despertai me ajudou a perceber que Deus é Absoluto, portanto, não tem opositor ou opositores. Pesquisei no dicionário o significado da palavra Absoluto e dois de seus sinônimos são: ÚNICO e SUPREMO. Se é ÚNICO, então não tem outros! Simples! Assim, se o Chico Xavier fala sobre umbral e obsessores, fica evidente que ele não conhece NADA dos planos espirituais, e que ele não é alguém que tem luz. Uma pessoa da luz jamais enganaria os buscadores, sob hipótese alguma, uma pessoa da luz jamais falaria em obsessores e umbral, porque é o mesmo que acreditar que existe inferno e que Deus é vingativo e punitivo. Espero que os fatos sobre a vida de Chico Xavier sejam conhecidos pelo maior número de pessoas possível, pois, posso afirmar porque tenho passado na pele, a verdade algumas vezes dói, mas sempre liberta. Espero que as pessoas que tiverem a coragem de pesquisar, analisar e constatar os fatos, sejam fortes e olhem para dentro de si mesmas, que sejam positivas e vejam que todo ser humano é divino e que Deus não pune, Ele sempre Ama. Ao constatar isso, só resta Ser Feliz.

30 – D.T.S – Sim, tem muitas hoje em dia, e sempre houve muitas outras. O chico Xavier se enquadra novamente nesta situação. O sonho de chico era ser reconhecido como santo. A falta de sabedoria de chico, os plágios de suas obras, como o nosso lar que ele plagiou de outro livro, as milhares de mensagens dele que foram questionadas porque não falavam nada de concreto, e ainda as fraudes do chico que foram comprovadas, tudo isto se enquadra na pergunta feita.

30 – R. – Sim, o ego se satisfaz com isso e muitos escolhem satisfazer isso sem conhecer a natureza do ego.

30 – T.G. – Sim… por pura vaidade…

30 – B.Z. – Sim, novamente o Chico Xavier. Tem também o Sai Baba. Eles ganhavam dinheiro, mas não gastavam consigo. O que eles queriam era outro tipo de recompensa. No caso do Chico, ele queria como recompensa ser reconhecido como santo e não o dinheiro. Segundo o que afirma a mídia, o lucro de todos os livros que ele escreveu deixou para a federação espírita, o que explica porque a federação espírita mesmo sabendo sobre o Chico fingia que não sabia de nada, porque se o desmascarasse perderia o din din de todo final de mês pelas vendas do livros do Chico!

30 – M.N.N – Sim. É o que mais tem por ai, se sustentam em cima de mistérios, pousando como Santo, o mensageiro e por trás com atitudes que até os mais ignorantes sabem que não funcionam.

30 – R.V. – Sim, olha o chico Xavier na pauta novamente, porque a mídia fala que dinheiro ele não quis, só não sei isso procede. Mas é visível que ele buscava a fama e aplausos! Chico Xavier foi muito vaidoso e a velhice para ele era terrível provavelmente, porque a velhice é sempre terrível para nós gays. Conhece gays que não cultuam o corpo? O Chico foi vaidoso como são todos os gays, apegado ao sexo como são todos os gay e desejosos de rapazes bonitos, jovens e musculosos como são todos os homens gays!
Quando que outros gays vão ser homem como eu, adotar minha postura, ser o que é?

30 – B.D. – Sim. Isso é um fato, como por exemplo, Chico Xavier não é mesmo. Além de fraude, passou toda sua caridade e carisma com grande intuito de ser reconhecido e amado por todos.

30 – C.S.D. – Sim. Acredito sim que é possível, porque ao estar desconectado do pai que tudo provê, nascem as carências, as necessidade e acabamos por buscar fora de nos o que só encontramos dentro.

30 – M.M.O. – Sim. Um exemplo é o de Chico Xavier.

30 – C.A.G. – Sim. O ego age em todos os aspectos no ser humano, não só ambiciona bens materiais, mas também ambiciona estados de prazer físico e psicológicos.

30 – E.M. – Sim. Tantos casos que presenciamos. Curas fraudulentas, canalizações forjadas, previsões que não se concretizam. A maioria dessas pessoas enganou tanto que conseguiram enganar a si mesmas. Nem tanto pela riqueza, pois algumas têm vida humilde e passam por dificuldades financeiras. Ser “especial”, ser divinal. Ser amado e seguido por muitos.

30 – A.N. – Sim e Chico Xavier se encaixa perfeitamente nessa descrição.

30 – M.F.G. – Sim.  Pelo motivo de querer sentir-se importante. Isso se aplica bem na religião católica. Onde se tem como o principal intercessor o papa, eles são reconhecidos pelos seus fiéis como homens santos, divinais. Acredito que os papas usam a inteligência para manipularem e se sentirem assim. Mas isso não se limita apenas a religião católica, se espalha para todas elas. Usei a religião católica aqui, porque fica mais fácil de ilustrar.

30 – R.R. – Sim. Tá cheio de pastores nas igrejas pentecostais da vida.

30 – V.L. – Sim. Tem pessoas que não tem juízo perfeito e tem muita ambição.

30 – J.J. – Sim, Isso é a própria vaidade.

30 – I.T. – Sim. Porque essa é minha definição de pessoas inteligentes.

30 – J.A. – Sim. Poder do ego.

30 – F.G. – Sim. Há vários desses, principalmente aqueles “gurus” indianos que decoraram as escrituras e ficam repetindo sem entender, muito claro que são palavras vazias e quem tem o mínimo de sensibilidade sabe que falam de verdades não vivenciadas, se dizem renunciantes, mas tem sempre uma porção de puxas- saco ao redor fazendo todas as vontades e tem tudo do bom e do melhor.

30 – A.S. – Sim. Acredito que todos nós temos um pouco disso, mente no ego!

30 – M.A.T. – Sim. Porque despertei para alguns exemplos dados no curso Daime para todos, cito Francisco Cândido Xavier.

30 – M.C. – Sim. A maioria necessita ainda disso.

30 – R.M. – Sim. Pois estas pessoas podem estar presas em ilusões tipo das igrejas.

30 – F.L.B. – Sim. Sim, vemos isto em pastores, padres, papas, pais de santo e tantos outros que se dizem desapegados, mas na realidade amam em mãos dadas com seu ego os aplausos e reconhecimentos.

30 – B.C. – Sim. Como Chico Xavier eles buscam pela vaidade e reconhecimento.

30 – H.J. – Sim. A maioria das pessoas que se manifestam aqui tem alguma ou muita necessidade inerente ao mundo racional.

30 – M.S. – Sim. Ambição é material e também espiritual.

30 – P.E.D. – Sim. O ser humano é capaz de tudo pra satisfazer seu ego.

30 – M.F. – Sim.

30 – S.G. – Sim. Creio que tais pessoas devem existir sim, mas o ego existe e são raríssimos os casos, penso que até mesmo quem vemos como uma destas pessoas, intimamente deve ter em graus menores manifestações egóicas do calibre do acima citado.

30 – I.P. – Sim. Existem muitos que se dizem enviados de deus, mensageiros de Jesus… Que é isso o que querem: aplausos e serem vistos como os que: ohhh! Que ele é especial! E na verdade manipulam os que não perceberam.

30 – C.C.A.A. – Sim, aprendi nesta vida que existem pessoas de todos os tipos. Boas e más. Loucas e sãs.

30 – L.A.P. – Sim. Aquela peruca do Chico Xavier sempre me incomodou, mas ainda não havia me tornado consciente disso. Quanto ao Samael Aun Weor já vinha questionando há algum tempo a validade do que li nos livros dele. No entanto não acredito que seja de todo desnecessário o que eles fizeram, mesmo não sendo a verdade pode auxiliar no crescimento espiritual de muitas pessoas, inclusive eu mesmo.

30 – M.C.Q. – Sim. Tal comportamento é fruto dos desejos primitivos da mente racional, do ego.

30 – A.C.Z. – Sim. O exemplo nos mostra um monte destes seres desejando este tipo de vida e ou experiência.

30 – R.S.S.S. – Sim. A história tem nos mostrado infelizmente este tipo de personalidade.

 

31 – Confiaria como referência de verdade espiritual em livros psicografados por alguém que visivelmente demonstra a enganação, o apego e a vaidade, tal qual contratar atores para fraudar aparições espirituais, fraudar fenômenos psíquicos e assim iludir as massas; apegado ao mundano ao ponto de possuir distúrbios sexuais; vaidoso ao ponto de sentir vergonha da calvície e por isso sempre se apresentar de peruca?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

31 – M.N. – Não. Tais características demonstram que essa pessoa não conheceu os planos espirituais, muito menos as verdades do espírito.

31 – M.R. – Não. Porque uma pessoa cheia de vaidades, que contrata atores para representar algo como sendo verdade, não pode ter luz, como foi o caso do Chico Xavier, ele fez isso, está provado.

31 – D.T.S – Não, hoje não. Mas na época do santo daime eu acreditava nisto, eu acredita no chico Xavier. Era muito conveniente eu acreditar em gente como ele e ter ele como referencia, já que eu me escondia por detrás dos mesmos comportamentos e mesmas justificativas. O chico Xavier foi um ser que sofria de muito apego à matéria, ao ponto de ser homossexual e fútil. Ele escolheu esta experiência já pelo apego que tinha. Não é certo e nem errado ser homossexual ou heterossexual muito ativo, mas o que tem ambos em comum é o apego ao sexo. No caso precisamos nos atentar é na causa que leva uma pessoas a ser homossexual ou heterossexual muito ativo, que é exatamente o apego ao sexo. O deus de um homossexual é o sexo gente, tal qual o deus de um agiota é o dinheiro. Não tem como ser um buscador espiritual e estar fazendo uma escolha desta, porque o sexo é a mais forte manifestação do ego, do materialismo, portanto é caminho oposto ao desapego espiritual. Não tenho nada de pessoal contrario ao chico Xavier, apenas sei que ele não tinha luz, não atingiu a iluminação e que mentiu e enganou a muitas pessoas que queriam acreditar nas mensagens que ele escrevia, e já por isso o chico e sua quadrilha selecionavam quase sempre, a tais pessoas mais ingênuas!

31 – R. – Não, fiquei muito triste e decepcionada com isso, queria que ele fosse uma referência.

31 – T.G. – Não… e pelo que posso observar a pessoa de quem se fala nesta questão é o renomado Chico Xavier… sinceramente… nunca confiaria em uma pessoa assim como referência de verdade espiritual… poderia confiar para outras coisas, mas como um mensageiro espiritual EU não confiaria.

31 – B.Z. – Não, nem morto! A verdade é que não dá para aceitar como santo e iluminado o macho que fica de quatro pra macho. Isso não tem nada de santo, mas sim de apego ao sexo e ao materialismo. Já fui homossexual praticante, não sou mais, mas já fui. Hoje estou quase livre, desse assunto entendo porque vivi isso. Pesquisei e vi que o Chico Xavier esteve envolvido com enganações públicas com truques de ilusionismo, e também era homossexual ativo, como eu fui. Se tem uma característica marcante no homossexual é a vaidade. Chico foi muito vaidoso, depilava as costas, usava peruca. Também escreveu coisas que mais tarde puderam constatar que não era verdade. Quem dá créditos ao Chico Xavier como mente espiritualizada é porque desconhece os fatos de sua vida.

31 – M.N.N. –
Não. Provavelmente se tivesse encontrado uma verdade espiritual não precisaria forjar acontecimentos, ou teria apegos e preocupações tão superficiais como calvície por exemplo.

31 – R.V. – Nunca. Iluminado envolvido em fraudes de materialização de espíritos? O nome disto não é mediunidade, mas charlatanismo! Iluminado que tinha olheiros para colher informações sobre a pessoa antes de atendê-la? O nome disto não é mediunidade, mas espionagem! A referência do conhecimento espiritual que se pode ter do Chico Xavier é a mesma referência do conhecimento espiritual que se pode ter dos pais de santo, dos pastores, dos padres e da bíblia. Dá pra confiar nisso? 
Vaidade e iluminação não combinam, até eu sei disso, só que eu assumo. Eu sou vaidoso e narcisista, admito isso, contudo o Chico Xavier não é diferente de mim, gay é sempre gay! A aparência física pra ele era tudo, a calvície lhe era terrível. Se Chico Xavier era um espírito de luz, então eu sou jesus cristo, porque eu sou vaidoso mas nunca enganei a ninguém. A verdade é a verdade, só que eu assumo isto. Se vou dar a bunda uma vez na semana ou uma vez no mês, que diferença faz, é aceitar o sexo como prioridade de vida o que me faz ser assim. Mas eu sou feliz assim, escolhi assim, só que assumo minhas escolhas e reconheço o que desejo. Como busco ser feliz acredito que busco por deus, mas este negócio de iluminação, ser iluminado, santificado, eu não tô nem aí pra essas coisas. Eu gosto da fruta, é isso!
Outra coisa, volto a repetir: ninguém nasce gay, todo gay escolheu ser gay. Sou médico veterinário, o homossexualismo nos animais é raríssimo, é uma exceção. Mesmo eu até hoje nunca vi pessoalmente um animal homossexual, mas nem mesmo um cachorrinho! Essas bichas estão é precisando ser mais homem assim como sou e assumir a responsabilidade das escolhas que fizeram. Desde de quando é pecado ser gay? Pense nisso e pare de posar de vítima!. Eu sou gay, escolhe isso, sou feliz vivendo como gay e a bunda é minha tá! Por que escolheu ser gay não te que ser um covarde!

31 – B.D. – Não. Haha tire como referencia minha resposta anterior, exatamente em uma pessoa desse tipo que eu não confiaria.

31 – C.S.D. – Não. Minha natureza sempre foi questionadora, questiono tudo, meu comportamento e principalmente tudo que escuto e vejo, portanto não confio cegamente em nada, nem ninguém, só no amor divido e no meu mestre Jesus.

31 – M.M.O. – Não. Chico Xavier, foi de fato muito carismático, e conquistou a simpatia de muitos. Porém foi um farsante, iludindo muitos, que até hoje tem crenças errôneas, em obsessores, e umbrais de sofrimento, presos nos grilhões do medo e da culpa. Hoje reconheço até que ponto pode chegar a desonestidade de um homem para conquistar aplausos e fama. Um espírito de luz, jamais aprisionaria massas em crenças equivocadas que encabrestam no medo e na culpa. Uma mente Iluminada tras a Libertação e não a Prisão, é humilde, e não tem apegos como a vaidade, e devios de comportamento, como o de ter relação sexual com pessoas do mesmo sexo, por possuir ainda distúrbios sexuais.

31 – C.A.G. – Não. Como confiar em alguém assim? Alguém que encena a ponto de contratar atores para armar um falso fenômeno? Confiar em alguém assim seria o cúmulo da alienação, do comodismo.

31 – E.M. – Não. Confesso que foi um baque ouvir todas as verdades que o Padrinho falou sobre o Chico na palestra que administrou. Porém, reconheci como verdade no mesmo instante. Iludi-me por tanto tempo. Ele era tão “bonzinho”. Mas, no fundo, sempre soube. Suas palavras eram lindas. Tão lindas que nos esquecemos de observar bem de perto suas ações. Confiamos na mídia… Mas, eram outros tempos. Tempos que precisávamos de um paradigma a seguir. Com um Deus tão distante, necessitávamos de alguém mais próximo para confiar nossa dor. Ele exerceu sua função. Sou-lhe grata, pois em tempos de pura ilusão, impulsionou-me a buscar a verdade espiritual. Chico e tantos outros seres, certamente me auxiliaram a chegar até aqui! Com nenhuma mágoa e com muita gratidão, não aceito mais os “ensinamentos” que me passaram como verdade.

31 – A.N. – Não, pois essa pessoa nada tem nada de espiritual, nada tem de luz e muito menos sabedoria. Finge-se de coitadinho para ganhar a simpatia das pessoas e com seu jeito carismático, afunda o buscador espiritual em dogmas, culpa e medo. Isso é cego guiando cego, é uma pessoa que nem sequer conhece o plano espiritual. O homem espiritual não engana, não ilude, não espera aplausos, pelo contrário, foge de aplausos e idolatria. O homem espiritual liberta.

31 – M.F.G. – Não. Por que eu não sou louco. Para mim a maior referência espiritual que a humanidade possa ter é o MESTRE JESUS. ELE sempre demonstrou a simplicidade, a humildade, a compaixão, a tolerância. Fez tudo o que fez e ainda nos disse que também somos capazes de fazer isso e muito mais. Demonstrou através de seu exemplo como ser uno com DEUS, e ensinou  o que veio ensinar, não para querer ser reconhecido, aplaudido, mas sim, pelo amor que sente por nós. Acredito também que ELE nos envia irmãos mais velhos para nos relembrar de quem somos. Sábios professores que nos fazem refletir sobre nossas verdades, no que acreditamos de fato e nos fazem enxergar quais são os nossos apegos. Assim como aquele que formulou estas perguntas que venho respondendo está fazendo.

31 – R.R. – Não. Quando se tem todo esse conhecimento sobre tal pessoa. Mas como é incrível que depois que o sujeito morre aparece as verdades.

31 – V.L. – Não. Já apareceram inúmeras testemunhas dizendo que tudo era fraude.

31 – J.J. – Não, se eu comprovasse, por mim mesmo, com provas reais, eu não confiaria.

31 – I.T. – Não. Os fatos já respondem por si mesmos.

31 – J.A. – Não. Sei que papel aceita tudo, agora julgar a experiência que a pessoa escolhe.

31 – A.S. – Não. Por que acredito que o médium para receber canalização ou mesmo incorporação de um espírito de luz tem que estar revestido de humildade, desapego e amor fraternal!

31 – M.A.T. – Não. Porque são iludidos e sem iluminação.

31 – M.C. – Não. Não posso usar como referencia espiritual alguém com estas características.

31 – R.M. – Não. Não confiaria, pois como confiar em pessoas que não falam a verdade sobre ela mesma.

31 – F.L.B. – Não, não há como.

31 – B.C. – Não, pois ele esta no EGO.

31 – H.J. – Não. Pelo próprio fato de ser uma fraude.

31 – M.S. – Não. Referência para mim é Jesus.

31 – P.E.D. – Não. Confio naquilo que testo e acho razoável.

31 – M.F. – Não.

31 – S.G. – Sim. Penso que um livro tem personalidade própria e deve ser separada do seu criador, devemos analisar o livro apenas e não o autor. Tampouco importa os hábitos do escritor, se tem distúrbios sexuais, enfim… Isto serve para qualquer área, como exemplo posso mencionar, em hipótese um escritor com excelente reputação que escreve um livro magnífico sobre alguma área de conhecimento e semanas depois ele por razões pessoais muda  totalmente seu comportamento afligindo sua reputação. O livro escrito deve ser desprezado? Da mesma forma, afirmo também que nada deve ser levado ao pé da letra, qualquer conhecimento espiritual vindo de pessoas com esquisitices pessoais ou não deve ser analisada, confrontada com outras informações e fontes, sou o dono da minha consciência, eu decido.

31 – I.P. – Não. Confesso que essa de ter contratado atores eu não sabia. Achava que as palavras eram belas, confortavam, mas nunca tinha parado para pensar nesses detalhes.

31 – C.C.A.A. – Não. Na verdade nunca li um livro psicografado. Se já é difícil acreditar nas pessoas de carne e osso que a gente vê, imagine acreditar nos escrito de alguém que eu nunca vi e nem sei se sua identidade é verdadeira. Quanto aos médiuns, são todos uns coitados, pois falam, escrevem etc, sem nunca realmente se preocuparem em evoluírem como Ser.

31 – F.G. – Não. Quanto ao Chico Xavier eu nunca o tive como referência, de fato cumpriu seu papel em sua época, mas, não o tenho como referência. Confio no Mestre Jesus, no Céu Nossa Senhora da Conceição e em meu coração… Quanto ao resto eu nem perco tempo…

31 – L.A.P. – Não. A verdade é uma experiência interna e não deve ser buscada no mundo exterior, ainda mais quando apresentam falhas visíveis e contestadas até mesmo pela razão e bom senso.

31 – M.C.Q. – Não. Não confiaria como referência de verdade, uma vez que tais informações canalizadas são altamente vulneráveis a contaminação da mente consciente, do ego. Entretanto devemos reconhecer que uma determinada parcela de tais conhecimentos carregam ensinamentos edificantes, do ponto de vista de nosso trato com a vida cotidiana.

31 – A.C.Z. – Não. Como já disse anteriormente se a visão do “UM” um+ não pode ser.

31 – R.S.S.S. – Não. Hoje conhecendo estes fatos não, mas na ausência da verdade tudo é possível, principalmente acreditar naqueles que deseja apenas amar e fazer caridade.

 

32 – Acredita que alguém como descrito acima teria alcançado a luz, a iluminação, a compreensão do Amor, a Sabedoria, a Verdade?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

32 – M.N. – Não. Se tivesse “alcançado” a iluminação, atingido um elevado nível de relembrar, não agiria da forma citada.

32 – M.R. – Não, porque uma pessoa que não é verdadeira, que não age de forma verdadeira, não tem luz. A luz clareia, dissipa as sombras da ilusão. É impossível uma pessoa asism ter alcançado a luz, portanto, o Chico Xavier não teve luz.

32 – D.T.S – Não, jamais. Se chico Xavier fosse um ser iluminado, o que mais haveria no mundo seria gente iluminada. O chico usava óculos escuros porque tinha medo que lhe olhassem nos olhos e vicem o que tinha ali. Perucas porque era fútil, vaidoso. O que acha que leva uma pessoa a usar perucas, fazer depilação das costas etc? Futilidade, vaidade etc! Temia a morte ao ponto de ficar histérico, porque não conhece o plano espiritual, se do contrário, ele conhecesse lá, porque temeria morrer? O fato de chico Xavier ter sido homossexual só demonstra seu apego à matéria grosseira, só revela um espírito ainda primitivo, pouco desenvolvido. O apego ao sexo, o endeusamento ao sexo, é o que leva uma pessoa a fazer a escolha de ser homossexual, ou viciada em sexo. É escolha, não é condição hormonal, de nascimento. O gay escolheu isso, ele não é vitima de nada. Ele pode não querer assumir a responsabilidade das escolhas que fez, ele pode fugir disso, mas a verdade é que ele fez a escolha do que seguiria. As pesquisas cientificas de hoje são tendenciosas, maldosas, põe o gay como algo natural, casual e vítima hormonal, mas a verdade é bem outra, e embora não exista certo e nem errado, foi eles mesmos quem escolheram ser gays. As pesquisas científicas hoje separam para expor na mídia as exceções na natureza, que são um em meio a milhões, um animal que realmente possui problemas hormonais, e aí os citam como referência para dizer que um gay tem problemas genéticos. Quantos cachorros gay você viu até hoje? Quantos gatos gays viu até hoje? Quantos passarinhos gays você viu até hoje? Quantos cachorros, gatos, pássaros e garanhões você viu por si mesmo que aceitaram alegremente ser penetrado por outros machos? Observem gente, há um interesse por parte dos governos em exterminar com a moral e a ética! A promiscuidade e os sentimentos de culpa e medo são interessante ao governo, analisem! Não, chico Xavier não alcançou luz nenhuma e a prova disto são as escolhas que escolheu viver, as quais são intensamente materiais, que são opostas ao desapego que demonstram as escolhas de uma alma iluminada.

32 – R. – Não, São coisas opostas, as ações revelam a luz.

32 – T.G. Não. Para se alcançar este estado é necessário renunciar e se desapegar de muitas coisas, em primeiro lugar, teria de parar de enganar as pessoas… voltar-se para dentro e entrar em uma trabalhosa lapidação (sem julgamentos, mas não posso conceber que uma pessoa assim possa ser considerada iluminada).

32 – B.Z. – Não. Macho que fica de quatro pra macho como sendo uma mente iluminada ou santa, é desconsiderar as condições da consciência que precisa ter para se iluminar. Não tem pecado, sei disso, mas enquanto uma mente estiver no homossexualismo ela é uma mente apegada á matéria, é carnal e não espiritual. Dê uma observada na caminhada gay pra ver se tem luz ali, ou entra numa boate gay pra ver o que vai encontrar lá! O gay pode ser bonito, inteligente, profissional, bom de briga, forte e ter muitas outras qualidades, mas o deus dele é o sexo, é apegado ao sexo, muito apegado. É o desapego da posse e dos instintos mais primitivos que nos eleva para a luz.

32 – M.N.N. –  Não. Se for assim, a maioria das pessoas já estão iluminadas.

32 – R.V. – Não. Se uma pessoa assim é um espírito enviado pelos planos da luz, eu que admito ser vaidoso e terreno também sou. O Clodovil também!

32 – B.D. – Não. Querer tanto reconhecimento púlico também é vaidade, com tamanha vaidade ninguém alcança a Luz, espalhando uma mentira e ilusão ninguém atinge a iluminação. Os grandes iluminados da história começaram por renegar riquezas vaidade etc.

32 – C.S.D. – Não. Eu acredito que alcançar a luz é estar livre de tudo, sem apegos, sem vaidades, trabalhando 100% com devoção, caridade, amor e vivendo a espiritualidade.

32 – M.M.O. – Não. Uma pessoa que ainda possui fortes apegos, na vaidade, desvios sexuais, e preso em uma história marcada por farsas, e mentiras, está bem longe da Iluminação, do Amor, Sabedoria e da Verdade. Quem Ama Liberta. A compreensão do Amor, da Sabedoria e da Verdade, está bem longe dos desvios sexuais, da vaidade, do apego, e desejo de ser considerado Santo, mesmo que, isso implique em enganação de muitos, e aprisionamento de várias pessoas no medo e na culpa.

32 – C.A.G. – Não. Pois não se faria valer por fraudes e sim por ações verdadeiras, estaria ela sendo assistida por SERES de LUZ realizando o que deveria ser realizado sem a necessidade de criar situações para impressionar egos.

32 – E.M. – Não. Não existe luz na mentira. Não existe iluminação no engano. Quem compreende não finge saber. O Sábio não busca aplausos. A Verdade não ilude. Ela Liberta!

32 – A.N. – Não, alguém como o descrito acima apenas alcançou a frustração, a insensatez. Um Ser que alcançou tais virtudes não enganaria seus irmãos, não esperaria reconhecimento e aplausos. Essas atitudes apenas mostram que o personagem descrito acima ainda está preso na ilusão do mundo material, preso nos devaneios da mente e desconhece o plano espiritual. Criou em sua mente essa personagem “ícone espiritual” apenas para satisfação própria, satisfação de seu ego. Um Ser que alcançou a luz anseia em ver a liberdade de seus irmãos mais novos, os conduz para o mesmo caminho que percorreu (Amor e desapego), a Verdade que carrega consigo é capaz de dissipar as nuvens de esquecimento da mente humana, é um farol que ilumina e não uma âncora que afunda.

32 – M.F.G. – Não. Por que ela estaria apegada somente as suas ilusões. Ela não saberia o que é o amor incondicional, pois estaria na verdade buscando reconhecimento. Os que realmente nos amam incondicionalmente nos mostram sempre a verdade, tirando nossas máscaras e não nos enchendo delas. Uma pessoa como descrito na pergunta de nº 31, não poderia ter alcançado a luz, a iluminação, a compreensão do amor, a sabedoria e a verdade, simplesmente porque viveu na mentira.

32 – R.R. – Não. A pessoa ainda se encontra apegada.

32 – V.L. – Não. Porque um ser que se diz iluminado não teria tal vaidade jamais iria iludir pessoas ou enganar inocentes.

32 – J.J. – Não, Jamais.

32 – I.T. – Não. Porque e justamente o oposto da iluminação.

32 – J.A. – Sim. Somos todos Divinos.

32 – F.G. – Não. Muito claro que uma pessoa assim não tenha alcançado a iluminação, se tivesse não apresentaria os distúrbios acima citados.

32 – A.S. – Não. Penso que uma mente presa à natureza material não possa alcançar a iluminação.

32 – M.A.T. – Não. Porque são apegados a vícios. Iluminado é liberto.

32 – M.C. – Não. Características ligadas ao Ego não são condizentes com a luz.

32 – R.M. – Não. Como acreditar em uma pessoa presa em sua vaidade, pois ela mesma sabe que não é iluminada.

32 – F.L.B. – Não. Para se alcançar de fato a Iluminação não há como haver vestígio do ego. Acredito que se possa evoluir de fato, lutar contra o ego e chegar mais perto de um Caminho Reto, mas a iluminação com que seja 1% de ego não é possível.

32 – B.C. – Não, pois ele não atingiu a compreensão do absolutismo de Deus.

32 – H.J. – Não. Para alcançar a luz, precisa alcançar Deus no coração. Para alcançar Deus no coração, precisa expressar a luz da verdade.

32 – M.S. – Não. Está a caminho como eu.

32 – P.E.D. – Não. Penso que um ser iluminado é alguém que já se desprendeu de alguns conceitos humanos assim como alguns sentimentos vis.

32 – M.F. – Não.

32 – S.G. – Sim. Penso que a iluminação pode ocorrer em mais ou menos graus e em áreas específicas da vida pessoal de cada pessoa.

32 – I.P. – Não. Porque para viver o amor não há necessidade de se esconder.

32 – C.C.A.A. – Não, tentam fazer a caridade, mas isso não basta. Tem que evoluir como pessoa. Pode até ter seus defeitos, mas tem que evoluir.

32 – L.A.P. – Não. Pode até ter ajudado muitas pessoas, mas não precisaria enganá-las se fosse um ser iluminado.

32 – M.C.Q. – Não. Acredito que tal personalidade possa ter nobres valores, mas ainda sinta a influência, assim como nós, da mente racional e das paixões inferiores.

32 – A.C.Z. – Não. Engana os semelhantes a si mesmo.

32 – R.S.S.S. – Não. Esta pessoa se mostra a meu ver no apego total ao relativo, preso as vaidades, embora cheio de boas intenções. Foi o que pareceu enquanto encarnado.

 

33 – Concorda que o Mestre Jesus, Sidarta Gautama o Buda, Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, Lao Tsé são de fato excelentes referências de mentes espiritualizadas?

( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

33 – M.N. – Sim. São excelentes referências pois cada um dentro de sua experiência manifestou o Amor e uma compreensão mais elevada da Verdade. O Mestre Jesus foi a expressão máxima da Mente de Deus em uma experiência de encarnação aqui no Plano Relativo, ele é o Cristo Cósmico.

33 – M.R. – Sim, porque o ensinamento e o exemplo de vida que essas pessoas deixaram são de muito amor e sabedoria, são exemplos da mais refinada moral.

33 – D.T.S – Sim, concordo. E todos estes escolheram ser celibatários, porque é uma escolha natural de quem está para despertar para a luz, onde as experiências da matéria, da posse, do sexo etc, não fazem mais sentidos.

33 – R. – Sim, pois acredito que eram puros de coração.

33 – T.G. – Sim. Sem sombra de dúvidas.

33 – B.Z. – Sim, todos eles foram exemplos vivos de luz.

33 – M.N.N. – Sim. Por acreditar que eles vivenciaram o caminho da verdade. Não criaram nem se colocaram a frente de igrejas e religiões… Com a luz de seu Deus interior fizeram o próprio caminho, tão grandiosas escolhas fizeram que até hoje seus feitos ecoam…

33 – R.V. – Sim, concordo totalmente. E todos estes eram celibatários, davam prioridade ao espiritual.

33 – B.D. – Sim. Tiveram uma vida regada e verdade, humildade, paz e harmonia. Isso pode sim tornar uma mente espiritualizada.

33 – C.S.D. – Sim. Jesus é o mestre que me guia meu professor e querido amigo, ele me ilumina e guia meus caminhos, sinto a presença muito forte dele em minha vida.  Os demais também acredito ser exemplo de pessoas que viveram aqui e doaram suas vidas a serviço do amor e por amor.

33 – M.M.O. – Sim. Pois, todos levaram a humanidade, os ensinos que libertam os homens do sentimento do medo e da culpa, ou seja, a Meditação. Testificaram suas obras, e ensinaram a verdade que Deus é AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE.

33 – C.A.G. – Sim. Não sei responder por palavras.

33 – E.M. – Sim. Pouco conheço intelectualmente sobre os demais Mestres citados acima, além do Mestre Jesus. Porém, o que mais me intrigou sobre a iluminação de Chico, foi que desde que abri meu coração aos ensinamentos, senti o auxílio de todos os citados como se sempre estivesse sido assim. Porém, mesmo tendo pedido o auxílio do Chico por ser a referência mais próxima que tive, ele jamais se manifestou nem em sonho, nem em rituais (onde iniciei o trabalho com ayahuasca, disseram-me que poderia escolher um Mestre que me fosse familiar. Por isso pedi o Chico. Ao perceber que não obtinha resposta, entreguei meu saber ao Mestre dos Mestres. Imaginei que ninguém poderia ser mais certo para orientar minha busca que o Maior Exemplo. Julgaram minha escolha arrogante e prepotente. Sei que foi a escolha certa!). Por isso não me surpreendi com o que ouvi na palestra do Padrinho as reflexões que nos lançou. Só deu sentido a uma desconfiança que afligia meu ser.

33 – A.N. – Sim, são referências de mentes espiritualizadas, pois trazem consigo as Verdades Espirituais, libertam as pessoas de suas concepções limitadas, manifestam a Mente de Deus, amam a humanidade. Sobre Lao Tsé não tenho muito conhecimento, conheço pouco sobre sua história. O comum entre eles é que seus ensinamentos foram testificados pelo seu exemplo de vida e não por palavras, mas sim por atitudes altruístas, pela libertação que ofereciam em suas palavras e atitudes. Minha referência maior é o Mestre Jesus, Uno com o Pai, um perfeito espelho que reflete Deus, nosso irmão mais velho, que nos conduz ao contato com o Cristo Interno, ao contato com a Pureza, a sermos a manifestação de Deus. Cuida pessoalmente de cada irmão mais novo (nós), cuida da humanidade a séculos e não desiste de ninguém, por mais adormecido que se encontre.

33 – M.F.G. – Sim. Pelo exemplo vivo que deixaram. Suas obras vivem até hoje e sempre viverão. Acredito que elas serão eternas.

33 – R.R. – Sim. Porque de todos estes que foram citados nunca pude encontrar ninguém que neles encontrassem um defeito. Há muito tempo li alguma sobre Gandhi também. Ele só tinha o essencial, uma chinela, uma manta no corpo, os óculos, pouca coisa.

33 – V.L. – Por que realmente alcançaram e viveram o amor de Deus.

33 – J.J. – Sim. Para mim, tendo tido contato com ensinamentos de alguns deles, sinto que suas palavras me fazem sentido.

33 – I.T. – Sim. Pelas obras.

33 – J.A. – Não. Somos todos Divinos.

33 – F.G. – Sim. Lao Tsé eu não conheço, nunca pesquisei sobre. Francisco de Assis: o que conheço sobre é que pregou a servidão, assim como o Mestre e deixou a sua oração que é muito bonita. Sidartha Gautama é reconhecido pelo senhor como um ser que se iluminou e por isso confio, mas não tenho muito estudo nas suas escrituras, sei que pregou o caminho do meio e ensinou sobre as leis de causa e efeito. Quanto ao Mestre, ai dispensa-se comentários hehehe.

33 – A.S. – Sim. Com certeza! São modelos que devemos seguir para alcançarmos a iluminação.

33 – M.A.T. – Sim. Acredito pelos exemplos que eles foram em vida.

33 – M.C. – Sim. Suas obras testificam suas referências.

33 – R.M. – Sim. Pois os mesmos ensinavam o desapego.

33 – F.L.B. – Sim. Embora minha maior referência seja o Mestre Jesus. Não conheço os fatos reais de Sidarta Gautama o Buda, Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, Lao Tsé, apenas algumas teorias.

33 – B.C. – Sim, pois eles passavam um Deus do ABSOLUTO e testificavam o que eles falavam.

33 – H.J. – Sim. Porque eles alcançaram a luz.

33 – M.S. – Sim. Seres conscientes que são o próprio Deus em ação a serviço na terra e em outros planetas.

33 – P.E.D. – Sim. Os ensinamentos espirituais que deixaram são princípios universais.

33 – M.F. – Sim. Estes Mestres Verdadeiros ensinam a libertação do espírito, a independência. Ao contrário de mestres iludidos, que na verdade, buscam seguidores, dependência emocional, dinheiro.

33 – S.G. – Sim. São avatares que vieram para o planeta para ajudar a sua evolução, servem como exemplos a serem seguidos com o cuidado descrito da pergunta anterior, já que pessoalmente não conheci nenhum deles e o ser humano deturpa a realidade a todo o momento.

33 – I.P. – Sim.  Sim pela forma como viveram, sem apegos materias.

33 – C.C.A.A. – Sim, não posso dizer de Francisco de Assis e Mahatma Gandhi, pois não conheço suas obras.

33 – L.A.P. – Sim. Não sei nada a respeito de Lao Tsé, mais quanto aos outros acredito que sejam bons exemplos, pois séculos depois ainda se mantém como referência espiritual para milhões de pessoas, sem que tenha sido comprovada nenhuma fraude quanto aos feitos que realizaram.

33 – M.C.Q. – Sim. Estes foram mensageiros, irmãos abnegados, que emanavam um amor incondicional por seus irmãos e que aceitaram a missão de difundir algumas verdades sobre a nossa real natureza cósmica.

33 – A.C.Z. – Sim. Basta olhar suas obras, não seus “chiliques”.

33 – R.S.S.S. – Sim. Para mim são mentes superiores sim. Seus ensinos mudaram e continuam mudando a humanidade seja no individual como no coletivo. São transcendentais.

 

34 – Consegue imaginar o Mestre Jesus, Sidarta Gautama o Buda, Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, Lao Tsé, contratando atores para fraldar aparições espirituais, fraldar fenômenos e assim iludir as massas; Serem apegados ao ponto de possuírem distúrbios sexuais etc; Serem vaidosos ao ponto de sentirem vergonha de uma calvície e por isso usar perucas?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

34 – M.N. – Não. Tais mentes espiritualizadas, pelo nível de relembrar que atingiram, não teriam atitudes como as citadas.

34 – M.R. – Não. Esses acontecimentos também são fatos da vida do Chico Xavier, pesquisando na internet fica fácil constatar. Não consigo imaginar as pessoas citadas acima enganando as massas, porque foram exemplos de amor e verdade. Refletindo assim, mais uma vez percebe-se que o Chico Xavier jamais teve luz.

34 – D.T.S – Não, não tem como. A iluminação, para uma alma se iluminar, ela precisa deixar de ser fútil, preconceituosa, leviana, precisa conhecer a si mesma como se encontra, sua natureza e origem, precisa reconhecer que é um ser divino. Chico Xavier participou de fraudes e truques de ilusionismo  para divulgar o espiritismo e ser reconhecido como santo, e isso só faz quem tem consciência de que ainda não alcançou a luz e por isto força por subterfúgios.

34 – R. – Não, de jeito nenhum, senão não seriam o que são.

34 – T.G. – Não… não mesmo… Luz, acima de tudo é VERDADE.

34 – B.Z. – Nenhum destes machos ficou de quatro pra outro macho e nunca estiveram envolvidos em truques de mágica de salão pra enganar os outros. Macho de quatro pra macho é questão de escolha, não tá certo e nem errado, é só a escolha feita. Mas esta não é o tipo da escolha que faz um santo ou uma mente iluminada. Essa é o tipo da escolha que faz uma pessoa materialista, apegada, presa acentuadamente no ego, na baixa frequência. Esta é o tipo de escolha que faz um ser ainda longe de despertar.

34 – M.N.N. – Não. Se estes seres precisassem ou sentissem dessa forma não seriam quem foram.

34 – R.V.Não mesmo! – Enganar assim é coisa de pastores, Chico Xavier, Urandir etc.  Em contra partida Jesus, Buda, Francisco de Assis, Gandhi, Lao Tsé, estes seres foram de verdade enviados pelos planos espirituais

34 – B.D. – Não. As grandes mentes citadas acima, espalharam tão maravilhosamente bem a paz o amor a harmonia e a luz Divina quem nem da pra imaginar tal coisa.

34 – C.S.D. – Não. Claro que não, isso tudo é contrário ao amor divino, porque fariam isso? Descobriram-se no amor a felicidade.

34 – M.M.O. – Não. Tais mentes Iluminadas, não estavam presos em vaidades, nem em distúrbios e desvios sexuais. Por terem total domínio do Ego (aquilo que pensa em nós), eram espíritos Libertos. E não forjavam aparições espirituais, com o intuito de iludir massas, em troca de reconhecimento e aplausos.

34 – C.A.G. – Não. Eles não tinham compromisso algum com ego.

34 – E.M. – Não. Jamais! Senti cada um dEles! A Beleza É com Eles! Eles São! Não precisam impressionar a ninguém! O Olhar! Só O Olhar dEles preenche todo vazio! Se todos se permitissem senti-Los… Não teriam que agradar a mais ninguém!

34 – A.N. – Não, não há como imaginar tais coisas vindas do Mestre Jesus, Buda, Francisco de Assis, Gandhi, Lao Tsé, eles são Iluminados, atingiram a compreensão do Amor Incondicional, a Verdade se expressa em suas palavras e pelo seu exemplo. Possuem uma consciência una com o Pai.

34 – M.F.G. – Não. Por que acredito que eles viveram sempre na verdade suprema e absoluta, e que sabiam de fato quem eram em sua essência. Principalmente o MESTRE JESUS. É como se eu enxergasse DEUS no MESTRE o tempo todo.

34 – R.R. – Não. Não consigo imaginar, renunciaram a tudo do mundo em prol da humanidade.

34 – V.L. – Não. O mestre Jesus, Buda, Francisco de Assis e etc. eram seres realmente de luz.

34 – J.J. – Não, Não os vejo presos em vaidade.

34 – I.T. – Não.

34 – J.A. – Sim. A experiência que escolhemos aqui no relativo, não representa o que somos no ABSOLUTO.

34 – F.G. – Não. Está muito claro que comportamentos assim só podem vir de pessoas que não se iluminaram… Se eu que sou pequeno, tenho mazelas, uma porção de coisas pra resolver, não tenho atitudes assim… Isso que sou careca desde os 18 anos e nem por isso me envergonho, tomo remédio ou uso peruca pra disfarçar… Isso é coisa de fresco…  Se eu que sou eu não sou assim, quem dirá o Mestre hehehehe.

34 – A.S. – Não. Por que não!!!

34 – M.A.T. – Não. Porque eles não precisam deste tipo de apego. São iluminados.

34 – M.C. – Não. O grau de espiritualidade não os permite.

34 – R.M. – Não. Segundo a sua trajetória pregavam o desapego ficaria impossível ter vaidades e desejos sexuais e muito menos chamar atenção para aplausos.

34 – F.L.B. – Não. Com certeza não!

34 – B.C. – Não, pois isso são atos de pessoas apegadas.

34 – H.J. – Não. Porque conheceram a verdade do amor de Deus.

34 – M.S. – Não. Impossível.

34 – P.E.D. – Não. Foram seres verdadeiros que não precisaram forjar nada. Ganharam confiança pelo seu exemplo.

34 – M.F. – Não.

34 – S.G. – Não. Como referência de iluminação não pretendo imaginar falhas humanas em seres tão evoluídos, vaidade e outras esquisitices são vícios do ego a serem suplantadas através da vivência, imagino eu que tais seres já passaram desta fase.

