Madrinha Genecilda dos Lakotas

Muitos presenciaram a felicidade da Madrinha aqui na OBRA, e muitos são agradecidos ao exemplo que a madrinha deixou como seu legado de amor, compaixão, responsabilidade e respeito com tudo que é sagrado, inclusive pela Ayahuasca.

Quem conheceu a madrinha Gê aqui na fazenda, bem sabe de sua postura nobre, responsável e seria com tudo que é sagrado e com a OBRA, assim como a felicidade que manifestava aqui.

Mas sua vida nem sempre foi assim, queridos. A história da amada Genecilda, antes do reencontro com o Padrinho Gideon, antes da Madrinha despertar, foi de muito sofrimento e decepção na vida familiar.

Isto para quebrar a ilusão de que, quem vem em missão de luz na Terra não sofre, vem soberano e superior às situações da vida, que reencarna brilhando como holofote.

Ninguém mais do que um enviado da luz em missão na Terra para estar sujeito ao sofrimento e perseguições, meu filho!

E quando começar a brilhar a luz do amor e da responsabilidade espiritual dos filhos da luz, você também será perseguido e criticado. Nem mesmo o Mestre Jesus escapou desta sina. Nem seus discípulos após sua crucificação ou os profetas antes deles. Até os santos mais recentes sofreram e foram perseguidos porque brilharam a luz do amor na Terra, pois aqui ainda é mundo de provas.

A Genecilda antes do reencontro, e ser despertada, sofreu, sofreu muito, sofreu demais! Chegou mesmo desistir da vida de tamanho sofrimento que vivia. E este fato, a Madrinha fazia questão contar aos outros, e de como foi resgatada pelo Padrinho Gideon, e de como na Obra realmente começou a viver, de como realmente era feliz como nunca antes fora!

A Genecilda disse a muitos outros e por diversas vezes, que o Padrinho Gideon era a Luz na vida dela e que esta OBRA o marco de seu renascimento.

E o Padrinho também dizia, mas foi ela a Luz de minha vida e nunca antes eu fora tão feliz como que junto dela!

A história da madrinha Genecilda começa quando, aos 38 anos, o Xamã Gideon dos Lakotas conseguiu abrir por completo seus canais com a Mente Universal, com DEUS, e teve de volta a recordação de sua missão espiritual. Em suas palavras:

… levei 38 anos para reencontrá-la, mas a reencontrei tal qual disse o faria, não importava tempo, ou situações pesadas, ou provações e ou fosse o que fosse que aparecesse, que ela ficasse tranquila que eu a reencontraria! Então reencarnamos.

Mas uma característica da Genecilda foi mais marcante que todas as outras: Ela tinha verdadeiro asco e aversão das pessoas que ganhavam dinheiro vendendo daime.

Ela dizia:

Este povinho é pior que os traficantes, porque explorando comercialmente o irmão carente, traficam o daime sagrado. Eu jamais, seja na vida ou na morte, jamais, mas jamais mesmo, andarei com pessoas que usam ayahuasca como fonte de rendas, porque como fariseus são ladrões e salteadores do Divino, como ensina o Mestre Jesus.

Na época (2003 a 2006), o custo da despesa por 01 litro da nossa forte ayahuasca era 30 reais, sendo mais da metade desse valor o custo de frete, e mantínhamos nesse valor mesmo que o custo aumentasse, para poder suprir os 120 Institutos Auxiliados.

Ao passo que, igrejas mundanas, como as de Sorocaba, que embora tivessem produção própria, vendiam daime a quem tivesse dinheiro para pagar por 60, 80 até 120 reais o litro.

Nas palavras do Xamã Gideon dos Lakotas: uma remessa trimestral de ayahuasca me custava meio milhão por vez.

Importante destacar que o salário mínimo nessa época era de 300 reais.

Em 13 de dezembro de 2003 inauguramos o Céu Nossa Senhora da Conceição, e assim começamos nossa história, a história desta obra.

A Madrinha Genecilda e o Padrinho Gideon doaram tudo que ajuntaram durante toda a vida, empregando seus esforços em conjunto para materializar esta OBRA, recebendo milhares de buscadores, resgatando e despertando multidões.

A Madrinha dizia:

Abrimos a porta de nossa casa para receber milhares de pessoas, e as trazemos para o degrau do espiritual, sem nunca telas visto mais gordo ou magra na frente, e sem se importar com o que ela tem ou faz, pelo simples fato de vê-la feliz.

Madrinha Gencilda é a autora dos hinos 25 e 26 que compõe o Hinário:

Em 22 de junho de 2006, a Madrinha Genecilda foi vítima de latrocínio, foi morta durante um assalto na estrada!

Genecilda morreu integra, honrada, um exemplo de esposa e madrinha, deixou saudades em nossos corações e é sim uma luz na vida de milhares.

Nas palavras do Padrinho Gideon:

Amada madrinha Genecilda, minha amada companheira e esposa, uma luz na vida de todos nós… Saudades gente! Mesmo hoje o coração aperta (mensagem escrita em 2012). E como não apertar? Vivemos um casamento de intensa felicidade e começamos juntos a OBRA Céu Nossa Senhora da Conceição. Presenciamos juntos a chegada de dezenas de milhares de buscadores, a felicidade com que passavam a brilhar, e também a desistência de alguns poucos que optaram pelo apego e o mundanismo.

A Madrinha Genecilda fez a passagem no dia 22 de junho de 2006, exatamente no solstício de inverno.

Todo os anos fazemos, no fim de semana mais próximo do dia 22 de junho, fazemos aqui na fazenda um especial ritual de homenagem a madrinha Genecilda dos Lakotas, uma Luz na vida de todos nós…

Compartilhar

Veja Também

O Que Fazemos

O Céu Nossa Senhora da Conceição é uma obra do Astral Superior, materializada na terra …