Céu Nossa Senhora da Conceição, "Xamã Gideon dos Lakotas", Erva Benta

Erva Benta

Geum urbanum L.

Geum urbanum Planta herbácea perene, possuindo um rizoma grosso (desenho em baixo à direita) e um caule ramificado com folhas e estípulas alternas e trímeras. As flores amarelas e solitárias encontram-se na extremidade dos caules. Os frutos são aquênios cobertos de excrescências recurvadas (figura pormenorizada). Toda a planta é vilosa. É vulgar nos silvados, ao longo dos muros e das sebes. Desde a Antiguidade é colhida devido às suas virtudes peitorais.

Colhe-se o rizoma. Depois de muito bem lavado e desembaraçado de todas as partes verdes, é posto a secar a uma temperatura de 35oc no máximo. Deve ser em seguida conservado em local seco dentro de embalagens fechadas.

Contém taninos, substâncias amargas, óleo essencial e um pigmento; tem um efeito nitidamente adstringente. É usado em casos de catarro gastrintestinal, para deter as diarréias violentas, contra as cólicas intestinais e as hemorragias internas, na dose de 1g a 2g de pó várias vezes ao dia, ou em decocção, à razão de 2 colheres de café por chávena de água. Entra igualmente na composição de vinhos fortificantes. Externamente, serve para preparar gargarejos contra as inflamações da cavidade bucal, as hemorragias das gengivas, a descarnadura dos dentes e o mau hálito. Banhos e compressas são eficazes contra as hemorróidas e as doenças da pele.