34 – I.P. – Não. Porque os seres iluminados olham com o coração.

34 – C.C.A.A. – Não. Podem até terem feito algo de errado, eu não vivi em suas épocas e não os conheci pessoalmente, mas o que sei é que algumas coisas que escreveram serviram e servem para minha evolução.

34 – L.A.P. – Não. Não posso falar sobre Lao Tsé porque não tenho conhecimento, quanto aos outros são exemplos de desapego.

34 – M.C.Q. – Não. Tais mensageiros já superaram há muito tempo o momento em que nutriam em si as paixões inferiores da mente racional.

34 – A.C.Z. – Não. A história já provou isto.

34 – R.S.S.S. – Não. Não consigo imaginar tamanha falta de consciência espiritual. Para mim o objetivo destas mentes superiores fora sempre de instruir o ser humano a caminhar sobre bases sólidas, com as próprias pernas. Mesmo aqueles indivíduos que em algum momento fosse socorrido em suas necessidades básicas como, por exemplo, saciar a fome. Existia ali o comprometimento, a verdade, o amor absoluto nas sua mais sublime e simples expressão.

 

35 – Acredita que iluminação é consciência, é compreensão, é lucidez?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

35 – M.N. – Sim. Acredito que existem níveis de iluminação, que aumentam conforme a capacidade de manifestar a Mente de Deus e manter um elevado estado de consciência por muitos momentos presentes, níveis proporcionais à compreensão da teia da vida, das verdades, das leis e da sincronicidade do Universo, níveis que variam de acordo com a lucidez para enxergar com clareza por trás do “véu da ilusão” e perceber as movimentações energéticas da natureza e interagir com elas.

35 – M.R. – Sim, quando uma luz é acesa no meio da escuridão, ela clareia tudo e é possível enxergar o que há ao redor, nada fica oculto. Portanto, iluminação é consciência, compreensão e lucidez.

35 – D.T.S – Sim, totalmente. Se tem algo que a meditação me ensinou é exatamente isso. E novamente, a bíblia, as igrejas, chico Xavier, padrinho Sebastião, mestre Samael e mestre Gabriel demonstram claramente o oposto à consciência, compreensão e lucidez.

35 – R. – Sim, isso tudo anda junto, não pode ser desvinculado.

35 – T.G. – Sim. Acredito que isso seja o real sentido da iluminação.

35 – B.Z. – Tenho total certeza disso, iluminação é autoconsciência.

35 – M.N. – Sim. Acredito que iluminação também seja consciência, compreensão, lucidez, assim como um conjunto de outras qualidades.

35 – R.V. – Sim, acredito sim. Por isso sei que estou longe de despertar.

35 – B.D. – Sim. Acredito sim que consciência é um todo, um todo capaz de ser lúcido tendo a compreensão de todos somos um, já é um grande caminho para a iluminação.

35 – C.S.D. – Sim. Acredito que iluminação seja uma consciência muito mais ampla, total compreensão de tudo ou quase tudo, e lucidez sim, percepção.

35 – M.M.O. – Sim. Uma Mente Iluminada tem consciência, compreensão e total lucidez das verdades espirituais, e testifica em obras sua fé, nos ensinos da prática da Meditação, e o silêncio da mente que é o Único caminho que leva a Deus.

35 – C.A.G. – Sim. Acredito Sim. E ainda acredito que é muito simples alcançá-la, é apenas um ponto de vista… uma percepção é como apenas voltar os olhos a um ponto que ainda não nos direcionamos… mas que na hora certa virá, sem luta, sem obstáculos… Basta apenas querer e seguir pelo caminho atentando-se para não se desviar e tudo fluirá com leveza para a iluminação.

35 – E.M. – Sim. A terminologia que define o significado da palavra consciência nos dicionários aponta para várias vertentes mais ligadas ao convívio social. O que sinto é mais profundo. Consciência é compressão lúcida! É a Ciência imparcial e voltada para a busca. Um Ser Iluminado É um Ser Consciente! Desperto! Sábio!

35 – A.N. – Sim, acredito que a iluminação acontece quando a mente racional cede devido a força e decisão da Mente Intuitiva, quando a mente racional compreende e aceita a condução pela Mente Intuitiva, atua como sendo a ferramenta e não o condutor. Acredito que a partir daí a compreensão se torna muito maior e a mente racional se torna iluminada, consciente.

35 – M.F.G. – Sim. Por que somos consciência. Quando se compreende isso e conseguimos despertá-la, as escolhas serão feitas repletas de lucidez. Mas para isso é necessário que haja uma expansão permanente da consciência, passando assim a compreender  o que há por de traz de cada movimento da vida, fazendo com que seus pensamentos, palavras e atos sejam claros. Vejo que a iluminação se atinge na simplicidade observando quem já subiu este degrau e outros a mais. Bom, é assim que eu imagino que seja. Só poderei responder com toda convicção quando eu subir este degrau de verdade.

35 – R.R. – Sim. Hoje sinto verdadeiramente que é isto mesmo. Apesar dos defeitos que carrego. Sou grato ao Pai por ter conseguido melhorar um pouco nos últimos anos essas virtudes.

35 – V.L. – Sim. Iluminação acontece justamente por serem desapegados de vaidade e totalmente lúcidos.

35 – J.J. – Sim, Se estar iluminado é estar em Deus e Ele é essas coisas, justifica-se.

35 – I.T. – Sim.

35 – J.A. – Não. Cada coisa no seu lugar.

35 – F.G. – Sim. Acredito que se iluminar é estar totalmente consciente, livre de todos os apegos e ser uno com Deus e, portanto ser Ele de forma totalmente consciente. Certo ou não, é o que acredito.

35 – A.S. – Sim. Por que do contrário não seria iluminação!

35 – M.A.T. – Sim. Porque essa é a essência de Deus.

35 – M.C. – Sim. Iluminar é estar consciente do Divino.

35 – R.M. – Sim. Somente uma mente saudável livre de alucinações consegue a iluminação verdadeira.

35 – F.L.B. – Sim. Acredito que essa consciência, compreensão e lucidez se galga no Caminho, mas ela possa de fato se concretizar em proporção que se deixa o ego para trás.

35 – B.C. – Sim. É atingir o relembrar suficiente.

35 – H.J. – Sim. Ter consciência do amor Divino terá a compreensão e lucidez para alcançar a iluminação.

35 – M.S. – Sim. Claro, consciência total.

35 – P.E.D. – Sim. Iluminação como o nome diz é Luz, verdade, ação e amor.

35 – M.F. – Sim.

35 – S.G. – Sim. A iluminação condiz com a expansão da mente, a lucidez da realidade.

35 – I.P. – Sim. Porque é a essência do divino.

35 – C.C.A.A. – Sim, pode até ter coisas a mais, mas minha limitação espiritual não me permite afirmar com certeza se existem só estes adjetivos.

35 – L.A.P. – Sim. O aumento gradativo dessas três coisas durante as experiências de um ser correspondem à ascensão nos degraus da iluminação.

35 – M.C.Q. – Sim. É resultado do despertar da consciência para a nossa verdadeira natureza cósmica.

35 – A.C.Z. – Sim. O Caminho e a Verdade.

35 – R.S.S.S. – Sim. Não tenho dúvidas, quanto mais consciência mais se vai atingindo lucidez, iluminando a escuridão da inconsciência. Este é o processo da individuação, que é dolorido, mas que é inevitável todos passarão por ele cada um é claro, em seu tempo.

 

36 – Consegue imaginar o Mestre Jesus, Sidarta Gautama o Buda, Francisco de Assis, Mahatma Gandhi, Lao Tsé, pregando aos seus discípulos e seguidores que, para se espiritualizar é bom os alucinógenos e as drogas?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

 

36 – M.N. – Não. Acredito ser impossível que uma mente verdadeiramente espiritualizada sugira o uso de drogas ou alucinógenos.

36 – M.R. – Não. Não acho que pessoas como o Mestre Jesus precisariam de qualquer forma de drogas ou alucinógenos, não consigo imaginar alguém como ele usando algo externo. Pelo seu exemplo de vida, fica evidente que ele era senhor de si mesmo.

36 – D.T.S – Não. Drogas é ilusão, e luz é compreensão, é consciência.

36 – R. – Não, Quem ama liberta e não aprisiona nem em crenças e nem em drogas.

36 – T.G. – Não… e isso até causa um aperto em meu coração…

36 – B.Z. – Não, nunca. Drogas, alucinógenos, são caminhos opostos à iluminação. Eu gostava de beber daime, foi difícil admitir que para eu crescer precisava abrir mão dele e seguir por mim mesmo. Alucinógenos são bons pra dar um tapa na pantera, pra um barato legal, mas para crescimento espiritual não funciona. Fui drogado e parei de usar drogas quando fui pro daime. Depois voltei a usar drogas bebendo o daime nos rituais do santo daime. Resolvi acordar e sair da ilusão, hoje caminho por mim mesmo, não me drogo nem com daime e nem com outras drogas, hoje estou mais feliz e consciente de minha divindade.

36 – M.N.N. – Não. Se eles pregavam a libertação, como poderiam incentivar ao uso de muletas e amarras como o vício?

36 – R.V. – Não, essa foi pesada. Mas nem os pastores, os padres, o Chico Xavier, eu imagino fazendo isso!

36 – B.D. – Não. Acredito que com Plantas de poder o homem pode sim expandir a consciência e assim ir caminhando para a espiritualização e entendimento.
Expandir a consciência é um grande caminho (facilitado) para muitos. Mas tratando se de alucinógenos quaisquer e drogas que só fazem a frequência cair, acredito que as mentes citadas acima não teriam atingido a espiritualidade.

36 – C.S.D. – Não. Claro que não, mais uma vez creio que tudo isso seja contrário ao amor divino, drogas são ferramentas que nos desconectam de Deus, e destroem nosso “veículo”, corpo material.

36 – M.M.O. – Não. O caminho que conduz o homem ao intimo contato com Deus, é a meditação, pois, tras a luz na consciência e a lapidação do medo e da culpa, bem como da personalidade (Ego). Já o caminho que apregoa o uso de “Muletas Espirituais” é oposto ao  verdadeiro caminho espiritual, tais “mestres” iludidos como Sebastião de Mota Melo (“Padrinho” Sebastião do Santo Daime), foi uma alma totalmente sem luz, apenas mentalmente espiritualizado fez o uso de alucinógenos e drogas, como meio apenas de sentir sensações e aprisionar o homem no ego.

36 – C.A.G. – Não. Porque seria o caminho inverso ao CRISTO interno, seria se perder nos prazeres do ego através do mundo das formas e sensações.

36 – E.M. – Não. Hoje temos consciência que a ayahuasca nos auxiliou a acelerar nosso processo em busca do sentir. Porém, o resultado é o mais variado possível. Se buscarmos encarar a Realidade, ela será posta à nossa frente. Se quisermos iludir mais ainda, na ilusão afundaremos. Ela é um instrumento como outro qualquer e seu uso pode ser direcionado. Uma faca pode ser muito útil na cozinha. Ajuda a cortar os alimentos para o preparo, mas não cozinha nem serve. Pode também ser usada em um crime, mas não foi ela quem matou e sim as mãos que a empunharam. Lamentavelmente, vejo irmãos que a buscaram de forma equivocada e hoje não conseguem resolver nada sem “consultar” a ayahuasca. Pior, defendem o uso da maconha como sagrada. Sou grata a esta bebida amarga que mostrou e continua há mostrar que muito tenho a enfrentar em meu interior. Porém, sei que só a humildade e consciência do propósito que me impulsiona a “enfrentar-me” é que me fará crescer. Ela proporcionou-me conhecer um “eu” que se escondia tão bem. Como já afirmei, já doeu muito à culpa que carreguei. Mas, graças aos Amados Mestres exemplos de vida, ao colinho da Mãe Divina e ao Pai Amor, tem sido somente um processo Gratificante. A ayahuasca ajuda a encontrar muitas respostas, porém espiritualização não se resume em saber. Por em Ação o que Sabe! Só Sentir não basta! Temos que Ser o Saber! Iluminação!

36 – A.N. – Não, pois para se espiritualizar precisa é de muita disciplina, força de vontade e desapego. Quem usa drogas ou alucinógenos busca fugir da realidade, busca olhar para fora, busca pelas coisas materiais, busca por muletas ao invés aprender a caminhar com as próprias pernas. Esse é o caminho contrário que as Mentes Iluminadas, como o Mestre Jesus, ensinaram. O caminho é para dentro.

36 – M.F.G. – Não. Por que alucinógenos e drogas te prendem na ilusão dos vícios, é algo mundano, te acorrenta e faz com que a luz que existe em cada um, se ofusque se escureça. Todos estes irmãos mais velhos citados nesta pergunta, sendo o mais velhos de todos, o MESTRE JESUS, jamais ofereceriam tais porcarias para gente. O que eles nos oferecem é simplesmente a liberdade espiritual, acendem a chama divina que existem em cada um de nós. Mas fazem isso nos mostrando como fazer através do grande exemplo que deixaram. Quem diz que para se espiritualizar é bom usar drogas e alucinógenos, está perdido em seus devaneios mentais. Aqui também entra a questão das fraudes psicológicas. A mente cria algo para tornar o uso de tais drogas como algo aparentemente bom, dizendo que o uso delas ajuda na sua espiritualização. Faz-te acreditar que se essas porcarias forem consagradas passam a ser santas. Não passam de mentiras.

36 – R.R. – Sim. Impossível imaginá-los assim.

36 – V.L. – Não. Por que eles eram realmente iluminados e a mente ampliada para ensinar o verdadeiro amor divino.

36 – Julio J. – Não, Tal estado deve ser por si mesmo e não por coisas externas.

36 – I.T. – Não.

36 – J.A. – Sim. A experiência que escolhemos aqui no relativo, não representa o que somos no ABSOLUTO.

36 – F.G. – Não. Isso é um absurdo, quem usa drogas está totalmente preso no ego.

36 – A.S. – Não. Por que eles são seres iluminados!!

36 – M.A.T. – Não. Porque se fizessem isso não seriam iluminados.

36 – M.C. – Não. Absurdo.

36 – R.M. – Não. Droga mata neurônios e enfraquece a mente em alcançar o aprendizado e assim não se ilumina.

36 – F.L.B. – Não.

36 – B.C. – Não. Pois drogas é dormir, é o caminho contrário a luz.

36 – H.J. – Não. Porque drogas são coisas mundanas e não da luz.

36 – M.S. – Não. Drogas não servem pra nada.

36 – P.E.D. – Não. Jamais Mestres Iluminados incorreriam a esse erro.

36 – M.F. – Não.

36 – S.G. – Não. Penso que os mesmos deveriam indicar que o caminho da iluminação está dentro de cada ser, deve ser acessado através da meditação contemplativa e o acesso à centelha divina.

36 – I.P. – Não. Com toda certeza não, porque drogas não faz ninguém melhor, nem elevado, ao contrário. É só observarmos como estão as pessoas que usam drogas.

36 – C.C.A.A. – Não. Pois nunca foi escrito nada sobre isso.

36 – L.A.P. – Não. Esses homens pregavam o desapego, então não é possível a iluminação quando ainda há dependência de algo externo a si mesmo.

36 – M.C.Q. – Não. Tal prática vai de encontro com o acordar, com o despertar para a nossa verdadeira realidade.

36 – A.C.Z. – Não. As Drogas tem uma só serventia: podemos ver que não presta, não apenas dizer, mas comprovar vendo os irmãos virando lixo, perdendo todo o sentido da vida, a busca, a razão da vinda para a experimentação humana.

36 – R.S.S.S. – Não, não consigo, tenho consciência mesmo que minúscula destas grandes mentes. E é exatamente pelo tamanho que são possuidores, que acredito não serem estas suas instruções, e sim por processos de seu autoconhecimento, ou seja, o conheça a ti mesmo. É um caminho árduo? Talvez, mas que não existem curvas.

 

37 – Acredita que um ser de Luz, de compreensão, de sabedoria, ensinaria tolices a seus discípulos; Fosse racista descrevendo a cor da pele como sinal de definição da grandeza e purificação espiritual de uma pessoa; Dizer que é a encarnação do próprio Sol aqui na Terra; Dar a entender pelo que ensina que da santíssima trindade (pai, filho e espirito santo) ele é um dos três?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

37 – M.N. – Somente um tolo megalomaníaco ensinaria tais idiotices aos seus tolos seguidores.

37 – M.R. – Não. Porque já acreditei em pessoas que se diziam grandes coisas e vi que quando uma pessoa se engrandece demais, é porque ela não é nada daquilo. Quando uma pessoa é grande espiritualmente, ela não fica falando, ela mais dá o exemplo de vida, mostra nas atitudes.

37 – D.T.S – Não, nossa, claro que não! Uma pessoa assim é caso de insanidade, já é loucura. O pessoa que fica na oasca, drogas e santo daime tem estas tendências. O padrinho Sebastião do santo daime era dependente químico e achava ser João o batista. O mestre Gabriel da união do vegetal era racista, megalomaníaco e cheio de encarnações miraculosas. O mestre Irineu por uma época achou que era jesus, mas depois viu que estava no ego. Nossa, ser o sol na Terra, o Gabriel viajou fundo na maionese.

37 – R. – Não, isso é ridículo

37 – T.G. – Não. Acredito que esse seja um ser iludido.

37 – B.Z. – Não. Isso foi só as “doideiras” do mestre Gabriel da UDV. Não foi à toa que morreu abandonado em um hospital.

37 – M.N.N. – Não. Luz, compreensão e sabedoria são opostos ao racismo e a megalomania, não dá para imaginar uma pessoas com essas características e ser um ser iluminado.

37 – R.V. – Não, não mesmo. Luz com racismo, compreensão com mania de grandeza, sabedoria com loucura, são coisas opostas.

37 – B.D. – Não. Começando que o racismo é o PIOR defeito que um homem pode ter, jamais um ser de luz diminuiria seu semelhante, um ser de luz não viria à terra para provar aos outros quem é, quem foi ou quem está se tornando – isso me parece também com vaidade.

37 – C.S.D. – Não. Não acredito porque todos nós somos filhos de Deus,portanto, somos Deuses-filhos, um ser de luz jamais praticaria esse tipo de coisa, vaidade é contrário ao amor divino, e para alcançar a iluminação temos que estar desapegado de tudo e vibrando só o amor.

37 – M.M.O. – Não. Um Ser de Luz, não é racista, muito menos ensina tolices, pois, a cor da epiderme, não tem relação nenhuma com a grandeza espiritual de um homem, a dimensão de sua fé, está presente em suas obras. “Mestre Gabriel” (José Gabriel da Costa – UDV), foi uma alma totalmente sem luz, preso em devaneios e ilusões, apregoava aos seus seguidores muitas mentiras, egocentrico e megalomaníaco, se intitulava a encarnação do próprio Sol, vemos nesse espisódio, até que ponto pode chegar a falta de lucidez de um homem. O fato é que “mestre Gabriel”, foi enterrado como indigente, pois, nem mesmo sua família fez questão de fazer a ele um velório.

37 – C.A.G. – Não. Uma pessoa que se utiliza de referências egóicas, ou seja, das grandiosidades do mundo físico e da cultura humana do mundo físico (grandiosidades essas definidas pelo ego, pela vaidade humana, pela cultura vaidosa humana) para fazer analogia com as referencias contrárias às “COISAS” DIVINAS, ainda não alcançou a LUZ, tanto que ainda tem como referência às coisas mundanas.

37 – E.M. – Não. Mestre Jesus não distinguiu a quem pregar e auxiliar. Ele nos Ama independentemente de nossas escolhas, raça, cor de pele, credo etc. Amou os judeus e também os romanos, as mulheres, crianças, idosos… Ao Seu lado, caminharam pessoas de distintas classes e também os excluídos. Nunca ostentou luxo, título ou riqueza. Não intitulou-se rei. Foi humilhado e crucificado. Se Jesus declarou-se Filho do Pai, também nos chamou de irmãos. Portanto, colocou-se no mesmo nível de todos nós. Nem acima e nem abaixo. A Humildade foi o exemplo Maior que o Mestre nos ensinou. Prepotência e arrogância são sinônimos de poder. O poder pertence ao mundo ilusório do ter.

37 – A.N. – Não, esse ser não é da Luz coisa nenhuma, é mais um frustrado cheio de devaneios e encarnações megalomaníacas.

37 – M.F.G. – Não. Por que este é um exemplo de onde devaneios mentais podem levar uma pessoa. Faz tal “ser de luz” morrer como um indigente.

37 – R.R. – Não. Onde estaria a luz, então? Onde estaria a humildade? Onde está a sabedoria destes atos?

37 – V.L. – Não. Acredito que se fosse realmente um ser de luz em primeiro lugar, seria mais humilde e não queria ser a encarnação do próprio sol aqui na terra.

37 – J.J. – Não. Penso que Deus não está em categoria, ele á toda a existência.

37 – I.T. – Não.

37 – J.A. – Sim. A experiência que escolhemos aqui no relativo, não representa o que somos no ABSOLUTO.

37 – F.G. – Não. Para fazer isso a pessoa só pode estar demente.

37 – A.S. – Não. Por que tais elementos citados acima estão na contramão da luz!

37 – M.A.T. – Não. Quem é iluminado simplesmente é. E suas ações mostram isso não somente o que no que ele diz.

37 – M.C. – Não. São mentes que estão na ilusão.

37 – R.M. – Não. Pois estes ensinamentos fogem do amor de Deus.

37 – F.L.B. – Não. Rsss…ególatras sim: União do Vegetal e Santo Daime. Sabe, antes de conhecer a fazenda, eu ia aos rituais do Santo Daime. Lá comungávamos a Ayahuasca, que por sinal era um copão e parecia um cházinho da “mamãe”, então, um silêncio se estabelecia – chamavam de concentração – não havia música, aliás, havia sim muitos, muitos latidos, carros passando, pessoas conversando na rua… então, éramos obrigados a levantar e rezar com a “madrinha do local” nem sei quantos “pai-nosso” e numa velocidade incrível. Aí depois, tínhamos que cantar o hinário e tudo mais, querendo ou não. Depois, ainda eram dados instrumentos nas mãos das pessoas- se estavam tendo alguma experiência, eram tiradas deste estado e tinham que tocar algo ou pelos menos dançar com a “madrinha do local” e olha que tocavam música de Seu Jorge e por aí vai. Na época, eu achava “super descolado”. Depois de um tempo a “madrinha do local” já pitava a “Santa Maria”. Inclusive até me deu um pouco pra eu me “conectar”, ter experiências. Inclusive comecei a utilizar, então me dei conta: ”poxa, já tinha parado de usar drogas fazia muito tempo e agora iria voltar?”. Aí, desiludido, como ela já não fazia muitos rituais por que tinha muita “festinha” aos fins de semana pra ir, fui procurar outro local e encontrei o Céu Nossa Senhora da Conceição. Fui no curso de Daime para Todos e já no primeiro ritual entendi que estava vivendo na pura ilusão. Eu queria trazer, na verdade, o chá e até compartilhar com essa “madrinha do local”, mas compreendi na fazenda que jamais daria o chá pra ela. Foi minha primeira experiência com o Xamanismo. Voltei pra casa mudado: minha situação com minha esposa se estabeleceu em paz por fim e também com meu familiares. Eu havia compreendido. Então, um dia, encontrei a “madrinha do local” e ela me perguntou como tinha sido. Contei a ela que havia me maravilhado com tudo, que havia encontrado o caminho, mas ela mal queria ouvir. Disse a ela sobre as drogas, que deveria parar com isso e ela falou mal do Padrinho Gideon. Defendi a Fazenda e por fim ela me relatou: “No caminho do Santo Daime, venho do Acre e já passei pela maioria das igrejas do Santo Daime, 90% dão drogas aos participantes, inclusive existem algumas que passam em bandejas”. Mas então, ela optou por esse caminho e eu segui o meu. Graças ao Papai do Céu, hoje estou obrando junto ao Padrinho Cris e a Madrinha Margarida no Céu das 7 Linhas e lutamos contra as drogas e por uma Ayahuasca séria e rituais que realmente levam os irmãos à batalha real! Sou muito grato ao Senhor Padrinho Gideon, aos fiscais da Fazenda que muitooo me auxiliaram, ao Céu das 7 Linhas e todos Institutos Ir+mãos.

37 – B.C. – Não, pois isso é totalmente racional, a expressão de uma mente sem luz.

37 – H.J. – Não. Porque estão presos ao próprio ego. E, como tal, não conheceram a luz.

37 – M.S. – Não. Seres de luz são humildade, universalistas e amor, não o contrário.

37 – P.E.D. – Não. Ele só ensinaria as verdades espirituais do Divino.

37 – M.F. – Não.

37 – S.G. – Sim. Apenas não me surpreenderia, pois do ser humano nenhuma imbecilidade é impossível.

37 – I.P. – Não. Não, nem consigo falar sobre isso, é pura ilusão.

37 – C.C.A.A. – Não, os seres de luz não necessitam dizer que são isso ou aquilo, seus atos comprovam que são de luz.

37 – L.A.P. – Não. Devemos medir um homem pelas obras, não pelo que diz sobre si mesmo.

37 – M.C.Q. – Não. Um ser de luz não nutriria tal vaidade. Apenas alguém escravo dos desejos primitivos do ego é que exerceria tal comportamento.

37 – A.C.Z. – Não. Faltou-lhe razão e simplicidade, sem falar na luz interior que no primeiro contato já nos torna humildes e buscadores.

37 – R.S.S.S. – Não, para mim estes tipos psicológicos são megalomaníacos, delirantes, que infelizmente atraem para si indivíduos com este mesmo padrão vibratório para alimentá-los em seus delírios. Indivíduos presos numa mesma constelação.

 

38 – Acredita que, com a tecnologia de transporte já existente em 1971, um grande mestre espiritual reconhecido por uns 5 mil de discípulos, poderia morrer largado, sozinho, abandonado e ainda por cima ser enterrado como indigente num cemitério público em Brasília DF e assim permanecer por 02 meses?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

38 – M.N. – Não. Se fosse um mestre espiritual do século XX não seria enterrado nessas condições, nem que fosse enterrado no quintal de sua casa sem honras fúnebres mas não nas condições supracitadas.

38 – M.R. – Não. Se uma pessoa é assim tão querida, tem tantos discípulos, acredito que seus discípulos e amigos iriam notar sua ausência e sentir saudades, que iriam procurar por essa pessoa e ao constatar sua morte, dar a ela um enterro digno e apropriado. Mas este foi o caso do Gabriel da UDV, União do Vegetal, aconteceu isso com ele mesmo, ou seja, fica evidente que ele não era uma pessoa querida quando viva.

38 – D.T.S. – Não. O Gabriel da união do vegetal morreu sozinho e abandonado porque ninguém suportava ele, nem mesmo a família. Tudo indica que em sua mania de grandeza se tornou intragável. Foi enterrado como indigente porque o hospital não teve ninguém para informar de sua morte, já que não houve visitações para ele em todo o tempo que ficou internado. O mestre Gabriel da união do vegetal, ao meu ver, foi louco, insano, doido, foi um fora da casinha muito ignorante de conhecimentos científicos e claramente nenhuma sabedoria.

38 – R. – Não. Forjamento total.

38 – T.G. – Não. Acredito que se colhe o que se planta… que seus discípulos foram para ele o que ele foi… a expressão de uma alma sem luz.

38 – B.Z. – Não, sem chances! Em 1971, o transporte aéreo para viagens a capitais era uma rotina de muita gente. A situação do mestre Gabriel é que: ninguém se preocupou com ele, o que me leva a pensar que ele não foi tão amado assim com diz a udv. Ao estudar a história do mestre Gabriel que existiu de verdade, encontramos um homem comum que não se parece “nadica” com o tal mestre Gabriel que fala a udv. Penso que na udv depois que o mestre Gabriel morreu, criaram o mito Gabriel “o santo”, criaram estorinhas sobre Gabriel, “o iluminado” que veio trazer a luz. E que fizeram isso talvez para formar uma nova doutrina, igreja, religião, explorar economicamente os adeptos etc. Mas desde 2009, quando o padrinho Gideon e seu pessoal se empenharam em trazer publicamente a verdade dos fatos sobre a udv, onde a desmascarou rapidamente, que ela está tendo que se adequar na “marra” para poder sobreviver. Antes, para a udv era no céu Deus e mestre Gabriel, e tinha também um “tal” de Jesus em algum lugar. Mas, depois de 2009, com as pesquisas históricas do padrinho e seu pessoal, tornando-se públicas, o mestre Gabriel como santo ficou difícil de engolir até pelos próprios mestres antigos de lá. A udv é conhecida por muitos como local de mestres iludidos. Muitos na udv, ainda hoje afirmam que o homem não pisou na lua, que é tudo armação. Mas se trata de uma seita pequena, provavelmente a menor linha oasqueira do Brasil.
Mas o que estou enfatizando é que, uma pessoa que foi amada ao menos por uma meia dúzia de gente, vai receber visitações no hospital se ele adoecer; vai ser enterrado depois de um velório com os entes que o ama, e sob nenhum pretexto, com exceção de que seja uma “guerra entre países”, essa pessoa será enterrada como indigente e ainda permanecer assim por 60 dias.

38 – M.N.N. – Não. É difícil imaginar isso, essa pessoa deve ter feito muita coisa feia para ser abandonado por todos.

38 – R.V. – Não. Vejo como caso de uma pessoa abandonada por todos.

38 – B.D. – Não. Acho que no final de tudo muitas pessoas caíram em si e, enxergaram a verdade: um líder espiritual jamais acabaria no abandono e na solidão.

38 – C.S.D. – Não houve resposta.

38 – M.M.O. – Não. Os fatos mostram que um homem, para ter sido enterrado como indigente, é um ser totalmente ignorado por todos, e se tinha 5 mil seguidores, ao menos um faria um velório em seu reconhecimento. Nem mesmo um animal, quando amado pelo dono é enterrado com total desprezo.

38 – C.A.G. – Não. Dessa forma, o mestre psicologicamente acreditava que era mestre diante de seus discípulos, enquanto que os discípulos acomodados deixavam essa ilusão se manifestar, e se estes últimos não foram assistir ao “mestre”, é porque no seu íntimo sabiam que tudo não passava de um teatro de falsidades.

38 – E.M. – Não. O Mestre Jesus e os demais citados acima morreram há mais de dois mil anos. Todos sabemos que estiveram aqui, mesmo que seja o básico do básico referindo-se aos Mestres que encarnaram no Oriente e pouco divulgados em nosso país. Sinceramente, nem imagino quem seja este “grande mestre espiritual” mencionado na questão acima.

38 – A.N. – Sim acredito, e acredito também que esse grande mestre era um mestre bem iludido, pois um mestre espiritual reconhecido e amado por tanta gente, nunca poderia morrer sozinho e muito menos enterrado como um indigente.

38 – M.F.G. – Não. Por que primeiramente, um verdadeiro mestre espiritual vive na humildade e simplicidade. Ele jamais sairia falando por ai que é um mestre e muito menos a reencarnação de um astro celeste. Um verdadeiro mestre espiritual desperta amor nas pessoas e não o contrario disso. Só o fato de alguém que se diz mestre espiritual, ter sido largado, abandonado e ter sido enterrado como indigente, mostra qual sentimento que ele despertava nas pessoas. E o pior que existe gente que o chama de mestre até hoje. Diante disso só posso dizer uma coisa: É BRINCADEIRA.

38 – R.R. – Não.  Um grande mestre espiritual sozinho, sem ninguém por perto? A “viagem” poderia ter sido mais organizada. Nem portava documentos pessoais pelo jeito. Pois aprendi pela vida a fora que só se enterra como indigente quem não tem documentos pessoais consigo.

38 – V.L. – Não, ele não era um grande mestre.

38 – J.J. – Penso ser relativa essa pergunta.

38 – I.T. – Não. Os fatos já respondem o porquê por si mesmo.

38 – J.A. – Sim. A experiência que escolhemos aqui no relativo, não representa o que somos no ABSOLUTO.

38 – F.G. – Não. Impossível de isto acontecer.

38 – A.S. – Sim. Por que as pessoas só estão ligadas às coisas da natureza “material” e não se importam nem com pessoas e acontecimentos que as levariam a reflexão de natureza “espiritual”.

38 – M.A.T. – Não. Confesso não saber de quem se fala nesta questão. Entretanto, esse com certeza não foi mestre nem de si mesmo.

38 – M.C. – Não. Ilusão.

38 – R.M. – Não. Não consigo imaginar que ao menos 10% desses cinco mil seguidores não tivessem condições, através de um carro, um ônibus ou trem, dar condições de um enterro mais adequado.

38 – F.L.B. – Não. Esse falso mestre retrata bem o caminho onde a ilusão das drogas pode levar o ser humano.

38 – B.C. – Não, pois se ele era tão conhecido, e em 1971 as informações já circulavam bem.

38 – H.J. – Não. Porque, quem anda na luz terá os atributos da luz.

38 – M.S. – Não. Não faz sentido pra mim, quem dá amor, recebe amor.

38 – P.E.D. – Não. O Destino do corpo decorrente da passagem de um Mestre verdadeiro seria digno de sua obra.

38 – M.F. – Não.

38 – S.G. – Sim. Penso que a manipulação das massas pelos dirigentes neste país pode ter promovido este tipo de atrocidade,  o povo que não pensa, não atinge a iluminação, é mais controlável – que fiquem com igreja, futebol e novela.

38 – I.P. – Não. No mínimo ele teria um túmulo bonito e seria lembrado no dia dos Mortos.

38 – C.C.A.A. – Não. Não é lógico. Um único discípulo verdadeiro já seria o bastante para lhe dar uma morte digna.

38 – L.A.P. – Não. Não sei a quem se refere, mas com certeza um grande mestre não morreria desta forma.

38 – M.C.Q. – Não. Tal fato só ocorreria com quem fosse propagador de inverdades, frutos de seus devaneios e escravo do seu ego.

38 – A.C.Z. – Não. Se na vida achou que era um “Rei” a morte o colocou no “lugar” certo.

38 – R.S.S.S. – Não. Não, o que de fato aconteceu com este mestre e seus discípulos? Acredito que fora um grande engodo deste indivíduo; ele, pelo visto não conseguiu nem ser mestre de si mesmo, quanto mais de outros. Coisa que não é muito fácil ser é mestre de si mesmo.

 

39 – Consegue imaginar seu gatinho, seu cachorrinho, o animalzinho que ama, ser enterrado como indigente?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

39 – M.N. – Não.Meu animal de estimação seria enterrado com muito respeito e gratidão.

39 – M.R. Não. Se meu cachorro morrer, eu vou cuidar para que ele seja enterrado, pois é meu animal de estimação, gosto dele.

39 – D.T.S – Nunca, meu cachorro quando morrer vai ser enterrado devidamente, porque é amado por mim e minha família. Como indigente é enterrado somente o rejeitado por todos.

39 – R. – Não. Sofro muito com a perda dos meus bichinhos.

39 – T.G. – Não. De jeito nenhum…

39 – B.Z. – Não, nunca! Pode ser até um cão, se ele for amado por algumas poucas pessoas pelo menos, não vai ser enterrado como indigente. No ano passado, a gatinha de cinco anos da minha vizinha, morreu. Ela e as crianças da casa fizeram até um velório para a gata! Imagine só, se fosse um mestre amado por milhares?

39 – M.N.N. – Não, pois são amados e queridos.

39 – R.V.NÃO, NÃO e NÃO! É desumano fazer isso e sou veterinário.

39 – B.D. – Não. Não por que ele é amor, eu o reconheço como divino, eu o amo com toda força, jamais o abandonaria. E assim Vemos mestres que morreram e não foram abandonados.

39 – C.S.D. – Não. Jamais faria isso, eu que o amei tanto em vida, porem hoje já encaro a morte com outros olhos, se a morte e a libertação do ser, o que fica não passa de um material sem utilidade, então porque cultuar o local onde se enterra seu ente querido, se ele não está ali?

39 – M.M.O. – Não. Até mesmo um animal, é digno de ser enterrado com reconhecimento.

39 – C.A.G. – Não. Quem ama cuida, quer o bem, protege e dá assistência.

39 – E.M. – Não. Porque os amo! Fazem parte de nossa família. Fazem parte de nosso ser!

39 – A.N. – Não, ele seria enterrado com muito carinho.

39 – M.F.G. – Não. Simplesmente porque o sentimento que os meus animais de estimação me despertaram foi de amor.

39 – R.R. – Não. Até do animal a gente vai atrás quando some.

39 – V.L. – Não. Por que o amor dos animais é sincero e não querem nada em troca.

39 – J.J. – Não. Eu o amando, faria uma despedida e um enterro.

39 – I.T. – Não.

39 – J.A. – Sim. Isso acontece diariamente, maltratar animal é crime.

39 – F.G. – Não. Realmente isso não aconteceria com meu cachorro, não seriamos capazes disso.

39 – A.S. – Não. Por que temos que ter respeito e amor e um enterro digno para aquele que um dia tanto amamos.

39 – M.A.T. – Não. Apesar de ser animal, seria enterrado em local adequado pelo seu dono. Porque quem ama faz o melhor pelo seu amado.

39 – M.C. – Não. Não permitiria.

39 – R.M. – Não. Somos todos filhos de Deus.

39 – F.L.B. – Não.

39 – B.C. – Não. Eu mesmo o enterraria em um terreno.

39 – H.J. – Não. Porque ele tem quem cuide dele.

39 – M.S. – Não. Pelos animaizinhos também sentimos amor.

39 – P.E.D. – Não. Quem recebeu amor e retornou carinho, tem um final diferente e digno.

39 – M.F. – Não.

39 – S.G. – Não. Eu o enterraria no quintal.

39 – I.P. – Não. Tenho uma cachorrinha muito querida, que está ficando velhinha, ela é muito especial pelo seu jeito de ser e penso nisso. Onde enterrar o seu corpinho quando vier a morrer?

39 – C.C.A.A. – Não. Um animal doméstico é um ser vivo que compartilhou sua existência comigo, merece meus cuidados até seu último dia.

39 – L.A.P. – Não. Um ser pelo qual se tem algum afeto teria um destino mais digno.

39 – M.C.Q. – Não. O enterro do corpo físico, de certa forma, simboliza os que desencarnaram. Portanto, submeter alguém a um enterro indigno nos faz remeter à importância que este teve às pessoas que o rodearam quando em vida.

39 – A.C.Z. – Não. Porque desta sua resposta? Mesmo que ninguém ligue Eu estarei lá.

39 – R.S.S.S. – Não, na minha concepção quem ama cuida mesmo após sua morte. O que me parece é que este mestre era iludido mesmo, e por isso foi abandonado.

 

40 – Acredita mesmo que um dependente químico poderia ser a reencarnação de São João o Batista? Que um criminoso sentenciado a 9 anos de prisão por crime de sequestro poderia ser a reencarnação do rei Davi? Que um viciado em drogas poderia ser a reencarnação do rei Salomão?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

40 – M.N. – Não. Espíritos que atingiram níveis de sabedoria e relembrar espiritual há tantos séculos atrás não regrediriam em suas experiências encarnatórias a ponto de usarem drogas ou cometerem tais crimes.

40 – M.R. –Não. Se rei Davi e rei Salomão eram pessoas de luz, não poderiam encarnar vivendo como drogados. Se isso acontecesse, é porque eles não teriam lembranças de suas vidas passadas, portanto, não tem como alguém que é viciado em drogas dizer que foi rei Davi ou Salomão. E isso me parece megalomania.

40 – D.T.S – Não. É a ensandice do santo daime novamente, é a ilusão da maconha e outras coisas. O padrinho Sebastião, o Alex Pollari e o Alfredo Gregório, tem em comum o uso intenso de muita droga, e como tais, vvem numa ilusão.

40 – R. – Não. Pura alucinação.

40 – T.G. – Não. Eu acredito que este seja mais um “mestre” farsante e iludido…

40 – B.Z. – Graças a deus parei de beber oasca e pitar maconha! Hoje “tô” virando gente.

40 – M.N.N. –Não. Nossa isso tudo é tão absurdo, foge tanto da realidade que fica difícil acreditar… coisas de mentes doentes!

40 –  R.V. – Não. Isso é sério, é alguma piada?

40 – B.D. – Não. Um absurdo tanta negatividade dar a alguém tal status.

40 – C.S.D. – Não. Claro que não acredito. Como pode um dependente químico ou um criminoso totalmente desconectado do amor de Deus poder recordar quem foi? E mesmo assim, porque ele seria logo uma personalidade? Na minha concepção não é possível.

40 – M.M.O. – Não. Os fatos mostram o contrário disso. “Padrinho” Sebastião não passava de um dependente quimíco, um “mestre” iludido, jamais poderia ser a reencarnação de João Batista. Fundador do cefluris, onde se pratica o narcotráfico com  o daime, foi um viciado, preso em seu ego, tudo que fez foi incentivar a drogadição de jovens e crianças, uma alma totalmente sem luz, sem amor e sem lucidez.

40 – C.A.G. – Não. Porque seria uma contradição enorme, uma inversão total de valores. Uma analogia que se pode fazer entre os aspectos da humanidade e a LUZ é que as virtudes da Humanidade são correlatas a LUZ, portanto, ser criminoso, ser vaidoso e ser drogado em nada tem a ver com virtudes, portanto nada tem a ver com a LUZ.

40 – E.M. – Não. Jamais! Por experiência própria, mesmo sendo “ninguém” em saber e conhecimento comparando aos Mestres referidos acima, até houve o equívoco de experimentar drogas para ser aceita. Também tantas outras ações equivocadas que praticamos. Porém, uma “voz” sempre nos chamou rapidamente de volta à razão. Nunca permanecemos muito tempo em sono profundo. Foi no máximo, um “cochilo”. Jamais chegamos a nos viciar e olha q provamos drogas que são consideradas “super” viciantes! Vi amigos morrerem em poucos meses depois da primeira dose e muito lutaram para livrar-se do vício. Como alguém sendo a reencarnação de tão grandes Mestres poderia ter sua consciência tão adormecida, que o deixasse viver na ilusão sem “chamá-lo” a Razão?

40 – A.N. – Não, acredito que esses viciados são cheios de devaneios, inventam reencarnações famosas apenas para justificar o fracasso que são em vida. O engraçado é que esse pessoal reencarna apenas como celebridades, pessoas famosas, de status e de influencia, nenhum deles foi um escravo, um mendigo… apenas celebridades, quanta ilusão!

40 – M.F.G. – Não. Por que são ou eram pessoas presas em seus devaneios mentais. Eu nunca estive nestes lugares, graças a DEUS, mas só deveria realmente dar celebridade por lá, heim. É tudo reencarnação de almas que fizeram histórias. Mas como pode uma pessoa ainda hoje acreditar em tais loucuras? Será que nunca pararam para analisar se as obras das pessoas que se dizem ou diziam ser as reencarnações de João Batista, do Rei Davi e do rei Salomão condiziam com as obras que ELES (os verdadeiros) realmente fizeram no passado? Bom, tenho certeza que não foram criminosos, viciados e nem sequestradores. Muito pelo contrário, suas obras ecoam até hoje.

