Paz

Você pode estar em batalha, mediante atitudes fortes e, contudo, estar em paz. A paz é uma condição de espírito, é você refletindo a Mente Universal. A paz não provém do meio, não é fruto de situações externas.

O espírito, embora Absoluto, escolheu viver a experiência de como é Ser DEUS. Para isto precisa viver o seu oposto, ou seja, o relativo. Somente na escuridão uma vela percebe o quão luminosa é. Corpo, cérebro, mente racional e pensamentos, a personalidade das encarnações, tudo isto nada mais é do que o reflexo de você, espírito, pois você, espírito, é a base e a origem.

Quando você, espírito, alcança o estado de paz, significa que a base e origem são paz. Por consequência tudo que da base e origem fluir, estará ungido de paz. Cada ação que tomar independente de ser enérgica ou não, estará ungida pela paz. Cada um de seus pensamentos e cada esforço que fizer, estarão ungidos pela paz. Em cada objetivo que empreitar e em cada manifestação de seu amor, estará presente o unguento da paz. E, sendo assim, sua vida tornou-se expressão da Mente Universal.

Mas, para se alcançar o estado de paz, antes precisa alcançar o silêncio da mente. É no silêncio da mente onde se vive um íntimo contato com o Eu Interior. Manter-se no silêncio da mente e expandir a consciência todos os dias alguns minutos ao menos, é uma condição para o buscador da paz.

A meditação mesmo que mais lenta é segura. Na rapidez da muleta ayahuasca, o indisciplinado e o desorientado vão tropeçar e cair, sendo que na meditação a mesma pessoa se mantém de pé. É no silêncio da mente onde o Eu Interior responde sobre as circunstâncias da vida. Embora a inteligência do homem seja grande para criar complicações todos os dias, o Mestre Interior tem mais para resolver que o homem para complicar. Portanto, permita que o Eu Interior influencie seu raciocínio, sua vontade, sua ação e seja o norte da tua razão em cada passo que der. Assim sendo, o nevoeiro da ignorância em que vivia se desfaz com o nascer do sol interior e até as recordações enevoadas desaparecem como se nunca houvessem existido.

A viagem interior rumo ao silêncio da Mente, rumo ao seu único e verdadeiro Mestre, o Eu Superior, é simples, é fácil, mas exige esforço, exige disciplina. A persistência é o preço que em tudo lhe será cobrado, tanto no plano material como espiritual. Saiba que a vontade é a maior das virtudes e a preguiça o pior dos vícios. Contudo, a coragem também é necessária.

É a coragem quem dá liga entre o plano material e o plano espiritual. Ver a si mesmo tal qual se encontra, enfrentar seus demônios internos, observar imparcialmente os próprios pensamentos, os vícios que mantém oriundos dos hábitos indesejáveis que criou, reconhecer e assumir as mazelas ainda existentes para então poder resolvê-las, exige coragem para tudo isto passar, decidido a não se deixar abater. Passe por cima de todas estas coisas e siga rumo ao topo desta íngreme subida, que lhe aguardando estará o resplandecer de um vasto horizonte luminoso. Quando neste horizonte luzente, descobrirá que jamais caminhou sozinho, mas esteve acompanhado e orientado pelo seu Mestre Interior por todo o trajeto, apenas não se atentou à sua voz.

Agora que passou a escutar começa também o discernimento sobre o que é real e ilusório. Enxerga no passado a causa do problema. Enxerga no presente as consequências acontecendo. Enxerga para o futuro as possibilidades existentes. Enxergar o antes, o agora e o depois fundidos numa mesma visão, chama-se discernimento. Sem ele, nada aprendeu com suas ações de ontem e assim as repete hoje perpetuando o sofrimento para o amanhã. Uma vez no discernimento enxerga-se como rei, sempre olhando o lado positivo de qualquer acontecimento. Em todo acontecimento sempre há dois lados. Mesmo que contrário a um, estará favorável a outro, e é com esta visão cósmica que um rei observa para prosseguir com ânimo, se manter positivo e direcionado para o objetivo que persegue! Como rei, sua nobreza é visível. É o cérebro se rendendo à vitória do coração. É você em estado de paz vivenciando a fraternidade através do Amor e da Compaixão. A nobreza de um rei vem da nobreza dos sentimentos de Amor e Compaixão que mantém. Para ser compassivo antes precisa da consciência de que cada homem e mulher existente, por maior que sejam suas diferenças físicas ou ideológicas, nascem na condição de membro efetivo da família humana e todos são iguais.

Por saber disto, aquele que é rei trata a todos com respeito, consideração, gentileza e equanimidade. Se com uma criança estiver conversando, ele não a olha de cima, mas se abaixa para ficar na mesma altura. Assim age a Essência, pois é assim que age a Mente Universal. Portanto, quando um homem alcança ser assim, por expressar o Divino Interno, torna-se nobre e rei dentre os homens. A luz resplandece em seu rosto e a sabedoria flui de sua boca. Portanto, ouça o que vem pela sabedoria:

Com decisão e coragem meu filho, caminhe com passos firmes a jornada que escolheu caminhar. A felicidade e prosperidade acompanham os decididos e corajosos. Ser corajoso e ser impulsivo são coisas distintas. Um é virtude, o outro é tolice. Coragem não é nada temer, mas sim fazer o que é preciso apesar do medo que se tem. A coragem é equilibrada, centrada. O impulsivo é um ser irrefletido, geralmente arrogante. Fácil de enganar, fácil de provocar, é uma presa fácil. O impulsivo é desequilibrado, desgovernado. Então caminhe com os passos firmes da decisão e da coragem, que a felicidade e prosperidade serão contigo. Diante do brado do guerreiro corajoso a infelicidade e a desgraça fogem do campo de batalha antes mesmo de começar o digladio. O brado do guerreiro corajoso convoca a saúde. Esta vem e o acompanha.
A coragem lhe permite ver que de fato é Um com a Mente Universal. Somente a Mente Universal é Absoluta, é real. Então como negar que você é também Absoluto e real?

