Chacrona – Psychotria Viridis

Chacrona é um arbusto nativo da região Amazônica, conhecida também como Rainha, Chacruna e Kawa. Suas folhas associadas aos ramos do Jagube (Banisteriospsis Caapi) constituem a matéria-prima na produção da Ayahuasca, conhecida também como Daime, Yagé,Vinho das Almas, Hoasca, Oaska, Daime, Vegetal e Caapi.

A Ayahuasca é utilizada nos rituais de xamanismo de muitas tribos indígenas da Amazônia, tendo sua expansão nos meios urbanos após a segunda metade do século 20, nascendo diversas linhas religiosas que fazem o seu uso.

Outras espécies do gênero Psychotria podem ser utilizadas para o chá como P. carthagenensis e P. leiocarpa, embora seja mais comumentemente utilizada a P. viridis.

 

Aspéctos Botânicos:

Arbusto comum de climas tropicais e úmidos, podendo crescer até tornar-se uma pequena árvore com altura média de 2 – 3m.

As folhas são dispostas nos ramos de forma opostas e cruzadas, apresentam pecíolo curto e o limbo foliar é simples, inteiro, liso na parte superior e na parte inferior apresenta domácias (pequenas cavidades localizadas no encontro da nervura principal com as secundárias que servem de abrigo para ácaros).

As inflorescências são cimosas, com flores pouco vistosas, e o fruto é do tipo drupa de coloração avermelhada.

 

Nome científico: Psychotria viridis Ruiz & Pav.

 

Nome Popular: Rainha, Chacrona, Chacruna, Kawa

 

Família: Rubiaceae

Rubiaceae é uma das famílias com maior riqueza de espécies entre o grupo das angiospermas, com aproximadamente 637 gêneros e 10.700 espécies e o gênero Psychotria possui cerca de 1000 espécies. A principal característica dessa família são as folhas geralmente opostas e presença de estípulas entre as folhas. As flores e os frutos carnosos varias nas cores, formas e tamanhos, muito apreciadas pela avifauna.

 

Ocorrência: Em toda a floresta amazônica (Brasil, Peru, Colômbia, Equador, Bolívia), no Brasil foi registrada no norte (Acre, Amazonas) e Sudeste (Minas Gerais, São Paulo).

 

Aspectos Agronômicos:

Seu cultivo pode ser pelo plantio das sementes ou por estaquia. Prefere ambientes úmidos, e por ser uma planta muito resistente, não necessita de muitos cuidados para o seu cultivo.

 

Parte Utilizada: Folhas

 

Composição Química: Contém um derivado triptamínico a N,N-dimetiltriptamina (DMT).

 

Indicação:

A infusão dos ramos de B. caapi com as folhas de Psychotria viridis é indicado para aliviar os sintomas de perturbações neurológicas em pacientes que sofrem da doença de Parkinson, auxilia no tratamento de dependentes químicos, recuperação de quadros de depressão, ansiedade fóbica, fortalece o sistema imunológico, aumenta longevidade e vigor físico.

Compartilhar

Veja Também

Jagube – Banisteriopsis Caapi

O Jagube – Banisteriospsis Caapi, é um cipó nativo da região Amazônicas, conhecido também por …