40 – R.R. – Não. Que mérito tem uma pessoa “dessa” para ter uma reencarnação tão abençoada como esta? Que iluminação, que sabedoria demonstrou, que obra fez para que assim fosse?

40 – V.L. –Não. Porque para ser o que disseram terem sido:” iluminados”, não teria qualquer vício.

40 – J.J. – Não. Acho que é loucura, apesar de que esses nomes citados também tinham seus defeitos.

40 – I.T. – Não.

40 – J.A. – Sim. A experiência que escolhemos aqui no relativo, não representa o que somos no ABSOLUTO.

40 – F.G. – Acredito que quando reencarnamos, reencarnamos ao menos um pouco melhor que na vida passada hehehe, não imagino rei Salomão reencarnar e fumar maconha.

40 – A.S. – Não. Óbvio que a mente forja títulos de nobreza de um ser totalmente movido pelo ego.

40 – M.A.T. – Não. Porque só o fato de querer se alguma celebridade já indica sua ausência de luz.

40 – M.C. – Não. Mais uma vez pura ilusão.

40 – R.M. – Não. Como disse, as drogas destroem a mente humana, não ilumina e desvia do caminho da verdade, fica difícil de acreditar; isto a meu ver, está é mais para uma paranoia.

40 – F.L.B. – Não. Viveram na ilusão!

40 – B.C. – Não, pois nestes dois casos, esses são os maiores apegos na matéria.

40 – H.J. – Não. Porque não tem postura daqueles que caminham na luz.

40 – M.S. – Não. Pela árvore, se conhece seus filhos.

40 – P.E.D. – Não. Jamais o plano espiritual conceberia isso.

40 – M.F. – Não.

40 – S.G. – Não. Se tais acusações são verdadeiras fica difícil imaginar uma entidade já com certo grau de evolução regredir ao ponto de fazer estas bobagens.

40 – I.P. – Não. Porque drogas levam ao buraco, à loucura e isso é demonstração de loucura.

40 – C.C.A.A. – Não. Se fosse possível, eu diria então que poderia haver uma involução da alma.

40 – L.A.P. – Não. A tendência de todo ser é evoluir espiritualmente e não regredir.

40 – M.C.Q. – Não. Tal comportamento descrito acima, de alguém que é escravo das paixões inferiores, não condiz com a personalidade de irmãos que amavam o próximo e que era lúcido, como João Batista.

40 – A.C.Z. – Não. EEEEEEEGGGGGOOOOOOO

40 – R.S.S.S. – Não. Hoje tenho plena consciência de que isso não seria possível. Porém, há algum tempo passado, através dos conceitos Kardecistas da lei de reencarnação, estas baboseiras eram bem verdadeiras. Graças a Deus a máxima do Mestre Jesus, conhecereis a verdade, e a verdade vos libertaras. Sei que tudo se explica através das experiências que você, espírito fizer. Lei de causa e efeito.

 

41 – Acredita na bíblia como sendo um livro santo, como sendo o livro de Deus, como o livro onde revela Deus em seu Absolutismo e Amor?
( ) Sim ( ) Não – Por que desta sua resposta?

 

41 – M.N. – Não. Acredito que a bíblia seja um livro que reúne muitas histórias bonitas e inspiradoras, vários trechos de discursos de muita sabedoria, mas que em sua maior parte não revela claramente o Absolutismo de Deus, pelo contrário, cria a imagem de um Deus vingativo e cheio de vontades.

41 – M.R. – Não. Não acredito mais na bíblia, aliás, nunca acreditei, porque na bíblia tem muita bobagem escrita, por exemplo: fala que Deus manda matar até crianças. Não consigo imaginar Deus, sendo Pai, mandando matar seus filhos na Terra, mandando matar até mesmo crianças.

41 – D.T.S – Não, porque deus não é um hipócrita.

41 – R. – Não, Existem muitos livros santos e foram escritos por homens, é necessário sempre ter discernimento, fé cega é burrice.

41 – T.G. – Não. Acredito que a bíblia seja um livro conveniente aos homens… e Deus está MUITO acima de tudo isto.

41 – B.Z. – Não. A bíblia mostra um deus hipócrita e malvado. Se deus fosse só 10% da malvadeza que a bíblia mostra dele, nem precisariam inventar o diabo!

41 – M.N.N. – Não. Ao ler a bíblia vejo passagens que parecem diminuir o absolutismo e o Amor de Deus, está mais para livro dos homens do que o livro de Deus. A maior parte das passagens foi modificada pelo homem na sua ganancia de poder.

41 –  R.V. – Não, não acredito mais. A bíblia é uma referência das verdades divinas tanto quanto são as igrejas evangélicas e seus pastores, o Kardecismo e o Chico Xavier, a igreja católica e os padres.

41 –  B.D. – Não. Desculpa, mas a bíblia sendo taxada como livro de Deus Absoluto é um tanto contraditório. Sim, existem passagens bonitas e de bons ensinamentos. Mas uma enorme quantidade de passagens que mostram um Deus Tirano, vaidoso, cheio de vontades, que te pune e te joga dentro do caldeirão do inimigo por você não ter seguido suas milimétricas regrinhas. Isso destrói qualquer princípio de um Deus Absoluto.

41 – C.S.D. – Não. Nunca acreditei, a bíblia foi criada pelos homens para manipular as mentes, assim acredito, mas também contém mensagens bonitas que, muitas das vezes, interpretadas da pior maneira. Deus não precisa de um livro sagrado, nós já temos tudo gravado dentro de nós.

41 – M.M.O. – Não. A bíblia é um livro falso, escrito por homens. A bíblia retrata um falso Deus, isto é, um Deus que pune, que castiga e manda matar, onde estaria o Absolutismo e Amor de Deus, se isso fosse real? Histórias biblicas, sao “historinhas pra boi dormir”, não passa de criações de mentes sem consciência, as narrativas biblicas não passa de lendas, folclore.

41 – C.A.G. – Não. Nenhum livro seria capaz de revelar DEUS, pois nenhum texto seria capaz de expressar DEUS. Talvez um dia de fato um livro fosse escrito por um iluminado com puras e exatas palavras que seriam as que melhor nos orientaria… mas foi perdido ou transcrito e perdeu o seu valor, a bíblia está longe de ser um texto a ser levado a sério como orientação espiritual.

41 – E.M. – Não. Já na segunda aula de um ano torturante da catequese, aos oito anos de idade, percebi a mentira que escreveram sobre Deus nas páginas da Bíblia. Que medo senti dAquele que tanto nos amava e adorava! Ele exterminava nações inteiras por ter desobedecido suas “leis”. Matava crianças inocentes para punir os pais! Não era o mesmo Deus que escutava meus lamentos e minhas súplicas. Não eram as mãos que me enxugavam o pranto dizendo que tudo estava bem. Não aceito a Bíblia como livro santo. É um livro de história que mistura fatos que aconteceram com o desejo de manipular a população na direção que favorece somente aos “donos do gado”. Como gado, as pessoas são conduzidas ao pasto, esperando o abate….

41 – A.N. – Não acredito na bíblia, pois é um livro falso, escrito por homens e alterado pelas igrejas e governos. Um livro para prender as pessoas nos cabrestos do medo e da culpa, mais uma vez. Como pode a Bíblia ser um livro de Deus se a mesma mostra um deus tirano, vingativo, cheio de vontades, enfurecido, raivoso? Não pode e não é ela não mostra o Absolutismo de Deus.

41 – M.F.G. – Não. Primeiramente porque a bíblia foi escrita por mãos humanas. Segundo, porque quem escreveu as suas passagens não esteve no momento dos fatos ocorridos, portanto a possibilidade de ter acontecido “erros” é grande. Apesar de eu acreditar  nas passagens do MESTRE JESUS, eu acredito também que nem tudo sobre o MESTRE foi dito na bíblia, e que a maioria das passagens escritas neste livro foi distorcida. Pois quem o escreveu, provavelmente escreveu ouvindo histórias de pessoas que ouviram de outras pessoas. Desse modo, sempre haverá distorção. Como pode a bíblia mostrar o absolutismo de DEUS, mostrando um lado que pune, julga e condena DELE. Houve distorção aqui. DEUS é amor e absoluto e essa é a realidade. Acredito também que existem distorções na bíblia que foram feitas de propósito pelas igrejas, pois através do “livro sagrado”, elas teriam o poder de dominar as massas como quisessem. Mas se houve distorções, isso quer dizer que existem escrituras sagradas originais e verdadeiras. Elas não são reveladas justamente porque são verdadeiras e não uma farsa. Faria com que a humanidade enxergasse o quão distorcida a bíblia de hoje está. E com quem será que estão estas escrituras originais?R. Com quem vem dominando a humanidade já faz um bom tempo. Dominando porque se permitem serem dominados. Sei que não é fácil enxergar isso para quem vem sendo criado desde a infância a acreditar em pecado, inferno, em um DEUS cheio de ira, mas é possível. Se assim escolher, é possível.

41 – R.R. – Sim. Pela maior parte da minha vida acreditei que sim, mesmo lendo pouquíssimo. Hoje já não acredito mais.

41 – V.L. – Não. O mestre Jesus veio ao mundo para nos “dá” exemplo, e “pra” nós seguirmos assim como ele nos deixou exemplo de bom, e seguir igual.

41 – J.J. – Sim e Não. Aqui eu tenho que responder os dois porque pelo velho testamento vemos um deus sanguinário, ciumento, louco e vingativo, porém, para quem sabe interpretar algumas palavras de Jesus pode ser tirado grande proveito.

41 – I.T. – Não.

41 – J.A. – Não. Papel aceita tudo.

41 – A.S. – Não. Jamais acreditei na bíblia..!!

41 – M.A.T. – Não. Cada vez me decepciono mais pelo tempo que dormi crendo nisso. Hoje, cada vez acredito menos nos escritos bíblicos que me foram empurrados quando jovem (Igreja católica).

41 – M.C. – Não. Foi escrita pelo homem.

41 – R.M. – Não. Nunca acreditei, pois a bíblia foi totalmente distorcida e nos dias de hoje é usada para manipular a mente de discípulo para pastores se enriquecerem.

41 – F.L.B. – Não. Ela tem a mão do homem, da igreja católica, igreja que para si criou um Deus que castiga pra colocar cabresto em seus seguidores e assim mantê-los no medo!

41 – B.C. – Não, pois na bíblia é retratado um Deus que manda matar, um Deus que castiga etc…

41 – H.J. – Não. Mas acredito que alguns textos da bíblia podem ter sido escritos por homens de luz no coração.

41 – M.S. – Não. Para mim, Deus está dentro de mim e não fora.

41 – P.E.D. – Não. A Bíblia foi escrita por homens e sofreu severas alterações ao longo da história real e toda sua compilação.

41 – M.F. – Não. Não acredito na bíblia, pois o deus relatado se mostra como um tirano, deus de vontades. Todavia, não descarto algumas passagens, por exemplo, milagres do Mestre Jesus.

41 – S.G. –  Não. A bíblia foi escrita por homens, retrata um Deus criado com tendências ególatras e déspotas dos seres humanos.

41 – I.P. – Não. Sempre achei estranho por mostrar deus como vingativo. Hoje, as verdades estão aparecendo que realmente foi escrita por homens conforme suas conveniências.

41 – C.C.A.A. – Não. Todas as informações têm que passar por uma análise na consciência, mesmo sendo sagrado ou não.

41 – F.G. – Não. Porque desta sua resposta? Nunca acreditei na bíblia. Antes da obra acreditava 0%, hoje acredito que tenha algumas poucas verdades, como o senhor mesmo já disse, mas nem por isso me interessei em ler.

41 – L.A.P. – Não. Principalmente quando se refere ao antigo testamento, que nos mostra um Deus rancoroso e irado que induz os filhos ao erro para logo em seguida puni-los.

41 – M.C.Q. – Não. A Bíblia se caracteriza pela compilação de antigas escrituras judaicas, que tinham como foco a transmissão de ensinamentos de caráter moral e espiritual. Essa transmissão de informações, inevitavelmente estava exposta à contaminação pela base de conhecimentos que cada um dos que escreveram os livros possuía. Outro fato importante a mencionar é que a igreja, ao longo dos vários concílios ocorridos ao longo da história, modificou quase todos os livros bíblicos em função dos seus objetivos escusos. Somente o Gênesis e o Apocalipse se mantiveram “intactos”.

41 – A.C.Z. – Não. Foi escrita por homens mal intencionados, visando somente o Lucro Material e para consegui-lo, fizeram a “cartilha” do MEDO: deturparam a passagem do MESTRE, usando seu nome para travar Guerras infindáveis com o único objetivo do Lucro material.

41 – R.S.S.S. – Não. Sempre tive algumas duvidas em relação à bíblia. Em meu caminhar pela busca espiritual, passei por várias escolas e acho mesmo que trilhei este caminho por não concordar com aquelas histórias contada ali. Para mim, aquilo tudo não preencheu meu vazio. Soava naquela história de um Deus arrogante, agressivo, vaidoso e causador de terror.

 

42 – Acredita na legitimidade da vontade de Deus segundo relata a bíblia em 2Reis 2:23-24 onde Deus mandou que duas ursas matasse e despedaçasse 42 jovens porque zombavam da calvice de Elizeu?
( ) Sim (  ) Não – Por que desta sua resposta?

 

42 – M.N. – Não. Deus é Amor, nunca daria ordens contrárias ao Amor e a Felicidade.

42 – M.R. – Não. Deus não mandaria matar de forma tão cruel alguns jovens somente porque zombavam de alguém.

42 – D.T.S – Não. Isso tem que ser cego espiritual para não perceber o ridículo dessa estória.

42 – R. – Não, Deus cruel e rancoroso, melhor não acreditar em nada, do que nisso.

42 – T.G. – Não. Acredito que isto seja fruto de uma mente fértil e vingativa e não de Deus que é AMOR.

42 – B.Z. – Não, sem chance! Essa “estorinha” é inventada e tem que ser muito irracional pra dar crédito a ela. Aliás, uma mente um pouco ao menos científica, com um pouco ao menos de cultura, que às vezes ao menos pensa por si mesmo, não vai ser evangélico nunca, e nem dar créditos a livros como a bíblia. Em minha opinião, se tem um povo no Brasil realmente ignorantes das coisas de deus é o povo evangélico e católico. Quem pensa por si mesmo, não fica lá.

42 – M.N.N. – Não. Parece sem lógica. Primeiro Deus com seu poder não precisaria pedir que ninguém matasse ninguém, depois por um motivo tão tolo. Seria ateia se acreditasse nisso.

42 – R.V. – Cruzes gente, que isso! Mas ainda tem gente que acredita em estorinhas assim?

42 – B.D. – Não. Um belo conto de fadas vaidosas, não? Me parece bem vaidoso quem escreveu ou alterou a Bíblia.Talvez essa passagem tentou ensinar as pessoas que não se deve zombar do próximo por qualquer que seja o motivo, mas ensinou de maneira que prega a vaidade de alguns e a tirania de Deus. Em minha opinião, essa passagem FALHOU.

42 – C.S.D. – Não. Por essas e outras não acredito, vejo claramente a manipulação nas palavras; a implantação do medo; não vejo o amor, portanto onde estaria Deus nestas palavras?

42 – M.M.O. – Não. Definitivamente o principio de Deus é Amor, logo, não há, em seu Absolutismo castigos, punições, ira ou raiva, isso é fruto das emoções do ego humano. Deus é AMOR, ABSOLUTO e FELICIDADE.

42 – C.A.G. – Não. Está mais para a vontade de algum careca que, para evitar “bullying”, incluiu isso na bíblia, esperto ele.

42 – E.M. – Não. Absurdo! Se assim fosse, nem existiríamos mais! Matamos Jesus! De mais a mais… onde está o Absoluto desta ação forjada?

42 – A.N. – Não, por isso que a bíblia é um livro falso, pois mostra esse deus vingativo, enfurecido que não é real. Deus é absoluto amor e felicidade. Chega a ser impossível imaginar um deus que manda matar pessoas só porque desagradaram a Ele.

42 – M.F.G. – Não. Por que DEUS não é vingativo, não se zanga e não se ofende. ELE é simplesmente DEUS. ELE é amor, absoluto, pura compaixão e misericórdia. O que O PAI ganharia ordenando que as ursas despedaçassem aqueles jovens? Que DEUS mais maldoso é esse? Não, DEUS jamais faria isto. Alguns poderão falar que é apenas uma simbologia. Mas simbologia do quê, então? O quê uma ursa que despedaça 42 jovens a mando de DEUS, simplesmente por que estavam “tirando sarro” da careca de Elizeu, simboliza? Absolutamente NADA.

42 – R.R. – Não. Deus não pode ter esta vontade. Nunca li esta passagem da bíblia e nem sabia que existia tal passagem. Isto é vontade de homens e não de um Ser Supremo.

42 – V.L. – Não. Por que Deus jamais seria vingativo, os 42 jovens também eram filhos de Deus

42 – J.J. – Não, Isto é pura loucura, não pode ter sido inspirado.

42 – I.T. – Não.

42 – J.A. – Não. d’EUs é ABSOLUTO.

42 – F.G. – Não. Bom, já riram de minha careca e nem por isso alguém morreu hehehe, quem acredita nisso, não conhece Deus.

42 – A.S. – Não. Total insanidade de quem escreveu essa passagem da bíblia!

42 – M.A.T. – Não. Porque Deus é amor e não um carrasco.

42 – M.C. – Não. Se Ele é Amor e Absoluto; seria contraditório.

42 – R.M. – Não. Deus não é amor?Amor é vida jamais mandaria punir um filho com a morte.

42 – F.L.B. – Não. Claro que não. Essa é a bíblia do ego!

42 – B.C. – Não, pois isso foi inventado, cadê o amor de Deus nessa história?

42 – H.J. – Não. Porque Deus é amor absoluto e incondicional.

42 – M.S. – Não. Deus é amor, justiça, verdade e muito mais.

42 – P.E.D. – Não. Isso é uma bobagem alegórica, em minha opinião.

42 – M.F. – Não.

42 – S.G. – Não. Apenas mais um trecho inconsequente da Bíblia, livro este onde Deus manda matar crianças e idosos, e que faz jumentas falarem.

42 – I.P. – Não. Deus jamais mandaria matar alguém.

42 – C.C.A.A. – Não. Não vejo Deus como Zeus.

42 – M.C.Q. – Não. Tal relato bíblico é resultado da interferência católica nos escritos antigos, como citado na resposta da pergunta anterior.

42 – A.C.Z. – Não. Histórias de assombração para assustar crianças. Contadas por homens doentes dentro do mundo doentio e sombrio que foi criado por eles mesmos.

42 – R.S.S.S. – Não. É exatamente isso o que disse na resposta anterior. Eu não conseguia compreender, afinal, que Deus é este??? Daí aquelas histórias que me desestimulava a fazer qualquer tipo de leitura.

 

43 – Acreditaria de fato ser um Grande Avatar da Era de Aquários, alguém que afirme que reencarnou na antiga lua quando era habitada e com a missão de ser crucificado para salvar a humanidade de lá e preparar a quinta raça.
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

43 – M.N. – Não. Tais informações não viriam de um Avatar.

43 – M.R. – Não. Isso é muito estranho, e a ciência já prova que não tem nem indícios de civilizações que viveram na lua. Também pesquisei que essas afirmações eram feitas por Samael Aun Weor, propagador da gnose.

43 – D.T.S – Não. Eu li estes trechos do mestre Samael, ele devia estar louco quando registrou estes escritos.

43 – R. – Não. Assim modesto, não!rsrsrsr.

43 – T.G. – Não. Acredito que esse avatar é um viajante da maionese….

43 – B.Z. – Nossa, não acreditar de que jeito? Foi difícil aceitar que o mestre Samael Aun Weor era essa pessoa, mas foi ele mesmo. É só a gente pesquisar um pouquinho que encontra um montão de coisas absurdas e contraditórias sobre ele. Acreditar nisso que ele afirmou, é como acreditar também que o padrinho Sebastião do santo daime é a reencarnação de João Batista; é como acreditar que o Chico Xavier foi uma mente iluminada; é como acreditar que o papa é santo; é como acreditar que o mestre Gabriel da udv é a reencarnação de Adão, Jó, Caiano etc. Tudo isso trata-se de devaneios de mentes egocêntricas, interesses escusos, falta de luz etc.

43 – M.N.N. – Não. Alguém falou isso? Em qual desenho animado?

43 – R.V. – Não. O Samael foi só mais um doido no mundo. Esse é o problema de quem mente sempre. Ele mente tanto que começa a acreditar nas próprias mentiras.

43 – B.D. – Não. Um grande avatar não teria necessidade alguma de afirmar tal coisa, sinto novamente um tom de vaidade e desejo insano por reconhecimento.
Jesus, o maior exemplo de todos, fez e mostrou, é supremo até os dias de hoje.

43 – C.S.D. – Não. Parece-me muita loucura, só sei que nada sei…

43 – M.M.O. – Não. Samael Aun Weor (Victor Manuel Gómez Rodríguez – GNOSE), foi mais um “mestre” iludido. Tais narrativas são forjações mentais, de sua mente sem lucidez.

43 – C.A.G. – Não. Todos que precisam afirmar alguma coisa, e ainda afirmar com estórias que causam impacto, é só ficar na estória, não dão credibilidade para que se acreditem neles.

43 – E.M. – Não. Este mesmo ser, condenou a raça negra a exclusão. Pregou mentiras tão absurdas que me afastaram do primeiro instituto que me acolheu quando busquei ajuda. Percebi as afirmações arrogantes e, quando não o escolhi como Mestre no ritual fui questionada. Quando discordei em defesa dos monges budistas que foram “excluídos” da Nova Era só porque não praticam a magia sexual, foi o fim! Como pode alguém deixar enganar-se tanto assim e se intitular padrinho ou madrinha?

43 – A.N. – Não, meu Deus, quanta ilusão!

43 – M.F.G. – Não. Na verdade não tenho conhecimento sobre isso. Posso estar totalmente enganado, mas me parece ser uma simbologia aqui com o MESTRE JESUS, ou com alguém que afirme ter sido ELE. Se for isto, não passa de mais um conto da “carochinha” para enganar bobo.

43 – R.R. – Não. Complicado…

43 – V.L. – Não. Desconheço essa história.

43 – J.J. – Não. Duvido que qualquer lugar possa ter sido habitado, mas, essa pessoa está claramente apenas se comparando à narração bíblica da crucificação.

43 – I.T. – Não. Quando estudava os ensinamentos de Samael, esse tipo de coisa não me descia e eu não conseguia entender, tanto que sempre questionava o Senhor, padrinho, sobre essas coisas afirmadas por ele.

43 – J.A. – Não. Será que estou certo? Também sou avatar do ABSOLUTO

43 – F.G. – Não. Sempre tive um pé atrás com essas pessoas, quem tem tamanho não fala; mostra.

43 – A.S. – Não. Porque sendo um Deus absoluto e um Deus de amor ele não precisa de sacrifício de um filho para salvar outros.

43 – M.A.T. – Não. Porque isso é uma ilusão.

43 – M.C. – Não. Ilusão.

43 – R.M. – Não. Acredito em Jesus aqui na terra, desconheço vidas na lua

43 – F.L.B. – Não. Já acreditei, no passado, no Mestre Samael, mas os fatos demonstram sua loucura.

43 – B.C. – Não. Isso é loucura da mente.

43 – H.J. – Não. Porque nenhum ser de luz nunca vislumbrou sobre coisa semelhante.

43 – M.S. – Não. Nunca ouvi falar sobre isso.

43 – P.E.D. – Não. Na vida desta pessoa descrita houve muitos equívocos, não era uma pessoa Iluminada.

43 – M.F. – Não. Nunca ouvi falar desta história ou estória. Apenas lendo, não creio ser verdade.

43 – L.A.P. – Não. Deus não tem vontade sendo absoluto criador. E porque um Deus de Amor faria tamanha barbárie?

43 – S.G. – Não. Não tenho dados suficientes para chegar a uma conclusão sobre o mestre Jesus, a história mostra uma coisa, mas a realidade pode ser outra.

43 – I.P. – Não. Aff… pura “doidisse”.

43 – C.C.A.A. – Não. Qualquer avatar vem fazer um trabalho muito específico, não se aparecem diretamente entre as pessoas comuns, eles já têm pessoas elevadas a sua espera.

43 – L.A.P. – Não. O Samael escreveu algumas coisas interessantes e verdadeiras, só que, realmente, boa parte -senão tudo- foi tirada de livros mais antigos. O livro Educação fundamental, por exemplo, muito me agrada, no entanto essas “pirações” de avatar, quinta raça…

43 – M.C.Q. – Não. Somente pelo fato de alguém dizer encarnar na antiga lua, já gera motivos para questionamentos.

43 – A.C.Z. – Não. O Homem tem o Dom natural não Divino de mentir e enganar.

43 – R.S.S.S. – Não. Outro caso de delírio, a classificação para este quadro pelo CID (código de doenças internacional) é: Esquizofrenia.

 

44 – Acredita nos ensinos de alguém que afirme ser o próprio Buda Maitreya Kalki e que afirmou publicamente que a terceira guerra mundial, a passagem do ercólobus e o fim de toda a humanidade se daria exatamente em outubro de 1999? E que inclusive até descreveu detalhe por detalhe como que sucederia este acontecimento?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

44 – M.N. – Não. As afirmações de uma Grande Mente Espiritualizada se concretizariam.

44 – M.R. – Não, porque já estamos em 2014 e nada disso aconteceu, ou seja, isso prova que essa pessoa era muito iludida, então não dá pra acreditar nos ensinamentos de alguém assim.  Esses “ensinamentos” foram passados pelo propagador da gnose, Samael Aun Weor.

44 – D.T.S – Não, deve ser estorinha do sítio do pica-pau amarelo ou contos dos irmãos Green! Difícil acreditar que o mestre Samael Aun Weor disse coisas assim, mas depois que assisti a entrevista dele pessoalmente em reprise nos vídeos, não posso negar mais. As coisa que ele escreveu e disse, ele e o mestre Gabriel da udv devem ter muito em comum, que é um ego ativo gigante, o que explica porque viveram na megalomania, ilusão e insanidade.

44 – R. – Não. Sou bem cética em relação a estas pessoas.

44 – T.G. – Não. Os fatos falam por si… parece que aí o samael aun weor mostrou sua “confiabilidade”.

44 – B.Z. – Eu assisti ao vídeo do mestre Samael afirmando estas coisas num programa de TV. Negar o quê depois disso? Tá no youtube pra quem quiser ver, desde que busque a verdade. Samael e seus seguidores são uns “goiabas”. Acreditar no que o mestre Samael dizia, deve ser algum tipo de loucura, total falta de bom senso, “num” pode ser outra coisa!

44 – M.N.N. – Não, depois de passar tudo e nada acontecer, como fica tudo o mais que esta pessoa falou? Teorias? Viagens? Idéias? Delírios?

44 – R.V. – Não, não tem como e nada aconteceu conforme foi falado. Eu assisti o vídeo do Samael falando estas coisas numa entrevista. Dizem que ele estava bêbado também, mas acredito que ele estava iludido de si mesmo. Também o Kardecismo apregoou por muito tempo sobre o fim do mundo em 1999, e citava o livro exilados da capela como referência, mas nada houve. Tanto os ensinamentos do Samael e os do Kardecismo precisam ser peneirados, filtrados.

44 – B.D. – Não. Caso eu acreditasse nisso, hoje, pelo óbvio não poderia mais acreditar, 1999 já se foi, continuo vivo e ainda tive filhos.

44 – C.S.D. – Não. Claro que não, já estamos em 2014 e até agora nada disso aconteceu.

44 – M.M.O. – Não. A verdade é que nada disso ocorreu, Samael Aun Weor afirmou tolices, pois estamos em 2014 e nada do que ele disse aconteceu.

44 – C.A.G. – Não. Quanto mais se afirma ser um SER superior, mais se espera que suas profecias se cumpram, não cumprindo perde-se a credibilidade.

44 – E.M. – Não. Afirmou que seria o fim do mundo. Não ocorreu. Não dissertou sobre uma possibilidade. Afirmou o que somente o Criador pode afirmar! E nossa capacidade criativa não foi considerada. Física Quântica, pois ele nem percebeu que ela é Real!

44 – A.N. – Não, isso só mostra o quanto esse alguém é insensato e não possui lucidez alguma! Era bom avisar esse alguém que já estamos em 2014 e ainda não aconteceu nada!

44 – M.F.G. – Não. Por que para mim aquele que começa a falar que é a reencarnação de uma grande mente que já habitou a terra, está na verdade querendo chamar a atenção para si. Até onde sei nenhuma das grandes mentes que já estiveram por aqui, chegaram afirmando que eram a reencarnação de outra grande mente. Mostraram para o mundo o que eram e continuam sendo, não apenas com suas palavras, mas principalmente com suas ações. Alguém que se diz ser o Buda, que faz profecias onde nenhuma delas acontece, simplesmente não dá para acreditar nela.

44 – R.R. – Não. Nem sei, graças a Deus, quem é este cidadão.

44 – V.L. – Não. Porque estamos em 2014 e nada aconteceu.

44 – J.J. – Não, Isto simplesmente não aconteceu.

44 – I.T. – Não

44 – J.A. – Não. Porque acreditaria na mente humana?

44 – F.G. – Não. Simplesmente por estarmos em 2014 já prova que essa pessoa não serve como referência… como disse anteriormente, acredito que quem é, não precisa dizer, simplesmente é.

44 –A.S. – Não. O mundo está cheio de falsos profetas.

44 – M.A.T. – Não. Primeiro porque o ano já passou e isso não aconteceu e, segundo porque Deus é quem sabe destas coisas e não o homem.

44 – M.C. – Não. Ilusão.

44 – R.M. – Não. Não mesmo porque não aconteceu a guerra.

44 – F.L.B. – Não.

44 – B.C. – Não, pois nada disso aconteceu. E tem os vídeos dele no youtube dele afirmando isso.

44 – H.J. – Não. Porque acredito que suas visões decorreram do próprio ego.

44 – M.S. – Não. Ego em alta.

44 – P.E.D. – Não. Só falou falsas revelações.

44 – M.F. – Não.

44 – S.G. – Não. O hercólobus é um planeta que teoricamente está em rota de colisão com a terra, ou em ultima análise irá tirá-la do seu eixo provocando o fim da existência aqui na terra, penso que descrever uma data para tal acontecimento mesmo se fosse verídico não é racional, já inclusive se demonstrou que o hercólobus não interagiu com a terra nesta data.  Penso que o advento da Nova Era não precisa  necessariamente ser precedida de fenômenos catastróficos, basta um despertar de consciência globalizado e encarnações de espíritos com frequência elevada.

44 – I.P. – Não. Quando eu era criança, tinha uns oito anos, um homem que morava na minha rua me disse que o mundo acabaria em 1975. Quase morri de medo! Por muito tempo vivi com esse medo. Depois que passou essa data, não há quem me convença de coisas desse tipo.

44 – C.C.A.A. – Não. Já li sobre o Samael. Nunca acreditei nele. Já conhecia seu plágio há anos.

44 – L.A. P. – Não. Nada disso aconteceu, pelo menos por enquanto.

44 – M.C.Q. – Não. Não me parece sensato um avatar ter a vaidade de publicamente se intitular como avatar. Tal comportamento só seria aceito naquele que ainda se deixa levar pelos sentimentos primitivos.

44 – A.C.Z. – Não. 1999 já passou, o tempo provou a mentira.

44 – R.S.S.S. – Não. Permaneço com a afirmação anterior. Quadro delirante que infelizmente é muito comum no mundo inteiro: pessoas nestas condições onde muitas não recebem tratamentos adequados. Muito comum: “os famosos falsos profetas àqueles que receberam uma grande missão”.

 

45 – Acreditaria na luz, verdade, sabedoria e compreensão de alguém que afirmando ser o Buda Maitreya Kalki, plagiasse obras renomadas de outros autores? Acreditaria que o Grande Avatar da Era de Aquários plagiaria do escritor Gurdjieff todo o conhecimento como “Técnicas para a dissolução do eu”, auto-observação, auto lembrar etc.?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

45 – M.N. – Não. Um Avatar produziria ensinamentos a partir de sua própria Sabedoria.

45 – M.R. – Não. O Samael Aun Weor da gonse fez isso, ele plagiou livros e se dizia o grande avatar na nova era. Uma mente iluminada tem contato direto com o Astral Superior, então não precisa copiar livros de outros, ela deveria possuir o conhecimento dentro de si.

45 – D.T.S – Não, é somente outro devaneio do mestre Samael fundador da gnose.

45 – R. – Não. Nossa que tristeza saber que o ego pode conduzir alguém a tal ponto. Também não acredito em falas, mas sim nos atos.

45 – T.G. – Não. Como acreditar ser VERDADE alguém que plagia?

45 – B.Z. – Jamais acreditaria em alguém assim! O pior é que o mestre Samael fez tudo isso e ainda tem uns “goiabas” que se recusam a ver a verdade e ainda se intitulam sacerdote gnóstico!

45 – M.N.N. – Não. Se fosse tão grandioso e detentor de toda sabedoria não precisaria plagiar, ficar indo atrás de fundamentações para algo que já lhe é certo. Farça!

45 – R.V. – Não! Perceberam que Samael e Chico Xavier tem historias parecidíssimas?

45 – B.D. – Não. Jamais um grande avatar cheio de luz teria necessidade alguma de plagiar obras já escritas por outros.

Isso mostra, na verdade, a falta de luz de verdade e sabedoria.

45 – C.S.D. – Não. Como ele pode ser iluminado cometendo atos que são contrários o amor e a caridade?

45 – M.M.O. – Não. Uma alma de luz, jamais plagiaria obras de outros autores, por ter sabedoria sabe que isso é conduta desonesta consigo próprio.

45 – C.A.G. – Não. Se assim fosse, na lógica, o avatar seria aquele que foi plagiado.

45 – E.M. – Não. Humildade em reconhecer que o saber de um irmão é Verdadeiro e citá-lo como referência é o mínimo que poderia ter feito. A forma de plágio que foi desmascarada,  torna todas as suas teorias duvidosas. Por isso devemos ter cuidado com o ego que ele mesmo combateu veementemente. Julgamento! Dois anos trabalhando este aspecto ainda em mim. Ele julgou todos a sua volta e os condenou. Fazendo isso, condenou a si mesmo. Minha avó sempre dizia: “O peixe morre pela boca!” Ele também cumpriu a missão que escolheu. Nos mostrou o que não funciona na busca espiritual.

45 – A.N. – Não acreditaria, esse grande avatar deve estar com amnésia, pois não consegue expressar seus ensinamentos e precisa plagiar obras de outros autores. Na verdade faz plágios, porque não vive nada do que escreve, não testifica o que ensina, vive em devaneios.

45 – M.F.G. – Não. Por que o fato de alguém plagiar obras de outros autores mostra que não é tão sábio e grande assim quanto diz ser. Mostra que muito do que diz ser conhecimento próprio, na verdade é de outra pessoa.

45 – R.R. – Não. Depois que se sabe que é mentira não se acredita mais……

45 – V.L. – Não. Acredito que um ser iluminado jamais plagiaria qualquer trabalho, sendo de outro irmão, sendo assim, seu semelhante.

45 – J.J. – Não. Se há cópia, não é ele, simples.

45 – I.T. – Não.

45 – J.A. – Não. Porque acreditaria na mente humana…

45 – A.S. – Não. É preciso refletir bastante em tudo que se lê, escuta e vê!

45 – M.A.T. – Não. Porque me parece fantasioso e contrário às atitudes de um iluminado.

45 – M.C. – Não. Novamente ilusão.

45 – R.M. – Não. Considero falso profeta.

45 – F.L.B. – Não. Alguém que plagia pode de fato ser iluminado?

45 – B.C. – Não. Isso é um charlatão.

45 – H.J. – Não. Porque um ser de luz não tem necessidades mundanas.

45 – M.S. – Não. Plágio é roubo e mostra alguém sem luz e sem sabedoria.

45 – P.E.D. – Não. Pessoa equivocada de quem realmente seja.

45 – M.F. – Não.

45 – S.G. – Não. O Plágio é uma atitude que visa roubar a idéia intelectual de outra pessoa, não é plausível um buda fazer isto.

45 – I.P. – Não. Sabedoria se demonstra vivendo, não se engrandecendo através de escritos. O papel aceita tudo.

45 – C.C.A.A. – Não. Você esqueceu que a magia sexual que tanto fala Samael é retirada do Tantrismo.

45 – L.A.P. – Não. Não é digno de um iluminado tomar o conhecimento de outro como se fosse seu.

45 – M.C.Q. – Não. Só pelo fato de alguém se intitular de avatar, já sabemos que não é um avatar.

45 – A.C.Z. – Não. Não consigo ver luz neste caminho.

45 –  R.S.S.S. – Não. Infelizmente tem uma grande parte da humanidade que preferem acreditar nestes falsos profetas, sem se questionar se é obra do próprio ou plágio de algum autor. Questionar, pesquisar dá trabalho. Por isso políticos e igrejas não investem em educação, desta forma mantém o povo encabrestado.

 

46 – Acredita de fato que o papa é o representante de Deus na Terra e a igreja católica romana é a igreja de Cristo?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

46 – M.N. – Não. A igreja católica se proclamou a igreja de Cristo, o Mestre Jesus não instituiu tal fato, e a própria igreja católica colocou o Papa como seu líder e representante de Deus e de Jesus Cristo na Terra, não houve um consenso da humanidade com relação a esse assunto.

46 – M.R. – Não. Mas nisso não acredito mesmo! Se fosse assim, os papas da história não teriam inventado e mantido a inquisição, que matou cruelmente milhões de pessoas por professarem crenças diferentes, ou muitas vezes, por não seguirem exatamente o que a igreja mandava fazer.

46 – D.T.S – Não. Porque se fosse, Hitler também poderia ser o Arcanjo Miguel etc.

46 – R. – Não, É uma instituição de poder decadente.

46 – T.G. – Não. Nem consigo imaginar…

46 – B.Z. – O papa, bispos evangélicos, mestre Gabriel, padrinho Sebastião, mestre Samael, estes padres e pastores, nem necessitaram de drogas para serem as drogas que foram por conta própria. Com exceção do padrinho Sebastião que viveu e morreu como um dependente químico.

46 – M.N.N. – Não. Deus e o Mestre não se limitariam tanto. Acreditar que o papa é o representante de Deus na Terra é diminuir completamente o criador do universo em seu movimento perfeito e harmônico.

46 – R.V. – Não. O papa é tão representante divino na Terra quanto Samael e Chico Xavier são espíritos despertos.

46 – B.D. – Não. O papa pode ser uma grande pessoa para muitos aqui na terra, pra mim ele não é um representante supremo de Deus na terra como pregam os católicos. Todos somos representantes de Deus na terra. Cristo não precisa de igrejas.

46 – C.S.D. – Não. Todos nos somos parte de Deus e Ele não necessita de representantes, já que todos  temos a presença divina dentro de nós, gravado em nosso ser; religiões são criações do homem para aprisionar mentes.

46 – M.M.O. – Não. O íntimo contato com Deus só ocorre através da Meditação, logo, não há, intercessores entre o homem e Deus, uma vez, que o próprio homem é o Templo Vivo de Deus.

46 – C.A.G. – Não. Vaidade e oportunidade

46 – E.M. – Não. Se o papa representa Deus, por que ostenta tanto luxo e poder enquanto seus irmãos morrem de sede e fome? Se a igreja católica romana é a igreja de Cristo, porque não vai ao encontro dos que sofrem a dor do abandono? Acaso Cristo construiu uma tenda que fosse para falar do Amor?

46 – A.N. – Não, longe disso. Não precisamos de intercessores para chegar até Deus. Nós somos o templo vivo de Deus. Santa inquisição, morte de bilhões de inocentes, guerra santa, ostentações provenientes das igrejas provam bem o contrário disto!

46 – M.F.G. – Não. Por que alguém manda matar milhões de pessoas queimadas em praças públicas, somente por que celebravam a vida com cantos, danças e rituais sagrados? Somente porque compreendiam sua ligação com as forças da natureza. Somente por que sabiam lidar com as energias e celebravam um DEUS que não era o mesmo DEUS católico, e assim, jamais pode ser chamado de representante de DEUS na terra. Para mim, não importa se isso aconteceu há muitos anos, pois só não acontece o mesmo nos dias de hoje porque existem leis que proíbem tais atos. A igreja católica não é a igreja de CRISTO por que a “igreja” DELE é cada um de todos nós. Quando dizem que a igreja católica é a igreja de CRISTO, estão dizendo que não importa o que a gente faça, se não somos católicos, CRISTO não estará em nós. É também por isso que eu digo que igrejas e religiões são o que mais separam o homem do verdadeiro DEUS. Quando acreditam que o papa é o representante de DEUS na terra, irão acreditar que o fato de milhões de pessoas terem sido queimadas vivas, foi a vontade de DEUS. As religiões fazem as pessoas acreditarem em um falso DEUS e desacreditarem do verdadeiro, ou seja, ateus falando de DEUS.

O PAI é todo amor e absoluto, não precisa de intercessor para falar com a gente.

46 – R.R. – Não. Igreja é coisa de homem. Nenhuma igreja é de cristo.

46 – V.L. – Não. Acredito que homens de grande poder no mundo colocaram o papa nesse status para enganar os católicos e manipular as pessoas.

46  – J.J. – Não. Basta ver as barbáries da idade média.

46 – I.T. – Não. ” As barbáries da historia mostram o contrario disso”

46 – J.A. – Não. Cristo não tem igreja.

46 – A.S. – Não. Jesus não fundou nenhuma religião, doutrina etc.!!

46 – M.A.T. – Não. Porque a igreja usa isso como forma de domínio e os feitos que ela realizou não corroboram esse pensamento.

46 – M.C. – Não. Se todos somos Divinos, não existe um único representante de Deus e sendo Cristo Amor, Ele não necessita de igreja.

46 – R.M.M. – Não. Não acredito nos ensinamentos da igreja católica e muito menos no papa ser um santo.

46 – F.L.B. – Não mesmo, rsss! O papa é representante do governo oculto.

46 – B.C. – Não. A história já mostra tudo.

46 – H.J. – Não. Porque a igreja católica sempre deu mostras de que é dirigida por seres egóicos.

46 – M.S. – Não. Claro que não, a igreja católica parou no tempo.

46 – P.E.D. – Não. Para os Católicos ele é, mas não para os espiritualistas e buscadores da verdade.

46 – M.F. – Não.

46 – S.G. – Não. A igreja de cristo iria matar, roubar, crucificar, torturar?

46 – I.P. – Não. Sempre fiquei indignada com a riqueza, o luxo da igreja. Papas e padres se dizendo representantes de cristo, vivendo na maior mordomia e pessoas passando fome.

46 –C.C.A.A. – Não. O Papa é representante da igreja católica. A igreja é um sistema político com um estado político. A igreja católica romana é dos Cristãos. Jesus fundou o “Jesuísmo” não o cristianismo.

46 – L.A.P. – Não. Não me lembro de ter acreditado nisso algum dia, pelo menos nesta encarnação.

46 – M.C.Q. – Não. Acredito que ele é o representante político de uma Cidade-Estado, o Vaticano, e de uma religião, a católica.