Doenças e desgraças não provêm da Mente Universal. Elas são frutos do relativo. O relativo não existe, seus frutos são ilusórios e irreais. Então como negar que doenças e desgraças não existem? Portanto, quando na convicção de que é um Ser Divino, ou seja, a única realidade, a felicidade, a prosperidade e a saúde serão de fato a sua única realidade. A infelicidade, a desgraça e a doença, retornam ao nada porque você saiu da ilusão que as mantinha.

Quando em coragem a ilusão da infelicidade desaparece.
Quando em coragem a ilusão da doença desaparece.
Quando em coragem a ilusão da desgraça desaparece.

Porque quando em coragem enxergou o que é real, portanto, a ilusão deixou de existir em sua mente e seus frutos, infelicidade, doença e desgraças, desapareceram para sempre como se nunca houvessem existido para você.

A Mente Universal jamais criou o câncer, a AIDS, o tumor, a enxaqueca, a cirrose e/ou qualquer tipo de doença. Doenças são frutos da mente que vive na ilusão, no medo. Quando em coragem a ilusão se desfaz, o medo deixa de existir e, sendo assim, a infelicidade, a doença e a desgraça desaparecem por consequência. A AIDS, o tumor, a enxaqueca, a cirrose e ou qualquer doença desaparece e a pessoa retoma a saúde.

Quando em coragem você sabe que nasceu capaz de vencer qualquer batalha, destinado a todo tipo de vitória, capaz de superar qualquer obstáculo, conquistar qualquer objetivo, sabe que literalmente é destinado à mais intensa felicidade, à mais abundante prosperidade, à mais firme saúde.

Você é Um com a Mente Universal. Suas células “é um” com sua Mente. Portanto a consciência de que é Um com o PAI, também está em cada célula.

Se DEUS é a favor, quem pode contra? E você é um com ELE! Então infelicidades, desgraças e doenças somem como fumaça ao vento. Machucou-se, rapidamente se formam novos tecidos, a cicatrização é rápida como vento de agosto.

A vida está no espírito e não na matéria. A vida é real, a matéria é ilusão. As leis que regem a matéria não são capazes de criar vida. Somente o espírito pode conceder vida à matéria.

Acaso ganha vida a matéria que saiu do laboratório? Não!

Acaso um cadáver revive por ter estado nas mãos da ciência? Não!

Sem que a matéria esteja sob a influência do sopro da vida que está no espírito, ela é morta, é cadáver. É a vida quem domina a matéria e não o contrário. A vida transforma o inorgânico em orgânico. Constrói, desmonta, muda e torna a moldar como quiser.

O homem Uno com a Mente Universal é Absoluto. Portanto, seu corpo e células sabem que é Um com o PAI. Sabem que são a vida e por isto tem o poder de construir, desmontar, mudar e tornar a moldar a matéria tal qual julgarem necessário. Uma consciência assim produz, constrói tecido, desmonta a matéria, altera sua estrutura atômica e a reconstrói noutro tipo e torna a moldar em uma terceira mais diferente ainda, como vitaminas, minerais, glicose, lipídeos, proteínas, iodo, tal qual julgar necessário.

Acha mesmo que todos estes processos de “construir, desmontar, mudar e tornar a moldar como quiser” são capacidades dos órgãos que compõe teu corpo? Não é não!

Construir tecidos, desmontar uma matéria, alterar sua estrutura atômica e a reconstruir noutro tipo e tornar a moldar em uma terceira mais diferente ainda, são capacidades da vida e não de teus órgãos!

Acaso a vida já não estava presente quando ainda em formação no útero de sua mãe? E não foi a vida que “construiu tecidos, desmontou matérias, alterou sua estrutura atômica e a reconstruiu noutra e ainda tornou a moldar noutra mais diferente ainda”, já para formar seus órgãos como pulmões, fígado, coração, estômago, gônadas etc.?

É a vida quem domina a matéria meu filho! A doença não é opositora da vida, porque a vida é Absoluta e, sendo Absoluta, como poderia haver opositor? Nada há que possa competir com a vida.

A doença é menos que um extrato de pó de nada, ela é uma ilusão, ela é irreal. A doença é uma ilusão que vive aquele que desconhece a Vida. A infelicidade, a desgraça e a saúde são frutos da ilusão da mente que ainda não acordou para Vida.

Então acorde para a consciência da Vida, é hora de acordar! Tome logo a decisão e caminhe com coragem! Não peça licença ao cérebro e à mente racional, imponha sua luz! A vida é o Senhor, e qualquer forma de matéria o subalterno.

Xamã Gideon dos Lakotas

Compartilhar

Veja Também

A Pergunta Óbvia

Compartilhar