46 – A.C.Z. – Não. Se assim o fosse, venderia todo aquele ouro da igreja e, seguiria na luz eterna mas ao contrário, se enche mais ainda de ouro.

46 – R.S.S.S. – Não. Outra falsa verdade que também nunca conseguir aceitar. Não conseguia acreditar e não via nada de diferente em mim. Ou melhor, via sim, via que pagávamos e que ainda se pagam fortunas para que ele tenha muita mordomia para usar deste poder para interferir de forma arbitrária, tirana e preconceituosa ao longo da história. Uma longa história de devastação e dizimação de pessoas.

 

47 – Acredita em Martinho Lutero, o pai do protestantismo, foi de fato um enviado por Deus?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

47 – M.N. – 
Não. O Movimento iniciado por Martinho Lutero gerou a criação de novas religiões que continuaram com dogmas antigos e tendo como livro sagrado a bíblia. Acredito que se tivesse sido enviado por Deus de fato, traria a libertação das pessoas e a busca por Deus dentro de si.

47 – M.R. Não. Eu não acredito nisso porque não faz sentido pra mim as coisas que ele ensinou. Não faz sentido hoje, que me sinto mais próxima de Deus e também nunca fez sentido mesmo no passado, quando eu ainda buscava Deus fora de mim.

47 –  Diego T.S.Não. Matinho Lutero era mentalmente instável.

47 – R. – Não. Na minha concepção não, mas talvez para ele e seu povo, sim.

47 – T.G. – Não. Acredito que ele seja mais um insatisfeito com a doutrina, mas, corrompido pelo poder, acabou por criar uma doutrina igual…

47 – B.Z. – Não. Estudei a história dele também.

47 – M.N.N. – Sim. Assim como todos nós fomos enviados por Deus, assim como os médicos, mendigos e assassinos foram enviados por Deus!

47 – R.V. – Jesus, não! Enviado por deus tanto quanto o papa.

47 – B.D. – Não. Se todos nós somos enviados de Deus maior, acredito que criar algo apenas não vá torná-lo mais iluminado ou menos iluminado, existem obras que realmente auxiliam no despertar de outras mentes adormecidas.

Ele não é ‘’O ENVIADO DE DEUS’’, todos nós somos.

47 – C.S.D. – Não. Todos nós somos enviados de Deus para viver a experiência do espírito no plano relativo.

47 – M.M.O. – Não. Martinho Lutero, em sua reforma protestante, contra a igreja católica, nada fez de diferente, o protestantismo em sua origem foi apenas uma estrategia política de controle e domínio social. Apregoava a fé em cristo, porém ainda acreditava em dogmas, e tabus escritos na bíblia.

47 – C.A.G. – Não. Nesse momento nada sei sobre os princípios que fundamentam o protestantismo.

47 – E.M. – Não. Revolução industrial. O homem vale o que possui! Prosperidade para ele era riqueza material. Graças ao que pregou, nações inteiras foram exterminadas. Protestou o poder que a igreja católica romana exercia sobre o povo e regularizou o dízimo como obrigatório para “comprar” um pedaço no céu.

47 – A.N. – Não, pois Martinho Lutero se baseia na bíblia para disseminar suas ideias, acredito que não seja muito sensato, pois na bíblia há muitas coisas falsas, muitos dogmas, tabus, medo e culpa. Por mais que ele tenha lutado firmemente contra a igreja católica da época, não admitindo a venda de indulgências, ele acabou também fundando outra igreja e baseando-se nos fundamentos da bíblia, no Deus rancoroso e vingativo, no pecado.

47 – M.F.G. – Não. Não tenho conhecimento suficiente para responder esta questão.

47 – R.R. – Não. De Martinho Lutero hoje só me lembro do nome e que protestou contra a igreja, mas os porquês profundamente não sei.

47 – V.L. – Não. Martinho Lutero nunca foi um enviado de Deus.

47 – J.J. – Não sei dizer, não conheço sobre ele.

47 – I.T. – Não.

47 – J.A. – Não. Fomos enviados por d’EUs para viver uma experiência relativa.

47 – F.G. – Não. Estudei isso na escola e não posso afirmar que isso seja uma verdade, faz muito tempo e nunca me interessei sobre isso.

47 – A.S. – Não respondeu.

47 – M.A.T. – Não. Porque isso é pretensão de alguém que quer dominar pelo medo e mentira.

47 – M.C. – Sim. Mas todos somos enviados pelo Divino.

47 – R.M. – Não. Acredito que todos somos enviados por deus desde que traga verdadeiros ensinamentos de amor.

47 – F.L.B. – Não.

47 – B.C. – Não. Pelas atrocidades que ele fez.

47 – H.J. – Não. Não tenho informações suficientes dessa pessoa, mas, por pertencer a corrente protestante, fica claro que não é expressão da luz.

47 – M.S. – Não. Parece-me uma pessoa comum buscando luz.

47 – P.E.D. – Não. Foi apenas um ser humano dissidente de sua religião onde usou suas opiniões pessoais para criar outra religião equivocada com a verdade.

47 – M.F. – Não.

47 – S.G. – Não. Porque ele criou uma religião que afastou as pessoas de deus.

47 – I.P. – Não. Acredito que foi um homem que teve a coragem de questionar as leis impostas e querer mudar, querer que as pessoas enxergassem.

47 – C.C.A.A. – Não. É apenas um reformador da igreja política. Sua condição de santidade é para reforçar sua verdade.

47 – L.A.P. – Não. Enviados por Deus todos somos, não é exclusividade de ninguém.

47 – M.C.Q. – Não. Se fosse, não propagaria conceitos deturpados sobre a real natureza do homem.

47 – A.C.Z. – Não. Lutero protestou contra a Igreja Católica e começou outra mentira, saiu de uma para outra numa velocidade impressionante, as religiões cegam os homens, fecham os caminhos da luz tendo como doutrina o medo, o pecado e a vingança; ainda bem que Deus não é nada disso.

47 – R.S.S.S. – Não. Para mim por muito tempo acreditei que ele tinha sido alguém de coragem, que não aceitando as regras da igreja católica e sua tirania, se rebelou. Desta dissidência, criou um novo conceito religioso, o protestantismo. A meu ver, nada além disso.

 

48 – Acreditaria se alguém lhe dissesse que Martinho Lutero não somente suicidou-se, como também deixou registros sobre si de coisas como:
”Eu aqui me encontro insensato, e endurecido, ocioso e bêbado de manhã à noite… Em suma, eu que devia ter fervor de espírito, tenho fervor da carne, da lascívia, da preguiça e da sonolência”
Que ao falar sobre Jesus Cristo, afirma que “cometeu adultério com a samaritana no poço de Jacó, com a mulher adúltera que perdoou…, e com Madalena…”.
“Certamente Deus é muito grande e poderoso, bom e misericordioso…, mas é muito estúpido; é um tirano”… Acreditaria?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

48 – M.N. – 
Sim. Tendo em visto as obras que deixou, acredito que Lutero possa ter feito tais afirmações.

48 – M.R. – Sim. Acredito. Pesquisei na internet e existem livros sérios, acadêmicos mesmo, de pesquisas realizadas sobre a vida de Martinho Lutero que apontam tais coisas.

48 – D.T.S – Sim, ele escreveu tudo isto. Uma pesquisa sobre e se encontra tudo.

48 – R. – Não. Desconheço tal fato.

48 – T.G. – Não. Acredito que seja uma pessoa totalmente equivocada.

48 – B.Z. – Sim. Tudo isto está registrado na história sobre ele. Tudo isto que foi mostrado, são fatos!

48 – M.N.N. – Sim. Acredito que poderia sim ter Martinho Lutero ter feito tais afirmações e atos. Como um homem encarnado e com livre arbítrio, fez escolhas que funcionaram e outras não.

48 – R.V. – Sim, consta nos registros da história dele.

48 – B.D. – Não. Para mim tudo isso foge completamente do contexto de que Deus é absoluto e supremo. Não consigo ver Deus como um tirano vaidoso.

48 – C.S.C. – Sim. Acredito sim ser possível, para alguém que ajudou a aprisionar mentes, como não seria a mente dele próprio?

48 – M.M.O. – Não. Pois ele morreu de apoplexia (AVC), em 1546.

48 – C.A.G. – Sim e Não. Acreditaria dependendo da fonte.

48 – E.M. – Não. Porque é um provável fim de alguém que jamais sentiu Cristo. Alguém que se baseia somente no que lê e usa isso para beneficiar-se, só pode cair na insanidade. Decorar a Bíblia é perturbador até para quem somente quer utilizá-la para dominar o “outro”.

48 – A.N. – Sim, pois Martinho Lutero se baseia na bíblia para difundir suas ideias, só poderia acabar perdido.

48 – M.F.G. – Não. Coloquei não como resposta, porque realmente não tenho conhecimento sobre as obras de Lutero. Mas acredito que uma pessoa que se suicida e deixa relatado o que está na questão acima, não pode ser tida como enviada por DEUS.

48 – R.R. – Não. Mais um do mundo que fala do que não conhece. Deve ter se suicidado porque não aguentou o peso na consciência das mentiras que pregou e não teve coragem pra desmentir. Culpa.

48 – V.L. – Sim. Porque Deus é misericordioso.

48 – J.J. – Não. Preciso de provas para tirar conclusões, boas fontes, etc.

48 – I.T. – Sim. Porque as religiões são capazes de levar as pessoas a esse tipo de demência.

48 – J.A. – Sim. No absoluto a pessoa e livre para escolher a experiência.

48 – F.G. – Sim. Dependendo da fonte, sim, acreditaria, embora não fizesse diferença alguma para minha caminhada espiritual.

48 – A.S. – Sim. Acredito, o mundo está cheio de falsos profetas.

48 – M.A.T. – Sim. Isso é possível, mas confesso que não sei nada a esse respeito. Não li, nem me falaram sobre esse assunto. Irei procurar mais informações.

48 – M.C. – Sim. Sendo Humanos, estamos propensos a momentos de ilusão.

48 – R.M. – Sim. Porque isso faz parte da forma maluca de pensar dos falsos profetas.

48 – F.L.B. – Não. Vemos claramente seres derrotados pelo ego, claramente!

48 – B.C. – Não. Ele não conhece o absolutismo de Deus.

48 – H.J. – Sim. Porque são alusões de quem não anda na luz.

48 – M.S. – Não. Não faz sentido algum pra mim.

48 – P.E.D. – Sim, acredito, ele foi um homem equivocado com a verdade universal verdadeira.

48 – M.F. – Não.

48 – S.G. – Sim. Não conheço tais relatos mas acho que são dignos de uma pessoa doente, deprimida e compatível com a mente de um suicida.

48 – I.P. – Acredito que tenha sido escrito por alguém para mostrar que era insano e que nada de seus questionamentos eram verdadeiros. Acho que foi para desmerecê-lo e continuar o poder e domínios sobre as pessoas.

48 – C.C.A.A. – Sim, acredito. Mas não me incomodo com isso. Todos os homens erram. Martinho Lutero é um Ser humano e pode falhar.

48 – L.A.P. – Sim. É possível, mas desconheço este fato.

48 – M.C.Q. – Sim. Martinho Lutero, assim como tantos outros que a história nos mostra, embora tenha sido um opositor ao catolicismo da época, foi conhecido pelo seu sectarismo religioso, intolerância e acreditava que a Bíblia era um livro Divino, fonte dos conhecimentos para a salvação. Seus dizeres, citados na pergunta não nos impressiona, uma vez que esta personalidade estava à mercê da auto ilusão de seu ego, resultado de sua formação, ou programação, cultural e intelectual.

48 – A.C.Z. – Sim. Reflexo de sua obra.

48 – R.S.S.S. – Sim. Acredito mesmo por que naquele século e em muitos outros que se sucederam, estes “camaradas” com “poderes” dados por suas ceitas, o que mais se fazia era exatamente isto: bebedeiras, promiscuidades, e muitas tantas barbáries. Mais um delirante na história da humanidade.

 

49 – Acredita no Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmo, Sabedoria devida sua unidade com Deus… Qualquer pessoa, instituição, igreja, doutrina, seita e religião, que apregoem sobre a existência do mau e do bem; do certo e do errado; de um opositor a Deus: o diabo; a existência do carma, de infernos, de obsessores, de umbrais onde pessoas sofrem após a morte; Que apregoam sobre a existência de obsessores e obsessões; que apregoam sobre vinganças e maldições por parte de Deus; Que apregoam sobre as doenças, fomes e pestes lançadas contra os homens, por de Deus; Que apregoam que Deus mora lá fora… no Céu? Que ensinam que os homens estão sujeitos a forças do bem e do mau? Que manifestam o racismo?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

49 – M.N. – 
Não. Não acredito em pessoas, seitas, doutrinas ou religiões que preguem o medo e a culpa, o cabresto psicológico de seus seguidores ou algo diferente do Absolutismo de Deus.

49 – M.R. – Não, porque uma pessoa ou instituição que diz existir bem e mal, céu e inferno, que Deus mora longe de nós e amaldiçoa seus filhos, está dizendo que Deus não é Absoluto, Amor e Felicidade.

49 – D.T.S – 
Não, e graças a deus hoje estou meditando, conheço o absolutismo e amor de deus. Hoje estou livre de todas estas coisas e todo este povo adormecido. Hoje me sinto realizado e liberto!

49 – R. – Não. Impossível alguém acreditar nisso, só estando cego ou muito iludido.

49 – T.G. – Não. Pessoas que manifestam o Amor, a Consciência Divina, a Compreensão do Cosmo, a sabedoria, que realmente conhecem a Natureza Divina, na minha concepção, nunca acreditariam nas forças do bem e do mal, que Deus está fora… o racismo então, nem se fala, é a maior expressão de uma alma sem luz (já dizia um sábio Xamã).

49 – B.Z. – Não. Se tais pessoas ou entidades tivessem Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmos, Sabedoria devido a sua unidade com Deus, não acreditariam em mitos e fantasias de igrejas e religiões. E mais, precisa ser de fato intelectualmente muito frio e espiritualmente muito bruto, para uma pessoa ser racista!

49 – M.N.N. – Não. A ideia que tenho do Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmo, Sabedoria divina vão de encontro com tudo citado acima, me parece até o oposto!

49 – R.V. – Não, mas desse jeito assim até eu que não sou lá aquelas coisas como espiritualizado, sei disso!

49 – B.D. – Não. Amor, consciência divina e sabedoria, sim, deveriam ser as coisas pregadas por instituições, igrejas e doutrinas. Passar uma vida pregando um Deus que amaldiçoa que destrói, que lança pragas, que criou um inferno para que homens pecadores passassem uma eternidade de sofrimento e dor, não me parece digno de alguém que realmente carregue o puro amor e a consciência Divina.

49 – C.S.D. – Não. O amor e a consciência divina e a unidade com Deus nada tem a ver com as citações feitas acima, todas essas citações foram criadas pelo homem para manter as mentes presas ao medo, culpa e a escassez.

49 – M.M.O. – Acredito no Amor, na Consciência Divina, e que o Homem é um com Deus, pois, não há como ser filho de Deus, sem ser Deus filho, Deus é ABSOLUTO, AMOR e FELICIDADE, então, todas as crenças de igrejas, doutrinas e seitas, que estão fora do principio do Amor, estão fora de Deus, pois aprisionam o homem no medo e na culpa, sentimentos este que é a raiz de todo sofrimento humano. Portanto igrejas e governos são coisas de homens. O homem já nasce como templo vivo de Deus.

49 – C.A.G. – Sim. A pergunta esta confusa. Eu acredito no Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmo, Sabedoria de vida, sua unidade com Deus; no resto não.

49 – E.M. – Não. Nada citado acima refere-se ao Absolutismo Divino! Por tempos nem percebemos as armadilhas que caímos por compararmos Deus à dualidade terrena. Uno! Onipresente! Onisciente! Ao percebermos tal equívoco que cometemos, não há dúvida. Não existe Amor onde bifurca a Divindade. Não existe escolha. Só existe O Caminho!

49 – A.N. – Não, não há como acreditar que essa pessoa ou instituição possua a compreensão de Deus, possua seus alicerces no Amor e na Compreensão Divina, pois qualquer coisa fora do absoluto, amor e felicidade não provém de Deus. Qualquer forma de opositor a Deus (bem x mal, inferno, diabo, obsessor, umbral) não é real, não existe, é ficção. Deus é Absoluto. Qualquer forma de julgamento da parte de Deus (certo x errado, carma x darma) não é real, não existe, é ficção. Deus é Amor. Qualquer forma de sofrimento causado por Deus (pragas bíblicas, fome, pestes, cataclismas, maldições, vinganças), não é real, não existe, é ficção. Deus é Felicidade.

49 – M.F.G. – Não. Por que aquele que está no amor, consciência divina, compreensão do cosmo e sabedoria devido a sua unidade com DEUS nos mostraria somente a verdade. Que não existe o certo e o errado, assim como o bem e o mal, que tudo é questão de escolha. Mostraria- nos que DEUS PAI é absoluto e único e que não existe opositor a ELE. Que não existe inferno, carma, umbrais e obscessores, pois ELE nos ama e nos aguarda no retorno para casa. Mas que nos ama tanto, que nos deu o livre arbítrio para se fazer a escolha que quiser sem preocupação e sem medo, pois O PAI jamais nos julgará. Que, na verdade é o próprio homem que julga a si mesmo. Nos mostrará também que toda a nossa realidade é criada por nós mesmos, e nos ensinará como que a gente faz isso. Enfim, nos mostrará que DEUS é PAI e que ELE habita dentro de cada uma de nós.

49 – R.R. – Não. Acredito na primeira frase: Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmo, Sabedoria. No restante da frase não acredito mais não. Fico em dúvida sobre pessoas que fazem maldade com os outros ainda, matam, roubam, mentem aproveitando-se da fraqueza alheia. Porque isto? Mas nessas “babaquices” de religião jamais acreditarei daqui pra frente.

49 – V.L. – Não.  Eu acredito no amor de Deus consciência divina.

49 – J.J. – Não.  A pergunta responde a si mesma.

49 – I.T. – Não. Porque são coisas opostas.

49 – J.A. – Não. A experiência que escolhemos aqui no relativo, não representa o que somos no ABSOLUTO.

49 – F.G. – Não. Para mim é muito claro que tais fatos só demonstram claramente a ignorância e falta de luz destas pessoas e instituições.

49 – A.S. – Não. Isso não é a realidade do Deus de amor!!

49 – M.A.T. – Sim. Eu acredito no Amor, Consciência Divina, na Compreensão do Cosmo, na Sabedoria devido a minha unidade com Deus. Não acredito no restante mencionado na questão.

49 – M.C. – Não. Está sendo contraditório na Consciência Divina.

49 – R.M. – Não. Não acredito. Eu acredito no absolutismo de Deus. Deus é amor e perfeição.

49 – F.L.B. – Não. Pobres homens que ignoram sua ignorância! Vivem de teorias e nada de prática.

49 – B.C. – Não. Esses lugares não conhecem Deus eles colocam o medo nas pessoas como forma de controlar.

49 – H.J. – Não. Porque quem conhece a luz, sabe que Deus é absoluto, é amor infinito.

49 – M.S. – Não. Ensinamento errado, interesse por detrás.

49 – P.E.D. – Não. Quem não ensina a verdade absoluta, está fora da verdadeira espiritualidade.

49 – M.F. – Não.

49 – S.G. – Não. São atitudes totalmente incompatíveis com o que justamente apregoam.

49 – I.P. – Não, não acredito. Nada disso pertence a deus. Deus não castiga. Deus é amor.

49 – C.C.A.A. – Não. Deus não faz nada disso. O homem que está fora do caminho de Deus e faz toda essa confusão.

49 – L.A.P. – Não. No Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmo, Sabedoria devida sua unidade com Deus sim, agora, o resto não.

49 – M.C.Q. – Não. Tais conceitos citados na pergunta são resultado da interpretação da realidade por parte de pessoas que é uma base dos ensinamentos de determinada doutrina. Tais interpretações da realidade são altamente vulneráveis à contaminação de seu conteúdo, resultado da dificuldade de interpretação das informações e da base cultural e intelectual daqueles que as obtêm. Portanto, as verdades inabaláveis são àquelas que não vém de fora, mas sim de dentro.

49 – A.C.Z. – Sim e Não. Acredito no Amor, Consciência Divina, Compreensão do Cosmo, Sabedoria devida sua unidade com Deus…para esta parte sim, para outra parte da pergunta não.

49 – R.S.S.S. – Não. Embora como já citei, por algum tempo acreditei em obscessores, karmas, crenças vindas pelas obras de Kardec .Mas como pela graça e Misericórdia de Deus estamos vivendo momentos na história da humanidade a máxima do Mestre Jesus, conhecerá a verdade e a verdade vos libertarás, chegou este momento. Arrancar a venda dos olhos, quem tem ouvidos, que ouça. Esta história fica agora para aqueles que preferem acreditar no que os outros falam do que antes questionar o que estão dizendo. Preferem ficar na fé cega, um dia também quis ficar nesta cegueira. Este tempo já passou, a Nova Era chegou.

 

50 – Acredita que estaria escrito na Gênese segundo Allan Kardec, ed. cit. p. 187 uma brutal manifestação de racismo: “O progresso não foi, pois, uniforme em toda a espécie humana; as raças mais inteligentes naturalmente progrediram mais que as outras, sem contar que os Espíritos, recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornam mais sensíveis a diferença do progresso(sic!). Com efeito, seria impossível atribuir a mesma antiguidade de criação aos selvagens que mal se distinguem dos macacos, que aos chineses, e ainda menos aos europeus civilizados”… Acreditaria nisto?
( ) Sim ( ) Não – Porque desta sua resposta?

 

50 – M.N. – 
Sim. Acredito que isso possa estar escrito na Gênese, entretanto não concordo de maneira nenhuma com tal ideia racista manifestada.

50 – M.R. – Sim. É difícil de acreditar, mas está lá sim. Quando frequentava os centros espíritas kardecistas, não tinha lido isso, também nunca ouvi nenhum kardecista falar sobre isso. É um preconceito inaceitável, isso mostra que Allan Kardec não foi uma mente iluminada. Tinha inúmeras qualidades e deixou um legado importante, mas uma mente iluminada jamais acredita que certas raças são inferiores a outras, pois sabe que não é verdade. Isso também mostra o quanto é importante pesquisar, ler, conhecer bem a religião que desejamos seguir, caso sigamos alguma. Hoje em dia eu não sigo mais nenhuma. Reconheço o Senhor Jesus como Mestre e Ele não deixou religiões aqui na Terra. As religiões foram inventadas pelos homens. Eu procuro seguir meu coração para acreditar em ensinamentos, reconheço como verdade quando sinto no meu coração que é verdade. Aprendi que quando algo é verdade, sinto uma alegria e um alívio, um alívio de liberdade, como se tivesse soltando alguma corrente, algo que amarrava, prendia. Tudo o que faz me sentir LIVRE, reconheço como verdade, pois a Liberdade está dentro dos princípios do Amor. Não tem como amar e prender alguém, portanto, se Deus ama, se Ele é o próprio Amor, com certeza Ele liberta, liberta sempre. Por isso, ao avaliar minhas crenças, entrei em conflito inúmeras vezes, me senti chocada inúmeras vezes ao tomar conhecimento de fatos da vida e ensinamentos de pessoas que se diziam iluminadas, como Chico Xavier e Allan Kardec. Mas aprendi pela experiência que, mesmo dolorida, a verdade sempre liberta. Eu não tenho raiva dessas pessoas e de outras que me enganaram, enganaram meus familiares, amigos e tantas outras pessoas. Simplesmente reconheço que é muito sério ludibriar e enganar, pois isso gera fortes consequências na vida daqueles que foram enganados. Mentiras espirituais aprisionam, tornam a vida de quem se iludiu um mar de sofrimento e muitas vezes não tem volta. Por isso, acho muito importante avaliar sempre minhas crenças e reconhecer o que não serve para deixar de lado, e o que for bom, manter comigo e utilizar no meu dia-a-dia.

É importante que o maior número de pessoas tome conhecimento das mentiras apregoadas por aqueles que se diziam iluminados mas que não passaram de iludidos e dissimulados, para poderem se libertar, olharem para dentro de si e serem felizes.

50 – D.T.S – Sim, eu mesmo li estas passagens escrito no Gênese segundo Alan Kardec. Se alguém duvida, procure e leia!

50 – R. – Não. Mas sei que este pensamento era muito recorrente e normal na época de Kardec, senso comum.

50 – T.G. – Não. Para mim, esta afirmação é nojenta e asquerosa. Como pode um homem dizer conhecer Deus e acreditar que é superior devido à cor de sua pele, ou à sua raça… ou mesmo ao seu sexo ou à sua espécie… ?

50 – B.Z. – Sim, agora eu acredito sim. Fui atrás e li essa parte na Gênese segundo Alan Kardec. Tá lá.

50 – M.N.N. – Não. Nossa! Difícil imaginar e ver toda uma instituição “religiosa” fundamentada em passagens como esta. É um berço que balança uma “civilização” doente!

50 – R.V. – Sim, só vai duvidar quem não leu esse livro.

50 – B.D. – Não. Um absurdo total na minha opinião. Diminuir o seu semelhante é destruir o Divino presente dentro de você.

50 – C.S.D. – Sim. Porque assim como a bíblia que foi escrita por homens também e possível que Alan Kardec tenha colocado sua opinião impressa em sua obra.

50 – M.M.O. – Não. Pois a consciência espiritual de um homem, nada tem ligação com a cor de sua epiderme. A iluminação sobrevêm independente de sua epiderme. Mestre Jesus, Sidarta Gautama o Buda, possuia epiderme escura, Lao-Tse tinha epiderme amarela, Cacique Seatle tinha epiderme vermelha, Platão tinha epiderme branca e ambos tinham em comum a ILUMINAÇÃO.

50 – C.A.G. – Sim. Padrinho, se o Senhor. está falando que está escrito eu acredito rsrs e o texto de Alan Kardec demonstra claro preconceito e escala de superioridade entre “raças”, que em verdade a raça humana é somente uma.

50 – E.M. – Sim. Constatamos a veracidade de tais afirmações em uma breve busca. Não pela intelectualidade questionada, pois sabemos que o progresso material acaba dependendo da habilidade de articulação intelectual. A inocência e pureza de muitas raças acabaram por lança-las às orlas sociais. Os verdadeiros “donos” das terras. Os que prezaram a liberdade e demonstraram gratidão à terra que os acolheu, são raros de serem encontrados hoje em dia em seu habitat natural. A forma de colocação ao dar continuidade à leitura textual nos remete a referencia de um processo evolutivo. Seriam fases ou etapas a serem transpostas que poderiam ser discutidas em certos pontos. Porém, levar a sério tais afirmações seria afirmar que um ser humano caucasiano que prende um ser de pele negra em uma jaula de um zoológico como um animal selvagem (como aconteceu na Alemanha), seria mais evoluído e merecedor de “benefícios Divinos”. Bem, como mestiça de várias raças, não estaria respondendo este questionário. Estaria nas ruas ou já teria sido exterminada pelos nazistas. Encontramos citações de Alan Kardec referindo-se aos “inimigos”. Posso compreender que pessoas como eu, que ainda estão em busca espiritual, cometam tais equívocos. Mas, vinda de alguém que funda uma doutrina a ser seguida é, no mínimo, lamentável.

50 – A.N. – Sim acredito, pois já sabia que Allan Kardec não era tudo isso que o espiritismo prega, pois ele fala sobre umbrais e obsessores, carma e sofrimento após a morte, mas não sabia que ele era racista, então fui pesquisar e encontrei realmente o trecho acima no livro “A Gênese (comentado)”. O racismo é a mais forte expressão de uma alma sem luz.

50 – M.F.G. – Não. Por que vejo aqui um ar de superioridade, de que a raça dele é superior às demais. Realmente este trecho me parece ser  preconceituoso, sem contar que está meio sem sentido, né? Quando Kardec diz que espíritos recentemente nascidos na vida espiritual, vindo a se encarnar sobre a terra desde que chegaram em primeiro lugar, tornaram mais sensível a diferença do progresso. Ficou sem sentido nenhum, realmente não entendi o que ele quis dizer com isso.

Obs.: Coloquei um não como resposta, por que eu não acredito no que está escrito. Mas eu acredito que isso está escrito porque tenho este livro e antes de responder li essa passagem no próprio. Já tentei ler este livro mas não consegui. Achei muito complicado.

50 – R.R. – Não. Ainda bem que nunca li nada sobre esse tal. Como é porcaria, Deus já tirou de cara de minha vida. Engraçado que os capitalistas que exploraram muito as regiões selvagens devem adorar esse tal de Kardec.

50 – V.L. – Não, porque somos a semelhança Divina de Deus

50 – J.J. – Não, Penso que isto é um devaneio da mente do escritor.

50 – I.T. – Sim. Infelizmente esse tipo de manifestação de preconceito e racismo sempre se manifestou no Kardecismo.

50 – J.A. – Sim. Papel aceita TUDO.

50 – F.G. – Sim e Não. Acabei de pesquisar e realmente isto está escrito, acabei descobrindo outras citações com tons de racismo… por exemplo  em “Fenologia espiritualista e espírita – Perfectibilidade da raça negra” esta escrito : 
“Eis por que a raça negra, enquanto raça negra, corporalmente falando, jamais atingirá o nível das raças caucásicas; mas, na qualidade de Espírito, é outra coisa: pode tornar-se e tornar-se-á aquilo que somos. Apenas necessitará de tempo e de melhores instrumentos”.

Link onde contem o texto:
http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/re/1862/04a-frenologia.html

 Realmente um absurdo.

50 – A.S. – Sim. Acredito que esse era o pensamento dele naquela época, influenciado pelo estudo aprofundado da bíblia e não de uma reflexão profunda sobre o Deus de amor e sobre a real origem da humanidade.

50 – M.A.T. Sim. Acredito que esteja escrito, mas também que é uma mentira. Uma contradição aos princípios divinos.

50 – M.C. – Sim. Está escrito, contra fatos não há argumentos.

50 – R.M. – Sim. Acredito que Alan Kardec foi um grande preconceituoso com os indígenas, negros, pobres e com os de raça amarela também. Na verdade, ele não queria praticar o amor e a caridade, pois era completamente presunçoso e soberbo.

50 – F.L.B. – Não. Acreditar em tal racismo por parte do Pai e desigualdade, prioridades, seria compartilhar um Pai racista.

50 – B.C. – Não. Isso é completamente preconceito, pois não existem etnias é apenas uma criação do homem.

50 – H.J. – Não. São lições do ego feitas para o ego.

50 – M.S. – 
Não. História de criança; pessoa sem maturidade espiritual.

50 – P.E.D. – Sim. Está escrito e perante aos fatos não há duvida.

50 – M.F. Não.

50 – S.G. – Sim. Acredito, como de fato está escrito isto, Allan  Kardec deu um mau exemplo neste caso, entretanto, como qualquer pessoa não é perfeito e estava sujeito a influência racista e arrogante típicas do século XVIII, entretanto, não podemos jogar no lixo todas as obras dele sem antes analisar se tem alguma serventia.

50 – I.P. – Não. Isso é coisa de homens. Deus ama igualmente a todos.

50 – C.C.A.A. – Não. Alan Kardec nunca escreveu nada de sua opinião própria. De acordo com os espíritas, “pegou” suas informações de vários espíritos. Como não sabemos qual é a verdadeira forma destes espíritos, se eram fanáticos, de qual nacionalidade foram, de qual religião? Ninguém sabe. Pra mim é só uma opinião, uma crença.

50 – L.A.P. – Sim. É possível; desde que conheço o espiritismo kardecista tenho certa dificuldade em engolir este tipo de colocação.

50 – M.C.Q. – Não. Tal afirmativa apenas reflete a interpretação equivocada sobre as raças, uma vez que o autor contaminou a informação canalizada com sua base cultural e intelectual, ou pior, esta pode ser totalmente fruto de sua mente racional.

50 – A.C.Z. – Não. A elevação do planeta será diferente; estamos vendo as mudanças, o buscador encontrará a verdade dentro de si mesmo.

50 – R.S.S.S. – Sim. Mais uma mentira pregada pelo racismo, ou melhor, por “seu” Alan Kardec. E o que é pior? Acho mesmo que nem seus discípulos interpretaram estas suas informações da forma correta. Claro que, com certeza, tenha alguns percebidos suas colocações preconceituosas e doentias, percebido sua prepotência e arrogância querendo separar as raças, e com certeza o ignorou os que leram. A verdade é que ele queria com isso induzir seus seguidores a fortalecer o desejo de Hitler- em criar uma raça ariana. Tamanha era a sua estupidez e prepotência.

 

51 – Como descreveria a mente de uma pessoa (seus pensamentos e realidade, sua vida e atitudes), que nascesse e crescesse numa sociedade totalmente tomada por conceitos religiosos e ensinamentos de igrejas e doutrinas sobre a existência de um deus relativo (Medonho), externo (Mora lá… no céu!), falho e imperfeito (Arrependeu-se de criar a humanidade e afogou o planeta), Punitivo (permite a existência de um inferno e umbrais de sofrimento), impotente (tem opositores como o diabo, obsessores, magia negra, macumbas, catiça, além de precisar de leis e débitos espirituais como o carma para reger a vida e o universo), ciumento e vingativo (Êxodo 20- Eu, Javé teu Deus, sou um Deus ciumento: quando Me odeiam, castigo a culpa dos pais nos filhos, netos e bisnetos); Mesquinho, Cruel (Deu ao homem o livre arbítrio para escolher e fazer o que bem desejar, mas se escolher e fazer aquilo que desagrade a ELE Deus, será castigado, amaldiçoado, entregue como escravo de outros etc.); Tirano (Tirano é todo aquele que tira dos outros: Se não dizimar deus não vai abençoar)?
Como acredita que seriam os pensamentos e realidade, a vida e atitudes de uma pessoa nascida e crescida numa sociedade totalmente tomada pelos conceitos religiosos e ensinamentos de igrejas e doutrinas sobre um deus relativo o qual se ofende; sujeito a ira; que amaldiçoa até a seus filhos; que permite a existência do mau e tentações por parte de diabo, obsessores e obsessões; Um deus que manda seus enviados destruírem nações, matar até as criancinhas dos vilarejos e tudo isso em seu nome; um deus de necessidades e de vontades?
Reflita e após descreva em detalhes:

 

51 – M.N. – 
A mente de uma pessoa criada em nossa sociedade contemporânea reflete os pensamentos de medo e culpa, impostos pelas igrejas, religiões e governos ao longo de séculos, projeta o sofrimento e carrega a crença de que esse sofrimento é um caminho para a salvação, que existe salvação e que até se pode comprá-la, uma mente que se sente rejeitada e discriminada, ao mesmo tempo que rejeita e discrimina, não tem coragem de enxergar a si mesmo e terceiriza a culpa de seu sofrimento para outros, é infeliz, não tem paz interior, age conforme seus instintos mais básicos, quer dominar as outras pessoas, tem atitudes egoístas e busca obter riquezas materiais e ter poder sem responsabilidade a qualquer custo, possui conflitos em todos os setores de sua vida, manifestando as mais variadas doenças, sofre de distúrbios psicológicos e espirituais, acredita num deus vingativo e manipulador, que pune, ou mesmo, acredita que Deus não existe e junta-se ao inconsciente coletivo criando uma realidade conflituosa para o planeta, de divisões, guerras e destruição, o oposto de Deus.

51 – M.R. – A mente de uma pessoa que vive nessas crenças não seria nada diferente da mente da maioria das pessoas da humanidade atual ou antiga. Fomos criados para acreditar nessas verdades que aprisionam. Uma pessoa criada com essas “verdades” vive cheia de medo e inseguranças, não se sente merecedora de bênçãos, portanto, acaba criando uma realidade infeliz para si. Vivendo aprisionada, uma pessoa com esse tipo de crença torna-se alguém com baixa auto estima, pensando que Deus estará sempre pronto para, a qualquer momento, vingar-se dela, mandando mais e mais sofrimento para sua vida. Portanto, sofre, sente raiva, medo e culpa e, assim, apresenta dificuldades para realizar conquistas, como estudar, encontrar uma boa profissão, prosperar materialmente e ser feliz em todos os relacionamentos. Com esse tipo de crença, uma pessoa pode também se endurecer, tornar-se amarga, pois, seguindo o exemplo do deus vingativo e cheio de vontades em que acredita, torna-se também uma pessoa vingativa e cheia de vontades. Se prospera materialmente, não auxilia o próximo, pois o Deus em que ela acredita, não ensinou que seu semelhante é tão valioso quanto ela própria. Os sentimentos de superioridade ou inferioridade em relação aos semelhantes, criam um mundo dividido. Dividido entre raças, dividido entre religiões, dividido entre fronteiras, dividido entre nações. E acabam por gerar guerras em nome de deus e/ou em nome do bem estar e segurança de um povo. Pessoas com crenças negativas como essas, acabam por criar um mundo desunido, desarmônico e cruel.  Uma pessoa que acredita em obsessores, tira a responsabilidade de si mesma, por crer que existem espíritos malignos influenciando sua mente para que cometa erros, para que faça coisas das quais não deseja, não enxergando que ela própria é quem toma as decisões de sua vida, portanto, é responsável pela forma como vive. Uma pessoa que crê num deus irado, vingativo, que crê no mal, em umbral e obsessores, acaba por não viver o momento presente, vivendo sempre no passado ou no futuro. Teme o futuro por desconhecer que Deus é Amor e está sempre zelando por nós. Lembra do passado enchendo-se de culpa e arrependimento pelo que fez ou não fez.  Vivendo sempre no passado ou no futuro, a pessoa não se atenta para o que está plantando agora, que vai gerar a colheita ali na frente, e entra num círculo de infelicidade e sofrimento. Um mundo de pessoas que vivem nas crenças do medo e da culpa, tem espaço a desigualdade social, tem espaço para muitos que morrem de fome, de sede e de doenças, enquanto outros morrem de tanto comer, se esbaldam em consumismo e tem acesso aos inúmeros benefícios que a ciência e a tecnologia proporciona. Num mundo de pessoas com essas crenças, justifica-se criar guerras e cometer horrores em nome de deus ou para defender um povo de terrorismos inventados por eles próprios. Num mundo de pessoas assim, justifica-se a tirania, ditaduras e governos como o capitalista, que mantém pessoas que pensam serem livres, mas que na verdade, são escravas do sistema do Ter, onde ter é o mais importante, e onde o Ser fica esquecido.

51 – D.T.S –
Uma mente espiritualmente limitada, retardada, sofredora, tal qual geralmente são os católicos, os crentes, e numa porcentagem um pouco menor, os espíritas.

51 – R. –
Não é Deus, isso é a ira de homens manifestada. Homens inclusive de pouquíssima luz. Já me condenei e culpei muito por estes tipos de crenças terríveis, levam ao sofrimento e autotortura, graças a Deus hoje sei que posso jogar fora todo este lixo mental e não serei castigada.

51 – T.G. – Acredito que seja a mente do homem atual, em sua maioria esmagadora. Nossa sociedade foi criada e educada sob o chicote do medo e da culpa, por pessoas que nivelam Deus pelas suas fraquezas, justificando seus atos equivocados com supostas afirmações de um “deus” que sequer existe. Posso afirmar que, em nossa sociedade, o homem criou “deus” à sua imagem e semelhança, projetou nele todas as suas pequenezas… este é o panorama atual de 98% das pessoas que habitam nosso planeta.

51 – B.Z. – Descreveria com a mente coletiva de hoje. Essa descrição é a exata situação do mundo de hoje! Nós estamos seguindo rumo a um caos inevitavelmente

51 – M.N.N. – Vejo como uma mente completamente limitada, cheia de julgamentos e preconceitos. Uma vida repleta “injustiças” onde tudo e todos são culpados pelas “coisas ruins” que lhes acontecem. As más escolhas feitas se deram porque tem uma coisa ruim, um diabo que lhes influenciam. Vejo uma vida cheia de traições, inveja, repressões. Vejo atitudes tomadas por medos e comportamentos amorais.

51 – R.V. – Um espírito preso, limitado, um escravo!

51 – B.D. – A pessoa que realmente esta cada dia mais se entregando a tirania de Deus, se entregando aos contos de um inferno punitivo, dos obsessores que castigam, das macumbas jogadas com poder de destruir vidas e famílias; estão equivocadas e cada vez mais baixando sua frequência, perdendo sua essência do Divino dentro de si.

Como ser um templo de deus vivo e ainda achar que ele mora lá fora, o homem cria suas macumbas, cria suas destruições, cria suas ilusões e seus infernos.
Eu sou Deus filho, Eu sou amor, Eu sou divino.

Deus esta em mim, Deus esta em Ti. Felizes viveremos.

51 – C.S.D. – Seria como marionete, cheia de medos, culpas, julgamentos, teria desencadeado muitas doenças físicas e mentais, vivendo em um constante sofrimento, e anulando meu direito de amar.

51 – M.M.O. – Uma sociedade embasada em fortes sentimentos de medo e culpa, como a sociedade que vivemos atualmente, que cria o caos, vive em total desarmonia, disseminando guerras, luta por poder, doenças, vicios, mentiras, maldade, opressão, miseria, fome e desvios comportamentais, bem como sexuais.

51 – C.A.G. – Os pensamentos e a realidade que ela criaria (sua vida e atitudes) refletiriam a programação que foi feita. Somente o fato de a pessoa acreditar que DEUS “está fora” já geraria todo o tipo de infortúnio, somando-se a isso, além de DEUS estar fora, crenças que ainda DEUS é imperfeito, punitivo, impotente, ciumento, vingativo…  é “prato cheio” para deixar essa pessoa submissa às vontades daqueles que se beneficiam da propagação da mentira e do medo.

51 – E.M. – Bem, podemos observar nossa atual experiência. Crescendo em uma sociedade que cultiva tantos medos e cobranças, conhecemos a dor da solidão bem de perto. Os pensamentos eram 100% julgamento a todo instante. Julgamos e condenamos irmãos e a nós mesmos. Tudo racionalizado pela mente severa. Tivemos uma educação rígida. Fomos punidos e aprendemos a ser “pessoas de bem”. Não roubar, não matar…cumprir os mandamentos ensinados bastavam para colocarmos nos acima dos demais seres humanos e nos permitia condenar as ações alheias. Excluímos de nossa lista os “criminosos”. Comparamos suas ações como a dos animais selvagens, nem mesmo termos observado que a natureza segue seu curso natural. Que um animal selvagem só é chamado assim por ter como habitat, a selva. Que eles também têm uma convenção a seguir. Somos os únicos animais que matam profissionalmente ou por simples diversão. Tivemos medo do escuro. Nele se escondeu nossos medos. Até medo de tomar banho despidos, sentimos na infância. Era pecado mostrar o corpo e Deus que estava em tudo, estava também no banheiro. Que vergonha! Se algo dava errado, a culpa era de um olho gordo, feitiçaria, um ataque. Nunca analisamos qual ação realizamos para que o fato tivesse acontecido. Desejamos algo com tanta força que questionamos a Deus porque não concedeu nosso desejo se tínhamos feito tudo certo. Poucas vezes percebemos que o que parecia ter sido tirado de nós era, na realidade, uma troca. Algo velho e ultrapassado estava sendo trocado por algo muito melhor. Choramos por ter sofrido uma rejeição e não tivemos olhos para observar aqueles que nos amaram e cuidaram de nós na hora de nossa dor. Lamentamos o que não podíamos possuir e esquecemos de agradecer a fartura que nos foi presenteada. Deixamos que o mundo ditasse nossas necessidades e deveres. Por vezes tentamos remar contra a maré social, mas o medo da solidão nos trouxe, nos arrastou de volta ao medo. Um vazio tomou conta de nosso ser e achamos, por um instante, que o poeta estava certo. Que seja eterno enquanto dure. Sobrevivemos a pobreza, a rejeição, a culpa, ao medo… pior foi o medo de imaginar que um Deus tão rigoroso e vingativo não nos perdoaria jamais e que estávamos condenados ao inferno. Bem, até que o Kardecismo foi muito importante neste momento. Ele trouxe uma nova esperança. Bem, ainda teria a chance de nascer e nascer… até “pagar” minhas dívidas espirituais… os carmas.

51 – A.N. – Seus pensamentos seriam de medo, instintivos, egoístas, uma mente dominada pelo que padres e pastores falam ser a verdade, não se questiona e muito menos reflete sobre as coisas da vida e sobre o que lhe dizem ser “certo”. Essa mente ainda se encontra na inconsciência do Ser, na fé cega, ainda se encontra presa nas coisas materias, na ilusão e tem “aquilo que pensa” como sendo a verdadeira identidade. Como consequência sua realidade será desgraçada, com sofrimento, doenças, miséria, medo, vazio interior, pois a forma como pensa cria toda a realidade. Suas atitudes serão puramente embasadas no medo (de pecar contra Deus, de morrer, de desagradar a Deus e ser castigado, de ser amaldiçoado), e a pessoa se afundará cada vez mais na inconsciência, nas coisas da ilusão. Viveria na frustração, pois acredita em algo que não é real e não testificaria sua fé realmente, pois está preso em dogmas.

51 – R.R. – Tinha interesse que essas pessoas pensassem assim pra dominá-las pelo medo. Manter o tal do cabresto. O medo imobiliza as pessoas. Ouço este ditado até hoje. São as tais historinhas plantadas como o senhor nos fala sempre. Engraçado que já presenciei vários pastores discutindo e mostrando passagens da bíblia, mas as desse tipo eles nunca mostram e nem falam.

51 – V.L. – Eu descreveria uma pessoa perturbada mentalmente e não evoluída espiritualmente.  Inventou um Deus que tenha necessidades, vontades, um ser cruel, ciumento e vingativo. O Deus absoluto não tem vaidade, não é vingativo. Deus é amor.

51 – J.J.NÃO HÁ RESPOSTAS

51 – I.T. – O resultado disso tudo é a atual humanidade e a atual sociedade que predomina no planeta terra, ao menos nessa dimensão.

51 – J.A. – Uma Mente humana sujeita criar o mau ou BEM.

51 – A.S. – Infelizmente vivemos dentro dessa sociedade e é mais difícil do que se pensa romper com todas essas crenças, vejo isso bem próximo de mim dentro da minha família, o que dizer?

Sem querer impor, e, devagar vou dando doses homeopáticas e mostrando, através dos fatos, outra realidade.

51 – M.A.T. – Essa criatura será infeliz, iludida, fechada, triste, insegura, amedrontada, submissa, dominada e agiria de forma equivocada para com seus semelhantes.

51 – M.C. – Vejo na descrição acima a minha vida e todas as crenças que me fizeram por muito tempo ter medo e culpa.

51 – R.M. – Descreveria como uma pessoa alienada e ignorante, pois de acordo com as minhas convicções, a bíblia, que foi escrita pela mão do homem, eu considero repleta de inverdades. A minha concepção de Deus é completamente diferente.

“Levante uma pedra e lá estarei. Corte um pedaço de madeira e lá estarei. Eu estou na flor. Estou no vento. Estou no coração do homem. Onde dois ou três se reunir em meu nome, eu lá estarei.”

É nisso que acredito. Essa é a minha verdade. Portanto não sei como definir a mente de quem acredita no que está descrito acima.

51 – B.C. – Quando nós nascemos, somos massacrados pelo sistema, pela nossa ‘’educação’’, pela escola e principalmente pelo conceito religioso da nossa sociedade; ao nascer, somos uma folha em branco, onde são, implantados os medos, o sentimento da culpa, fazendo   com que o indivíduo se firme em conceitos em que ele nunca se questionou, que ele apenas considera como a verdade; não conseguindo desconstruir esses bloqueios, ele se tornará infeliz e irá procurar Deus fora – em igrejas e livros, não procurando se voltar pra dentro, acreditando em um Deus que pune e castiga, que tem um diabo como opositor.

51 – M.S. – Confusa e com referências falsas, sua vida caminha de forma errada pelo que aprendeu.

51 – P.E.D. – Esta pessoa nunca poderia se espiritualizar verdadeiramente, pois estaria presa a dogmas e conceitos humanos equivocados. Não estaria livre pra conceber novos ensinamentos, pois isso seria um pecado, um erro. Só evoluímos na medida em que deixamos o velho para trás, os antigos e falsos conceitos e quando estamos abertos à mudança e busca da verdade.

51 – C.C.A.A. – Essas pessoas estariam em constante medo de tudo. Com um Deus assim, já tenho dúvidas se as pessoas iriam gostar dele. O diabo é mais legal, libera tudo e tudo pode. Deste jeito, se as pessoas pensassem bem, o inferno é a melhor opção, lá é só felicidade.

51 – L.A.P. – Seria uma pessoa incapaz de enfrentar a si mesma e encarar a si mesma como responsável pelos próprios infortúnios, esconder-se-ia a vida toda de qualquer experiência que contrariasse algum dos dogmas da sua religião e opor-se-ia brutalmente a ponto de fazer guerras àqueles que manifestassem a crença em dogmas diferente do seu. Nada muito difícil de imaginar…

51 – M.C.Q. – A mente dessa pessoa seria o reflexo dessa base cultural, de verdades totalmente distorcidas. Essa realidade, a qual a pessoa esta inserida, seria um fator preponderante na perpetuação da dormência da consciência dessa pessoa, seriam como correntes que aprisionam o ser na tentativa desta conhecer sua real natureza divina.

51 – A.C.Z. – Só passear em qualquer cidade brasileira, em São Paulo na Av. Paulista e observar os irmãos atormentados, andando de um lado para outro sem saber o que buscam, e veremos o resultado do que narra o Padrinho em sua pergunta. É uma vida sem nenhuma perspectiva,é viver do ontem pensando no amanhã e, deixando passar o hoje-principal dia de nossas vidas.

51 – R.S.S.S. – A minha descrição sobre uma pessoa que foi condicionada a estes conhecimentos: ela é verdadeiramente o retrato fiel desta humanidade da qual estamos presenciando, ou seja, a exuberância da prepotência, da arrogância, do egoísmo, o reflexo do egocentrismo. Totalmente presos à ilusão da matéria, a seus dogmas e preconceitos.

Uma pessoa criada sob estes conceitos seria uma pessoa totalmente presa aos dogmas e tabus de uma sociedade sedimentada nesta estrutura falida para esta época.

 

52 – Como descreveria a mente de uma pessoa (seus pensamentos e realidade, sua vida e atitudes), que nascesse e crescesse numa sociedade totalmente LIVRE da ilusão sobre a existência de um deus relativo? Uma sociedade amadurecida sobre a compreensão de que Deus é de fato Absoluto, Amor, Felicidade e que, portanto está em todos os homens, Ama a todos os homens e deseja a felicidade de todos os homens?; Um Deus que é: Interno em todos os homens (o homem nasce na qualidade de templo vivo de Deus e se interiorizando através da meditação o encontra e mantem um íntimo contato com o Divino); Perfeito (somente ordem e graça emanam de suas mãos); Compassivo (jamais julga ou condena, até porque é DEUS!); Onipotente (Único poder – sem opositores); Compreensivo e Afável (que o compreende completamente e além em todos os aspectos, e o que mais gosta é de acolher e abençoar a todos); Magnânimo e Bondoso ( Deu ao homem o livre arbítrio para escolher seguir o caminho que desejar, mas cuidou antes de que não importe qual seja o caminho escolhido, sempre conduzirá você à ELE-Deus); Dadivoso e munífico ( Todo poder da mente do homem é simplesmente dádiva de sua a bondade. Abençoa com grandeza e tudo que deseja é te ver totalmente feliz!)
Como acredita que seriam os pensamentos e realidade, a vida e atitudes de uma pessoa nascida e crescida numa sociedade totalmente integrada com o Absolutismo, Amor e Felicidade que é Deus? LIVRE dos mitos e maledicências das igrejas, doutrinas, religiões, políticos e governos? Um Deus Banzado e onde o cântico da sabedoria ecoa em todas as suas obras? Um Deus supremo que do hausto de sua boca cria universos, dá vida aos mundos, ascende estrelas, toca as galáxias com os dedos e elas prosseguem em harmonia seu curso no universo? Um Deus Amoroso, Supremo, Gracioso, Feliz… Absoluto! Que te fez sua imagem e semelhança rapaz, ou seja, nascido para ser Amoroso, Supremo, Gracioso, Feliz… Absoluto!?
Então querido, como acredita que seriam os pensamentos e realidade, a vida e atitudes de uma pessoa nascida e crescida numa sociedade amadurecida assim? 
Reflita bem para só depois descrever.

 

52 – M.N. – 
Uma pessoa que nasce e cresce em uma sociedade espiritualizada, amadurecida, onde ciência e espiritualidade caminham juntas, cultiva pensamentos positivos e bondosos, tem atitudes gentis e afetuosas, compartilha o que tem e acredita na verdadeira felicidade coletiva, respeita todas as formas de vida, ama todos os seres vivos, expressa o Amor, Inteligência, Sabedoria, Vontade, Sensibilidade, tem plena consciência de suas escolhas e caminha em direção ao Amor Incondicional, é feliz, pacífica e pacificadora, cria em torno de si um ambiente de harmonia, equilíbrio e verdade, mantém-se conectado com Deus e segue o fluxo da sincronicidade do Universo. Uma mente liberta e madura espiritualmente integra os reinos vivos, acessa os planos espirituais, se torna um canal através do qual flui as mais variadas formas de expressão divina, manifesta a Mente de Deus a cada momento e comunga do Poder da Luz. Uma sociedade composta por mentes evoluídas dessa forma manifesta um nível de harmonia, integração e felicidade, uma realidade tão magnífica e divina, que alguns poderiam chamá-la de sociedade “perfeita” ou mesmo de “paraíso”.

52 – M.R. – A vida de uma pessoa que já nascesse e vivesse nessas crenças, com certeza seria uma vida plenamente feliz, a pessoa viveria mantendo-se no momento Presente, usando a intuição para direcionar suas atitudes. Seus pensamentos seriam positivos. Sendo seus pensamentos positivos, suas palavras e ações seriam igualmente positivos, criando uma realidade feliz ao seu redor – para si e para seus semelhantes. Sentindo-se livre, a pessoa saberia que pode viver o que desejar, que pode escolher a profissão que mais combina com seus dons naturais, saberia que a prosperidade e abundância existe para todos e viveria mais em doação. Sentindo-se livre, a pessoa saberia que compartilhar é fundamental para viver plenamente feliz, seria livre do sentimento da culpa e do medo. Saberia que as diferenças entre raças, entre povos que falam diferentes línguas e entre diferentes crenças são apenas aparentes, e que, em essência, somos todos irmãos. Saberia que só existe uma famíla, a famíla humana e só existe uma nação, a humanidade. Saberia que todos têm direitos iguais, que todos merecem morar decentemente, comer adequadamente e beneficiar-se dos recursos tecnológicos e científicos, portanto, trabalharia para que o mundo funcionasse exatamente dessa forma. Num mundo de pessoas livres, não vejo espaço para fome e sede, miséria, para tirania, revoltas ou guerras. Num mundo de pessoas livres, só vejo espaço para o Amor, a Paz e a Harmonia reinar. Quanto maior for o número de pessoas libertas, mais o mundo será de Paz. O sistema mudaria, seria um sistema igualitário, não haveria divisões entre povos, todos teriam saúde e sentiriam-se felizes. Seria um mundo de pessoas solidárias, todos sentiriam-se seguros e amados. Seria um ótimo lugar para morar, enfim! Estou contando os dias para viver nesse mundo.

52 – D.T.S – Uma mente livre, feliz, responsável e amorosa. Vejo aqui a manifestação da mente de deus.

52 – R. – Os pensamentos refletiriam o mais puro amor e compreensão e a realidade seria a felicidade coletiva. Quero viver isso!

52 – T.G. – Puxa… seria uma mente LIBERTA! Andaria de peito aberto, com a Luz da Verdade em seu Coração! A nada temeria, pois saberia que jamais seria condenado por Deus, e seu respeito seria tão grande às coisas sagradas, que seria incapaz de matar, roubar ou cometer qualquer equívoco que prejudicasse seu semelhante ou a sociedade. Seria um ser radiante, e levaria somente Amor e Esperança aos corações.

52 – B.Z. – Descreveria como: FELICIDADES!

52 – M.N.N. – Vejo um homem responsável por si, pelas suas escolhas, vejo a manifestação da verdade. Vejo atitudes leves, pois não carregam o peso da culpa. Vejo um homem que vive o perdão por saber e ter consciência de que não existe certo e errado e que não inveja pois sabe que mudando suas escolhas mudará a realidade que não lhe agrada.

52 – R.V. – Um espírito livre, feliz

52 – B.D. – Um mundo de pureza. Um mundo livre das amarras e das ilusões criadas por mentes doentes que tentam pregar o mal criado por homens que se distanciam cada vez mais de Deus, pois deus sendo absoluto, nenhum mal existe de fato como sendo criado por ele. A maior essência do amor (Deus) é: o Deus que esta dentro de mim e dentro de cada templo vivo que habita esta terra.
Um mundo com esses ensinamentos e com toda essa visão do Absolutismo de deus só pode despertar cada dia mais a pureza, o amor e a harmonia em cada templo vivo existente nessa terra.

Sendo nos homens a criação em toda sua imagem e semelhança, só podemos ser amor e harmonia, alcançando assim o absolutismo do deus habitante em cada um de nos, sendo assim, nenhum mal existe de fato, como: macumbas, infernos, obscessores etc.,não podem existir ou atingir deuses filhos que somos.

Com tais ensinamentos as mentes despertas só poderiam espalhar a paz o amor e o absolutismo do supremo Deus, afastando cada vez mais o mundo das ilusões, dos contos, das maldades inexistentes, da vaidade e das mentiras criadas pelo homem iludido. Com todo esse ensinamento os templos serão sim, despertos.

52 – C.S.D. – Nossa realidade seria completamente diferente da que temos hoje: teríamos acesso direto ao nosso “EU” e saberíamos de fato quem somos, estaríamos de posse de todos os recursos que a natureza nos dispõe e a felicidade tão buscada e almejada por todos seria constante realidade, todos viveríamos em harmonia com a natureza e nada nos faltaria, viveríamos com irmandade, sem apegos e dispondo da realidade divina. Antes, jamais poderia imaginar ser possível algo assim, mas agora já posso criá-lo dentro de mim, e acredito que um dia todos chegaremos à consciência divina e ao amor sublime de Deus, onde só existe amor e felicidade.

52 – M.M.O. – Uma sociedade de Amor, respeito, justiça, igualdade. Saudavel, Prospera, Feliz, todos vivendo como irmãos, respeitando uns aos outros. Vivendo o Amor em sua totalidade, a abundância de recursos, possuindo as virtudes da humildade, compaixão, tolerância, benevolência, gratidão. Vivendo da prática e disciplina constante da oração, e da meditação.

52 – C.A.G. – Em PAZ! FELIZ! Uma mente Vazia e Completa ao mesmo tempo! Refletindo uma vida FELIZ e ABUNDANTE em Todos os Aspectos que nós rotulamos como BOM! Manifestando atitudes sem preocupação ou possível arrependimento posterior. Uma realidade perfeita satisfazendo todos os anseios da alma.

52 – E.M. – Um mundo de Paz! O mundo que sonhei ver Acontecer um dia… Hoje, consigo sentir como é ser alguém que nasceu em uma sociedade que Vive O Absoluto. Aos poucos passamos de protagonistas a observadores em várias situações. Somos, hoje, mais compreensão, mais amor, mais compaixão e o mais importante: Somos Gratidão! Percebemos nitidamente a mudança positiva que ocorre à nossa volta diariamente. Aos poucos, vamos abandonando o hábito adquirido de querer carregar o mundo para onde ele não deseja seguir. Compreendemos que, cada vez que lutamos e discutimos,tentando convencer que estamos certos, criamos barreiras cada vez maiores que nos isolam de tudo e de todos. Tentamos manter o silêncio tanto na mente como na boca e quando conseguimos, colhemos os frutos doces da Paz. Imaginamos então, se com tão poucas mudanças que realizamos pouco a pouco, o mundo ficou mais florido a nossa volta, o resultado seria Perfeição se tivéssemos crescido em um ambiente como o que foi descrito nesta questão! Amor seria nosso Viver! Colaboração, Cooperação, Disciplina… Funcionalidade Definida e Compreendida. Não haveria buscas por recompensas nem reconhecimento. Saberíamos desde a infância quem Somos e isto bastaria para viver intensamente cada instante! Gratidão seria a única moeda de troca nesta sociedade. Tanto por quem foi auxiliado quanto por quem auxiliou! A Fartura seria reconhecida. Teríamos consciência de colher somente o necessário. Não acumularíamos tanto e consequentemente não haveria desperdícios, nem excessos. Sem medo, não mais sentiríamos dor nem sofrimento. O Absoluto Seria sempre conosco! Seríamos Um com tudo e com todos!!!!

52 – A.N. – Essa pessoa seria a expressão da Mente de Deus! Seus pensamentos seriam de paz, amor, compreensão sobre as coisas da vida, sua mente seria focada, disciplinada. Possui a consciência de quem realmente É, de que sua mente racional é apenas uma ferramenta e de que realmente é a Essência. Por compreender que o Pai é absoluto amor e felicidade viveria de acordo com seus princípios, seria confiante e determinado, justo, leal, amigável, amoroso, verdadeiro. Como consequência sua realidade seria próspera, abundante, feliz, vitoriosa. Por saber que é “aquele que Sente” é reflexivo, ouve a voz da intuição e a segue. Possui gratidão em seu coração, por isso se esforça para ajudar os demais, fazer o bem sem esperar nada em troca, pois Ama a todos. Suas atitudes seriam altruístas, voltadas para o bem estar coletivo, viveria a vida com intensidade e cada novo amanhecer seria único. Por sua mente estar livre de dogmas e ficções se dedicaria a manifestar as virtudes do espírito, se importaria com os momentos simples. Por viver de acordo com os princípios de Deus, comungaria com a Luz e com energia, como consequência a saúde e o vigor lhe acompanhariam, sendo um ser em movimentação, que ama o trabalho e se satisfaz com ele. Anseio pelo dia em que a humanidade viverá assim, como espelhos da Mente Universal, refletindo o divino e vivendo a Liberdade!

52 – R.R. – Padrinho, seria a maravilha completa. Viver numa sociedade verdadeiramente de luz, resultaria em pensamentos verdadeiramente iluminados. A realidade de vida seria a felicidade plena, constante. Os atos conscientes, sábios remodelando a realidade ao seu redor. A verdadeira felicidade seria o exemplo a imitar.

52 – V.L. – Descreveria como uma pessoa totalmente mente aberta, humilde e preparada por Deus, o absoluto, para estar à frente para abrir os olhos de quem segue doutrinas escritas por homens, quem não enxerga e não querem ver e buscar a verdade. Preferem viver com mentiras acreditando em um Deus que não existe, acreditando em mestres.

52 – J.J. – Não há respostas

52 – I.T. – Uma realidade de puro amor, felicidade e prosperidade, manifestando o paraíso interna e externamente.

52 – J.A. – Ao único que e digno de receber..Jesus, ensinou a amar,perdoar,e não julgar. Gideon dos Lakotas, ensinou ABSOLUTO e relativo. Simples Assim…

52 – A.S. – Seria uma sociedade iluminada e sem sofrimentos, estaríamos despertos e criando uma realidade de luz e amor e de muita prosperidade.

52 – M.A.T. – A mente desta pessoa seria liberada de todo e qualquer tipo de vício, dogmas, pensamentos ruins, tabus, pois não estaria competindo com ninguém. Estaria livre e liberta para amar e ser feliz.

52 – M.C. – De pura liberdade e de amor absoluto.

52 – R.M. – Acredito que essa pessoa estaria vivendo o tão sonhado PARAÍSO. É uma pessoa que vive a felicidade plena. O amor pleno. Uma pessoa que não tem preocupações e que não precisa de mais nada, pois vive em constante harmonia com Deus e consigo mesma.

52 – B.C. – Nossa, seria perfeito, um mundo aonde não existe o sentimento de culpa, medo; onde não há dogmas nem tabus, as pessoas se sentiriam LIVRES E FELIZES, iriam compreender o absolutismo de Deus. Todos conheceriam a sua natureza que é a bondade, o amor, a vida e a ALEGRIA, todos buscariam o intimo contato com seu cristo interno através da meditação. Realmente seria um mundo perfeito.

52 – M.S. – Mente sadia e forte caminhando bem rápido pela senda da evolução bem e feliz.

52 –P.E.D. – Este sim seria um ser de luz, pois teria a verdadeira compreensão de Deus e sua criação bem como saberia reconhecer sua natureza Divina e saberia passar o verdadeiro conhecimento.

52 – C.C.A.A. – Esse é um sonho que todas as pessoas poderiam mentalizar todos os dias. Com esse pensamento não haveria problemas políticos, sociais, pois todos estariam em sintonia com o todo.

52 – L.A.P. – Esta pessoa não viveria culpando e odiando ninguém, já que teria consciência da responsabilidade pelas suas escolhas. Os homens gastariam o seu tempo criando coisas bonitas, grandes obras, desenvolveriam suas habilidades artísticas para criar obras perfeitas e para saber admirar as boas obras de todos os seus irmãos. Não perderia o seu tempo produzindo e consumindo coisas inúteis e nocivas para si mesmo e para seus irmãos, apenas para manter no poder alguém para dizer no que ele deveria acreditar.

52 – M.C.Q. – Uma pessoa nascida nessas condições teria o discernimento e lucidez de compreender sua real natureza, suas verdadeiras capacidades, suas verdadeiras origens, sua condição evolutiva atual, enfim, essa pessoa teria todas as condições para descobrir que, em essência, ela é perfeita, e que incondicionalmente, é feliz.

52 – A.C.Z. – Estaria feliz, compreendendo sua existência e a grandeza do universo, o Amor Divino e a Paz interior e que sua experiência na terra fora finalmente concretizada.

52 – R.S.S.S. – Descreveria tal mente como a realidade mais absoluta e divina. Pois foi construída com a consciência de um Deus absoluto, um Deus de amor. Esta mente sim seria os novos moradores de uma sociedade estruturada no amor, baseada na compaixão, no respeito, na liberdade e fraternidade. Estes são os seres que atingiriam a integralidade de SER, os quais eu acredito que “habitarão” a Nova Era. É tudo isso que a minoria de seres conscientes está desejosa neste momento, que o joio se parte do trigo, não da mais para se conviver juntos, não existe espaço para ambos.

 

Reportagens e fontes

Renasce no coração da Ásia

Os regimes comunistas da China e da União Soviética perseguiram implacavelmente os devotos de todas as religiões e.
Por Texto e fotos: Haroldo Castro

Quando a República Popular da China foi criada, em 1949, o Partido Comunista decretou que as religiões eram símbolos do feudalismo e do colonialismo. O go- Q verno baniu as práticas, acuou fiéis e fechou prédios religiosos. Mosteiros e pagodes – e também igrejas e mesquitas – foram transformados em museus, quando não destruídos. O auge da perseguição religiosa aconteceu durante a Revolução Cultural de Mao Tsé-tung, entre 1966 e 1976. O Tibete, anexado em 1951, também foi – e continua a ser – vítima da onda do fanatismo anti-religioso.

Uma procissão levando 108 sutras, textos sagrados tibetanos, caminha ao redor do mosteiro Erdene Zuu, na Mongólia.

Com a abertura econômica na década de 1980, os templos budistas e taoístas na China começaram a receber um maior número de fiéis. A política interna do Partido Comunista chinês manteve a incompatibilidade entre a religião e a associação ao partido, mas a alma supersticiosa do chinês preferiu estar de bem com alguma divindade. Hoje, o censo governamental reconhece que existem mais de 120 milhões de budistas – cerca de 10% da população. No entanto, outras fontes sugerem que a fatia de adeptos do budismo poderia chegar a 80% do total nacional.

O processo de destruição dos valores religiosos na União Soviética teve início algumas décadas antes do que o da China. A “Grande Limpeza” implantada por Stálin nos anos 1930 destruiu os valores espirituais da população. Na Rússia, mais de 50 mil igrejas ortodoxas foram fechadas e cerca de 100 mil fiéis foram executados entre 1937 e 1939.

A Mongólia, no coração da Ásia Central, também sofreu as conseqüências da fúria stalinista. Lá, a “Grande Limpeza” chegou para eliminar os adversários do regime fiel à União Soviética e também para suprimir o poder do budismo e dos lamas. Mesmo sob o regime comunista desde 1924 – ano em que a Mongólia passou a fazer parte do bloco soviético -, a importância dos mosteiros budistas no país superava o poder do governo. O povo preferia seguir conselhos de um lama a adotar as determinações da administração comunista.

Sentindo-se ameaçado, o Partido Comunista aproveitou a proximidade dos sacerdotes budistas com o Japão e acusou a religião de estar alinhada com o inimigo. O expurgo ocorrido na Mongólia entre 1937 e 1939 foi implacável. Calcula-se que, antes da perseguição, havia cerca de 115 mil monges, numa população total de 700 mil habitantes. Em menos de dois anos, todo o sistema foi desmantelado. Os altos sacerdotes foram executados e os que escaparam de uma bala na nuca acabaram na prisão ou na Sibéria. Sobreviveram apenas os meninos com menos de 10 anos, depois devolvidos a seus pais.

Calcula-se que, durante esse período de terror, foram assassinadas 30 mil pessoas, das quais 20 mil teriam sido religiosos. Havia mais de mil mosteiros e templos budistas existentes antes da repressão. Em 1939, apenas três mosteiros haviam sido parcialmente poupados: Erdene Zuu, Amarbayasgalant e Gandan.

Como nenhum mestre sobreviveu, o conhecimento foi suprimido. O alfabeto cirílico russo substituiu a escrita mongol e ninguém mais teve acesso aos textos sagrados. O budismo entrou em um profundo sono forçado por mais de meio século.

É com essa enxurrada de informação que sou recebido no Museu das Vítimas da Repressão Política, em Ulan Bator, capital da Mongólia. Fotos em preto-e-branco mostram dezenas de templos destruídos e textos crus revelam a violência da época. O país é hoje uma democracia, depois de ter passado sete décadas sob o regime soviético.

O RENASCER DA NAÇÃO mongol está ligado à perestroika e a uma sucessão de eventos que causaram a implosão do bloco soviético. O muro de Berlim caiu em novembro de 1989 e, no mês seguinte, os mongóis pediram o fim do sistema de partido único. A primeira eleição livre ocorreu em junho de 1990. Ao longo dessa década, os mongóis, além de arquitetarem as estruturas de um Estado livre baseado na economia de mercado, também empreenderam uma busca por seus novos símbolos e heróis.

Qual seria a identidade cultural da nova Mongólia? Uma das respostas veio do passado remoto: Gêngis Khan, oito séculos atrás, havia saído das estepes para dominar meio mundo. Os mongóis transformaram o conquistador em nobre sábio, erigiram estátuas e publicaram livros com seus conceitos judiciosos. A lacuna espiritual também precisava ser preenchida: o budismo passou de culto proibido a fonte de inspiração para todas as gerações.

Admirado pelo desabrochar da cultura budista, resolvo visitar os três mosteiros que sobreviveram à “Grande Limpeza”. Erdene Zuu, situado em Kharkhorin, antiga capital mongol no centro do país, é o mosteiro mais importante da Mongólia. Antes do expurgo stalinista, mais de 1.500 monges viviam no lugar, que também contava com 65 templos.

Passo o dia perambulando e encontro várias famílias locais que querem participar da cerimônia de cânticos e receber bênçãos dos monges. Mais tarde, um grupo de 20 lamas sai em procissão para dar uma volta ao redor das quatro muralhas do mosteiro. Um número ainda maior de fiéis junta-se aos religiosos. Os mais devotos carregam uma caixa retangular, embrulhada em um tecido sedoso amarelo. São 108 textos tibetanos sagrados.

Ao som de conchas, pratos e mantras, o cortejo sai do mosteiro pela porta do norte e começa a contornar, em sentido horário, a longa muralha branca, adornada de 108 estupas. Um dos monges dá a volta bem rente à muralha, beijando a parede de cada estupa.

O mosteiro Gandan é considerado o principal pólo do budismo do país; fiéis budistas reverenciam um dos 108 sutras, textos sagrados tibetanos, no mosteiro Erdene Zuu, em Kharkhorin, excapital mongol.

A procissão leva 40 minutos para circundar, em passo lento, o quadrilátero de 400 metros de lado. O colorido das vestimentas vermelhas e amarelas contrasta com o branco da muralha, o azul do céu e o verde das estepes.

Antes de sair do mosteiro, converso com Natsagnyam. Ela trabalha no museu de Erdene Zuu e é budista praticante. Aluna de doutorado em cultura budista, explica que eu tivera muita sorte em assistir à procissão. “Estamos no quinto dia do mês lunar, um dia auspicioso que marca o terceiro sermão de Sidarta Gautama, o Buda”, afirma. “Essa volta ao redor do mosteiro somente acontece uma vez por mês.”

Meu próximo destino é Amarbayasgalant. Construído por um imperador da Manchúria em 1737, o conjunto segue uma arquitetura chinesa. O mosteiro está a 360 km ao norte da capital, num contexto rural diferente. Aqui não existem desertos ou estepes, mas vastos campos verdes, dos mais férteis do país. Durante as seis horas de trajeto, cruzo colinas com bosques, vales produtivos e intermináveis monoculturas de cereais. As montanhas são gentis, parecem uma aquarela.

O mosteiro se situa ao pé de um morro. No século 19 abrigava 2 mil monges, mas hoje são apenas 30 – número que cresce lentamente. Também aumenta a quantidade de visitantes locais, pois os mongóis têm interesse em redescobrir a sua própria história. Diariamente, às 8 horas, os noviços cantam textos sagrados.

Entro no templo principal, ornamentado de longas bandeirolas com as cinco cores do budismo e com colunas decoradas por dragões. Sento ao lado de uma família mongol, fecho os olhos e me deixo embalar pelas vozes.

Quando saio do templo, vejo uma jovem rastejando. Ela passa embaixo de uma estupa adornada de longos lenços azuis. Fico intrigado com a cena e indago a razão. “Quem passa por baixo dessa pedra abandona suas vibrações negativas. É uma limpeza da alma”, responde Zula.

“Antes de conhecer Amarbayasgalant, eu não me interessava por espiritualidade. Mas o mosteiro é fascinante e começo a apreciar mais o budismo.” Zula, de 29 anos, tem um mestrado em biologia e é um perfeito exemplo do renascimento do budismo no país.

Dois monges na porta de entrada da escola budista, no mosteiro Gandan Tegchenling, em Ulan Bator. Erguido em 1853, o complexo de Gandan possui dez templos e abriga 900 monges.

De volta à capital, vou ao monastério Gandan Tegchenling. O complexo de Gandan, construído em 1853, possui dez templos e abriga 900 monges. Entro no pátio e meus olhos não param de seguir os noviços de 10 ou 12 anos, de cabeça raspada e vestes chamativas. Eles me levam até o edifício principal Migjed Janraisig, onde descubro uma gigantesca estátua do Buda da Compaixão, com 26,5 metros de altura. A estátua original foi destruída pelos soviéticos em 1938. O novo Buda, de cobre e recoberto de ouro, foi inaugurado em 1996.

As cinco décadas de obscurantismo russo provocaram uma grande lacuna de conhecimento. A maioria dos monges mongóis recita textos sem dominar o tibetano. Um esforço enorme é realizado hoje para treinar monges na Índia. Gandan, considerado o pólo principal do budismo no país, já recebeu de volta alguns de seus estudantes, os quais ensinam os que não tiveram a oportunidade de viajar.

O monge budista norte-americano Konchog Norbu vive na Mongólia há três anos para dar apoio a esse renascimento espiritual. Depois de despachar 19 estudantes mongóis para o mosteiro Namdroling, no sul da Índia, ele promove agora a visita de importantes lamas à Mongólia. “Queremos restabelecer as práticas e tradições que foram perdidas durante esse meio século”, afirma Konchog.

(http://revistaplaneta.terra.com.br/secao/clube-de-viajologia/renasce-no-coracao-da-asia, CASTRO, Haroldo, Revista Planeta, Edição 430, Julho de 2008)

 


As Senhas

O que esperavam que fosse ser uma prova da comunicação dos espíritos, na verdade se tornou exatamente o contrário: Milhares de experiências feitas com senhas: Nenhuma foi revelada.

Por Oscar G. Quevedo S.J.

O romancista brasileiro José Bento Monteiro Lobato, antes da sua morte, acontecida em São Paulo em 1948, deixou duas senhas em envelopes lacrados: uma com Dona Ruth Fontoura, filha do célebre magnata dos laboratórios farmacêuticos de São Paulo, e outra com o juiz e também famoso romancista Dr. José Godofredo de Moura Rangel, de Três Pontas (Minas Gerais), grande amigo de Monteiro Lobato, com quem manteve correspondência durante anos.

Pretendendo imitar, mais ou menos bem, o estilo do grande escritor, o psicógrafo Francisco Cândido Xavier afirmou que sua mão escrevia movida pelo espírito de Monteiro Lobato. Espalhou-se por todo o Brasil, e pelo mundo, o grande feito do médium de Pedro Leopoldo e Uberaba. O que, porém, nem Chico, nem seus propagandistas sabiam, era da existência das senhas com as quais Monteiro Lobato queria que se verificasse se realmente era ele quem se comunicaria do além, ou se tudo não passava de qualidades psicológicas e parapsicológicas dos médiuns.

Tive nas minhas mãos, cópias dos escritos de Chico Xavier atribuídos a Monteiro Lobato assim como as senhas conservadas por Dona Ruth Fontoura: nada, absolutamente nada, nem de longe, de semelhante pude encontrar naquela cópia, nem em outro escrito de Chico Xavier.

Também não apareceu a senha deixada com o Dr. Godofredo Rangel. Ele próprio o noticiou amplamente. Pessoalmente prefiro publicar a respeito um documento inédito que recebemos do senhor Cecílio Karam, ex-suplente de deputado estadual, fundador e primeiro prefeito do município de Santana da Ponte Pensa(SP) e Diretor de Publicidade do Jornal Federal “A Noite” de São Paulo: : “Tendo sido amigo do saudoso Monteiro Lobato e seu companheiro na luta do petróleo e tendo o conhecimento do pacto entre ele e Godofredo Rangel, desejo dar o meu testemunho com referência a esse acontecimento.”

“Realmente houve o acordo entre ambos e ficou assentado que o primeiro entre eles que morresse enviaria do além uma mensagem ao sobrevivente. Combinou-se fazer cada um uma senha e para evitar possíveis fraudes, as senhas foram fechadas em envelope lacrado e guardadas em cofre.”

“Falecido Lobato, e sendo algum tempo depois publicada uma mensagem atribuída a Monteiro Lobato e “recebida”por Chico Xavier, apressou-se Godofredo Rangel a examiná-la. Declarou, a seguir, à imprensa: “Não é o estilo de Monteiro Lobato e a senha combinada não foi dada”. Os jornais fizeram amplos comentários.”

O Dr. Godofredo Rangel morreu em 1951 sem ter recebido a senha, apesar de já aberto o envelope e conhecida, em segredo, por ele.

 (http://www.divinoespiritosanto.org/psc_comunicespirito.htm, QUEVEDO, Oscar G. S. J.)

 


“Cartas de uma Morta” – Estudo do Livro

cartas de uma mortaO SOL AZULADO DE SATURNO

 

Vi-me então, numa superfície diversificada, onde parecia pisar sobre um amontoado de massas mais ou menos análogas ao gelo sentindo-me envolvida numa temperatura singular.

Avistei muito distante, como um novelo de luz, levemente azulada, o sol; todavia, só pude saber que se tratava desse astro porque me disse o esclarecido mentor e devotado guia, tal era a diferença que eu constatava. A luz se espalhava por todas as coisas, mas, o seu calor era menor, dando-me a impressão de frescura e amenidade, arrancando do cenário majestoso, que eu presenciava, tonalidades de um rosa pálido e de um azul indefinível.

Vi, depois, várias habitações de estilo gracioso, onde predominavam grandes colunatas artisticamente dispostas, decoradas com uma substância para mim desconhecida, que mudava de cor, em lindíssimas nuanças, aos reflexos da luz solar.

 

A  PAISAGEM  DE  MARTE

 

 

Vi-me à frente de um lago maravilhoso, junto de uma cidade, formada de edificações profundamente análoga à da Terra. Apenas a vegetação era ligeiramente avermelhada, mas as flores e os frutos particularizavam-se pela variedade de cores e de perfumes.

Percebi, perfeitamente, a existência de uma atmosfera parecida com a da Terra, mas o ar, na sua composição, afigurava-se muitíssimo mais leve. Assegurou-me, então o mestre que me acompanhava, que a densidade em Marte é sobremaneira mais leve, tornando-se a atmosfera muito rarefeita.

Vi homens mais ou menos semelhantes aos nossos irmãos terrícolas, mas os seus organismos possuíam diferenças apreciáveis. Além dos braços, tinham ao longo das espáduas ligeiras, ligeiras protuberâncias à guiza de asas que lhes prodigalizavam interessantes faculdades volitivas. Percebi que a vida da humanidade marciana é mais aérea. Poderosas máquinas, muitíssimo curiosas na sua estrutura, cruzavam os ares, em todas as direções. Vi oceanos, apesar da água se me afigurar menos densa e esses mares muito pouco profundos. Há ali um sistema de canalizações, mas não por obras de engenharia dos seus habitantes, e sim por uma determinação natural da topografia do planeta que põe em comunicação contínua todos os mares.

Não vi montanhas, sendo notáveis as planícies imensas, onde os felizes habitantes desse orbe desempenham as suas atividades consuetudinárias. As águas são muito mais raras. As chuvas quase que se não verificam, mostrando-se o céu geralmente sem nuvens. Afirmou-me o protetor que grande parte das águas desse planeta desapareceram nas infiltrações do solo, combinando-se com elementos químicos das rochas, excluindo-se da circulação ordinária do orbe.

 

(http://grupodediscussaoreligiao.blogspot.com.br/2011/10/cartas-de-uma-morta-estudo-do-livro.html, SELMA, Outubro de 2011)

 

Mais provas de plágio de “Nosso Lar”

a vida além do véuUMA ANÁLISE CRÍTICA DO LIVRO LIBERTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DO NOSSO LAR ORIGINAL[1]

Eduardo José Biasetto[2] – Obras Psicografadas

 

INTRODUÇÃO[3]

 

Não existiram maiores dificuldades para encontrar várias semelhanças entre as obras Libertação, alegada psicografia de Chico Xavier pelo suposto espírito André Luiz e A vida além do véu, suposta psicografia de George Vale Owen por alegados espíritos diversos. Tais semelhanças levam à conclusão que Xavier plagiou a obra de Owen; porém, existiram dificuldades para organizar & apresentar essas semelhanças, em virtude de dois aspectos: a) as duas obras são consideravelmente extensas; b) as semelhanças nem sempre se encontram em sequências de fácil percepção; algumas vezes, entre as similaridades, há longos discursos fideístas que precisam ser removidos para possibilitar uma fácil percepção das sequências copiadas.

 

Por conseguinte, surgiu a dúvida de como evidenciar o plágio. Primeiramente, considerei organizar o texto em quadros comparativos, citando ambas as obras; porém, além de se tratar de uma tarefa bastante trabalhosa, pois muitas semelhanças não são textuais, mas sim contextuais, esta apresentação também exigiria um artigo bastante longo, motivo pelo qual descartei tal possibilidade. Então, a opção foi apresentar as evidências num texto-síntese, com citações curtas das passagens semelhantes das obras, seguidas de um comentário.

 

Para evidenciar a prática de plágio, três circunstâncias podem comparecer: 1) pode haver plágio textual & contextual, com palavras idênticas ou sinônimas & frases idênticas ou similares sendo utilizadas em textos de autores diferentes que tratam do mesmo assunto ou contam uma mesma história, sem a devida citação; 2) plágio narrativo, quando a sequência de ocorrências da narração de uma história ou assunto é a mesma ou similar em textos de autores diferentes, sem a devida citação; 3) plágio estilístico, quando o modo de escrever de autores distintos é muito semelhante. Esta última possibilidade foi aqui desconsiderada, por implicar em longo e mais subjetivo desenvolvimento, muito acima das possibilidades deste breve estudo. Permanecem os itens 1 & 2, que significam que um determinado escritor não é o autor, ou seja, que a idéia imbricada na narrativa de uma história pertence a outro alguém, o verdadeiro autor, intencional e dolosamente oculto.

 

NOTÍCIAS HISTÓRICAS

 

reverendo owenO reverendo Owen nasceu em 1869, em Birmingham, na Inglaterra, e desencarnou em 09/03/1931. Inicialmente, foi um religioso protestante e, em seguida, um médium espiritualista[4]. Owen ordenou-se sacerdote anglicano em Liverpool, aos vinte e quatro anos, passando a trabalhar como religioso profissional; em 1909, após o desencarne de sua mãe, suas alegadas capacidades mediúnicas despertaram, começando a receber supostas comunicações de sua genitora falecida em 1913; destacou-se como médium na Inglaterra até os primeiros anos da década de 20.

 

Algumas das mensagens que Owen recebeu constituíram quatro livros, reunidos sob o título de A vida além do véu. No início, recebia mensagens de sua mãe que, como novata no além, descrevia-o ao seu filho; em seguida, começou a receber mensagens mais filosóficas, de um espírito ou anjo que se identificava como Astriel, reunidas no livro Os baixos campos do céu, ao qual seguiu-se o livro Os altos campos do céu. Na sequência, veio à luz o livro Os mistérios do céu, inspirado por um espírito ou anjo que se identificava como Leader, que assumiu o monopólio de suas comunicações posteriores (mudando de nome para Ariel). Essas mensagens formaram o quarto e último livro, Os batalhões do céu. O volume resultante foi prefaciado por Arthur Conan Doyle, famoso espiritualista inglês, célebre pela autoria da série Sherlock Holmes.

 

Possivelmente, a opção do Ministro Owen pela condição de médium tenha resultado na perda de sua paróquia anglicana e, por conseguinte, de sua fonte de recursos primeira; aos cinqüenta e três anos de idade, iniciou a tarefa de divulgar o espiritualismo nos EUA, onde fez palestras e, regressando posteriormente à Inglaterra, proferiu mais de cento e cinqüenta conferências[5].

 

Xavier nasceu em Pedro Leopoldo/MG, em 02/04/1910, e desencarnou em Uberaba, em 30/06/2002. Foi o “médium” espírita mais conhecido e influente do Brasil; nasceu numa família humilde e, segundo biógrafos, sua alegada mediunidade teria se manifestado pela primeira vez aos quatro anos de idade, quando respondeu ao pai sobre ciências durante conversa com uma senhora. Dizia ver, ouvir e conversar com espíritos. Afirmou ter psicografado mais de quatrocentos livros – nunca admitiu ser o autor de nenhuma dessas obras, dizendo reproduzir apenas o que espíritos lhe ditavam. Assim, diz-se, não aceitava o dinheiro arrecadado com a venda de seus livros, mais de cinqüenta milhões de exemplares em português, com traduções em inglês, espanhol, japonês, esperanto, italiano, russo, romeno etc. Afirmava ter psicografado as cerca de dez mil cartas que produziu, nas quais pessoas mortas davam notícia às famílias. Desde o primeiro livro, diz-se, cedeu os direitos autorais para organizações espíritas e instituições de caridade; uma de suas obras mais reconhecidas é Libertação, publicada inicialmente em 1949[6].

 

Uma das críticas que recebi ao postar artigos no blog de Visoni, sobre as relações entre A vida além do véu e livros psicografados por Xavier, envolve a questão de quando o livro de Owen teria sido traduzido pela primeira vez para o português. Após muito pesquisar, consegui encontrar a resposta: por volta de 1920, Owen já havia concluído sua obra e, no Brasil, Carlos Imbassahy (1883-1969, advogado, jornalista e escritor espírita) foi quem primeiramente verteu o livro do reverendo inglês para o português, publicando sua tradução em 1921, segundo assentamentos da Federação Espírita Brasileira[7].

 

EVIDÊNCIAS DE SIMILARIDADES

 

1ª) Em 2010, as semelhanças existentes entre passagens da Introdução (atribuída a Emmanuel, o suposto espírito-guia de Xavier) ao livro Libertação, de Xavier, e passagens de um conto “psicografado” pela “médium” inglesa Joan Grant, e publicado também em 1942, foram percebidas no exterior por Guy Lyon Playfair:

 

“Esta história aparece no livro de Joan Grant, The scarlet fish & other stories, publicado em 1942 e, até onde fui capaz de descobrir, nunca havia sido traduzida para o português. A versão de Chico consta na Introdução (por Emmanuel, seu guia principal) do livro Libertação, publicado em 1949” (negritos meus) [8].

 

O caso veio à tona por ocasião da publicação do livro Deus conosco, em 2007, por Wanda Joviano, filha de ex-patrão de Xavier[9]; nessa obra, ela reuniu diversas mensagens inéditas do “médium” mineiro. Candidamente, a própria organizadora da compilação informa ter traduzido a história do Peixinho vermelho do livro de Grant e apresentado seu trabalho a Xavier:

 

“Nota da organizadora: a antiga lenda do Peixinho vermelho consta de um dos livros da médium inglesa Joan Grant, sobre o Egito antigo. Eu a tinha lido em inglês, e contei ao Chico. Muito sensibilizada fiquei quando soube que Emmanuel a incluíra no prefácio do livro Libertação, de André Luiz, revelando que estivera presente à nossa conversa” (negritos meus)[10].

 

Em 2007, através do livro de Joviano, tornou-se público que, privadamente, em mensagem datada de 26/01/1949, o próprio Xavier admitiu ter utilizado uma tradução, feita pela “irmã Wanda”, para escrever sua versão da lenda do peixinho vermelho. Segundo Xavier, em mensagem assinada por seu suposto espírito-guia, Emmanuel, no capítulo intitulado Os dons de servir:

 

“Agradecemos a cooperação com que nos auxiliastes na projeção do novo trabalho de André Luiz, registrando, igualmente, nosso reconhecimento pela história do Peixinho vermelho, que tão bem se ajustou aos nossos propósitos de apresentação. (nota 1: Gratos à nossa irmã Wanda pela tradução oportuna e fiel” (negrito meu)[11].

 

Assim, desde 1949 até 2007, por ocasião da publicação de Libertação até a publicação do livro de Joviano, Deus conosco, a origem do texto “psicografado” por Xavier & Emmanuel permaneceu oculta; o máximo que Xavier disse foi o seguinte:

 

“Ante as portas livres de acesso ao trabalho cristão e ao conhecimento salutar que André Luiz vai desvelando, recordamos prazerosamente a antiga lenda egípcia do peixinho vermelho” (negrito meu)[12].

 

Ou seja, embora Xavier afirme tratar-se de uma lenda, retirada supostamente de tradição egípcia antiga, não informa que a história foi extraída de um texto moderno de Grant, anterior ao seu, em livros publicados em 1937 & 1942[13], nem que soube dessa história graças à tradução de Joviano a partir do idioma inglês. O processo “psicográfico” de Xavier nada teve de “espiritual”, e a ausência de citação caracteriza plágio, até porque trata-se de uma longa e estrita tradução, com uso praticamente literal de um extenso texto alheio. Ademais, resta provado que Xavier tinha quem lhe auxiliasse na obtenção e tradução de textos em idioma estrangeiro. Por fim, vale lembrar que o enredo seja do conto Scarlet fish de Grant ou do Peixinho vermelho de Xavier não tem origem conhecida no Egito antigo, e sim no livro 7 de a República de Platão, o famoso mito da caverna, fonte real e muito bem conhecida de tal tema. Seguem os textos de Grant e Xavier:

 

“In the middle of a garden there was a very large and beautiful pool. It was tiled in turquoise colour, and fresh water always ran into it through a little stone channel and out again through a grid at the other end. In it there lived a lot of very, very fat contented fishes, and one little scarlet fish”.

 

 

“No centro de formoso jardim, havia grande lago, adornado de ladrilhos azul-turquesa. Alimentado por diminuto canal de pedra, escoava suas águas, do outro lado, através de grade muito estreita. Nesse reduto acolhedor, vivia toda uma comunidade de peixes, a se refestelarem, nédios e satisfeitos (…). Junto deles, porém, havia um peixinho vermelho”.

 

“The big fat fish ate up all the flies and all the worms, and they took for themselves all the nicest shadow caves, which the lotus leaves made. But the poor little scarlet fish had very little to eat and no private place where he could sleep out of the hot sunshine”.

 

“Menosprezado de todos[, … n]ão conseguia pescar a mais leve larva, nem refugiar-se nos nichos barrentos. Os outros, vorazes e gordalhudos, arrebatavam para si todas as formas larvárias e ocupavam, displicentes, todos os lugares consagrados ao descanso”.

 

“He couldn’t spend his time eating or being lazy in the shade, so he had to do a lot of thinking to keep himself from going sad. And he explored every bit of the pool, until he knew just how many tiles were on the walls, and which lotus bud was going to open next”.

 

“O peixinho vermelho (…), em correria constante, perseguido pela canícula ou atormentado de fome (…), não dispunha de tempo para muito lazer e começou a estudar com bastante interesse. Fez o inventário de todos os ladrilhos que enfeitavam as bordas do poço, arrolou todos os buracos nele existentes”.

 

“The little scarlet fish got thinner and thinner, until one day, when he was swimming past the grating, he knew that he was thin enough to swim right through it. It was rather a struggle getting through, and he lost quite a lot of his scales doing it, but at last he was free. He swam down the water-channels until he got to the great river; and he swam on and on down the great river until he came to the sea”.

 

“Apesar de macérrimo pela abstenção completa de qualquer conforto, perdeu várias escamas, com grande sofrimento, a fim de atravessar a passagem estreitíssima. Pronunciando votos renovadores, avançou, otimista, pelo rego d’água, encantado com as novas paisagens, ricas de flores e sol que o defrontavam, e seguiu, embriagado de esperança… Em breve, alcançou grande rio (…). Conseguiu, desse modo, atingir o oceano”.

 

“Once, he saw a fish so big that he could have drunk the whole of his home pool for breakfast and still have been thirsty. The great fish was swimming along with his mouth open, collecting his breakfast, just like a fisherman drawing in his net, and the poor little scarlet fish went down his throat into the awful churning darkness of the great fish’s belly. Then the little scarlet fish prayed very hard to the god of fishes, and the god heard him in spite of his being in such a dark place. And the god made the big fish have hiccoughs, and he hiccoughed the little scarlet fish back into the sea again”.

 

“Fascinado pela paixão de observar, aproximou-se de uma baleia para quem toda a água do lago em que vivera não seria mais que diminuta ração; impressionado com o espetáculo, abeirou-se dela mais que devia e foi tragado com os elementos que lhe constituíam a primeira refeição diária. Em apuros, o peixinho aflito orou ao Deus dos Peixes, rogando proteção no bojo do monstro e, não obstante as trevas em que pedia salvamento, sua prece foi ouvida, porque o valente cetáceo começou a soluçar e vomitou, restituindo-o às correntes marinhas”.

 

“Then the little scarlet fish found a beautiful palace of coral in the clear, green depths of the sea; and beautiful little fishes with blue and gold spots brought him the most lovely fat worms on mother of pearl plates. He enjoyed it so much that he might have stayed there the rest of his life; but he wanted to go back to his own home pool”.

 

“O pequeno viajante, agradecido e feliz, procurou companhias simpáticas (…), descobriu a existência de muitos peixinhos, estudiosos e delgados tanto quanto ele, junto dos quais se sentia maravilhosamente feliz. Vivia, agora, sorridente e calmo, no Palácio de Coral (…). O peixinho pensou, pensou… (…) deliberou (…) [e] empreendeu comprida viagem de volta”.

 

“So he left the sea and swam back up the river. And on the way he had many more adventures, and some were nearly as dangerous as being swallowed by the great big fish. And he swam and he swam up the long river, and up the water channels, until he came to his own grating, and now he was so thin from his adventures that he got through it quite easily. He thought everybody would be very surprised to see him again, but nobody had even noticed he had been away”.

 

“Tornou ao rio, do rio dirigiu-se aos regatos e dos regatos se encaminhou para os canaizinhos que o conduziram ao primitivo lar. Esbelto e satisfeito como sempre, pela vida de estudo e serviço a que se devotava, varou a grade e procurou, ansiosamente, os velhos companheiros. Estimulado pela proeza de amor que efetuava, supôs que o seu regresso causasse surpresa e entusiasmo gerais. Certo, a coletividade inteira lhe celebraria o feito, mas depressa verificou que ninguém se mexia”.

 

“He swam up to a big, very fat fish, who was the king fish of the pool, and he said, ‘Stop eating and blowing bubbles, and listen to me, you fat and foolish fish! I have come to tell you of all the wonderful things that happened to me on the other side of the grating; and I shall teach you to grow thin, so that you, too, may go upon the same journey and become as wise as I am.’ The fat fish swam towards the grating, and when he saw that the bars were so close together that not even one of his fins could go between them, he blew two bubbles, slowly and scornfully, and said, ‘Silly little scarlet fish! Do not disturb my meditations with your foolish chatter. I am much wiser than you are, for I am king of all the fish. How could you have got through the grating when even I cannot put a fin through it?’ And the big fat fish swam back to the shadows under the lotus leaves. The little scarlet fish was very sad that nobody would listen to him; so he slipped through the grating and swam back towards the sea” [14].

 

“Procurou, então, o rei de guelras enormes e comunicou-lhe a reveladora aventura. (…) Finalmente os informou de que semelhante felicidade, porém, tinha igualmente seu preço. Deveriam todos emagrecer (…). O soberano da comunidade, para melhor ironizar o peixinho, dirigiu-se em companhia dele até à grade de escoamento e, tentando, de longe, a travessia, exclamou, borbulhante: — “Não vês que não cabe aqui nem uma só de minhas barbatanas? Grande tolo! Vai-te daqui! não nos perturbes o bem-estar… Nosso lago é o centro do Universo… Ninguém possui vida igual à nossa! Expulso a golpes de sarcasmo, o peixinho realizou a viagem de retorno”[15].

 

Agora, passemos às similaridades existentes entre o livro A vida além do véu, de Owen, e o texto principal do livro Libertação, de Xavier.

 

2ª) Em A vida além do véu, na mensagem de 17/12/1917, o “médium” Owen, curioso, pergunta ao seu guia acerca do tipo de trabalho que este realiza no além; o suposto espírito Arnel informa que realiza múltiplas & diversas obrigações e, como exemplo, promete descrever uma tarefa para a qual fora recentemente convocado:

 

“– Você poderia me dizer um pouco mais destas obrigações, por favor? – Mas são múltiplas em número, e na diversidade também são! Contaremos uma tarefa a que fomos recentemente convocados e como foi levada até o fim” (p. 231).

 

Por sua vez, em Libertação, o suposto espírito André Luiz informa que possui serviços particulares, quando entrou em algumas atividades secundárias de auxílio, engajando-se num trabalho para o qual fora admitido:

 

“Além dos serviços referentes ao encargo particular que nos mobilizava, entraríamos em algumas atividades secundárias de auxílio. Técnico em missões dessa natureza, [Gúbio] afirmou que nos admitira, num trabalho” (p. 49).

 

Comentário: em ambos os textos, o assunto inicial são as obrigações/serviços ordinários desenvolvidos pelo espírito protagonista no além, com especial ênfase numa tarefa (Owen)/trabalho (Xavier) especial que será narrado – um esforço de libertação de cativos, adianto.

 

3ª) Em A vida além do véu, em mensagens obtidas respectivamente em 17/12/1917, 08/12/1913 e 05/02/1918, o personagem Ariel caminha até um templo, o Templo do Monte Sagrado, um acesso a outras esferas que permite mesclar as duas esferas, onde anjos de reinos superiores surgem, ensinam sobre seu reino e missionários seguem às esferas inferiores, para cumprir deveres de trabalho:

 

“Na esfera da qual viemos a você, há um Templo no alto de uma colina. É o Templo de que Zabdiel falou. – O Templo do Monte Sagrado? – O mesmo. Fomos em variadas missões de bênçãos para aquela esfera e às inferiores” (pp. 231-232).

 

“[No Templo,] há anjos que vêm encontrar-se com os que são chamados. Estes prestam seu auxílio a nós, ensinando daqueles Mistérios que são dos Reinos Superiores” (p. 39).

 

“Este Templo foi levantado com o propósito de mesclar as duas esferas, com seus vários aspectos de serviço, juntas. Aqui, então, aqueles que estão quase saindo de uma para a outra são postos juntos e habitam aqui usualmente por um período prolongado, indo, de vez em quando, para a Esfera Dez e as inferiores, no seu serviço de assegurar ajuda, ou proteger, ou instruir, ou desenvolver aqueles que habitam ali. Mas também começam a acompanhar os da esfera superior em suas missões na esfera Onze. No princípio, não vão muito longe, nem por longo tempo. Mas conforme vão se fortalecendo e sintonizando-se com as pulsações mais sutis daquela esfera, então seguem mais adiante para o interior, e ficam ali mais e mais tempo. Retornando, descansam no Templo, e, talvez, no ínterim, vão às esferas inferiores para cumprir deveres de trabalho” (pp. 274-275).

 

Por sua vez, em Libertação, o personagem André Luiz caminha até um templo, um templo gracioso, um acesso a outras esferas, onde entidades sublimes se materializam e instruem sobre o serviço a ser realizado nas esferas mais baixas:

 

“A essa altura da instrutiva conversação, chegamos a gracioso templo. Nesse doce recanto consagrado à materialização de entidades sublimes (…), o instrutor tomou-nos a frente e, juntos, penetramos o jardim que circundava o aprazível santuário. (…) Os doadores de fluidos sublimados encontram-se a postos e a outra comissão já veio. Entramos sem detença. Soube, de imediato, que outro grupo, constituído, aliás, por duas irmãs, ali se achava com objetivo de receber instruções de serviço para esferas mais baixas” (pp. 37-38).

 

Comentário: em A vida além do véu, o personagem Arnel informa a Owen que seu grupo missionário passou pelo Templo do Monte Sagrado. A função deste templo consiste em mesclar as duas esferas, ou seja, trata-se de uma passagem que, por materialização ou desmaterialização, permite o trânsito de espíritos entre as esferas; ali, os missionários recebem ensino sobre os reinos superiores e seguem às esferas inferiores, a trabalho. Por sua vez, em Libertação, o grupo missionário de André Luiz passou por um templo gracioso. A função deste templo consiste em materializar entidades sublimes de esferas superiores, que instruem sobre o serviço nas esferas mais baixas.

 

4ª) Em A vida além do véu, na mensagem de 17/12/1917, o personagem Arnel informa que seu grupo missionário aguardava ordens de o Vidente acerca de um trabalho nas esferas ainda abaixo quando, de repente, surgiu outro homem, angélico, que em torno de si ostentava uma névoa azul e dourada, enfeitada de safiras, que cumprimentou a todos:

 

“Vocês foram chamados para cá para receberem ordens a fim de cumprirem um trabalho que lhes é requerido nas esferas ainda abaixo. Tenham a bondade de esperarem a chegada de nosso irmão, o Vidente, que lhes fará entender o que é requisitado de seu grupo”. Enquanto estávamos ali esperando, chegou por trás da cadeira outro homem. Era mais alto que nosso guia, e em torno dele, conforme se movia, parecia haver uma névoa azul e dourada, enfeitada de safiras. Ele veio em nossa direção e deu-nos a mão, cumprimentando um a um” (pp. 232-233).

 

Em A vida além do véu, na mensagem de 18/12/1917, o personagem Ariel relata que seu grupo seguiu para a sala de Audiência, para receber as palavras do Vidente. Ao final de seu discurso, no qual forneceu as especificações da tarefa, os trabalhadores ajoelharam-se para receber a bênção do Vidente, seguindo numa longa jornada:

 

“Fomos para a sala de Audiência, onde recebemos as palavras do Vidente. (…) Tendo pego nosso estoque de coisas e as especificações da tarefa que esperava por  nós no trabalho que tínhamos adiante, ajoelhamo-nos e ele nos abençoou, e fomos embora. Tomamos o rumo da esquerda e viemos para além da abertura, lançando-nos em direção a nossa longa jornada” (p. 234).

 

Por sua vez, em Libertação, o personagem André Luiz relata que, com algumas dezenas de companheiros, seguiu para o salão do educandário para registrar as instruções do Ministro Flácus:

 

“No vasto salão do educandário que nos reunia, o Ministro Flácus, fixando em nós o olhar saturado de doce magnetismo, convidava-nos a preciosas meditações. Congregamo-nos, ali, somente algumas dezenas de companheiros, de modo a registrar-lhe as instruções edificantes. E, sem dúvida, a preleção revestia-se de profundo interesse. Podíamos perguntar à vontade, dentro do assunto, e guardar todas as informações compatíveis com o novo trabalho que nos cumpria desempenhar ” (p. 10).

 

Nesse instante da narração, em ambas as obras, seguiram-se longos discursos emotivos e religiosos, a guisa de instrução sobre o novo trabalho a desempenhar nas esferas inferiores, arrebanhando criaturas sofredoras. Como os discursos são muito extensos, convido o leitor a ler nos originais. Em Libertação, ao final de longo discurso fideísta, o personagem André Luiz narra uma passagem semelhante à do personagem Arnel, no mesmo momento da história, pouco antes do grupo partir em grande jornada, a trabalho:

 

“Eis que a tribuna doméstica se ilumina. Esbranquiçada nuvem de substância leitosa-brilhante adensa-se em derredor e, pouco a pouco, desse bloco de neve translúcida, emerge a figura viva e respeitável de veneranda mulher. Indizível serenidade caracteriza-lhe o olhar simpático e o porte de madona antiga, repentinamente trazida à nossa frente. Cumprimenta-nos com um gesto de bênção, como que nos endereçando, a todos, os raios da luz esmeraldina que em forma de auréola lhe exornam a cabeça. As duas moças que formavam a comissão de serviços, estranha à nossa, avançaram com lágrimas discretas e rojaram-se, genuflexas. – Mãe querida – clamou uma delas, com tal inflexão de voz que nos cortava as fibras mais íntimas –, ajuda-me a falar-te! A saudade longamente reprimida é um fogo que consome o coração. Auxilia-me! Não me deixes perder este doce e divino minuto! Apesar dos soluços de emoção que lhe vibravam no peito, continuou: – Abençoa-nos para a grande jornada!” (pp. 38-39).

 

Comentário: observe-se a sequência praticamente idêntica: a) em A vida além do véu, Arnel e seu grupo receberam ordens/especificações do Vidente na sala de Audiência para cumprir uma missão, libertar espíritos escravizados nas esferas inferiores; em Libertação, André Luiz e algumas dezenas de companheiros receberam instruções/preleção do Ministro Flácus no salão do educandário para cumprir uma missão, libertar espíritos sofredores nas esferas inferiores; b) em A vida além do véu, surgiu inesperadamente um personagem sem nome, um homem angelical, que tinha em torno de si uma névoa colorida, azul, dourada e enfeitada de safiras, que foi aos missionários e deu-lhes a mão, cumprimentando um a um; em Libertação, surgiu repentinamente uma personagem inicialmente sem nome, veneranda mulher, que tinha em derredor de si uma nuvem e uma auréola com raios de luz esmeraldina a lhe exornar, que cumprimentou a todos; c) em A vida além do véu, os trabalhadores se ajoelharam para receber uma bênção de seu instrutor com vistas à longa jornada; em Libertação, trabalhadoras se rojaram genuflexas para receber uma bênção de um espírito angelical com vistas à grande jornada.

 

5ª) Em A vida além do véu, na mensagem obtida em 08/01/1918, o guia Arnel relata que a jornada se inicia com uma descida que leva a uma condição inóspita muito precisa:

 

“Logo chegamos a um lugar onde se abria para nós uma ampla boca de caverna que levava para os lugares intestinos daquela região. Não andamos quase nada e veio em nossa direção, em rajadas, um vento de odor tão nojento, quente e fétido que voltamos e paramos por um pouco de tempo para recuperarmos as forças. Isto feito, endurecemos nosso coração e fomos para dentro e para baixo” (p 252).

 

Por sua vez, em Libertação, o personagem André Luiz informa que a descida logo apresentou um inconveniente bastante preciso:

 

“Passamos a inalar as substâncias espessas que pairavam em derredor, como se o ar fosse constituído de fluidos viscosos. Elói estirou-se, ofegante, e não obstante experimentar, por minha vez, asfixiante opressão, busquei padronizar atitudes pela conduta do Instrutor, que tolerava a metamorfose, silencioso e palidíssimo” (p. 51).

 

Comentário: o personagem Arnel narra ter enfrentado dificuldade por causa de vento nojento, e o personagem André Luiz narra ter enfrentado dificuldade por causa do ar viscoso. Ao fim, ambos os grupos são obrigados a se adaptar às circunstâncias infernais, o primeiro, endurecendo o coração e, o segundo, tolerando a situação.

 

6ª) Em A vida além do véu, na mensagem da noite de ano novo de 1917, o personagem Arnel narra os seguintes detalhes de sua descida a trabalho às esferas inferiores: a luz é obscura, as árvores feias e a cidade desordenada:

 

“De nossa descida até aqui falamos resumidamente, mas agora chegamos a estas esferas onde a luz torna-se mais obscura”. (…) “Havia árvores também, algumas muito grandes, e estas com folhas nada graciosas, porque as folhas eram de um verde escuro e amarelo, e espigadas com bordas dentadas. (…) Não era uma cidade, mas um agrupamento de casas, algumas amplas, outras pequenas. Eram espalhadas, aqui e ali, e não ordenadamente” (pp. 241-243).

 

Por sua vez, em Libertação, André Luiz narra os seguintes detalhes de sua descida a trabalho até vasto domínio de sombras: o fumo cinzento cobria o céu, as árvores eram feias e a cidade decadente e sórdida:

 

“Após a travessia de várias regiões, em descida, com escalas por diversos postos e instituições socorristas, penetramos vasto domínio de sombras. A claridade solar jazia diferençada. Fumo cinzento cobria o céu em toda a sua extensão. (…) As árvores não se vestiam de folhagem farta e os galhos, quase secos, davam a ideia de braços erguidos em súplicas dolorosas. (…) Em minutos breves, penetramos vastíssima aglomeração de vielas, reunindo casario decadente e sórdido” (pp. 49-54).

 

Comentário: observem a sequência: 1) o personagem Arnel diz que os missionários seguiram em descida; 2) diz que alcançaram esferas com luz muito obscura; 3) fala de árvores feias; e 4) informa a existência de um agrupamento de casas. Por sua vez, 1) o personagem André Luiz diz que os missionários atravessaram várias regiões em descida; 2) diz que alcançaram vasto domínio de sombras; 3) fala de árvores feias; e 4) informa a existência de uma aglomeração de vielas com casario.

 

7ª) Em A vida além do véu, nas mensagens de 04/01/1918 e 18/01/1918, o personagem Arnel relata a seguinte sequência: o grupo missionário alcança uma grande cidade, encontra guardas,  observa fortalezas, a estátua de um nobre romano de toga (simbolizando a aspiração de nobreza da elite local) e adentra o Palácio do Mal:

 

“Chegamos a uma grande cidade, e entramos por um portal enorme onde guardas marchavam de lá para cá. (…) Vimos que a ampla avenida em frente ao portal era alinhada com enormes construções pesadas, como prisões e fortalezas. (…) Seguimos até um grande cruzamento onde havia uma estátua num alto pedestal, não no meio, mas em um dos lados, onde estava o prédio maior. A estátua era de um homem que usava a toga de nobre romano, e em sua mão esquerda ele segurava um espelho no qual ele se olhava, mas sua mão direita segurava uma jarra, de onde ele vertia vinho tinto que espirrava numa bacia embaixo – caricatura de nobreza. (…) [Então,] adentramos o portão do obscuro Palácio do Mal” (pp. 246-247).

 

“Sorri para meus amigos e (…) contei-lhes que éramos prisioneiros, tão rápido quanto ele nos pôde fazer, e quando alguém foi até a porta por onde entramos, rapidamente percebemos que fomos trancados” (p. 260).

 

“Naquele ridículo Salão do Trono, ele agrupou sua corte e, tendo tochas acesas e colocadas em torno da sala nas paredes, e fogueiras acesas no centro do chão para iluminar o hall, fez um discurso solene para seus sombrios servidores. Então, a porta de nossa antessala foi solenemente destrancada, e fomos chamados para irmos até ele” (p. 261).

 

Por sua vez, em Libertação, André Luiz narra a seguinte seqüência: seu grupo missionário alcança uma grande cidade, observa uma fortaleza, adentra um palácio esquisito, no qual há guardas e dignitários que se portam como romanos:

 

“O aspecto devia, a nosso ver, identificar-se com o das grandes cidades do Oriente, de duzentos anos atrás. (…) Respeitável edifício destacava-se diante de uma fortaleza” (p. 60).

 

“O esquisito palácio guardava a forma de enorme hexágono, alongando-se para cima em torres pardacentas, e reunia muitos salões consagrados a estranhos serviços. Iluminado externa e interiormente pela claridade de volumosos tocheiros, apresentava o aspecto desagradável de uma casa incendiada. Sob a custódia de quatro guardas da residência de Gregório, que nos comunicaram a necessidade de exame antes de qualquer contacto direto com o aludido sacerdote, penetramos o recinto de largas dimensões, no qual se congregavam algumas dezenas de entidades” (p. 62).

 

“Funcionários rigorosamente trajados à moda dos lictores da Roma antiga, carregando a simbólica machadinha (fasces) ao ombro, avançavam, ladeados por servidores que sobraçavam grandes tochas a lhes clarearem o caminho. Penetraram o átrio em passos rítmicos e, depois deles, sete andores, sustentados por dignitários diversos daquela corte brutalizada, traziam os juizes, esquisitamente ataviados” (p. 65).

 

“O instrutor, versado em expedições idênticas à nossa, recomendou-nos não tocar os varões de metal que nos impediam a retirada, esclarecendo se achavam imantados por forças elétricas de vigilância e acentuando que a nossa condição ainda era de simples prisioneiros” (p. 76).

 

“A sala em que fomos recebidos pelo sacerdote Gregório semelhava-se a estranho santuário, cuja luz interior se alimentava de tochas ardentes. Sentado em pequeno trono que lhe singularizava a figura no desagradável ambiente, a exótica personagem rodeava-se de mais de cem entidades (…). Fixou em nós o olhar percuciente e inquiridor e estendeu-nos a destra, dando-nos a entender que podíamos aproximar” (p. 98).

 

Comentário: observe-se a sequência praticamente idêntica: no livro de Owen, o grupo missionário adentrou o Palácio do Mal e Arnel informou aos seus que foram feitos prisioneiros. Em seguida, foram chamados pelo governante ao salão do trono (salão iluminado por tochas ) e, na frente da nobreza romanizada local, o governante chamou que fossem até ele. Por sua vez, o grupo missionário de André Luiz adentrou um palácio esquisito e o instrutor informou aos seus que foram feitos prisioneiros. Em seguida, foram recebidos pelo sacerdote num recinto de largas dimensões com um pequeno trono (recinto iluminado por tochas) e, na frente da nobreza romanizada local, o sacerdote deu a entender que podiam se aproximar.

 

8ª) Em A vida além do véu, na mensagem de 04/01/1918, o personagem Arnel ouve a seguinte e muito precisa informação do Governador do reino maligno:

 

“E em seus ouvidos, tão afinados à delicadeza vulgar, minhas irmãs, eu cochicharia uma palavra de conselho também. Crianças não vêm até aqui nestes grandes reinos, dos quais vocês me deram a honra de eleger-me Governador” (p. 248).

 

Por sua vez, em Libertação, o personagem André Luiz ouve a seguinte e muito precisa informação de seu Instrutor no inferno do Grande Juiz:

 

“Na atualidade, este grande empório de padecimentos regenerativos permanece dirigido por um sátrapa de inqualificável impiedade, que aliciou para si próprio o pomposo título de Grande Juiz. (…) E porque não visse crianças, exceção feita das raças de anões, cuja existência percebia sem distinguir os pais dos filhos, arrisquei, de novo, uma indagação, em voz baixa. Respondeu o Instrutor, atencioso: — Para os homens da Terra, propriamente considerados, este plano é quase infernal. Se a compaixão humana separa as crianças dos criminosos definidos, que dizer do carinho com que a compaixão celestial vela pelos infantes?” (p. 58).

 

Comentário: em A vida além do véu, o guia Arnel informa ao médium Owen que crianças não vão até a região das trevas; por sua vez, em Libertação, o Instrutor informa ao personagem André Luiz que não há crianças na região quase infernal. Em Owen, o chefe maligno tem o cargo de Governador; em Xavier, o chefe trevoso é um Sátrapa[16]/Grande Juiz.

 

9ª) Em A vida além do véu, na mensagem de 08/01/1918, o personagem Arnel conta a seguinte história sobre suas realizações com seus amigos em reinos malignos:

 

“Entramos e fomos desafiados pelo guarda no portão. (…) Que negócios têm aqui, bons senhores e cavalheiros?” disse ele, já que ele tinha sido educado na vida da Terra e isso ainda ressalta do que foi em suas maneiras, mas agora estava mesclado com alguma malícia e com escárnio, como nos modos da maioria destes tristes lugares. A esta pergunta, nós respondemos – eu, por todos: “Nós temos uma missão junto aos trabalhadores das minas, os quais seu mestre escraviza”. “Um fim muito atraente para sua jornada”, disse ele com um tom agradável, procurando nos enganar. “Estas pobres almas trabalham muito para estarem prontos para qualquer bom amigo que aja por eles, sua existência e seus problemas”. “E alguns”, eu disse, “estão também prontos para partir em direção à liberdade do jugo de seu senhor, o qual, cada um em seu degrau, está interligado a vocês todos”. Num átimo, sua face mudou de risonha para fechada e carrancuda, e seus dentes mostraram-se parecidos com os de um lobo faminto. Mais ainda, com a mudança de humor, ali pareceu descer uma névoa mais escura e assentar-se sobre ele. (…) Mas eu fiquei um pouco mais perto dele e pus minha mão sobre seu punho direito, e este contato foi angustiante para ele, e abaixou sua pequena espada com a qual tinha apontado para nós. Eu ainda o segurava para que a aura dele com a minha perturbassem sua alma, para sua agonia, mas não para mim, pois, sendo de maior poder em força espiritual, continuei incólume enquanto ele se angustiava. (…) Então, eu disse, “Nós não somos destas esferas escuras, senhor. Viemos de um lugar na luz do Sol da presença Daquele de Cuja Vida você participava e violou tudo por causa de seus propósitos malignos. Para você, ainda não é hora para alcançar a liberdade destas muralhas e da tirania dos mestres cruéis daqui”. Então, ele saiu da fina casca de seu comportamento e chorou lamentando, “Por que não posso também ficar livre deste inferno e do diabo que governa aqui? Por que os outros podem, e eu não?” E eu respondi, “Você não foi tido como merecedor. Observe o que fazemos neste lugar, não oponha sua vontade à nossa, ajude-nos a fazermos o que temos à mão para fazer e, quando nos formos, pondere bem e longamente então, e talvez até você encontre em nós alguma bênção. Por isso você deveria nos levar às bocas das minas”. (…)  Sigam-me, por obséquio, e vou levá-los aonde encontrarão o que procuram (…) desde o meu aperto, ele estava mais submisso e não mais se opunha a nós, que o seguimos” (pp. 251-252).

 

Por sua vez, em Libertação, o personagem André Luiz narra um julgamento no além, no qual o Sátrapa/Grande Juiz atuou:

 

“Incidindo toda a força magnética que lhe era peculiar, através das mãos, sobre uma pobre mulher que o fixava, estarrecida, ordenou-lhe com voz soturna: – Venha! Venha! Com expressão de sonâmbula, a infeliz obedeceu à ordem, destacando-se da multidão e colocando-se, em baixo, sob os raios positivos da atenção dele. – Confesse! Confesse! – determinou o desapiedado julgador, conhecendo a organização frágil e passiva a que se dirigia. A desventurada senhora bateu no peito, dando-nos a impressão de que rezava o “confiteor” e gritou lacrimosa: – Perdoai-me! Perdoai-me, ó Deus meu! E como se estivesse sob a ação de droga misteriosa que a obrigasse a desnudar o íntimo, diante de nós, falou, em voz alta e pausada: – Matei quatro filhinhos inocentes e tenros… e combinei o assassínio de meu intolerável esposo… O crime, porém, é um monstro vivo. Perseguiu-me, enquanto me demorei no corpo… Tentei fugir-lhe através de todos os recursos, em vão… e por mais buscasse afogar o infortúnio em “bebidas de prazer”, mais me chafurdei no charco de mim mesma… De repente, parecendo sofrer a interferência de lembranças menos dignas, clamou: – Quero vinho! Vinho! Prazer!… Em vigorosa demonstração de poder, afirmou triunfante, o magistrado: – Como libertar semelhante fera humana ao preço de rogativas e lágrimas? Em seguida, fixando sobre ela as irradiações que lhe emanavam do temível olhar, asseverou, peremptório: – A sentença foi lavrada por si mesma! Não passa de uma loba, de uma loba… À medida que repetia a afirmação, qual se procurasse persuadi-la a sentir-se na condição do irracional mencionado, notei que a mulher, profundamente influenciável, modificava a expressão fisionômica. Entortou-se-lhe a boca, a cerviz curvou-se, espontânea, para frente, os olhos alteraram-se, dentro das órbitas. Simiesca expressão revestiu-lhe o rosto. (…) [Gúbio] acentuando, de modo singular, a voz quase imperceptível, acrescentou: – Temos aqui a gênese dos fenômenos de licantropia, inextricáveis, ainda, para a investigação dos médicos encarnados. (…) O hipnotismo é tão velho quanto o mundo e é recurso empregado pelos bons e pelos maus. Notando, porém, que a mulher infeliz prosseguia guardando estranhos caracteres no semblante, perguntei: – Esta irmã infortunada permanecerá doravante em tal aviltamento da forma? Finda longa pausa, o instrutor informou, com tristeza: – Ela não passaria por esta humilhação se não a merecesse” (pp. 68-70).

 

Comentário: em ambas as histórias, um personagem transfigura-se em lobo. Na primeira, a de Owen, o espírito “bom” controla o espírito maligno, influenciável e lupino, em virtude de seu poder espiritual superior, levando-o a obedecer às suas sugestões; na segunda, o poder de persuasão do mau juiz faz com que uma mulher, profundamente influenciável, se transfigure em loba. Numa história, o fenômeno de licantropia, acompanhado de uma mudança de humor, resulta na modificação de um rosto; noutra, o mesmo fenômeno, acompanhado de uma repentina interferência de lembranças, resulta na mudança de uma face. Num caso, um espírito “bom” julga sumariamente um guarda mau como alguém que não foi tido como merecedor de ascender às esferas superiores; noutro, um juiz maligno julga sumariamente uma mulher má culpada, e um espírito “bom” diz que ela não passaria por esta humilhação se não a merecesse.

 

10ª) Em A vida além do véu, na mensagem de 15/01/1918, Arnel, o guia de Owen, informa os detalhes do arremate de sua missão. De início, os missionários produzem uma dissidência nas falanges malignas, conseguindo o apoio do personagem Capitão – inicialmente, figura de confiança do Governador; em seguida, auxiliados por aquele, entram nas minas e cantam canções evangélicas, anunciando assim a oportunidade de fuga aos escravos; aproximando-se, o primeiro ajoelha-se em frente aos missionários; após esse, seguem-se centenas, milhares; por fim, os missionários confrontam o Governador e seus escravos fiéis, evitando o embate militar e se libertando:

 

“Conforme cantávamos, um após outro daqueles escravos do diabo vieram a nos ver. Uma pálida e cinza face emergiu pela metade de um túnel, e então de outro, ou de uma rachadura na pedra, e dos buracos e guaritas de onde nem tínhamos percebido olharem para nós, até que todos os precipícios em torno de nós estavam lotados de apavorados, ainda que desejosos, tímidos demais para se achegarem, ainda tragando golfadas de ar fresco como homens sedentos do deserto. (…) Cantamos mais suavemente, e terminamos num doce e longo coro de repouso e paz, e um longo e solene “Amém”. Então, um deles veio em nossa direção, ficou a uma pequena distância, ajoelhou-se e disse, “Amém”. (…) Então, vieram em número de quatrocentos, aos pares, aos trios, e então às dúzias, e ficaram como criancinhas respondendo sua lição, e murmuravam, como ouviram-no fazer, “Amém”.(…) Então voltei-me ao nosso grupo e às almas socorridas, porque elas estavam temerosas e tremendo pela aventura que empreenderam, e disse: “E vocês, meus irmãos, façam seus caminhos para a cidade, (…) porque o Chefe deste lugar vem, e devemos ter considerações com ele em primeiro lugar para que consequentemente seu caminho para frente esteja claro”. Assim viramo-nos em direção ao portão pelo qual o Capitão havia saído, e através do qual muitos dos quatrocentos vieram para somar ao nosso grupo” (p. 257).

 

“Esperamos a chegada do Chefe que, quando passava de uma caverna a outra, chamava seus escravos para seguirem-no e vingarem-se dos insolentes intrusos ao seu reino, que enfrentaram seus vigilantes e desafiaram sua autoridade. Com estas palavras de ameaça e muitos juramentos e imprecações, ele chegou; e aqueles espíritos acovardados, aterrorizados pelo medo de sua presença, seguiram-no com maldições e gritos, tomando para si seus juramentos blasfemadores para cumprirem suas ordens. Ficamos à frente do grupo para recebê-lo quando passou pelo portão, e finalmente apareceu. (…) Mas agora ele hesitava em falar, já que permanecemos em silêncio, porque ele estava acostumado há muito tempo a falar com autoridade e à maneira de um tirano, e faltava-lhe coragem de nos falar agora que nos viu, porque temos aparência pacífica em contraste com toda a temerosa e trêmula atitude de todos os outros naquele lugar. Mas enquanto esperávamos, encarando cada um dos outros, percebi que atrás dele havia um homem amarrado e preso por dois com o uniforme dos guardas que encontráramos no Portão Principal. Olhei muito acuradamente agora, porque ele estava nas sombras, e percebi que era nosso guia, o Capitão. Vendo isto, avancei rapidamente em sua direção e, ao passar pelo Chefe, toquei a lâmina de sua espada na passagem, e então fiquei diante deles que seguravam o homem amarrado e ordenei: “Soltem este homem destas correias e mandem-no para cá para perto de nosso grupo”. A estas palavras um grito de raiva saiu do Chefe, e ele tentou levantar sua espada contra mim. Mas toda a têmpera havia saído da lâmina, e ficou torta, mole como uma alga; ele fitava aquilo horrorizado naquela hora, porque ele a havia desembainhado em defesa de sua autoridade diminuída de poder. Eu não tinha em mente fazer dele motivo de riso, mas os outros, seus escravos, viram o lado cômico de seu apuro, não com humor, mas com malícia, e dos lugares escondidos vieram gargalhadas e zombaria. Então a lâmina murchou e caiu do cabo todo estragado, e ele a lançou para um ponto entre as rochas onde alguém ria mais alto que seus colegas. Então virei para os guardas novamente, e eles rapidamente soltaram o prisioneiro e mandaram-no a nós” (pp. 257-259).

 

Em A vida além do véu, na mensagem de 18/01/1918, Owen obteve o relato do fim da história – milhares de fujões seguiram a um local combinado, para se libertar:

 

“Nossa comitiva foi aumentando em tamanho por aqueles que se ajuntavam a nós vindos das cavernas que se estendiam pela escuridão distante para qualquer que fosse o lado. As novidades, tão escassas entre eles, foram espalhadas rapidamente até os limites mais distantes destas regiões trevosas, e agora a nossa contagem era de milhares, onde antes eram centenas. Quando paramos diante do muro, embaixo do buraco por onde espiamos a caverna onde agora estávamos, eu me virei e pude ver pouco além dos mais próximos da multidão, mas podia ouvir aqueles que tinham estado nos trabalhos mais afastados e no mais profundo subterrâneo ainda chegando com pressa febril e juntando-se a nós atrás dos outros, ficando em silêncio na presença do Chefe e seus convidados desconcertantes. (…) Então eu falei à multidão: “E quanto a vocês, de forma alguma fiquem com medo do que vai acontecer pela escolha que vocês fizeram, porque escolheram a parte mais forte, que jamais falhará com vocês. Somente sejam muito verdadeiros e não vacilem em seus passos, e atingirão a liberdade rapidamente e os altos planos, onde a luz está no final da jornada”. (…) Ficamos de lado para deixá-los passar e, enquanto iam, procurei pelo Capitão para dizer-lhe de meu desejo quanto a estas pessoas e a ele. Então ele se misturou em seu meio e passou com eles para fora das minas. Então reunimos os retardatários vindo atrás, e finalmente todos tinham passado pela porta e ficamos sozinhos. Então nós também passamos por ela, e finalmente viemos ao campo que havia na boca das minas. Ali novamente falei às pessoas, e contei-lhes que deveriam separar-se uns dos outros e ir pela Cidade naquelas casas e guaritas que melhor conheciam, contar as novidades e trazer aqueles que gostariam de vir com eles à praça da Rua Principal, onde deveríamos nos encontrar. (…) ficamos esperando pela chegada de nossa companhia na praça diante da Rua Principal. Não vimos mais o Chefe” (pp. 260-261).

 

Por sua vez, em Libertação, o personagem André Luiz informa os detalhes do arremate de sua missão. De início, os missionários produzem uma dissidência nas falanges malignas, conseguindo o apoio do diretor da falange operante – inicialmente, personagem de confiança do Sátrapa; em seguida, auxiliados por aquele, entram, controlam um posto avançado nos domínios malignos e anunciam a oportunidade de fuga aos espíritos sofredores; aproximando-se, o primeiro ajoelha-se em frente aos missionários; após esse, seguem-no dezenas; por fim, os missionários cantam canções evangélicas enquanto esperam a chegada do Sátrapa e seus assalariados, evitando o embate militar e se libertando:

“O diretor da falange operante, veio receber-nos. Pôs-se a fazer gestos hostis, mas, ante a senha com que Gregório nos favorecera, admitiu-nos na condição de companheiros importantes. – O chefe deliberou apertar o cerco? – perguntou ao nosso instrutor, confidencialmente” (pp. 110-111).

“[Saldanha] sentia-se estimulado ao bem, através da palavra cordial de nosso orientador e revelava-se disposto a não perder o mínimo ensejo de corresponder-lhe à dedicação fraterna. Depois de alguns minutos, ausentávamo-nos do hospício conduzindo as irmãs enfermas a recolhimento adequado, onde Gúbio as internou com todo o prestígio de suas virtudes celestes, ante o visível espanto de Saldanha que não sabia como exprimir-se no reconhecimento a extravasar-lhe da alma” (p. 160).

“Espíritos sofredores e perseguidos, mas bem intencionados, apareceram em grande número. A primeira entidade a aproximar-se foi uma senhora que se ajoelhou, à entrada (…). Logo após, surgiram dois velhos, rogando pousada. (…) A corrente dos pedintes, contudo, não ficou aí. Tive a idéia de que a missão de Gúbio se convertera, de repente, numa avançada instituição de pronto-socorro espiritual. Dezenas de criaturas desencarnadas, sob regime de prisão aos círculos inferiores, alinhavam-se, agora, ao lado da residência de Gabriel, sob a determinação de Gúbio que dizia aguardar a noite para os serviços da prece em geral. Antes, porém, que o dia expirasse, começaram a surgir vários elementos da falange de Gregório, afirmando-se dispostos à renovação de caminho. Procediam da própria colônia que visitáramos, e um deles, com grande assombro para mim, foi claro na enunciação dos propósitos de que se achava inspirado. – Salvem-me dos juizes cruéis! – suplicou, emocionando-nos pela inflexão de voz – não posso mais! Não suporto, por mais tempo, as atrocidades que sou constrangido a praticar. Soube que o próprio Saldanha se transformou” (pp. 214-215).

“Algumas irmãs entoaram formoso hino de louvor à bondade do Cristo, com visível desassombro no olhar firme, dantes ansioso e dorido, enchendo-nos o coração de intraduzível bem-estar. Raios de safirina luz derramaram-se profusamente sobre nós, enquanto as vozes harmoniosas e singelas se espalhavam, em derredor, tangendo-nos as fibras mais recônditas, nos recessos do ser. Terminado o cântico melodioso e tocante que nos recordava os pensamentos sublimes de inolvidável Salmo de David, o instrutor retomou a palavra e informou que, não obstante as santificadas alegrias daquela hora, a batalha não estava finda. (…) Gregório, ciente das novidades havidas no drama de Margarida e informado acerca da renovação de muitos companheiros e colaboradores dele, agora francamente inclinados ao bem, entediados da ignorância e do ódio, da perversidade e da insensatez, se revoltara contra ele (…). Amparados os mais doentes naqueles que se mostravam mais fortes, retiramo-nos, cautelosos, pondo-nos a caminho da zona preestabelecida. Duas horas de jornada, sob a supervisão de Gúbio perfeitamente treinado em experiências daquela natureza, conduziram-nos ao local desejado. (…) Não foi preciso esperar muito. Alguns minutos se desdobraram apressados e Gregório, com algumas dezenas de assalariados, surgiu em campo, investindo-nos com palavrões que se caracterizavam pela dureza e violência. Os recém-chegados apareceram acompanhados de grande cópia de animais, em maioria monstruosos. (…) O sacerdote das sombras avançou para o nosso orientador, à semelhança de general parlamentando na praça, antes de começar a batalha, e acusou sem rodeios: – Miserável hipnotizador de servos ingênuos, onde se alinham tuas armas para o duelo desta hora? (…) Combatamos! Gregório espraiou torvo olhar pela assistência muda e exclamou: – Aqui descansam inermes, ao teu lado, os meus colaboradores que adormeceram, vergonhosamente, ao teu cântico sedutor; entretanto, cada qual deles me pagará, muito caro, a defecção e a desobediência (…) arrancou a espada da bainha e bradou encolerizado: – Vim para combater, não para argumentar. Não temo sortilégios. Sou um chefe e não posso perder os minutos com palavras tergiversantes. Não admito a presença de minha mãe espiritual de outras eras. Conheço as artimanhas dos fascinadores e não tenho outra alternativa senão duelar. Fitando a delicada forma de luz que pairava no espaço, acrescentou: – Por quem és! Anjo ou demônio, aparece e combate! Aceitas meu desafio? – Sim… – respondeu Matilde, com ternura e humildade. – Tua espada? – trovejou Gregório, arquejante. – Vê-la-ás dentro em breve… Após alguns momentos de ansiosa expectativa, apagou-se a garganta luminosa que brilhava sobre nós, mas leve massa radiante e disforme surgiu, não longe, à nossa vista. Compreendi que a valorosa emissária se materializaria, ali mesmo, utilizando os fluidos vitais que o nosso orientador lhe forneceria. Júbilo e assombro dominavam a assembléia. Em poucos instantes, erguia-se Matilde, a nosso olhar, de rosto velado por véu de gaze tenuíssima. A túnica alva e luminescente, aliada ao porte esguio e nobre, sob a auréola de safirina luz de que se tocava, traziam à lembrança alguma encantada madona da Idade Média, em repentina aparição. Adiantava-se, digna e calma, na direção do sombrio perseguidor; todavia, Gregório, perturbado e impaciente, atacou-a de longe e empunhou a lâmina em riste, exclamando, resoluto: – Às armas! às armas!… Matilde estacou, serena e humilde, embora imponente e bela, com a majestade de uma rainha coroada de Sol. Decorridos alguns instantes ligeiros, movimentou-se novamente e, alçando a destra radiosa até ao coração, caminhou para ele, afirmando, em voz doce e terna: – Eu não tenho outra espada, senão a do amor com que sempre te amei! E de súbito desvelou o semblante vestalino, revelando-lhe a individualidade num dilúvio de intensa luz. Contemplando-lhe, então, a beleza suave e sublime, banhada de lágrimas, e sentindo-lhe as irradiações enternecedoras dos braços que, agora, se lhe abriam, envolventes e acolhedores, Gregório deixou cair a lâmina acerada e de joelhos se prosternou, bradando: – Mãe! Minha mãe! Minha mãe!… Matilde enlaçou-o e exclamou: – Meu filho! Meu filho! Deus te abençoe! Quero-te mais que nunca!” (pp. 249-259).

Comentários: em A vida além do véu, o personagem Arnel narra a seguinte sequência final: a) graças à dissidência do personagem Capitão, antes fiel ao Governador, os missionários entram nas minas; b) os missionários chamam os escravos para a fuga, cantando hinos evangélicos; c) aproximando-se, o primeiro se ajoelha; d) centenas ou milhares de escravos seguem-no; e) esperado, o Governador chega com seus escravos fiéis, falando palavrões; f) desembainha a espada; porém, esta murcha na presença de todos; g) a comitiva de milhares de pessoas se ajunta num ponto determinado para se libertar. Por sua vez, em Libertação, o personagem André Luiz narra a seguinte sequência final: a) graças à dissidência do diretor da falange operante, antes fiel ao Sátrapa, os missionários controlam um ponto avançado nos domínios malignos; b) os missionários anunciam aos espíritos sofredores a chance de fuga; c) aproximando-se, uma senhora se ajoelha; d) dezenas de sofredores seguem-na; f) o grupo resgatado segue a um local combinado para se libertar; g) os missionários cantam canções evangélicas enquanto esperam o Sátrapa chegar com seus assalariados, h) falando palavrões, o Grande Juiz desembainha a espada, esta cai e ele é derrotado sem luta.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como exposto acima, as evidências apontam que a trama do livro Libertação, que Xavier afirmava ter psicografado do espírito André Luiz, é apenas um plágio, incrivelmente prefaciada por outro plágio, um escrito atribuído por Xavier ao espírito Emmanuel. E mais: sustento que a alegada colônia espiritual que Xavier chamou de Nosso lar também tem sua origem em A vida além do véu, na mensagem de 01/02/1918, nesta obra figurando como a Universidade das Cinco Torres:

“[Na Universidade] há cinco torres – quatro de tamanho igual, mas não de mesmo modelo – e, no meio delas, a Cúpula. A Grande Torre eleva-se mais adiante, e é continuada até uma grande altura. (…) Além do Pórtico está um lago e, andando, nos aproximamos daquilo para o que pórtico se abre, e que se estende a alguma distância para a esquerda e para a direita. O prédio principal eleva-se do lago, e todos os seus jardins e agrupamentos de prédios menores são unidos a ele por pontes, a maioria coberta.

A Cúpula cobre um saguão que é usado para a observação. (…) As quatro Torres têm cada uma um conjunto de prédios próprio. Não posso dar-lhe os nomes, mas você pode transcrevê-los como a Torre da Vida Dormente, a qual você chamaria de mineral; a Torre da Vida Sonhadora, que você chamaria vegetal; a Torre da Vida Despertando, a qual você chamaria de animal; e a Torre da Consciência, a qual você chamaria de humana.

A Grande Torre é a Torre da Vida Angélica, que observa todas as formas de vida abaixo dela em grau de progresso, e também coroa todas elas. Pois em direção à ordem Angélica está se movendo toda a criação inferior. Estas Torres são servidas pela Casa da Cúpula e, para ela, eles se voltam por algum item especial de conhecimento que necessitem em seu trabalho de pesquisa e classificação (…).

A Grande Torre é muito agradável de se ver. É de uma cor que não há na Terra; mas chame-a de alabastro dourado recoberto de pérolas, e terá uma ideia dela. É quase como uma fonte ampla e esplêndida de gemas líquidas em perpétuo movimento. Mas ao invés da água caindo, ali se dá a harmonia de uma música sussurrada, de tal forma que ninguém pode se aproximar do prédio sem que se modifique, quase para um encantamento em êxtase, pela influência que ela emana sobre tudo. As águas também são lindas, já que dão voltas em torno dos canteiros em flor; e aqui há um córrego, e ali há um lago no qual as Torres, ou a Cúpula, ou alguma preciosidade da arquitetura, é refletida, e permanece em plácida e repousante beleza, como uma criança angelical em seu berço, por assim dizer a você.

Vou levá-lo para a Grande Torre, e perceba um pouco de suas qualidades. Ela não tem um prédio amplo em sua base, mas lança-se por igual desde suas fundações. Ficamos em seu interior e olhamos para cima, e você paralisa pela admiração. (…) A Torre é construída de paredes duplas, e nos quatro lados há salas e saguões e habitações dos Anjos. Assim que se olha para cima, pode-se ver uma porta, e então um balcão ou janela suspensa, ou uma ponte ligando uma habitação a outra, numa curva para fora no espaço, ou para dentro novamente para sua destinação. Ou uma linha diagonal na parede mostrará onde um lance de escadas vai de uma casa, ou local de lazer, a outro local. Até mesmo jardins há ali, plantados em amplos canteiros saídos das paredes laterais da Torre. E tão alta e tão larga é esta grande construção que estes itens, que são de proporção espaçosa quando se aproxima deles, mesmo assim não impedem a visão do céu acima, nem alteram o contorno da abertura no topo. E quando se olha em torno, vê-se como a luz altera e se mistura, e intensifica ou desaparece nas diferentes partes da ascensão. Desta forma, em uma casa, conforme o que ela forneça para o bem da Torre, lá parece que brilha o sol do crepúsculo.

Em outra, o sol da manhã parece estar surgindo e iluminando o jardim no terraço, com suas belas árvores verdes e arbustos, com o lampejo do pôr do sol. (…) Retome em sua mente ao nome que dei a estas Cinco Torres e verá que não é o caso. Esta Grande Torre supervisiona o trabalho das outras quatro, e a Cúpula puxa daqui o poder requerido para a tarefa. Aqui residem Anjos de elevado grau, num vai e vem de reinos muito altos para darem de sua força poderosa e de sua experiência ampla, para auxiliarem aqueles que agora buscam acertar o passo no caminho que eles trilharam antes, eras atrás. Estes que habitam nas Quatro Torres e na Casa da Cúpula estão fazendo, na presente eternidade, o que eles mesmos fizeram nas eternidades já passadas, cujos cidadãos passaram pelo ciclo de progresso e deixaram seu lugar para ser ocupado pela raça atual” (pp. 287-289).

Em o Nosso lar, livro de Xavier, existem as seguintes informações sobre a colônia Nosso lar:

“A essa altura, atingíramos uma praça de maravilhosos contornos, ostentando extensos jardins. No centro da praça, erguia-se um palácio de magnificente beleza, encabeçado de torres soberanas, que se perdiam no céu. – Os fundadores da colônia começaram o esforço, partindo daqui, onde se localiza a Governadoria – disse o visitador. Apontando o palácio, continuou: – Temos, nesta praça, o ponto de convergência dos seis ministérios a que me referi. Todos começam da Governadoria, estendendo-se em forma triangular”.

Comentário: Xavier fez uso da descrição que o “espírito” Arnel fez da Universidade das Cinco Torres, contida em A vida além do véu, para idealizar a colônia espiritual Nosso Lar. As torres de Owen são os ministérios de Xavier; na universidade há casas, lindos jardins, água em abundância – eis o Nosso lar original. Foi a partir da leitura que Xavier fez da Universidade das Cinco Torres de Owen que ele ideou a colônia Nosso Lar. Observe-se as informações sobre a Universidade das Cinco Torres: os caminhos e as pontes sempre convergentes para a Grande Torre; na colônia Nosso lar, Xavier transformou a Grande Torre no palácio da Governadoria – colocando-o no centro, para onde convergem todas as estradas e ruas de o Nosso lar. Em A vida além do véu, todas as informações sobre a Universidade das Cinco Torres recordam um pentágono. Em o Nosso lar, a configuração da “colônia”, sua estrutura etc. remete-nos ao hexágono. Xavier apenas trocou cinco por meia-dúzia.

No livro Cidade no além (Edifel, que na sua 26ª edição, em julho de 2001, indicava a impressão de duzentos mil exemplares), Heigorina Cunha escreveu:

“Desconhecida que sou da grande família espírita, e do público em geral, a quem é destinada a mensagem deste livro, vinda do Mundo Maior, com a minha pequena parcela de cooperação, gostaria de contar, neste limiar, um pouco da minha vida para que os queridos leitores se inteirem da precariedade de recursos dos quais os Espíritos dispuseram para se manifestarem por meu intermédio, o que pode explicar as falhas técnicas e, às vezes, elementares de desenho, principalmente tendo em vista a qualidade da matéria a ser retratada, que envolve aspectos, paisagens e coisas do Mundo Espiritual. (…) Foi em 1962, quase um ano após a partida de Mamãe, em uma tarde amena, quando contemplava, melancólica, o pôr-do-sol, que senti mais nítida a sua presença, e, a partir daí, comecei a penetrar os dois planos da vida com mais freqüência. Mas foi no dia 2 de março de 1979, quando vivi a mais fascinante experiência de minha vida. Vi-me saindo do corpo, conduzida por um Espírito que não pude identificar, seguindo para uma cidade espiritual que depois soube tratar-se da cidade “Nosso Lar”.

Cunha informa que teve mais um desdobramento, no jargão espírita, uma saída da alma do corpo, no qual teria visitado a colônia espiritual Nosso lar, e que esta ocorrência notável lhe permitiu fazer alguns desenhos da “cidade” visitada em seu “transe”:

“Entusiasmada com o segundo desenho, mostrei-o a algumas pessoas mais íntimas e de minha confiança. Uma delas foi um primo, que levou a notícia a Francisco Cândido Xavier. O bondoso médium de Uberaba se interessou e pediu-me que lhe levasse os desenhos, e qual não foi a minha surpresa quando me afirmou se tratar da cidade “Nosso Lar”, correspondendo-lhe exatamente à forma. Sob estímulo de seu carinho e compreensão, procurei grafar outros detalhes da cidade, que estão oferecidos neste livro. Depositei nas mãos de Francisco Cândido Xavier, que se incumbiu generosamente dos detalhes complementares e do encaminhamento do material para o Instituto de Difusão Espírita, de Araras, que, afinal o editou. Na oportunidade, devo agradecer a Deus e aos Bons Espíritos pela participação que tive neste trabalho, rogando escusas, inclusive aos leitores, pelas deficiências naturais impostas pelas minhas limitações pessoais. Heigorina Cunha, Sacramento, 4 de fevereiro de 1983”.

O livro de Cunha pode ser encontrado na internet, com desenhos de como seria o plano arquitetônico da “colônia espiritual” Nosso lar:

“Da Governadoria partem as coordenadas que dividem a cidade em seis partes distintas, afetas, cada uma, ao mesmo número de organizações especializadas, em que se desdobra a administração pública, representadas, como já disse, pelos Ministérios da Regeneração, do Auxílio, da Comunicação, do Esclarecimento, da Elevação e da União Divina” (p. 36).

Fig. – Plano arquitetônico da “colônia espiritual” Nosso lar, segundo Cunha e Xavier.Fig. – Plano arquitetônico da “colônia espiritual” Nosso lar, segundo Cunha e Xavier.
Seculodasraudes_tab1

Assim, poder-se-ia indagar:

I – Então, Cunha mentiu?

Afirmo que ela não mentiu, longe de mim duvidar da integridade desta senhora. Provavelmente, ela teve um “sonho”, algo nesta linha.

II – Por que Xavier confirmou o que Cunha disse?

Xavier facilmente deve ter percebido que as sugestões de Cunha seguiam ao encontro das linhas gerais que ele havia reproposto para a “colônia espiritual” Nosso lar. Quando lhe perguntavam se André Luiz teria sido Oswaldo Cruz, Carlos Chagas ou Faustino Esposel, ele deixava sempre a dúvida no ar; dava um sorriso, não dizia nem sim nem não! Sabia que não era nenhum deles, simplesmente porque havia inventado esse personagem. Mas a Xavier interessava esse “joguinho” de curiosidades, de discussões sobre o tema; isto alimentava as histórias mitológicas sobre sua “mediunidade”. Entendo que o traço psicológico fundamental para a compreensão de Xavier, o que o motivava, era ser sempre o centro das atenções.

(http://estudosespiritas-milsoliva.blogspot.com.br/2012/09/mais-provas-de-plagio-de-nosso-lar.html,  BIASETTO, José Eduardo, Setembro de 2012)

Técnicas de Fraudes e Truques de Ilusionismo

“Esse livro revela muitas técnicas de fraude usadas pelos médiuns, e faz uma  ótima análise das pesquisas realizadas nos primórdios da metapsíquica. Infelizmente muitas vezes o livro sofre com a falta de referências para o que o autor diz, e há pelo menos dois erros de impressão no livro que tornam alguns trechos ininteligíveis. Talvez esses erros não existam em edições passadas e possam ser sanados, entretanto. Agradeço quem tiver versões mais antigas do livro e puder verificar e me informar. Quem quiser baixar a versão em doc, clique aqui. Quem quiser baixar a versão em pdf, clique aqui. Abaixo segue o capítulo que considero o mais importantes do livro, o 19º. Mas muitos outros capítulos trazem revelações surpreendentes também.

O MÉDIUM LADISLAU LASZLO teve em Budapeste, durante dois anos, um sucesso imenso, graças às materializações que realizava e que foram verificadas por grande número de médicos e pessoas cultas. Inicialmente, a atenção pública convergiu sobre ele pelo fato de ter assassinado a própria noiva, fazendo-a vir a um hotel, onde, abraçando-a, lhe deu um tiro de revólver pelas costas, que lhe produziu morte imediata.

Mas a bala, atravessando-lhe o peito e o coração, foi alojar-se no tórax do próprio Laszlo que, abraçado à noiva, ficou gravemente ferido. Ele atribuiu o ato ao seu segundo eu, que o dominou de maneira demoníaca, obrigando-o à execução daquele ato. Depois de submetido a julgamento, tendo sido absolvido, entregou-se à prática intensiva do espiritismo, sobretudo como objeto de investigação numa Sociedade de estudos metapsíquicos, formada principalmente de médicos e professores da Universidade.

O médium apresentava materializações que lhe saíam pela boca e tomavam formas do corpo humano, cuja realidade supranormal pôde ser demonstrada por meio de numerosas verificações. Basta dizer que ele antes de entrar para a cabine, era completamente despido, sendo examinado rigorosamente, mesmo quanto à cavidade bucal e o interior do reto. Além disso, chegou a ser posto em custódia permanente, sendo observado ininterruptamente por pessoas garantidas, que se revezavam, sobretudo quando lhe deram um purgante para esvaziar o intestino, seguido de uma lavagem do estômago, a fim de ficar suficientemente autenticada a realidade mediunística das suas materializações.

Pois bem, depois de tudo isso ter sido bem verificado e, portanto, demonstrado o seu poder sobrenatural, ocorreu qualquer coisa de horrivelmente banal. Alguém propôs ao médium um negócio tentador, que ele logo aceitou com entusiasmo: uma viagem pelo continente, financiada por um grupo de comerciantes, durante a qual demonstraria as suas faculdades sobrenaturais. Tornava-se, porém, necessário dar primeiramente uma sessão privada aos financiadores da empresa, a fim de eles próprios se darem conta da situação.

Laszlo não teve dúvidas e, logo de início, revelou ao companheiro que tudo aquilo não passava de truques e mistificações, naturalmente muito apropriadas para se ganhar dinheiro. A sessão realizou-se como estava combinado, ninguém devendo tocar no ectoplasma, pois poderia isso ocasionar a morte súbita do médium. Nessas condições, “sob a intensa emoção dos espectadores, que batiam dentes e sentiam arrepios de angústia”, formou-se o ectoplasma, com a materialização de três dedos da mão. Nesse momento, o companheiro da proposta, Eugen Schenk, lançou-se sobre Laszlo e arrancou-lhe da boca, enquanto ele gritava como um desesperado, aquela substância misteriosa e que devia ser sobrenatural. Mas era tudo que havia de mais vulgar e material: um pedaço de gaze impregnado de gordura de ganso! Assim, acabaram-se os mistérios e desapareceram os espíritos!

Os truques que Laszlo empregava para ludibriar as suas vítimas se tornaram conhecidos, sendo que a habilidade desenvolvida para realizar os seus intentos constituía a parte mais extraordinária da representação. Apesar de todo o controle, encontrava sempre maneira de esconder o material que usava em suas mistificações. Em geral, ocultava-o no reto, bem alto, para não ser encontrado pelo toque digital do exame médico. Mesmo quando tomou óleo de rícino, sendo acompanhado até nos momentos em que ia à privada, conseguiu disfarçá-lo para o usar no momento adequado. Outras vezes, ocultava-o previamente no sofá, nas cortinas, ou em outros lugares do local escolhido, sendo que os próprios fiscais e observadores das sessões eram aproveitados para transporte desse material, sem que o soubessem.

Laszlo fazia-o de modo que o bolso da pessoa escolhida, onde ocultava tal material, ficava sempre facilmente acessível às suas mãos.

O caso de Laszlo apresenta ainda uma particularidade surpreendente: a do auxílio que recebia de três pessoas de categoria e que se estava longe de desconfiar pudessem tomar parte nas suas manobras fraudulentas: um médico, um juiz criminal e um artista pintor! Era o mesmo que já havia ocorrido com o professor Bianchi que, numa sessão realizada por Eusápia, em presença de Lombroso, ajudou a médium, assim como com o médium Sambor, que foi auxiliado por um homem considerado de caráter, ao mesmo tempo pintor e escritor e que, durante uma dezena de anos, tomou parte ativa e passiva nas trapaças de diversos médiuns. Klinckowstroem chama a atenção para essa eventualidade, mostrando que os casos em questão ainda prosseguiram sendo explorados por ocultistas, caso os parceiros tivessem sido mais hábeis e cautelosos. Aliás, tal possibilidade é muito mais freqüente do que se acredita, como é fácil verificar dando maior atenção aos auxiliares dos médiuns, em geral, pessoas de presença obrigatória às sessões.

O que há de grave no caso de Laszlo é a convicção de grande número de homens de ciência que acreditavam na autenticidade daqueles fenômenos, cuja origem era tomada como sobrenatural. Era mais uma vez a repetição do que havia acontecido inúmeras outras, sem que fossem tiradas as conclusões e os ensinamentos que daí deviam resultar. Pelo contrário: tudo serviu para reforçar crenças e suposições, penetrando até no domínio da filosofia, como nos casos de Hans Driesch e T. K. Oesterreich, professores de filosofia de Universidades alemãs, que procuraram servir-se de manifestações daquele gênero como elementos fundamentais de seus sistemas filosóficos. No entanto, o que tem acontecido invariavelmente em todos esses casos é de tudo acabar em trapaças e mistificações, não raro executadas com alta técnica de prestidigitação e surpreendente credulidade dos circunstantes. Miller, que se tornou célebre fazendo aparecer diversos fantasmas ao mesmo tempo e deixando-se tocar pelas pessoas presentes, foi surpreendido em fraude, porque se tornou negligente nas suas manobras, tal a confiança que tinha na boa fé e na ingenuidade das pessoas presentes.

Os jornais espíritas, que o haviam glorificado ao extremo, tiveram de calar-se ou reconhecer o erro, como tem acontecido em muitos casos semelhantes.

Quando Eusápia, no Instituto Psicológico de Paris, conseguia fazer abaixar um pesa-cartas sem tocá-lo, mesmo à distância, um dos assistentes enegreceu com fuligem a concha, o braço e o indicador da balança, desconfiando que o processo pudesse ser executado por meio de um longo fio de cabelo que, nesse caso, produziria uma marca qualquer na fuligem. O que aconteceu é que todas as experiências posteriores falharam, não podendo mais Eusápia agir sobre o pesa-cartas, “nem uma única vez”!

Com Max Dessoir falhou também experiência semelhante, que consistia em fazer a médium mover sobre a mesa um simples fósforo, sem tocá-lo. Aliás, nesse sentido, foi estabelecido um prêmio de dois mil francos para o médium que conseguisse deslocar qualquer objeto, sem tocá-lo. A experiência, que foi largamente divulgada pelo “Matin”, jornal de grande tiragem de Paris, tendo repercussão pelo mundo inteiro, devia ser realizada no laboratório do professor Dastre, na Sorbonne, mas não apareceu ninguém para submeter-se à prova! Isso foi considerado tanto mais estranho quanto, naquele momento, apareciam comunicações sobre médiuns que faziam elevar no ar, sem tocá-los, móveis e objetos pesando até centenas de quilos, levando diversos sábios a falar de levitação como de qualquer coisa já cientificamente demonstrada. Quando D’Arsonval recebia ordem de Eusápia para levantar uma pequena mesa, fazia-o facilmente, embora, pouco depois, por ordem inversa, não conseguisse mais fazê-lo, pois “a mesa parecia pregada no chão”. Em breve, alguns observadores verificaram que o peso do médium colocado sobre uma balança variava segundo a posição dos objetos que ele punha em movimento em torno de si, tudo de acordo com as leis de física, pois havia diminuição de peso do seu corpo quando se apoiava sobre eles e aumento quando era ele que servia de ponto de apoio. Quando o médium perdia contato com o chão não conseguia produzir mais fenômenos de levitação! Crookes estudou o fenômeno com aparelhos de física, servindo-se do célebre médium Daniel Home, que conseguia alterar o peso do corpo e tocar instrumentos musicais à distância. Os relatórios são impressionantes, porém, mais tarde, descobriu-se que Home, à maneira do que tem acontecido com todos os médiuns célebres, havia cometido toda espécie de truques e mistificações.

“Para fazer-se uma mesa levantar-se no ar por alguns segundos, são necessárias manobras especiais, sobretudo a de dar-lhe um certo movimento, capaz de fazer mudar rapidamente o seu centro de gravidade, como usam os saltimbancos em suas exibições. Além disso, pode-se ajudar com o calcanhar ou cordões finos, quando a iluminação é pouca intensa. No livro “Around the World with a Magicien and a Jugger”, encontra-se a fotografia de uma mesa no ar e, na figura, não se percebe como pode ter sido isso obtido”.

Uma mesa de pouco peso pode ser levantada por meio de um anel tendo uma pequena fenda. Para isso, o médium enterra um percevejo na mesa, que, tendo a mesma côr do móvel, passe despercebido aos espectadores. Depois, nele engancha o anel e, assim, levanta a mesa, tendo sobre ela as mãos espalmadas. Também, por meio de um anel, tendo um gancho em forma de U e pintado da mesma côr da pele, torna-se possível, enganchando-o na tábua da mesa, levantá-la, mesmo em plena luz, diante do olhar perplexo dos espectadores. O mesmo pode ser feito pelo emprego de um fio resistente e bem fino que o mágico ou o médium faz passar por baixo do móvel ou põe em contato com outros objetos, conseguindo deslocá-los ou levantá-los. O fio comumente empregado deve ser bastante longo, de aproximadamente meio metro de comprimento, e possuir alças largas nas extremidades, para nelas poder o operador facilmente introduzir os dedos, executando movimentos de grande extensão. Um fio de cabelo passa despercebido a cinquenta centímetros de distância e, em muitos casos, a manobra é executada por um auxiliar, que a torna assim mais segura e impressionante.

Uma vez, pegou-se Eusápia servindo-se de uma flor com longa haste, por meio da qual produzia singulares manifestações de telecinesia. Na residência de Gustave Le Bon, em Paris, viu-se por diversas vezes, em quase plena claridade, aparecer uma mão acima da cabeça dessa médium. Mas, observando as suas espáduas por meio de uma iluminação lateral, que ela não podia perceber, verificou-se que as mãos materializadas eram as da própria médium, que conseguia libertar-se do controle dos observadores, sendo os movimentos das suas mãos conjugados com os dos seus ombros. Quando ela se deu conta dessa verificação, imediatamente deixou de se operar a materialização das mãos. D’Arsonval e Dastre, naquela ocasião, chegaram à conclusão de que todos os movimentos e materializações não passavam de fraudes e acrobacias.

O Instituto Psicológico de Paris, por sua vez, não conseguiu observar caso algum em que a fraude não representasse qualquer papel. Com Eusápia aconteceu de, por mais de uma vez, segurarem-lhe a mão ou o pé quando, à distância, realizava contatos de além túmulo. Albert Moll, numa sessão espírita, na qual a gaveta de uma mesa se abriu espontaneamente diversas vezes por influência de forças mediúnicas, conseguiu pegar o pé da médium no momento em que executava a manobra, metendo-o na fenda, atrás da gaveta. Quando, em situação idêntica, Dessoir conseguiu pegar o pé de uma médium, calçado de meia, já tinham os seus companheiros de sessão percebido contatos, que atribuíam uns a punhos de gigante, outros a mãos de criança, terceiros a cabeças de cachorro, etc. O emprego do pé, pelos médiuns, é tão frequente que um ator descobriu ser hábito de quase todos eles usar sapatos muito folgados. Não é por outra razão que os tecidos para materialização são muito finos, do tipo da gaze e da musselina, sempre vaporosos, de volume mínimo, ocupando espaço insignificante. Basta dizer que um pedaço desse tecido, que pode ser colocado no ouvido ou mesmo na cavidade de um dente, fornece material capaz de tomar enormes proporções. Um autor fala de um tecido oriental, do qual um centímetro cúbico dava um balão de cinco metros de diâmetro.

Não é também por simples coincidência que quase todos os médiuns dados a materializações são mulheres, muitas das quais trabalham de preferência no período da menstruação. Nessas condições, o transporte dc material é mais fácil e garantido, uma vez que os processos de controle não podem ser tão rigorosos. De qualquer modo, investigadores científicos têm se queixado de que, na troca de roupa, sempre necessária à boa verificação, há lugar para fraude, porque, em se tratando de mulher, quando muito ocorre troca de combinação, sob a qual podem estar ocultas outras coisas, por vezes coladas ao corpo ou escondidas nas suas cavidades. Recordemos a história burlesca de Ejner Nielsen, cognominado o grande Nielsen, médium norueguês, célebre, sobretudo, pelos fenômenos de materialização, cuja autenticidade foi objeto de investigação por parte de diversos cientistas. As primeiras experiências foram realizadas na Universidade de Cristiania por uma comissão de professores eminentes, designados pelo Reitor da Universidade, por solicitação da Sociedade Norueguesa de Pesquisas Psíquicas. Essa comissão chamou a atenção para as dificuldades de controle, mostrando ser necessário examinar a fundo o médium, desde a boca, o nariz e a garganta, até o estômago, o ânus e o reto. E isso conscientemente, em todas as sessões, porque ele, cada vez, se punha ao corrente da verificação, encontrando novos recursos para burlá-la. No caso em questão, ficou evidente que as condições das experiências eram estabelecidas pelo próprio médium e os seus auxiliares, o que naturalmente facilitava as fraudes. Nielsen trocava a roupa por um maillot que, por segurança, era justo e cosido ao corpo, sendo-lhe examinada a boca, o nariz e a garganta, mas não o reto, por sua expressa proibição. Pois bem, numa das últimas sessões realizadas por essa comissão, encontrou-se um pequeno furo no maillot e, em torno dele, assim como em diversos lugares do corpo do médium, pequenas porções de matéria fecal. Foi, aliás, somente nessa sessão que houve aparecimento de ectoplasma, fotografado pela comissão, mas que, seguramente, provinha do material guardado no reto. O médium conseguiu, sem dúvida alguma, libertar uma das mãos para executar a manobra necessária, isto é, levar à boca o que estava oculto no ânus, a fim de produzir as materializações que lhe escapavam da cavidade bucal. O processo de ocultar objetos introduzindo-os no reto tem dado lugar a manobras fraudulentas, que às vezes não são descobertas mesmo quando se faz o exame digital ou retoscópico desse órgão. São conhecidos casos de forçados que têm conseguido levar até o cólon transverso cilindros de extremidades cônicas contendo objetos de valor e que, introduzidos pelo ânus, são conduzidos por manobras externas, feitas com as mãos, até àquela porção do intestino.

A regurgitação vinda do estômago é fenômeno conhecido de há séculos, tendo recebido em medicina a denominação de mericismo, vinda dum verbo grego que significa ruminar. Por vezes, essa faculdade atinge tal grau, que o seu possuidor chega a explorá-la em exibições públicas, para ganhar dinheiro. Eu próprio tive ocasião de ver um indivíduo dessa classe, que se apresentava em teatros de variedades. Ele vinha à cena com um aquário contendo peixes vermelhos e rãs e, diante dos olhos do público, engolia todos aqueles animais, um a um, e bebia toda a água do aquário, que não era muito pequeno. Depois, fazia subir à boca os animais, também um a um, lentamente, a conversar e sorrir, para preencher o tempo do seu número. E executava tudo isso até com graça e elegância, aparecendo-lhe por exemplo, entre os lábios, a perna de uma rã, por onde pegava o animal, colocando-o no aquário e, assim sucessivamente com as outras e, finalmente, com os peixes. Por fim, a água era esguichada, de longe, como um repuxo, até encher o vaso, onde de novo os animais nadavam calmamente. Interessante é que ele os repunha na mesma ordem daquela em que haviam sido ingeridos. Se a ingestão havia sido iniciada pelas rãs e terminada pelos peixes, eram elas que, pela regurgitação, apareciam em primeiro lugar.

No caso já citado do norueguês Nielsen, antes de ser ele desmascarado, um engenheiro de Berlim, que possuía esplêndido laboratório de pesquisa, chegou à conclusão de que o ectoplasma fornecido pelo médium era autêntico e que os resultados falsos eram obra dos próprios médicos que o observavam! Muito interessante é o fato de Nielsen posuir um dente de ouro que aparecia regularmente nas materializações, assim como também o seu nariz, fácil de reconhecer, apesar dos disfarces. Quando as suas materializações saíam do gabinete, foi possível reconhecer, sob os véus ideoplásticos, as mangas arregaçadas da sua camisa! Depois de tudo isso, é compreensível o ridículo em que caiu esse médium, que recebeu o epíteto de rei de materializações anais, com auréola de martírio…

Por várias vezes, já tem sido chamada a atenção para um fato que se repete em muitas dessas situações: o do médium experimentar com os sábios e não estes com ele, uma vez que as condições das experiências são determinadas pelo médium. Um exemplo muito ilustrativo foi fornecido por Willy Schneider já anteriormente analisado e que recusou a proposta do professor Siegfried Becher, que quis protegê-lo da luz pelo emprego de óculos amarelos, iluminando a sala com luz ultravioleta monocromática. Dessa maneira, o médium ficaria mergulhado em escuridão completa, não sendo incomodado pela luz, que pretendidamente representa grande estorvo para ele, capaz de impossibilitar o aparecimento de manifestações sobrenaturais. Aliás, as verificações habitualmente empregadas estão longe de corresponder ao que poderia ser estabelecido por médicos especialistas ou mesmo guardas de alfândega quando suspeitam contrabando. Algumas vezes têm sido encontrados médiuns usando calçado de sola e salto ocos; outros munidos de fios, barbatanas e até pinças que se desdobram tais como as usadas por gatunos para apanhar objetos ao longe, tudo isso sem contar guitarras, luvas fosforescentes, apetrechos de papelão negro, mesas e cadeiras especialmente construídas, etc.

Franck-Kluski é o pseudônimo de um escritor polonês, que se tornou médium famoso. As suas produções foram estudadas no Instituto Metapsíquico de Paris pelo seu diretor, o doutor G. Geley. Kluski produzia sobretudo fenômenos luminosos, materializações em parafina e gesso, especialmente de membros. Paul Heuzé assistiu a uma sessão desse médium em Varsóvia e, para corresponder ao pedido de um compatriota, solicitou a Kluski para materializar uma fisionomia. O médium mostrou-se irritado, mas prometeu fazê-lo. Quando tudo ficou às escuras, ouviu-se barulho no vaso de parafina líquida, onde se verificou depois, em vez de fisionomia, uma modelagem de nádegas respeitáveis. Heuzé achou-as idênticas às de Kluski, mas no protocolo da sessão são dados como sendo de uma velha, enquanto um diplomata presente as comparou às de uma criança! Se essa divergência de opinião já é extraordinária, tratando-se de um modelo sólido e bem fixado, maior deve ser a surpresa ao saber-se que Geley atribuiu essa formação a forças metapsíquicas, a uma manifestação ideoplástica, graças à presença de poderes inteligentes na sessão! Tudo isso apesar de haver o próprio Geley declarado que o médium sofrera uma profunda queimadura nas nádegas, que o fez sofrer durante muitos dias!

Nas moldagens mediúnicas, informa-nos Richet, “distinge-se muitas vezes o delineamento de um tecido de gaze lizeira, que protegeria os dedos e o rosto do médium contra o contato direto da argila ou do mastique. Não se pode ver aí uma objeção. Pelo contrário: é antes uma prova de autenticidade das experiências, porque a materialização de tecidos inertes acompanha sempre a materialização de tecidos vivos”. E conclui ingenuamente: “Depois: como manejar e fazer desaparecer essa gaze nas condições de controle experimental rigoroso que se conhece?”

Outro caso que teve grande repercussão foi o de Jean Guzig, célebre médium polonês especializado na produção de manifestações físicas. O doutor Geley foi observá-lo em Varsóvia e obteve tais resultados que o fez vir a Paris, onde permaneceu durante muitos meses, sendo objeto de investigações em seu Instituto. Nessa ocasião, assistiam às sessões grande número de pessoas eminentes, entre as quais Oliver Lodge, Charles Richet, C. Flammarion, os professores Leclainche e Vallée e diversas outras. Foi daí que partiu o célebre “Manifesto dos Trinta e Quatro”, publicado no jornal “Le Matin” e que produziu grande sensação, pois concluía pela veracidade dos fenômenos observados: “Afirmamos simplesmente a nossa convicção de que os fenômenos obtidos com Guzig não são explicáveis nem por ilusões ou alucinações individuais ou coletivas, nem por uma fraude qualquer.” E, diante disso, acrescentava: “II marquera une date capitale dans l’histoire de la métapsychique”. Mas, quando Guzig foi posto sob controle de uma comissão de sábios da Sorbonne, formada pelo físico Langevin, o biologista Rabaud, o fisiologista Laugier, o físico-químico Marcelin e J. Meyerson, diretor do Laboratório de Psicologia fisiológica da Sorbonne, as sessões deram somente resultados negativos, deixando de aparecer qualquer manifestação mediúnica. A prova consistiu em pôr sob controle automático as pernas do médium, cujos movimentos não poderiam escapar aos observadores. Isso veio confirmar a denúncia de Max Dessoir que, já anteriormente, havia conseguido pegar o pé do médium, quando executava movimentos telequinéticos por meio dele. Contra as conclusões da Sorbonne foram levantados protestos sob pretexto de estarem baseadas em indícios e não em provas concretas. Mas, depois, em outros centros, puderam ser demonstradas fraudes, até por meio de fotografias. Verificou-se, por exemplo, que um fio elétrico, afastado da cadeira de Guzig e que servia para dar sinais, foi encontrado fora do lugar ao alcance da sua mão. De outra vez, a fotografia pelo magnésio mostrou que ele havia libertado uma das mãos, apesar de continuar fechada sobre a mesa a cadeia formada pelos presentes. Aliás, já se sabia que segurar as mãos do médium, no escuro, de nada vale, como estava demonstrado por numerosas obervações.

Um desmascaramento do espiritismo que teve grande repercussão foi o ocorrido em Nantes, na França, onde foram vítimas de espancamento dois jornalistas de Paris, que escaparam de ser mortos dentro da sala das sessões. Tratava-se de um jardineiro boçal, transformado em médium e que, há diversos anos, vinha produzindo fenômenos impressionantes, observados até por pessoas vindas especialmente do estrangeiro, de terras longínquas. Nas sessões, apareciam Napoleão, Joana d’Arc, o próprio Jesus Cristo! Tudo se realizava a portas fechadas, somente com a presença de pessoas garantidas, crentes no espiritismo. Os dois jornalistas serviram-se de convites para outras pessoas e, assim, puderam assistir a uma sessão. Tudo ocorria como nas sessões espíritas habituais. Da cabine do médium partiam gemidos de sofrimento e, logo depois, abriu-se a cortina e surgiu um espírito envolto em véus brancos, tendo o rosto coberto de preto. Uma senhora presente reconheceu a sua filha morta e houve uma cena patética. Num dos movimentos do fantasma, os jornalistas perceberam, atrás dos véus, algo das calças e dos suspensórios do jardineiro. Um deles agarrou-o pelo braço, que era musculoso, de trabalhador, enquanto o outro arrancava-lhe o disfarce, iluminando a ridícula cena com poderosas lanternas de bolso. Aí, a dirigente da sessão gritou que os prendessem, que não os deixassem sair. E, assim, iniciou-se a pancadaria sob os gritos: “À morte, os espiões! matemo-los, furemo-lhes os olhos!”. E foi com dificuldade que escaparam com vida! Os agressores negaram os fatos e, por isso, não houve processo-crime. Por fim, os jornais espíritas ajeitaram a questão à sua moda, até levantando-se contra o Instituto Metapsíquico de Paris, ao qual pertencia um dos agredidos, Charles Quartier, redator da Revista daquele Instituto. E parece que as sessões prosseguiram, tudo como antes do desmascaramento.

Outro caso que teve grande repercussão foi o dos médiuns Thompson, marido e mulher, célebres pelo seu poder de materializações e cujo desmascaramento ocorreu dias depois de haverem realizado uma sessão cheia de sucessos extraordinários, na qual foi materializada a mãe de Arthur Conan Doyle, já falecida. Ela saiu da cabine para saudar o filho que estava presente e lhe beijou a mão, dirigindo-lhe palavras afetuosas. Três dias depois, realizou-se a sessão, a que assistiram um detetive e um policial de Nova Iorque, sendo os resultados publicados no New-York Sunday American de 3 de setembro de 1922, sob o título: “Como os médiuns fizeram aparecer a mãe morta de Sir Conan Doyle”. A notícia era da autoria do Dr. Leonard Hartman, em cuja casa houve a sessão. O policial pediu que Eva Thompson materializasse uma imaginária “Tia Ema” ao que ela aquiesceu, mas o que apresentou foi tão pouco convincente que os representantes da lei não tiveram dúvida em saltar sobre o médium e o seu fantasma. Enquanto um se apoderava deste, era aquele seguro pelo outro. Quando se acenderam as lâmpadas, foram vistos todos os acessórios usados pelo médium. Além dos seus próprios vestuários, foram encontrados em poder do médium uma roupa de seda preta com que simulava trajes de homem, alguns botões fosforescentes para produzir fulgurações “espíritas”, uma trombeta e um “piano espírita”, pretendidamente tocado por mãos sobrenaturais, mas que, na realidade, se movia por um mecanismo, ao qual se dava corda. Os Thompson foram processados e cada um deles condenados a 10 dollars de multa. É de vantagem acrescentar que o autor do artigo em questão, L. Hartman, era presidente da Primeira Igreja Espírita de Nova Iorque. O nome de Conan Doyle foi, naquela ocasião, explorado pela imprensa americana de maneira pouco favorável, sobretudo em relação à sua obra “A Vinda das Fadas”, de fundo espírita e cheio de fragrantes incongruências.

Haraldur Nielsson, num livro sobre espiritualismo experimental, revela coisas espantosas obtidas com um médium extraordinário, Indridason, que se elevava com a poltrona até o teto, materializava vozes diferentes e que eram ouvidas ao mesmo tempo e, certa vez, conseguiu desmaterializar um dos seus próprios braços, que desapareceu do corpo, como foi verificado pelos circunstantes. É verdade que tudo isso, como era de esperar, se realizava no escuro, tendo ele se recusado a tirar a camisa para que pudessem examinar o ombro, sem o braço! O autor diz textualmente: “O braço esquerdo do médium foi completamente desmaterializado. O braço desapareceu completamente e foi impossível encontrá-lo, apesar de termos feito luz na sala e examinado minuciosamente o médium. Na última noite, foram designadas sete pessoas para verificar esse fenômeno. Fizeram luz em torno do médium, mas a manga estava vazia, como anteriormente. Foi permitido apalpar em redor do ombro, mas o médium não autorizou que o desvestissem”. O autor do livro é professor de teologia na Universidade de Islândia e Charles Quartier, que o comenta, diz que ele não deve ter percebido as dificuldades do problema, talvez pelo fato da sua educação não ter sido orientada na direção da pesquisa científica.

Um outro desmascaramento, dos mais extravagantes na história do espiritismo, foi o de Charles Eldred, o médium de Nottingham, suspeito por trazer sempre para a sessões uma cadeira da sua propriedade e com a qual foi apanhado em flagrante de fraude. Descobriu-se na cadeira um compartimento secreto, disfarçado no encosto e no qual foram encontrados: um manequim que se podia dobrar, feito de setineta cor de rosa; uma máscara cor de carne; doze metros de seda chinesa branca; dois pedaços de pano fino de cor preta; três bolsas de cores diferentes; duas perucas, sendo uma branca e uma cinzenta; um cabide para suspender os panos, e assim, simular outra pessoa; uma lâmpada elétrica com 4 metros de fio e um interruptor para produzir clarões e luminosidades espíritas; um vidro de perfume; alfinetes, etc. Tudo foi publicado com fotografias, mas isso não impediu Eldred de prosseguir em suas atividades. Harry Price fornece essas informações, no volume 26 do periódico “Light”, onde descreve outros casos idênticos, terminando por repetir a frase de Barnum: “Graças a Deus, também existem tais pessoas”! Harry Price fala ainda de uma sessão paga, a que assistiu, na qual o médium produzia fenômenos fosforescentes por meio de um composto de óleo fosforado. Mas, ao iniciar a sessão, teve a infelicidade de quebrar o vidro do líquido, colocado no bolso traseiro da calça. O resultado foi o médium, ao levantar-se da cadeira, deixar sobre a mesma uma imagem fosforescente semelhante a uma lua cheia e que correspondia ao fundilho das suas calças.

Harold Evans é outro médium que desencadeou grande ruído em torno dos seus poderes sobrenaturais. Chegou a ser cognominado na Inglaterra de “formidável Evans”, tal a beleza e perfeição das suas materializações. Ele declarava que os desencarnados tiravam do seu corpo a substância ectoplasmática, graças à qual conseguiam aparecer às pessoas presentes. As suas próprias roupas estragavam-se rapidamente devido aos processos de desmaterialização que sofriam. E pedia que o examinassem minuciosamente, que verificassem nada haver de suspeito. Depois disso, era amarrado numa cadeira, rigorosamente, a fundo. Aí, começavam então as manifestações extraordinárias: toques de campainha, sons de instrumentos musicais, manchas luminosas que apareciam e se transformavam em espíritos, cujo aspecto era variável, diferindo de um para outro. O mais impressionante era o de Santa Catarina, moça, linda, como no célebre quadro de Veneto. Ela tocava as pessoas presentes, abençoava-as, escrevia mensagens consoladoras. O “Sunday Chronicle” havia organizado uma comissão para estudar poderes de médiuns, da qual faziam parte Sir W. Arbuthnot Lane, o célebre cirurgião; o professor Julian Huxley, biologista de renome; o professor A. M. Low, Aldous Huxley e Miss Tennyson Jesse, romancista; J. C. Wilson, especialista em raios X e Sir Conan Doyle. Foi uma das suas sessões que o médium foi desmascarado, ao ser surpreendido na posição mais ridícula do mundo: pés descalços, sem calça, a camisa sobre a cabeça! Era um verdadeiro homem-serpente, que se havia libertado dos amarrilhos e, depois de representar o papel de Santa Catarina, preparava-se para voltar ao seu lugar na cadeira! Tudo foi descoberto por meio de lanternas elétricas, cuja luz foi projetada sobre o médium. Relatando o acontecimento, o “Sunday Chronicle” estabeleceu um prêmio de mil libras para o médium que produzisse qualquer fenômeno de materialização, sob controle. O mesmo fora feito em 1922 pela revista americana “Scientific American”, que ofereceu um prêmio de 2500 dólares, aproximadamente 50 mil cruzeiros, para quem demonstrasse cabalmente qualquer fenômeno mediúnico. Pouco depois, “Science and Invention”, outra revista americana, estabeleceu o de 10 mil dólares, cerca de 250 mil cruzeiros, para a demonstração de ectoplasmas e materializações. Para o primeiro prêmio apareceu um único candidato e, para o segundo, nenhum. Os resultados foram negativos e a sua publicação deve ter afastado novos concorrentes. A verificação foi feita com extrema facilidade, tendo sido levadas em considerações as exigências do candidato. A prova foi feita na obscuridade, sem algemas ou outros estorvos, não tendo sido acendidas luzes subitamente nem tomadas fotografias inesperadas. O controle consistiu em sinais elétricos, invisíveis, à observação do médium, que funcionavam em compartimentos vizinhos, com marcação exata do tempo. Quando, por exemplo, o médium se levantava da cadeira, dava um passo, fazia qualquer movimento, era isso logo assinalado por lâmpadas que se acendiam, estando inclusas em circuitos pré-determinados. Dessa maneira, foi fácil verificar que todas as manifestações apresentadas pelo médium partiam de manobras por ele próprio executadas, não havendo por trás delas nada de sobrenatural. Foi certamente essa demonstração que tirou o ânimo a outros concorrentes, afastando-os de provas bem remuneradas e que poderiam ser executadas com facilidade, comodamente.”

(http://obraspsicografadas.org/2014/livro-gratuito-mistrios-e-realidades-deste-e-do-outro-mundo-por-antonio-da-silva-mello-1960/#more-1843, MELLO, Antonio da Silva, Mistérios e realidades deste e do outro mundo, 1960).

A Verdadeira História da Igreja

A Inquisição da Igreja Católica Romana foi a maior desgraças que ocorreu na história da humanidade. Em nome de Jesus Cristo, sacerdotes católicos montaram um esquema gigantesco para matar todos os “hereges” na Europa.

Como os livros de história foram em grande parte reescritos, de forma a amenizar os fatos reais, poucas pessoas conhecem os detalhes específicos de uma campanha nefanda que em 1200 anos (Doze séculos) torturou e assassinou milhares de pessoas.

Seculodasfraudes_historiadasigrejas_CNSCA Inquisição da Igreja Católica Romana foi a maior desgraças que ocorreu na história da humanidade. Em nome de Jesus Cristo, sacerdotes católicos montaram um esquema gigantesco para matar todos os “hereges” na Europa. A heresia era definida da forma como Roma quisesse definir; isso abrangia desde pessoas que discordavam da política oficial, aos filósofos herméticos, judeus, bruxas, e os reformadores protestantes. Em nenhum lugar nas Sagradas Escrituras Jesus matou alguém que discordasse dele, tampouco ensinou que seus seguidores fizessem isso. Nenhum dos apóstolos deu essa instrução no Novo Testamento.Nosso precioso Salvador nunca ordenou que alguém seja morto por qualquer razão, especialmente por dureza de coração contra sua mensagem, ou por discordar dele em questões espirituais. No entanto, os católicos inquisitores regularmente partiram para a matança de seus adversários, normalmente com grande gosto e dureza de coração. Em tais matanças, o assassinato não era o bastante; antes que a vítima morresse, os pagãos gostavam de infligir a máxima dor em suas vítimas.

Seculodasfraudes_historiadasigrejas_CNSC2Os Inquisitores Católocos Romanos levavam a vítima ao ponto da morte muitas vezes, e depois paravam a tortura, de forma que a vítima revivesse e depois pudesse ser torturada novamente.
Portanto, a monstruosidade da Inquisição está diante a humanidade como a maior evidência do satanismo inerente da Igreja Católica Romana. Aqueles que tiverem a coragem para examinar esse “fruto podre” final, verão a verdade da Igreja Católica. E não pense que Roma mudou, porque a Bíblia nos diz que um leopardo não muda suas manchas (Jeremias 13:23), e Roma se orgulha de que nunca muda. Uma prova concreta desse fato é que o papa Paulo VI (1963-1978) restaurou o Ofício da Inquisição, renomeado agora como Congregação para a Doutrina da Fé. Hoje, esse nefando Ofício da Inquisição é controlado pelo cardeal Ratzinger.

Por que o papa Paulo VI reinstituiu o Ofício da Inquisição? Será se ele sabe que o Ofício logo poderá ser necessário outra vez? Com todas as profecias sobre o aparecimento do Anticristo ocorrendo quase em conjunto, exatamente como Jesus ratificou (Mateus 24:32-34), o tempo deve ter parecido apropriado para Paulo VI reinstituir esse Ofício sangüinário, pois mesmo apesar de a Inquisição original ter matado milhares em 1200 anos (Doze séculos), a profecia bíblica nos diz que o Falso Profeta matará bilhões de pessoas em três anos e meio! Visto que o papa católico romano foi escolhido como o futuro Falso Profeta, faz sentido que o Ofício de Inquisição seja reinstalado.

Verdade Arrojada Ou Camuflagem de Sensibilidade?
Lutamos com os detalhes da Inquisição que descobrimos, pois temíamos que ao escrever de forma a expor completamente a barbaridade e a natureza anticristã da Inquisição Católica Romana, poderíamos escandalizar nossos maravilhosos leitores cristãos; temíamos que precisaríamos escrever e mostrar gravuras que ofenderiam as sensibilidades cristãs, para expor completamente a terrível, e freqüentemente pornográfica, verdade. Essa era uma ação que não desejávamos tomar.

Lendo livros de 50-150 anos atrás, vemos autores cristãos lutando com essa mesma questão; eles decidiram “sanear” a verdade de forma a não ofender a sensibilidade cristã. Portanto, seus livros escondem o horror verdadeiro da Igreja Católica Romana!

Seculodasfraudes_historiadasigrejas_CNSC3

 

Neste fim dos tempos, em que o Anticristo está aparentemente próximo, e em que o     Falso Profeta já foi escolhido e é o papa, e quando as igrejas liberais estão se      tornando íntimas da própria besta que matou um número estimado de até 75 milhões de protestantes, concluímos que chegou o tempo de “tirar fora as viseiras de sensibilidade”.

c Citaremos documentos católicos exatamente como eles foram impressos, para que você possa ver a verdadeira face dessa besta que matou entre 75-100 milhões de pessoas ao longo de 1200 anos (Doze séculos); se você acha que ficará ofendido, não leia o restante deste artigo (fique seguro de que não exibiremos imoralidade grosseira, pois já filtramos isso).

Apresentamos aqui uma extensa exposição sobre a verdadeira face da prática católica romana de adoração ocultista sob a máscara de cristianismo. No fim deste artigo, você verá como é possível que os escândalos sexuais atuais de padres pedófilos puderam ocorrer e ser ocultados pela hierarquia eclesiástica. Você verá quão duro de coração um sacerdote tinha de ser para ameaçar suas paroquianas com a Inquisição se elas se recusassem a fazer sexo com ele; verdadeiramente, tal sacerdote tinha uma “consciência cauterizada por um ferro quente”, e representava a maioria dos sacerdotes católicos.
Esta é a face de Roma.

 

As Mulheres Penitentes eram Ameaçadas

Com a Inquisição se Não Fizessem Sexo Com o Sacerdote.
Os padres ameaçavam suas penitentes no confessionário que, a menos que fizessem sexo com eles, seriam entregues à Inquisição! Tão efetiva era essa ameaça que um sacerdote agonizante revelou em 1710 que “por essas persuasões diabólicas elas estavam ao nosso comando, sem medo de revelar o segredo.” (pg 36, Master-Key to Popery, Padre Givens]
Visto que tão poucas pessoas hoje estudaram até mesmo os rudimentos de história, a maioria não sabe que a Inquisição foi REAL e VERDADEIRA. A maioria das pessoas hoje não tem nenhuma idéia do barbarismo flagrante e da tortura infligida sobre os infelizes habitantes da Europa durante 1200 anos! A maioria das pessoas não tem nenhuma idéia sobre como a população inteira foi consumida pelo medo, pois batidas na porta de alguém no meio da noite significavam o começo imediato de uma morte torturante nas mãos dos inquisidores.

 

A acusação era equivalente à culpa.

Portanto, se um sacerdote ameaçasse uma mulher dizendo que ele iria mentir sobre ela aos oficiais da “Santa” Inquisição, ela sabia o tipo de tortura e morte que a esperava. O sacerdote poderia provavelmente delatar a mulher aos inquisidores como bruxa. Como você verá em instantes, os inquisidores tratavam as mulheres acusadas de bruxaria com especial deleite, júbilo e atenção.
Neste tratado, tentamos andar em uma linha fina entre a modéstia cristã e o desejo ardente de que você conheça toda a verdade com relação à Inquisição. Visto que muitas das vítimas eram deixadas nuas e torturadas publicamente, ou deixadas nuas e estupradas privadamente, tivemos de omitir muitas gravuras que retratavam nudez; entretanto, incluímos um par de gravuras que, ainda que retratem a nudez da vítima, fazem isso de forma a não mostrar as partes sexuais do corpo. Esperamos que sua sensibilidade não fique ofendida. Se você achar que ela possa estar sendo ofendida, pare a leitura agora.

 

 As Gravuras Contam a História da Inquisição

Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC

 

Muitas das vítimas eram simplesmente queimadas na estaca, como você pode ver aqui. Normalmente, essas execuções na fogueira eram realizadas em público, para que a população visse o que acontecia com aqueles que enfrentavam Roma

Muitas das vítimas eram simplesmente queimadas na estaca, como você pode ver aqui. Normalmente, essas execuções na fogueira eram realizadas em público, para que a população visse o que acontecia com aqueles que enfrentavam Roma. Entretanto, na maioria das vezes, as pessoas que eram queimadas em público, primeiro eram torturadas privadamente. Em toda a Europa, os reis e seus súditos sabiam que os torturadores do papa eram absolutamente os melhores; eles podiam forçar “confissões” por meio de técnicas de tortura hábeis e os reis sabiam que podiam contar com eles, caso seus homens não pudessem extrair as confissões.

Veja, as confissões proviam a fina fachada de responsabilidade; o rei poderia mostrar a confissão de uma vítima ao público para convencê-lo que a tortura e a morte eram justificadas.

Um historiador secular – John J. Robinson – nos dá uma rápida e singular visão neste mundo papal tenebroso da tortura e do assassinato no ano de 1310. Escrevendo em seu livro, Born In Blood: The Lost Secrets of Masonry [Nascida em Sangue: Os Segredos Perdidos da Maçonaria], Robinson revela:
“Dois anos se passaram, e os Templários interrogados sem tortura não confessaram nada, constantemente reafirmando sua inocência … Em resposta a uma exigência papal que a tortura fosse empregada, o rei Eduardo replicou que ela nunca tinha desempenhado um papel na jurisprudência eclesiástica ou secular na Inglaterra, de modo que ele não tinha no reino nem mesmo pessoas qualificadas que soubessem como realizá-la. Exasperado, o papa Clemente V escreveu, advertindo Eduardo que ele devia considerar o destino de sua própria alma ao mofar dessa maneira das ordens diretas do vigário de Cristo na Terra, e dizendo que iria tentar somente mais uma vez, dando ao rei o benefício da dúvida. O papa estava despachando dez torturadores hábeis à Inglaterra sob a responsabilidade de dois experimentados dominicanos; agora Eduardo não teria mais desculpas …. Diz alguma coisa da resolução do papa que ele separou tempo do seu ofício sagrado na véspera do Natal de 1310, para lidar com o problema dos prisioneiros templários. O presente de Natal dele ao povo inglês foi a introdução da tortura no sistema judicial do interrogatório.” [pg 148]

Embora o imperador Constantino (ano 321) tenha iniciado a política de suprimir todas as pessoas e as doutrinas que não estavam em conformidade com o dogma oficial, a maioria dos estudiosos coloca o começo da Inquisição oficial com o papa Teodoro I (642-649), que iniciou a prática de mergulhar sua pena dentro de vinho consagrado antes de assinar a sentença de morte dos hereges. [The Magic of Obelisks, de Peter Thomkins, pg 55]
No livro Lives of the Popes, ficamos sabendo que o “vinho consagrado” com o qual o papa Teodoro I assinava esses mandados de morte era o vinho da eucaristia [McBrien, pg 105]. A Inquisição foi iniciada nesse período, e foi direcionada contra as heresias dos filósofos herméticos, isto é, os praticantes de Magia Negra da Europa.
Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC1

Nesta gravura, você pode ver o medo que a Inquisição gerava entre a população geral nas aldeias e nas cidades; os agentes da Inquisição entravam na cidade, armados com a bula papal que autorizava o líder das forças papais que tinham entrado na cidade. O representante principal do Vaticano caminhava até a praça central da cidade e, cercado por soldados fortemente armados, lia a declaração papal. Uma vez que a declaração tinha sido lida, os soldados começavam a prender os “hereges” – definidos como aqueles que discordam da Igreja de Roma. O dogma romano era o padrão, não a Bíblia Sagrada.

Os católicos romanos utilizaram a dor e tortura pelo puro pânico que espalham entre as pessoas. Na gravura a seguir, vemos um bispo católico tendo seus olhos arrancados para fora das órbitas por causa de alguma heresia da qual foi acusado e não se arrependeu. O vazamento dos olhos geralmente era aplicado nas pessoas cultas porque seu meio de vida e sua paixão na vida eram o estudo acadêmico.

 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC3 Depois que os olhos eram perfurados ou arrancados, essas pessoas ficavam destituídas e não podiam influenciar mais ninguém com sua “heresia”.Verdadeiramente, esses aterrorizados aldeões logo descobriram que o jugo de Roma era pesado, horrível de ser carregado e terrivelmente opressor. O jugo suave do Salvador parecia uma memória distante, perdida nas névoas de muitos séculos, oculta pelo véu da Roma pagã.

Uma vez que os “hereges” eram presos e ajuntados no local escolhido para as execuções públicas, histeria pura tomava conta dos soldados do Vaticano, ao iniciarem a matança. Os ocultistas não têm nenhuma dificuldade em ver a influência pesada e penetrante das hordas demoníacas tomando esses soldados. Uma vez que começavam a matar, ficavam repentinamente fervilhando no puro poder dos demônios. O pastor Richard Wurmbrand, narrando suas observações pessoais durante as matanças comunistas na Rússia e na China escreveu:

“As revoluções não fazem o amor triunfar. Em vez disso, matar torna-se uma mania. Nas revoluções russa e chinesa, depois que os comunistas tinham assassinado dezenas de milhões de inocentes, não podiam parar de assassinar, e brutalmente matavam-se uns aos outros …

O comunismo é uma forma de possessão demoníaca coletiva.” [“Marx and Satan”, Richard Wurmbrand, pg 107-108)

 inquisicao_CNSC-SECULODASFRAUDES Os praticantes de Magia Negra podem confirmar para você que o período inteiro de 1200 anos da Inquisição representou o ápice da infestação demoníaca em toda a história européia. A “Santa” Inquisição foi “possessão demoníaca coletiva”, como você verá após examinar o documento católico que justificou os 1200 anos de assassinato. Fique conosco, pois assim conhecerá a verdade.

O número de mortes foi incomensurável:

“E assim foi infligido no sul da França um dos mais ferozes massacres da história. Grupos de brigadas do norte pilhavam e saqueavam. Na Catedral de Saint-Nazaire, doze mil ‘hereges’ foram mortos … Aqueles que tentaram fugir foram cortados e mortos. Milhares mais foram queimados na estaca. Em Toulouse, o bispo Foulque levou à morte dez mil pessoas acusadas de heresia. Em Beziers, a população inteira de mais de vinte mil pessoas foi chacinada. Em Citeau, quando questionado sobre como os soldados deveriam distinguir os católicos dos cátaros gnósticos, o abade respondeu com seu cinismo afamado: ‘Matem todos; Deus saberá quais são os seus’.” [Thompkins, pg 58]

Métodos de Tortura e execução na Idade Média

Durante a atuação da Santa Inquisição em toda a Idade Média, a tortura era um recurso utilizado para extrair confissões dos acusados de pequenos delitos, até crimes mais graves. Diversos métodos de tortura foram desenvolvidos ao longo dos anos. Os métodos de tortura mais agressivos eram reservados àqueles que provavelmente seriam condenados à morte.
Além de aparelhos mais sofisticados e de alto custo, utilizava-se também instrumentos simples como tesouras, alicates, garras metálicas que destroçavam seios e mutilavam órgãos genitais, chicotes, instrumentos de carpintaria adaptados, ou apenas barras de ferro aque- cidas. Há ainda, instrumentos usados para simples imobilização da vítima. No caso específico da Santa Inquisição, os acusados eram, geralmente, torturados até que admitissem ligações com Satã e práticas obscenas. Se um acusado denunciasse outras pessoas, poderia ter uma execução menos cruel.

 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC4 Além de aparelhos mais sofisticados e de alto custo, utilizava-se também instrumentos simples como tesouras, alicates, garras metálicas que destroçavam seios e mutilavam órgãos genitais, chicotes, instrumentos de carpintaria adaptados, ou apenas barras de ferro aquecidas. Há ainda, instrumentos usados para simples imobilização da vítima. No caso específico da Santa Inquisição, os acusados eram, geralmente, torturados até que admitissem ligações com Satã e práticas obscenas. Se um acusado denunciasse outras pessoas, poderia ter uma execução menos cruel.

Os inquisidores utilizavam-se de diversos recursos para extrair confissões ou “comprovar” que o acusado era feiticeiro. Segundo registros, as vítimas mulheres eram totalmente depiladas pelos tortura- dores que procuravam um suposto sinal de Satã, que podia ser uma verruga, uma mancha na pele, mamilos excessivamente enrugados (neste caso, os mamilos re- presentariam a prova de que a bruxa “amamentava” os demônios) etc.

Mas este sinal poderia ser invisível aos olhos dos torturadores. Neste caso, o “sinal” seria uma parte insensível do corpo, ou uma parte que se ferida, não verteria sangue. Assim, os torturadores espetavam todo o corpo da vítima usando pregos e lâminas, à procura do suposto sinal.

No Liber Sententiarum Inquisitionis (Livro das Sentenças da Inquisição) o padre dominicano Bernardo Guy (Bernardus Guidonis, 1261-1331) descreveu vários métodos para obter confissões dos acusados, inclusive o enfraquecimento das forças físicas do prisioneiro. Dentre os descritos na obra e utilizados comumente, encontra-se tortura física através de aparelhos, como a Virgem de Ferro e a Roda do Despedaçamento; através de humilhação pública, como as Máscaras do Escárnio, além de torturas psicológicas como obrigar a vítima a ingerir urina e excrementos.
De uma forma geral, as execuções eram realizadas em praças públicas e tornava-se um evento onde nobres e plebeus deliciavam-se com a súplica das torturas e, conseqüentemente, a execução das vítimas. Atualmente, há dispostos em diversos museus do mundo, ferramentas e aparelhos utilizados para a tortura.

 

Métodos de torturas

 

 Seculodasfraudes_modelodetortura_CNSC1 Roda de despedaçamento 
Uma roda onde o acusado é amarrado na parte externa. Abaixo da roda há uma bandeja metálica na qual ficavam depositadas a brasas. À medida que a roda se movimentava em torno do próprio eixo, o acusado era queimado pelo calor produzido pelas brasas. Por vezes, as brasas eram substituídas por agulhas metálicas.
Este método foi utilizado entre 1100 e 1700 em países como Inglaterra, Holanda e Alemanha.
Dama de Ferro
A dama de Ferro é uma espécie de sarcófago com espinhos metálicos na face interna das portas. Estes espinhos não atingiam os órgãos vitais da vítima, mas feriam gravemente. Mesmo sendo um método de tortura, era comum que as vítimas fossem deixadas lá por vários dias, até que morressem.
A primeira referência confiável de uma execução com a Dama de Ferro, data de 14 de Agosto de 1515. A vítima era um falsificador de moedas.
 Seculodasfraudes_modelodetortura_CNSC_damadeferro2
 Seculodasfraudes_modelodetortura_CNSC4 Berço de Judas 
Peça metálica em forma de pirâmide sustentada por hastes. A vítima, sustentada por correntes, é colocada “sentada” sobre a ponta da pirâmide. O afrouxamento gradual ou brusco da corrente manejada pelo executor fazia com que o peso do corpo pressionasse e ferisse o ânus, a vagina, cóccix ou o saco escrotal.

O Berço de Judas também é conhecido como Culla di Giuda (italiano), Judaswiege (alemão), Judas Cradle ou simplesmente Cradle (inglês) e La Veille (A Vigília, em francês).

Garfo 
Haste metálica com duas pontas em cada extremidade semelhantes a um garfo. Presa por uma tira de couro ao pescoço da vítima, o garfo pressiona e perfura a região abaixo do maxilar e acima do tórax, limitando os movimentos. Este instrumento era usado como penitência para o herege.
 Seculodasfraudes_modelodetortura_CNSC5
 Seculodasfraudes_modelodetortura_CNSC_garfo Garras de gato 
Uma espécie de rastelo usado para açoitar a carne dos prisioneiros.
Pêra 
Instrumento metálico em formato semelhante à fruta. O instrumento era introduzido na boca, ânus ou vagina da vítima e expandia-se gradativamente. Era usada para punir, principalmente, os condenados por adultério, homossexualismo, incesto ou “relação sexual com Satã”.
 Seculodasfraudes_modelodetortura_CNSC_pera
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC3mascaras MáscarasA máscara de metal era usada para punir delitos menores. As vítimas eram obrigadas a se exporem publicamente usando as máscaras. Neste caso, o incômodo físico era menor do que a humilhação pública.
CadeiraUma cadeira coberta por pregos na qual a vítima era obrigada a sentar-se despida. Além do próprio peso do corpo, cintos de couro pressionavam a vítima contra os pregos intensificando o sofrimento. Em outras versões, a cadeira possuía uma bandeja na parte inferior, onde se depositava brasas. Assim, além da perfuração pelos pregos, a vítima também sofria com queimaduras provocadas pelo calor das brasas.  Seculodasfraudes_historiadasigrejas_CNSC_cadeira
Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_cadeiradasbruxas Cadeira das bruxas 
Uma espécie de cadeira na qual a pessoa era presa de costas no acento e as pernas voltadas para cima, no encosto. Este recurso era usado para imobilizar a vítima e intimidá-la com outros métodos de tortura.
Cavalete 
A vítima era posicionada de modo que suas costas ficassem apoiadas sobre o fio cortante do bloco. Os braços eram presos aos furos da parte superior e os pés presos às correntes da outra extremidade. O peso do corpo pressionava as costas do condenado sobre o fio cortante.
Dessa forma, o executor, através de um funil ou chifre oco introduzido na boca da vítima, obrigava-a ingerir água. O executor tapava o nariz da vítima impedindo o fluxo de ar e provocando o sufocamento. Ainda, há registros de que o executor golpeava o abdômen da vítima danificando os órgãos internos da vítima.
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC3cavalete
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_esmagacabeça Esmaga cabeça 
Como um capacete, a parte superior deste mecanismo pressiona, através de uma rosca girada pelo executor, a cabeça da vítima, de encontro a uma base na qual encaixa-se o maxilar. Apesar de ser um instrumento de tortura, há registros de vítimas fatais que tiveram os crânios, literalmente, esmagados por este processo. Neste caso, o maxilar, por ser menos resistente, é destruído primeiro; logo após, o crânio rompe-se deixando fluir a massa cerebral.
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_quebrajoelhos Quebrador de joelhosAparelho simples composto por placas paralelas de madeira unidas por duas roscas. À medida que as roscas eram apertadas pelo executor, as placas, que podiam conter pequenos cones metálicos pontiagudos, pressionavam os joelhos progressivamente, até esmagar a carne, músculos e ossos.
Esse tipo de tortura era usualmente feito por sessões. Após algumas horas, a vítima, já com os joelhos bastante debilitados, era submetida a novas sessões.

 

Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_mesaevisceracao Mesa de evisceração 
O condenado era preso sobre a mesa de modo que mãos e pés ficassem imobilizados. O carrasco, manualmente, produzia um corte sobre o abdômen da vítima. Através desta incisão, era inserido um pequeno gancho, preso a uma corrente no eixo. O gancho (como um anzol) extraía, aos poucos, os órgãos internos da vítima à medida que o carrasco girava o eixo.
 Pêndulo Um dos mecanismos mais simples e comuns na Idade Média. A vítima, com os braços para traz, tinha seus pulsos amarrados (como algemas) por uma corda que se estendia até uma roldana e um eixo. A corda puxada violentamente pelo torturador, através deste eixo, deslocava os ombros e provocava diversos ferimentos nas costas e braços do condenado.
Também era comum que o carrasco elevasse a vítima a certa altura e soltasse repentina- mente, interrompendo a queda logo em seguida.
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC3

Deste modo, o impacto produzido provocava ruptura das articulações e fraturas de ossos. Ainda, para que o suplício fosse intensificado, algumas vezes, amarrava-se pesos às pernas do condenado, provocando ferimentos também nos membros inferiores. O pêndulo era usado como uma “pré-tortura”, antes do julgamento.

 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_potro Potro 
Uma espécie de mesa com orifícios laterais. A vítima era deitada sobre a mesa e seus membros, (partes mais resistentes das pernas e braços, como panturrilha e antebraço), presos por cordas através dos orifícios. As cordas eram giradas como uma manivela, produzindo um efeito como um torniquete, pressionando progressivamente os membros do condenado.
Na legislação espanhola, por exemplo, havia uma lei que regulamentava um número máximo de cinco voltas na manivela; para que caso a vítima fosse considerada inocente, não sofresse seqüelas irreversíveis.

Mesmo assim, era comum que os carrascos, incitados pelos interrogadores, excedessem muito esse limite e a vítima tivesse a carne e os ossos esmagados.

Métodos de Execução

Guilhotina 
Inventada por Ignace Guillotine, a guilhotina é um dos mecanismos mais conhecidos e usados para execuções. A lâmina, presa por uma corda e apoiada entre dois troncos verticais, descia violentamente decapitando o condenado.
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_guilhotina

 

 

 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_serrote O SerroteUsada principalmente para punir homossexuais, o serrote era uma das formas mais cruéis de execução.

Dois executores, cada um e uma extremidade do serrote, literalmente, partiam ao meio o condenado, que preso pelos pés com as pernas entreabertas e de cabeça para baixo, não tinha a menor possibilidade de reação. Devido à posição invertida que garantia a oxigenação do cérebro e continha o sangramento, era comum que a vítima perdesse a consciência apenas quando a lâmina atingia a altura do umbigo.

Espada, machado e cepo 
As decapitações eram a forma mais comum de execução medieval. A decapitação pela espada, por exigir uma técnica apurada do executor e ser mais suave que outros métodos, era, geralmente, reservada aos nobres. O executor, que apurava sua técnica em animais e espantalhos, ceifava a cabeça da vítima num único golpe horizontal atingindo o pescoço do condenado.
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_Martelo

O machado era usado apenas em conjunto com o cepo. A vítima era posta ajoelhada com a coluna curvada para frente e a cabeça apoiada no cepo. O executor, num único golpe de machado, atingia o pescoço da vítima decepando-a.

 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_garrote Garrote 
Um tronco de madeira com uma tira de couro e um acento. A vítima era posicionada sentada na tábua horizontal de modo que sua coluna fique ereta em contato com o tronco. A tira de couro ficava na altura do pescoço e, à medida que era torcida pelo carrasco, asfixiava a vítima. Há ainda uma variação na qual, preso ao tronco na altura da nuca da vítima, encontrava-se uma punção de ferro. Esta punção perfurava as vértebras da vítima à medida que a faixa de couro era apertada. O condenado podia falecer tanto pela perfuração produzida pela punção quanto pela asfixia.
Gaiolas suspensas 
Eram gaiolas pouco maiores que a própria vítima. Nela, o condenado, nu ou seminu, era confinado e a gaiola suspensa em postes de vias públicas. O condenado passava dias naquela condição e morria de inanição, ou frio em tempos de inverno. O cadáver ficava exposto até que se desintegrasse.
 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_poste

Submersão
A submersão podia ser usada como uma técnica de interrogatório, tortura ou execução. Neste método, a vítima é amarrada pelos braços e suspensa por uma roldana sobre um caldeirão que continha água ou óleo fervente. O executor soltava a corda gradativamente e a vítima ia submergindo no líquido fervente.

 

Empalação 
Este método foi amplamente utilizado pelo célebre Vlad Tepes. A empalação consistia em inserir uma estaca no ânus, umbigo ou vagina da vítima, a golpes de marreta.

 Seculodasfraudes_historiacontadaporgravura_CNSC_estacacao

Neste método, a vítima podia ser posta “sentada” sobre a estaca ou com a cabeça para baixo, de modo que a estaca penetrasse nas entranhas da vítima e, com o peso do próprio corpo, fosse lentamente perfurando os órgãos internos. Neste caso, dependendo da resistência física do condenado e do comprimento da estaca, a agonia se estendia por horas.

Cremação 
Este é um dos métodos de execução mais conhecidos e utilizados durante a inquisição. Os condenados por bruxaria ou afronta à igreja católica eram amarrados em um tronco e queimados vivos. Para garantir que morresse queimada e não asfixiada pela fumaça, a vítima era vestida com uma camisola embebida em enxofre.

 

Estiramento 
A vítima era posicionada na mesa horizontal e seus membros presos às correntes que se fixavam num eixo. À medida que o eixo era girado, a corrente esticava os membros e os ossos e músculos do condenado desprendiam-se. Muitas vezes, a vítima agonizava por várias horas antes de morrer.

Extraído de: Ad Tenebras
Mistérios Antigos
Occult Portal Medieval and Mythological Area

(http://www.pistissophiah.org/a_verdadeira_historia_igreja.htm)


“Tudo o que tenho psicografado até hoje foi criado por minha própria imaginação”

CHICO XAVIER FOI DESMASCARADO PELO PRÓPRIO SOBRINHO:

Você sabia que Amauri Pena, um sobrinho de Chico Xavier, desmascarou o tio e toda a farsa espírita na qual ele foi educado e persuadido a ser um grande médium, em 1958?

Ele disse ao  Diário de Minas:

“Tudo o que tenho psicografado até hoje foi criado por minha própria imaginação, sem que precisasse de interferência de almas do outro mundo. Resolvi por uma questão de consciência contar toda a verdade. Não desmascaro meu tio como homem, mas como médium…”

Confira também  no Jornal o Estado de Minas de 20/1/1971 e  na revista Realidade, de Novembro 1971, página 65.

Assim como em outras oportunidades, os espíritas daqui também dirão que Amauri Pena estava louco,que ele era  dependente químico, etc, etc…mas nada que demonstre que ele mentiu.

Pesquise sobre esse tema em profundidade nas publicações e no site de uma das maiores autoridades mundiais em Parapsicologia: PADRE QUEVEDO,no seu site: CLAP

Fonte: http://brasil.indymedia.org/pt/blue/2004/11/295738.shtml


INVESTIGAÇÃO DA REVISTA SUPER INTERESSANTE:

chicoxavier_CNSC-SECULODASFRAUDESNunca tinha procurado saber fosse o que fosse sobre um dos espíritas mais falados de todos os tempos, Xico Xavier, e surpreendeu-me este testemunho do seu sobrinho, que voltou a vir à luz numa reportagem da revista “Superinteressante”…Passados todos estes anos, não faltarão espíritas a negar os fatos, mas,o que pensar de tudo isto, quando até o presidente do Irã nega a existência do Holocausto perante alguns sobreviventes do mesmo ? Passados todos estes anos, não faltarão espíritas a negar os fatos, mas,o que pensar de tudo isto, quando até o presidente do Irã nega a existência do Holocausto perante alguns sobreviventes do mesmo ?

Passados todos estes anos, não faltarão espíritas a negar os fatos, mas,o que pensar de tudo isto, quando até o presidente do Irã nega a existência do Holocausto perante alguns sobreviventes do mesmo ?

CHICO XAVIER  E O TESTEMUNHO DO SOBRINHO: AMAURI PENA:

Amauri Xavier Pena, filho da irmã mais velha de Chico Xavier, Dona Maria Xavier, foi escolhido pelo tio para ser seu sucessor.

Vinha treinando desde os treze anos. Aos 17 anos cedeu às insistências do tio. Treinado com grande constância na “psicografia”, mostrou maior facilidade do que o famoso tio para imitar os autores que lia.

E assim publicou mais de cinqüenta livros “psicografados” imitando mais de cinqüenta autores, cada qual no seu próprio e inconfundível estilo.

Recebeu também uma epopéia de Camões em estilo quinhentista, Cruz e Sousa, Gonçalves Dias, Castro Alves, Augusto dos Anjos, Olavo Bilac, Luís Guimarães Jr., Casemiro Cunha, Inácio Bittencourt, Cícero Pereira, Hermes Fontes, Fabiano de Cristo (?!), Anália Franco, e até Bocage e Rabindranath Tagore.

O boletim espiritista “Síntese”, de Belo Horizonte, fazia a divulgação.

“Um grande médium” era proclamado, mesmo depois da auto-retratação em Julho de 1958 no “Diário de Minas”.

E lá mesmo, perante os jornalistas, imitou diversos estilos de autores famosos.

“Tudo o que tenho “psicografado” até hoje, apesar das diferenças de estilo, foi criado pela minha própria habilidade, usando apenas conhecimentos literários”, declarou. E proclamou que seu tio Chico Xavier “não passa de um grande farsante”.

 E à revista “Manchete”: 

“Revoltava-me contra as afirmações dos espiritistas (que diziam que era médium). Levado à presença do meu tio, ele me assegurou, depois de ler o que eu escrevera, que um dia eu seria seu sucessor.Passei a viver pressionado pelos adeptos da “terceira revelação”,como absurdamente chamam ao Espiritismo, com ele pretendendo suplantar, após as revelações do Pai e do Filho, a Terceira Revelação pelo Divino Espírito Santo o dia de Pentecostes.A situação torturava-me, e várias vezes, procurando fugir àquele inferno interior, entreguei-me a perigosas aventuras, diversas vezes saí de casa, fugindo à convivência de espíritas. Cansado, enfim, cedi dando os primeiros passos no caminho da farsa.Tinha então 17 anos. Perseguido pelo remorso e atormentado pelo desespero, cometi vários desatinos (…). Vi-me então diante da alternativa: mergulhar de vez na mentira e arruinar-me para sempre diante de mim mesmo, ou levantar-me corajosamente para penitenciar-me diante do mundo, libertando-me definitivamente. Foi o que decidi fazer procurando um jornal mineiro e revelando toda a farsa (…).Meu tio é também um revoltado, não conseguindo mais recuar diante da farsa que há longos anos vem representando.Eu, depois de ter-me submetido a esse papel mistificador, durante anos (…), resolvi, por uma questão de consciência, contar toda a verdade”.

Fonte: BLANCO, Gisela, apud SAMANTTA, Hellen, Superinteressante. Chico Xavier – Uma investigação. Edição Abril de 2010, Editora Abril. http://super.abril.com.br/religiao/investigacao-chico-xavier-561667.shtml

(http://berakash.blogspot.com.br/2012/08/espiritas-voces-sabiam-que-chico-xavier.html, BERAKÁ, Agosto de 2012)

 

CLIQUE AQUI PARA ADQUIRIR O LIVRO

R$ 35,00 (trinta e cinco reais)

botao-comprar

E-mail: livros@ceunossasenhoradaconceicao.com.br

Telefone: (13) 3856 1583

Atendimento de Segunda à Sexta, das 08:00hs às 17:00hs